Cidadão completo 33

863 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Cidadão completo 33

  1. 1. Mariana Pimentel Jornal-laboratório produzido pelos alunos de Jornalismo da Universidade Cruzeiro do Sul Ano X - Número 33 - Maio de 2009 Felipe GodoyInclusão nas escolas A EMEF Marechal Juarez Távora, localizadana Ponte Rasa, é considerada uma escola exemplona questão da inclusão social por ser responsávelpelo projeto que oferece uma Sala de Apoio e Aten-dimento à Inclusão (SAAI) para alunos com ne-cessidades intelectuais da região. Página 6 Tatiana Cachoeira Entulho bem-vindo Para solucionar problemas com resíduos de constru- ção ou reformas feitas nas residências dos paulistanos, a prefeitura de São Paulo criou o Ecoponto, projeto que 387 recebe o material sem custo algum e evita o despejo à margem de córregos e rios da cidade. Página 2 Silvia Gonçalves anos de história Construída em 1622, a capela de São Miguel Arcanjo é a mais antiga da cidade de São Paulo, tombada na década de 1930 pelo então recém-criado Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Nos seus quase quatro séculos de vida, a capela presenciou Produção cultural diversos períodos e acontecimentos da história brasileira. Passando por um processo de restauração, A mais antiga Casa de Cultura de São Paulo, ela deve ser reaberta ainda neste ano. Páginas 4 e 5no Itaim, que acaba de completar 24 anos, convo-ca a população para participar das atividades reali-zadas no local, que vão desde oficinas de teatro,artes plásticas, karatê, yoga e canto coral até exposi-ções de artes e sala de leitura. Página 8
  2. 2. PÁGINA 2 - MAIO DE 2009 SERVIÇOS Telecentros Ecoponto tira entulho das ruas favorecem a inclusão digital Projeto pode ser solução para problemas de limpeza urbana em São Paulo Camila Santana Tatiana Cachoeira Tatiana Cachoeira Os Telecentros são locais que pos- suem computadores conectados a In- Há mais de 30 anos, quando co- ternet, totalmente gratuitos, oferecen-meçou a preocupação com o meio do à população de baixa renda possi-ambiente, passamos a usar o termo bilidade de inclusão digital. Criados ereciclagem, que nada mais é do que mantidos pela Prefeitura de São Pau-separar um material para que retorne lo, são instalados em áreas da periferiaao seu ciclo de produção – após já ter da cidade e contam com a orientaçãosido utilizado e descartado –, tornan- de profissionais treinados para incen-do-se novamente um bem de consu- tivar o acesso às mídias eletrônicas.mo, economizando energia e preser- Cada unidade conta com 20 compu-vando os recursos naturais e o meio tadores e determina seu horário deambiente. A reciclagem pode trazer funcionamento. É necessário fazer uminúmeros benefícios para a população: cadastro apresentando RG e compro-diminuímos a quantidade de lixo a vante de residência para fazer os cur-ser aterrado, preservamos os recursos sos e oficinas oferecidos gratuitamen-naturais, economizamos energia, re- te. Os menores de 12 anos devem es-duzimos a poluição do meio am- tar acompanhados dos pais ou res-biente e, fator importantíssimo em ponsáveis legais.nossos dias, geramos empregos em Quem já possui conhecimentos deum novo tipo de segmento, a indús- informática pode aperfeiçoá-los comtria da reciclagem. os cursos de capacitação para ingresso O IBGE aponta pesquisa bienal no mercado de trabalho, criação de si-Ciclosoft, realizada pelo Compromis- tes e processamento de imagens. Aso Empresarial para Reciclagem (Cem- globalização, a tendência de informa-pre), como fonte de dados sobre a tização em todos os setores de negó-evolução da coleta seletiva no país. Em cios e a necessidade de troca rápida de2008, houve crescimento de 24% na informações exigem que todos te-abrangência dos municípios que reali- PRESERVAÇÃO - Ecopontos incentivam a coleta seletiva e a reciclagem de materiais não-orgânicos nham, ao menos, um conhecimentozam a seleção do lixo. básico sobre as redes de informações, O engajamento das prefeituras, centivar a coleta seletiva e reciclagem sanitários e o resíduo reaproveitável cesso de obras e licitação. A meta da logo, o envolvimento com novas tec-ONG’s e sociedade civil foi fator de- de materiais não-orgânicos. A cidade às 15 Centrais de Triagem para co- administração municipal é ter um nologias torna-se cada dia mais neces-terminante para o aumento de pes- conta hoje com 35 unidades em fun- mercialização. Ecoponto em cada distrito, totalizan- sário. As classes mais carentes são assoas com acesso aos programas de co- cionamento. Nos Ecopontos, o mu- Cerca de 51 mil m³ de entulho e do 96 unidades. que encontram dificuldade de acesso aleta seletiva, passando de 25 milhões nícipe poderá dispor o material gra- objetos volumosos foram recolhidos A maioria dos Ecopontos fun- inclusão digital e, neste momento, osem 2006 para 26 milhões em 2008. tuitamente em caçambas distintas para nos Ecopontos em operação no ano ciona