Artesim (projeto social)

3.143 visualizações

Publicada em

Projeto social metodista Artesim - Arte que se Importa e se Exporta.

Publicada em: Tecnologia, Espiritual
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.143
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
184
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artesim (projeto social)

  1. 1. NOSSA HISTÓRIA O Projeto ARTESIM nasceu motivado pelo desejo de mulheres da comunidade do Grajaú – RJ de constituir uma alternativa de trabalho e renda, frente ao desemprego e as responsabilidades financeiras com suas famílias.
  2. 2. <ul><li>NOSSOS VALORES </li></ul><ul><li>cooperação </li></ul><ul><li>postura ética </li></ul><ul><li>compromisso </li></ul><ul><li>solidariedade </li></ul><ul><li>lealdade </li></ul><ul><li>unidade do grupo </li></ul><ul><li>dedicação </li></ul><ul><li>autonomia </li></ul><ul><li>parceria </li></ul>
  3. 3. <ul><li>NOSSOS DESAFIOS </li></ul><ul><li>capacitação para uma gestão cooperativa; </li></ul><ul><li>organização de cooperativa de artesanato, com base sustentável (orientação, confecção, comercialização e exportação); </li></ul><ul><li>autonomia econômica e financeira das famílias, principalmente daquelas chefiadas por mulheres. </li></ul>
  4. 4. NOSSA MOTIVAÇÃO Contribuir, influir e usufruir diretamente na construção e transformação da sua realidade através de ações organizadas.
  5. 5. JUNHO / 2005 dia 3 – Assembléia de organização do grupo e almoço de confraternização.
  6. 6. JUNHO / 2005 dia 3 – Assembléia de organização do grupo e almoço de confraternização.
  7. 7. JULHO / 2005 dia 22 – Apresentação do Projeto “Arte que se Importa e se Exporta”, que consiste em um conjunto de atividades visando a geração de trabalho e renda.
  8. 8. JULHO / 2005 dia 22 – Apresentação do Projeto “Arte que se Importa e se Exporta”, que consiste em um conjunto de atividades visando a geração de trabalho e renda.
  9. 9. JULHO / 2005 dias 23 e 24 – Feira do Congresso Internacional de Jovens Metodistas, em Teresópolis – RJ. Exposição dos trabalhos efetuados pelos artesãos do projeto.
  10. 10. JULHO / 2005 dias 23 e 24 – Feira do Congresso Internacional de Jovens Metodistas, em Teresópolis – RJ. Exposição dos trabalhos efetuados pelos artesãos do projeto.
  11. 11. AGOSTO / 2005 dia 4 – Assembléia para a eleição da diretoria transitória, responsável pela aquisição de matéria prima, controle do estoque, controle do caixa, participação nos fóruns populares, etc.
  12. 12. AGOSTO / 2005 dia 4 – Assembléia para a eleição da diretoria transitória, responsável pela aquisição de matéria prima, controle do estoque, controle do caixa, participação nos fóruns populares, etc.
  13. 13. AGOSTO / 2005 dia 13 – Mutirão de limpeza da sede do projeto, espaço cedido pela Congregação Metodista do Grajaú.
  14. 14. AGOSTO / 2005 dia 15 a 17 – Realizado o I Seminário em Cooperativismo e Associativismo, com a participação do facilitador Isaque Fonseca. Houve atividades de vivência, palestras, sensibilização e almoço.
  15. 15. AGOSTO / 2005 dia 15 a 17 – Realizado o I Seminário em Cooperativismo e Associativismo, com a participação do facilitador Isaque Fonseca. Houve atividades de vivência, palestras, sensibilização e almoço.
  16. 16. AGOSTO / 2005 dia 27 – Visita à Associação AGROARTE, da comunidade rural de Mazomba, que faz parte do projeto da Emater/RJ, responsável pelo ensino da técnica de artesanatos com fibra de bananeira.
  17. 17. SETEMBRO / 2005 dia 4 – Feira do Grajaú – barraca permanente na Praça Edmundo Rego.
  18. 18. SETEMBRO / 2005 dia 4 – Feira do Grajaú – barraca permanente na Praça Edmundo Rego.
  19. 19. SETEMBRO / 2005 dia 10 – Conquistamos o espaço para exposição do nosso artesanato na feira de Artesanato da Praça Edmundo Rego – Grajaú.
