Introdução aula 5

496 visualizações

Publicada em

Introdução a engenharia Ambiental
Vários autores

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
496
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução aula 5

  1. 1. INTRODUÇÃO A ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE Aula 5 – A crise ambiental e conceitos sobre poluição
  2. 2. O que é meio ambiente?
  3. 3. O que é meio ambiente? pt.wikipedia.org earthtimes.org http://www.gov.pe.ca myphilanthropedia.org
  4. 4. O que é meio ambiente? meioambiente.culturamix.com blogdoclaret.com nosrevista.com.br
  5. 5. O que é meio ambiente? mdig.com.br sosriosdobrasil.blogspot.com notapositiva.com
  6. 6. Definição • Meio Ambiente: Conjunto de todos os fatores ou condições externas, que têm influência sobre os seres vivos, tais como a água, o ar, o solo, o clima, etc. Na Política Nacional de Meio Ambiente, Lei nº 6.938/1981, em seu artigo 3°, “Para os fins previstos nesta Lei, entendese por: I) meio ambiente, o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas;
  7. 7. Definição A Constituição Federal diz, em seu artigo 225, “Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”.
  8. 8. Situação Atual • Planeta terra: Fornece os elementos necessários para a sobrevivência dos seres humanos. • Seres humanos: Aspiração por uma melhor qualidade de vida; Exploram os recursos naturais e lançam os seus resíduos para o meio ambiente. Interação do Homem com o Meio Ambiente: Poluição.
  9. 9. Metabolismos das cidades – Modelo de desenvolvimento
  10. 10. Resultado da ação do homem No final dos anos 1950, a pesquisadora Rachel Carson (EUA) virou sua atenção para conservação e para os problemas ambientais causados pelos pesticidas sintéticos (DDT). O resultado foi Silent Spring, que trouxe preocupações ambientais sem precedentes para uma parcela da opinião pública americana. regjeringen.no
  11. 11. Resultado da ação do homem Vazamento em 1984 em Bhopal, Índia de isocianato de metila. Pior desastre industrial ocorrido até hoje. Mais de 500 mil pessoas, a sua maioria trabalhadores, foram expostas aos gases e pelo menos 27 mil morreram por conta disso. hoguenews.com
  12. 12. Resultado da ação do homem Desastre de Minamata é a denominação dada ao envenenamento de centenas de pessoas por mercúrio ocorrido na cidade de Minamata, no Japão. Em janeiro de 1956 blogsempauta.blogspot.com
  13. 13. Resultado da ação do homem O Nevoeiro de 1952, conhecido também como Big Smoke, foi um período de severa poluição atmosférica, 1952 que encobriu a cidade de Londres. O fenômeno foi considerado como um dos piores impactos ambientais até então, sendo causado pelo crescimento incontrolado da queima de combustíveis. Acreditase que o nevoeiro tenha causado a morte de 12.000 londrinos. freewords.com.br
  14. 14. Características do Meio Ambiente • Recursos naturais limitados; • Capacidade limitada para assimilar os resíduos lançados pelas atividades humanas; • Limitação para a sustentabilidade dos atuais padrões de consumo e produção. ! ?
  15. 15. Dinâmica das Populações 1900 - De cada dez pessoas, apenas uma morava em área urbana. 2030 – De cada dez pessoas, seis viverão nas cidades
  16. 16. Dinâmica das Populações
  17. 17. Padrões de Consumo e Produção Fotografo Peter Menzel, decidiu viajar pelo mundo e Fotografar famílias em países diferentes, junto com a comida consumida na semana e o gasto de cada família. Livro Hungry Planet
  18. 18. Padrões de Consumo e Produção
  19. 19. Padrões de Consumo e Produção
  20. 20. Padrões de Consumo e Produção
  21. 21. Padrões de Consumo e Produção
  22. 22. Necessidade de recursos Recursos naturais Renováveis Não renováveis Água, Ar, vento Minerais etc. Combustíveis fósseis
  23. 23. Poluição • Qualquer alteração indesejável nas características físicas, químicas ou biológicas do meio ambiente, que cause ou possa causar danos ou prejuízos aos seres humanos e ao próprio meio ambiente. • A transformação dos recursos naturais e a utilização dos produtos obtidos geram problemas de poluição.