regularmente de segunda-feira à Telecentros exercem o papel de inter- Em São Paulo, a prefeitura desen- cada tipo de resíduo. passado. Se os Ecopontos não exis- sexta-feira, das 8 às 17 horas. Algu- mediadores entre a carência e a neces-volve o projeto Ecoponto – Estação O material de origem mineral, tissem, provavelmente todo este ma- mas unidades também funcionam sidade, disponibilizando o acesso ade Entrega Voluntária de Inservíveis, como concreto, argamassa e alvena- terial poderia estar sendo jogado aos sábados. Mais informações po- um mundo informatizado. Ao rece-que aumenta a oferta de áreas para de- ria, é encaminhado para o aterro de em via pública. Segundo o coordena- dem ser solicitadas pela Central de berem orientações e conhecimentos,posição regular dos resíduos da cons- inertes e transformado em agregado dor do Núcleo Gestão de Entulho do Atendimento da Prefeitura, no tele- crianças e jovens ficam longe das ruastrução e demolição de pequenos e gran- reciclado utilizado na pavimentação Limpurb, Valdecir Papazissis, atual- fone 156, Limpurb 3397-1777, ou no e percebem a existência de novas pers-des geradores, além de facilitar e in- de ruas. O rejeito é levado aos aterros mente oito unidades estão em pro- site www.prefeitura.sp.gov .br. pectivas para o futuro. No site www.telecentro.sp.gov.br estão disponíveis os endereços de to- Transporte especial faz a diferença dos os Telecentros da cidade de São Paulo, divididos por região. Faça uma Bianca Custodia grau de dependência, sendo feito de los, esporte, trabalho, lazer e outras cio de cada mês para que o atendimen- visita a um deles e perceba que a inclu- Tatiana Cachoeira porta a porta, gratuito e com regula- atividades diárias também podem ser to possa ser prestado com eficiência e são digital é acessível, fácil e interes- mento diferenciado. atendidas. qualidade. sante. No transporte acessível, a cidade O atendimento especial tornou- Para efetuar o cadastramento são O serviço funciona de segunda ade São Paulo tem feito a diferença. Em se parte dos trabalhos da Secretaria necessários os seguintes documentos sexta-feira, das 7 às 20 horas, e aos1996, o então prefeito Paulo Maluf Municipal dos Transportes, respon- do usuário: ficha de avaliação médi- sábados e domingos, das 8 às 18 ho- O Telecentro tem...assinou o decreto nº 36. 071, que criou sável pela sua organização e planeja- ca, encontrada no site da SPTrans ou ras, somente para programações cul-o Atende, iniciativa para regulamentar mento. Às subprefeituras cabe o ca- nas subprefeituras, devidamente pre- turais e de lazer. Cada usuário pode Uso livre dos equipamentos;o serviço de atendimento especial aos dastramento e agendamento das pes- enchida por um médico que confir- realizar uma única viagem por dia. Acesso à Internet;usuários com mobilidade reduzida. soas que utilizarão o transporte. O me o grau de mobilidade do solici- Atualmente há 292 veículos destina- Cursos de informática básica; O objetivo é garantir um serviço gerenciamento é feito pela SPTrans e tante, CPF, RG e comprovante de re- dos ao tendimento e mais de 6 mil Curso de navegação na Internet;de transporte público seguro e con- sua operação compete às empresas de sidência em nome da própria pessoa. usuários cadastrados no programa Realização de atividades sócio-fortável para dar maior autonomia às transporte coletivo do município de O responsável precisa levar apenas (deficientes e acompanhantes). culturais para mobilização social;pessoas com mobilidade reduzida. O São Paulo. RG e comprovante de residência em Mais informações podem ser ob- Oficinas de alfabetização digital;serviço é destinado a atender, exclusi- A prioridade na seleção das pes- seu nome. tidas pelo site www.sptrans.com.br, Oficinas de capacitação diversasvamente, pessoas portadoras de defi- soas a serem beneficiadas é dada aos Todas as pessoas cadastradas de- pelo telefone 156 ou nas subprefeitu- que possam utilizar as Tecnologiasciência motora, mental e múltipla, tratamentos de saúde, reabilitação e vem agendar sua programação de via- ras da região, com atendimento de se- da Informação e Comunicação.temporária ou permanente, em alto educação. Caso haja oferta de veícu- gens sempre com 15 dias antes do iní- gunda a sexta-feira, das 8 às 16 horas. EDITORIAL laboratório produzido pelos estudantes de uma prova de que nossa história jamais Jornalismo, valorizamos o resgate histórico pode ser esquecida. Nas páginas centrais, Resgatando como fator essencial à construção de uma você vai conhecer a história, a importância memórias identidade ao indivíduo e seu direito ao ple- e a restauração da igreja mais antiga da Reitora Jornal-laboratório do no exercício da cidadania. capital paulista. Sueli Cristina Marquesi Curso de Comunicação Social O que somos no presente e o que sere- A editoria de Serviços, por exemplo, Muito se fala sobre a inclusão de alu- Pró-reitor de Graduação (Jornalismo) mos no futuro é totalmente influenciado traz diversas informações sobre serviços pú- nos com necessidades educacionais espe- Carlos Augusto Baptista de Andrade da Universidade Cruzeiro do Sul por nossa história, seja ela familiar ou a blicos oferecidos gratuitamente para a po- ciais no ensino regular, mas pouco se faz. Pró-reitor de Pós-graduação e Pesquisa Ano X - Número 33 que aprendemos na escola. Cada povo, pulação. Destaque para os Ecopontos, que A EMEF Marechal Juarez Távora é um Luiz Henrique Amaral Maio de 2009 Pró-reitor de Extensão e Tiragem: 3 mil exemplares nação, pessoa, tem sua identidade, suas recebem resíduos e material reciclável, e o exemplo desse desafio na educação, aten- Assuntos Comunitários Telefone para contato: peculiaridades na fala, costumes, vestimen- curioso projeto Escreve Cartas, oferecido dendo alunos do Programa de Inclusão à Renato Padovese (11) 2037-5706 tas e alimentação, tudo isso graças à his- pelo Poupatempo, que auxilia pessoas com Criança com Necessidades Educacionais Coordenador do Curso de Impressão: tória que um dia nossos antepassados cons- dificuldades na escrita. Especiais. Cultura e arte, além de lazer, Comunicação Social Jornal Última Hora do ABC truíram e que nós construiremos para au- A restauração da capela de São Miguel podem trazer conhecimentos que serão uti- Carlos Barros Monteiro (11) 4226-7272 xiliar na formação de nossos filhos, ne- Arcanjo, carinhosamente chamada de Ca- lizados para sempre, tudo disponibilizado tos, bisnetos... pela dos índios, após 387 anos de existên- pela Casa de Cultura do Itaim Paulista, Professor-orientador Nesta edição do Cidadão, jornal- cia, foi patrocinada por grandes empresas e é que oferece inúmeras atividades gratuitas. Dirceu Roque de Sousa
  3. 3. SERVIÇOS MAIO DE 2009 - PÁGINA 3Conseg luta pela segurança da comunidade Conselho procura apoiar moradores no combate à violência e sugerindo alternativas para o trânsito Fotos Tatiana Cachoeira Camila Santana Prêmio Muitos devem se perguntar o queé Conseg? Uma palavra não muito fa- Franco Montoromiliar no cotidiano das pessoas, oConseg – Conselho Comunitário de Criado em 2002 pela Coorde-Segurança – é um grupo de morado- nadoria Estadual para Assuntosres de um mesmo bairro que se en- dos Conselhos Comunitários decontra para debater e propor soluções Segurança, o Prêmio Franco Mon-para problemas relacionados à segu- toro de Participação Comunitáriarança, trânsito e má iluminação. contempla os melhores projetos Criado por meio do Decreto Es- elaborados por Consegs do Esta-tadual nº 3.455, de 10 de maio de 1985, do, na busca pela melhoria da se-ele deve, obrigatoriamente, ter a pre- gurança pública e da qualidade desença de membros da Polícia Militar e vida da comunidade de uma deter-Civil, representantes religiosos ou de minada região. O Prêmio foi no-ensino, além de pessoas da comuni- meado Franco Montoro em home-dade. A existência de cada Conseg de- nagem a André Franco Montoro,pende da localização dos distritos po- governador de São Paulo entreliciais nos bairros. Em São Miguel 1983 e 1987, que assinou o decretoPaulista, por exemplo, há o 63º e o 22º de criação dos Conselhos.DP, portanto dois Consegs. É repre-sentado por um presidente eleito pelacomunidade e seu mandato tem a du- Os encontros do Conseg em Sãoração de dois anos, com possibilidade Miguel Paulista são mensais, realiza-de reeleição. dos na última quinta-feira de cada Há quatro anos, Claudionor Cor- SEMEANDO - Com seu trabalho voluntário no Conseg, Leão espera plantar um futuro melhor para seus netos mês, no período noturno, e sediadosrea Leão, 54 anos, preside o Conseg no Colégio Dom Pedro I, que fica nade São Miguel Paulista, trabalho que algum partido político, mas isso é um má iluminação das ruas. Cerca de 20 box ao lado). O último benefício con- rua Américo Gomes da Costa, 59.realiza em caráter voluntário. Segun- engano. Desta forma, elas acabam per- pessoas participam regularmente dos quistado foi o Posto da Guarda Civil, Mais informações sobre os encon-do ele, o Conselho não possui verba dendo a oportunidade de colaborar encontros, contando com os represen- em uma praça no Parque Paulistano. tros da sua região poderão ser obtidasou apoio e sua divulgação é muito de- para reivindicar melhorias”, lamenta. tantes da polícia e os moradores. O Hoje, no antigo local dominado pe- no site da Secretaria de Segurança Pú-fasada. “As pessoas do bairro não par- Nas reuniões são discutidos diver- Conseg de São Miguel ganhou inú- los marginais, os moradores podem blica (www.ssp.sp.gov.br), onde exis-ticipam dos encontros porque acredi- sos assuntos, como segurança nas pra- meras vezes o Prêmio Franco Monto- usufruir de campo de futebol, biblio- te uma página destinada aos Consegstam que este projeto tem parceria com ças do bairro, buracos nas avenidas e ro de Participação Comunitária (veja teca e Telecentro. com telefones e