Entrevista PRISCILLA CARDENA                                        Camila Soares e Thais Telezzi“Sempre há espaço”A locut...
Entrevista              PRISCILLA CARDENAO que primeiro lhe interessa em suacarreira? O espaço pra fazer meu              ...
fonoaudiólogo sempre é bom. Entre-tanto, amar o seu trabalho é a melhor                                             “ O ma...
Páginas amarelas  - CAMILA E THAIS
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Páginas amarelas - CAMILA E THAIS

648 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
648
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
118
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Páginas amarelas - CAMILA E THAIS

  1. 1. Entrevista PRISCILLA CARDENA Camila Soares e Thais Telezzi“Sempre há espaço”A locutora santista revela o motivo de sua saída do MetroNight, afirma ainda se sentirpresente no programa e disposta a voltar definitivamente.A radialista e ex apresentadora do programa MetroNight, Priscilla Cardena, começou sua carreira há 14 anos com participaçãono programa Ritmo da Noite – RádioSerra do Mar. Cardena foi a primeiravoz feminina da emissora e nos contaos preconceitos que enfrentou. Chegoua ser cartucheira da Rádio comunitá-ria Digital FM e também nos revela aexperiência na qual, durante três anos,ser âncora do programa MetroNi-ght – Rádio Metropolitana FM, e seuafastamento. Priscilla afirma ainda sesentir presente no programa: “Quemsai não volta, e estou lá ainda”. A san-tista continua recebendo elogios porter apresentado o programa durante osúltimos anos, e os ouvintes pedem suavolta. Diz que na época foi um susto,mas que já superou o afastamento. Ain-da é envolvida com sua produção, masgarante ficar a parte ao que acontece.Pioneira no rádio, hoje a locutora éfolguista da Rádio Metropolitana FMe disponibiliza o restante de seu tempo “para cuidar mais de si mesmo e visi-tar sua família que mora em Santos. Hoje brinco que fora aVocê se descobriu locutora muito locução, seria aeromoça.cedo. Não teve interesse por outra Adoro avião. Adoro voar.profissão? Não. Desde pequena Na verdade, nunca tive ”escutava o rádio, e pensava: “Queroser locutora!”. Eu conversava com interesse por outra profissãoas locutoras ao lado da caixa de som.Dizia: “Me deixa falar. Eu querofalar!”. Hoje brinco que fora a locu-ção, seria aeromoça. Adoro avião.Adoro voar. Não viajo muito, masacho o máximo ter a oportunidadede conhecer o mundo. Na verdade,nunca tive interesse por outra profis-são. Meu sonho sempre foi fazer oque faço, e agradeço a Deus por terme proporcionado a realização. 24 DE MAIO, 2011 01
  2. 2. Entrevista PRISCILLA CARDENAO que primeiro lhe interessa em suacarreira? O espaço pra fazer meu “ Ainda amo muito o programa, no entanto, não porém, não sou baladeira. Enfim, fiz o teste, passei, onde permaneci ostrabalho. O salário é uma conse- últimos três anos e com certeza, oqüência. Não gosto de trabalhar me sinto bem programa foi o melhor que aconte-em uma Rádio que não me sintabem. Graças a Deus, hoje me sinto em ver pessoas ceu em minha vida profissional.muito bem onde estou. Alias, nunca que não gostam Qual foi o motivo de sua saída dotrabalhei em um lugar onde não gos- MetroNight? É como um acordo.tasse. Cheguei a trabalhar em Rádio do MetroNight. Quem sai não volta, e estou lá ainda.Gospel, que não é minha paixão,mas foi muito bacana. Tudo é valido. Isso me incomoda. Foi muito marcante minha vida no programa, pois permaneci três anos.A experiência me acrescentou muito Eu defendo o As pioneiras foram Gigi Monteiro ecomo pessoa e profissional. Dani Zanetti, ambas apresentaram o programa com programa por cinco anos, respecti- ”Aos 