Movimentos de vanguarda no brasil

481 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado pela primeira turma da Serviço Social da Universidade Federal da Integração Latino-Americana - UNILA na disciplina de Fundamentos de América Latina 01.
O referido trabalho retrata alguns movimentos de vanguarda brasileiros na atualidade.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
481
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Movimentos de vanguarda no brasil

  1. 1. GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL FUNDAMENTOS DE AMÉRICA LATINA UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA – UNILA GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL – 2015.1 FUNDAMENTOS DE AMÉRICA LATINA MOVIMENTOS DE VANGUARDA DISCENTES: Edna Batista Filipe Neri Monica Ayumi DOCENTE: Ana Fonseca Foz do Iguaçu, 27 de maio de 2015.
  2. 2. GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL FUNDAMENTOS DE AMÉRICA LATINA Movimentos de Vanguarda O que, quando e onde? • O que é vanguarda? A palavra “Vanguarda” é originada da expressão francesa “Avant-Garde”, que significa a parte frontal de um exército. • Quando surgiu o movimento de vanguarda? Seu uso metafórico data de inícios do século XX, o uso anglo-americano é reservado a assuntos políticos (como "partido de vanguarda"), e o francês avant-garde, no sentido de liderança cultural e artística. • Onde surgiu o movimento de vanguarda? O Movimento de vanguarda teve seu início com o Modernismo brasileiro, oficialmente em 1922, com a realização da Semana de Arte Moderna. Porém, desde a década de 1910 já vinham ocorrendo manifestações artísticas de um grupo que formava a vanguarda modernista brasileira, entre eles os escritores Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Ronald de Carvalho, Manuel Bandeira, Juó Bananére(pseudônimo de Alexandre Marcondes Machado) e dos pintores Anita Malfatti e Di cavalcanti. Entre os fatos que precederam a Semana de Arte Moderna destacam-se a criação da revista de artes O Pirralho, dirigida por Oswald de Andrade e Emílio de Menezes, e 191; a exposição de obras do pintor russo Lasar Segall, em 1913; a participação do poeta brasileiro Ronald de Carvalho, em 1915, na fundação da revista Orphel, que deu início ao Modernismo e Portugal; a publicação, em 1917, de várias obras de poesia, entre elas Há uma gota de sangue em cada poema, de Mário de Andrade (que usou o nome Mário Sobral), e A cinza das horas, de Manuel bandeira Moda Vanguardista Nasceu em meados do século XIX, mas nunca foi totalmente esquecida, pois de tempos em tempos ela retorna as passarelas do mundo todo, e não está sendo diferente neste século Movimentos Sociais de Vanguarda – MST Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra – MST, mais conhecido como o “Movimento dos sem Terra”, luta pela igualdade na distribuição de terra e pela justiça social através da reforma agrária desde a década de 70. Até hoje o movimento é criticado e, também, marginalizado por muitas pessoas.
  3. 3. GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL FUNDAMENTOS DE AMÉRICA LATINA Movimentos Sociais de Vanguarda – MULHERES Consideramos o movimento de mulheres, ou movimento feminista, uma vanguarda pelo fato de que desde o surgimento do mesmo sempre lutaram não apenas por direitos iguais, mas por igualdade de gênero. Quando esse movimento surgiu, as lutas eram pelo voto igualitário, hoje é para além disso. As lutas vão desde a igualdade até o direito à liberdade e autonomia do próprio corpo da mulher e combate ao machismo encrustado em nossa sociedade. Movimentos Sociais de Vanguarda – NEGRO Consideramos o movimento negro como vanguarda, pois desde a década de 70, esse, então segmento, lutava pela questão de uma democracia racial no país. Hoje, essa população, luta por igualdade, criminalizando o racismo e politizando a sociedade. Sociedade esta, que no atual momento vive o mito de uma democracia racial onde o racismo é velado. Movimentos Sociais de Vanguarda – LGBT Consideramos o movimento LGBT como vanguarda tendo em vista que desde a década de 70, esse movimento vem lutando constantemente pela criminalização da homofobia, pela igualdade de gênero, pela liberdade e pela garantia de direitos humanos, como por exemplo o casamento civil LGBT. ARTE DE RUA – GRAFFITI A crítica vem em forma de tinta que ganha contornos nos muros e paredes, becos e vielas. No dia a dia, ela pode até passar despercebida, mas basta que o olhar pouse no grafitti para que o “tapa na cara” seja dado. Pelo menos essa é a intenção do artista de rua. Ele prefere os muros ao cárcere de um museu, usa a tinta como meio para propagar suas reflexões e revoltas, utilizando a figura de pessoas e, muitas vezes, criando diálogos e frases que enriquecem ainda mais a reflexão. ARTE DE RUA – HIP HOP Em seu conceito mais amplo, o Hip Hop é uma vanguarda. Através de seus movimentos, música e dança, enfrentam diversos problemas de ordem social como pobreza, violência, racismo, tráfico de drogas, carência de infraestrutura e de educação, entre outros. Tiram crianças e adolescentes do mundo do crime e do
  4. 4. GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL FUNDAMENTOS DE AMÉRICA LATINA tráfico. Porém, esse, como vários outros movimentos sempre foram e continuam sendo marginalizado por uma sociedade preconceituosa. ARTE DE RUA – RAP O Rap é um movimento de vanguarda, pois sempre deu um tapa na cara da sociedade e do Estado. Através de rimas e poesias, combate várias formas de violência e opressão desde seu surgimento. Muito próximo do hip hop e ao graffiti, também luta por suas mesmas causas. Na atualidade podemos observar que esse movimento vem mudando cada dia mais. Antigamente era muito difícil vermos mulheres no mundo rap. Hoje existem grupos feministas de rap que lutam pela afirmação do papel da mulher na sociedade através de músicas com letras de temáticas fortes, discutindo a questão da mulher negra e pobre na sociedade, além de assuntos relacionados à exclusão social e também ao próprio preconceito que elas vivem por serem mulheres ocupando espaços que antes eram tidos apenas como espaços masculinos.

×