endereços. Unidades móveis atendem interior do Estado O Poupatempo móvel foi cria- do para atender a população que reside longe dos postos fixos. A primeira unidade surgiu em 2004, para suprir a necessidade de bair- ros distantes da capital e de muni- cípios da Grande São Paulo. O su- cesso foi tamanho que, em 2006, seis novos postos foram inaugu- rados, dois na região metropolita- na e quatro no interior do Estado. A permanência da unidade em cada localidade depende do número de habitantes e da demanda pelos ser- FACILIDADE - Agências oferecem comodidade e serviço rápido LEMBRANÇAS - Projeto Escreve Cartas reaproxima parentes distantes viços, variando de 3 a 15 dias. Nas unidades móveis são pres- tados serviços como emissão de RG, Carteira de Trabalho, Atesta- Poupatempo é aprovado pela população do de Antecedentes Criminais, além de uma série de serviços pú- Tatiana Cachoeira do no filme Central do Brasil, tem o um formulário declarando a impossi- O agendamento para doação de blicos eletrônicos, disponibilizados objetivo de atender pessoas simples, bilidade de pagamento da taxa. sangue (Fundação Pró-Sangue) e con- pelo e-poupatempo, como consulta de Criado pelo governo de São Pau- que têm dificuldades em escrever, e Criado em setembro de 2002, o e- sultas à situação na lista de espera para débitos de IPVA, DPVAT, multas lo em 1996, o Poupatempo reúne, em que saíram de sua cidade natal deixan- poupatempo é a primeira experiência transplante de órgãos e/ou tecidos são de trânsito, pontos na CNH, regis- um único local, 30 órgãos públicos e do para trás muitas lembranças e sau- rumo ao Poupatempo virtual. Ele exemplos de serviços que podem ser tro de Boletim de Ocorrência. As empresas prestadoras de serviços de dades dos familiares. oferece aos cidadãos salas equipadas efetuados pelo e-poupatempo e muitos taxas geradas pelos serviços do natureza pública, disponibilizando à O serviço consegue reduzir a dis- para o acesso a mais de 2 mil serviços usuários desconhecem. Poupatempo podem ser pagas no população mais de 400 serviços, sem tância e as diferentes realidades sociais públicos das esferas estadual, munici- Todos os dados coletados nas sa- Banco Nossa Caixa, instalado den- discriminação ou privilégios, por 12 – alfabetizados e não alfabetizados, pal e federal disponíveis na Internet. las de atendimento são analisados, tro das unidades. horas consecutivas, de segunda-feira a informatizados e não informatizados Um dos principais objetivos da im- gerando informações importantes Os postos itinerantes localiza- sábado. Há atualmente em todo o –, propiciando aos já socialmente ex- plantação destas salas é incentivar o para que os responsáveis pelos servi- dos na Grande São Paulo têm ca- Estado 13 postos fixos de atendi- cluídos a oportunidade de escrever e cidadão a realizar os serviços públicos ços conheçam o perfil dos cidadãos e pacidade para atender uma média mento: Sé, Luz, Santo Amaro, Itaque- receber cartas. A idéia é tão valiosa que eletrônicos por si próprio. em quais pontos eles têm maiores di- de 800 pessoas por dia; os do inte- ra, São Bernardo do Campo, Guaru- já foi noticiada em veículos de grande Há atendentes atuando como fa- ficuldades para a utilização dos servi- rior, cerca de 450. Todos os servi- lhos, Campinas Centro, Campinas circulação, no ano passado, como Diá- cilitadores para auxiliar, quando neces- ços. Desde o início de suas atividades, ços prestados nas unidades móveis Shopping, São José dos Campos, Ri- rio de São Paulo e revista Época. Os sário, na execução dos serviços, seja na em setembro de 2002, até o fechamen- seguem o padrão Poupatempo de beirão Preto, Bauru, Osasco e Santos. interessados em trabalhar como vo- manipulação do equipamento ou na to de julho de 2008, o e-poupatempo já atendimento, sem privilégios e com Os serviços mais utilizados são os luntários podem se inscrever nos pró- navegação da página do órgão respon- prestou quase 2,8 milhões de atendi- a distribuição de senhas eletrônicas executados por órgãos como o De- prios Poupatempos. sável. Também cabe ao atendente mentos à população. por ordem de chegada. tran, Correios, Instituto de Identifi- A Associação dos Registradores de acompanhar todo o processo e iden- Informações sobre os serviços Você encontra a programação cação e Procon. Porém, há muitos ou- Pessoas Naturais do Estado de São tificar as dificuldades e barreiras encon- oferecidos, documentos, condições, completa das unidades móveis no tros gratuitos e desconhecidos por Paulo (Arpen-SP) fornece segunda via tradas pelo cidadão, além de observar prazos e taxas podem ser obtidas pelo site www.poupatempo.sp.gov.br. grande parte da população. O projeto de certidões de diversos tipos gratui- o comportamento do usuário diante Disque Poupatempo: 0800 772 36 33 Escreve Cartas, por exemplo, inspira- tamente, desde que seja preenchido do atendimento eletrônico. (ligação gratuita).
