“A EDUCAÇÃO FINANCEIRA E O
COOPERATIVISMO”
PROF. MS. ADM. GERALDO MAGELA DA SILVA
2015
O QUE É A EDUCAÇÃO FINANCEIRA?
Educação Financeira é saber como ganhar, gastar, poupar e
investir seu dinheiro para melhor...
O QUE É O DINHEIRO?
O dinheiro é o meio usado na troca de todo tipo de bens, na
forma de moeda ou notas (cédulas) para a c...
O QUE É PLANEJAMENTO FINANCEIRO?
É o instrumento utilizado para definir objetivos, estabelecer
prioridades atuais e futura...
O QUE É PLANILHA ORÇAMENTÁRIA?
A planilha orçamentária nada mais é do que um quadro onde você vai fazer
a previsão de suas...
COMO SURGEM AS DÍVIDAS ?
Algumas dívidas surgem em situações circunstanciais ou de
forma imprevisível: perda do emprego; g...
CONSEQUÊNCIAS DO ENDIVIDAMENTO
 Falta de dinheiro para suprir necessidades básicas da
família;
 Créditos a juros cada ve...
SOLUÇÕES PARA SAIR DO ENDIVIDAMENTO
 Revise valores orçados e efetivados, identifique os desequilíbrios.
 Se, mesmo assi...
PLANO DE REDUÇÃO DE GASTOS
O sucesso dependerá do esforço e determinação conjunta,
ou seja, sua e de seus familiares.
Ec...
MUDANÇA DE ATITUDE
oÉ lógico que dá trabalho economizar. No início, o ato de
organizar suas despesas para sair do vermelho...
O QUE FAZER PARA REFORMULAR SEUS GASTOS?
O balanço deve ocorrer logo no primeiro mês em que você
passou a organizar suas ...
QUAIS SÃO OS GRANDES VILÕES DE SEU BOLSO?
São quatro os principais e mais perigosos vilões que
convivem com você e atacam ...
A IMPORTANCIA DA RESERVA FINANCEIRA
•Depois de ter saneado as dívidas e com seu orçamento
equilibrado, a próxima etapa é a...
ONDE APLICAR SEUS RECURSOS FINANCEIROS
Ótimo, além de você ter equilibrado suas finanças e ter saído
do vermelho, agora po...
MODALIDADES DE CRÉDITO
Existem diversas formas de crédito disponíveis no Sistema
Financeiro Nacional – SFN, destinadas à p...
CONCEITO DE COOPERATIVA
“Cooperativa é uma sociedade de pessoas que se
unem com o intuito de satisfazer suas
necessidades ...
HISTÓRICO
• Surge 1843 em Rochdale (distrito de Lancashíre - Inglaterra),
próximo a Manchester, a matriz do Cooperativismo...
OBJETIVO
• A sociedade cooperativa tem por objetivo a defesa da
economia individual dos seus sócios. No art. 3º da Lei n.
...
COOPERATIVAS DE CRÉDITO
• Cooperativas são instituições financeiras destinadas a
promover a poupança e financiar necessida...
DIFERENÇAS
Sociedade cooperativa Bancos
- É uma sociedade de pessoas;
 
- Objetivo principal é o da
prestação de serviços;...
COOPERATIVISMO NO BRASIL
• O Movimento Cooperativista Brasileiro surgiu no século XIX
estimulado por funcionários públicos...
EMBASAMENTO LEGAL
• CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 - Art. 174, § 2º;
• LEI 5.764/71 - Define a Política Nacional de Cooperat...
DIFERENCIAL DO COOPERATIVISMO DE CRÉDITO
 Oferece os mesmos produtos disponibilizados pelos bancos comerciais:
conta corr...
COOPERATIVISMO BRASILEIRO EM NÚMEROS
TODOS OS RAMOS
• 6.827 cooperativas;
•11.575.882 associados;
• 336.731 empregos diret...
