SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 122
CIÊNCIAS DO AMBIENTE
Prof. Neila Pinto
Unidade 1
OA1. Descrever o percurso histórico da degradação ambiental
até às condições associadas aos problemas ambientais modernos
e o impacto disso para as atividades de engenharia.
TE1. Poluição e atividades humanas
1. Tomada de consciência sobre o problema ambiental.
2. A evolução histórica da questão ambiental.
3. O desenvolvimento sustentável como paradigma
4. Modelo DS, Modelo ODS, Modelo ESG.
Unidade 2
OA2. Interpretar as alterações nos ecossistemas e ciclos biogeoquímicos,
fontes de poluição e impactos ambientais decorrentes da ação antrópica
cotidiana e industrial.
TE2. Princípios de Ecologia
1. Noções Gerais de Ecologia; Ações Naturais e Antrópicas sobre o Meio
Ambiente; Recursos Naturais. Bens e Serviços Ambientais.
2. Ecossistemas: Tipos; Principais Ecossistemas Terrestres; Fontes de Energia;
Ciclos Biogeoquímicos, Gasosos e Sedimentares.
3. Fontes de Poluição e Impacto sobre ambiente.
OA3. Identificar requisitos exigidos na legislação vigente para a validação
ambiental de um projeto de engenharia alinhado à PNRS e os modelos de
gestão ambiental mais utilizados.
TE3. Programas de Gestão Ambiental e Legislação
1. Legislação Ambiental no Brasil (Política Nacional de Resíduos sólidos - PNRS)
2. Selos, Modelos de programas Ambientais
3. Sistemas de Qualidade e Gestão Ambiental
4. (5S, ISO, ACV, P+L)
OA4. Relacionar quais técnicas e ferramentas auxiliam os
sistemas de produção e gestão ambiental a adotarem
tecnologias mais limpas e eco eficientes visando a diminuição
do impacto ambiental na execução dos projetos de engenharia.
TE4. Produção Mais Limpa e ecoeficiência
1. Definição e características de ecoeficiência
2. Ciclo de Vida processo-produto
3. Conceito, características e aplicação da P+L
Unidade 1
OA1. Descrever o percurso histórico da degradação ambiental
até às condições associadas aos problemas ambientais modernos
e o impacto disso para as atividades de engenharia.
TE1. Poluição e atividades humanas
1. Tomada de consciência sobre o problema ambiental.
2. A evolução histórica da questão ambiental.
3. O desenvolvimento sustentável como paradigma
4. Modelo DS, Modelo ODS, Modelo ESG.
1.1 O homem e a natureza pré histórica
Capacidade de adaptação só foi possível porque o homem sempre criou no seu entorno um meio ambiente
próprio, diferente do meio circundante – natural – que denominamos cultural. A construção pelos seres
humanos de um espaço próprio de vivência, diferente do natural, se deu sempre à revelia e com a modificação
do ambiente natural.
1.1 O homem e a natureza pré histórica
•Atividade que interfere na natureza de modo a transformá-la para melhor satisfazer a suas necessidades,
denominamos trabalho.
•A capacidade de trabalho do homem aumenta, ou, dito de outro modo, a sua capacidade de intervir na
natureza é ampliada e, consequentemente, crescem os impactos no ambiente natural produzidos pelo homem.
Com o aumento da complexidade das sociedades, cresceu a necessidade de cooperação continuada de
numerosas pessoas para um fim específico, de manutenção da qualidade de vida. Nesse momento, a
melhoria da qualidade de vida se dava em detrimento do mundo natural, pois a concepção predominante
era de luta do homem contra a natureza.
1.1 O homem e a natureza pré histórica
Surge a agricultura - transformação da relação do
homem com a natureza.
A produção de alimentos ocupa mais espaços em
detrimento do ambiente natural.
Nesse estágio de crescimento acentuado da
população humana, muitas espécies desapareceram
gradativamente onde o homem construía em ritmo
acelerado o seu próprio ambiente.
No Oriente Médio, onde atualmente se encontra o
Iraque, se registram as primeiras grandes
aglomerações humanas e é onde ocorrem as
primeiras grandes extinções de espécies animais.
1.2 A criação do ambiente cultural: o processo de urbanização
1.2 A criação do ambiente cultural: o processo de urbanização
O império romano
criou espaços urbanos em todo o
Mediterrâneo.
Foi a civilização que mais
contribuiu para a diminuição da
diversidade, principalmente de
predadores naturais, que eram
capturados para servir de atração
nas arenas que existiam em
inúmeras cidades, e
principalmente no Coliseu de
Roma.
1.2 A criação do ambiente cultural: o processo de urbanização
O império romano
criou espaços urbanos em todo o
Mediterrâneo.
Foi a civilização que mais
contribuiu para a diminuição da
diversidade, principalmente de
predadores naturais, que eram
capturados para servir de atração
nas arenas que existiam em
inúmeras cidades, e
principalmente no Coliseu de
Roma.
1.3 Industrialização e meio ambiente
No século XVIII, ocorreu
outra grande
transformação na
capacidade produtiva
humana.
Revolução Científico-
Tecnológica, a segunda,
que também é conhecida
como Revolução
Industrial.
Inglaterra.
1.3 Industrialização e meio ambiente
A Revolução Industrial:
crescimento econômico e
abriu as perspectivas de
maior geração de riqueza,
prosperidade e melhor
qualidade de vida.
crescimento econômico
desordenado
Uso grandes quantidades de
energia e de recursos
naturais.
Configurar um quadro de
degradação contínua do
meio ambiente.
1.3 Industrialização e meio ambiente
Problemas que surgiram:
•alta concentração populacional, devido à
urbanização acelerada;
•consumo excessivo de recursos naturais,
sendo que alguns não renováveis (petróleo e
carvão mineral, por exemplo);
•contaminação do ar,do solo, das águas;
•e desflorestamento, entre outros.
1.3 Industrialização e meio ambiente
Por volta de 1850, havia mais cidadãos britânicos
mais gentes nas cidades do que no campo
1/3 população total em cidades com mais de
50.000 habitantes.
As cidades:
cobertas de fumaça e impregnadas de
imundície, os serviços públicos básicos não
acompanhavam a demanda – abastecimento de
água, esgotos sanitários, espaços abertos etc.
Depois de 1830, epidemias de cólera, febre
tifoide e o pagamento assustador de tributo
constante aos dois grandes grupos de assassinos
urbanos do século XIX – a poluição do ar e das
águas, ou doenças respiratórias e intestinais”.
1.3 Industrialização e meio ambiente
Os processos de industrialização concebidos de
forma irracional gerou um grave problema
ambiental
O desmatamento intensivo para criar novas
áreas agrícolas e produzir o carvão vegetal
provocou o desaparecimento da maior parte da
cobertura florestal da Europa no século XIX e
início do século XX.
Nas duas últimas décadas do século XX foram
empregados mais recursos naturais na
produção de bens que em toda a história
anterior da humanidade.
1.3 Industrialização e meio ambiente
•Destinação dos resíduos de qualquer tipo
(sólido, líquido ou gasoso) como sobras do
processo produtivo
•Grandes acidentes industriais e a
contaminação resultante deles que
acabaram chamando a atenção da opinião
pública para a gravidade do problema.
1.3 Industrialização e meio ambiente
Uma análise recente sobre as mudanças
climáticas revelou que apenas 90 empresas são
responsáveis por 63% de todas as emissões de
gases de efeito estufa desde 1854, o início da
Revolução Industrial.
As empresas vão desde corporações privadas
como BP e Exxon até empresas estatais.
83 das 90 empresas são empresas de energia
baseadas em petróleo, gás e carvão, com as 7
empresas restantes sendo fabricantes de
cimento.
As informações da análise das mudanças
climáticas vêm de registros públicos e dados do
Centro de Informação e Análise de Dióxido de
Carbono do Departamento de Energia dos EUA.
1.4 A contaminação industrial
Mudanças climáticas causadas por 90 empresas desde a Revolução Industrial | Maravilhas (wondergressive.com)
Revolução Industrial deixou uma marca psicológica prejudicial nas populações de hoje - Neuroscience News
Fonte: Fred Lewsey -
Universidade de Cambridge
Editor: Organizado
por NeuroscienceNews.com.
Fonte da
imagem: NeuroscienceNews.com
imagem é adaptada do
comunicado de imprensa da
Universidade de Cambridge.
Pesquisa Original: Abstrair para
"Na Sombra do Carvão: Como as
Indústrias de Grande Escala
contribuíram para as diferenças
regionais atuais na personalidade
e no bem-estar" de Obschonka,
Martin, Stuetzer, Michael,
Rentfrow, Peter J., Shaw-Taylor,
Leigh, Satchell, Max, Silbereisen,
Rainer K., Potter, Jeff e Gosling,
Samuel D. em Journalof Personality
andSocialPsychology. Publicado
online em 20 de novembro de
2017 doi:10.1037/pspp0000175
Revolução Industrial deixou uma marca psicológica prejudicial nas populações de
hoje
Pessoas em áreas historicamente dependentes de indústrias baseadas em carvão têm
traços de personalidade mais "negativos". Psicólogos sugerem que esse dado
cognitivo pode muito bem ter sido lançado no início da era industrial.
Na segunda metade do século
XX, com a intensificação do
crescimento econômico
mundial, os problemas
ambientais se agravaram e
começaram a aparecer com
maior visibilidade para amplos
setores da população,
particularmente dos países
desenvolvidos, os primeiros a
serem afetados pelos impactos
provocados pela Revolução
Industrial.
Problemas ambientais tornaram-
se assunto global e pela sua
visibilidade e facilidade de
compreensão quanto a causa e
efeito constituíram-se na
principal ferramenta de
construção de uma
conscientização dos problemas
causados pela má gestão.
Catrastrofes Naturais - eventos
sem a interveniência direta do
homem.
Desastres Ambientais –
provocados pelas ações humanas
1947
Navio carregado de nitrato de amônia explode no Texas,
causando mais de 500 mortes e deixando 3.000 feridos.
1945
Bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki
50 anos do PNUMA - YouTube
Atividade de Pesquisa I - Descrição da Atividade
O que: Apresentar os principais marcos e problemas
ambientais da história
Quem: Duplas
Quando: 11/03/2022
Como: As duplas escolherão em cada tema - , os assuntos:
estudos e tradados e desastres ambientais (pg seguinte).
Cada dupla deve apresentar por meio do power point (criado e
enviado o link online) as informações pertinentes por no
máximo 10 minutos (5 minutos por pessoa e por assunto). No
máximo 6 slides por dupla – 3 em cada assunto.
Tempo: 10 minutos (máx) – 5 minutos (mínimo)
Link da apresentação
https://docs.google.com/presentation/d/1AJjkM
p3Q-
vzCYB6ca9yGgFNujzIKR3oZ3iJZNPtKzmA/edit?us
p=sharing]
Tema: Estudos e Tratados
1. Primavera silenciosa (Jairo e Vanderson)
2. Clube de Roma (Haroldo e Mayara)
3. Criação PNUMA (Diego e Orleilson)
4. Protocolo de Montreal (Vanessa e Felipe)
5. Cúpula da Terra/ Agenda 21 (manuelly e wendel)
6. Conferência Estocolmo (Vinicius e Luciano)
7. Relatório Nosso Futuro Comum (odanir e francikely)
8. Cúpula/Objetivos do Milenio (Alessandro e Marcilene)
9. COP 15 (Bianca e Isac)
10. Protocolo de Kyoto (Handerson e Airton)
11. Década da restauração dos ecossistemas (Thayssa e Rosely)
12. COP 21 (Felipe/ Filipe)
13. Cúpula climática 2019 (Daniel e Caio)
14. Cupula para o Desenvolvimento sustentável 2015 (vania e Sandoval)
15. Rio +20 (Thalys e Gleidiane)
16. Protocolo de Cartagena + Convenção de Minamata (marcos)
Tema: Desastres Ambientais
1. Bopal (Jairo e Vanderson)
2. “Love Canal” (Haroldo e Mayara)
3. Mariana (Diego e Orleilson)
4. Chenobyl (Vanessa e Felipe)
5. Mar de Aral (manuelly e wendel)
6. Golfo do México (Vinicius e Luciano)
7. Lixo pacífico norte (odanir e francikely)
8. Césio 137 – goiania (Alessandro e Marcilene)
9. Seveso (Bianca e Isac)
10. P-36 (Handerson e Airton)
11. Lixeira de Guyiu (Thayssa e Rosely)
12. Fukushima (Felipe/ Filipe)
13. Exxon Valdez (Daniel e Caio)
14. Cinzas de carvão Tenessee (vania e Sandoval)
15. Big Smoke – Londres (Thalys e Gleidiane)
16. Doença de Minamata (marcos)
Atividade de Pesquisa I - Temas para estudo
Marcos ambientais: Linha do tempo dos 75 anos da ONU | UNEP - UN Environment Programme
https://www.estivalshoes.com/post/conhe%C3%A7a-os-5-maiores-acidentes-de-trabalho-da-historia
50 imagens impactantes dos maiores desastres ambientais causados pelo homem – Jetss
Principais desastres ambientais no Brasil e no mundo | Unicamp
Grandes marcos de acidentes ambientais, artigo de Roberto Naime (ecodebate.com.br)
https://www.unicamp.br/unicamp/ju/noticias/2017/12/01/principais-desastres-ambientais-no-brasil-e-no-mundo
https://infosustentavel.com.br/2020/10/25/75-anos-historia-veja-principais-marcos-onu-agenda-ambiental/
https://brasil.un.org/pt-br/91223-onu-e-o-meio-ambiente
Atividade de Pesquisa I - links de consulta
Até o ano de 1962, os
problemas derivados da relação
do homem com o meio
ambiente foram abordados de
forma muito superficial. Nesse
ano, Rachel Carson publicou o
livro Silent Spring (Primavera
Silenciosa), 1 que teve enorme
repercussão na opinião pública
e que expunha os perigos de
um inseticida, o DDT.
Surgimento do
Movimento ambientalista
1.4 A evolução histórica da questão ambiental.
1. No mês de abril de 1968, estiveram reunidas em Roma,
Itália, pessoas de dez países, entre cientistas, educadores,
industriais e funcionários públicos de diferentes instâncias
de governo, com o objetivo de discutir os dilemas atuais e
futuros do homem.
Clube de Roma
Suas finalidades eram promover o entendimento dos
componentes variados, mas interdependentes –
econômicos, políticos, naturais e sociais –, que formam o
sistema global; chamar a atenção dos que são
responsáveis por decisões de alto alcance, e do público do
mundo inteiro, para aquele novo modo de entender e,
assim, promover novas iniciativas e planos de ação.
1.4 A evolução histórica da questão ambiental.
3. A UNESCO promove em Paris, no
mês de setembro de 1968, uma
Conferência sobre a conservação e o
uso racional dos recursos da biosfera
que estabelece as bases para o
lançamento, em 1971, do Programa
Homem e a Biosfera (MAB).
1.4 A evolução histórica da questão ambiental.
2. A Assembleia das Nações
Unidas, nesse ano de 1968,
decide pela realização, em
1972, na cidade de Estocolmo,
na Suécia, de uma Conferência
Mundial sobre o Meio
Ambiente Humano.
1.4 A evolução histórica da questão ambiental.
1.5 O Desenvolvimento Sustentável como Paradgma
Na abrangência Político – Governamental
• Desde 1968
• Criação do PNUMA – Programa das Nações Unidas para o
Ambiente (PNUMA)
• Multilateralidade
• Em 1983 a em Assembleia Geral cria-se a World Commission
on Environiment and Development
• Em 1987, a reunião da Organização das Nações Unidas (ONU)
gerou o Relatório de Brundtland, Our Common Future.
“[...] desenvolvimento sustentável como aquele que se
estabelece em atender as necessidades da sociedade atual sem
comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem
suas próprias necessidades” (WCED, 1987)
1.5 O Desenvolvimento Sustentável como Paradgma
1.5 O Desenvolvimento Sustentável como Paradgma
Abrangência Científica
A Teoria das Dimensões da Sustentabilidade , de Ignacy Sachs
Segundo Ignacy Sachs existem oito dimensões da sustentabilidade que
devem ser levadas em conta:
1)Social: que se refere ao alcance de um patamar razoável de
homogeneidade social, com distribuição de renda justa, emprego pleno
e/ou autônomo com qualidade de vida decente e igualdade no acesso aos
recursos e serviços sociais.
2)Cultural: referente a mudanças no interior da continuidade (equilíbrio
entre respeito à tradição e inovação), capacidade de autonomia para
elaboração de um projeto nacional integrado e endógeno (em oposição às
cópias servis dos modelos alienígenas) e autoconfiança, combinada com
abertura para o mundo.
1.5 O Desenvolvimento Sustentável como Paradgma
3)Ecológica: relacionada à preservação do potencial do capital natural
na sua produção de recursos renováveis e à limitação do uso dos
recursos não renováveis.
4)Ambiental: trata-se de respeitar e realçar a capacidade de
autodepuração dos ecossistemas naturais.
5)Territorial: refere-se a configurações urbanas e rurais balanceadas
(eliminação das inclinações urbanas nas alocações do investimento
público), melhoria do ambiente urbano, superação das disparidades
inter-regionais e estratégias de desenvolvimento ambientalmente
seguras para áreas ecologicamente frágeis.
1.5 O Desenvolvimento Sustentável como Paradgma
6.Econômica: desenvolvimento econômico intersetorial equilibrado; com
segurança alimentar; capacidade de modernização contínua dos
instrumentos de produção, razoável nível de autonomia na pesquisa
científica e tecnológica; inserção soberana na economia internacional.
7.Política (Nacional): democracia definida em termos de apropriação
universal dos direitos humanos; desenvolvimento da capacidade do Estado
para implementar o projeto nacional, em parceria com todos os
empreendedores; um nível razoável de coesão social.
8.Política (Internacional): eficácia do sistema de prevenção de guerras da
ONU, na garantia da paz e na promoção da cooperação internacional;
Pacote Norte-Sul de codesenvolvimento, baseado no princípio da
igualdade ; aplicação do Princípio da Precaução na gestão do meio
ambiente e dos recursos naturais, prevenção das mudanças globais
negativas, proteção da diversidade biológica (e cultural) etc.
1.5 Esquema Desenvolvimento Sustentável
Embalagens cada vez mais finas e 100% recicláveis, a
película é formada após a modelagem, pois recebe uma
camada interna de verniz, que impede do líquido ter contato
direto com o alumínio.
O Grupo Lego vai investir 400 milhões de dólares em três anos para
acelerar os esforços para a sustentabilidade incluindo:
• Embalamento sustentável - Em 2015, o Grupo definiu a meta de até 2030
todos os seus produtos serem feitos de materiais sustentáveis. Vai expandir o
seu uso de bio-tijolos, como os feitos de cana-de-açúcar, que atualmente
representam 2% do portfolio
• redução de emissões - Nenhum desperdício irá para aterros a partir de 2025 e
o consumo de água vai descer 10% em 2022.
• economia circular - um produto feito com materiais de qualidade que pode
ser usado e reutilizado. A qualidade, durabilidade, segurança e consistência
dos tijolos LEGO significa que podem ser passados de geração em geração. Os
tijolos feitos hoje, encaixam nos que foram feitos há 40 anos
Conheça Mais:
https://www.doisamaiscosmetica.com.br/mercado-
negocios/dupont-anuncia-metas-de-sustentabilidade-para-
2030/
DuPontanuncia metas de sustentabilidade para 2030
Companhia estabelece nove metas focadas em inovação, operações
e pessoas para que o crescimento da empresa esteja unido a
benefícios sociais e ambientais.
WILMINGTON, Del. – 10 de Dezembro de 2019 – A DuPont(NYSE:
DD) anunciou suas metas de sustentabilidade para 2030 ,
enfatizando a importância da sustentabilidade no cumprimento do
seu objetivo de proporcionar inovações essenciaispara ajudar com
que as sociedades prosperem. As nove metas de longo prazo são
baseadas em uma avaliação crítica dos recursos da empresa,
juntamente com o feedback de clientes e stakeholders. As metas
também se inspiram nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
