Turma 72

2.287 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.287
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.719
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Turma 72

  1. 1. Beijinho Doce Almir Sater Composição:Nhõ Pai Produzido por : Anne e Brenda Turma:72
  2. 2. Que beijinho doce Que ela tem... Depois que beijei ela Nunca mais amei ninguém... Que beijinho doce Foi ela quem trouxe De longe para mim... Se me abraça apertado Suspira dobrado Que amor sem fim...
  3. 3. Coração que manda Quando a gente ama ... Se estou junto dela Sem dar um beijinho Coração reclama !!!
  4. 4. Adeus Mariana Editor: Sérgio Reis NOME: Eduane E Matheus G. T: 72 N°: 08 e 19
  5. 5. Nasci lá na cidade, me casei na serra com a minha Mariana : moça lá de fora Um dia estranhei o carinho dela disse:- adeus Mariana,q u já vou embora. É gaucha de verdade de quatro costados só usa chapéu grande de bombacha e espora E eu q estava vendo o caso complicado Disse:-Adeus Mariana,q já vou embora É gaucha de verdade de quatro costados só usa chapéu grande de bombacha e espora E eu q estava vendo o caso complicado disse:adeus Mariana q já vou embora.
  6. 6. Nem bem “rompemo” o dia me tirou da cama E eu fiquei danado e sai dizendo : adeus Mariana ,q já vou embora Ela não disse nada mais ficou sismando se era desta vez q eu daria o fora Segurou a açoitera e veio contra mim Eu disse: larga Mariana que eu não vou embora E ela de zangada foi quebrando tudo pegou a minha roupa e jogou porta a fora Agarrei fiz uma trouxa e sai dizendo: adeus Maria que já vou embora
  7. 7. Tristeza Do Jeca Tonico e Tinoco Produzido por: Debora e Gabriele Turma:72 Data:19/06/2013
  8. 8. Nesses versos tão singelo Minha bela meu amor Pra você quero cantar O meu sofrer e a minha dor
  9. 9. Eu sô que nem sabiá Quando canta é só tristeza Desde o gaio onde ele está Nesta viola eu canto e gemo de verdade Cada toada representa uma saudade
  10. 10. Eu nasci naquela serra Num ranchinho beira chão Tudo cheio de buraco Donde a lua fai clarão
  11. 11. Nesta viola eu canto e gemo de verdade Cada toada representa uma saudade Quando chega a madrugada Lá no mato a passarada Principia o baruião
  12. 12. Vou parar com a minha viola já não posso mai cantar, Pois o jeca quando anta tem vontade de chorar
  13. 13. O choro que vai caindo Devagá se sumindo,como as água vão pro mar
  14. 14. Chico MineiroSérgio Reis Nome: Gustavo e Matheus chaves Turma:72 Data: 17/7/13
  15. 15. Fizemos a última Viagem Foi la pro sertão de Goias Fui eu e chico mineiro e o capataz Fui eu e Chico Mineiro e o Também foi o capataz Viajamos muito tempo Pra chegar em Ouro Fino Aonde passamos a noite numa festa do divino
  16. 16. A festa estava tão Boa,mas antes não Tivesse ido Chico foi baliado Pelo um homem desconhecido Mataram meu Companheiro Acabou -se o som da viola acabou chico mineiro
  17. 17. Depois da quela tragédia fiquei mais Aborrecido Não sabia da nossa amizade porque a gente Era unido Quando vi seu documento me corto o coração Vim saber que Chico Mineiro era me legitimo Irmão
  18. 18. Estrada da Vida Milionário e José Rico Composição:Jair Cabral Produzido por:Ígor & Vinícius Data:19/06/2013 Turma:72
  19. 19. Nesta longa estrada da vida, Vou correndo e não  posso parar.
  20. 20. Na esperança de ser campeão, Alcançando primeiro lugar, Na esperança de ser campeão, Alcançando primeiro lugar,
  21. 21. Mas o tempo cercou minha estrada E o cansaço me dominou
  22. 22. Minhas vistas se escureceram E o final da corrida chegou.