COOPERATIVISMO MINEIRO EM NÚMEROS
TODOS OS RAMOS
• 777 cooperativas;
•1.225.047 cooperados;
• 34.589 empregados;
•7,2% de ...
COOPERATIVISMO EM ESCALA GLOBAL
• Nos Estados Unidos 85,2 milhões de pessoas são associados e o
cooperativismo de crédito ...
COOPERATIVISMO EM ESCALA GLOBAL
• Bancos cooperativos europeus empregam mais de 700.000
pessoas;
• Cooperativas têm cerca ...
2012 ANO INTERNACIONAL DAS COOPERATIVAS
Instituído pela Organização das Nações Unida (ONU) teve como objetivos:
Aumentar ...
DESEJO A TODOS VOCÊS MUITO SUCESSO,
PAZ, SAÚDE E FELICIDADE!!!
Palestra Cooperativismo e Educação Financeira
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Palestra Cooperativismo e Educação Financeira

872 visualizações

Publicada em

Evento do CRA-MG, realizado no dia 25/08/2015.
Palestrante: Adm. Geraldo Magela da Silva

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Palestra Cooperativismo e Educação Financeira

  1. 1. “A EDUCAÇÃO FINANCEIRA E O COOPERATIVISMO” PROF. MS. ADM. GERALDO MAGELA DA SILVA 2015
  2. 2. O QUE É A EDUCAÇÃO FINANCEIRA? Educação Financeira é saber como ganhar, gastar, poupar e investir seu dinheiro para melhorar sua qualidade de vida e de sua família. É decidir como agir e o que fazer com o seu dinheiro. É um plano de vida, onde suas decisões atuais afetarão negativamente ou positivamente seu futuro. A educação financeira deve ser praticada desde a infância, para que sejam formados adultos previdentes.
  3. 3. O QUE É O DINHEIRO? O dinheiro é o meio usado na troca de todo tipo de bens, na forma de moeda ou notas (cédulas) para a compra de mercadorias, serviços, força de trabalho, divisas estrangeiras ou nas demais transações financeiras, emitido e controlado exclusivamente pelo governo de cada país. Pode-se dizer que ele é uma necessidade básica e sua quantidade é relativa a cada pessoa, dependendo dos valores e padrão de vida que ela mantém ou deseja.
  4. 4. O QUE É PLANEJAMENTO FINANCEIRO? É o instrumento utilizado para definir objetivos, estabelecer prioridades atuais e futuras, fixar metas de curto, médio e longo prazos, adequando seu padrão de vida e limitando gastos à sua renda. Para ter sucesso nesta empreitada, algumas regras devem ser seguidas e respeitadas: • Não gaste mais do que ganha; • Calcule e saiba qual é o limite de sua renda; • Identifique seus gastos fixos e variáveis; • Não assuma dívidas que não possa pagar; • Identifique e corte desperdícios e gastos supérfluos; • Dê exemplo e seja austero no controle das despesas da família.
  5. 5. O QUE É PLANILHA ORÇAMENTÁRIA? A planilha orçamentária nada mais é do que um quadro onde você vai fazer a previsão de suas receitas e despesas, dentro de um determinado período (geralmente mensal). Essa planilha será da maior utilidade para indicar se os seus gastos efetivos ou realizados extrapolaram os valores previstos (orçados). Caso isso ocorra, você deve rever todos os lançamentos para que não se desvie do que foi previsto. A planilha orçamentária possibilitará a comparação dos valores orçados com os valores efetivados, além do controle de todas as suas receitas e despesas mensais.
