SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
Próxima turma de Revisão:
                                            Fuvest, Unicamp, Unesp UFSCar e Unifesp                                               R. Presciliana Soares, 54
                                                                                                                                       Cambuí - Campinas
                                                   De 24/11 a 16/12 de 2009                                                            Fone: 19 3255 5690
                                                                                                                                       www.selevip.com.br


                                                               Resumo de Física                                                   Atualização: 01 / 11 / 2009

          Mecânica                          Movimento Circular e                                             Dinâmica
                                            Uniforme                                                                           Trabalho do da Felástica
                                                                                      Leis de Newton                                                   k  Δx 2
                      Cinemática                                                                                                     τ Felástica  
                                            Freqüência e período                      1ª Lei                                                               2
                                                   nº voltas               1          Inércia                                  Energia Cinética
Grandezas básicas                               f                      f
                                                      Δt                   T                                                                        mv2
Velocidade escalar média
                                            Velocidade angular                        2ª Lei                                                 EC 
                       Δs                                                                                                                          2
             vm                                      Δ 2π                                          FR  m.a
                       Δt                       ω           2 πf
                                                      Δt   T                                                                   Teorema da Energia Cinética
Aceleração escalar média
                                            Velocidade linear                         3ª Lei                                             τ total  ECinética
                       Δv                      s 2  π  R
             am                            v              2 πR f
                                                                                      Lei da Ação e Reação
                                                                                                                                                    m  v2 m  v0
                                                                                                                                                                2
                       Δt                      t     T                                                                        Soma dos                 
                                                    v  ω R                          Força Peso                                                      2      2
                                                                                                          
Movimento Uniforme                                                                                   P  m.g
     Δs                                                                                                                        Potência e Rendimento
v                s  s0  v.t              Composição dos                            Na Terra 1 kgf  10 N
     Δt                                     movimentos                                                                         Potência Mecânica
                                                                                      Plano inclinado                                        τ
Gráfico s x t
                                                                                                                            Potmédia 
                  N
                                             vresul tan te  vrelativa  varrasto                  Pt  P.senθ                               Δt
                v  tg 
                                                                                                 PN  P.cosθ                    Pot média  F  vm  cosθ
                                                  v A,C  v A,B  v B,C
Movimento
Uniformemente Variado                                                                 Força Elástica                              Pot instantânea  F  v  cosθ
                            at 2
                                            Lançamento Oblíquo                                    Felástica  k.x
       s  s 0  vo .t                                                                                                        Rendimento
                             2                                                        Associação de molas em
                                            Componentes da velocidade                                                                              Pot útil
           v  vo  a.t
                                            inicial ( é o ângulo entre v0 e
                                                                                      série                                                 
                                                                                       1    1   1                                                  Pot total
       v2  vo  2.a.s
             2
                                            a horizontal)                                        ...
                                                                                      K eq K1 K 2
                Δs v  vo                             v 0 x  v 0  cos 
       vm                                            v 0 y  v 0  sen
                                                                                      Associação de molas em
                                                                                                                               Energia Mecânica
                Δt   2                                                                paralelo
No gráfico s x t                            Movimento vertical (MUV)                      K eq  K1  K 2  ...                Energia Potencial
                                                                                                                               Gravitacional
                  N                                                      g
                v  tg                          S y  S0 y  v 0 y  t   t 2                                                             Epg = m.g.h
                                                                         2
                                                                                      Força de atrito
No gráfico v x t                                     v y  v yo  g.t                                                          Energia Potencial Elástica
            N
       s   área (v  t)                                                                                                                          k  x 2
                                                v 2  voy  2.g. s y
                                                  y
                                                       2
                                                                                               Festático máx  μ E .N                     E PE 
                  N                                                                                                                                     2
                a  tg                     Movimento horizontal (MU)                            Fcinético  μC .N             Sistema conservativo
No gráfico a x t                            s x  v x  t                                                                              EMec final  EMec inicial
            N                                                                         Resultante centrípeta
       v   área (a  t)                                                                           mv 2                          ECf  EPf  ECi  EP i
                                            Lançamento horizontal                             R cp 
Cinemática Vetorial                                                                                   R                        Sistema dissipativo
Velocidade vetorial média                                                             Trabalho                                      EMec final  EMec inicial
                                           Movimento vertical (MUV)
                 d                                           g                                                                    E Diss  E Mec inicial  E Mec final
             vm                                        S y   t 2                  Trabalho de força constante
                  Δt                                          2
Aceleração centrípeta                                    v y  g.t                                τ F  F  d  cosθ
                       v2                                                                                                      Gravitação Universal
             a cp                                   v 2  2.g. s y
                                                       y                              Trabalho do peso                         Força gravitacional
                       R
                                                                                              τ peso   m  g  h                                         M.m
Aceleração vetorial
                                                                                                                                   Fgravidade  G.
a vetorial  a centrípeta  a tan gencial                                                                                                                  d2
                                            Movimento horizontal (M.U.)               Trabalho de força variável               Campo gravitacional
                                                      s x  v x  t
                                                                                              N
                                                                                                                                                       M
                                                                                        τ F  área(gráfi coFt xd)                            g  G.
                                                                                                                                                       d2

     Resumo de fórmulas da física (ensino médio e vestibular)                       Versão 1.6                          Prof. Pinguim                       pág 1
Dinâmica Impulsiva                          Pressão                                                                              Óptica
Quantidade de Movimento                                  F                       Capacidade Térmica
                                                    p  normal                                  Q
                 Q  m.v                                  Area                                C                               Reflexão da Luz
                                                                                                  Δ                  Espelhos Planos
Impulso de uma força                        Pressão absoluta                                  C  m.c                 Lei da reflexão: i = r
constante
                                            p total  patm  d líquido.g.h
                IF  F  Δt                                                      Quantidade de calor sensível
                                                                                           Q  m.c.                 Translação de espelho plano
                                            Pressão hidrostática
Propriedade do gráfico F x t
                                                                                                                      simagem=2. sespelho
                                            (da coluna de líquido)
                                                                                 Calor latente
         N
   I F  área(gráfi co Ft x t)                  pcoluna  d líquido.g.h
                                                                                 Quantidade de calor latente          Associação de espelhos