  24. 24. Poluição A presença, o lançamento ou a liberação, nas águas, no ar ou no solo, de toda e qualquer forma de energia ou matéria com intensidade, em quantidade, de concentração ou com características em desacordo com as que forem estabelecidas em decorrência desta lei, ou que tornem ou possam tornar as águas, o ar ou o solo: I – impróprios, nocivos ou ofensivos à saúde; II – inconvenientes ao bem estar público; III – danosos aos materiais, à fauna e à flora; IV – prejudiciais à segurança, ao isso e gozo da propriedade e às atividades normais da comunidade. (lei estadual de São Paulo nº997/76)
  25. 25. Fontes de Poluição • Pontual: São facilmente identificadas e o perfil de lançamento de poluentes segue um determinado padrão, também são conhecidas como fontes estacionárias. Compreende as descargas que podem ser coletadas e confinadas em tubulações ou elementos similares. É o caso dos efluentes industriais e dos efluentes domésticos.
  26. 26. Fontes de Poluição • Difusa: São de difícil identificação e o perfil de lançamento dos poluentes não segue nenhum padrão. A poluição difusa ocorre quando a água entra em contato com os contaminantes ao escoar através de áreas urbanas, rurais, de mineração e de florestas plantadas. As águas de escoamento podem infiltrar-se no solo até os reservatórios subterrâneos ou fluir até os corpos d‘água superficiais.
  27. 27. Fontes de Poluição • Efeitos: • Local: manifestam nas proximidades das fontes de poluição; • Global: afetam áreas extensas, extrapolando os limites territoriais de um país.
  28. 28. Amplificação Biológica Aumento da concentração de poluentes na cadeia alimentar; • Assimilação de poluentes pelos organismos, na síntese dos seus tecidos ou gordura (bioacumulação); 1. O poluente deve ser persistente no ambiente; recalcitrante, 2. O poluente deve ser lipossolúvel; ou seja,
  29. 29. Amplificação Biológica Sempre que um organismo contaminado por mercúrio ocupa um nível inferior em uma cadeia trófica, seu predador absorverá aquele mercúrio orgânico, mas revelará concentrações comparativamente aumentadas – biomagnificação. Esse termo se refere à acumulação de alguns metais pesados (e algumas outras substâncias) por níveis tróficos sucessivos. biorocha.blogspot.com
  30. 30. Precursores da Crise Ambiental • Busca incessante por uma melhor qualidade de vida; • Modelo de desenvolvimento desvinculado das questões ambientais; • Recursos naturais inesgotáveis; • Limitação dos processos naturais para a assimilação dos impactos resultantes.
  31. 31. Necessidade de Mudanças • Enfoque linear dos seres humanos. ENERGIA Ambiente Recursos Processos de Transporte e Naturais transformação consumo RESÍDUO/IMPACTO
  32. 32. Metabolismos das cidades – Modelo de desenvolvimento
  33. 33. Necessidade de Mudanças • Processos Naturais ENERGIA Produtos Resíduos Transformações Recursos
  34. 34. Metabolismos das cidades – Modelo de desenvolvimento ideal Cidades com metabolismo circular minimizam novas entradas de energia e maximizam a reciclagem
  35. 35. Desafios Aproximar o modelo de desenvolvimento linear dos seres humanos a um sistema cíclico; • Necessidade de conhecimento das interações entre desenvolvimento tecnológico e meio ambiente; • Contemplar nas atividades questões ambientais; humanas as
  36. 36. Evolução da Relação entre Desenvolvimento e Meio Ambiente Antes da Década de 1970 • Recursos naturais ilimitados; • Desenvolvimento Econômico desvinculado do meio ambiente • Graves problemas de poluição; • Ameaça à existência da vida humana.