  23. 23. Este é o exemplo da vida, Para quem não quer compreender:
  24. 24. Nós devemos ser o que somos, Ter aquilo que bem merecer. Nós devemos ser o que somos, Ter aquilo que bem merecer.
  25. 25. E o cansaço me dominou Mas o tempo cercou minha estrada
  26. 26. Minhas vistas se escureceram E o final desta vida chegou.
  27. 27. Comitiva EsperançaComposição:Almir Sater/Paulo Simões E.M.E.F Alfredo Belizário Peteffi Nome: Monia Turma:72 N°:21 Data:25/06/2013 Professor: Fabiana
  28. 28. Nossa viagem não é ligeira,ninguém tem Pressa de chegar A nossa estrada,é boiadeira,não interessa onde vai dar Através do Rio Negro,Nhecolândia e Paiaguás Onde a Comitiva Esperança,chega já começa a festança
  29. 29. Vai descendo o Piqueri, o São Lourenço e o Paraguai Tá de passagem, abre a porteira, conforme for pra pernoitar Se a gente é boa, hospitaleira, a Comitiva vai tocar Moda ligeira, que é uma doideira, assanha o povo e faz dançar Moda ligeira,que é uma doideira,assanha o povo e faz dançar
  30. 30. Oh moda lenta que faz sonhar Onde a Comitiva Esperança chega já começa a festança Através do Rio Negro, Nhecolândia e Paiaguás Vai descendo o Piqueri, o São Lourênço e o Paraguai
  31. 31. Ê, tempo bom que tava por lá, Nem vontade de regressar Só vortemo eu vô confessar É que as água chegaram em Janeiro , deslocamos um barco ligeiro Fomos pra Corumbá
  32. 32. Céu , Sol,Sul,Terra e Cor Leonardo (Gaúcho) Nitiaia e Karine , turma 72 LeonardoLeonardo GauchoGaucho Nitiaia e KarineNitiaia e Karine 7272
  33. 33. Eu quero andar na coxilhas Sentindo as flexilhas das ervas do chão . Ter os pés roseteados de campo, Ficar mais trigueiro com sol de verão Fazer versos cantando as belezas, Desta natureza sem par E mostrar para quem quiser ver Um lugar para viver sem chorar
  34. 34. É meu Rio Grande do Sul , Céu , Sol , Sul , Terra e cor ! Onde tudo que se planta cresce E o que mais floresce é o amor É o meu Rio Grande do Sul, Céu , Sol , Sul , Terra e cor ! Onde tudo que se planta cresce E o que mais floresce é o amor
  35. 35. Eu quero me banhar nas fontes E olhar horizonte com Deus E sentir que as cantigas nativas Continuam vivas para os filhos meus Ver os campos florindo e Crianças sorrindo felizes a cantar E mostrar pra quem quiser ver Um lugar pra viver sem chorar
  36. 36. Alunos: Camilly e Guilherme - Turma: 72 - Data: 19/06 O Que É,O Que É? Gonzaguinha E.M.E.F. Alfredo Belizário Peteffi
  37. 37. .Eu fico Com a pureza Da resposta das crianças É a vida, é bonita E é bonita... Viver! E não ter a vergonha De ser feliz Cantar e cantar e cantar A beleza de ser Um eterno aprendiz...
  38. 38. Ah, meu Deus! Eu sei eu sei Que a vida devia ser Bem melhor e será Mas isso não impede Que eu repita É bonita, é bonita E é bonita... E a vida! E a vida o que é? Diga lá, meu irmão Ela é a batida De um coração Ela é uma doce ilusão Hê! Hô!...
  39. 39. E a vida Ela é maravilhosa Ou é sofrimento? Ela é alegria Ou lamento? O que é? O que é? Meu irmão... Há quem fale Que a vida da gente É um nada no mundo É uma gota, é um tempo Que nem dá um segundo... Há quem fale Que é um divino Mistério profundo É o sopro do criador Numa atitude repleta de amor...