                                            Prensa hidráulica
                                                                                             Q  m.L                  planos
Teorema do Impulso                                                                                                                      360 o
                                           (Pascal)                                                                           N            1
               IFR  Q                                   F1 f 2                 Troca de calor                                          α

                        
                                                            
                                                          A1 a2                        Q cedido   Q recebido  0   N é o número de imagens para
                                                                                                                      cada objeto
        Itotal  Qfinal  Qinicial
                                            Empuxo (Arquimedes)                                 Gases Ideais          Espelhos esféricos
Aplicação na reta:
                                                                                                                      Equação de Gauss
          I F  m  v  m  v0                 E  d Liquido.Vsubmerso .g        Equação de Clapeyron
                                                                                           pV  n R T                        1 1 1
(orientar trajetória para atribuir sinais
algébricos)
                                                                                                                                    ,
                                            Peso aparente                                                                       f  p p
                                                                                 Transformação de gás ideal
Sistema mecanicamente                                Pap  P  E                             p1V1 p2V2
isolado                                                                                                              Ampliação (Aumento Linear)
(colisões e explosões)
         total         total                                                                T1   T2                              i  p,
        Q Logodepois  Q Logoantes             Física Térmica                                                                  A    
                                                                                 Isotérmica                                       o     p
                                                                                 T = constante                                        f
          
Para dois corpos:
                                                        Termometria            Isobárica                                       A
     Q'A  Q'B  QA  QB                                                         P = constante                                      f p
                                                                                 Isovolumétrica
                                            Escalas termométricas                V = constante
Colisão perfeitamente elástica                 C  F  32  K  273                                                  Convenção de sinais
                                                         
             e=1                               5      9        5                            Termodinâmica             p > 0 para os casos comuns
Colisão parcialmente elástica
            0<e<1                                                                                                     Se p’ > 0  i < 0  A < 0, a
Colisão perfeitamente elástica
                                                 Dilatação Térmica               1a Lei da Termodinâmica              imagem é real e invertida
             e=0                                                                          Q    U
                                Estática    Dilatação linear                                                          Se p’ < 0  i > 0  A > 0, a
                                                    ΔL Lo α  Δ               Trabalho em uma
                                                                                                                      imagem é virtual e direita

Equilíbrio de ponto                                                              transformação isobárica.             f > 0 espelho côncavo
material
                                           Dilatação superficial                           τ  p.V                  f < 0 espelho convexo

                   F  0                           ΔS  So  β  Δ

                                            Dilatação volumétrica                                                              Refração da Luz
Equilíbrio de Corpo                                                              Trabalho em transformação
Extenso                                             ΔV  Vo  γ  Δ             gasosa qualquer                      Índice de refração absoluto
                                                                                     N
Momento de uma força                        Relação entre os coeficientes         τ  área(gráfi coPxV)                                      c
                                                                                                                                n meio 
                  M = F.d                                                                                                               v meio
                                                                 
Condição de equilíbrio                                1       2       3          Trabalho em transformação            Índice de refração relativo
    M horário  M anti horário
      total       total
                                                                                 gasosa cíclica                       entre dois meios
                                            Transferência de calor                  N
                                                                                  τ  área interna do gráficoPxV                        n 2 v1
                                            Fluxo de calor                                                                    n 2,1       
                       Hidrostática                       K  A                                                                      n1 v 2
                                                    
                                                              L
Densidade                                                                        Energia cinética média das           Lei de Snell-Descartes
                                                                                 moléculas de um gás                                                    
                    d
                       m                                    Calorimetria                 3     1                      n origem  sen i  n destino  sen r
                       V                                                         E CM    k.T  m.v 2
                                                                                                    media_moleculas
                                                                                         2     2
    3
1m = 1000 L                                 Calor sensível                       k = 1,38x10-23 J (constante de       Reflexão interna total
1cm2 = 10-4 m2                              Calor específico da água             Boltzmann)
1atm=105 N/m2 = 76 cmHg= 10mH2O
dágua = 1 g/cm3 = 103 kg/m3                 cágua = 1 cal/(g.°C)                                                                   n
                                                                                                                              sen L  menor
                                            Equivalente mecânico                                                                     n maior
                                            1 cal = 4,2 J

         Resumo de fórmulas da física (ensino médio e vestibular)              Versão 1.6                     Prof. Pinguim                    pág 2
Elevação aparente da                            Movimento                     Nível sonoro                                   Utotal = U1+ U2 +...
imagem (dioptro plano)                                                                    I
                                         Harmônico Simples                    N  10 log
Objeto na água
                                                                                         IO                                 R eq  R1  R 2  ...
                                      Período do pêndulo simples                                                       Associação em paralelo
            di   n
                ar                                       L                   Efeito Dopler-Fizeau                               itotal = i1+ i2 +...
            d o n água                             T  2                     Aproximação relativa: som mais agudo
                                                          g
                                                                              Afastamento relativo: som mais grave           Utotal = U1= U2 =...
Objeto no ar
            d i n água                Período do oscilador
                                     harmônico massa-mola                         f ouvinte         f fonte                 1
                                                                                                                                
                                                                                                                                  1
                                                                                                                                    
                                                                                                                                      1
                                                                                                                                          ...
            do   n ar                                                                          
                                                            m                 v som  v ouvinte v som  v fonte             R eq R 1 R 2
                                                T  2
Lentes esféricas                                            k                                                             Dois resistores em paralelo
                                                                              Cordas vibrantes                                              R 1 .R 2
Equação de Gauss
                                      Equação horária da posição                                                                  R eq 
                                      do MHS                                                                                               R1  R 2
            1 1 1                                                             Velocidade do pulso na
                ,                       x  A  cos( 0  ω  t)            corda
            f  p p                                                                                                       N resistores iguais em paralelo