  37. 37. Evolução da Relação entre Desenvolvimento e Meio Ambiente Últimos 30 anos Necessidade de controle da poluição; • Estabelecimento de normas de controle; • Atuação de órgãos fiscalizadores; • Minimização dos processos de poluição industrial; •Inclusão das questões ambientais nos processos de tomada de decisão; • Desenvolvimento dos conceitos de prevenção da poluição, produção mais limpa e desenvolvimento sustentável.
  38. 38. Conceitos • Após a 2º Grande Guerra Mundial o ser humano testemunhou um nível de exploração ambiental jamais imaginado; O crescimento populacional exige que a produção de bens de consumo seja incompatível com a capacidade do Planeta.
  39. 39. Constatações • • Estocolmo 1972 Ambiente Humano: - Conferência das Nações Unidas sobre – A proteção e melhoria do ambiente humano é a principal questão que afeta o bem estar das pessoas e o desenvolvimento econômico no mundo; – Nos países em desenvolvimento a maioria dos ambientais são causados pelo subdesenvolvimento; problemas – O crescimento natural da população apresenta problemas para a preservação do meio ambiente; – Atingiu-se um ponto no qual devemos configurar as nossas ações com uma maior atenção para as consequências ambientais.
  40. 40. Princípios • Como decorrência princípios: da Conferência foram definidos 25 – O Homem tem o direito fundamental à liberdade, igualdade e condições adequadas de vida em um ambiente que permita condições dignas e com bem estar; – A capacidade do Planeta em produzir recursos naturais renováveis vitais deve ser mantida ou restabelecida.
  41. 41. Princípios • Os recursos naturais não renováveis devem ser empregados de maneira a protegê-los contra o risco da exaustão e assegurar que os benefícios de sua utilização sejam partilhados por todos; • O descarte de substâncias tóxicas ao meio ambiente, em quantidades que excedam a capacidade de assimilação deve ser interrompido para assegurar que não ocorram danos irreversíveis. • O planejamento racional é ferramenta essencial para a reconciliação de qualquer conflito entre as necessidades de desenvolvimento e a proteção e melhoria do meio ambiente.
  42. 42. Conceitos Modernos “É o desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade de as futuras gerações satisfazerem suas próprias necessidades” (Relatório Brundtland – Nosso Futuro Comum, da Comissão Mundial de Meio Ambiente e Desenvolvimento – ONU).
  43. 43. Desenvolvimento sustentável • Este conceito não implica em limites absolutos, mas em limitações impostas: – Pelo estado atual da organização tecnológica e social sobre os recursos ambientais; – Pela capacidade da biosfera absorver os efeitos das atividades humanas.
  44. 44. Em 1972, um estudo do Clube de Roma apontou, pela primeira vez, “Os limites do crescimento”. Quatro décadas depois, a destruição das florestas, a degradação ambiental e a poluição aumentaram de forma vertiginosa, gerando o aquecimento do planeta pelas emissões de gases causadores do efeito estufa. A solução para esse grave problema é mais crescimento? Enrique Leff
  45. 45. Desenvolvimento sustentável A ONU, organizou a Conferência de Desenvolvimento e Meio Ambiente das Nações Unidas (Unced), também conhecida como ECO 92, realizada no Rio de Janeiro em junho de 1992. O resultado da ECO 92 foi a Agenda 21, um “consenso global e compromisso político do mais alto nível”, mostrando como os governos, as empresas, as organizações não governamentais e todos os setores da ação humana podem cooperar para resolver os problemas ambientais cruciais que ameaçam a vida no planeta.
