Cidadão completo 32

656 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
656
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cidadão completo 32

  1. 1. Jornal-laboratório produzido pelos alunos de Jornalismo da Universidade Cruzeiro do Sul - Ano IX - Número 32 - Setembro de 2008 Liane Mota Marcos Dias Centro deReferência dá vez e voz a idosos O Centro de Referência doIdoso, em São Miguel Paulista, Ativismo comunitário ganha forçarecebe por mês cerca de 1.500 No Jardim Lapenna, em São Miguel, adolescentes iniciativas nascidas da vontade de moradores empessoas. São freqüentadores criaram um jornal alternativo para falar do seu organizar-se para fazer valer seus direitos junto àscomo a viúva Maria de Lourdes próprio pedaço. No Itaim Paulista, artistas, administrações públicas. Esta edição do CidadãoPereira de Carvalho, 72 anos, quegosta de bolero e não perde um produtores e representantes de entidades expõe vários caminhos do ativismo comunitário nabaile desde 2001. “Sinto como comemoram os 23 anos de resistência da Casa de região, que passa inclusive pelo cuidado com o meiose fosse minha casa”, diz. O ob- Cultura do bairro, ao mesmo tempo em que reativam ambiente, demonstrado na tarefa de utilizar materiaisjetivo dessa iniciativa do Esta- um fórum pela afirmação da expressão artística em reaproveitáveis, como latas de alumínio.do é estimular os participantesaos bem-estares mental, físico e outras localidades vizinhas. São exemplos de Páginas 2, 4 e 5cultural. Página 7 Felipe Pierri Associação luta para aterro virar parque Há dez anos em atividade na Zona Leste, a Associação Aqualiprof Pedro Nunes, no bairro de mesmo nome, nasceu da necessidade de os moradores se representarem junto ao governo municipal. A primeira reivindicação era transformar a área onde funcionou um aterro sanitário em um parque público. O local chegou a receber calçamento, mas atualmente é ocupado por matagal. A comunidade não desiste de ter a sua área de lazer. Nesse exercício de cidadania, já conquistou inclusive uma escola de educação infantil. Página 3 Cadeirante dribla obstáculos Colocar-se no lugar do outro é uma experiência das mais urgentes na sociedade A cada ano, 700 mil contemporânea. Acompanhe os obstáculos que o desenhista mecânico Rogério Ferreira de Figueiredo, 44 anos, supera em seu meninas viram mãe dia-a-dia desde o Carnaval de 1985, quando, em decorrência de um assalto, foi Desde a década de 1980, o número de partos entre adolescentes baleado na coluna e perdeu os movimentos de 15 a 19 anos aumentou 15% no país, uma média de das pernas. É a perspectiva do mundo de 700 mil meninas por ano. Os dados são do Instituto Brasileiro de quem pilota uma cadeira de rodas e Geografia e Estatística (IBGE). A gravidez precoce resulta aprendeu a ser campeão na vida, nas uma das maiores preocupações junto ao sistema de saúde calçadas esburacadas da cidade e nas na região leste. Página 6 quadras de basquetebol. Página 8
  2. 2. PÁGINA 2 - SETEMBRO DE 2008 CIDADANIA Jovens produzem jornal para a comunidade Comunicação é tema de oficina gratuita oferecida pela Fundação Tide Setúbal no Jardim Lapenna Alessandra Gatto Alessandra Gatto de acesso gratuito via na vida desses adoles- projeto proporcionou mudanças sig- Marisa Moretti Internet. centes puderam ser no- nificativas em suas vidas e em seu Em cada sessão, a tadas. “Na avaliação modo de pensar. É o caso de Elias Em São Miguel Paulista, adoles- opinião dos jovens é que fizemos direta- Lopes, 17 anos, que após a experiên-centes de 16 a 20 anos de idade apren- ouvida por meio de de- mente com eles, é pos- cia decidiu que vai estudar jornalismo.dem a desenvolver ferramentas de co- bates, nas chamadas sível detectar uma mai- “Melhor, impossível”, diz Karen San-municação como rádio, fanzine, jor- rodas de conversa. De- or capacidade de articu- tos, 16 anos, em relação à qualidadenal, fotografia, documentário, blog e pois, os alunos apren- lação e uma melhoria do curso.fotolog. A iniciativa é da Fundação dem técnicas de traba- considerável da capaci- Além da possibilidade de melho-Tide Setubal, por meio do projeto São lho em veículos de mí- dade de expressão oral, rar as habilidades de comunicação, es-Miguel no Ar. Iniciado em 2007, o cur- dia. Além do trabalho escrita e não-verbal”, crita e oral, os jovens adquirem inti-so atende a cerca de 30 jovens que têm semanal, a oficina pro- diz o coordenador do midade com câmeras fotográficas e deaulas de segunda a quinta-feiras, du- porciona aos partici- projeto, Judi Cavalcan- vídeo, programas de edição de filmesrante um período de dez meses. pantes atividades cultu- te, 44 anos. Segundo e de textos. O curso não é profissio- Os participantes são selecionados rais e visitas a estúdios ele, o objetivo é contri- nalizante, mas abre novos caminhos.por meio de uma reflexão escrita e uma de rádio e televisão, buir para a melhoria “Os jovens ficam mais fortes para en-entrevista. O perfil socioeconômico além da oportunidade das condições de vida carar o mercado de trabalho”, afirmatambém é considerado, pois o curso é de conhecer departa- na região. “Isso tem Cometa, que trabalha há dez anos comvoltado às pessoas de baixa renda. A mentos de comunica- sido alcançado”, afir- educação não-formal.oficina é oferecida no Jardim Lapen- ção de universidades. ma.na, bairro com aproximadamente 15 O grupo que fez o Na visão de Caval-mil habitantes, em São Miguel Paulis- curso em 2007 elabo- cante, São Miguel pos- Serviçota, na Zona Leste. rou o jornal A Voz do sui espaços físicos para A divulgação das novas turmas é Lapenna, que, por seu cultura e lazer “em São Miguel no Ar: de segunda a quin-feita pelos próprios organizadores do caráter experimental, quantidade satisfató- ta-feira, das 13 às 17 horas.projeto, que visitam escolas do ensi- contou com a partici- ria”. Porém, em relação Galpão de Cultura e Cidadania: Ruano médio da região convidando os pação dos moradores A Voz do Lapenna - jornal produzido pelos participantes a conteúdo e diversida- Juruoca, s/nº - Jardim Lapenna -alunos para a seleção. A propaganda da região. Com 5 mil de, “a região ainda pre- São Miguel Paulista.boca-a-boca também é uma impor- exemplares distribuídos em sua pri- pelos jovens da primeira turma e co- cisa melhorar muito”. “São Miguel faz Informações: Fundação Tide Setú-tante ferramenta. Além disso, os pró- meira edição, a publicação será agora ordenado por José Luiz Adeve, o Co- parte da cultura paulistana e esta surge bal - fone(11) 3168-3655.prios trabalhos produzidos pelos jo- produzida bimestralmente. O traba- meta, 50 anos, e pela jornalista Mayara na alma, na matriz da cultura do bair- fundacao@ftas.org.brvens