SlideShare uma empresa Scribd logo
COMUNICADO
sobre a manifestação antiautoritária contra o
fascismo e o capitalismo
26 de Abril 2007



Com o intuito de protestar contra a crescente visibilidade da extrema-
direita e a sua componente racista e xenófoba, contra a cada vez maior
exploração capitalista, contra a precariedade social imposta pelo
capitalismo, contra o crescente totalitarismo democrático, pela liberdade,
solidariedade e dignidade humana, por um mundo sem fronteiras uma
plataforma de grupos e indivíduos de várias tendências anti autoritárias,
anarquistas, anti capitalistas e antifascistas convocou para o dia 25 de Abril
pelas 18:00H na praça da figueira uma manifestação anti autoritária.

A manifestação reuniu cerca de 400 pessoas que percorreram o Rossio, a
Rua do Carmo e a Rua Garrett até ao Largo de Camões num ambiente
contestatário mas festivo e sem incidentes. Muitos transeuntes aplaudiram
e aderiram à manifestação. Após um breve período em que a manifestação
permaneceu no largo Camões esta continuou espontaneamente pela Rua
Garrett em direcção ao Rossio.

A meio da Rua do Carmo, duas hordas de elementos do corpo de
intervenção da PSP encurralaram os manifestantes na rua fechando as
saídas e sem qualquer ordem ou aviso de dispersão começaram a agredir
brutal e indiscriminadamente manifestantes, transeuntes e até mesmo
turistas.Com isto a polícia não tentou dispersar ninguém, mas por outro
lado quis bater, espancar e atacar os manifestantes. Pessoas que caíram no
chão indefesas foram ainda agredidas por vários polícias à bastonada e ao
pontapé. Aqueles que tentaram fugir foram perseguidas por toda a baixa e
muitos transeuntes e lojistas somaram-se aos manifestantes no fundo da
Rua do Carmo em protesto contra a brutalidade policial. As únicas
agressões à polícia foram em legítima defesa, que é um direito ao qual não
renunciamos.

Foram detidas doze pessoas de forma bastante violenta e é impossível
contabilizar todos os feridos entre manifestantes e pessoas alheias ao
protesto. Foi mobilizado um aparato policial desmedido (dezenas de
carrinhas do corpo de intervenção da PSP com certamente mais de uma
centena de elementos) que impôs o terror na baixa de Lisboa por várias
horas. Um grupo de indivíduos que se queria juntar à manifestação e que
tinha ficado para trás foi cercado e escoltado até ao cais do sodré
(possivelmente pela sua cor de pele).

                                                                            1
Os detidos foram levados para a esquadra da 1ª divisão da PSP na Rua
Gomes Freire onde foi negada qualquer informação aos seus amigos e
durante muito tempo foi impedida a entrada aos advogados. Houve uma
tentativa de levar os detidos a constituírem-se arguidos sem a presença
dos advogados o que é ilegal. Em solidariedade com os detidos cerca de 50
pessoas concentraram-se em frente à esquadra aguardando a sua
transferência para os calabouços do comando da PSP de Lisboa. Mesmo em
frente à esquadra a polícia continuou com o abuso de poder e expulsou as
pessoas aos empurrões impedindo que estas pudessem continuar a
demonstrar a sua solidariedade.

O que tem vindo a ser noticiado nos variados órgãos de comunicação social
está repleto de incoerências e desvios daquilo que realmente aconteceu na
baixa de Lisboa. Nomeadamente, a confusão com outras manifestações, a
aceitação da versão policial dos acontecimentos e a necessidade de
caracterizar como ilegal uma característica natural das pessoas que é o
ajuntamento e a manifestação, que a democracia diz defender. Num
período em que foram muitos os ajuntamentos, manifestações, acções e
encontros este era também um protesto de repúdio aos tempos que se
vivem e aos ataques constantes do poder às pessoas.

Caricatamente é no dia 25 de Abril que a polícia defende cartazes de
partidos fascistas e ataca manifestações antifascistas.
Num momento em que já se sabia que os cravos estão murchos todos
estes acontecimentos servem para o reconfirmar.