das Nações Unidas (ODS) para identificar os problemas mais
importantesdo mundo que precisam ser resolvidos.
DOIS LADOS DA MOEDA
Para conhecer mais:
Teflon (Politetrafluoroetileno) | Dr. Vitor Azzini Saúde (drvitorazzini.com.br)
https://www.dn.pt/opiniao/opiniao-dn/daniel-deusdado/verdade-envenenada-o-teflon-no-sangue-de-toda-a-gente-
11769912.html#:~:text=Recentemente%20o%20filme%20%22Dark%20Waters,%22The%20New%20York%20Times%22
Esta é a história do PFOA-C8 - ácido perfluorooctanóico,
“TEFLON” inventado em 1945 nos Estados Unidos e cuja
ingestão acumulada ao longo da vida causa
danos`permanentes e fatais à saúde humana e
ambiental.
Tornou-se notícia porque a primeira batalha jurídica
contra o "teflon" foi finalmente vencida em 2016 por um
advogado norte-americano, Robert Billot.
A sua saga gerou um documentário no Netflix , "The
Devil We know: como a DuPont envenenou o mundo
inteiro com o teflon" (infelizmente já não disponível).
Recentemente o filme "Dark Waters - Verdade
Envenenada", protagonizado por Mark Ruffalo e Anne
Hathaway. O caso "teflon" foi ainda narrado pelo
acutilante "The Intercept", e depois pelo "The New York
Times".
A história começa no Brasil, na ECO-92, no Rio de Janeiro, 1992, onde o conceito de
Desenvolvimento Sustentável foi introduzido à política mundial. Na conferência, 178
países adotaram a Agenda 21, um plano de ação para desenvolver parcerias e possibilitar
o Desenvolvimento Sustentável. A Declaração do Milênio.
Oito objetivos para 2015, os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, tiveram foco em
redução da extrema pobreza.
No ano de 2002, em Joanesburgo, na África do Sul, ocorreu a Rio+10 (ou Cúpula Mundial
sobre o Desenvolvimento Sustentável), que reforçou os compromissos traçados em 1992.
Em 2012 ocorreu a Rio+20, novamente no Rio de Janeiro, que lançou as bases para a
criação das ODS. Nesta conferência foi acordado o documento "O futuro que queremos"
("The future we want"). Em setembro de 2015, os 17 ODS foram acordados, na Cúpula de
Desenvolvimento Sustentável da ONU.
1.6 Evolução das metas globais de Desenvolvimento Sustentável
Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) ou Objetivos Globais para o
Desenvolvimento Sustentável) são uma coleção de 17 metas globais, estabelecidas
pela Assembleia Geral das Nações Unidas.
Os ODS são parte da Resolução 70/1 da Assembleia Geral das Nações Unidas: "Transformando o
nosso mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável“, que depois foi encurtado
para Agenda 2030.
As metas são amplas e interdependentes, mas cada uma tem uma lista separada de metas a serem
alcançadas. Atingir todos os 169 alvos indicaria a realização de todos os 17 objetivos.
Os ODS abrangem questões de desenvolvimento social e econômico, incluindo
pobreza, fome, saúde, educação, aquecimento global, igualdade de
gênero, água, saneamento, energia, urbanização, meio ambiente e justiça social.
1.6 Evolução das metas globais de Desenvolvimento Sustentável
DECLARAÇÃO DO MILÊNIO
Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs)
foram os oito objetivos (Concretos e mensuráveis, com suas 22
metas (24 no Brasil) e 48 indicadores) internacionais de
desenvolvimento para o ano de 2015 que foram estabelecidos após
a Cúpula do Milênio das Nações Unidas em 2000, após a adoção da
Declaração do Milênio das Nações Unidas. Todos os 191 Estados
membros da ONU na época e pelo menos 22 organizações
internacionais, comprometeram-se a ajudar a alcançar os seguintes
Objetivos de Desenvolvimento do Milênio até 2015:
• Erradicar a pobreza extrema e a fome;
• Alcançar o ensino primário universal;
• Promover a igualdade de gênero e empoderar as mulheres;
• Reduzir a mortalidade infantil;
• Melhorar a saúde materna;
• Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças;
• Garantir a sustentabilidade ambiental;
• Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento.
PERÍODO DE VIGÊNCIA
INICIO: 01/01/2001
TÉRMINO: 31/12/2015
No documento final da Rio + 20 decidiu-se elaborar os ODS e para isso foi constituído um grupo de trabalho que
após três anos de discussão aprovou por consenso o documento “Transformando nosso mundo: a Agenda 2030
para o desenvolvimento sustentável”. A Agenda 2030 consiste em uma declaração, os 17 ODS e as 169 metas,
uma seção econômica sobre os meios de implementação e de parcerias globais.
PERÍODO DE VIGÊNCIA : INICIO: 01/01/2016 TÉRMINO: 31/12/2030
PARA CONHECER AS 169 METAS:
http://www4.planalto.gov.br/ods/publicacoes/apresentacao-ods-17-objetivos-e-169-
metas/@@download/file/Apresenta%C3%A7%C3%A3o%20ODS%20-%2017%20Objetivos%20e%20169%20Metas_PDF.pdf
Os OBJETIVOS definem as linhas
gerais de atuação para as ações
estratégicas a serem coordenadas
por cada Estado-membros.
As METAS estipulam em cada
objetivo, direcionamentos
específicos em nível tático e
operacional, para serem
implementados pelos programas de
ação em cada Estado-membro.
Assegurar padrões de
produção e de
consumo sustentáveis.
12.1 implementar o Plano Decenal de Programas Sobre Produção e
Consumo Sustentáveis, com todos os países tomando medidas, e os
países desenvolvidos assumindo a liderança, tendo em conta o
desenvolvimento e as capacidades dos países em desenvolvimento.
12.2 até 2030, alcançar gestão sustentável e uso eficiente dos
recursos naturais.
12.3 até 2030, reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita
mundial, em nível de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de
alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo
as perdas pós-colheita.
12.4 até 2020, alcançar o manejo ambientalmente adequado dos
produtos químicos e de todos os resíduos, ao longo de todo o ciclo
de vida destes, de acordo com os marcos internacionalmente
acordados, e reduzir significativamente a liberação destes para o ar,
água e solo, para minimizar seus impactos negativos sobre a saúde
humana e o meio ambiente.
12.5 até 2030, reduzir substancialmente a geração de resíduos por
meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso .
12.6 incentivar as empresas, especialmente as empresas grandes e
transnacionais, a adotar práticas sustentáveis e a integrar
informações de sustentabilidade em seu ciclo de relatórios .
12.7 promover práticas de compras públicas sustentáveis, de acordo
com as políticas e prioridades nacionais.
12.8 até 2030, garantir que as pessoas, em todos os lugares, tenham
informação relevante e conscientização sobre o desenvolvimento
sustentável e estilos de vida em harmonia com a natureza.
12.a apoiar países em desenvolvimento para que fortaleçam suas
capacidades científicas e tecnológicas em rumo à padrões mais
sustentáveis de produção e consumo.
12.b desenvolver e implementar ferramentas para monitorar os
impactos do desenvolvimento sustentável para o turismo sustentável
que gera empregos, promove a cultura e os produtos locais.
12.c racionalizar subsídios ineficientes aos combustíveis fósseis,
que encorajam o consumo exagerado, eliminando as distorções de
mercado, de acordo com as circunstâncias nacionais, inclusive por meio
da reestruturação fiscal e a eliminação gradual desses subsídios
prejudiciais, caso existam, para refletir os seus impactos ambientais,
tendo plenamente em conta as necessidades específicas e condições
dos países em desenvolvimento e minimizando os possíveis impactos
adversos sobre o seu desenvolvimento de maneira que proteja os
pobres e as comunidades afetadas.
Sustainable Development Goal 12: Consumo e produção responsáveis | As Nações Unidas no Brasil
Assegurar padrões
de produção e de
consumo
sustentáveis.
Câmara Nacional de Municípios
http://www.ods.cnm.org.br/agenda-2030
A Confederação Nacional de
Municípios estruturou um site para
acompanhar as implementações
locais, referente ao eixo
governamental municipal....
Manaus, como será que esta?
Assegurar padrões
de produção e de
consumo
sustentáveis.
Câmara Nacional de Municípios
http://www.ods.cnm.org.br/mandala-municipal
A ferramenta da mandala municipal
em Manaus é mapeada desde 2017,
apresenta as ações e
monitoamrento de indicadores nos
eixos – institucional, econômico,
social e ambiental.
Em outro painel é possível verificar
as análises de indicadores ao longo
do tempo, por ODS ou por
dimensão.
Vídeos do IBGE para direcionamento das ações no Brasil.
https://odsbrasil.gov.br/home/videos
O Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatísticas, elaborou vídeos para
explicar cada ODS e direcionar as
intenções em relação à aplicação da
agenda 2030 governamental.
Ipea
https://www.ipea.gov.br/ods/ods12.html
Plano de ação para produção e consumo sustentáveis – PPCS
https://antigo.mma.gov.br/publicacoes/responsabilidade-socioambiental/category/90-producao-e-consumo-
sustentaveis.html?download=936:plano-de-acao-para-producao-e-consumo-sustentaveis-no-brasilvolume-1
Uma das metas estipuladas está a 12.1,
que prevê a elaboração e
implementação do direcionamento
nacional por meio de ações.
Plano de ação para produção e consumo sustentáveis – PPCS
https://antigo.mma.gov.br/publicacoes/responsabilidade-socioambiental/category/90-producao-e-consumo-
sustentaveis.html?download=936:plano-de-acao-para-producao-e-consumo-sustentaveis-no-brasilvolume-1
Plano de ação para produção e consumo sustentáveis – PPCS
https://antigo.mma.gov.br/publicacoes/responsabilidade-socioambiental/category/90-producao-e-consumo-
sustentaveis.html?download=936:plano-de-acao-para-producao-e-consumo-sustentaveis-no-brasilvolume-1
Esse esquema facilita a percepção
do ODS em relação a abordagem
dos impactos previstos com base
em 4 eixos: bioesfera, sociedade,
megócios e colaboração.
1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia
Exemplo Energisa
https://ri.energisa.com.br/sustentabi
lidade/compromisso-com-o-
desenvolvimento-sustentavel/
1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia
https://www.grupocpfl.com.br/energias-sustentaveis/plano-de-sustentabilidade-na-cpfl
Exemplo da CPFL (Cia. Paulista de Força e Luz)
1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia
https://www.itaipu.gov.br/sites/default/files/rs201
5/pt/2018/metas-empresariais.html
Para consulta a tabela completa acesse abaixo:
https://www.itaipu.gov.br/sites/default/files/rs201
5/pt/2018/img/tabela-metas-empresariais-1.png
Exemplo ITAIPU
1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia
Exemplo ITAIPU
https://www.itaipu.gov.br/sites/default/files/rs201
5/pt/2018/metas-empresariais.html
Para consulta a tabela completa acesse abaixo:
https://www.itaipu.gov.br/sites/default/files/rs201
5/pt/2018/img/tabela-metas-empresariais-1.png
1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia
Mapeamento de Ações ODS ITAIPU
https://www.itaipu.gov.br/sites/default/files/rs2015/pt/2017/objetivos-
desenvolvimento.html#lg=1&slide=0
1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia
Exemplo Neoenergia
https://www.neoenergia.com/pt-
br/sustentabilidade/comprometidos-
objetivos-desenvolvimento-
sustentavel/Paginas/default.aspx
1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia
https://www.neoenergia.com/pt-br/sustentabilidade/modelo-
negocio-energia-sustentavel/Paginas/default.aspx
Exemplo Neoenergia
1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia
Exemplo Neoenergia - infográfico
https://www.neoenergia.com/pt-
br/sustentabilidade/comprometidos-objetivos-
desenvolvimento-sustentavel/Documents/principios-
desenvolvimento-sustentavel.pdf
1.6 Ações ODS de empresa em setor de eletroeletrônico
ABINEE – Associação Brasileira da Industria Elétrica e Eletrônica
http://www.abinee.org.br/informac/arquivos/relatods.pdf
A ABINEE construiu um guia no qual apresenta as prioridades
do setor alinhadas ao ODS e aos Pactos Globais.
Na página não há qualquer indício de que haja monitoramento
de implementação e indicadores por parte dos associados.
Para verificar associadas pelas áreas de atuação
http://www.abinee.org.br/abinee/associa/
1.6 Ações ODS de empresa em setor de eletroeletrônico
WEG
https://api.mziq.com/mzfilema
nager/v2/d/50c1bd3e-8ac6-
42d9-884f-
b9d69f690602/49c4b698-
8a5c-2213-9724-
63538f78f277?origin=1
1.6 Ações ODS de empresa em setor de eletroeletrônico
WEG
https://api.mziq.com/mzfilema
nager/v2/d/50c1bd3e-8ac6-
42d9-884f-
b9d69f690602/49c4b698-
8a5c-2213-9724-
63538f78f277?origin=1
1.6 Ações ODS de empresa em setor de eletroeletrônico
PHILLIPS
https://www.philips.com.br/a-
w/about/news/archive/standar
d/news/press/2016/20160920-
philips-71-united-nations-
general-assembly.html
1.6 Portais de Monitoramento | Ações ODS Manaus
IDSC Manaus
https://idsc-br.sdgindex.org/profiles/manaus-AM
1.6 Portais de Monitoramento | Relatórios Dinâmicos
http://rd.portalods.com.br/gere-seu-relatorio
1.7 Responsabilidade Empresarial e ESG
Debates em torno da responsabilidade social das empresas
ocorrem desde o início da Era Moderna, mas só recentemente, a
partir da década de 1970, passaram a ter destaque, quando a
sociedade passou a cobrar uma posição social das empresas
O volume e a intensidade dessas ações, que vão desde o
cumprimento da legislação até o investimento em grandes
projetos sociais, trouxeram um novo conceito a ser considerado
na gestão: Responsabilidade Social Empresarial.
. É inegável a importância da responsabilidade social na
atualidade, tanto que existe um verdadeiro movimento mundial
em torno do tema. Prova disso são as inúmeras iniciativas
promovidas por empresas, entidades empresariais, instituições
de ensino, governos, ONGs e órgãos vinculados à ONU.
• Metas do Milênio e seus desdobramentos
• Pactos Globais:
o Princípios de Direitos Humanos;
o Princípios de Direitos do Trabalho;
o Princípios de Proteção Ambiental;
o Princípios contra a Corrupção.
10 Princípios do Pacto Global
Pacto Global | ESG
https://www.pactoglobal.org.br/pg/esg
Direitos Humanos Trabalho Ambiente Anticorrupção
1.7 Responsabilidade Empresarial e ESG
Responsabilidade Social Empresarial ou Responsabilidade
Social Corporativa
Promove um comportamento empresarial que integra
elementos sociais e ambientais que não necessariamente estão
contidos na legislação mas que atendem às expectativas da
sociedade em relação à empresa.
São estratégias pensadas para orientar as ações das empresas
em consonância com as necessidades sociais, de modo que a
empresa garanta, além do lucro e da satisfação de seus clientes,
o bem estar da sociedade.
A empresa está inserida nela e seus negócios dependerão de
seu desenvolvimento e, portanto, esse envolvimento deverá ser
duradouro. É um comprometimento. DIAS, 2006
1.7 Responsabilidade Empresarial e ESG
O termo ESG é a sigla em inglês para “Environmental, Social &
Governance”, que, traduzido para o português, significa
Ambiental, Social e Governança (ASG).
A sigla apareceu pela primeira vez em dezembro de 2004 no
relatório “Who Cares Wins” (quem se importa ganha)
desenvolvido pelo Departamento Suíço de Assuntos Exteriores
em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU).
A expressão, geralmente, é usada para medir as práticas
ambientais, sociais e de governança de uma empresa.
• Maximizar retorno
• Minimizar riscos
• Medir impactos
1.7 Responsabilidade Empresarial e ESG
Para um empresa, geralmente, se enxergar classificada dentro da sigla ESG, são estipuladas ações, regras, procedimentos,
que serão sistematicamente medidos por meio de indicadores de desempenho (KPI – kay performance indicator)
https://xpeedschool.com.br/blog/esg-o-que-e-e-por-que-e-importante-cumpri-lo/
https://ideiagov.sp.gov.br/esg-inovacao-e-tecnologia-uma-reflexao-de-impacto/
https://ideiagov.sp.gov.br/cinco-startups-brasileiras-sa%CC%83o-selecionadas-para-se-apresentar-na-cop26-em-glasgow/
https://fundacaotelefonicavivo.org.br/noticias/o-que-e-esg-e-por-que-o-conceito-se-tornou-tao-importante-para-os-negocios/
• Combate às emissões de gases de efeito
estufa (CO2, gás metano);
• Ações para o combate às mudanças do
clima;
• Ações para eficiência (energética, água,
recursos naturais – renováveis e não
renováveis)
• Combate à poluição (água, ar, solo);
• Combate à geração de lixo;
• Gestão de resíduos e efluentes;
• Proteção da biodiversidade;
• Inovação para a o ecodesign e produção
compatível com as demandas
ambientais.
• Respeito aos direitos humanos e à livre associação;
• Equidade social, política e igualdade de oportunidades;
• Adoção de práticas de inclusão, de acessibilidade e de
respeito à diversidade;
• Respeito à privacidade e à proteção de dados;
• Condições e relações de trabalho éticas, com
renumeração justas, isentas de trabalho inapropriado,
forçado ou escravo;
• Combate ao trabalho infantil;
• Engajamento dos funcionários e treinamento da força
de trabalho;
• Relações éticas e justas com as comunidades locais,
tradicionais, inclusive indígenas;
• Promoção de praticas de saúde e segurança;
• Capacidade de mediar e garantir soluções de conflitos
de forma ética e justa.
• Produção, produtos e consumo, responsáveis.
• Política de remuneração adequada à
executivos e alta administração;
• Ações para coibir práticas de corrupção,
propina, recebimento de vantagens e uso
de influência;
• Garantia de independência dos conselho
e conselheiros das instituições e comitês
de auditoria, fiscal, ética e transparência;
• Diversidade na composição do conselho e
comitês;
• Estabelecimento de política de doações e
lobby
• Conformidade com leis, regulamentos,
requisitos técnicos, normas e
procedimentos;
• Adoção de práticas de transparência de
gestão, emissão de relatórios públicos e
auditáveis;
AMBIENTAL
SOCIAL GOVERNANÇA
1.7 Responsabilidade Empresarial e ESG
ESG MANAGEMENT | 総合ITソリュー
ションのセラク (seraku.co.jp)
Integração entre ODS e
ESG
- Direcionamento dos
programas e objetivos
da empresa;
- Compatibilização das
metas com base nos
acordos
internacionais
- Monitoramento
integrado
Integrando o pilar Ambiente (da matriz ESG) com
o ODS, a empresa comunica que adota princípios
para:
- Redução da desigualdade (ver
https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/10)
- Tornar a cidade em que se localiza mais
inclusivas, segura, resiliente e sustentável (ver
https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/11)
- Contribuir para proteger, recuperar e
promover o uso sustentável dos ecossistemas
terrestres gerir de forma sustentável as
florestas, combater a desertificação, deter e
reverter a degradação da terra e deter a
perda de biodiversidade (ver
https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/15)
IMPORTANTE: é necessário verificar nas
metas contidas em cada ODS, quais se
relacionam melhor com a abordagem do
negócio.
Atividade
relacionada ao
MACROPROJETO
Atividade
O que: por grupos de macroprojeto, as
equipes deverão definir seu marco
conceitual para aplicação ODS+ASG
Cenário: criação de um negócio (startup) dos
seguintes ramos – energia, eletroeletrônico,
tecnologia, tecnologia social.
Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
PARA SABER MAIS
TECNOLOGIA SOCIAL
http://itsbrasil.org.br/conheca/tecno
logia-social/
4 Pilares da TS
https://antigo.mctic.gov.br/mctic/op
encms/ciencia/politica_nacional/_so
cial/Tecnologia_Social.html
Atividade
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
1. Qual é o problema que iremos resolver?
2. Qual será a abordagem do negócio? Será físico ou digital, ambos?
3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável?
4. Crie a relação existente entre os ODS e ESG do seu negócio
EXEMPLO FICTÍCIO
Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
Atividade
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
1. Qual é o problema que iremos resolver?
um mapa mental para listar todas as variáveis do problema?
• Quais são os problemas que mapeamos?
• Quais são as variáveis desses problemas?
• Sabemos quais são todas demandas e tipos dos chamados lixo eletrônico/e-lixo/e-waste?
• Temos
• Podemos definir uma abordagem objetiva, clara e específica do problema? Se sim,
escreva o problema a ser solucionado
IMPORTANTE: um problema é sempre uma pergunta. Exemplos:
- Como melhorar e eficiência do uso de recursos naturais para redução da geração de resíduos?
(pode-se atuar no produto e/ou processo)
- De que maneira pode-se diminuir o impacto de geração de resíduos nos órgãos públicos em
Manaus?
(pode-se atuar nos processos para diminuir a pegada direta e indireta do cliente)
- Quais são as soluções de descarte residencial eficiente na comunidade do igarapé do 40?
pode-se atuar junto a comunidade para criação de uma tecnologia social)
Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
PARA SABER MAIS
E-LIXO
Vem com a gente descobrir o
que é e-lixo, e porque vale a
pena descartá-lo
corretamente. | Greenk
E-LXO CONTAMINANTE
A bioquímica da
contaminação por metais: E-
Waste e metais pesados
(bioquimicametalica.blogspot
.com)
CATEGORIAS DO E-LIXO
O Lixo eletrônico e seu
destino
MAPA MENTAL ON-LINE
EdrawMind: Online Mind
Mapping & Brainstorming
Software
Atividade
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
2. Qual será a abordagem do negócio? Será físico ou digital? Híbrido?
• Fabricaremos um produto ( atuar para melhoria de um produto existente ou a ser criado e seus processos)
• Ofereceremos um serviço (atuar para melhoria de processos de outros negócios)
• Soluções para o planeta e para tornar as cidades inteligentes (atuar sob demanda de governos e instituições para
geração de soluções de alcance amplo mediadas por práticas e tecnologias já consolidadas ou desenvolvidas para
entendimento das necessidades específicas)
• Auxiliaremos comunidades e instituições não-governamentais (atuar para o desenvolvimentos de soluções contextuais
focadas nas realidades e demandas específicas desses públicos
Se você já conseguir definir esses pontos:
- Crie um nome pro negócio
- Defina a atuação da empresa com os aspectos abaixo...
Exemplos:
- XPTO – Soluções para uma biosfera mais limpa.
- “Atuamos na/no/para/em conjunto ....” , “Nossos valores são...”,“Nos comprometemos com ...”
Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
Atividade
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável?
• Como o negócio se relaciona com seu ecossistema
(quem são os parceiros do negócio – governos, fornecedores, investidores, sociedade, outras empresas,
comunidades, ONG, cooperativas ambiente etc)
• Como aumentaremos os impactos positivos do negócio?
• Como minimizaremos os impactos negativos do negócio?
• Quais são nossos ODS estruturantes?
Se você já conseguir definir esses pontos:
- Defina os ODS
Exemplos:
Ao final do exemplo demonstrado.
Escolha o ODS e descreva o objetivo e a meta de cada ods selecionado.
OBS.: nunca é apenas um ODS e mais 5 como os estruturantes do negócio, talvez não seja necessário.
Façam as escolhas mais interessantes.
Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
Atividade
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
4. Relacione para o negócio os OSD selecionados com os fundamentos de ESG
• Quais são os ODS no qual atuamos relacionados ao pilar Ambiente?
• Quais são os ODS no qual atuamos relacionados ao pilar Social?
• Quais são os ODS no qual atuamos relacionados ao pilar Governança?
Se você já conseguir definir esses pontos:
- Crie uma matriz, esquema ou infográfico que identifique essa interação.
Exemplos:
- Ao final do exemplo demonstrado.
Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
EXEMPLO
desenvolvimento
EXEMPLO
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
1. Qual é o problema que iremos resolver?
Fatores relacionados ao problema:
 Manaus é uma cidade que possui poucas lixeiras públicas no centro da cidade.
 A geração de resíduos urbanos em Manaus tem o volume de X% .
 Pedestres no centro da cidade têm dificuldade de encontrar lixeiras.
 É possível encontrar muitos resíduos de pequeno porte jogados nas ruas do centro da cidade. O acúmulo
desses resíduos menores podem causar transtorno de entupimento das galerias pluviais.
 O uso de lixeiras no centro da cidade apresentam algumas características: podem ser facilmente
vandalizadas
 Os coletores tem problemas relacionados à abertura e à colocação do resíduo.
 Considerando o sistema de coleta que é realizado a cada 24h, a capacidade de coleta não supre a
necessidade efetiva de deposição de resíduos por parte do uso dos pedestres/lojistas.
 O sistema de coleta de resíduos do centro não é seletivo.
Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a
intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade.
EXEMPLO
Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a
intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade.
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
1. Qual é o problema que iremos resolver?
Mapa mental das variáveis do problema:
Análise: acredita-se que as variáveis que mais podem interferir para a
geração do problema são as “pessoas” e os “tipos de resíduos” que se
inserem no contexto avaliado. Os fatores pressa (não tenho tempo de
procurar uma lixeira), falta de atenção e cuidado com aquilo que é
público representam pontos críticos desse problema, pois relacionasse
diretamente com os tipos de resíduos encontrados em maior quantidade
depositado nas ruas, ao invés de terem sido colocados nos coletores.
EXEMPLO
Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a
intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade.
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
1. Qual é o problema que iremos resolver?
Direcionamentos possíveis do problema:
 Como é possível aumentar o engajamento dos pedestres para deposição correta de resíduos de pequeno porte nas vias
de Manaus?
 De que maneira seria possível diminuir o volume de resíduos que deixam de ser coletados e segregados de forma correta
durante o período de 24 horas no centro de Manaus?
 Como melhorar a percepção de limpeza durante o horário de maior fluxo, nas ruas do centro de Manaus?
 Quais estratégias podem ser utilizadas para diminuir o impacto de resíduos de pequeno porte “encontrados” nas ruas do
centro de Manaus e são levados pelas chuvas para próximos de bueiros e galerias pluviais?
Definição do problema:
De que maneira seria possível diminuir o volume de resíduos que deixam de ser coletados e segregados de forma correta
durante o período de 24 horas no centro de Manaus?
EXEMPLO
Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a
intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade.
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
2. Qual será a abordagem do negócio? Será físico ou digital? Híbrido?
Identidade e Missão do negócio
Central da Limpeza - Soluções para cidades mais limpas.
Missão
“Atuamos em conjunto com os governos municipais e com a sociedade civil para promover
criar soluções e realizar ações que tornem centros urbanos, modelos de coleta, deposição
e tratamento com o resíduo gerado pelos pedestres e lojistas daquela área de acordo com
as políticas de Lixo Zero (Zero Waste – Interncional Alliance).
PARA SABER MAIS
Zero Waste International
Alliance – Creating a
World Without Waste
(zwia.org)
https://ilzb.org/conceito-
lixo-zero/
DICA: utilize sua definição para definir os ODS estruturantes do negócio
EXEMPLO
Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a
intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade.
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
2. Qual será a abordagem do negócio? Será físico ou digital? Híbrido?
Nossos valores são:
 Incentivo aos valores e direitos humanos;
 Incentivo e respeito à inclusão, ao trabalho digno, 100% isento
de discriminação, forçado, compulsório trabalho infantil;
 Compromisso com a empregabilidade e com a geração de renda;
 Atenção às demandas de um ambiente urbano integrado e
harmonioso com a natureza;
 Compromisso com a responsabilidade e desafios ambientais, e
inserção, desenvolvimento e difusão de tecnologias
ambientalmenteamigáveis e com a tecnologia social.
 Compromisso de combate à corrupção, imparcialidade nas
políticas e práticas de governança e transparência 100% e
emissão de relatórios públicos auditáveis. (podem ser usados no
item 3)
PARA SABER MAIS
https://www.pactoglobal.org.br/10-principios
TECNOLOGIAS SOCIAIS
https://prezi.com/stfgzmuaffyu/tecnologia-social/
https://transforma.fbb.org.br/
Nossas operações estão comprometidas com:
 Saúde, Higiene e Limpeza pública, Coleta Seletiva participativa e
organizada e Economia circular;
 Atendimento, colaboração e satisfação de nossos Stakeholders –
governos e órgãos públicos, comunidade de entorno, sociedadecivil
organizada, sócios, fornecedores, parceiros de negócio, ONGs, e nosso
cliente principal, o ambiente. (relacionado ao item 3)
 Equidade, inclusão, igualdade de gênero e incentivo à diversidade;
 Educaçãoambiental principalmente as crianças, jovens, e
conscientização ambiental coletiva do público adulto.
 Geração de lucro social, econômico e ambiental para a garantia de
sustentabilidadedo negócio e geração de impactos positivos para o
planeta, seus biomas e sua sociedade.
OBSERVAÇÃO: Valores e comprometimentos estão pautados nos pilares do DS e diretrizes de ASG
DICA: utilize suas definições para definir os ODS estruturantes do negócio
Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
 (A) Criar soluções de infraestrutura, parques de recuperação de recursos e mobiliário urbano eficientes, inteligentes para
coleta, seleção, higienização e segregação de lixo urbano e lixo orgânico; (Ambiental) (9,11,12)
 (B) Fortalecer ações de cooperativas de coletas seletivas em centros urbanos, incentivando a geração de trabalho e renda e
iniciativas da economia circular; (Ambiental/Social) (1,8,10,12)
 (C) Utilizar técnicas de Produção + Limpa e tecnologias ecofriendly para empregar e/ou gerar soluções compatíveis com a
sustentabilidade, com o consumo responsável e com o desenvolvimento sustentável; (Ambiental) (6,9,11,12)
 (D) Garantir que a operação do negócio esteja alinhada contra o desperdício e poluição dos recursos naturais, principalmente
com o desperdício de água, poluição de cursos de água no ambiente urbano; (Ambiental) (6,11,12,13)
 (E) Promover ações de educação ambiental, economia circular e consumo consciente junto aos pedestres, pessoas em
situação de rua, pessoas em situação de rua, moradores das áreas de atuação do negócio e seus projetos. (Ambiental)
(1,10,11,12)
 (F) Sempre que possível, priorizar soluções e ações que visem diminuir a pegada ambiental do negócio, com o uso de recursos
naturais e combustíveis fósseis e energia não renovável. (Ambiental) (6,7,12)
 (G) Promover e implementar parcerias público-privadas, com outras empresas, com a sociedade civil, com instituições, com a
comunidade para potencializar projetos de combate a erradicação da pobreza e que incentivem desenvolvimento sustentável.
(Governança) (10,11,12,16,17)
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável?
Nosso públicos de interesse (stakeholders): governos e órgãos públicos, ambiente, pedestres do centro da cidade de Manaus,
lojistas, entidades, moradores em situação de rua, comunidade de entorno, sociedade civil organizada, sócios, fornecedores,
parceiros de negócio, ONGs.
(onde/como o negócio atua para) Ampliar impactos positivos:
EXEMPLO
Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a
intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade.
DICA: utilize suas
definições para definir
as matriz de interseção
entre ODS e ASG
Etapa 1: definir os
impactos; Etapa 2:
definir a relação ASG
3. Relacionar os ODS
compatíveis com as
ações
Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
(onde/como podemos atuar para) Minimizar impactos negativos:
 (H) Diminuir a demanda de resíduos coletados pelos serviços de limpeza pública em áreas urbanas, que são destinados
para lixões e para incineração; (Ambiental) (11,12)
 (I) Reduzir o impacto ambiental e poluição gerados pelo descarte incorreto de resíduos nos centros urbanos,
principalmente gerados por pedestres, e oriundos de veículos em circulação; (Ambiental) (3,11,12)
 (J) Combater a desigualdade, as diferenças e a discriminação de gênero, social, econômica, religiosa, étnica ou outras nos
processos internos e na relação com os públicos de interesse do negócio; (Social) (1,8,10,17)
 (K) Agir para diminuir as diferenças e a extrema pobreza em todas as suas dimensões, integrando às soluções e ações do
negócio pessoas em situação de vulnerabilidade social, econômica, higiênica, vulnerabilidade destes a eventos extremos
relacionados com o clima e outros choques e desastres econômicos, sociais e ambientais; (Social) (1,8,10,11,12,16,17)
 (L) Firmar o compromisso de politica de tolerância zero para geração de resíduo interno na produção e reprodução de
documentos, utilização de materiais descartáveis e materiais para uso externo como panfletos, cartazes e outras mídias
que gerem resíduos de baixo reaproveitamento, reutilização ou reciclagem. (Ambiental) (1,8,10,11,12,16,17)
 (M) Coibir no desenvolvimento e execução dos projetos e ações, práticas abusivas, ilegais, desrespeitosas, intolerantes,
que comprometam aspectos da saúde e segurança dos colaboradores, do relacionamento com as partes interessadas,
internas e externas. (Governança) (6,10,16,17)
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável?
Nosso públicos de interesse (stakeholders): governos e órgãos públicos, ambiente, pedestres do centro da cidade de Manaus,
lojistas, entidades, moradores em situação de rua, comunidade de entorno, sociedade civil organizada, sócios, fornecedores,
parceiros de negócio, ONGs.
EXEMPLO
Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a
intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade.
DICA: utilize suas
definições para
definir as matriz
de interseção
entre ODS e ASG
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável?
ODS Estruturantes
Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
EXEMPLO
Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a
intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade.
Objetivo 11. Tornar as cidades e os
assentamentos humanos inclusivos, seguros,
resilientes e sustentáveis
11.6 Até 2030, reduzir o impacto ambiental
negativo per capita das cidades, inclusive
prestando especial atenção à qualidade do ar,
gestão de resíduos municipais e outros
11.a Apoiar relações econômicas, sociais e
ambientais positivas entre áreas urbanas,
periurbanas e rurais, reforçando o planejamento
nacional e regional de desenvolvimento
Objetivo 12. Assegurar padrões de produção e de consumo
sustentáveis
12.2 Até 2030, alcançar a gestão sustentável e o uso eficiente
dos recursos naturais
5.Até 2030, reduzir substancialmente a geração de resíduos
por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso
6.Incentivar as empresas, especialmente as empresas
grandes e transnacionais, a adotar práticas sustentáveis e a
integrar informações de sustentabilidade em seu ciclo de
relatórios
12.8 Até 2030, garantir que as pessoas, em todos os lugares,
tenham informação relevante e conscientização para o
desenvolvimento sustentável e estilos de vida em harmonia
com a natureza
PARA SABER MAIS
https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/12
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável?
ODS Estruturantes
Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
EXEMPLO
Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a
intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade.
Objetivo 3. Assegurar uma vida saudável
e promover o bem-estar para todas e
todos, em todas as idades
3.9 Até 2030, reduzir substancialmente o
número de mortes e doenças por
produtos químicos perigosos,
contaminação e poluição do ar e água do
solo
PARA SABER MAIS
https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/12
Objetivo 10. Reduzir a desigualdade dentro dos países e
entre eles
2.Até 2030, empoderar e promover a inclusão social,
econômica e política de todos, independentemente da
idade, gênero, deficiência, raça, etnia, origem, religião,
condição econômica ou outra
3.Garantir a igualdade de oportunidades e reduzir as
desigualdades de resultados, inclusive por meio da
eliminação de leis, políticas e práticas discriminatórias e da
promoção de legislação, políticas e ações adequadas a este
respeito
4.Adotar políticas, especialmente fiscal, salarial e de
proteção social, e alcançar progressivamente uma maior
igualdade
ROTEIRO DE EXECUÇÃO
4. Relacione para o negócio os OSD selecionados com os fundamentos de ESG
Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
EXEMPLO
Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a
intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade.
Ambiental • 6,11,12,13
Social • 1,5,3,8,9,10
Governança • 16, 17
ODS Complementares Torne a apresentação mais agradável!
Meu exemplo (de uma página apenas) foi feito com
PREZI, que possui elementos interessantes e pode ser
criada uma conta para equipe colaborar em conjunto na
mesma apresentação.
Outra possibilidade colaborativa é o GOOGLE SHEETS
(o que usamos on-line para os problemas ambientais)
Se achar que pode ter problema de conexão,
Faça o print da tela cheia e traga pro PPT.
EXEMPLO
melhorias de apresentação
AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx
AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx
AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx
AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx
AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx
AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx
AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx
AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx
AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx
AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx

Poluição do ar visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de caso
Poluição do ar   visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de casoPoluição do ar   visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de caso
Poluição do ar visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de casoLuiz Neto Aguiar
 
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambienteA evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambienteDireitoCivilContemporaneo
 
Educação Ambiental 7º ano
Educação Ambiental 7º anoEducação Ambiental 7º ano
Educação Ambiental 7º anoAna Nunes
 
Desenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento SustentavelDesenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento SustentavelUniversal.org.mx
 
Aula bio geo 27 10-2012
Aula bio geo 27 10-2012Aula bio geo 27 10-2012
Aula bio geo 27 10-2012flaviohpps
 
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf  Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf Israel serique
 
Declaração de estocolmo - TRAB. ACADÊMICO
Declaração de estocolmo - TRAB. ACADÊMICODeclaração de estocolmo - TRAB. ACADÊMICO
Declaração de estocolmo - TRAB. ACADÊMICOLarissa Chianca
 
O cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaO cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaLuciana Lisboa
 
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...Rogério Bartilotti
 
Problemas ambientais
Problemas ambientaisProblemas ambientais
Problemas ambientaisDiana Louro
 
Questões sobre dilemas ambientais do mundo atual
Questões sobre dilemas ambientais do mundo atualQuestões sobre dilemas ambientais do mundo atual
Questões sobre dilemas ambientais do mundo atualtelmamedeiros2010
 
9º ano B - Impactos ambientais da industrialização
9º ano B - Impactos ambientais da industrialização9º ano B - Impactos ambientais da industrialização
9º ano B - Impactos ambientais da industrializaçãoartedasustentabilidade
 
Meio ambiente e poluição
Meio ambiente e poluição Meio ambiente e poluição
Meio ambiente e poluição luz_19
 
Problemas ambientais 4º bimestre
Problemas ambientais 4º bimestreProblemas ambientais 4º bimestre
Problemas ambientais 4º bimestreDébora Sales
 
A questão ambiental - principais efeitos
A questão ambiental - principais efeitosA questão ambiental - principais efeitos
A questão ambiental - principais efeitosArtur Lara
 

