Platelmintos

1.154 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.154
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Platelmintos

  1. 1. Filo Platyhelminthes
  2. 2. • Vem do grego: Platys=chato e helmins=verme, vermes de corpo achatado .
  3. 3. Conceito: são animais achatados nos quais podemos distinguir uma região ventral que se encontra em contato com o substrato e uma região dorsal, oposta; são os primeiros animais a apresentarem cefalização.
  4. 4. São animais com simetria bilateral, triploblásticos, acelomados (sem qualquer cavidade entre os folhetos embrionários) e podemos encontrá-los nas águas doces, salgadas ou em terra úmida.
  5. 5. Sistema Digestivo: é incompleto pelo fato de ter boca, faringe e intestino ramificado, terminando em fundo cego. Nos Cestódios está ausente, o que os torna parasitas obrigatórios.
  6. 6. Sistema Excretor: os platelmintos são os primeiros animais da escala zoológica, que apresentam um sistema excretor, cujo órgão fundamental é o protonefrídeo ou célula- em- flama. Os catabólitos são conduzidos a canais excretores que desembocam na superfície do corpo, através de poros excretores
  7. 7. Sistemas Respiratórios: não apresentam um sistema respiratório diferenciado. Nas espécies de vida livre a respiração é aeróbica; as trocas respiratórias são efetuadas entre o animal e o meio através do epitélio permeável. Nos parasitas a respiração é anaeróbica.
  8. 8. Sistema Nervoso: já ocorre maior concentração de células nervosas na região anterior do animal. Essas células reúnem-se formando os gânglios cerebrais. Este fato já é uma tendência à cefalização do sistema nervoso, que atinge o máximo no homem. Os platelmintos são primeiros animais da escala zoológica de evolução providos de um sistema nervoso central
  9. 9. Reprodução: são animais geralmente hermafroditas (monóicos). Em algumas espécies encontramos formas de reprodução assexuada.
  10. 10. Classificação:
  11. 11. • Tuberlários (cílios movimentam -se, agitam- se, sobre um muco). Indivíduos de vida livre. Excreção por células flama ou solenócitos.
  12. 12. Reprodução assexuada por bipartição, sexuada com uma cópula dupla entre indivíduos monóicos, isto é, cada indivíduo fecunda o parceiro. Este tipo de reprodução sexuada chama-se fertilização cruzada.
  13. 13. O exemplo mais conhecido é a Planária, encontrada em solos úmidos, ribeirões ou poças d'água.
  14. 14. B) Trematódeos (um orifício para várias funções). São exemplo parasitas como o Schistosoma, agente da nossos maior endemia, a esquistossomose ou "barriga d'água".
  15. 15. •C) Cestódios (em forma de fita, com o tronco subdividido em anéis ou proglotes). Todas as tênias pertencem a este grupo.
  16. 16. Um exemplo comum é a Taenia solium, a "tênia do porco" e do homem, conhecida desde a Antigüidade
  17. 17. •Ela possui uma “cabeça” diminuta em forma de botão, o escólex, com quatro ventosas musculares nos lados e um circulo de ganchos na ponta elevada ou rostelo.
  18. 18. Um curto “pescoço”, colo ou zona de brotamento, liga o escólex ao tronco ou estróbilo, o qual consiste de uma série de até 1.000 proglótides. As ventosas e ganchos servem para fixar o escólex à parede intestinal do hospedeiro e a cadeia de proglótides permanece livre na cavidade intestinal.
  19. 19. Novas proglótides são constantemente formadas por brotamento transversal no colo, estrobilização, permanecem unidas e são empurradas para trás pelo crescimento de outras mais jovens. A medida que se movem para trás, as proglótides aumentam de tamanho, amadurecem sexualmente e finalmente destacam-se.
  20. 20. cisticercos

×