                                      Equação horária da                                                                                       R
                                                                                          F                                          R eq 
Ampliação (Aumento Linear)            velocidade do MHS                           v             (Eq. Taylor)                                  N
            i p           ,          v  ω  A  sen ( 0  ω  t)                      ρ
         A 
           o     p                                                            Densidade linear da corda
                                                                                                                       Gerador elétrico real
               f
                                      Equação horária da
                                      aceleração do MHS                                       m                                   U AB    r.i
          A                                                                           ρ       (kg/m)
             f p                     a  ω  A  cos ( 0  ω  t)
                                               2
                                                                                              L
                                                                                                                       Circuito elétrico simples
                                                                              Freqüência de vibração
Convenção de sinais                                   Fenômenos                                     v
p > 0 para os casos comuns                                                                f  n.                                           
                                                     ondulatórios                                  2L                  i gerador 
Se p’ > 0  i < 0  A < 0, a                                                                                                         R ext  r
imagem é real e invertida             Reflexão: a onda bate e volta           Tubo sonoro aberto
Se p’ < 0  i > 0  A > 0, a                                                            v                              Receptor elétrico
imagem é virtual e direita            Refração: a onda muda de meio            f n           n é número inteiro
                                                                                       2L
f > 0 lente convergente               Difração: a onda contorna um
                                                                                                                                 U ' AB   '  r ' .i
f < 0 lente divergente                obstáculo ou fenda                      Tubo sonoro fechado
                                                                                                                       Circuito com resistor,
                                                                                        V
Vergência de uma lente                Interferência: superposição               f n       n é número ímpar            gerador e receptor
                     1                (construtiva ou destrutiva) de duas               4L                                                     '
              V                      ondas
                                                                                                                            i gerador 
                     f
                                      Polarização: uma onda
                                                                                                                                            R ext  r
Equação de Halley                     transversal que vibra em muitas               Eletricidade
(Equação dos fabricantes de lentes)
                                      direções passa a vibrar em apenas                                                Potência elétrica
1     n             1   1           uma direção                                        Eletrodinâmica
   ( lente  1)  
                   R  R  
                                                                                                                                           E elétrica
f    n externo      1    2 
                                                                                                                                  Pot 
                                      Dispersão: separação da luz
                                                                              Corrente elétrica                                              t
Convenção de sinais para os raios     branca nas suas componente
de curvatura das faces                (arco-íris e prisma)                                       Q                                   Pot  U  i
                                                                                            im 
     R > 0 para face convexa          Ressonância: transferência de                              t
     R < 0 para face côncava          energia de um sistema oscilante                                                  Potência para resistor
                                      para outro com o sistema emissor
                                                                              Leis de Ohm                                                     U2
                                      emitindo em uma das freqüências                                                   Pot  U  i  R  i       2

       Ondulatória                    naturais do receptor.                   1a Lei de Ohm                                                   R
                                                                                         U AB  R.i                    Potência para gerador
                                                           Acústica
              Fundamentos
Freqüência da onda                    Qualidades fisiológicas                 2a Lei de Ohm                                      Pot útil  U AB  i
                                                                                                  L
   f
      N
                          f
                             1        do som                                               R  ρ.                                Pot gerada  E  i
                                                                                                  A
      Δt                     T        Altura do som
                                      Som alto (agudo): alta freqüência        é a resistividade elétrica do                   Pot dissipada  r  i 2
                                      Som baixo (grave): baixa                material
Velocidade de onda                    freqüência
                    Δs                                                        Associação de resistores                 Potência para receptor
              v                      Intensidade sonora
                    Δt                Som forte: grande amplitude                                                                  Pot útil  E '  i
                                                                              Associação em série
                                     Som fraco: pequena amplitude
                                                                                                                           Pot consumida  U 'AB  i
  v                     v  f          P
        T                             I  ot                                           itotal = i1= i2 =...
                                         Area                                                                                   Pot dissipada  r '  i 2

     Resumo de fórmulas da física (ensino médio e vestibular)               Versão 1.6                          Prof. Pinguim                      pág 3
τ AB  q.(VA - VB )                                                              Força magnética sobre
                                                                                                                                  carga pontual
Leis de Kirchhoff                          Campo elétrico uniforme                  Condutores em equilíbrio
                                                                                    eletrostático                                 Força magnética sobre uma
Lei dos nós                                           E.d  U AB                                                                 carga em movimento
                                                                                                              E     é

          i entra  i sai                Capacitância                             Caracteristicas
                                                                                    perpendicular à superfície do
                                                                                                                                        Fmag  q  v  B  senθ
                                           Carga armazenada em                      condutor
                                                                                         
Lei das malhas                             condutor isolado                          E interno     0                            Regra da mão direita espalmada
                                                                                    Vsuperfície = Vinterno = constante           (carga positiva)
Percorrendo-se uma malha em
certo sentido, partindo-se e                          Q  CV                                                                      Dedão indica velocidade
chegando-se ao mesmo ponto, a                                                                                                     Demais dedos esticados indicam
soma de todas as ddps é nula.                                                       Campo elétrico da esfera em                   o campo B
 ddp nos terminais de resistor
                                           - onde V é o potencial do corpo                                                        A força está no sentido do tapa
                                           - C depende da forma, das dimensões
  Percurso no sentido da corrente          do condutor e do meio que o envolve,
                                                                                    equilíbrio eletrostático                      com a palma da mão
  UAB = + R.i                              mas não do material
                                                                                                                                  Obs.:
                                           Energia elétrica armazenada
  Percurso contra o sentido da                                                                     Einterno  0                   1) se a carga for negativa, inverter
                                                                                                                                  o sentido da força
corrente                                   em condutor                                                                                 
  UAB = - R.i                                                   QV                                                               2)   Fmag é sempre perpendicular ao
 ddp nos terminais gerador ou                      E potel                                                  1 k Q                                        
receptor                                                         2                           E superfície                       plano formado por v e B
  Percurso entrando pelo positivo                                                                             2 R2
  UAB = + E                                Capacitância de condutor                                                               Casos especiais:
                                                                                                                                           