Semelhante a AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx (20)

Questão Ambiental
Questão AmbientalQuestão Ambiental
Questão Ambiental
 
Poluição do ar visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de caso
Poluição do ar   visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de casoPoluição do ar   visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de caso
Poluição do ar visão geral, alguns causadores, doenças e estudos de caso
 
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambienteA evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
A evolução da legislação ambiental brasileira e a proteção do meio ambiente
 
Quimica ambiental
Quimica ambientalQuimica ambiental
Quimica ambiental
 
Educação Ambiental 7º ano
Educação Ambiental 7º anoEducação Ambiental 7º ano
Educação Ambiental 7º ano
 
Desenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento SustentavelDesenvolvimento Sustentavel
Desenvolvimento Sustentavel
 
Aula bio geo 27 10-2012
Aula bio geo 27 10-2012Aula bio geo 27 10-2012
Aula bio geo 27 10-2012
 
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf  Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
Resumo 2º bimestre Educação e meio ambiente pdf
 
Declaração de estocolmo - TRAB. ACADÊMICO
Declaração de estocolmo - TRAB. ACADÊMICODeclaração de estocolmo - TRAB. ACADÊMICO
Declaração de estocolmo - TRAB. ACADÊMICO
 
O cristão e a ecologia
O cristão e a ecologiaO cristão e a ecologia
O cristão e a ecologia
 
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
 
Problemas ambientais
Problemas ambientaisProblemas ambientais
Problemas ambientais
 
Questões sobre dilemas ambientais do mundo atual
Questões sobre dilemas ambientais do mundo atualQuestões sobre dilemas ambientais do mundo atual
Questões sobre dilemas ambientais do mundo atual
 
Introdução aula 5
Introdução   aula 5Introdução   aula 5
Introdução aula 5
 
9º ano B - Impactos ambientais da industrialização
9º ano B - Impactos ambientais da industrialização9º ano B - Impactos ambientais da industrialização
9º ano B - Impactos ambientais da industrialização
 
Meio ambiente e poluição
Meio ambiente e poluição Meio ambiente e poluição
Meio ambiente e poluição
 
Problemas ambientais 4º bimestre
Problemas ambientais 4º bimestreProblemas ambientais 4º bimestre
Problemas ambientais 4º bimestre
 
Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)
Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)
Planeta.em.perigo (guardado automaticamente)
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
A questão ambiental - principais efeitos
A questão ambiental - principais efeitosA questão ambiental - principais efeitos
A questão ambiental - principais efeitos
 

Último

Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdfReservadaBiosferadaM
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfHELLEN CRISTINA
 
avaliação pratica .pdf
avaliação pratica                      .pdfavaliação pratica                      .pdf
avaliação pratica .pdfHELLEN CRISTINA
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ReservadaBiosferadaM
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPReservadaBiosferadaM
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxReservadaBiosferadaM
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfHELLEN CRISTINA
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptxReservadaBiosferadaM
 
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...atendimento93
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfReservadaBiosferadaM
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxReservadaBiosferadaM
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAReservadaBiosferadaM
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfReservadaBiosferadaM
 
poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024LorenaRocha85
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfrisene8298
 

Último (15)

Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
avaliação pratica .pdf
avaliação pratica                      .pdfavaliação pratica                      .pdf
avaliação pratica .pdf
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
 