  6. 6. COMO SURGEM AS DÍVIDAS ? Algumas dívidas surgem em situações circunstanciais ou de forma imprevisível: perda do emprego; gastos com doenças; separação/divórcio; dentre outras. As mais comuns são: Financiamento de veículos; Financiamento da casa própria; Cartão de crédito; Cheque especial; Empréstimo pessoal; Outras;
  7. 7. CONSEQUÊNCIAS DO ENDIVIDAMENTO  Falta de dinheiro para suprir necessidades básicas da família;  Créditos a juros cada vez mais altos (agiotas);  Venda de bens;  Cobranças sucessivas e cadastramento de seu nome no cadastro de maus pagadores (SPC / SERASA);  Títulos protestados;  Perda de emprego;  Desequilíbrio emocional, baixa produtividade no emprego, insônia, desarmonia familiar, separação, estresse e desespero.
  8. 8. SOLUÇÕES PARA SAIR DO ENDIVIDAMENTO  Revise valores orçados e efetivados, identifique os desequilíbrios.  Se, mesmo assim, você não conseguir cumprir o orçamento, está na hora de rever os seus conceitos de prioridades.  Estabeleça metas iniciando por reservar, pelo menos, 10% de seus ganhos para a poupança e investimentos. Se puder guardar mais, é bem melhor.
  9. 9. PLANO DE REDUÇÃO DE GASTOS O sucesso dependerá do esforço e determinação conjunta, ou seja, sua e de seus familiares. Economizar é, acima de tudo, não desperdiçar e não consumir irresponsavelmente. Faça lista de compras para ir ao supermercado, pois assim você pode evitar os exageros e as compras supérfluas.
  10. 10. MUDANÇA DE ATITUDE oÉ lógico que dá trabalho economizar. No início, o ato de organizar suas despesas para sair do vermelho e viver de forma mais feliz exige algumas privações, e ninguém gosta de se privar de coisas agradáveis. oPara superar esta resistência natural você, juntamente com seus familiares, deve estabelecer metas e persegui- las.
  11. 11. O QUE FAZER PARA REFORMULAR SEUS GASTOS? O balanço deve ocorrer logo no primeiro mês em que você passou a organizar suas receitas e despesas, a partir de um orçamento, e fazer a comparação entre os valores previstos com os que ele realmente efetivou. Concluída essa etapa, é hora de reformular a planilha de orçamento, desta feita adequando-a a realidade das receitas e dos gastos reorganizados, mas não se esqueça de cortar gastos onde for possível.
  12. 12. QUAIS SÃO OS GRANDES VILÕES DE SEU BOLSO? São quatro os principais e mais perigosos vilões que convivem com você e atacam seu bolso sem a menor piedade: – Datas comemorativas e aniversários; – Cartão de crédito e cheque especial; – Telefone celular; – Shopping e supermercados.
  13. 13. A IMPORTANCIA DA RESERVA FINANCEIRA •Depois de ter saneado as dívidas e com seu orçamento equilibrado, a próxima etapa é a apuração de superávit destinado à poupança. •Ao poupar você estará praticando um dos hábitos mais sábios, ao mesmo tempo em que garantirá a aquisição de um bem desejado sem maiores atropelos. •Tente poupar um valor fixo a cada mês no dia do recebimento de seu salário ou renda. Destine ao menos 10% de sua renda à poupança ou outra aplicação.
  14. 14. ONDE APLICAR SEUS RECURSOS FINANCEIROS Ótimo, além de você ter equilibrado suas finanças e ter saído do vermelho, agora possui uma poupança e deseja aplicá-la. Tipos de aplicações: a – Investimentos em Renda Fixa: a.1 – Caderneta de poupança; a.2 – Certificado de Depósito Bancário – CDB’S; b – Plano de previdência privada; c – Investimentos em renda variável.
  15. 15. MODALIDADES DE CRÉDITO Existem diversas formas de crédito disponíveis no Sistema Financeiro Nacional – SFN, destinadas à pessoas físicas e ou jurídicas. As mais comuns e difundidas são as seguintes: – Crédito Pessoal; – Cartão de Crédito; – Cheque Especial; – Crédito Consignado; – Crédito para Veículos; – Financiamento da Casa Própria; – Microcrédito.