  46. 46. Objetivos da Agenda 21 brasileira • Objetivo 1 – Produção e consumo sustentáveis contra a cultura do desperdício. • Objetivo 2 – Ecoeficiência e responsabilidade social das empresas. • Objetivo 3 – Retomada do planejamento infraestrutura e integração regional. • Objetivo 4 – A energia renovável e a biomassa. estratégico,
  47. 47. Objetivos da Agenda 21 brasileira • Objetivo 5 – Informação e conhecimento para o desenvolvimento sustentável. • Objetivo 6 – Educação permanente para o trabalho e a vida. • Objetivo 7 – Promover a saúde e evitar a doença, democratizando o SUS. • Objetivo 8 – Inclusão social e distribuição de renda. • Objetivo 9 – Universalizar o saneamento ambiental protegendo o ambiente e a saúde. • Objetivo 10 – A gestão do espaço urbano e a autoridade metropolitana
  48. 48. Objetivos da Agenda 21 brasileira • Objetivo 11 – Desenvolvimento sustentável do Brasil rural. • Objetivo 12 – Promoção da agricultura sustentável. • Objetivo 13 – Promover a Agenda desenvolvimento integrado e sustentável. 21 Local e o • Objetivo 14 – Implantar o transporte de massa e a mobilidade sustentável. • Objetivo 15 – Preservar a quantidade e melhorar a qualidade da água nas bacias hidrográficas.
  49. 49. Objetivos da Agenda 21 brasileira • Objetivo 16 – Política florestal, controle do desmatamento e corredores de biodiversidade. • Objetivo 17 – Descentralização e pacto federativo: parcerias, consórcios e o poder local. • Objetivo 18 – Modernização do Estado: gestão ambiental e instrumentos econômicos. • Objetivo 19 – Relações internacionais e desenvolvimento sustentável. governança global para o • Objetivo 20 – Cultura cívica e novas identidades na sociedade da comunicação. • Objetivo 21 – Pedagogia da sustentabilidade: ética e solidariedade.
  50. 50. Rio + 20 • A próxima Cúpula da Terra Rio+20 – oficialmente designada como Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável em junho de 2012, no Rio de Janeiro, Brasil. Tal encontro foi uma nova tentativa das Nações Unidas, neste início do milênio, para progredir em relação ao compromisso dos Estados e da comunidade mundial com as grandes mudanças deste século XXI. Acontece vinte anos depois da primeira cúpula histórica de Rio de Janeiro, em 1992, e dez anos depois do encontro de Johanesburgo, em 2002.
  51. 51. ATIVIDADES PARA CASA • Questões a serem respondidas • 1. Qual a diferença entre contaminação e poluição? • 2. Existem formas de poluição natural?
  52. 52. ATIVIDADES PARA CASA • 2. Assistir o vídeo – os 10 ambientais que mudaram o mundo desastres • http://www.youtube.com/watch?v=mDu0BFaLtU
  53. 53. ATIVIDADE PARA CASA 3. Calcular a Pegada Ecológica A Pegada Ecológica de um país, de uma cidade ou de uma pessoa, corresponde ao tamanho das áreas produtivas de terra e de mar, necessárias para gerar produtos, bens e serviços que sustentam determinados estilos de vida. Em outras palavras,a Pegada Ecológica é uma forma de traduzir, em hectares (ha), a extensão de território que uma pessoa ou toda uma sociedade “utiliza” , em média, para se sustentar. http://www.earthday.net/footprint/ Cálculo da pegada ecológica educacaofilosofal.wordpress.com
  54. 54. Material consultado • http://www.gesamb.pt/upload/gesamb/img/Pegada_Ecologica.pdf • Introdução a Engenharia Ambiental – 2º ed. São Paulo: Pearson Prentice, 2005 • PHD 2219 - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA AMBIENTAL A Crise Ambiental e Conceitos sobre Poluição - José Carlos Mierzwa • Reflexões sobre o futuro da sustentabilidade urbana com base em um enfoque socioambiental Laura Machado de Mello Bueno cadernos metrópole 19 pp. 99-121 10 sem. 2008
  55. 55. Material consultado • PHD 2219 – Introdução à Engenharia Ambiental Aula 2 – Desenvolvimento sustentável, prevenção à poluição e produção mais limpa. USP, Faculdade de Engenharia Ambiental
  56. 56. AGENDA • 17 DE MAIO – ENTREGA DOS TRABALHOS • 17 DE MAIO - APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS • 24 DE MAIO – APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS • 07 DE JUNHO – PROVA • 14 DE JUNHO – RECUPERAÇÃO

×