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
 
poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 

AULA 1-2-3-4_2022-2_autalizado2.pptx

  • 2. Unidade 1 OA1. Descrever o percurso histórico da degradação ambiental até às condições associadas aos problemas ambientais modernos e o impacto disso para as atividades de engenharia. TE1. Poluição e atividades humanas 1. Tomada de consciência sobre o problema ambiental. 2. A evolução histórica da questão ambiental. 3. O desenvolvimento sustentável como paradigma 4. Modelo DS, Modelo ODS, Modelo ESG.
  • 3.
  • 4. Unidade 2 OA2. Interpretar as alterações nos ecossistemas e ciclos biogeoquímicos, fontes de poluição e impactos ambientais decorrentes da ação antrópica cotidiana e industrial. TE2. Princípios de Ecologia 1. Noções Gerais de Ecologia; Ações Naturais e Antrópicas sobre o Meio Ambiente; Recursos Naturais. Bens e Serviços Ambientais. 2. Ecossistemas: Tipos; Principais Ecossistemas Terrestres; Fontes de Energia; Ciclos Biogeoquímicos, Gasosos e Sedimentares. 3. Fontes de Poluição e Impacto sobre ambiente.
  • 5.
  • 6. OA3. Identificar requisitos exigidos na legislação vigente para a validação ambiental de um projeto de engenharia alinhado à PNRS e os modelos de gestão ambiental mais utilizados. TE3. Programas de Gestão Ambiental e Legislação 1. Legislação Ambiental no Brasil (Política Nacional de Resíduos sólidos - PNRS) 2. Selos, Modelos de programas Ambientais 3. Sistemas de Qualidade e Gestão Ambiental 4. (5S, ISO, ACV, P+L)
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. OA4. Relacionar quais técnicas e ferramentas auxiliam os sistemas de produção e gestão ambiental a adotarem tecnologias mais limpas e eco eficientes visando a diminuição do impacto ambiental na execução dos projetos de engenharia. TE4. Produção Mais Limpa e ecoeficiência 1. Definição e características de ecoeficiência 2. Ciclo de Vida processo-produto 3. Conceito, características e aplicação da P+L
  • 12.
  • 13.
  • 14. Unidade 1 OA1. Descrever o percurso histórico da degradação ambiental até às condições associadas aos problemas ambientais modernos e o impacto disso para as atividades de engenharia. TE1. Poluição e atividades humanas 1. Tomada de consciência sobre o problema ambiental. 2. A evolução histórica da questão ambiental. 3. O desenvolvimento sustentável como paradigma 4. Modelo DS, Modelo ODS, Modelo ESG.
  • 15. 1.1 O homem e a natureza pré histórica Capacidade de adaptação só foi possível porque o homem sempre criou no seu entorno um meio ambiente próprio, diferente do meio circundante – natural – que denominamos cultural. A construção pelos seres humanos de um espaço próprio de vivência, diferente do natural, se deu sempre à revelia e com a modificação do ambiente natural.
  • 16. 1.1 O homem e a natureza pré histórica •Atividade que interfere na natureza de modo a transformá-la para melhor satisfazer a suas necessidades, denominamos trabalho. •A capacidade de trabalho do homem aumenta, ou, dito de outro modo, a sua capacidade de intervir na natureza é ampliada e, consequentemente, crescem os impactos no ambiente natural produzidos pelo homem.
  • 17. Com o aumento da complexidade das sociedades, cresceu a necessidade de cooperação continuada de numerosas pessoas para um fim específico, de manutenção da qualidade de vida. Nesse momento, a melhoria da qualidade de vida se dava em detrimento do mundo natural, pois a concepção predominante era de luta do homem contra a natureza. 1.1 O homem e a natureza pré histórica
  • 18. Surge a agricultura - transformação da relação do homem com a natureza. A produção de alimentos ocupa mais espaços em detrimento do ambiente natural. Nesse estágio de crescimento acentuado da população humana, muitas espécies desapareceram gradativamente onde o homem construía em ritmo acelerado o seu próprio ambiente. No Oriente Médio, onde atualmente se encontra o Iraque, se registram as primeiras grandes aglomerações humanas e é onde ocorrem as primeiras grandes extinções de espécies animais. 1.2 A criação do ambiente cultural: o processo de urbanização
  • 19. 1.2 A criação do ambiente cultural: o processo de urbanização O império romano criou espaços urbanos em todo o Mediterrâneo. Foi a civilização que mais contribuiu para a diminuição da diversidade, principalmente de predadores naturais, que eram capturados para servir de atração nas arenas que existiam em inúmeras cidades, e principalmente no Coliseu de Roma.
  • 20.
  • 21. 1.2 A criação do ambiente cultural: o processo de urbanização O império romano criou espaços urbanos em todo o Mediterrâneo. Foi a civilização que mais contribuiu para a diminuição da diversidade, principalmente de predadores naturais, que eram capturados para servir de atração nas arenas que existiam em inúmeras cidades, e principalmente no Coliseu de Roma.
  • 22.
  • 23. 1.3 Industrialização e meio ambiente No século XVIII, ocorreu outra grande transformação na capacidade produtiva humana. Revolução Científico- Tecnológica, a segunda, que também é conhecida como Revolução Industrial. Inglaterra.
  • 24. 1.3 Industrialização e meio ambiente
  • 25. A Revolução Industrial: crescimento econômico e abriu as perspectivas de maior geração de riqueza, prosperidade e melhor qualidade de vida. crescimento econômico desordenado Uso grandes quantidades de energia e de recursos naturais. Configurar um quadro de degradação contínua do meio ambiente. 1.3 Industrialização e meio ambiente
  • 26. Problemas que surgiram: •alta concentração populacional, devido à urbanização acelerada; •consumo excessivo de recursos naturais, sendo que alguns não renováveis (petróleo e carvão mineral, por exemplo); •contaminação do ar,do solo, das águas; •e desflorestamento, entre outros. 1.3 Industrialização e meio ambiente
  • 27. Por volta de 1850, havia mais cidadãos britânicos mais gentes nas cidades do que no campo 1/3 população total em cidades com mais de 50.000 habitantes. As cidades: cobertas de fumaça e impregnadas de imundície, os serviços públicos básicos não acompanhavam a demanda – abastecimento de água, esgotos sanitários, espaços abertos etc. Depois de 1830, epidemias de cólera, febre tifoide e o pagamento assustador de tributo constante aos dois grandes grupos de assassinos urbanos do século XIX – a poluição do ar e das águas, ou doenças respiratórias e intestinais”. 1.3 Industrialização e meio ambiente
  • 28. Os processos de industrialização concebidos de forma irracional gerou um grave problema ambiental O desmatamento intensivo para criar novas áreas agrícolas e produzir o carvão vegetal provocou o desaparecimento da maior parte da cobertura florestal da Europa no século XIX e início do século XX. Nas duas últimas décadas do século XX foram empregados mais recursos naturais na produção de bens que em toda a história anterior da humanidade. 1.3 Industrialização e meio ambiente
  • 29. •Destinação dos resíduos de qualquer tipo (sólido, líquido ou gasoso) como sobras do processo produtivo •Grandes acidentes industriais e a contaminação resultante deles que acabaram chamando a atenção da opinião pública para a gravidade do problema. 1.3 Industrialização e meio ambiente
  • 30. Uma análise recente sobre as mudanças climáticas revelou que apenas 90 empresas são responsáveis por 63% de todas as emissões de gases de efeito estufa desde 1854, o início da Revolução Industrial. As empresas vão desde corporações privadas como BP e Exxon até empresas estatais. 83 das 90 empresas são empresas de energia baseadas em petróleo, gás e carvão, com as 7 empresas restantes sendo fabricantes de cimento. As informações da análise das mudanças climáticas vêm de registros públicos e dados do Centro de Informação e Análise de Dióxido de Carbono do Departamento de Energia dos EUA. 1.4 A contaminação industrial Mudanças climáticas causadas por 90 empresas desde a Revolução Industrial | Maravilhas (wondergressive.com)
  • 31. Revolução Industrial deixou uma marca psicológica prejudicial nas populações de hoje - Neuroscience News Fonte: Fred Lewsey - Universidade de Cambridge Editor: Organizado por NeuroscienceNews.com. Fonte da imagem: NeuroscienceNews.com imagem é adaptada do comunicado de imprensa da Universidade de Cambridge. Pesquisa Original: Abstrair para "Na Sombra do Carvão: Como as Indústrias de Grande Escala contribuíram para as diferenças regionais atuais na personalidade e no bem-estar" de Obschonka, Martin, Stuetzer, Michael, Rentfrow, Peter J., Shaw-Taylor, Leigh, Satchell, Max, Silbereisen, Rainer K., Potter, Jeff e Gosling, Samuel D. em Journalof Personality andSocialPsychology. Publicado online em 20 de novembro de 2017 doi:10.1037/pspp0000175 Revolução Industrial deixou uma marca psicológica prejudicial nas populações de hoje Pessoas em áreas historicamente dependentes de indústrias baseadas em carvão têm traços de personalidade mais "negativos". Psicólogos sugerem que esse dado cognitivo pode muito bem ter sido lançado no início da era industrial.
  • 32. Na segunda metade do século XX, com a intensificação do crescimento econômico mundial, os problemas ambientais se agravaram e começaram a aparecer com maior visibilidade para amplos setores da população, particularmente dos países desenvolvidos, os primeiros a serem afetados pelos impactos provocados pela Revolução Industrial.
  • 33. Problemas ambientais tornaram- se assunto global e pela sua visibilidade e facilidade de compreensão quanto a causa e efeito constituíram-se na principal ferramenta de construção de uma conscientização dos problemas causados pela má gestão. Catrastrofes Naturais - eventos sem a interveniência direta do homem. Desastres Ambientais – provocados pelas ações humanas
  • 34. 1947 Navio carregado de nitrato de amônia explode no Texas, causando mais de 500 mortes e deixando 3.000 feridos.
  • 35. 1945 Bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki
  • 36. 50 anos do PNUMA - YouTube
  • 37.
  • 38. Atividade de Pesquisa I - Descrição da Atividade O que: Apresentar os principais marcos e problemas ambientais da história Quem: Duplas Quando: 11/03/2022 Como: As duplas escolherão em cada tema - , os assuntos: estudos e tradados e desastres ambientais (pg seguinte). Cada dupla deve apresentar por meio do power point (criado e enviado o link online) as informações pertinentes por no máximo 10 minutos (5 minutos por pessoa e por assunto). No máximo 6 slides por dupla – 3 em cada assunto. Tempo: 10 minutos (máx) – 5 minutos (mínimo) Link da apresentação https://docs.google.com/presentation/d/1AJjkM p3Q- vzCYB6ca9yGgFNujzIKR3oZ3iJZNPtKzmA/edit?us p=sharing]
  • 39. Tema: Estudos e Tratados 1. Primavera silenciosa (Jairo e Vanderson) 2. Clube de Roma (Haroldo e Mayara) 3. Criação PNUMA (Diego e Orleilson) 4. Protocolo de Montreal (Vanessa e Felipe) 5. Cúpula da Terra/ Agenda 21 (manuelly e wendel) 6. Conferência Estocolmo (Vinicius e Luciano) 7. Relatório Nosso Futuro Comum (odanir e francikely) 8. Cúpula/Objetivos do Milenio (Alessandro e Marcilene) 9. COP 15 (Bianca e Isac) 10. Protocolo de Kyoto (Handerson e Airton) 11. Década da restauração dos ecossistemas (Thayssa e Rosely) 12. COP 21 (Felipe/ Filipe) 13. Cúpula climática 2019 (Daniel e Caio) 14. Cupula para o Desenvolvimento sustentável 2015 (vania e Sandoval) 15. Rio +20 (Thalys e Gleidiane) 16. Protocolo de Cartagena + Convenção de Minamata (marcos) Tema: Desastres Ambientais 1. Bopal (Jairo e Vanderson) 2. “Love Canal” (Haroldo e Mayara) 3. Mariana (Diego e Orleilson) 4. Chenobyl (Vanessa e Felipe) 5. Mar de Aral (manuelly e wendel) 6. Golfo do México (Vinicius e Luciano) 7. Lixo pacífico norte (odanir e francikely) 8. Césio 137 – goiania (Alessandro e Marcilene) 9. Seveso (Bianca e Isac) 10. P-36 (Handerson e Airton) 11. Lixeira de Guyiu (Thayssa e Rosely) 12. Fukushima (Felipe/ Filipe) 13. Exxon Valdez (Daniel e Caio) 14. Cinzas de carvão Tenessee (vania e Sandoval) 15. Big Smoke – Londres (Thalys e Gleidiane) 16. Doença de Minamata (marcos) Atividade de Pesquisa I - Temas para estudo
  • 40. Marcos ambientais: Linha do tempo dos 75 anos da ONU | UNEP - UN Environment Programme https://www.estivalshoes.com/post/conhe%C3%A7a-os-5-maiores-acidentes-de-trabalho-da-historia 50 imagens impactantes dos maiores desastres ambientais causados pelo homem – Jetss Principais desastres ambientais no Brasil e no mundo | Unicamp Grandes marcos de acidentes ambientais, artigo de Roberto Naime (ecodebate.com.br) https://www.unicamp.br/unicamp/ju/noticias/2017/12/01/principais-desastres-ambientais-no-brasil-e-no-mundo https://infosustentavel.com.br/2020/10/25/75-anos-historia-veja-principais-marcos-onu-agenda-ambiental/ https://brasil.un.org/pt-br/91223-onu-e-o-meio-ambiente Atividade de Pesquisa I - links de consulta
  • 41. Até o ano de 1962, os problemas derivados da relação do homem com o meio ambiente foram abordados de forma muito superficial. Nesse ano, Rachel Carson publicou o livro Silent Spring (Primavera Silenciosa), 1 que teve enorme repercussão na opinião pública e que expunha os perigos de um inseticida, o DDT. Surgimento do Movimento ambientalista 1.4 A evolução histórica da questão ambiental.
  • 42.
  • 43. 1. No mês de abril de 1968, estiveram reunidas em Roma, Itália, pessoas de dez países, entre cientistas, educadores, industriais e funcionários públicos de diferentes instâncias de governo, com o objetivo de discutir os dilemas atuais e futuros do homem. Clube de Roma Suas finalidades eram promover o entendimento dos componentes variados, mas interdependentes – econômicos, políticos, naturais e sociais –, que formam o sistema global; chamar a atenção dos que são responsáveis por decisões de alto alcance, e do público do mundo inteiro, para aquele novo modo de entender e, assim, promover novas iniciativas e planos de ação. 1.4 A evolução histórica da questão ambiental.
  • 44. 3. A UNESCO promove em Paris, no mês de setembro de 1968, uma Conferência sobre a conservação e o uso racional dos recursos da biosfera que estabelece as bases para o lançamento, em 1971, do Programa Homem e a Biosfera (MAB). 1.4 A evolução histórica da questão ambiental.
  • 45. 2. A Assembleia das Nações Unidas, nesse ano de 1968, decide pela realização, em 1972, na cidade de Estocolmo, na Suécia, de uma Conferência Mundial sobre o Meio Ambiente Humano. 1.4 A evolução histórica da questão ambiental.
  • 46.
  • 47.
  • 48.
  • 49.
  • 50.
  • 51. 1.5 O Desenvolvimento Sustentável como Paradgma Na abrangência Político – Governamental • Desde 1968 • Criação do PNUMA – Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUMA) • Multilateralidade • Em 1983 a em Assembleia Geral cria-se a World Commission on Environiment and Development • Em 1987, a reunião da Organização das Nações Unidas (ONU) gerou o Relatório de Brundtland, Our Common Future. “[...] desenvolvimento sustentável como aquele que se estabelece em atender as necessidades da sociedade atual sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem suas próprias necessidades” (WCED, 1987)
  • 52. 1.5 O Desenvolvimento Sustentável como Paradgma
  • 53. 1.5 O Desenvolvimento Sustentável como Paradgma Abrangência Científica A Teoria das Dimensões da Sustentabilidade , de Ignacy Sachs Segundo Ignacy Sachs existem oito dimensões da sustentabilidade que devem ser levadas em conta: 1)Social: que se refere ao alcance de um patamar razoável de homogeneidade social, com distribuição de renda justa, emprego pleno e/ou autônomo com qualidade de vida decente e igualdade no acesso aos recursos e serviços sociais. 2)Cultural: referente a mudanças no interior da continuidade (equilíbrio entre respeito à tradição e inovação), capacidade de autonomia para elaboração de um projeto nacional integrado e endógeno (em oposição às cópias servis dos modelos alienígenas) e autoconfiança, combinada com abertura para o mundo.
  • 54. 1.5 O Desenvolvimento Sustentável como Paradgma 3)Ecológica: relacionada à preservação do potencial do capital natural na sua produção de recursos renováveis e à limitação do uso dos recursos não renováveis. 4)Ambiental: trata-se de respeitar e realçar a capacidade de autodepuração dos ecossistemas naturais. 5)Territorial: refere-se a configurações urbanas e rurais balanceadas (eliminação das inclinações urbanas nas alocações do investimento público), melhoria do ambiente urbano, superação das disparidades inter-regionais e estratégias de desenvolvimento ambientalmente seguras para áreas ecologicamente frágeis.
  • 55. 1.5 O Desenvolvimento Sustentável como Paradgma 6.Econômica: desenvolvimento econômico intersetorial equilibrado; com segurança alimentar; capacidade de modernização contínua dos instrumentos de produção, razoável nível de autonomia na pesquisa científica e tecnológica; inserção soberana na economia internacional. 7.Política (Nacional): democracia definida em termos de apropriação universal dos direitos humanos; desenvolvimento da capacidade do Estado para implementar o projeto nacional, em parceria com todos os empreendedores; um nível razoável de coesão social. 8.Política (Internacional): eficácia do sistema de prevenção de guerras da ONU, na garantia da paz e na promoção da cooperação internacional; Pacote Norte-Sul de codesenvolvimento, baseado no princípio da igualdade ; aplicação do Princípio da Precaução na gestão do meio ambiente e dos recursos naturais, prevenção das mudanças globais negativas, proteção da diversidade biológica (e cultural) etc.
  • 57. Embalagens cada vez mais finas e 100% recicláveis, a película é formada após a modelagem, pois recebe uma camada interna de verniz, que impede do líquido ter contato direto com o alumínio.
  • 58.
  • 59. O Grupo Lego vai investir 400 milhões de dólares em três anos para acelerar os esforços para a sustentabilidade incluindo: • Embalamento sustentável - Em 2015, o Grupo definiu a meta de até 2030 todos os seus produtos serem feitos de materiais sustentáveis. Vai expandir o seu uso de bio-tijolos, como os feitos de cana-de-açúcar, que atualmente representam 2% do portfolio • redução de emissões - Nenhum desperdício irá para aterros a partir de 2025 e o consumo de água vai descer 10% em 2022. • economia circular - um produto feito com materiais de qualidade que pode ser usado e reutilizado. A qualidade, durabilidade, segurança e consistência dos tijolos LEGO significa que podem ser passados de geração em geração. Os tijolos feitos hoje, encaixam nos que foram feitos há 40 anos