  4. 4. PÁGINA 4 - MAIO DE 2009 MAIO DE 2009 - PÁGINA 5 Felipe Godoy MEMÓRIACapela de São Miguel Arcanjo Arquivo Pessoal À esquerda, a capela de São Miguel Arcanjo no início do século XX; abaixo, em foto atual; à A história direita, o interior já restaurado da igreja, destacando a pia batismal do século XVII Felipe Godoy Felipe Godoy nio histórico do Brasil, Mario de An- Marília Lino drade elaborou o projeto de uma ins- tituição governamental que proteges- o ano de 1560, um grupo se bens históricos nacionais. Surgiu,N de índios guaianases, lide- rados pelo cacique Piquero-bi, assustados pelo grande número então, em 1937, o Serviço do Patri- mônio Histórico e Artístico Nacional (Sphan), hoje Instituto do Patrimô-de colonizadores europeus, fugiu do nio Histórico e Artístico NacionalPátio do Colégio e se estabeleceu às (Iphan).margens do rio Ururaí, hoje Tietê. A capela de São Miguel foi um dos Com o objetivo de continuar o primeiros bens tombados de acordoprocesso de catequização dos guaia- com a nova instituição. Em 1940, umanases, o jesuíta José de Anchieta foi grande restauração foi comandadaenviado pelo padre Manoel da Nó- pelo arquiteto e diretor regional dobrega à várzea do Ururaí, região atual- Sphan em São Paulo, Luis Saia, quemente conhecida por São Miguel Pau-lista. Logo após a sua chegada, o pa-dre construiu uma pequena casa reli-giosa para o seu trabalho de cristiani-zação dos índios. encontrou o prédio abandonado, da- nificado e descaracterizado. O restau- ro foi concluído em 1941, reconsti- tuindo e livrando a capela de traços A restauração “ O padroreiro escolhido para a igre- que Saia conside-ja foi São Miguel Arcanjo, cuja escolha rava indesejáveis. Ela é única, tem caram a capela no últi- Renata Santos cristia, e é uma das construções mais descobertas na primeira restauração,possui duas hipóteses: a primeira, pela Com a cons- elementos aqui na capela mo século. Na década Juliana Ribas antigas do Estado de São Paulo. Por entre 1939 e 1940, feita pelo arquitetosemelhança do espírito combatente doarcanjo com a postura guerreira dosguaianases; a segunda, pelo fato deSão Miguel ser o patrono da cidadenatal de Anchieta. A igrejinha foi er- trução da catedral de São Miguel, em 1965, a poucos metros da capela, os trabalhos reli- que, ou você vem conhecer aqui, ou você não conhece. Ela é testemunha da história “ “ de 1990, um show na praça Padre Aleixo Ma- fra, onde fica localizada a igrejinha, não supor- tou a quantidade de A importância A o longo dos seus 387 anos, a capela de São Miguel Arcan- jo passou por diversas refor- mas e restaurações. A partir de 2006 uma tinta de cor cinza. isso, o espaço será muito mais mo- Luis Saia, pois estavam cobertas com derno e seguro do que outros. A re- cepção será realizada nos fundos do Pedras da época, que ficavam no templo, onde está sendo construído piso da capela, foram transferidas para um anexo flutuante para evitar danos o seu redor, afim de evitar o desgasteguida de maneira estratégica, mais alta giosos foram mi- pessoas que compare- Arquivo Pessoal teve início um projeto de restauração com a movimentação das pessoas. O ao solo, considerado de alto valor ar-em relação ao leito do Ururaí, dan- grados para a nova matriz, deixando todo esse tempo por falta de interes- ceram. Indignados por não enxergar Daffne Sena Em entrevista de mais bancos, es- promovido pela Associação Cultural queológico. único piso original é o da sacristia,do visão dos índios tamoios que usa- a Capela dos Índios, como é chamada se. “A consciência do patrimônio ar- nada, muitas pessoas subiram na ca- Estéfani Lozano ao jornal Cida- tacionamentos, es- Beato José de Anchieta, que foi criada onde não se pode pisar. Pedras no- De acordo com o Grupo Voto-vam o rio para atacar os seus inimigos por moradores da região, em segun- tístico, cultural e arqueológico no Bra- pela e jogaram as telhas originais de dão, o presidente paços para alimen- com o objetivo de descobrir as histó- vas, semelhantes às antigas, foramrantim, um dos patrocinadores da res-guaianases e de todos que subiam do plano. A capela ficou fechada para sil é pequena ainda. É por isso que 1622 nos carros que passavam pela o ser construída, em 1560, a da Associação tação e o aumento rias que rodeiam a capela. Esse pro- tauração, serão utilizados painéis, vi- colocadas nesta restauração, pois a pe-rumo à São Paulo. Em 1622, a rudimentar igreja deAnchieta foi demolida, dando lugar a cerimônias religiosas durante 24 anos, passando por uma recuperação estru- tural e das instalações, no início da dé- fazemos um trabalho de educação pa- trimonial, com visita de escolas”, afir- ma o secretário. avenida. Certa vez, um homem inva- diu a igreja e destruiu várias imagens históricas e, no ano passado, um sino A capela de São Miguel Arcan- jo tinha como objetivo ser um ponto de encontro e de evangeli- Cultural Beato José de Anchieta, padre Geraldo da segurança, prin- cipalmente para a capela, onde há cesso teve duas fases: uma já concluí- da e outra em execução. A primeira fase consistiu em res- foi tombada pelo Conselho de Defe- trines e placas que estimulem o inte- dreira de onde eram extraídas, em Itu, resse do visitante em conhecer e ex- plorar o edifício e sua trajetória. Tam- sa do Patrimônio Histórico, Arqueo-uma outra capela de taipa de pilão, cada de 1980, e foi reaberta em 1988, “A capela ultrapassa São Miguel, de cobre de 25 quilos foi roubado. zação dos índios Guainases e, devido Antônio Rodri- tantas riquezas e taurar a estrutura da capela: edificação, bém se pretende