da primeira turma ajudaram: eles lho será conduzido pelo Núcleo de Evangelista, 22 anos. ro”, afirma. www.fundacaotidesetubal.org.brsão exibidos nas escolas e por meio Comunicação Comunitária, formado Desde o início, muitas mudanças Os próprios jovens dizem que o Oficina estimula inclusão social EDITORIAL Marisa Moretti Por meio do projeto Oficina de mu- A noção do outrosicalização para portadores de necessidadesespeciais, crianças e jovens têm a opor- Conviver em comunidade implica re- guel, conforme relatos nas páginas se-tunidade de se expressar e aprender lacionar-se com o próximo, seja dentro de guintes. Dez anos atrás, o caminho al-questões importantes como respeito casa, na calçada, na escola, no trabalho, ternativo do voluntariado gerou uma as-e convívio social. O curso é uma ini- no ônibus e por aí vai. Junto ou juntos, sociação no bairro Pedro Nunes, tam-ciativa do Projeto Talentos Especiais, precisamos lidar com as diferenças. O ou- bém na Zona Leste. O impulso inicialda Associação Amigos das Oficinas tro não precisa pensar igual, gostar das dos moradores era transformar a áreaCulturais do Estado de São Paulo mesmas músicas, ser da mesma cor, torcer onde funcionou um aterro sanitário em(Assaoc), em parceria com o Centro pelo mesmo time, nutrir os mesmos dese- parque público. A luta segue: o local re-de Ação Social Espaço Livre, localiza- jos. Mas temos fortes pontos em comum, cebeu calçamento, é só mato, mas a co-do no Jardim Eliane, em Itaquera. a começar pelos valores humanistas indis- munidade não desiste da área de lazer, Uma vez por semana, os alunos, sociáveis da vida. sobretudo depois de ter conquistado suaque têm entre 9 e 15 anos de idade, São as percepções desta edição do Ci- escola de educação infantil.desenvolvem atividades relativas à dadão. O jornal-laboratório dos estudan- Às vezes, o exercício de cidadaniamúsica. Nas aulas, os participantes uti- tes de Jornalismo reporta iniciativas que emana da ação individual e traz ecos cole-lizam instrumentos musicais, apren- ajudam a refletir sobre a noção do outro. tivos. Caso do desenhista mecânico Rogé-dem técnicas para que sintam a vibra- Foi o que moveu artistas e a população do rio Ferreira de Figueiredo, 44 anos, acos-ção do som e dançam. Para a idealiza- Integrantes da oficina para portadores de necessidades especiais bairro em torno da Casa de Cultura do tumado a superar obstáculos de toda or-dora e educadora da oficina, Priscila Itaim Paulista em 23 anos de resistência, dem sobre duas rodas. Ele sofreu um as-Chagas, 30 anos, o objetivo do curso Por meio de parcerias com instituições, cursos da Secretaria Especial de Parti- fruto de uma época em que não havia or- salto em 1985, foi baleado na coluna, per-é melhorar a auto-estima, estimular o o projeto realiza atividades culturais cipação. No entanto, a coordenadora ganizações não-governamentais. deu os movimentos das pernas - mas ja-aluno a expor seus sentimentos, além com o objetivo de contribuir para os do espaço, Fernanda Silva, 37 anos, Hoje, ONGs ajudam a viabilizar mais a perseverança. Esse cadeirante dede ensiná-lo a concentração e a seguir desenvolvimentos físico, motor e sen- afirma que a demanda de deficientes é uma oficina de música no Jardim Eliane, São Miguel tornou-se, inclusive, campeãoinstruções. Relaxamento e desenvol- sorial dos participantes. Também pro- maior do que a capacidade da institui- em Itaquera, ou reforçam a consciência de basquetebol. Uma lição de vida para suavimento da musculatura também in- move a integração social e desperta o ção e de escolas voltadas a esse públi- do uso de ferramentas de comunicação equipe, sua cidade, seu país e seu planeta.tegram as atividades da oficina. interesse pelas artes. Segundo a equi- co na Zona Leste. São cerca de 50 or- social no Jardim Lapenna, em São Mi- Boa leitura Não há cobranças quanto ao rit- pe de coordenação, o público-alvo é ganizações para atender a mais de 3,6mo e à afinação. Para Priscila, o impor- formado por crianças a partir de 6 milhões de deficientes que vivem nes-tante é o trabalho de integração e in- anos, jovens e adultos. ta região, segundo dados disponíveisclusão sócio-cultural. A educadora, que A primeira turma da Oficina de no site da prefeitura do município.também é pianista, trabalhou com Musicalização iniciou aulas em abril e Algumas iniciativas já melhoraramdeficientes físicos e mentais na Escó- encerrou em julho. O curso é realiza- a vida dos portadores de necessidades Reitora Jornal-laboratório do Curso decia, entre 2003 e 2004. Além de pro- do no Centro de Ação Social Espaço especiais. Em 2004, foi decretada a lei Sueli Cristina Marquesi Comunicação Social (Jornalismo) da Universidade Cruzeiro do Sulmover atividades voltadas à música, Livre. A instituição filantrópica, que federal 5.296, que determina que as Pró-reitor de Graduação Ano IX - Número 32 - Setembro de 2008ela também cuidava de pessoas com foi fundada em 1984, atende atual- escolas proporcionem condições de Carlos Augusto Baptista de Andrade Tiragem: 3 mil exemplares Pró-reitor de Pós-graduação e Pesquisa Telefone para contato: (11) 2037-5706esse perfil. No Brasil, participou de mente 105 crianças e adolescentes com acesso e utilização de todos os seus Luiz Henrique Amaral Impressão: Jornal Última Hora do ABCoutros projetos envolvendo musico- deficiência intelectual, segundo a pre- ambientes para pessoas portadoras de (11) 4226-7272 Pró-reitor de Extensão e Assuntosterapia e cidadãos com necessidades sidente da fundação, Maria Cristina deficiência ou com mobilidade redu- Comunitáriosespeciais. “É um trabalho árduo, mas Souza, 51 anos. No espaço, o aluno zida. (A.G. e M.M.) Renato Padovese Professores-orientadores Cecília Luedemann, Dirceu Roque degratificante. Também é uma terapia também tem ensino adaptado à sua Coordenador do Curso de Sousa, Flávia Serralvo, Luciana Rosa,para mim”, diz a educadora, que tra- capacidade, além de oficinas de artesa- Comunicação Social Marcelo Sinelli, Regina Tavares ebalha há sete anos com deficientes. nato, reciclagem, informática, teatro, Oficina de musicalização para por- Carlos Barros Monteiro Valmir Santos. Criado em 2001 pela Secretaria de dança e educação física. tadores de necessidades especiais: Também participaram desta edição:Estado da Cultura, o Projeto Talen- A entidade é mantida pela Secreta- Terças-feiras, das 9 às 11 horas. Rua Adalberto Pereira, Ademilson Chaves, Andressa Lombizani,tos Especiais é coordenado por Gise- ria Municipal de Educação e Secretaria Arumarana, 26, fone: (11) 3337- Bruno Alves, Camila Carpinelli, Elaine Santana, Geane Mota, Iara Barros, Isabela Costa, Janaina Bertunes, Jussara Pimentel, Leonardo Aleixo,le Caram Sakavicius, 41 anos. Atende Municipal de Assistência e Desenvol- 5031. www.assaoc.org.br Ricardo Medeiros e Tamine Krieger.a capital e algumas cidades do interior. vimento Social, e também recebe re-
