f /-
J
Gerência. de- R~scos
Prevenção de perdas em siste
U
ma expressão bastante di-
. . fundida no MercadoSegura-
dor Brasileiro...
a único
ção, porque o ideal da Segurança In-
dustrial é aquele que alia a produtivi-
dade sem perdas ou a Segurança com
lu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Revista de Seguros: Gerenciamento de Riscos em Shows de Rock - Rock in Rio (first)

200 visualizações

Publicada em

O artigo trata do primeiro estudo de gerenciamento de riscos para um show aberto do Rock in Rio.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
200
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista de Seguros: Gerenciamento de Riscos em Shows de Rock - Rock in Rio (first)

  1. 1. f /- J
  2. 2. Gerência. de- R~scos Prevenção de perdas em siste U ma expressão bastante di- . . fundida no MercadoSegura- dor Brasileiro é Gerencia- mento de Riscos. Se formos buscar a real expressão de seu significadofica- remos abismados com a quantidade de definições existentes. Mas,enfim, o que é o Gerenciamento de Riscos ou Gerência de Riscos (Risk Manage- ment)? É uma técnica adotada que busca, através da gerência ou adou- nistração de riscos, administrar um bem segurado de forma que não exis- tam prejuízos sem o correspondente ressarcimento. A idéia da Gerência de Riscos é bem antiga, tendo surgido da neces- sidade de administrar um risco de forma abrangente e ~o sob o pris- ma do Homem Insta.ações ou Produ- ção, isoladamente Inicialmente em d:..-ersos países, surgí.I'are e e-:-oluÚ"éireações tenden- tes a preo:oemrdanos as pessoas, de- correntes de ati"'Ídades laborais. H He.nnch em 1931,efetuou ;una pesq sa a qual revelou a exis- tência de ..ma relação constante de 't ~ ~;:e 0= custos segurados e os não segurado: de um aCIdente, como estimaé-.ã do ~..stO de acidentes. Mo- demamen~ :oabe-se que essa relação pode "'ãria: desde ~ 3 ~ até ~Gl'l, em Vlrtude de ~;.aneros fatores Willie Hammer em se.. u""I'OOccu- pational Safery :.:anage:']ent and En- 6 gineering, diz: "Acidentes ocorrem desde tempos imemoriais, e as pes- soas têm se envolvido tendo em vista a sua prevenção por períodos com- paravelmente extensos". Recursos humanos, equipamentos e instala- çOes,processos e materiais são alguns dos fatores de perda que podem se verificarem um sistema. A idéia básica da prevenção de perdas afetas a um único sistema fo. sendo ampliada gradualmente, até chegar ao que hoje é a Gerência de Riscos. Através dela, tem-se condi- çOes de verificar-se o potencial de perdas que um risco pode vira sofrer e determinar-se quais as decisOesque podem ser tomadas para prevenir-se essas perdas ou mesmo saná-las. ~ formas de prevenção de perdas são bastante variadas, como por exem- plo: . Treinamento de Pessoal; . Utilização de Equipamentos adequados ao desenvolvimento dos trabalhos; . Planos de Manutençãoade- quados; . Correçãode falhasem tempo hábil; . Contratação de Segurosetc Em resumo,podemosdizerque o Gerenciamentode Riscosafeta dire- tamente: . ohomem; . asinstalaçOes; . aprodução. Devemos sempre incluir a produ- REVISTA DE SEGUROS
  3. 3. a único ção, porque o ideal da Segurança In- dustrial é aquele que alia a produtivi- dade sem perdas ou a Segurança com lucro. Devido às particularidades ineren- tes ao Mercado Segurador Brasileiro, passou-sea entender que o Gerencia- mento de Riscos é uma técnica de Administração de Seguros, quando na verdade o seu sentido lato é bem mais abrangente. Apesar do sentido stricto dado à -Rock in Rio, bom exemplo da aplicação do gerenciamento para uma vasta gama de seguros- expressão muito se tem aproveitado do Gerenciamento de Riscos no Mer- cado Segurador, haja vista as análises de riscos feitas para os Pacotes de Seguros. Esses pacotes compreendem desde um buquê de coberturas que se pretende oferecer a um Segurado até os seguroscomplexos, pela ampli- tude de coberturas e valores envolvi- dos. Um dos grandes exemplos que pode ser fornecido foi a cobertura de seguros oferecida para o Rock in Rio Festival. Para esse evento, a análise REVISTA DE SEGUROS de riscos demonstrou claramente a necessidade de se dar cobertura aos danos provocados pelo uso e conser- vação das instalaçOese aos danos fí- sicos que essas instalações poderiam sofrer. Foi um estudo bastante com- plexo, que durou cerca de dois me- ses, tendo-se coletado informações que variam desde os índices pluvio- métricos normais para a região até o tipo de solo onde estavam assenta- das as fundações do palco. A Gerência de Riscos, entretanto, não é feita somente para esses casos atípicos. Pode-se fazer um Gerencia- mento em um supermercado sujeito a roubos constantes, a uma joalheria várias vezes assaltada, a um prédio com grande área envidraçada e sinis- tros constantes, a construção de uma grande Usina Nuclear ou a riscos para os quais deseja-se contratar Se- guros específicos. Para os primeiros exemplos, a tendência, ou melhor, o objetivo principal do Gerenciamento é o de detectar-se as razOesda eleva- da sinistralidade e, após isso, sugerir ao Sequrado me<hdaspreventivas o.. saneatórias Para os ~timos exemp:.os busca-se com o trabailio saber-se quais os tipos de seguros que melhor atenderiam ao Segurado. O correto, entretanto, é fazer-se um trabalho preventivo antes qo.oe ocorram os sinistros e ao mesmo tem- po saber-sequais os seguros que :ne- lhor atendem aos anseios do sequra- do. Como se vê, ao praticar-se o 88- renciamento de Riscos como :'ea.- mente deve ser, todos têm a lucra: os seguradose as seguradoras. ... Antônio Femando Navarroé e~enheiro civllda Nacionalde Seguros. pós euado em . - do Tra . com vários ~de espt'risl~ em Sepruça IndllStriaJ. e Proteçi'o de lnstaIaçõ5

×