  16. 16. CONCEITO DE COOPERATIVA “Cooperativa é uma sociedade de pessoas que se unem com o intuito de satisfazer suas necessidades e aspirações sociais e econômicas, através de um empreendimento coletivo, fundamentado na ajuda mútua”.
  17. 17. HISTÓRICO • Surge 1843 em Rochdale (distrito de Lancashíre - Inglaterra), próximo a Manchester, a matriz do Cooperativismo de Consumo, como fruto da iniciativa de vinte e oito tecelões, que buscavam um meio de melhorar sua precária situação econômica. • Em 24 de dezembro de 1844, inauguraram o armazém cooperativo, que iniciava suas atividades com o capital de 28 libras e apresentava aos associados pequena quantidade de manteiga, farinha de trigo e aveia. Apesar dos limitados recursos, os planos dos Pioneiros, divulgados juntamente com os Estatutos Sociais, eram grandiosos.
  18. 18. OBJETIVO • A sociedade cooperativa tem por objetivo a defesa da economia individual dos seus sócios. No art. 3º da Lei n. 5.764/71 assim está definido o contrato entre os sócios (cooperados): "Celebram contrato de sociedade cooperativa as pessoas que reciprocamente se obrigam a contribuir com bens ou serviços para o exercício de uma atividade econômica, de proveito comum sem objetivo de lucro."
  19. 19. COOPERATIVAS DE CRÉDITO • Cooperativas são instituições financeiras destinadas a promover a poupança e financiar necessidades ou empreendimentos dos seus cooperados (sócios). • De acordo com dados do Banco Central do Brasil, as instituições financeiras cooperativas (incluídos os Bancos Cooperativos) administravam, em junho de 2013, R$ 155 bilhões em ativos, com crescimento de 12,78% no primeiro semestre de 2013. Com isso, as cooperativas de crédito ocupam a sexta posição entre as instituições financeiras de varejo no Brasil em ativos administrados.
  20. 20. DIFERENÇAS Sociedade cooperativa Bancos - É uma sociedade de pessoas;   - Objetivo principal é o da prestação de serviços;   - Nº ilimitado de sócios;   - Controle democrático – Cada sócio um voto;   - Assembleia "quórum" baseado no número de sócios;   - Não é permitida a transferência das quotas-partes a terceiros, estranhos à sociedade;   - Retorno proporcional ao valor das operações.     - É uma sociedade de capital;   - Objetivo principal : Lucro;     - Nº limitado de acionistas;   - Assembleia "quórum" baseado no capital;   -Transferência das ações a terceiros;   - Dividendo proporcional ao valor das ações.  
  21. 21. COOPERATIVISMO NO BRASIL • O Movimento Cooperativista Brasileiro surgiu no século XIX estimulado por funcionários públicos, militares, profissionais liberais e operários, para atender suas necessidades; • Teve início na área urbana com a criação da 1ª Cooperativa de Consumo, em 1889 na cidade de Ouro Preto/MG (Sociedade Cooperativa Econômica dos Funcionários Públicos de Ouro Preto); • Em 1902 surgem as cooperativas de crédito no Rio Grande do Sul, por iniciativa do padre suíço Theodor Amstadt; • A partir de 1906 começam a surgir as cooperativas rurais, cuja propagação deveu-se às comunidades de imigrantes alemães, holandeses, italianos, poloneses e japoneses.
  22. 22. EMBASAMENTO LEGAL • CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 - Art. 174, § 2º; • LEI 5.764/71 - Define a Política Nacional de Cooperativismo, institui o regime jurídico das sociedades cooperativas; • LEI Nº 10.406/02 - Novo Código Civil; • LEI Nº 9876/98 - Legislação Previdenciária; • LEI COMPLEMENTAR Nº 130/09 – Cria o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo; • LEI Nº 12.349/10 – Garantia de Participação em Licitações; • LEI Nº 12.690/12 – Regulamenta as Cooperativas de Trabalho; • Diversas outras leis federais, estaduais e municipais.
