super-heróis semiótica

2.603 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.603
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

super-heróis semiótica

  1. 1. Super-Heróis Alexandre Assmann, André Monteiro, César Augusto, Fernanda Climus, Mateus Atz e Rafael Torres Mitologia de Marcas:
  2. 2. História e origem - Fundada em 1934, por Wheeler-Nicholson e Harry Donenfeld . - Originalmente conhecida como National Comic, pois comprava os heróis de outras editoras dos EUA. - Passou a adotar a sigla “DC”, que significa Detective Comics, por ter o Batman – um detetive – como uma de suas primeiras publicações.
  3. 3. - Começou com o nome de Timely Comics. - Também conhecida como “House of Ideas” (Casa das Ideias, em português), . - Fundada em 1939, por Martin Goodman . História e origem
  4. 4. A grande diferença - A DC costumava comprar super-heróis criados por editoras menores, e unia todos eles em um mesmo selo. - A Marvel Comics, por sua vez, criava todos os heróis, ganhando assim o reconhecimento de “casa das ideias”.
  5. 5. A grande diferença - A palavra “Marvel” significa “ Maravilha ”, em inglês. E, a própria empresa busca uma identidade mais “ espetacular ”, mais “ fantasiosa ” do que sua concorrente. Assim, ela consegue passar para muitos de seus consumidores uma imagem de histórias voltadas para uma temática mais infantil . - A DC tem personagens – com algumas exceções – mais sóbrios do que os da Marvel, além de ter sido a pioneira em quadrinhos voltados para um público adulto . Dessa forma, passa uma imagem mais “ séria ”, com histórias mais “ sombrias ”, mais “ complexas ”, voltadas para um público já mais adulto .
  6. 6. O surgimento dos heróis - Marvel e DC criam marcas que carregam uma personalidade e um significado maior que elas próprias. - Essas marcas são os super-heróis. Eles se tornam mais famosos que seus próprios criadores, se tornam um exemplo para as pessoas , se tornam ídolos , mesmo que fictícios.
  7. 7. O surgimento dos heróis - Muitas ideias implantadas nos “super poderes”, são baseadas em mitologias como a grega, romana e nórdica. - O Flash, da DC, é baseado em Mercúrio, o deus da venda, do lucro e do comércio, que era o mensageiro do deus Júpiter. Mercúrio tinha um capacete com asas , e era muito veloz .
  8. 8. O surgimento dos heróis - É interessante observar que os heróis são criados também a partir das influências sociais e culturais que a sociedade está passando. - Batman foi criado logo após a Grande Depressão, momento marcado pelo crescimento do crime organizado, a máfia, nos Estados Unidos. - Dessa forma, assim como os antigos deuses, pode-se dizer que os super-heróis carregam uma simbologia representativa das pessoas , ou seja, as pessoas se identificam , muitas vezes, com os personagens. Por isso eles são tão adorados . - Quando ele era um garoto, seus pais foram assassinados por gângsters, em um beco.
  9. 9. A influência cultural - Super-heróis são mitos, pois estão presentes na cultura atual, em diversas áreas e categorias. - Publicidade, cinema, livros, hq’s, jogos, roupas.
  10. 10. A influência cultural - Ao comprar um produto da Marvel ou da DC, a impressão é de estar comprando um produto proveniente da cultura pop, e não de uma empresa. - Devido a isso que não é comum de se ver comerciais de histórias em quadrinhos. Isso ocorre graças à “culturização” que acaba envolvendo os super-heróis. Eles se tornam parte de uma cultura, e não produtos de uma empresa.
  11. 11. A marca da marca - O Homem Aranha já é uma marca, e a exemplo disso vemos produtos baseados exclusivamente nele. - Além disso, ele já é mais popular do que a própria Marvel , empresa e marca que o criou e que o detém.
  12. 12. De uns tempos pra cá... - Há, simultaneamente, um tratamento mais realista, mas também mais cômico quanto aos super-heróis, suas qualidades e seus defeitos, e o mundo em que vivem. - Em Watchmen, da década de 80, a grande diferença é exatamente a inserção de heróis no mundo real . - Ou seja, há uma mudança do significado exato de um super-herói, já que há uma preocupação de torná-lo mais realista . De trazer o super-herói até o nosso mundo , ao invés de criar um próprio para ele.
  13. 13. De uns tempos pra cá... - Há uma reflexão de como a história poderia ter sido escrita, em aspectos políticos e sociais realistas. - Trama se passa no mundo “real”, que passa pela Guerra Fria, à beira da explosão de uma nova guerra mundial.
  14. 14. Vídeo - Watchmen - 05 minutos e 41 segundos
  15. 15. De uns tempos pra cá... - Em 2008, é lançado Kick-ass, o mais novo super-herói criado. Mas, ele não é exatamente um super-herói. - O protagonista é um adolescente totalmente comum. - Assim como em Watchmen, a história se passa em um mundo mais “real”, sem anomalias genéticas e características do tipo. - A história é descompromissada e cheia de sátiras aos super-heróis.
  16. 16. Vídeos Kick-ass - 01 minutos e 05 segundos até 02 minutos e 05 segundos - 15 minutos até 18 minutos e 05 segundos
  17. 17. - Em outras palavras, os super-heróis continuam fazendo parte da cultura e, além disso, estão cada vez mais tendo seus mundos e “realidades paralelas” tendo semelhanças com a realidade que vivemos no dia-a-dia. De uns tempos pra cá...

×