  40. 40. Você diz que é luta e prazer Ele diz que a vida é viver Ela diz que melhor é morrer Pois amada não é E o verbo é sofrer... Eu só sei que confio na moça E na moça eu ponho a força da fé Somos nós que fazemos a vida Como der, ou puder, ou quiser... Sempre desejada Por mais que esteja errada Ninguém quer a morte Só saúde e sorte... E a pergunta roda E a cabeça agita Eu fico com a pureza Da resposta das crianças É a vida, é bonita E é bonita...
  41. 41. Nome: Paola e Stephanie Turma:72 Data:19/06/13 Escola: E.M.E.F. Alfredo B. Peteffi Querência Amada Osvaldir e Carlos Magrão Composição: Teixeirinha
  42. 42. Quem quiser saber quem sou. Olha para o céu azul .. E grita junto comigo Viva o Rio Grande do sul O lenço me identifica Qual a minha procedência Da província de São Pedro Padroeiro da querência
  43. 43. Ó meu Rio Grande de encantos mil Disposto a tudo pelo Brasil Querência amanda dos parrerais, da uva vem o vinho Do povo vem o carinho Bondade nunca é demais Berço de flores da cunha e de Borges de Medeiros
  44. 44. Terra de Getúlio Vargas Presidente brasileiro Eu sou da mesma vertente Que Deus saúde me mande Que eu possa ver muitos anos O céu azul do Rio Grande Te quero tanto Torrão gaúcho
  45. 45. Morrer por ti me dou o luxo Querência amada Planície e serra Dos braços que me puxa Da linda mulher gaúcha Beleza da minha terra Meu coração é pequeno Porque Deus me fez assim
  46. 46. O Rio Grande é bem maior Mas cabe dentro de mim Sou da geração mais nova Poeta bem macho e guapo Nas minhas veias escorre O sangue herói de farrapo Deus é gaúcho Da espora e mango
  47. 47. Foi maragato ou foi chimango Querência amada Meu céu de anil Este Rio Grande gigante Mais uma estrela brilhante Na bandeira do Brasil
  48. 48. Tordilho Negro Os Serranos Composição: Teixeirinha Produzido por: Raquel e Thauany
  49. 49. Correu notícias que um gaúcho Lá da estância do paredão... Correu notícias que um gaúcho Lá da estância do paredão...Correu notícia que um gaúcho Lá da estância do paredão... Tinha um cavalo tordilho negro Foi mal domado ficou redomão... Este gaúcho dono do pingo Desafiava qualquer peão... Dava o tordilho negro de presente Pra quem montasse sem cair no chão...
  50. 50. Eu fui criado na lida de campo Não acredito em assombração... Fui na estância topar o desafio Correu boato na população... Era um domingo clareava o dia Puxei o pingo e o povo reuniu... Joguei os trastes no lombo do taura Murchou a orelha teve um arrepio...
  51. 51. Botei a ponta da bota no estribo Algum gaiato por perto sorriu... Ainda disseram comigo eram oito Que boleou a perna montou e caiu... Saltei do lombo e gritei pro povo Este será o último desafio... Este será o último desafio!!! Tordilho negro berrava na espora Por vinte horas ninguém mais nos viu...
  52. 52. Mais de uma légua o pingo corcoviou Manchou de sangue a espora prateada... Anoiteceu o povo pelo campo Procurando um morto pela invernada... Compraram velas fizeram um caixão A minha alma estava encomendada... A meia noite mais de mil pessoas Deixaram a busca desacorçoadas... A meia noite mais de mil pessoas Deixaram a busca desacorçoadas...
  53. 53. Daqui a pouco ouviram um tropel Olharam o campo noite Enluarada... Eu vinha vindo no tordilho negro Feliz saboreando uma marcha troteada... Boleei a perna na frente do povo Deixei as rédeas arrastarem no capim... Banhado em suor o tordilho negro Ficou pastando ao redor de mim...
  54. 54. Tinha uma prenda no meio do povo Muito gaúcha eu falei assim... Venha provar a marcha do tordilho Faça o favor monte no selim...

×