  20. 20. SETEMBRO / 2005 dia 10 – Conquistamos o espaço para exposição do nosso artesanato na feira de Artesanato da Praça Edmundo Rego – Grajaú.
  21. 21. SETEMBRO / 2005 dia 17 – Visita à Comunidade de Pau da Fome – capacitação e instalação da oficina de desfibramento de bananeiras, desenvolvida em parceria com a Associação dos Agricultores do Pau da Fome.
  22. 22. SETEMBRO / 2005 dia 17 – Visita à Comunidade de Pau da Fome – capacitação e instalação da oficina de desfibramento de bananeiras, desenvolvida em parceria com a Associação dos Agricultores do Pau da Fome.
  23. 23. NOVEMBRO / 2005 dia 4 – Arteterapia – Dinâmica de Grupo promovida pelo espaço CRIAR-SE, dirigido pela facilitadora e psicóloga Andréa Coelho, com a participação de vinte integrantes do grupo.
  24. 24. NOVEMBRO / 2005 dia 4 – Arteterapia – Dinâmica de Grupo promovida pelo espaço CRIAR-SE, dirigido pela facilitadora e psicóloga Andréa Coelho, com a participação de vinte integrantes do grupo.
  25. 25. NOVEMBRO / 2005 dia 19 – Oficina de desfibramento de bananeira.
  26. 26. NOVEMBRO / 2005 dia 19 – Oficina de desfibramento de bananeira.
  27. 27. DEZEMBRO / 2005 dia 20 – Assembléia de Avaliação do Projeto, com a aplicação de questionário e confraternização de final de ano.
  28. 28. DEZEMBRO / 2005 dia 21 – Oficina de confecção de cartões de Natal.
  29. 29. DEZEMBRO / 2005 dia 21 – Oficina de confecção de cartões de Natal.
  30. 30. JANEIRO / 2006 dia 27 – Palestra: Princípios do Cooperativismo. Apresentação do Relatório de Atividades.
  31. 31. FEVEREIRO / 2006 dia 12 – Café comunitário, marcando o encontro da Escola Dominical da Congregação do Grajaú, com vizinhos e membros do Projeto.
  32. 32. DISTRIBUIÇÃO POR BAIRROS
  33. 33. “ Eu ganhei novos amigos, uma nova família, pois considero todos com muito carinho. Eu também aprendi muitas coisas: aprendi uma lição de vida com cada um e isto contribui e enriquece. O ambiente é muito bom, a gente não leva chateação para casa. As pessoas são muito amigas. É um momento de paz que a gente encontra e ajuda você esquecer os problemas de casa e voltar renovada para enfrentar as dificuldades, ajudando a encontrar outro dia com paz e amor”. Clarice da Rocha “ Eu estou desempregado e encontrei no grupo, inicialmente, uma forma para passar o tempo, mas depois fui ganhando amigos. Acho que a cooperativa é assim mesmo que se começa, com amigos”. Paulo César C. Rocha “ Eu cheguei no grupo com o espírito de procura. Estou sempre procurando algo. Agora tenho certeza que estou caminhando para chegar em algum lugar”. Leda Maria Santos “ Eu aprendi novas coisas que pensei que não conseguiria aprender. Abri a mente para coisas novas, instrutivas. Gostei principalmente das palestras e o convívio com o grupo”. Vandete Rodrigues Santos TESTEMUNHOS
  34. 34. “ O projeto atingiu-me diretamente no momento que pude perceber que eu poderia fazer outra coisa, ou seja, ter outra atividade que me proporcionasse rendimentos no final do mês, à semelhança do emprego agora perdido”. Silvana Correa TESTEMUNHOS “ Foi uma das formas de poder fazer troca de conhecimentos e de técnicas de artesanato. Inicialmente como instrutora e pelo próprio conceito do grupo, passando a fazer parte como integrante”. Elizabete Pereira Quintel “ Eu adorei porque conheci novas pessoas e novas idéias”. Olinda Copelo Martins
  35. 35. NOSSO SONHO: constituir uma cooperativa de economia solidária. ARTESIM Projeto Social Metodista de geração de trabalho e renda Inclusão social e espiritual pelo testemunho cristão Visite nosso site: www.artesim.com.br Entre em contato: [email_address]
  36. 36. Até aqui nos ajudou o Senhor e por isso estamos alegres. Salmo 126:3

×