  3. 3. ORGANIZAÇÃO NÃO-GOVERNAMENTAL SETEMBRO DE 2008 - PÁGINA 3 Entidades trabalham por direitos sociais Conheça o atendimento de três ONGs localizadas em bairros diferentes da Zona Leste Ronaldo Lucena Gisele França tros, centro de aprendizado de infor- Hevlyn Celso mática que hoje atendem cerca de 3 mil pessoas por meio da doação de O voluntariado é uma atividade R$ 15 mil pela prefeitura, o Programaadmirada pela maioria das pessoas. do Leite, que beneficia 100 famíliasEm alguns casos, é fruto da indigna- com crianças até 6 anos e agora maisção pessoal ou coletiva. Essa indigna- 100 cotas para idosos pela Secretariação motivou a criação da Associação de Abastecimento do Estado. AAqualiprof Pedro Nunes, em 1998, ONG também participa do MOVAno bairro de mesmo nome, pela (alfabetização para adultos).dona-de-casa Eleni Ribeiro, 46 anos, e Uma das realizações da ONG foipelo jornalista Sylvio Alves Sena, 49 a construção da Escola Municipal deanos. Moradores da região, eles con- Educação Infantil Globo do Sol, queviveram durante nove anos (1979- funcionava precariamente em um gal-1988) com o antigo Aterro Sanitário pão junto a um despejo de lixo. Du-Jacuí, uma área de 122 mil m2 repleta rante sete anos (2001-2008), a associa-de lixo, que, além de foco de contami- ção lutou por essa escola. Sena chegounação, servia como abrigo de ratos e a ser preso por ocupar o galpão junta-outros animais. Após Ronaldo Lucena mente com a comuni-sua desativação, o ter- dade, mas a mobiliza-reno ficou abandonado. ção popular gerada pelaA comunidade reivin- atenção da imprensa nodicava a construção de caso foi positiva. Inau-um parque no local, gurada em fevereiromas precisava de um deste ano, a escola be-representante junto à neficia 470 crianças e CONQUISTA - EMEI Globo do Sol era uma das principais reivindicações da Associação Pedro Nunesprefeitura. Desta forma, possui playground,surgiu a organização. quadra de esportes eHoje, o futuro Parque elevador para deficien- Sempre Amigos começou em uma garagemPrimavera ainda é um tes físicos. “Esse espa-matagal, mas o calça- Sena: luta por melhorias ço era um nada, só ser- Há cerca de 18 anos a ONG Sem- Após uma reunião com os voluntá- e remédios, além de manter atendi-mento e o gradeamen- via para juntar lixo e pre Amigos atua no Itaim Paulista. A rios, a família Soares resolveu alugar mentos jurídico, odontológico, psico-to já foram feitos. Os moradores rato, fora o mau cheiro. O lugar está antiga Associação de Moradores da Vila um espaço maior. De acordo com o lógico e terapia para a terceira idade.aguardam o início efetivo das obras. irreconhecível”, afirma. Itaim foi fundada em 1990 pela fisio- casal, a entidade não possui parceria Para Sandra, ver os alunos se qualifica-O projeto inclui quiosques e quadras Sena também preside o Jornal terapeuta Sandra Soares Pereira, 46 com a prefeitura, e é mantida com re- rem profissionalmente é motivo deesportivas, entre outras áreas de lazer. Pedro Nunes, fundado em 1999. O anos, juntamente com seu marido, o cursos próprios e a contribuição sim- satisfação e orgulho: “Aqui é nossa A burocracia arrasta a entrega há veículo procura dar prioridade aos pro- funcionário público Marcos Joaquim bólica de R$ 10,00 mensais dos alu- vida, aqui é nossa casa. Esquecemosanos. “O parque primavera é uma luta blemas da comunidade e é mantido da Silva, 35 anos, e teve seu início na nos que fazem cursos no local. Lá são um pouco da nossa vida para cuidardesde 1979, que já vai completar 30 pelos anúncios dos comerciantes lo- garagem da casa onde morava a mãe ministrados cursos profissionalizan- daqui”.anos”, explica Sena. Apesar das difi- cais. A Associação planeja uma creche de Sandra. Com o passar do tempo, a tes de manicure, cabeleireiro, panifica- Como meta para o futuro, a ONGculdades, a ONG intermediou várias para o futuro, mas no momento seus garagem se tornou insuficiente para ção, confeitaria, artesanato, informáti- pretende expandir o número de cur-melhorias para o bairro: dois Telecen- recursos financeiros são limitados. os trabalhos realizados e surgiu a ne- ca, inglês básico, entre outros. A orga- sos, fundar uma creche e ter um veícu- cessidade de um lugar mais amplo, que nização também distribui leite para 350 lo para o transporte de pessoas com comportasse os serviços prestados. famílias e faz doações de cestas básicas deficiência física. Serviço Associação Aqualiprof Pedro Nunes - fone: 2031-3853. ONG Sempre Amigos - fones: 6561-0152 e 6571-0498. Site: www. sae.jn.org.br Associação Sorriso de Criança - fone: 6852-3502. Atividade voluntária recupera auto-estima Hevlyn Celso O silêncio do ambiente é que- Sheila - Este curso, que fiz na brado pelo alvoroço das crianças, que ONG, abriu várias portas para Pela comunidade, escola infantil aguardam ansiosamente a sua vez mim. Logo depois comecei a dar se transforma em associação de ter os cabelos trançados por mãos habilidosas. Meninas se olham no aulas, e aí surgiu o emprego aqui. Cidadão - Do que você se Legalizada há quatro anos, a As- estava enxergando”, diz Souza. espelho e abrem sorrisos ao ver o orgulha?sociação Sorriso de Criança mantém Na entidade também há a parceria resultado final. Um quiosque de Sheila - De ajudar as pessoas;sua atual sede no Jardim Campos. O com um escritório de advocacia que penteados localizado em um shop- já formei umas 20 alunas, agorametalúrgico Antônio de Souza, 49 dá consultoria previdenciária gratuita ping da Zona Leste de São Paulo é estou ensinando outras. No iní-anos, e sua mulher, a professora Abi- uma vez por mês. Nos períodos da palco do trabalho de Sheila Silva dos cio elas acham que não vão conse-gail Amaral de Souza, 48 anos, inicia- manhã e tarde, uma sala fica reservada Santos, 21 anos. Moradora no bair- guir, porque é difícil, mas depoisram há mais de 12 anos um projeto para alunos do ensino fundamental ro de São Mateus, ela trabalha há três vêem que não é bem assim.que beneficiava crianças carentes. Tudo que necessitam de reforço, e, à noite, o anos confeccionando os mais varia- Cidadão - Qual a sua opi-começou na Vila Jacuí, onde eles mon- espaço é utilizado para a alfabetização dos tipos de tranças. Mas nem sem- nião sobre o trabalho dastaram uma escolinha infantil. de adultos. A Associação possui ain- pre sua vida foi assim; apesar de sua ONGs? Em 2004 legalizaram a entidade e da o programa Viva Leite, em parceria formação como técnica administra- Sheila - É muito importante,há