      Plataforma antiautoritária contra o fascismo e o capitalismo

                                                      26 de Abril de 2007




                                                                        2

Mais conteúdo relacionado

Destaque (15)

Notadefalecimento
NotadefalecimentoNotadefalecimento
Notadefalecimento
 
Dodo
DodoDodo
Dodo
 
Esquema del programa
Esquema del  programaEsquema del  programa
Esquema del programa
 
Otra Xa Titulo
Otra Xa TituloOtra Xa Titulo
Otra Xa Titulo
 
Senhor Deus
Senhor DeusSenhor Deus
Senhor Deus
 
resistencia de los materiales
resistencia de los materialesresistencia de los materiales
resistencia de los materiales
 
trabajos de informatica
trabajos de informatica trabajos de informatica
trabajos de informatica
 
UEFA PRO DIPLOMA -BACINA
UEFA PRO DIPLOMA -BACINAUEFA PRO DIPLOMA -BACINA
UEFA PRO DIPLOMA -BACINA
 
hjdedjknqwc
hjdedjknqwchjdedjknqwc
hjdedjknqwc
 
Portaria cmec nº 002.2016
Portaria cmec nº 002.2016Portaria cmec nº 002.2016
Portaria cmec nº 002.2016
 
PRIPOROČILO 2
PRIPOROČILO 2PRIPOROČILO 2
PRIPOROČILO 2
 
supervisão e contolo de edificíos Eurodomótica
supervisão e contolo de edificíos Eurodomóticasupervisão e contolo de edificíos Eurodomótica
supervisão e contolo de edificíos Eurodomótica
 
EnergiaBN noticias 200708
EnergiaBN noticias 200708EnergiaBN noticias 200708
EnergiaBN noticias 200708
 
comf
comfcomf
comf
 
Marce
MarceMarce
Marce
 

Semelhante a Comunicadoplataformaantiautoritaria

25 de abril de 1974 (2)
25 de abril de 1974 (2)25 de abril de 1974 (2)
25 de abril de 1974 (2)
adelaide1970
 
Artigo de Maria Socorro Abreu na revista Clio de História da UFPE em 2008
Artigo de Maria Socorro Abreu na revista Clio de História da UFPE em 2008Artigo de Maria Socorro Abreu na revista Clio de História da UFPE em 2008
Artigo de Maria Socorro Abreu na revista Clio de História da UFPE em 2008
citacoesdosprojetosdeotavioluizmachado
 
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XXPrincipais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Elton Zanoni
 
A EXCLUSÃO SOCIAL NO RIO DE JANEIRO NO SÉC. XX E XXI
A EXCLUSÃO SOCIAL NO RIO DE JANEIRO NO SÉC. XX E XXIA EXCLUSÃO SOCIAL NO RIO DE JANEIRO NO SÉC. XX E XXI
A EXCLUSÃO SOCIAL NO RIO DE JANEIRO NO SÉC. XX E XXI
Zelma Alzareth Almeida
 
25 de Abril_.pptxk'opkjiuiy656564exgfcxfd
25 de Abril_.pptxk'opkjiuiy656564exgfcxfd25 de Abril_.pptxk'opkjiuiy656564exgfcxfd
25 de Abril_.pptxk'opkjiuiy656564exgfcxfd
HlderSilva41
 
Juventude e rebelioes s 2013 31dez
Juventude e rebelioes s 2013 31dezJuventude e rebelioes s 2013 31dez
Juventude e rebelioes s 2013 31dez
Elisio Estanque
 
25.02.atividade.atualidades.2 a.32c.frenteverso
25.02.atividade.atualidades.2 a.32c.frenteverso25.02.atividade.atualidades.2 a.32c.frenteverso
25.02.atividade.atualidades.2 a.32c.frenteverso
DouglasElaine Moraes
 