16 anos, sua primeira participa- vamente. O formato do Metronightção na Rádio Jovem Pan - Programa unhas e dentes precisava ser mudado, inovado, bemRitmo da noite. Como foi? Maravi- como os de mais, de qualquer emis-lhoso! Fiz com a Tatiana Fráguas – sora. A decisão da minha “saída”grande amiga até hoje. Eu era ouvin- foram essas mudanças. Inovação nate do programa, e ela me “conhecia” programação. Nunca fui contra. Pri-por isso. Gostava tanto, que até sabia meiro sofri com o corte, porque ameia vinheta de oferecimento. Certo dia em contar as pessoas essa fase da trabalhar no programa, mas depoisfiz no ar uma participação dizendo: minha vida. superei bem. Ainda amo muito o“Ritmo da Noite, oferecimento DJ programa, no entanto, não me sintoSound, a única revista especializada Você nasceu em Santos e hoje tra- bem em ver pessoas que não gostamem Dance Music no Brasil”. Adorei! balha em São Paulo. O que te trouxe do MetroNight. Isso me incomoda.Não senti medo, sempre fui a esta cidade? Eu havia recebido Eu defendo o programa com unhasmuito falante. Tenho apenas que diversos convites para trabalhar em e dentes.agradecer a Tati. Excelente pessoa, São Paulo. Cheguei a gravar tes-grande profissional. tes, pilotos, mas nunca aceitava vir Você faz participações no MetroNight. quando dava certo. Alguns fatores Quando isto ocorre? Esporadica-Seu primeiro trabalho foi na Rádio impediam minha vinda – problemas mente. Normalmente quando háSerra do Mar, onde foi a única locu- particulares. Quando cheguei a São transmissão simultânea. Quando pre-tora. Houve preconceito? O maior Paulo, algo de fato me trouxe. Esta- cisam de mim, estou a disposição.preconceito que enfrentei no início va disposta a encarar uma fase nova Adoro o bate bola no ar. A transmis-da minha carreira foram as piadinhas da minha vida. Na época, uma amiga são masculina com a feminina dáque sempre ouvia nos corredores me disse que a Rádio Vida FM um charme no ar. Acredito que sejados estúdios: “Ela é muito menina, estava em busca de locutoras para um diferencial.muito nova”. O preconceito já era um programa vespertino. Fiz o teste,notável por eu ser a única voz femi- passei, e permaneci dois anos. Logo Você já chegou a trabalhar em maisnina da Rádio. Devido o fato de ser em seguida, fiquei sabendo que a de uma rádio simultaneamente?nova, fez tudo aumentar. Metropolitana FM estava procuran- Como se prepara antes de entrar noA maioria das pessoas me parabe- do uma apresentadora para um pro- ar? Sim. São 14 anos de rádio. Di-nizam pela coragem e estão do meu grama de balada. Achei bacana, fiz versas vezes cobri falta de locutores,lado até hoje. Confesso que todas o teste sem pretensão de dar certo, passando muitas horas no ar. Che-as vezes que escutava essas frases, pois não imaginava que o Metroni- guei a fazer duas rádios ao mesmome entristecia. Porém, acredito que ght tivesse algo a ver comigo. Nunca tempo - jovem e popular, e até comtudo na vida seja um aprendizado. havia apresentado um programa de TV junto! Para me preparar, durmoSinto orgulho pela determinação que Rádio e não frequento baladas cons- bem. Sempre me preocupo para nãosempre tive e não tenho vergonha tantemente. Adoro um bom lugar, beber gelado também, e um bom02 24 DE MAIO, 2011