um ano mudaram-se para o novo com o Estado de São Paulo, que be- tiva, não conseguia ter um emprego, porque abre portas, abre cami-local. Segundo Souza, que preside a neficia 150 famílias mensalmente. o que ocasionou uma depressão. A Sheila: emprego após o trabalho voluntário nhos. Quase todas as meninasassociação, 12 pessoas são voluntárias Souza ressalta que os serviços não são mudança ocorreu depois que come- que trabalham aqui vieram dee ajudam a coordenar os projetos e a cobrados, e sempre que alguém ne- çou a estudar em uma organização em dificuldades para se manter. Querem uma ONGs; fizeram cursos e conseguiram tra-arrecadar doações. Entre as atividades, cessita de um botijão de gás ou de não-governamental, a ONG Sempre profissão que seja fácil de aprender e rápida, balho; então, mesmo se você não tiver umestá o atendimento gratuito realizado mantimentos os voluntários colabo- Amigos. Ela narra um pouco da sua porque já querem sair dali trabalhando em emprego fixo, vai ter uma forma de ga-por um oftalmologista a cada dois ram. Ele gostaria de ampliar os servi- experiência nesta entrevista. casa. nhar o seu dinheiro. Todo bairro teria quemeses. O serviço é disponibilizado ços, como oferecer um sopão para pes- Cidadão - Você venceu uma depres- ter pelo menos duas ONGs. Elas são im-por uma clínica, que também oferece soas carentes, abrir um curso de corte Cidadão - Como você conheceu a são trabalhando na ONG. Como foi portantes para o crescimento das pessoas.descontos aos que necessitarem de e costura e até levar as crianças carentes entidade? isso? Cidadão - O que você falaria para asóculos. Segundo Souza, essa união do bairro para conhecer espaços cultu- Sheila - Fiz o curso básico de entrelaça- Sheila - Tive uma visão totalmente dife- pessoas que estão interessadas emproporcionou um momento inesque- rais, mas não tem conseguido apoio. mento em outra ONG; uma das professo- rente, porque eu pensava só nos meus pro- ser voluntárias?cível para ele. A ótica doou um par de Os presidentes das associações e ras me apresentou à Sempre Amigos. blemas, só ali no meu cantinho; vi que não Sheila - Você tem de querer participar.óculos a Severino Leite da Silva, apo- da ONG frisam que, apesar de per- Hoje sou voluntária e repasso o que aprendi era só eu que passava por isso; mesmo com a Se não gostar, não adianta nada. É sósentado de 89 anos, que caminhava tencerem a uma determinada comu- nas folgas do trabalho. minha depressão, consegui ajudar outras você ter uma visão ampla do mundo, nãocom auxílio de uma bengala improvi- nidade, estão dispostos a dar atendi- Cidadão - Qual o perfil das pessoas pessoas. Depois, comecei a melhorar, para pensar só em si. Se você quer ajudar, mes-sada, porque não enxergava direito há mento a pessoas de outras localida- que você atende? mim isso foi ótimo. mo que não saiba fazer nada, sempre vai20 anos. “Foi o momento mais emo- des, mas dizem também que toda a Sheila - Em sua maioria, são mulheres Cidadão - Em que momento você ter uma escolha. Para ser voluntário, é sócionante da minha vida quando o vi ajuda será bem-vinda, seja ela de qual- casadas, com filhos e família e que estão sentiu que sua vida mudou? você querer.colocando os óculos e dizendo que quer natureza.
  4. 4. PÁGINA 4 - SETEMBRO DE 2008 DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Reciclagem é alternativa contra poluição Separar materiais reutilizáveis torna-se fonte de renda e ainda ensina a proteger meio ambiente Marcos Dias Carlos Oliveira que tenham o suficiente em seus car- Jayme Sampaio rinhos para vender no ferro-velho. Apesar da sua presença constante, Com o crescimento da população muitos catadores deparam-se com cer-e o conseqüente aumento do consu- tas situações desagradáveis durantemo, a poluição e o lixo gerado nos seu trabalho. Casos de humilhação,grandes centros urbanos alcançou pro- xingamentos e maus tratos são amos-porções alarmantes. Considerando tras do preconceito enfrentado portoneladas diárias, quando não coleta- aqueles que ganham a vida recolhen-do adequadamente o lixo gera inúme- do o que é considerado lixo para osros problemas que afetam a saúde da outros. Segundo a catadora Mariapopulação, compromete a infra-estru- Aparecida da Silva, 41 anos, diversastura e o saneamento das cidades e cau- vezes ela foi discriminada ao ser sur-sam grandes danos ao meio ambien- preendida vasculhando o lixo das re-te. Segundo o Instituto Brasileiro de sidências. Em uma ocasião, enfrentouGeografia e Estatística (IBGE), na re- uma moradora que a agrediu verbal-gião metropolitana de São Paulo são mente, propondo-lhe que esta sepa-coletadas 83 mil toneladas de lixo por rasse os materiais recicláveis do lixodia. Deste total, apenas 16% recebem orgânico e, assim, evitando transtor-algum tipo de tratamento, como reci- nos para as duas. Maria Aparecidaclagem. O restante é depositado em também diz que, por não possuir equi-lixões e aterros sanitários que já estão pamentos de proteção adequados, jácom a capacidade comprometida. se machucou com cacos de vidro, latas Há um movimento mundial em de flandres e outros objetos cortan-prol de atitudes e posturas a serem tes. Apesar disso, muitos catadorestomadas pela população e por empre- utilizam-se da coleta seletiva para con-sas, no qual os conceitos de sustenta- seguir sua renda.bilidade, consciência ambiental e res-ponsabilidade social são aplicados afavor do meio ambiente. Reduzir, reu- Como separar o lixotilizar e reciclar são as novas palavrasde ordem. A reciclagem do lixo do- Plásticos: lave-os para eliminar res-méstico apresenta um custo elevado, CONSCIÊNCIA - Latas reaproveitadas provam que atitudes simples ajudam a preservar meio ambiente tos do produto, principalmente nomas iniciativas comunitárias podem caso de detergentes e xampus, poisreduzir a zero tais custos e produzir ção, pelos moradores, dos materiais letado, onde é separado, prensado e gos, pagam impostos e contribuem dificultam a triagem e o seu apro-benefícios para todos. É preciso res- recicláveis, que são recolhidos em dias vendido. contra a marginalização daqueles que veitamento.saltar que a principal função desta ini- e horários diferentes da coleta domi- Seguindo o mesmo princípio, há já não se encaixam no mercado de tra- Vidros: lave-os e retire as tampas.ciativa é reduzir o volume de lixo, ge- ciliar. A coleta seletiva é realizada pe- também um mercado mantido pelos balho. A consciência ambiental dá lu- Metais: latas de refrigerantes e cer-rando ganhos ambientais. las concessionárias EcoUrbis e Loga depósitos que popularmente são cha- gar ao pensamento econômico e cria vejas devem ser prensadas para fa- O Programa de