  • 60. Conheça Mais: https://www.doisamaiscosmetica.com.br/mercado- negocios/dupont-anuncia-metas-de-sustentabilidade-para- 2030/ DuPontanuncia metas de sustentabilidade para 2030 Companhia estabelece nove metas focadas em inovação, operações e pessoas para que o crescimento da empresa esteja unido a benefícios sociais e ambientais. WILMINGTON, Del. – 10 de Dezembro de 2019 – A DuPont(NYSE: DD) anunciou suas metas de sustentabilidade para 2030 , enfatizando a importância da sustentabilidade no cumprimento do seu objetivo de proporcionar inovações essenciaispara ajudar com que as sociedades prosperem. As nove metas de longo prazo são baseadas em uma avaliação crítica dos recursos da empresa, juntamente com o feedback de clientes e stakeholders. As metas também se inspiram nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) para identificar os problemas mais importantesdo mundo que precisam ser resolvidos.
  • 61. DOIS LADOS DA MOEDA Para conhecer mais: Teflon (Politetrafluoroetileno) | Dr. Vitor Azzini Saúde (drvitorazzini.com.br) https://www.dn.pt/opiniao/opiniao-dn/daniel-deusdado/verdade-envenenada-o-teflon-no-sangue-de-toda-a-gente- 11769912.html#:~:text=Recentemente%20o%20filme%20%22Dark%20Waters,%22The%20New%20York%20Times%22 Esta é a história do PFOA-C8 - ácido perfluorooctanóico, “TEFLON” inventado em 1945 nos Estados Unidos e cuja ingestão acumulada ao longo da vida causa danos`permanentes e fatais à saúde humana e ambiental. Tornou-se notícia porque a primeira batalha jurídica contra o "teflon" foi finalmente vencida em 2016 por um advogado norte-americano, Robert Billot. A sua saga gerou um documentário no Netflix , "The Devil We know: como a DuPont envenenou o mundo inteiro com o teflon" (infelizmente já não disponível). Recentemente o filme "Dark Waters - Verdade Envenenada", protagonizado por Mark Ruffalo e Anne Hathaway. O caso "teflon" foi ainda narrado pelo acutilante "The Intercept", e depois pelo "The New York Times".
  • 62. A história começa no Brasil, na ECO-92, no Rio de Janeiro, 1992, onde o conceito de Desenvolvimento Sustentável foi introduzido à política mundial. Na conferência, 178 países adotaram a Agenda 21, um plano de ação para desenvolver parcerias e possibilitar o Desenvolvimento Sustentável. A Declaração do Milênio. Oito objetivos para 2015, os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, tiveram foco em redução da extrema pobreza. No ano de 2002, em Joanesburgo, na África do Sul, ocorreu a Rio+10 (ou Cúpula Mundial sobre o Desenvolvimento Sustentável), que reforçou os compromissos traçados em 1992. Em 2012 ocorreu a Rio+20, novamente no Rio de Janeiro, que lançou as bases para a criação das ODS. Nesta conferência foi acordado o documento "O futuro que queremos" ("The future we want"). Em setembro de 2015, os 17 ODS foram acordados, na Cúpula de Desenvolvimento Sustentável da ONU. 1.6 Evolução das metas globais de Desenvolvimento Sustentável
  • 63. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) ou Objetivos Globais para o Desenvolvimento Sustentável) são uma coleção de 17 metas globais, estabelecidas pela Assembleia Geral das Nações Unidas. Os ODS são parte da Resolução 70/1 da Assembleia Geral das Nações Unidas: "Transformando o nosso mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável“, que depois foi encurtado para Agenda 2030. As metas são amplas e interdependentes, mas cada uma tem uma lista separada de metas a serem alcançadas. Atingir todos os 169 alvos indicaria a realização de todos os 17 objetivos. Os ODS abrangem questões de desenvolvimento social e econômico, incluindo pobreza, fome, saúde, educação, aquecimento global, igualdade de gênero, água, saneamento, energia, urbanização, meio ambiente e justiça social. 1.6 Evolução das metas globais de Desenvolvimento Sustentável
  • 64. DECLARAÇÃO DO MILÊNIO Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs) foram os oito objetivos (Concretos e mensuráveis, com suas 22 metas (24 no Brasil) e 48 indicadores) internacionais de desenvolvimento para o ano de 2015 que foram estabelecidos após a Cúpula do Milênio das Nações Unidas em 2000, após a adoção da Declaração do Milênio das Nações Unidas. Todos os 191 Estados membros da ONU na época e pelo menos 22 organizações internacionais, comprometeram-se a ajudar a alcançar os seguintes Objetivos de Desenvolvimento do Milênio até 2015: • Erradicar a pobreza extrema e a fome; • Alcançar o ensino primário universal; • Promover a igualdade de gênero e empoderar as mulheres; • Reduzir a mortalidade infantil; • Melhorar a saúde materna; • Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças; • Garantir a sustentabilidade ambiental; • Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento. PERÍODO DE VIGÊNCIA INICIO: 01/01/2001 TÉRMINO: 31/12/2015
  • 65. No documento final da Rio + 20 decidiu-se elaborar os ODS e para isso foi constituído um grupo de trabalho que após três anos de discussão aprovou por consenso o documento “Transformando nosso mundo: a Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável”. A Agenda 2030 consiste em uma declaração, os 17 ODS e as 169 metas, uma seção econômica sobre os meios de implementação e de parcerias globais. PERÍODO DE VIGÊNCIA : INICIO: 01/01/2016 TÉRMINO: 31/12/2030 PARA CONHECER AS 169 METAS: http://www4.planalto.gov.br/ods/publicacoes/apresentacao-ods-17-objetivos-e-169- metas/@@download/file/Apresenta%C3%A7%C3%A3o%20ODS%20-%2017%20Objetivos%20e%20169%20Metas_PDF.pdf Os OBJETIVOS definem as linhas gerais de atuação para as ações estratégicas a serem coordenadas por cada Estado-membros. As METAS estipulam em cada objetivo, direcionamentos específicos em nível tático e operacional, para serem implementados pelos programas de ação em cada Estado-membro.
  • 66. Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis. 12.1 implementar o Plano Decenal de Programas Sobre Produção e Consumo Sustentáveis, com todos os países tomando medidas, e os países desenvolvidos assumindo a liderança, tendo em conta o desenvolvimento e as capacidades dos países em desenvolvimento. 12.2 até 2030, alcançar gestão sustentável e uso eficiente dos recursos naturais. 12.3 até 2030, reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial, em nível de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita. 12.4 até 2020, alcançar o manejo ambientalmente adequado dos produtos químicos e de todos os resíduos, ao longo de todo o ciclo de vida destes, de acordo com os marcos internacionalmente acordados, e reduzir significativamente a liberação destes para o ar, água e solo, para minimizar seus impactos negativos sobre a saúde humana e o meio ambiente. 12.5 até 2030, reduzir substancialmente a geração de resíduos por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso . 12.6 incentivar as empresas, especialmente as empresas grandes e transnacionais, a adotar práticas sustentáveis e a integrar informações de sustentabilidade em seu ciclo de relatórios . 12.7 promover práticas de compras públicas sustentáveis, de acordo com as políticas e prioridades nacionais. 12.8 até 2030, garantir que as pessoas, em todos os lugares, tenham informação relevante e conscientização sobre o desenvolvimento sustentável e estilos de vida em harmonia com a natureza. 12.a apoiar países em desenvolvimento para que fortaleçam suas capacidades científicas e tecnológicas em rumo à padrões mais sustentáveis de produção e consumo. 12.b desenvolver e implementar ferramentas para monitorar os impactos do desenvolvimento sustentável para o turismo sustentável que gera empregos, promove a cultura e os produtos locais. 12.c racionalizar subsídios ineficientes aos combustíveis fósseis, que encorajam o consumo exagerado, eliminando as distorções de mercado, de acordo com as circunstâncias nacionais, inclusive por meio da reestruturação fiscal e a eliminação gradual desses subsídios prejudiciais, caso existam, para refletir os seus impactos ambientais, tendo plenamente em conta as necessidades específicas e condições dos países em desenvolvimento e minimizando os possíveis impactos adversos sobre o seu desenvolvimento de maneira que proteja os pobres e as comunidades afetadas. Sustainable Development Goal 12: Consumo e produção responsáveis | As Nações Unidas no Brasil
  • 67. Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis. Câmara Nacional de Municípios http://www.ods.cnm.org.br/agenda-2030 A Confederação Nacional de Municípios estruturou um site para acompanhar as implementações locais, referente ao eixo governamental municipal.... Manaus, como será que esta?
  • 68. Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis. Câmara Nacional de Municípios http://www.ods.cnm.org.br/mandala-municipal A ferramenta da mandala municipal em Manaus é mapeada desde 2017, apresenta as ações e monitoamrento de indicadores nos eixos – institucional, econômico, social e ambiental. Em outro painel é possível verificar as análises de indicadores ao longo do tempo, por ODS ou por dimensão.
  • 69. Vídeos do IBGE para direcionamento das ações no Brasil. https://odsbrasil.gov.br/home/videos O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, elaborou vídeos para explicar cada ODS e direcionar as intenções em relação à aplicação da agenda 2030 governamental.
  • 70. Ipea https://www.ipea.gov.br/ods/ods12.html Plano de ação para produção e consumo sustentáveis – PPCS https://antigo.mma.gov.br/publicacoes/responsabilidade-socioambiental/category/90-producao-e-consumo- sustentaveis.html?download=936:plano-de-acao-para-producao-e-consumo-sustentaveis-no-brasilvolume-1 Uma das metas estipuladas está a 12.1, que prevê a elaboração e implementação do direcionamento nacional por meio de ações.
  • 71. Plano de ação para produção e consumo sustentáveis – PPCS https://antigo.mma.gov.br/publicacoes/responsabilidade-socioambiental/category/90-producao-e-consumo- sustentaveis.html?download=936:plano-de-acao-para-producao-e-consumo-sustentaveis-no-brasilvolume-1
  • 72. Plano de ação para produção e consumo sustentáveis – PPCS https://antigo.mma.gov.br/publicacoes/responsabilidade-socioambiental/category/90-producao-e-consumo- sustentaveis.html?download=936:plano-de-acao-para-producao-e-consumo-sustentaveis-no-brasilvolume-1
  • 73. Esse esquema facilita a percepção do ODS em relação a abordagem dos impactos previstos com base em 4 eixos: bioesfera, sociedade, megócios e colaboração.
  • 74. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia Exemplo Energisa https://ri.energisa.com.br/sustentabi lidade/compromisso-com-o- desenvolvimento-sustentavel/
  • 75. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia https://www.grupocpfl.com.br/energias-sustentaveis/plano-de-sustentabilidade-na-cpfl Exemplo da CPFL (Cia. Paulista de Força e Luz)
  • 76. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia https://www.itaipu.gov.br/sites/default/files/rs201 5/pt/2018/metas-empresariais.html Para consulta a tabela completa acesse abaixo: https://www.itaipu.gov.br/sites/default/files/rs201 5/pt/2018/img/tabela-metas-empresariais-1.png Exemplo ITAIPU
  • 77. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia Exemplo ITAIPU https://www.itaipu.gov.br/sites/default/files/rs201 5/pt/2018/metas-empresariais.html Para consulta a tabela completa acesse abaixo: https://www.itaipu.gov.br/sites/default/files/rs201 5/pt/2018/img/tabela-metas-empresariais-1.png
  • 78. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia Mapeamento de Ações ODS ITAIPU https://www.itaipu.gov.br/sites/default/files/rs2015/pt/2017/objetivos- desenvolvimento.html#lg=1&slide=0
  • 79. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia Exemplo Neoenergia https://www.neoenergia.com/pt- br/sustentabilidade/comprometidos- objetivos-desenvolvimento- sustentavel/Paginas/default.aspx
  • 80. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia https://www.neoenergia.com/pt-br/sustentabilidade/modelo- negocio-energia-sustentavel/Paginas/default.aspx Exemplo Neoenergia
  • 81. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de energia Exemplo Neoenergia - infográfico https://www.neoenergia.com/pt- br/sustentabilidade/comprometidos-objetivos- desenvolvimento-sustentavel/Documents/principios- desenvolvimento-sustentavel.pdf
  • 82. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de eletroeletrônico ABINEE – Associação Brasileira da Industria Elétrica e Eletrônica http://www.abinee.org.br/informac/arquivos/relatods.pdf A ABINEE construiu um guia no qual apresenta as prioridades do setor alinhadas ao ODS e aos Pactos Globais. Na página não há qualquer indício de que haja monitoramento de implementação e indicadores por parte dos associados. Para verificar associadas pelas áreas de atuação http://www.abinee.org.br/abinee/associa/
  • 83. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de eletroeletrônico WEG https://api.mziq.com/mzfilema nager/v2/d/50c1bd3e-8ac6- 42d9-884f- b9d69f690602/49c4b698- 8a5c-2213-9724- 63538f78f277?origin=1
  • 84. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de eletroeletrônico WEG https://api.mziq.com/mzfilema nager/v2/d/50c1bd3e-8ac6- 42d9-884f- b9d69f690602/49c4b698- 8a5c-2213-9724- 63538f78f277?origin=1
  • 85. 1.6 Ações ODS de empresa em setor de eletroeletrônico PHILLIPS https://www.philips.com.br/a- w/about/news/archive/standar d/news/press/2016/20160920- philips-71-united-nations- general-assembly.html
  • 86. 1.6 Portais de Monitoramento | Ações ODS Manaus IDSC Manaus https://idsc-br.sdgindex.org/profiles/manaus-AM
  • 87. 1.6 Portais de Monitoramento | Relatórios Dinâmicos http://rd.portalods.com.br/gere-seu-relatorio
  • 88. 1.7 Responsabilidade Empresarial e ESG Debates em torno da responsabilidade social das empresas ocorrem desde o início da Era Moderna, mas só recentemente, a partir da década de 1970, passaram a ter destaque, quando a sociedade passou a cobrar uma posição social das empresas O volume e a intensidade dessas ações, que vão desde o cumprimento da legislação até o investimento em grandes projetos sociais, trouxeram um novo conceito a ser considerado na gestão: Responsabilidade Social Empresarial. . É inegável a importância da responsabilidade social na atualidade, tanto que existe um verdadeiro movimento mundial em torno do tema. Prova disso são as inúmeras iniciativas promovidas por empresas, entidades empresariais, instituições de ensino, governos, ONGs e órgãos vinculados à ONU. • Metas do Milênio e seus desdobramentos • Pactos Globais: o Princípios de Direitos Humanos; o Princípios de Direitos do Trabalho; o Princípios de Proteção Ambiental; o Princípios contra a Corrupção.
  • 89. 10 Princípios do Pacto Global Pacto Global | ESG https://www.pactoglobal.org.br/pg/esg Direitos Humanos Trabalho Ambiente Anticorrupção
  • 90. 1.7 Responsabilidade Empresarial e ESG Responsabilidade Social Empresarial ou Responsabilidade Social Corporativa Promove um comportamento empresarial que integra elementos sociais e ambientais que não necessariamente estão contidos na legislação mas que atendem às expectativas da sociedade em relação à empresa. São estratégias pensadas para orientar as ações das empresas em consonância com as necessidades sociais, de modo que a empresa garanta, além do lucro e da satisfação de seus clientes, o bem estar da sociedade. A empresa está inserida nela e seus negócios dependerão de seu desenvolvimento e, portanto, esse envolvimento deverá ser duradouro. É um comprometimento. DIAS, 2006
  • 91. 1.7 Responsabilidade Empresarial e ESG O termo ESG é a sigla em inglês para “Environmental, Social & Governance”, que, traduzido para o português, significa Ambiental, Social e Governança (ASG). A sigla apareceu pela primeira vez em dezembro de 2004 no relatório “Who Cares Wins” (quem se importa ganha) desenvolvido pelo Departamento Suíço de Assuntos Exteriores em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU). A expressão, geralmente, é usada para medir as práticas ambientais, sociais e de governança de uma empresa. • Maximizar retorno • Minimizar riscos • Medir impactos
  • 92. 1.7 Responsabilidade Empresarial e ESG Para um empresa, geralmente, se enxergar classificada dentro da sigla ESG, são estipuladas ações, regras, procedimentos, que serão sistematicamente medidos por meio de indicadores de desempenho (KPI – kay performance indicator) https://xpeedschool.com.br/blog/esg-o-que-e-e-por-que-e-importante-cumpri-lo/ https://ideiagov.sp.gov.br/esg-inovacao-e-tecnologia-uma-reflexao-de-impacto/ https://ideiagov.sp.gov.br/cinco-startups-brasileiras-sa%CC%83o-selecionadas-para-se-apresentar-na-cop26-em-glasgow/ https://fundacaotelefonicavivo.org.br/noticias/o-que-e-esg-e-por-que-o-conceito-se-tornou-tao-importante-para-os-negocios/ • Combate às emissões de gases de efeito estufa (CO2, gás metano); • Ações para o combate às mudanças do clima; • Ações para eficiência (energética, água, recursos naturais – renováveis e não renováveis) • Combate à poluição (água, ar, solo); • Combate à geração de lixo; • Gestão de resíduos e efluentes; • Proteção da biodiversidade; • Inovação para a o ecodesign e produção compatível com as demandas ambientais. • Respeito aos direitos humanos e à livre associação; • Equidade social, política e igualdade de oportunidades; • Adoção de práticas de inclusão, de acessibilidade e de respeito à diversidade; • Respeito à privacidade e à proteção de dados; • Condições e relações de trabalho éticas, com renumeração justas, isentas de trabalho inapropriado, forçado ou escravo; • Combate ao trabalho infantil; • Engajamento dos funcionários e treinamento da força de trabalho; • Relações éticas e justas com as comunidades locais, tradicionais, inclusive indígenas; • Promoção de praticas de saúde e segurança; • Capacidade de mediar e garantir soluções de conflitos de forma ética e justa. • Produção, produtos e consumo, responsáveis. • Política de remuneração adequada à executivos e alta administração; • Ações para coibir práticas de corrupção, propina, recebimento de vantagens e uso de influência; • Garantia de independência dos conselho e conselheiros das instituições e comitês de auditoria, fiscal, ética e transparência; • Diversidade na composição do conselho e comitês; • Estabelecimento de política de doações e lobby • Conformidade com leis, regulamentos, requisitos técnicos, normas e procedimentos; • Adoção de práticas de transparência de gestão, emissão de relatórios públicos e auditáveis; AMBIENTAL SOCIAL GOVERNANÇA