mostrar o resultado lógico, Artístico e Turístico (Conde-construída pelos índios, com o coman- com o casamento de Alberto Abe Ju- São Paulo, Brasil (...). Já vieram alguns Atualmente a capela passa por a sua estratégica posição, acima do lei- gues, cita um co- pouca proteção. phaat). rede elétrica, elementos artísticos, teto, das pesquisas arqueológicas realizadas.do do bandeirante e carpinteiro Fer- nior e Fátima Regina Della Torre (veja professores da Espanha, de Portugal. uma restauração encabeçada pela As- to do rio, servia como espaço de vigi- mentário feito Uma parceria re- piso e o acervo de imagens. Vidros Na restauração foram feitas esca- O circuito ainda terá recursos digi-não Munhoz e do padre jesuíta João box abaixo). Ela é única, tem elementos aqui na sociação Cultural Beato José de An- lância e defesa dos ataques dos índios pelo sociólogo cente, firmada com foram colocados no vão lateral para tais das informações reunidas e cata- vações arqueológicas onde se desco-Álvares. De acordo com a inscrição na Segundo o secretário da Associa- capela que, ou você vem conhecer aqui, chieta, que conseguiu o apoio finan- Tamoios pelo rio Tietê. Atualmente a Gilberto Freyre re- Padre Geraldo: apoio dos parceiros o Palácio dos Ban- proteger o interior da igreja do pó e logadas, para que o visitante possa ter briu corpos de três índios, que foramporta principal, a obra foi concluída ção Cultural Beato José de Anchieta, ou você não conhece. Ela é testemu- ceiro de algumas instituições interes- pequena capela apresenta uma impor- ferindo-se à cape- deirantes, trará dos insetos e sistemas de escoamen- contato com temas distintos como mantidos no local, além de porcela-em 18 de julho de 1622, tornando-a a Alexandre Galvão, 34 anos, respon- nha da história”, diz. Galvão ainda sadas na preservação do patrimônio tância singular, não só religiosa, mas la: “Não se pode conhecer com pro- obras de artistas famosos para serem to de água foram instalados para que nas portuguesas, utensílios usadosreligiosidade e fé, social e histórico, arteigreja mais antiga da capital paulista e sável pela capela, a igreja ficou fechada conta que vários acontecimentos mar- histórico e cultural brasileiro. também histórica e cultural. fundidade o Brasil, sem conhecer a expostas no espaço, como as de Tar- a chuva não estrague a madeira da fa- e técnica. O objetivo é que o visitante pelos índios, pedaços de louças, cerâ-a primeira construção em taipa de pi- capela de São Miguel.” Até o historia- sila do Amaral. chada. Foram restaurados os forros, conheça todo o conjunto e o patri- micas, cabelos e conchas que estão sen-lão do Estado. Fotos Arquivo Pessoal Felipe Godoy dor Sérgio Buarque de Holanda já tra- “Podemos dizer que o significa- estruturas de madeira e ferragens ori- do estudados. mônio tombado. No século XVIII, com a expul- tou da igrejinha em um dos seus tra- do da capela de São Miguel, para nós, ginais. A segunda fase do projeto é trans-A praça Padre Aleixo Monteirosão dos jesuítas do Brasil, os frades De mãe para filha balhos. A entidade foi criada com o hoje, é o que queremos para ela no Os nichos, cavidades feitas nas Mafra foi restaurada pela subprefeitu- formar a capela num espaço culturalfranciscanos assumiram o local e, sob objetivo de resgatar, preservar e di- futuro, baseando-nos, sobretudo, no paredes e de diferentes tamanhos fo- ra de São Miguel Paulista para valori- para mostrar o que foi encontrado eo camando do frei Mariano da Con- capela de São Miguel Arcan- pela de São Miguel Ar- vulgar o patrimônio artístico e cultu- seu memorável passado”, aponta pa- ram preservados. Os nichos grandes zar a visualização da capela. Ela foi re- para que a história seja contada paraceição Veloso, reformaram e amplia-ram o prédio. Nessa reforma, paredesforam erguidas com adobe – tijolo A jo traz histórias de gerações, em especial as cerimônias de casamento de Natalia e a de sua filha, canjo, com uma cerimô- nia realizada pelo padre Aleixo Mafra, figura im- ral da Diocese de São Miguel Paulista. A arte simplesmente contempla o ambiente, duas imagens localizadas dre Geraldo no livro Capela de São Miguel Arcanjo, publicado ao térmi- no da primeira fase da atual restaura- guardavam pertences e objetos valio- sos, os médios abrigavam as imagens e os pequenos eram usados para ilu- ção do restauro. baixada na frente e as árvores foram todos. Para visitar o lugar, uma taxa reorganizadas. será cobrada para custear a manuten- Prevista para ser reinaugurada noartesanal utilizado em Minas Gerais Fátima. Natalia Garcez Della Torre, 69 portante para a história na frente dos altares laterais intrigam ção da igreja. minação. Uma parte da parede origi- segundo semestre deste ano, a capela, A capela tem os objetos mais an-naquela época –, o pé direito da nave anos, é uma portuguesa que veio para do bairro de São Miguel a muitos: “Os dois rostos em cada Muito ainda tem a ser descoberto nal, feita de taipa de pilão, onde fo- cujas obras levaram mais de dois anos, tigos do Brasil, como a mesa da sa-lateral foi aumentado, duas janelas fo- o Brasil com 13 anos. No dia 26 de Paulista. ponta da antiga mesa de comunhão sobre a Capela dos Índios, suas ri- ram encontrados pe- Felipe Godoy teve investimento deram abertas acima do telhado, uma dezembro de 1959 casou-se com o Dona Natalia conta que, para muitas pessoas, são chama- quezas, seus segredos, sua história. daços de madeira, pa- aproximadamentecapela lateral foi erguida em homena- paulista, natural de São José do Rio que a cerimônia foi