Coleta Seletiva da e pelas cooperativas contratadas pela mados de ferro-velho. Baseado na oportunidades de renda. Os catado- cilitar o armazenamento.cidade de São Paulo foi instituído em prefeitura para operar as 15 centrais compra e venda destes materiais, os res, também conhecidos como carro- Papéis: podem ser guardados di-2002 e atende 71 bairros. Este proje- de triagem distribuídas pela capital depósitos mantêm uma estrutura si- ceiros ou carrinheiros, se dispõem a retamente em sacos plásticos.to é estruturado com base na separa- que recebem o material reciclável co- milar às de empresas: geram empre- recolher os materiais pelas ruas, atéDepósito incentiva a consciência ambiental Descaso com o lixo pode Suzana Machado Suzana Machado trazer transtorno a moradores Marcos Dias dação da qualidade de vida. A empresária Fabiana Novack, 32 O lixo passa despercebido até queanos, trabalha desde criança com ma- É comum a falta de ações para me- se torne o motivo de preocupação parateriais recicláveis no ferro-velho que sua lhorar a qualidade de vida. Mais co- a população, na forma de enchentes efamília possuía na Zona Leste. Ela mum ainda é o ato de jogar lixo na alagamentos. Estudos da Sabesp pro-aprendeu o básico com um tio e há 11 rua, no chão, em terrenos baldios – jetando a situação para o futuro apon-anos é dona de seu próprio depósito, onde o que importa é apenas o des- tam que daqui a 11 anos, o lixo joga-no Jardim São Vicente. Bia, como é carte. Sem pensar, porém, que lixo jo- do nas ruas representará 167 tonela-conhecida, trabalha com o marido e gado nas ruas entope bueiros, mó- das de sujeira que chegarão diariamen-três parentes. “É uma cooperativa fa- veis deixados em terrenos baldios ou te aos rios e córregos. “Se a populaçãomiliar: tudo o que se ganha se divide. esquinas podem se transformar em não mudar de atitude, a situação per-Aqui não se ganha dinheiro, mas se focos de insetos e roedores portado- manecerá crítica”, afirma José Anto-diverte muito”, brinca. O casal tem res de doenças, e outras conseqüên- nio De Angelis, superintendente dadois filhos. O mais velho, de 12 anos, cias diretamente relacionadas à degra- Sabesp.sente-se pouco à vontade com a pro- Marcos Diasfissão dos pais, fato que Bia atribui aopreconceito daqueles que associam re- TRADIÇÃO - Bia gerencia o depósito criado há 11 anos no São Vicenteciclagem com lixão. Por sua vez, o fi-lho mais novo, de 7 anos, demonstra sempre disposta a ouvir o que têm a material que desperta mais interesseorgulho e participa do cotidiano da dizer. Ajuda os catadores, trata-os aos depósitos é o PET: plástico versá-empresa, pesando e aprendendo a cal- como a seus familiares. E ainda rea- til e com muito valor agregado. A se-cular valores. liza campanhas para recolher roupas paração dos diferentes tipos de plásti- Ela ofende-se quando é conside- e alimentos e doar aos que precisam. cos e o aprendizado dos novos pro-rada uma atravessadora, alguém que O depósito funciona de segunda à cessos foi assimilado aos poucos, comlucra com o trabalho alheio. Como sexta-feira, das 8 às 17 horas, e aos a experiência do dia-a-dia e com as di-toda empresa, os lucros são necessá- sábados, das 8 às 14 horas, mas o cas das empresas parceiras que com-rios para manter o funcionamento, horário sempre é estendido até o úl- pram todos os materiais.mas tudo está baseado na ética. Neste timo cliente. Bia acredita que para vencer o pre-ramo, todos se conhecem, sabem Bia acompanhou a evolução dos conceito e colaborar com o meio am-quem são. Não há chance no negócio preços e o aumento do interesse pela biente, a consciência ecológica deve serpara quem não cumpre com sua pala- reciclagem. Se antigamente o centro da reforçada por meio de mais campa-vra ou age com deslealdade. Misto de cidade era o lugar onde os catadores nhas que introduzam na vida das pes-amiga e parceira, seu depósito faz su- podiam vender mais, hoje os depósi- soas o hábito da reciclagem. Funda-cesso porque, além de oferecer os me- tos na periferia rendem lucros maio- mentado em informação e educação,lhores preços para a venda, Bia tem res. Em 2000, o quilo da lata de alu- tudo seria mais simples. “Isso é ocarisma. Segundo os catadores, ela di- mínio era comprado por R$ 0,50. meu trabalho, e a cidade agradece”,ferencia-se porque os conhece e está Hoje, paga-se em média R$ 3,20. O finaliza. DESCASO - Entulho e móveis deixados em esquina na Vila Rosária
  5. 5. CULTURA SETEMBRO DE 2008 - PÁGINA 5 “Socialização e auto-estima” Casa do Itaim é marco de incentivo à arte Bianca Vasconcelos Comunidade freqüenta espaço gratuito criado há 23 anos por movimentos populares Nesta entrevista, a coordenadora do José Ortegacurso de Psicologia da Universidade José Ortega Outro meio de divulgação que seráCruzeiro do Sul, professora Simone implantado é a criação de um espaçoFerreira Domingues, fala sobre a im- A Casa de Cultura do Itaim Pau- virtual web site e mailing (uma lista de e-portância para as pessoas de realizar al- lista completou 23 anos em abril. O mail), para que todos os que tenhamguma atividade cultural, ressaltando os espaço foi totalmente reestruturado e computador possam acessar às pro-benefícios para a sua socialização e o deixará à disposição dos moradores gramações e novidades da Casa deaumento da auto-estima, tanto para os da comunidade novas oficinas e ativi- Cultura via Internet. Ivo explica quejovens como para a terceira idade. dades gratuitas. “a rede foi instalada na administração, A união de alguns movimentos mas a casa ainda não possui acesso àCidadão - Por que a cultura (música, culturais expressivos da época, dentre Internet e mantém apenas três com-dança, pintura, teatro, jogos...) é im- eles o Cultura e Arte em Movimento putadores, dos quais dois necessitamportante? (CAM) e o Espaço Aberto ao Desen- de manutenção.”Simone - A cultura é todo o conhecimen- volvimento Cultural (Eadec), no go- Para o coordenador da entidade,to construído por uma sociedade e pode aju- verno do então prefeito Mario Covas apesar das dificuldades, muitos artis-dar nos desenvolvimentos social e cognitivo, e do secretário de Cultura, o ator e dra- tas já saíram do anonimato por meioque é o ato ou processo do conhecer. maturgo Gianfrancesco Guarnieri, das Casas de Cultura e atualmente so-Cidadão - Existe alguma faixa etária inauguraram em 1985 a casa que foi o CARA NOVA - Após reforma, Casa de Cultura ganhará outra fachada brevivem da própria arte. “Estes es-ideal para se conhecer ou fazer parte primeiro ponto cultural da cidade de paços podem contribuir muito com ade atividades culturais? São Paulo, segundo o coordenador forma, voltarão a fazer parte do qua- mente, são