  3. 3. fonoaudiólogo sempre é bom. Entre-tanto, amar o seu trabalho é a melhor “ O maior preconceito que enfrentei no inicio eclética e disposta a encarar novos desafios. Já apresentei programasforma de preparo para exercê-lo. românticos, de pagode, dance, etc. da minha carreira Espero alcançar 100% o objetivoQuem você tem como referência proposto pelo programa e estar felizprofissional? foram as piadinhas comigo mesmo em fazê-lo. Eu amoTatiana Fráguas. Excelente pessoa eprofissional. Ensinou-me muito do que sempre rádio. Pra mim o que vier, é bem vindo.que sei. Só tenho a agradecer. Quem ouvia noseu gosto, acho legal demonstrar. Qual é o próximo passo em suaPara um bom profissional sempre há corredores dos carreira? Eu ainda não defini, acho.espaço. Existe a oscilada ao decorrerda carreira, mas faz parte. Cabe a estúdios: Ela é Estou numa fase onde tenho que fazer o que amo. Procuro aproveitarcada um de nós aproveitar as oportu- muito menina, o momento e realizar minhas tarefas ”nidades, e dar o melhor de si da melhor maneira possível.para cumpri-las. muito nova E Rádios AM? Nada contra, mas sem-Já fez algo diferente a locução? pre fui bem extrovertida. Minha falaNão. Nunca trabalhei numa loja no rádio é mais animada. Gosto deou escritório, por exemplo. Sou alternar a locução com as músicas.muito realizada com minha escolha Ser mais expressiva, poder entrar emprofissional. Antes mesmo de entrar Digital FM. Como foi exercer estes contato direto com o ouvinte e sentirno meio artístico, sabia que era esse trabalhos? No começo foi mágico. A a emoção dele em estar no ar durantemeu destino. Quando consegui meu Rádio Digital foi uma radio comu- determinado programa. Comparti-primeiro contato com o Rádio, ape- nitária, simples. Havia a casseteira, lhar momentos com o ouvinte paranas tive mais certeza do que queria. onde era preciso voltar os comerciais mim é maravilhoso.Porém, sei fazer um bolo, doces, em uma fita cassete. No começo foiuma boa escova no cabelo... difícil, porém, válido. É tudo passo Qual sua relação com o trabalho? a passo. Hoje, trabalho numa rádio Não sou antiprofissional. Nunca meEm 2010 você recebeu o prêmio bem equipada, de ultima geração. preocupei com quanto ganharia, indoDJ Sounds Awards por ser apre- Faço a locução e operação. atrás de contraproposta. Errado, pro-sentadora do MetroNight. Houve Apenas no MetroNight que fui fissionalmente. Para mim, meu tra-reconhecimento? Quem ganhou apenas apresentadora. balho é amor, porque paixão acaba.foi o programa, não eu. Estava a Às vezes estava mal, com assuntosfrente do MetroNight, mas ele não O que crê que seja o futuro do Rádio para resolver, mas quando chego nose faz sozinho. Temos uma equipe FM? Por mais que falemos em con- Estúdio, tudo muda. Sinto-me feliz,maravilhosa, com: técnicos, produ- corrências entre rádios, nosso maior disposta e deixo os problemas para otores, diretor, etc. Família unida. O inimigo é o Ipod. Principalmente lado de fora da porta.programa ter recebido o prêmio foi devido ao público jovem, que temuma recompensa impagável. Inclusi- acesso direto às músicas disponí- Você, afinal, acredita em dom/desti-ve, o troféu me foi dado pelas mãos veis na internet. Então, creio que as no? Acredito. Nada é por acaso. Ode um dos donos da rádio, e diretor rádios tenham que investir bastante amor pelo meu trabalho está ligadodo programa, Jayr Sanzone. O tenho nas promoções e no diferencial de ao dom. Rádio, você nasce ou nãoguardado em casa, com o maior cari- apresentação dos programas. Infe- nasce para trabalhar nele.nho. Este presente, sem dúvidas, foi lizmente, a programação musical já Ouvi do Jayr: “É Nato”. Meu amoro mais marcante de minha carreira. não é apenas suficiente. pelo rádio é nato. Eu já cheguei a cair da cadeira do estúdio, machucarVocê já trabalhou como operadora O que espera de um trabalho quan- o braço e precisar engessá-lo. Aindade mesa de som na Rádio Serra do do o aceita? Espero dar o melhor sim amo meu trabalho. Meu destinoMar, e como cartucheira na Rádio de mim, e dou. Sou extremamente é rádio! 24 DE MAIO, 2011 03

×