mui- Pedro, Natália e Fátima: boas lembranças dos de anjos, querubins, para o arqui- Entretanto, para que a importância da lha e crina de cavalo, R$ 3 milhões. Os pa-gem a Nossa Senhora do Rosário e Pardo, Pedro Della Torre, 76 anos. to bonita e inesquecível. teto Lúcio Costa – um dos idealiza- capela se perpetue, é necessário que foi deixada à mostra. trocinadores são aelementos decorativos de madeira fo- O cenário do casamento foi a ca- “No dia em que casamos, houve oito Ela lembra que não queria casar na dores de Brasília –, são faces femini- todos se unam em prol da sua preser- Na parte interna Petrobras, Itaú, Vo-ram implantados, dando à igreja ca- casamentos, era um em cada uma catedral e que, na época, a capela es- nas da arte primitiva mais antiga do vação, como afirma o próprio padre onde ficam as janelas torantim Metais eracterísticas franciscanas. A estrutura hora”, recorda. “Lembro de tudo, não tava fechada para atividades religio- Brasil”, lembra padre Geraldo. Geraldo no livro citado: “Para ser, no e o óculo – abertura Nitro Química. Aoriginal, entretanto, foi mantida. tem como esquecer”, completa, com sas e abrigava uma exposição, que Segundo ele, projetos são estuda- futuro, tudo o que significou até hoje, redonda que fica na gestão cultural é da Após esse período só há registros Acima, recorte de jornal do um brilho intenso nos olhos, prova- terminaria no dia 7 de setembro de dos para a melhoria da capela. Existe nossa capelinha, que já não é apenas frente da capela – se Formarte e execuçãode modificações na capela no século bairro falando sobre o velmente o mesmo de 50 anos atrás, 1988. a possibilidade de uma parceria com a espaço religioso, continuará precisan- pode ver uma pia ba- da Concrejato. CercaXX. Em 1904, um forro foi colocado casamento de Fátima e quando entrava toda de branco pela “Pedi autorização para o padre empresa que projeta o Museu da Lín- do do cuidado das autoridades res- tismal e uma pia de de 50 profissionais,na nave e, em 1926, a Prefeitura de Alberto; ao lado, foto do antiga porta da capela. Olivão e a capela foi desocupada no gua Portuguesa para dinamizar o es- ponsáveis pelo patrimônio histórico água benta do século entre engenheiros,São Paulo deu início a obras de pre- casamento de Natália e Dessa união nasceu Fátima Regi- dia do casamento. Foi uma corre- paço e atrair um público-alvo maior. nacional, do apoio dos parceiros da XVII. No mesmo arquitetos, restaura- Pedro, realizado por padreservação que não chegaram, porém, a na Della Torre, hoje professora e com ria”, relembra Fátima, que casou no Porém, para que isso ocorra, é neces- iniciativa privada, da inspiração dos espaço existem altares dores, historiadores Aleixo Mafra em 1959ser concluídas. 39 anos, que sonhava em se casar na dia 8 de setembro de 1988, na igreja sário mais investimentos dos órgãos arquitetos e artistas, do zelo pastoral laterais com pinturas e arqueólogos estão Na década de 1930, vendo a ne- mesma igreja em que sua mãe casou. que estava fechada há 24 anos. públicos, valorizando a região de São da igreja e do amor afetuoso do povo feitas pelos jesuítas, envolvidos na res-cessidade da preservação do patrimô- Miguel Paulista, como a implantação desta região.” que não tinham sido Para preservar o solo arqueológico, foi criado um anexo flutuante tauração.
  5. 5. PÁGINA 6 - MAIO DE 2009 EDUCAÇÃO Escola prova que a inclusão é possível Uma lição de vida aprendida a cada dia, assim é a rotina dos alunos da EMEF Marechal Juarez Távora Fotos Mariana Pimentel Felipe Della Torre completa Pereira. Mariana Pimentel Apesar de não participarem da sala de SAAI, os alunos com deficiência Uma escola na Zona Leste de São visual não deixam de ter atendimentoPaulo, mais precisamente no bairro da especial da professora. Juntos, elesPonte Rasa, é a responsável por um ensinam o método Braile para outrosprojeto que deveria existir em todas professores e funcionários da escola,as outras escolas do Brasil: o Progra- em algumas ocasiões eles traduzemma de Inclusão da Criança com Ne- do Braile e em outras traduzem paracessidades Educacionais Especiais. A o Braile. Na escola há máquinas de es-EMEF Marechal Juarez Távora é a crever em Braile e uma impressora queúnica da região que oferece uma Sala contribui muito na inclusão dos DV.de Apoio e Atendimento à Inclusão Infelizmente, porém, o equipamento(SAAI), que atende os alunos da pró- só funciona após o pagamento depria unidade e de outras, como os da uma taxa de R$ 1.900. Em São PauloEMEF Henrique Pegado. só existe um instituto que pode ins- Além desses alunos, a escola aten- talar essa impressora. Enquanto a es-de também mais quatro alunos com cola não tem dinheiro, ela fica parada.deficiência visual, os chamados DV. A Bruno, um dos alunos cegos quesala de SAAI atende alunos com ne- estudam na EMEF Marechal Juarezcessidades intelectuais e não deficiên- Távora, é sensação entre os colegas.cias motoras ou visuais. “Os alunos “Cada vez que a aula começa é umafreqüentam a aula em horário normal, briga para saber quem vai buscar ae têm o atendimento na parte da tar- máquina para ele”, relata Pereira. “Ode, porque se você tirar esses alunos Bruno está conosco desde a 1ª sérieda sala normal não é inclusão, é exclu- (agora está na 8ª), e sempre foi muitosão”, resume o diretor da unidade, dedicado. Ele toca teclado. Descobri-Agostinho de Paula Pereira, 42 anos. mos isso antes da festa junina há uns As crianças que têm esse atendi- INTEGRAÇÃO - Alunos na sala de SAAI, da esquerda para a direita: Daniel, Guilherme, Milena e Bruno