promovidos eventos ex- comunidade, mas poderão deixar deSimone - De maneira alguma, a cultura Sandro Ivo, 34 anos. dro de atividades disponíveis. ternos com o objetivo de mostrar para existir devido à falta de parceiros, di-é importante em qualquer idade, tanto para Hoje, na capital, são mantidas pela Uma novidade que a casa trará a comunidade os trabalhos da casa e vulgação e desinformação da própriaa criança, o adolescente e o idoso, pois am- prefeitura 15 casas de cultura, com ofi- para a comunidade é a sala Guarnieri, dos artistas da região. comunidade”, lamenta.plia seu conhecimento, abrange a maneira cinas e atividades desenvolvidas e mi- que disponibilizará apresentações dede se ver e enxergar a sociedade. A pessoa nistradas por artistas remunerados dança, teatro, cinema e musicais acús-torna-se assim colaboradora dessa cultura, e alguns voluntários. ticos, com uma infra-estrutura com- Conheça alguns cursos e horáriostem mais facilidade para entender o mundo Devido à reforma, que ainda não posta por aproximadamente 80 luga- Oficina de dança contemporânea: terça-feira, das 13h30 às 17 horas.que está incluído e para articular melhor foi concluída, são disponibilizados no res, projetor multimídia, iluminação Oficina de teatro vocacional: terça e sábado, das 9 às 15 horas.suas idéias. local oficinas de teatro vocacional, dança de palco e equipamento de áudio. Oficina de dança vocacional: quarta-feira, a partir das 14 horas.Cidadão - Qualquer manifestação cul- vocacional, estudo vocacional, grafite, Apesar da reestruturação, a Casa Oficina de grafite: domingo, das 13 às 16 horas.tural pode acrescentar valores? hip-hop e yoga. Em 2007, acontece- de Cultura sofre ainda hoje com a fal- Sala de leitura Severino do Ramo: terça-feira a domingo, das 9 às 21 horas.Simone - Sim, pois cultura é a expressão ram também atividades de manipula- ta de divulgação, o que reduz a partici- Hip-hop “Dança de Rua”: quarta-feira e sexta-feira, 18 horas.dos hábitos e costumes da sociedade. Em ção de bonecos, aulas de violão, canto pação do público. Acredita-se que o Música “Projeto Samba Leste”: terça-feira, 19 horas.uma peça teatral ou em um musical, por coral, criação de máscaras e oficinas de número de freqüentadores não ultra- Aulas de yoga: quinta-feira, das 16 às 18 horas.exemplo, o contexto histórico e até mesmo desenhos, que após o término da re- passe a 150 pessoas por mês. Atual-os problemas desse “universo” estão incluí-dos. Sendo assim, o simples ato de jogar umpapel no lixo recebe um sentido, um signifi-cado que motiva ou não a pessoa-cultural a Reativado, Fórum Cultural mira outros bairrosfazê-lo, pois ela entende o que isso implica Herberth Brasilhoje ou no futuro. Antonio Aguiar gião e está informada sobre o Fórum.Cidadão - O que a cultura pode agre- Herberth Brasil Ela diz: “Não acredito que a comu-gar ao jovem? Ajuda a tirá-lo das ruas, Thais Renesto nidade vai assumir o Fórum, reinodos vícios e das más companhias? dividido não prospera. É fácil políti-Simone - Algumas pesquisas mostram que O Fórum Cultural do Itaim Pau- co prometer e depois não incentivardurante o dia os jovens se ocupam com o ócio lista está de volta e deve beneficiar ou- a cultura.”(atividades sem finalidade ou objetivo). A tros bairros da região, como a Vila Carlos Alberto Alves Farias doscultura traz um sentido de vida para esses Curuçá. A ação busca ajudar os artis- Santos, 35 anos, um dos artistas lo-jovens, uma ocupação, enfim, uma nova di- tas locais a conquistarem mais espaço cais que participou da semana culturalreção. Isso evita que eles participem de ativi- para demonstrar sua arte. Para isso, o desenvolvida pelo Fórum Cultural,dades que não colaboram com seus cresci- projeto vai orientar os grupos artísti- viu nesse evento uma fonte muitomentos pessoal e social. cos a conseguirem parceiros interessa- importante para a apresentação dosCidadão - O que passa na cabeça de dos em promover iniciativas no se- artistas locais. “Conseguir um méritouma pessoa que está entrando na ter- tor. Os esforços de fazer o projeto ala- onde você mora é muito mais difícil”,ceira idade? vancar vêm desde 2005, quando a fal- diz Santos.Simone - Antigamente, próximo aos 50 ta de produtores culturais atrasou a DECISÃO - Moradores e integrantes do Fórum rearticulam ação cultural Para ele, a melhor alternativa paraanos, a pessoa já se considerava velha. Atu- sua implementação. organizar eventos ligados ao poderalmente, o envelhecimento é uma fase muito Os primeiros passos para o funci- sória do Fórum Cultural onde ocor- centa que foi positiva a resposta de público é conseguir a estrutura eindividual, uma questão de percepção (de onamento do Fórum Cultural do Ita- rem reuniões aos sábados a partir das pessoas participantes do evento. Fo- apoio dos demais artistas da região.como a pessoa se vê). Há pessoas que passa- im já foram tomados. Em julho do 9 horas. ram firmadas parcerias, entre outras “A ajuda das subprefeituras é muitoram dos 50 anos e se vêem como se tivessem ano passado, começou a ser formada Segundo o coordenador da Casa com uma rádio, que possibilitaram pequena”, diz.20. Isso acontece porque em termos sociais uma comissão composta por intelec- de Cultura do Itaim Paulista, Sandro mesclar nomes conhecidos da música A comissão do Fórum para ori-ela continua trabalhando, passeando e fa- tuais, representantes da subprefeitura Ivo, 34 anos, a Semana Cultural reali- a artistas locais. entar a comunidade foi capacitada pelozendo amizades; portanto, não se acham da região, produtores de cultura, enti- zada no ano passado, entre 6 e 14 de Ruiz destaca a responsabilidade da Instituto Brasileiro de Incentivo aovelhas e sim, produtivas, capazes de fazer dades, somando 16 colaboradores. outubro, juntamente com a Semana do população nesse Fórum: “A comuni- Mérito (Ibim) que realizou umqualquer coisa. São essas que muitas vezes Eles assumiriam o compromisso de Meio Ambiente, foi o primeiro evento dade do bairro é que deverá assumir o workshop entre dezembro de 2007 eforçam a sociedade a se preocupar com suas criar estatutos, normas éticas, com a criado a partir das reuniões do grupo. compromisso de manter o evento em janeiro de 2008. Além disso, vai sernecessidades. Entretanto, outras acham que finalidade de levar o trabalho do artis- A programação teve início no Parque funcionamento e tentar buscar recur- registrada legalmente com direito a uma idade pesa, portanto mudam sua vida, en- ta local ao conhecimento de novos Chico Mendes, no bairro da Vila Curu- sos para as suas propostas culturais. estatuto social e CNPJ para ganhar le-tram em um “ostrismo” (vivem para si pró- públicos. A reunião teve a