  Percurso entrando pelo negativo          esférico isolado                                                 k Q                  Se v // B ,  = 0o ou  =180o e
  UAB = - E
                                                                R                               E próximo                        ocorre M.R.U.
                                                         C                                                  R2
                                                                K                                                                          
                   Eletrostática                                                                                                  Se v  B ,  = 90o e ocorre
                                                                                    Potencial elétrico da esfera
                                                                                                                                  M.C.U.
                                           Capacitores                                                                   k Q
Carga Elétrica                                                                           Vinterno  Vsuperfície                  Raio da trajetória circular
                                           Carga armazenada                                                               R                           m.v
Carga elementar
                                                       Q  C U                                                                                 R
e  1,6  10   19                                                                                            k Q                                    q .B
                     C                                                                           Vexterno   
                                                                                                                d                 Período do MCU
Quantidade de carga elétrica               Energia potencial elétrica               onde d é a distância ao centro da                                2m
             Q  ne                       armazenada                               esfera                                                      T
                                                                QU                                                                                   q .B
Princípio da Conservação da                         E potel                                 Eletromagnetismo
Carga elétrica                                                   2                                                                Força magnética sobre
     Q depois  Qantes                   Associação em série de                   Fontes de campo
                                                                                                                                  um condutor retilíneo
                                                                                    magnético
                                           capacitores
Q1  Q'2  ...  Q1  Q 2  ...
 '

                                                                                    Permeabilidade magnética do
                                                                                                                                           F  B.i .Lsenθ
                                                 Qtotal = Q1= Q2 =...               vácuo
Lei de Coulomb                                                                                                                    Regra da mão direita espalmada:
                                                                                              0 = 4.10 T.m/A
                                                                                                              -7
                             Q.q                  Utotal = U1+ U2 +...                                                             Dedão indica corrente
        Felétrica  k.                                                              Campo magnético de fio reto
                                                                                                                                  Demais dedos esticados indicam
                             d2                                                                                                   o campo B
               9         2   2
                                                  1    1   1                                                0  i                A força está no sentido do tapa
kvácuo = 9.10 N.m /C
                                                            ...                                 B                             com a palma da mão
                                                 C eq C1 C 2                                                2d
Campo elétrico
                                                                                                                                Indução magnética
          Felétrica  q  E                  Para dois capacitores em série:        Regra da mão direita
                                                               C1 .C 2               Dedão indica sentido corrente
                                                                                                                                  Fluxo magnético
                      Q                           C eq                              Demais dedos indicam sentido
            E  k. 2                                          C1  C 2                                                                      B.A. cos 
                      d                                                             de   B
Q > 0 gera campo de afastamento            Associação em paralelo de                                                              Força eletromotriz induzida
Q < 0 gera campo de aproximação                                                     Campo magnético no centro
                                           capacitores                                                                            Lei de Faraday
                                                                                    de uma espira circular
                                                                                                                                                       
Potencial elétrico em um                                                                              i                                       
ponto A                                                                                            B 0                                                t
                             Q                   Qtotal = Q1+ Q2 +...                                2R                          Para haste móvel
             VA  k.                                                                Usar regra da mão direita                                     B.L.v
                             d                    Utotal = U1= U2 =...
                                                                                    Vetor campo magnético no                      Transformador de tensão
Energia potencial elétrica                                                          centro de um solenóide
Considerando potencial nulo no infinito:       Ceq  C1  C 2  ...                                            N
                                                                                                                                  (só Corrente Alternada)

                        Q.q                                                                      B  0         i                             UP NP
                                                                                                                                                  
           E PE     k.                                                                                        L                                US NS
                         d                 Capacitância de capacitor                N/L é a densidade linear de
                                           plano de placas paralelas
           E PA  q  VA                                                            espiras
                                                               A                  Usar regra da mão direita
                                                       C
Trabalho da força elétrica                                      d
     Resumo de fórmulas da física (ensino médio e vestibular)                     Versão 1.6                               Prof. Pinguim                     pág 4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

04. movimento em duas e três dimensões
04. movimento em duas e três dimensões04. movimento em duas e três dimensões
04. movimento em duas e três dimensõesleonardoenginer
 
Calculo vetorial
Calculo vetorialCalculo vetorial
Calculo vetorialtooonks
 
Formulas de Física
Formulas de Física Formulas de Física
Formulas de Física FabsVitti
 
TODAS AS FORMULAS E RESUMO COMPLETO DE MATEMATICA
TODAS AS FORMULAS E RESUMO COMPLETO DE MATEMATICATODAS AS FORMULAS E RESUMO COMPLETO DE MATEMATICA
TODAS AS FORMULAS E RESUMO COMPLETO DE MATEMATICARobson S
 
Livro Análise Combinatoria e Probabilidade .pdf
Livro Análise Combinatoria e Probabilidade .pdfLivro Análise Combinatoria e Probabilidade .pdf
Livro Análise Combinatoria e Probabilidade .pdfElisângela Rodrigues
 
Plano anual de física para o ensino médio
Plano anual de física para o ensino médioPlano anual de física para o ensino médio
Plano anual de física para o ensino médioEric Novais SIlva
 
Slides- Progressão Geométrica
Slides- Progressão GeométricaSlides- Progressão Geométrica
Slides- Progressão GeométricaKetlin Cavane
 
2409 atividades de física assunto mru e mruv prof waldir montenegro
2409 atividades de física assunto mru  e  mruv prof waldir montenegro2409 atividades de física assunto mru  e  mruv prof waldir montenegro
2409 atividades de física assunto mru e mruv prof waldir montenegroWaldir Montenegro
 