anos. Os preparativos acontecendo emento na sala de SAAI fazem o traje- o Bruno perguntou o que iria aconte-to de casa para a escola e vice-versa por tes necessidades especiais. Ao todo, ele se mostra um pouco tímido, mas vora não recebe em sua unidade esco- cer. Expliquei que era uma festa juni-meio de um serviço oferecido pela Pre- são 13 alunos. O que mais chama a vai se soltando e demonstra todo o lar alunos cadeirantes, por ser uma es- na e nesse momento ele disse que es-feitura de São Paulo, o Transporte Es- atenção, Daniel Maieiro, 12 anos, tem seu conhecimento. “Existiram 1.032 cola dividida em três andares. “Não tava aprendendo a tocar teclado na igre-colar Gratuito (TEG), um direito de um quadro de Autismo Infantil e Sín- espécies de dinossauros na Terra. Eles seria inclusão expor uma criança que ja e perguntou se poderia tocar na fes-todos os alunos com necessidades es- drome de Asper- viveram há uns anda em uma cadeira de rodas a cada ta. Conversei com sua mãe e percebipeciais. Em média, eles têm o atendi- ger, que faz com 200 milhões de troca de sala ter que ser carregada para que ele poderia tocar. Foi um sucessomento especial, duas vezes por sema- que a criança te- “Tirar esses anos, você sabia cima ou para baixo”, diz o diretor. Es- tremendo”, recorda o diretor.na, com a professora Tânia Aparecida nha um conheci- alunos da disso?”, pergunta ses alunos são enviados a unidades Para a psicóloga Hilde Cristina, “aCarvalho, 53 anos. Aqueles que de- mento fora do co- o garoto. próximas, como a EMEF Amadeu educação especial é parte integrante damonstram maiores dificuldades, pos- mum em assun- sala normal não Apesar de ser Amaral ou para o CEU Quinta do Sol. educação regular, por isso os alunossuem três sessões semanais. tos um tanto é inclusão, uma escola exem- “O CEU é o mais bem preparado para necessitam sentir na escola a ressonân- Esse atendimento é feito com quanto extrava- é exclusão” plo, a EMEF Ma- receber esses alunos, pois tem eleva- cia de alguém que as compreenda ecrianças de diferentes idades e diferen- gantes. De início, rechal Juarez Tá- dor que atende todos os andares”, que as permita se expressar.”Aula de música melhora desempenho escolar Mariana Pimentel e Bases para a educação nacional en- Natalia Fernandes trou em vigor, um dos artigos foi es- trategicamente modificado, e a disci- Muitos projetos mostram que, plina de Música nas escolas de ensinoaplicada ao ensino, a música ajuda os fundamental e médio foi substituídaestudantes a melhorarem o compor- pela de Artes. Com um termo tão am-tamento e a terem mais disciplina. plo ficou muito fácil excluir, ao longoEmbora tenha sido sancionada em do tempo, a música da grade escolaragosto do ano passado, a Lei n.º das escolas públicas e os prejuízos fo-11.769, que inclui a música como com- ram imediatamente visíveis. O rendi-ponente curricular na educação brasi- mento escolar caiu e ainda aumenta-leira, ainda não está adaptada em di- ram os problemas com a disciplina eversas escolas, mesmo porque a nova freqüência em sala de aula.regra tem o prazo de inserção da disci- Marjorie Magalhães, 9 anos, estu-plina em até três anos. dante da 3a série da EMEF Octavio Em São Paulo, 168 escolas muni- Mangabeira, declara sua experiênciacipais já possuem bandas e fanfarras com a música: “Desde que entrei naformadas por alunos. Como o proje- banda, minha mãe nunca mais foi cha-to de lei não regulamenta o formato mada na escola. Eu nunca mais leveiou conteúdos das aulas, as escolas es- bilhete e minhas notas melhoraramtão livres para escolher quais ativida- muito.”des serão oferecidas, tais como coro, Outro projeto pioneiro é o TIMgrupos instrumentais, orquestras, en- Música nas Escolas, que já beneficiousino de instrumento, entre outros. O mais de 16 mil alunos em quatro anosimportante é que a escola considere a de atividades. Em 2006, foi compro-demanda dos alunos e as característi- vado que os participantes do projetocas culturais da região em que está in- apresentaram uma taxa de desenvol-serida. vimento social de até 19%, o equiva- Em 2007 a Prefeitura de São Pau- AFINAÇÃO - São Paulo tem 168 escolas municipais com bandas e fanfarras, como a EMEF Rodrigues Alves lente a um ano a mais de escola, se-lo avaliou cerca de 270 mil alunos da gundo os melhores índices mundiaisrede municipal de ensino com a reali- va São Paulo que tivemos em todas as Fanfarras da Cidade de São Paulo. projeto inovador de educação musi- de formação de capital humano.zação da Prova São Paulo, teste com- escolas da rede municipal e as notas Perceber-se que a música realmen- cal, que foi aceito pelas autoridades. Ficou comprovado que a introdu-posto pelas matérias bases do ensino: dos integrantes da banda foram de te melhora o desenvolvimento infan- Foi uma época de qualidade no ensi- ção da música nas escolas de periferiaportuguês e matemática. Na maioria 20% a 30% maiores que as do restan- til. Analisando a educação de tempos no, já que a música influenciava no das grandes cidades brasileiras melho-das escolas a média de aprovação dos te dos alunos da escola”, afirma Mar- atrás no país, Heitor Villa-Lobos apre- melhor aproveitamento das demais ra o desenvolvimento humano dasalunos que freqüentam aulas de mú- celo Bonvenuto, maestro e coordena- sentou, em 1930, à Secretaria de Edu- disciplinas. Mas, em 1971, quando crianças, a sua auto-estima, a tolerân-sica foi superior. “O resultado da Pro- dor do Departamento de Bandas e cação do Estado de São Paulo, um uma nova versão da Lei de Diretrizes cia e o convívio social.

×