presença do çá, em São Miguel, com a apresentação A comissão dará as orientações neces- gitimidade perante o governo, isto é,prias, isoladas do mundo social). Elas não subprefeito do bairro, Diógenes San- da Orquestra de Metais e Percussão Arte sárias para capacitar a sociedade na hora depois de estar legalizado, o Fórumse acham capazes de realizar as coisas, res- dim Martins, 58 anos, no cargo desde Nobre, sob a regência do maestro Mar- de conseguir patrocínio.” será visto com mais confiança pelostringem sua vida às atividades domésticas, março de 2005. O intuito era o de res- cio Correa. Shows musicais e apresen- Contudo, a história da Zona Les- empresários na hora do apoio finan-têm poucos amigos e vivem de rotina, como gatar o trabalho cultural e intelectuais tações de dança no Itaim completaram te mostra a independência da popula- ceiro. Após esta fase, o conselho irá seassistir à TV todos os dias e quase nunca da região, realizar reuniões semanais o projeto. Segundo Ivo, o Fórum tem ção para abrigar as produções artísti- desfazer e de fato vai atuar em con-sair de casa. com grupos e enriquecer os artistas a intenção de ser uma ONG (organiza- cas da comunidade. Nos anos 70 e 80, junto com a população do Itaim paraCidadão - Como fica essa pessoa que com atividades. ção não-governamental) ou até mes- surgia em São Miguel o Movimento resgatar o potencial cultural da região.se acha velha demais? A Casa de Cultura do Itaim Pau- mo uma cooperativa para organizar ati- Popular de Arte (MPA). Poetas, ato-Simone - Normalmente, ela se fecha, re- lista foi criada em 21 de abril de 1985. vidades culturais. A proposta é que res e pintores se reuniam nos finais declama de tudo e costuma repetir: “Você sou- Desde então, tem por objetivo esta- continue funcionando, independente- semana para apresentar idéias sobre Casa de Cultura Itaim Paulista,be que fulano morreu”, “O vizinho de não belecer a comunicação entre a popu- mente das mudanças de administra- shows, exposições e apresentações te- rua Barão de Alagoas, 340, fones:sei quem está doente”, “Estou com dor aqui, lação local e a cultura, assim, tem por ção que venham a ocorrer a cada eleição atrais e que logo eram concretizadas. 6963-2742 e 9604 -7877.ali...” A pessoa fica isolada, triste e até responsabilidade também o resgate municipal. Em fevereiro de 2007 o MPA comple- Coordenação: Sandro Ivo emesmo depressiva, suas falas são limitadas e da cultura local e de oferecer isso para O supervisor de cultura do Ita- tou 30 anos de existência. Cristiane Maria.a família, principalmente os filhos, ficam as pessoas. Com isso, a Casa de Cul- im Paulista, André Ruiz, 29 anos, a A auxiliar administrativa Elaine Site: www.itaimpaulista.com.brsem ter assunto para conversar com ela. tura cedeu espaço para a sede provi- respeito dessa Semana Cultural, acres- Almeida, 32 anos, é moradora da re-
  6. 6. PÁGINA 6 - SETEMBRO DE 2008 COMPORTAMENTOA cada ano, 700 mil adolescentes viram mãe Mesmo com informação e acesso a métodos anticoncepcionais, índice de gravidez é alto no Brasil Bianca Vasconcelos fatores responsáveis pela gravidez da pectativas de vida. Elas entendem que teza e podem levar a um quadro de menor. “O primeiro fator é que, anti- um dia serão mães, então não faz di- depressão. Neste caso, a psicóloga ex- Entre 100 Segundo dados do Instituto Bra- gamente, a gravidez era indesejada e ferença se serão agora ou mais tarde, já plica que o medo se dá por causa da meninas grávidas:sileiro de Geografia e Estatística só acontecia por falta de informação, que não possuem objetivos futuros. presença do desconhecido, de não sa-(IBGE), o índice de gravidez na idade cuidados e prevenção. As jovens acre- Já as adolescentes de classes favoreci- ber como será sua nova rotina, da in- 95 conhecem ou já usaram méto-adulta caiu, ao contrário do que ocorre ditavam no ditado: ‘Nunca vai acon- das imaginam que a gravidez pode certeza de como ficará seu corpo após dos anticoncepcionais;entre as jovens. Desde 1980, o núme- tecer comigo’. Hoje, elas conhecem os atrapalhar seus projetos, então, espe- o nascimento e da preocupação se re- 70 pararam de estudar quando en-ro de partos em adolescentes de 15 a métodos anticoncepcionais, mas não ram o momento mais adequado”, ceberá o apoio da família e do namo- gravidaram;19 anos aumentou 15%. Só para se os usam de forma adequada.” afirma a psicóloga. rado, principalmente financeiro. 70 engravidaram do mesmo pai;ter idéia do que isso significa, são cerca Conforme Simone, as meninas A adolescente grávida recebe uma Ser mãe não é como brincar de bo- 60 tinham menos de 26 anos quan-de 700 mil meninas se tornando mãe correm risco de não se prevenir, mes- carga de novos sentimentos, tais necas, há inúmeras responsabilidades. do engravidaram pela primeira vez;a cada ano no Brasil. mo sabendo que podem engravidar; como: a surpresa de ter uma vida para Para auxiliar as adolescentes que estão 50 delegam a outros os cuidados A coordenadora do curso de Psi- é como se tivessem um desejo de ser tomar conta e a alegria por sua entra- entrando na fase adulta, há informa- com o bebê.cologia da Universidade Cruzeiro do mãe, mas do qual elas não têm cons- da, ainda que prematura, no mundo ções sobre métodos anticoncepcionais Fonte: Universidade Federal deSul, professora Simone Ferreira da Sil- ciência. “Meninas de classe social me- adulto. As mudanças hormonais de- ou planejamento familiar disponíveis São Paulo (Unifesp), 2001va Domingues, aponta os principais nos favorecida possuem menos ex- correntes trazem o sentimento de tris- nos postos de saúde. Compreensão e apoio são importantes Menor de 14 anos corre mais Para a psicóloga Simo- Bianca Vasconcelos sar das necessidades fi- riscos na gestação, diz médicone Ferreira da Silva Domin- nanceiras e da posição ne- A menina-mãe poderá apresentar outrora estava acostumada a recebergues é fundamental nessa gativa da parentela, problemas de crescimento e desenvol- na barriga da mãe. Entretanto, se ofase a compreensão e o apoiou a filha e acompa- vimento, emocionais e comportamen- problema da jovem for pressão alta,apoio dos pais. Apesar de nhou todos os momen- tais, além de riscos de complicações na ela pode ter uma eclampsia: os rinsviver uma fase adulta, que é tos da gestação, inclusive gestação ou na hora do parto. param de funcionar, a paciente incha ea gravidez, a mãe é adoles- a frustração e a depressão O obstetra Alfonso Maria Garcia pode gerar na mãe um derrame (aci-cente e precisa de ajuda emo- que Mariana sofreu. Bittencourt, 56 anos, diz que o pré- dente vascular cerebral, AVC) que temcional, material e financeira. Elas moram sozinhas natal é de extrema