Aula de EDO - Lei do Resfriamento de Newton
Aula de EDO - Lei do Resfriamento de NewtonAula de EDO - Lei do Resfriamento de Newton
Aula de EDO - Lei do Resfriamento de NewtonCristiane Petry Lima
 

Mais procurados (20)

Fórmulas de Cinemática
Fórmulas de CinemáticaFórmulas de Cinemática
Fórmulas de Cinemática
 
04. movimento em duas e três dimensões
04. movimento em duas e três dimensões04. movimento em duas e três dimensões
04. movimento em duas e três dimensões
 
Calculo vetorial
Calculo vetorialCalculo vetorial
Calculo vetorial
 
Fórmula de Acústica
Fórmula de AcústicaFórmula de Acústica
Fórmula de Acústica
 
Fórmulas de Dilatação
Fórmulas de DilataçãoFórmulas de Dilatação
Fórmulas de Dilatação
 
Formulas de Física
Formulas de Física Formulas de Física
Formulas de Física
 
Fórmula de Ondas
Fórmula de OndasFórmula de Ondas
Fórmula de Ondas
 
TODAS AS FORMULAS E RESUMO COMPLETO DE MATEMATICA
TODAS AS FORMULAS E RESUMO COMPLETO DE MATEMATICATODAS AS FORMULAS E RESUMO COMPLETO DE MATEMATICA
TODAS AS FORMULAS E RESUMO COMPLETO DE MATEMATICA
 
Livro Análise Combinatoria e Probabilidade .pdf
Livro Análise Combinatoria e Probabilidade .pdfLivro Análise Combinatoria e Probabilidade .pdf
Livro Análise Combinatoria e Probabilidade .pdf
 
Fórmulas de Termometria
Fórmulas de TermometriaFórmulas de Termometria
Fórmulas de Termometria
 
Fórmulas de Termodinâmica
Fórmulas de TermodinâmicaFórmulas de Termodinâmica
Fórmulas de Termodinâmica
 
Plano anual de física para o ensino médio
Plano anual de física para o ensino médioPlano anual de física para o ensino médio
Plano anual de física para o ensino médio
 
Plano de aula de física do 1° ano 3° bimestre - cem ary
Plano de aula de física do 1° ano    3° bimestre - cem aryPlano de aula de física do 1° ano    3° bimestre - cem ary
Plano de aula de física do 1° ano 3° bimestre - cem ary
 
Slides- Progressão Geométrica
Slides- Progressão GeométricaSlides- Progressão Geométrica
Slides- Progressão Geométrica
 
Formulas de-fisica
Formulas de-fisicaFormulas de-fisica
Formulas de-fisica
 
Dinâmica
DinâmicaDinâmica
Dinâmica
 
Fórmulas de Eletrodinâmica
Fórmulas de EletrodinâmicaFórmulas de Eletrodinâmica
Fórmulas de Eletrodinâmica
 
Aula 10 corrente e resistores
Aula 10   corrente e resistoresAula 10   corrente e resistores
Aula 10 corrente e resistores
 
2409 atividades de física assunto mru e mruv prof waldir montenegro
2409 atividades de física assunto mru  e  mruv prof waldir montenegro2409 atividades de física assunto mru  e  mruv prof waldir montenegro
2409 atividades de física assunto mru e mruv prof waldir montenegro
 
Aula de EDO - Lei do Resfriamento de Newton
Aula de EDO - Lei do Resfriamento de NewtonAula de EDO - Lei do Resfriamento de Newton
Aula de EDO - Lei do Resfriamento de Newton
 

Destaque

Formulas geral para geometria analitica
Formulas geral para geometria analiticaFormulas geral para geometria analitica
Formulas geral para geometria analiticaElieser Júnio
 
Trabajo, potencia y sus unidades
Trabajo, potencia y sus unidadesTrabajo, potencia y sus unidades
Trabajo, potencia y sus unidadesDaniela Vélez
 
Elementos de-maquinas - prof moro - ifsc
Elementos de-maquinas - prof moro - ifscElementos de-maquinas - prof moro - ifsc
Elementos de-maquinas - prof moro - ifscTiago Gomes
 
Apostila elementos de_maquinas
Apostila elementos de_maquinasApostila elementos de_maquinas
Apostila elementos de_maquinasneydom
 
Taller S10 Costos y Presupuestos - Parte 1
Taller S10 Costos y Presupuestos - Parte 1Taller S10 Costos y Presupuestos - Parte 1
Taller S10 Costos y Presupuestos - Parte 1Alex Arribasplata
 
Lista de exercícios
Lista de exercíciosLista de exercícios
Lista de exercíciosolivema91
 
Elementos de maquinas apostila Senai
Elementos de maquinas apostila SenaiElementos de maquinas apostila Senai
Elementos de maquinas apostila Senaisheylaladeiracosta
 
Elementos de máquinas sarkis melconian
Elementos de máquinas   sarkis melconianElementos de máquinas   sarkis melconian
Elementos de máquinas sarkis melconianAlex Fabiano Bueno
 
Lista de exercicios elementos de máquinas
Lista de exercicios elementos de máquinasLista de exercicios elementos de máquinas
Lista de exercicios elementos de máquinasJúlio César Droszczak
 
Formulas de física
Formulas de físicaFormulas de física
Formulas de físicajeduca62
 
Formulario fisica
Formulario fisicaFormulario fisica
Formulario fisicajavier11074
 
Ejercicios resueltos blog definitivo
Ejercicios  resueltos  blog definitivoEjercicios  resueltos  blog definitivo
Ejercicios resueltos blog definitivoYanina Soledad Perez
 

Destaque (20)

Formulario hidrostatica
Formulario hidrostaticaFormulario hidrostatica
Formulario hidrostatica
 
Formulas geral para geometria analitica
Formulas geral para geometria analiticaFormulas geral para geometria analitica
Formulas geral para geometria analitica
 
Formulario de física
Formulario de físicaFormulario de física
Formulario de física
 