1243337190 25 de_abil
1243337190 25 de_abil1243337190 25 de_abil
1243337190 25 de_abil
Pelo Siro
 
Relações entre a poesia marginal e a política dos anos 70 no brasil
Relações entre a poesia marginal e a política dos anos 70 no brasilRelações entre a poesia marginal e a política dos anos 70 no brasil
Relações entre a poesia marginal e a política dos anos 70 no brasil
Luciana Borges
 
6c o papel_dos_movimentos_culturais
6c o papel_dos_movimentos_culturais6c o papel_dos_movimentos_culturais
6c o papel_dos_movimentos_culturais
der-nader-777
 

Semelhante a Comunicadoplataformaantiautoritaria (20)

25 de Abril de 1974
25 de Abril de 197425 de Abril de 1974
25 de Abril de 1974
 
25 de Abril
25 de Abril25 de Abril
25 de Abril
 
25 de abril de 1974 (2)
25 de abril de 1974 (2)25 de abril de 1974 (2)
25 de abril de 1974 (2)
 
Quem te enfia as luvas? Blockupy 2013 – Apontamentos sobre as jornadas de pro...
Quem te enfia as luvas? Blockupy 2013 – Apontamentos sobre as jornadas de pro...Quem te enfia as luvas? Blockupy 2013 – Apontamentos sobre as jornadas de pro...
Quem te enfia as luvas? Blockupy 2013 – Apontamentos sobre as jornadas de pro...
 
Artigo de Maria Socorro Abreu na revista Clio de História da UFPE em 2008
Artigo de Maria Socorro Abreu na revista Clio de História da UFPE em 2008Artigo de Maria Socorro Abreu na revista Clio de História da UFPE em 2008
Artigo de Maria Socorro Abreu na revista Clio de História da UFPE em 2008
 
Slide sobre ditadura
Slide sobre ditaduraSlide sobre ditadura
Slide sobre ditadura
 
Salazarismo
SalazarismoSalazarismo
Salazarismo
 
Movimentos de vanguarda no brasil
Movimentos de vanguarda no brasilMovimentos de vanguarda no brasil
Movimentos de vanguarda no brasil
 
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XXPrincipais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XX
 
A EXCLUSÃO SOCIAL NO RIO DE JANEIRO NO SÉC. XX E XXI
A EXCLUSÃO SOCIAL NO RIO DE JANEIRO NO SÉC. XX E XXIA EXCLUSÃO SOCIAL NO RIO DE JANEIRO NO SÉC. XX E XXI
A EXCLUSÃO SOCIAL NO RIO DE JANEIRO NO SÉC. XX E XXI
 
25 de Abril_.pptxk'opkjiuiy656564exgfcxfd
25 de Abril_.pptxk'opkjiuiy656564exgfcxfd25 de Abril_.pptxk'opkjiuiy656564exgfcxfd
25 de Abril_.pptxk'opkjiuiy656564exgfcxfd
 
Exemplo de reportagem
Exemplo de reportagemExemplo de reportagem
Exemplo de reportagem
 
Juventude e rebelioes s 2013 31dez
Juventude e rebelioes s 2013 31dezJuventude e rebelioes s 2013 31dez
Juventude e rebelioes s 2013 31dez
 
25.02.atividade.atualidades.2 a.32c.frenteverso
25.02.atividade.atualidades.2 a.32c.frenteverso25.02.atividade.atualidades.2 a.32c.frenteverso
25.02.atividade.atualidades.2 a.32c.frenteverso
 
1243337190 25 de_abil
1243337190 25 de_abil1243337190 25 de_abil
1243337190 25 de_abil
 
Relações entre a poesia marginal e a política dos anos 70 no brasil
Relações entre a poesia marginal e a política dos anos 70 no brasilRelações entre a poesia marginal e a política dos anos 70 no brasil
Relações entre a poesia marginal e a política dos anos 70 no brasil
 
Oestadonovoeo25deabril afonso-120525154212-phpapp01
Oestadonovoeo25deabril afonso-120525154212-phpapp01Oestadonovoeo25deabril afonso-120525154212-phpapp01
Oestadonovoeo25deabril afonso-120525154212-phpapp01
 