  • 93. 1.7 Responsabilidade Empresarial e ESG ESG MANAGEMENT | 総合ITソリュー ションのセラク (seraku.co.jp) Integração entre ODS e ESG - Direcionamento dos programas e objetivos da empresa; - Compatibilização das metas com base nos acordos internacionais - Monitoramento integrado Integrando o pilar Ambiente (da matriz ESG) com o ODS, a empresa comunica que adota princípios para: - Redução da desigualdade (ver https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/10) - Tornar a cidade em que se localiza mais inclusivas, segura, resiliente e sustentável (ver https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/11) - Contribuir para proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade (ver https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/15) IMPORTANTE: é necessário verificar nas metas contidas em cada ODS, quais se relacionam melhor com a abordagem do negócio.
  • 95. Atividade O que: por grupos de macroprojeto, as equipes deverão definir seu marco conceitual para aplicação ODS+ASG Cenário: criação de um negócio (startup) dos seguintes ramos – energia, eletroeletrônico, tecnologia, tecnologia social. Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO PARA SABER MAIS TECNOLOGIA SOCIAL http://itsbrasil.org.br/conheca/tecno logia-social/ 4 Pilares da TS https://antigo.mctic.gov.br/mctic/op encms/ciencia/politica_nacional/_so cial/Tecnologia_Social.html
  • 96. Atividade ROTEIRO DE EXECUÇÃO 1. Qual é o problema que iremos resolver? 2. Qual será a abordagem do negócio? Será físico ou digital, ambos? 3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável? 4. Crie a relação existente entre os ODS e ESG do seu negócio EXEMPLO FICTÍCIO Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
  • 97. Atividade ROTEIRO DE EXECUÇÃO 1. Qual é o problema que iremos resolver? um mapa mental para listar todas as variáveis do problema? • Quais são os problemas que mapeamos? • Quais são as variáveis desses problemas? • Sabemos quais são todas demandas e tipos dos chamados lixo eletrônico/e-lixo/e-waste? • Temos • Podemos definir uma abordagem objetiva, clara e específica do problema? Se sim, escreva o problema a ser solucionado IMPORTANTE: um problema é sempre uma pergunta. Exemplos: - Como melhorar e eficiência do uso de recursos naturais para redução da geração de resíduos? (pode-se atuar no produto e/ou processo) - De que maneira pode-se diminuir o impacto de geração de resíduos nos órgãos públicos em Manaus? (pode-se atuar nos processos para diminuir a pegada direta e indireta do cliente) - Quais são as soluções de descarte residencial eficiente na comunidade do igarapé do 40? pode-se atuar junto a comunidade para criação de uma tecnologia social) Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO PARA SABER MAIS E-LIXO Vem com a gente descobrir o que é e-lixo, e porque vale a pena descartá-lo corretamente. | Greenk E-LXO CONTAMINANTE A bioquímica da contaminação por metais: E- Waste e metais pesados (bioquimicametalica.blogspot .com) CATEGORIAS DO E-LIXO O Lixo eletrônico e seu destino MAPA MENTAL ON-LINE EdrawMind: Online Mind Mapping & Brainstorming Software
  • 98. Atividade ROTEIRO DE EXECUÇÃO 2. Qual será a abordagem do negócio? Será físico ou digital? Híbrido? • Fabricaremos um produto ( atuar para melhoria de um produto existente ou a ser criado e seus processos) • Ofereceremos um serviço (atuar para melhoria de processos de outros negócios) • Soluções para o planeta e para tornar as cidades inteligentes (atuar sob demanda de governos e instituições para geração de soluções de alcance amplo mediadas por práticas e tecnologias já consolidadas ou desenvolvidas para entendimento das necessidades específicas) • Auxiliaremos comunidades e instituições não-governamentais (atuar para o desenvolvimentos de soluções contextuais focadas nas realidades e demandas específicas desses públicos Se você já conseguir definir esses pontos: - Crie um nome pro negócio - Defina a atuação da empresa com os aspectos abaixo... Exemplos: - XPTO – Soluções para uma biosfera mais limpa. - “Atuamos na/no/para/em conjunto ....” , “Nossos valores são...”,“Nos comprometemos com ...” Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
  • 99. Atividade ROTEIRO DE EXECUÇÃO 3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável? • Como o negócio se relaciona com seu ecossistema (quem são os parceiros do negócio – governos, fornecedores, investidores, sociedade, outras empresas, comunidades, ONG, cooperativas ambiente etc) • Como aumentaremos os impactos positivos do negócio? • Como minimizaremos os impactos negativos do negócio? • Quais são nossos ODS estruturantes? Se você já conseguir definir esses pontos: - Defina os ODS Exemplos: Ao final do exemplo demonstrado. Escolha o ODS e descreva o objetivo e a meta de cada ods selecionado. OBS.: nunca é apenas um ODS e mais 5 como os estruturantes do negócio, talvez não seja necessário. Façam as escolhas mais interessantes. Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
  • 100. Atividade ROTEIRO DE EXECUÇÃO 4. Relacione para o negócio os OSD selecionados com os fundamentos de ESG • Quais são os ODS no qual atuamos relacionados ao pilar Ambiente? • Quais são os ODS no qual atuamos relacionados ao pilar Social? • Quais são os ODS no qual atuamos relacionados ao pilar Governança? Se você já conseguir definir esses pontos: - Crie uma matriz, esquema ou infográfico que identifique essa interação. Exemplos: - Ao final do exemplo demonstrado. Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO
  • 102. EXEMPLO ROTEIRO DE EXECUÇÃO 1. Qual é o problema que iremos resolver? Fatores relacionados ao problema:  Manaus é uma cidade que possui poucas lixeiras públicas no centro da cidade.  A geração de resíduos urbanos em Manaus tem o volume de X% .  Pedestres no centro da cidade têm dificuldade de encontrar lixeiras.  É possível encontrar muitos resíduos de pequeno porte jogados nas ruas do centro da cidade. O acúmulo desses resíduos menores podem causar transtorno de entupimento das galerias pluviais.  O uso de lixeiras no centro da cidade apresentam algumas características: podem ser facilmente vandalizadas  Os coletores tem problemas relacionados à abertura e à colocação do resíduo.  Considerando o sistema de coleta que é realizado a cada 24h, a capacidade de coleta não supre a necessidade efetiva de deposição de resíduos por parte do uso dos pedestres/lojistas.  O sistema de coleta de resíduos do centro não é seletivo. Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade.
  • 103. EXEMPLO Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade. ROTEIRO DE EXECUÇÃO 1. Qual é o problema que iremos resolver? Mapa mental das variáveis do problema: Análise: acredita-se que as variáveis que mais podem interferir para a geração do problema são as “pessoas” e os “tipos de resíduos” que se inserem no contexto avaliado. Os fatores pressa (não tenho tempo de procurar uma lixeira), falta de atenção e cuidado com aquilo que é público representam pontos críticos desse problema, pois relacionasse diretamente com os tipos de resíduos encontrados em maior quantidade depositado nas ruas, ao invés de terem sido colocados nos coletores.
  • 104. EXEMPLO Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade. ROTEIRO DE EXECUÇÃO 1. Qual é o problema que iremos resolver? Direcionamentos possíveis do problema:  Como é possível aumentar o engajamento dos pedestres para deposição correta de resíduos de pequeno porte nas vias de Manaus?  De que maneira seria possível diminuir o volume de resíduos que deixam de ser coletados e segregados de forma correta durante o período de 24 horas no centro de Manaus?  Como melhorar a percepção de limpeza durante o horário de maior fluxo, nas ruas do centro de Manaus?  Quais estratégias podem ser utilizadas para diminuir o impacto de resíduos de pequeno porte “encontrados” nas ruas do centro de Manaus e são levados pelas chuvas para próximos de bueiros e galerias pluviais? Definição do problema: De que maneira seria possível diminuir o volume de resíduos que deixam de ser coletados e segregados de forma correta durante o período de 24 horas no centro de Manaus?
  • 105. EXEMPLO Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade. ROTEIRO DE EXECUÇÃO 2. Qual será a abordagem do negócio? Será físico ou digital? Híbrido? Identidade e Missão do negócio Central da Limpeza - Soluções para cidades mais limpas. Missão “Atuamos em conjunto com os governos municipais e com a sociedade civil para promover criar soluções e realizar ações que tornem centros urbanos, modelos de coleta, deposição e tratamento com o resíduo gerado pelos pedestres e lojistas daquela área de acordo com as políticas de Lixo Zero (Zero Waste – Interncional Alliance). PARA SABER MAIS Zero Waste International Alliance – Creating a World Without Waste (zwia.org) https://ilzb.org/conceito- lixo-zero/ DICA: utilize sua definição para definir os ODS estruturantes do negócio
  • 106. EXEMPLO Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade. ROTEIRO DE EXECUÇÃO 2. Qual será a abordagem do negócio? Será físico ou digital? Híbrido? Nossos valores são:  Incentivo aos valores e direitos humanos;  Incentivo e respeito à inclusão, ao trabalho digno, 100% isento de discriminação, forçado, compulsório trabalho infantil;  Compromisso com a empregabilidade e com a geração de renda;  Atenção às demandas de um ambiente urbano integrado e harmonioso com a natureza;  Compromisso com a responsabilidade e desafios ambientais, e inserção, desenvolvimento e difusão de tecnologias ambientalmenteamigáveis e com a tecnologia social.  Compromisso de combate à corrupção, imparcialidade nas políticas e práticas de governança e transparência 100% e emissão de relatórios públicos auditáveis. (podem ser usados no item 3) PARA SABER MAIS https://www.pactoglobal.org.br/10-principios TECNOLOGIAS SOCIAIS https://prezi.com/stfgzmuaffyu/tecnologia-social/ https://transforma.fbb.org.br/ Nossas operações estão comprometidas com:  Saúde, Higiene e Limpeza pública, Coleta Seletiva participativa e organizada e Economia circular;  Atendimento, colaboração e satisfação de nossos Stakeholders – governos e órgãos públicos, comunidade de entorno, sociedadecivil organizada, sócios, fornecedores, parceiros de negócio, ONGs, e nosso cliente principal, o ambiente. (relacionado ao item 3)  Equidade, inclusão, igualdade de gênero e incentivo à diversidade;  Educaçãoambiental principalmente as crianças, jovens, e conscientização ambiental coletiva do público adulto.  Geração de lucro social, econômico e ambiental para a garantia de sustentabilidadedo negócio e geração de impactos positivos para o planeta, seus biomas e sua sociedade. OBSERVAÇÃO: Valores e comprometimentos estão pautados nos pilares do DS e diretrizes de ASG DICA: utilize suas definições para definir os ODS estruturantes do negócio
  • 107. Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO  (A) Criar soluções de infraestrutura, parques de recuperação de recursos e mobiliário urbano eficientes, inteligentes para coleta, seleção, higienização e segregação de lixo urbano e lixo orgânico; (Ambiental) (9,11,12)  (B) Fortalecer ações de cooperativas de coletas seletivas em centros urbanos, incentivando a geração de trabalho e renda e iniciativas da economia circular; (Ambiental/Social) (1,8,10,12)  (C) Utilizar técnicas de Produção + Limpa e tecnologias ecofriendly para empregar e/ou gerar soluções compatíveis com a sustentabilidade, com o consumo responsável e com o desenvolvimento sustentável; (Ambiental) (6,9,11,12)  (D) Garantir que a operação do negócio esteja alinhada contra o desperdício e poluição dos recursos naturais, principalmente com o desperdício de água, poluição de cursos de água no ambiente urbano; (Ambiental) (6,11,12,13)  (E) Promover ações de educação ambiental, economia circular e consumo consciente junto aos pedestres, pessoas em situação de rua, pessoas em situação de rua, moradores das áreas de atuação do negócio e seus projetos. (Ambiental) (1,10,11,12)  (F) Sempre que possível, priorizar soluções e ações que visem diminuir a pegada ambiental do negócio, com o uso de recursos naturais e combustíveis fósseis e energia não renovável. (Ambiental) (6,7,12)  (G) Promover e implementar parcerias público-privadas, com outras empresas, com a sociedade civil, com instituições, com a comunidade para potencializar projetos de combate a erradicação da pobreza e que incentivem desenvolvimento sustentável. (Governança) (10,11,12,16,17) ROTEIRO DE EXECUÇÃO 3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável? Nosso públicos de interesse (stakeholders): governos e órgãos públicos, ambiente, pedestres do centro da cidade de Manaus, lojistas, entidades, moradores em situação de rua, comunidade de entorno, sociedade civil organizada, sócios, fornecedores, parceiros de negócio, ONGs. (onde/como o negócio atua para) Ampliar impactos positivos: EXEMPLO Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade. DICA: utilize suas definições para definir as matriz de interseção entre ODS e ASG Etapa 1: definir os impactos; Etapa 2: definir a relação ASG 3. Relacionar os ODS compatíveis com as ações
  • 108. Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO (onde/como podemos atuar para) Minimizar impactos negativos:  (H) Diminuir a demanda de resíduos coletados pelos serviços de limpeza pública em áreas urbanas, que são destinados para lixões e para incineração; (Ambiental) (11,12)  (I) Reduzir o impacto ambiental e poluição gerados pelo descarte incorreto de resíduos nos centros urbanos, principalmente gerados por pedestres, e oriundos de veículos em circulação; (Ambiental) (3,11,12)  (J) Combater a desigualdade, as diferenças e a discriminação de gênero, social, econômica, religiosa, étnica ou outras nos processos internos e na relação com os públicos de interesse do negócio; (Social) (1,8,10,17)  (K) Agir para diminuir as diferenças e a extrema pobreza em todas as suas dimensões, integrando às soluções e ações do negócio pessoas em situação de vulnerabilidade social, econômica, higiênica, vulnerabilidade destes a eventos extremos relacionados com o clima e outros choques e desastres econômicos, sociais e ambientais; (Social) (1,8,10,11,12,16,17)  (L) Firmar o compromisso de politica de tolerância zero para geração de resíduo interno na produção e reprodução de documentos, utilização de materiais descartáveis e materiais para uso externo como panfletos, cartazes e outras mídias que gerem resíduos de baixo reaproveitamento, reutilização ou reciclagem. (Ambiental) (1,8,10,11,12,16,17)  (M) Coibir no desenvolvimento e execução dos projetos e ações, práticas abusivas, ilegais, desrespeitosas, intolerantes, que comprometam aspectos da saúde e segurança dos colaboradores, do relacionamento com as partes interessadas, internas e externas. (Governança) (6,10,16,17) ROTEIRO DE EXECUÇÃO 3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável? Nosso públicos de interesse (stakeholders): governos e órgãos públicos, ambiente, pedestres do centro da cidade de Manaus, lojistas, entidades, moradores em situação de rua, comunidade de entorno, sociedade civil organizada, sócios, fornecedores, parceiros de negócio, ONGs. EXEMPLO Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade. DICA: utilize suas definições para definir as matriz de interseção entre ODS e ASG
  • 109. ROTEIRO DE EXECUÇÃO 3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável? ODS Estruturantes Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO EXEMPLO Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade. Objetivo 11. Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis 11.6 Até 2030, reduzir o impacto ambiental negativo per capita das cidades, inclusive prestando especial atenção à qualidade do ar, gestão de resíduos municipais e outros 11.a Apoiar relações econômicas, sociais e ambientais positivas entre áreas urbanas, periurbanas e rurais, reforçando o planejamento nacional e regional de desenvolvimento Objetivo 12. Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis 12.2 Até 2030, alcançar a gestão sustentável e o uso eficiente dos recursos naturais 5.Até 2030, reduzir substancialmente a geração de resíduos por meio da prevenção, redução, reciclagem e reuso 6.Incentivar as empresas, especialmente as empresas grandes e transnacionais, a adotar práticas sustentáveis e a integrar informações de sustentabilidade em seu ciclo de relatórios 12.8 Até 2030, garantir que as pessoas, em todos os lugares, tenham informação relevante e conscientização para o desenvolvimento sustentável e estilos de vida em harmonia com a natureza PARA SABER MAIS https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/12
  • 110. ROTEIRO DE EXECUÇÃO 3. Como nosso negócio se relaciona com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável? ODS Estruturantes Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO EXEMPLO Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade. Objetivo 3. Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todas e todos, em todas as idades 3.9 Até 2030, reduzir substancialmente o número de mortes e doenças por produtos químicos perigosos, contaminação e poluição do ar e água do solo PARA SABER MAIS https://brasil.un.org/pt-br/sdgs/12 Objetivo 10. Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles 2.Até 2030, empoderar e promover a inclusão social, econômica e política de todos, independentemente da idade, gênero, deficiência, raça, etnia, origem, religião, condição econômica ou outra 3.Garantir a igualdade de oportunidades e reduzir as desigualdades de resultados, inclusive por meio da eliminação de leis, políticas e práticas discriminatórias e da promoção de legislação, políticas e ações adequadas a este respeito 4.Adotar políticas, especialmente fiscal, salarial e de proteção social, e alcançar progressivamente uma maior igualdade
  • 111. ROTEIRO DE EXECUÇÃO 4. Relacione para o negócio os OSD selecionados com os fundamentos de ESG Esta atividade é a primeira entrega do MACROPROJETO EXEMPLO Observação: Informações inseridas podem não refletir a realidade dos fatos, uma vez que não é a intenção apresentar dados reais, e sim modelar um exemplo de execução da atividade. Ambiental • 6,11,12,13 Social • 1,5,3,8,9,10 Governança • 16, 17 ODS Complementares Torne a apresentação mais agradável! Meu exemplo (de uma página apenas) foi feito com PREZI, que possui elementos interessantes e pode ser criada uma conta para equipe colaborar em conjunto na mesma apresentação. Outra possibilidade colaborativa é o GOOGLE SHEETS (o que usamos on-line para os problemas ambientais) Se achar que pode ter problema de conexão, Faça o print da tela cheia e traga pro PPT.