Trabajo, potencia y sus unidades
Trabajo, potencia y sus unidadesTrabajo, potencia y sus unidades
Trabajo, potencia y sus unidades
 
Energía: Fórmulas y unidades
Energía: Fórmulas y unidadesEnergía: Fórmulas y unidades
Energía: Fórmulas y unidades
 
Elaboracion de presupuesto en s10 01
Elaboracion de presupuesto en s10 01Elaboracion de presupuesto en s10 01
Elaboracion de presupuesto en s10 01
 
Elementos de-maquinas - prof moro - ifsc
Elementos de-maquinas - prof moro - ifscElementos de-maquinas - prof moro - ifsc
Elementos de-maquinas - prof moro - ifsc
 
Elaboracion de presupuesto en s10 03
Elaboracion de presupuesto en s10 03Elaboracion de presupuesto en s10 03
Elaboracion de presupuesto en s10 03
 
Apostila elementos de_maquinas
Apostila elementos de_maquinasApostila elementos de_maquinas
Apostila elementos de_maquinas
 
Taller S10 Costos y Presupuestos - Parte 1
Taller S10 Costos y Presupuestos - Parte 1Taller S10 Costos y Presupuestos - Parte 1
Taller S10 Costos y Presupuestos - Parte 1
 
Lista de exercícios
Lista de exercíciosLista de exercícios
Lista de exercícios
 
Elementos de maquinas apostila Senai
Elementos de maquinas apostila SenaiElementos de maquinas apostila Senai
Elementos de maquinas apostila Senai
 
Elementos de máquinas sarkis melconian
Elementos de máquinas   sarkis melconianElementos de máquinas   sarkis melconian
Elementos de máquinas sarkis melconian
 
Lista de exercicios elementos de máquinas
Lista de exercicios elementos de máquinasLista de exercicios elementos de máquinas
Lista de exercicios elementos de máquinas
 
Formulario de trigonometria
Formulario de trigonometria Formulario de trigonometria
Formulario de trigonometria
 
Ejercicios de presión
Ejercicios de presiónEjercicios de presión
Ejercicios de presión
 
Formulas de física
Formulas de físicaFormulas de física
Formulas de física
 
Formulario fisica
Formulario fisicaFormulario fisica
Formulario fisica
 
Exercicios resolvidos
Exercicios resolvidosExercicios resolvidos
Exercicios resolvidos
 
Ejercicios resueltos blog definitivo
Ejercicios  resueltos  blog definitivoEjercicios  resueltos  blog definitivo
Ejercicios resueltos blog definitivo
 