6c o papel_dos_movimentos_culturais
6c o papel_dos_movimentos_culturais6c o papel_dos_movimentos_culturais
6c o papel_dos_movimentos_culturais
 
Boletim lgbt-2019
Boletim lgbt-2019Boletim lgbt-2019
Boletim lgbt-2019
 
O papel dos movimentos sócio-culturaisnos anos de chumbo
O papel dos movimentos sócio-culturaisnos anos de chumboO papel dos movimentos sócio-culturaisnos anos de chumbo
O papel dos movimentos sócio-culturaisnos anos de chumbo
 

Mais de Moriae

The People United Will Never Be Defeated
The People United Will Never Be DefeatedThe People United Will Never Be Defeated
The People United Will Never Be Defeated
Moriae
 

Mais de Moriae (20)

Biosofia Nº28 Musicoterapia Marg Azevedo
Biosofia Nº28 Musicoterapia Marg AzevedoBiosofia Nº28 Musicoterapia Marg Azevedo
Biosofia Nº28 Musicoterapia Marg Azevedo
 
primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...
primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...
primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...
 
Carta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo) Ler Até Ao Fim
Carta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo)   Ler Até Ao FimCarta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo)   Ler Até Ao Fim
Carta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo) Ler Até Ao Fim
 
Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet
Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet
Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet
 
The People United Will Never Be Defeated
The People United Will Never Be DefeatedThe People United Will Never Be Defeated
The People United Will Never Be Defeated
 
Iniciativa do BE
Iniciativa do BE Iniciativa do BE
Iniciativa do BE
 
Comunicado da Escola de Música do Conservatório Nacional
Comunicado da Escola de Música do Conservatório NacionalComunicado da Escola de Música do Conservatório Nacional
Comunicado da Escola de Música do Conservatório Nacional
 
Dl 3 2008
Dl 3 2008Dl 3 2008
Dl 3 2008
 
"Evolução do ensino da matemática em Portugal"
"Evolução do ensino da matemática em Portugal""Evolução do ensino da matemática em Portugal"
"Evolução do ensino da matemática em Portugal"
 
Um Português Contribuinte
Um Português ContribuinteUm Português Contribuinte
Um Português Contribuinte
 
Carta aberta ao Senhor Presidente da República Portuguesa
Carta aberta ao Senhor Presidente da República PortuguesaCarta aberta ao Senhor Presidente da República Portuguesa
Carta aberta ao Senhor Presidente da República Portuguesa
 
Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl Manchete, 2001
Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl   Manchete, 2001Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl   Manchete, 2001
Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl Manchete, 2001
 
Ana Cristina Pereira
Ana Cristina PereiraAna Cristina Pereira
Ana Cristina Pereira
 
ConclusõEs Debate Julho
ConclusõEs Debate JulhoConclusõEs Debate Julho
ConclusõEs Debate Julho
 
Ana LuíSa EsperançA
Ana LuíSa EsperançAAna LuíSa EsperançA
Ana LuíSa EsperançA
 
Spgl Sindicato Dos Professores Da Grande Lisboa
Spgl   Sindicato Dos Professores Da Grande LisboaSpgl   Sindicato Dos Professores Da Grande Lisboa
Spgl Sindicato Dos Professores Da Grande Lisboa
 
Afinal Há Democracia
Afinal Há DemocraciaAfinal Há Democracia
Afinal Há Democracia
 
Cheira Ao Medo Do Antigamente
Cheira Ao Medo Do AntigamenteCheira Ao Medo Do Antigamente
Cheira Ao Medo Do Antigamente
 