importância para chances de resultar em convulsões, in- “Evite dizer que seu fi- e não tiveram condições evitar futuros problemas. “A gravidez farto (falta de oxigênio no coração) elho é incompetente, irres- de pagar os exames de pré- na adolescência é complicada, princi- até mesmo levar ao coma.ponsável ou que não vai natal, nem a cesariana. Se- palmente quando a menina tem me- “Muitas vezes, as jovens não que-conseguir cuidar dos netos. gundo Mariana, tudo só nos de 14 anos. O corpo ainda não rem ir ao médico. Elas acreditam queEstes pensamentos não tra- foi possível “graças à ge- completou a formação e não está ama- não há necessidade e deixam os exa-zem nenhum acréscimo de Mariana com a mãe e as filhas: alegria em casa nerosidade” de dois obs- durecido. Será indispensável fazer os mes de pré-natal de lado. Isso poderesponsabilidade, e, se a tetras que se comoveram exames de pré-natal, que irão acom- comprometer a gestação”, relata o mé-adolescente achar que não é capaz, vai É o caso da ex-estudante Mariana com a história e fizeram o parto. panhar e colaborar para a saúde da mãe dico.querer continuar sem obrigações e vi- Pires Menezes, 20 anos, moradora em Vera Lúcia se diz uma avó coruja e e do bebê”, diz Bittencourt. Nos hospitais particulares, não évendo do mesmo jeito de outrora. Ermelino Matarazzo, Zona Leste, que confessa não ter brigado com a filha Além de tomar as vitaminas re- comum a ocorrência de adolescentesSendo assim, é muito provável que engravidou pela 1ª vez aos 17 anos e ao saber da gravidez: “Por incrível que comendadas pelo médico e obedecer gestantes. A situação é inversa em es-engravide novamente”, diz Simone. teve a segunda filha aos 19, com ou- pareça, não fiquei brava. Os bebês trou- a todas as restrições, quem tem dia- tabelecimentos públicos freqüenta- A adolescente que tem o primeiro tro rapaz. Atualmente, ela não está em xeram alegria a essa casa.” A avó faz a betes ou pressão alta deve redobrar a dos por classes menos favorecidas.filho sem assumir seus deveres delega um relacionamento fixo e não traba- comida, lava as roupas, dá banho nos atenção quanto à gravidez de risco. “Eu trabalho para o Estado e paraas funções de mãe a outros. Normal- lha. “Quem cuida delas é a minha mãe. netos, leva-os para a escola e educa-os, Caso a adolescente tenha diabetes, uma clínica particular. Na clínica, difi-mente, parte para uma segunda gravi- Ainda estou viva, por isso saio e na- além de vender salgados e iogurtes há um aumento na taxa de açúcar no cilmente aparecem menores grávidas.dez e as crianças podem ser filhos do moro do mesmo jeito”, diz. para os vizinhos. “Minha filha ainda é sangue e a criança pode nascer com so- Já no hospital, é freqüente o atendi-mesmo pai ou, algumas vezes, de ho- A mãe de Mariana, a autônoma novinha. Na verdade, cuido de três brepeso, além de contrair diabetes e mento às adolescentes”, afirma Bit-mens diferentes. Vera Lúcia Pires Menezes, 37 anos, ape- crianças”, afirma. convulsões devido à falta de açúcar que tencourt. SAÚDEPacientes recebem kit de diabetes em postosComo em outras unidades básicas, usuários do Jardim Maia monitoram em casa nível de glicose no sangue Fotos Raquel Bariani Raquel Bariani gem responsável pela O aposentado Elias de Oli- realiza dois testes diários. “As fitas distribuição do material veira, 65 anos, diabético há 15 são caras e ajudaria muito se o gover- A Prefeitura de São Paulo distri- na UBS Jardim Maia, anos, faz uso de insulina duas no mandasse mais kits para serembui gratuitamente kits para controle em São Miguel. Todas vezes ao dia. Ele afirma ter so- distribuídos.”do diabetes a pacientes que usam in- as unidades básicas fa- licitado o kit na UBS Costa Os médicos recomendam a práti-sulina regular ou NPH (humana) dia- zem o cadastro dos pa- Melo, próximo à Penha, há ca de exercícios físicos, principalmenteriamente. Essa distribuição cumpre a cientes e orientam quan- aproximadamente dois anos. os aeróbicos, para estimular a produ-Lei Federal nº 11.347, de 26 de outu- to à retirada do kit. “Conversei com a agente comu- ção de insulina, elevar a capacidade debro de 2006. Os kits, chamados insu- Segundo dados da nitária de saúde e ela dis- captação de glicose pelos músculos emos, contêm glicosímetro (aparelho), Pesquisa Nacional por se que é demorado diminuir a gordura corporal. Esta élancetas, tiras reagentes, seringas para Amostra de Domicílio mesmo, mas diretamente relacionada ao diabetesaplicação de insulina e medicação. (PNAD), colhidos em conheço pes- tipo II e aumenta a sensibilidade celu- Para recebê-lo, o paciente depen- 2003 pelo Instituto Bra- soas que já re- lar à insulina.dente de insulina necessita apresentar sileiro de Geografia e ceberam o ma- A atividade física diminui tambémum relatório médico emitido pela Estatística (IBGE), UBS Vila Curuçá é terial. Há mais o risco de doenças cardíacas, melhoraUnidade Básica de Saúde (UBS), espe- 29,9% da população um dos pontos de ou menos um a hipertensão arterial (em combinaçãocificando há quanto tempo é diabéti- eram portadores de distribuição do kit ano renovei o com uma dieta adequada), entre ou-co, o tipo de síndrome, a quantidade doenças crônicas, como pedido, mas tros benefícios. A prática de exercíciosde insulina utilizada e de testes que o diabetes, hipertensão e tuberculose. ciente depen- ainda não recebi nada. deve ser acompanhada por um pro-paciente deve fazer diariamente. A proporção de portadores dessas dente de insu- Assim que chegar, não precisaria ir ao fissional responsável, para que não O automonitoramento do nível doenças cresceu com a idade, chegan- lina pode ter várias oscilações do nível posto semanalmente para fazer o con- haja problemas de contusões.de glicose é uma ferramenta impor- do a 77,6% na faixa dos 65 anos ou de glicose no sangue durante o dia. trole”, diz Oliveira. O paciente Antô-tante para o controle do diabetes. “Au- mais. A mesma sondagem revelou que Esse controle auxilia o tratamento nio Plínio Ramos de Castro, 64 anos,menta a auto-estima dos pacientes, 52,4% da população buscam atendi- médico e contribuiu com diagnósti- diagnosticou o diabetes em 2006. Ele A Coordenadoria Regional de Saúde fica na avenida Pires do Rio,eles se preocupam mais, se contro- mento em postos de saúde. cos mais precisos”, afirma o clínico- diz que demorou cerca de seis meses 199, Vila Americana. Fones: 6133-lam”, diz Luciene Maria dos Santos “É importante que haja esse mo- geral Geraldo José Torres, da UBS Car- para receber o kit do posto de saúde.Souza, 49 anos, auxiliar de enferma- nitoramento diário e constante. O pa- los Muniz, na Ponte Rasa. Faz uso de insulina uma vez ao dia e 0041 e 6956-258.

×