Resumo de Física para Vestibulares

  • 1. Próxima turma de Revisão: Fuvest, Unicamp, Unesp UFSCar e Unifesp R. Presciliana Soares, 54 Cambuí - Campinas De 24/11 a 16/12 de 2009 Fone: 19 3255 5690 www.selevip.com.br Resumo de Física Atualização: 01 / 11 / 2009 Mecânica Movimento Circular e Dinâmica Uniforme Trabalho do da Felástica Leis de Newton k  Δx 2 Cinemática τ Felástica   Freqüência e período 1ª Lei 2 nº voltas 1 Inércia Energia Cinética Grandezas básicas f f Δt T mv2 Velocidade escalar média Velocidade angular 2ª Lei EC  Δs   2 vm  Δ 2π FR  m.a Δt ω   2 πf Δt T Teorema da Energia Cinética Aceleração escalar média Velocidade linear 3ª Lei τ total  ECinética Δv s 2  π  R am  v   2 πR f Lei da Ação e Reação m  v2 m  v0 2 Δt t T Soma dos    v  ω R Força Peso 2 2   Movimento Uniforme P  m.g Δs Potência e Rendimento v s  s0  v.t Composição dos Na Terra 1 kgf  10 N Δt movimentos Potência Mecânica Plano inclinado τ Gráfico s x t    Potmédia  N vresul tan te  vrelativa  varrasto Pt  P.senθ Δt v  tg    PN  P.cosθ Pot média  F  vm  cosθ v A,C  v A,B  v B,C Movimento Uniformemente Variado Força Elástica Pot instantânea  F  v  cosθ at 2 Lançamento Oblíquo Felástica  k.x s  s 0  vo .t  Rendimento 2 Associação de molas em Componentes da velocidade Pot útil v  vo  a.t inicial ( é o ângulo entre v0 e série  1 1 1 Pot total v2  vo  2.a.s 2 a horizontal)    ... K eq K1 K 2 Δs v  vo v 0 x  v 0  cos  vm   v 0 y  v 0  sen Associação de molas em Energia Mecânica Δt 2 paralelo No gráfico s x t Movimento vertical (MUV) K eq  K1  K 2  ... Energia Potencial Gravitacional N g v  tg  S y  S0 y  v 0 y  t   t 2 Epg = m.g.h 2 Força de atrito No gráfico v x t v y  v yo  g.t Energia Potencial Elástica N s   área (v  t) k  x 2 v 2  voy  2.g. s y y 2 Festático máx  μ E .N E PE  N 2 a  tg  Movimento horizontal (MU) Fcinético  μC .N Sistema conservativo No gráfico a x t s x  v x  t EMec final  EMec inicial N Resultante centrípeta v   área (a  t) mv 2 ECf  EPf  ECi  EP i Lançamento horizontal R cp  Cinemática Vetorial R Sistema dissipativo Velocidade vetorial média Trabalho EMec final  EMec inicial  Movimento vertical (MUV)  d g E Diss  E Mec inicial  E Mec final vm  S y   t 2 Trabalho de força constante Δt 2 Aceleração centrípeta v y  g.t τ F  F  d  cosθ v2 Gravitação Universal a cp  v 2  2.g. s y y Trabalho do peso Força gravitacional R τ peso   m  g  h M.m Aceleração vetorial    Fgravidade  G. a vetorial  a centrípeta  a tan gencial d2 Movimento horizontal (M.U.) Trabalho de força variável Campo gravitacional s x  v x  t N M τ F  área(gráfi coFt xd) g  G. d2 Resumo de fórmulas da física (ensino médio e vestibular) Versão 1.6 Prof. Pinguim pág 1
  • 2. Dinâmica Impulsiva Pressão Óptica Quantidade de Movimento F Capacidade Térmica   p  normal Q Q  m.v Area C Reflexão da Luz Δ Espelhos Planos Impulso de uma força Pressão absoluta C  m.c Lei da reflexão: i = r constante   p total  patm  d líquido.g.h IF  F  Δt Quantidade de calor sensível Q  m.c. Translação de espelho plano Pressão hidrostática Propriedade do gráfico F x t simagem=2. sespelho (da coluna de líquido) Calor latente N I F  área(gráfi co Ft x t) pcoluna  d líquido.g.h Quantidade de calor latente Associação de espelhos Prensa hidráulica Q  m.L planos Teorema do Impulso 360 o   (Pascal) N 1 IFR  Q F1 f 2 Troca de calor α     A1 a2  Q cedido   Q recebido  0 N é o número de imagens para cada objeto Itotal  Qfinal  Qinicial Empuxo (Arquimedes) Gases Ideais Espelhos esféricos Aplicação na reta: Equação de Gauss I F  m  v  m  v0 E  d Liquido.Vsubmerso .g Equação de Clapeyron pV  n R T 1 1 1 (orientar trajetória para atribuir sinais algébricos)   , Peso aparente f p p Transformação de gás ideal Sistema mecanicamente Pap  P  E p1V1 p2V2 isolado  Ampliação (Aumento Linear) (colisões e explosões)  total  total T1 T2 i  p, Q Logodepois  Q Logoantes Física Térmica A  Isotérmica o p T = constante f   Para dois corpos:   Termometria Isobárica A Q'A  Q'B  QA  QB P = constante f p Isovolumétrica Escalas termométricas V = constante Colisão perfeitamente elástica  C  F  32  K  273 Convenção de sinais   e=1 5 9 5 Termodinâmica p > 0 para os casos comuns Colisão parcialmente elástica 0<e<1 Se p’ > 0  i < 0  A < 0, a Colisão perfeitamente elástica Dilatação Térmica 1a Lei da Termodinâmica imagem é real e invertida e=0 Q    U Estática Dilatação linear Se p’ < 0  i > 0  A > 0, a ΔL Lo α  Δ Trabalho em uma imagem é virtual e direita Equilíbrio de ponto transformação isobárica. f > 0 espelho côncavo material  Dilatação superficial τ  p.V f < 0 espelho convexo F  0 ΔS  So  β  Δ Dilatação volumétrica Refração da Luz Equilíbrio de Corpo Trabalho em transformação Extenso ΔV  Vo  γ  Δ gasosa qualquer Índice de refração absoluto N Momento de uma força Relação entre os coeficientes τ  área(gráfi coPxV) c n meio  M = F.d    v meio   Condição de equilíbrio 1 2 3 Trabalho em transformação Índice de refração relativo M horário  M anti horário total total gasosa cíclica entre dois meios Transferência de calor N τ  área interna do gráficoPxV n 2 v1 Fluxo de calor n 2,1   Hidrostática K  A   n1 v 2  L Densidade Energia cinética média das Lei de Snell-Descartes moléculas de um gás   d m Calorimetria 3 1 n origem  sen i  n destino  sen r V E CM  k.T  m.v 2 media_moleculas 2 2 3 1m = 1000 L Calor sensível k = 1,38x10-23 J (constante de Reflexão interna total 1cm2 = 10-4 m2 Calor específico da água Boltzmann) 1atm=105 N/m2 = 76 cmHg= 10mH2O dágua = 1 g/cm3 = 103 kg/m3 cágua = 1 cal/(g.°C)  n sen L  menor Equivalente mecânico n maior 1 cal = 4,2 J Resumo de fórmulas da física (ensino médio e vestibular) Versão 1.6 Prof. Pinguim pág 2