  23. 23. DIFERENCIAL DO COOPERATIVISMO DE CRÉDITO  Oferece os mesmos produtos disponibilizados pelos bancos comerciais: conta corrente, empréstimos, cartões de crédito, aplicações, poupança e seguros, com taxas e juros reduzidos, e não incidência de IOF;  Os cooperados têm direito a voto nas assembleias que anualmente aprovam as contas, elegem a direção e participam dos resultados;  Proporciona acesso a recursos financeiros especiais para empréstimo, investimento e capital de giro tanto à pessoas físicas e jurídicas de diversos segmentos com taxas e tarifas competitivas.  Os resultados de todos os investimentos gerados pelas cooperativas de crédito retornam para as regiões onde elas atuam proporcionando o desenvolvimento das comunidades locais.
  24. 24. COOPERATIVISMO BRASILEIRO EM NÚMEROS TODOS OS RAMOS • 6.827 cooperativas; •11.575.882 associados; • 336.731 empregos diretos. RAMO CRÉDITO • 1.034 cooperativas; •5.808.064 associados; • 40.359 empregos diretos. Fonte: Anuário do Cooperativismo Mineiro 2014 - OCEMG.
  25. 25. COOPERATIVISMO MINEIRO EM NÚMEROS TODOS OS RAMOS • 777 cooperativas; •1.225.047 cooperados; • 34.589 empregados; •7,2% de participação no PIB mineiro, com uma movimentação anual de R$ 27,9 bilhões. RAMO CRÉDITO • 197 cooperativas; •866.246 cooperados; • 7.634 empregados; Fonte: Anuário do Cooperativismo Mineiro 2014 - OCEMG
  26. 26. COOPERATIVISMO EM ESCALA GLOBAL • Nos Estados Unidos 85,2 milhões de pessoas são associados e o cooperativismo de crédito detém 661,0 bilhões de dólares americanos de ativos; • O Credit Agricole da França é a maior instituição financeira cooperativa do mundo e foi fundado em 1897. É um dos 10 maiores bancos do mundo em volume de ativos, com atuação em 3 países: França, Itália e Grécia. • O Japão é 3º país do mundo com maior expressão no cooperativismo de crédito, sendo representado pelo JA Banking System e pelo Shinkin Central Bank. • Na Alemanha 17,7 milhões e pessoas são sócios dos bancos cooperativos, em um país com uma população de 82 milhões de pessoas. Mais de 35% da população operam com um banco cooperativo. 35% dos créditos para pequenas e médias empresas são operados pelo cooperativismo de crédito.
  27. 27. COOPERATIVISMO EM ESCALA GLOBAL • Bancos cooperativos europeus empregam mais de 700.000 pessoas; • Cooperativas têm cerca de 1 bilhão de associados e geram 100 milhões de postos de trabalho, 20% a mais do que as empresas multinacionais (2012); • As vendas das 300 maiores cooperativas do mundo, totalizaram U$ 1,1 trilhão, valor comparável ao PIB de algumas das principais economias nacionais (2012); • No Canadá 4 em cada 10 pessoas são membros de pelo menos uma cooperativa, enquanto na província de Quebec o número sobe para 70% (2010);
  28. 28. 2012 ANO INTERNACIONAL DAS COOPERATIVAS Instituído pela Organização das Nações Unida (ONU) teve como objetivos: Aumentar a consciência pública sobre as cooperativas e os benefícios aos seus membros, a contribuição para o desenvolvimento social e econômico e a integração com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio; Promover a conscientização na rede global sobre o cooperativismo e seus esforços para fortalecer as comunidades, democracia e paz; Promover a criação e crescimento de cooperativas e ações para atender às necessidades socioeconômicas do setor; Encorajar os governos para estabelecer políticas, leis e regulamentos que levam à criação, crescimento e sustentabilidades das cooperativas.
  29. 29. DESEJO A TODOS VOCÊS MUITO SUCESSO, PAZ, SAÚDE E FELICIDADE!!!

×