LegislaçãO Proposta
LegislaçãO PropostaLegislaçãO Proposta
LegislaçãO Proposta
 
Manig5julho
Manig5julhoManig5julho
Manig5julho
 

Comunicadoplataformaantiautoritaria

  • 1. COMUNICADO sobre a manifestação antiautoritária contra o fascismo e o capitalismo 26 de Abril 2007 Com o intuito de protestar contra a crescente visibilidade da extrema- direita e a sua componente racista e xenófoba, contra a cada vez maior exploração capitalista, contra a precariedade social imposta pelo capitalismo, contra o crescente totalitarismo democrático, pela liberdade, solidariedade e dignidade humana, por um mundo sem fronteiras uma plataforma de grupos e indivíduos de várias tendências anti autoritárias, anarquistas, anti capitalistas e antifascistas convocou para o dia 25 de Abril pelas 18:00H na praça da figueira uma manifestação anti autoritária. A manifestação reuniu cerca de 400 pessoas que percorreram o Rossio, a Rua do Carmo e a Rua Garrett até ao Largo de Camões num ambiente contestatário mas festivo e sem incidentes. Muitos transeuntes aplaudiram e aderiram à manifestação. Após um breve período em que a manifestação permaneceu no largo Camões esta continuou espontaneamente pela Rua Garrett em direcção ao Rossio. A meio da Rua do Carmo, duas hordas de elementos do corpo de intervenção da PSP encurralaram os manifestantes na rua fechando as saídas e sem qualquer ordem ou aviso de dispersão começaram a agredir brutal e indiscriminadamente manifestantes, transeuntes e até mesmo turistas.Com isto a polícia não tentou dispersar ninguém, mas por outro lado quis bater, espancar e atacar os manifestantes. Pessoas que caíram no chão indefesas foram ainda agredidas por vários polícias à bastonada e ao pontapé. Aqueles que tentaram fugir foram perseguidas por toda a baixa e muitos transeuntes e lojistas somaram-se aos manifestantes no fundo da Rua do Carmo em protesto contra a brutalidade policial. As únicas agressões à polícia foram em legítima defesa, que é um direito ao qual não renunciamos. Foram detidas doze pessoas de forma bastante violenta e é impossível contabilizar todos os feridos entre manifestantes e pessoas alheias ao protesto. Foi mobilizado um aparato policial desmedido (dezenas de carrinhas do corpo de intervenção da PSP com certamente mais de uma centena de elementos) que impôs o terror na baixa de Lisboa por várias horas. Um grupo de indivíduos que se queria juntar à manifestação e que tinha ficado para trás foi cercado e escoltado até ao cais do sodré (possivelmente pela sua cor de pele). 1
  • 2. Os detidos foram levados para a esquadra da 1ª divisão da PSP na Rua Gomes Freire onde foi negada qualquer informação aos seus amigos e durante muito tempo foi impedida a entrada aos advogados. Houve uma tentativa de levar os detidos a constituírem-se arguidos sem a presença dos advogados o que é ilegal. Em solidariedade com os detidos cerca de 50 pessoas concentraram-se em frente à esquadra aguardando a sua transferência para os calabouços do comando da PSP de Lisboa. Mesmo em frente à esquadra a polícia continuou com o abuso de poder e expulsou as pessoas aos empurrões impedindo que estas pudessem continuar a demonstrar a sua solidariedade. O que tem vindo a ser noticiado nos variados órgãos de comunicação social está repleto de incoerências e desvios daquilo que realmente aconteceu na baixa de Lisboa. Nomeadamente, a confusão com outras manifestações, a aceitação da versão policial dos acontecimentos e a necessidade de caracterizar como ilegal uma característica natural das pessoas que é o ajuntamento e a manifestação, que a democracia diz defender. Num período em que foram muitos os ajuntamentos, manifestações, acções e encontros este era também um protesto de repúdio aos tempos que se vivem e aos ataques constantes do poder às pessoas. Caricatamente é no dia 25 de Abril que a polícia defende cartazes de partidos fascistas e ataca manifestações antifascistas. Num momento em que já se sabia que os cravos estão murchos todos estes acontecimentos servem para o reconfirmar. Plataforma antiautoritária contra o fascismo e o capitalismo 26 de Abril de 2007 2