  • 3. Elevação aparente da Movimento Nível sonoro Utotal = U1+ U2 +... imagem (dioptro plano) I Harmônico Simples N  10 log Objeto na água IO R eq  R1  R 2  ... Período do pêndulo simples Associação em paralelo di n  ar L Efeito Dopler-Fizeau itotal = i1+ i2 +... d o n água T  2 Aproximação relativa: som mais agudo g Afastamento relativo: som mais grave Utotal = U1= U2 =... Objeto no ar d i n água Período do oscilador  harmônico massa-mola f ouvinte f fonte 1  1  1  ... do n ar  m v som  v ouvinte v som  v fonte R eq R 1 R 2 T  2 Lentes esféricas k Dois resistores em paralelo Cordas vibrantes R 1 .R 2 Equação de Gauss Equação horária da posição R eq  do MHS R1  R 2 1 1 1 Velocidade do pulso na   , x  A  cos( 0  ω  t) corda f p p N resistores iguais em paralelo Equação horária da R F R eq  Ampliação (Aumento Linear) velocidade do MHS v (Eq. Taylor) N i p , v  ω  A  sen ( 0  ω  t) ρ A  o p Densidade linear da corda Gerador elétrico real f Equação horária da aceleração do MHS m U AB    r.i A ρ (kg/m) f p a  ω  A  cos ( 0  ω  t) 2 L Circuito elétrico simples Freqüência de vibração Convenção de sinais Fenômenos v p > 0 para os casos comuns f  n.  ondulatórios 2L i gerador  Se p’ > 0  i < 0  A < 0, a R ext  r imagem é real e invertida Reflexão: a onda bate e volta Tubo sonoro aberto Se p’ < 0  i > 0  A > 0, a v Receptor elétrico imagem é virtual e direita Refração: a onda muda de meio f n n é número inteiro 2L f > 0 lente convergente Difração: a onda contorna um U ' AB   '  r ' .i f < 0 lente divergente obstáculo ou fenda Tubo sonoro fechado Circuito com resistor, V Vergência de uma lente Interferência: superposição f n n é número ímpar gerador e receptor 1 (construtiva ou destrutiva) de duas 4L    ' V ondas i gerador  f Polarização: uma onda R ext  r Equação de Halley transversal que vibra em muitas Eletricidade (Equação dos fabricantes de lentes) direções passa a vibrar em apenas Potência elétrica 1 n  1 1  uma direção Eletrodinâmica  ( lente  1)   R  R   E elétrica f n externo  1 2  Pot  Dispersão: separação da luz Corrente elétrica t Convenção de sinais para os raios branca nas suas componente de curvatura das faces (arco-íris e prisma) Q Pot  U  i im  R > 0 para face convexa Ressonância: transferência de t R < 0 para face côncava energia de um sistema oscilante Potência para resistor para outro com o sistema emissor Leis de Ohm U2 emitindo em uma das freqüências Pot  U  i  R  i  2 Ondulatória naturais do receptor. 1a Lei de Ohm R U AB  R.i Potência para gerador Acústica Fundamentos Freqüência da onda Qualidades fisiológicas 2a Lei de Ohm Pot útil  U AB  i L f N f 1 do som R  ρ. Pot gerada  E  i A Δt T Altura do som Som alto (agudo): alta freqüência  é a resistividade elétrica do Pot dissipada  r  i 2 Som baixo (grave): baixa material Velocidade de onda freqüência Δs Associação de resistores Potência para receptor v Intensidade sonora Δt Som forte: grande amplitude Pot útil  E '  i Associação em série  Som fraco: pequena amplitude Pot consumida  U 'AB  i v v  f P T I  ot itotal = i1= i2 =... Area Pot dissipada  r '  i 2 Resumo de fórmulas da física (ensino médio e vestibular) Versão 1.6 Prof. Pinguim pág 3
  • 4. τ AB  q.(VA - VB ) Força magnética sobre carga pontual Leis de Kirchhoff Campo elétrico uniforme Condutores em equilíbrio eletrostático Força magnética sobre uma Lei dos nós E.d  U AB  carga em movimento E é i entra  i sai Capacitância Caracteristicas perpendicular à superfície do Fmag  q  v  B  senθ Carga armazenada em condutor  Lei das malhas condutor isolado  E interno 0 Regra da mão direita espalmada Vsuperfície = Vinterno = constante (carga positiva) Percorrendo-se uma malha em certo sentido, partindo-se e Q  CV  Dedão indica velocidade chegando-se ao mesmo ponto, a Demais dedos esticados indicam soma de todas as ddps é nula. Campo elétrico da esfera em o campo B  ddp nos terminais de resistor - onde V é o potencial do corpo A força está no sentido do tapa - C depende da forma, das dimensões Percurso no sentido da corrente do condutor e do meio que o envolve, equilíbrio eletrostático com a palma da mão UAB = + R.i mas não do material Obs.: Energia elétrica armazenada Percurso contra o sentido da Einterno  0 1) se a carga for negativa, inverter o sentido da força corrente em condutor  UAB = - R.i QV 2) Fmag é sempre perpendicular ao  ddp nos terminais gerador ou E potel  1 k Q   receptor 2 E superfície   plano formado por v e B Percurso entrando pelo positivo 2 R2 UAB = + E Capacitância de condutor Casos especiais:   Percurso entrando pelo negativo esférico isolado k Q Se v // B ,  = 0o ou  =180o e UAB = - E R E próximo  ocorre M.R.U. C R2 K   Eletrostática Se v  B ,  = 90o e ocorre Potencial elétrico da esfera M.C.U. Capacitores k Q Carga Elétrica Vinterno  Vsuperfície  Raio da trajetória circular Carga armazenada R m.v Carga elementar Q  C U R e  1,6  10 19 k Q q .B C Vexterno  d Período do MCU Quantidade de carga elétrica Energia potencial elétrica onde d é a distância ao centro da 2m Q  ne armazenada esfera T QU q .B Princípio da Conservação da E potel  Eletromagnetismo Carga elétrica 2 Força magnética sobre Q depois  Qantes Associação em série de Fontes de campo um condutor retilíneo magnético capacitores Q1  Q'2  ...  Q1  Q 2  ... ' Permeabilidade magnética do F  B.i .Lsenθ Qtotal = Q1= Q2 =... vácuo Lei de Coulomb Regra da mão direita espalmada: 0 = 4.10 T.m/A -7 Q.q Utotal = U1+ U2 +...  Dedão indica corrente Felétrica  k. Campo magnético de fio reto Demais dedos esticados indicam d2 o campo B 9 2 2 1 1 1 0  i A força está no sentido do tapa kvácuo = 9.10 N.m /C    ... B com a palma da mão C eq C1 C 2 2d Campo elétrico   Indução magnética Felétrica  q  E Para dois capacitores em série: Regra da mão direita C1 .C 2  Dedão indica sentido corrente Fluxo magnético Q C eq   Demais dedos indicam sentido E  k. 2 C1  C 2    B.A. cos  d de B Q > 0 gera campo de afastamento Associação em paralelo de Força eletromotriz induzida Q < 0 gera campo de aproximação Campo magnético no centro capacitores Lei de Faraday de uma espira circular  Potencial elétrico em um  i  ponto A B 0 t Q Qtotal = Q1+ Q2 +... 2R Para haste móvel VA  k. Usar regra da mão direita   B.L.v d Utotal = U1= U2 =... Vetor campo magnético no Transformador de tensão Energia potencial elétrica centro de um solenóide Considerando potencial nulo no infinito: Ceq  C1  C 2  ... N (só Corrente Alternada) Q.q B  0  i UP NP  E PE  k. L US NS d Capacitância de capacitor N/L é a densidade linear de plano de placas paralelas E PA  q  VA espiras A Usar regra da mão direita C Trabalho da força elétrica d Resumo de fórmulas da física (ensino médio e vestibular) Versão 1.6 Prof. Pinguim pág 4