SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa
Rua Joaquim Távora 757 - Vila mariana
Proibida reprodução sem autorização
1
Como Freud
Desenvolveu a
Psicanálise
Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa
Rua Joaquim Távora 757 - Vila mariana
Proibida reprodução sem autorização
2
A Psicanálise é uma disciplina científica desenvolvida por Sigmund Freud. A teoria
psicanalítica é composta por um corpo de hipóteses a respeito do funcionamento e desenvolvimento da
mente do homem, ela se interessa tanto pelo funcionamento mental normal como pelo patológico,
embora a prática da psicanálise consista no tratamento de pessoas que se acham enfermas.
Duas hipóteses fundamentais da psicanálise são:
1) Princípio do determinismo psíquico ou da causalidade.
2) Proposição de que a consciência é antes um atributo excepcional
do que um atributo comum dos processos psíquicos. Os processos
mentais inconscientes são de maior frequência e significado no
funcionamento mental normal, bem como no anormal.
Estas 2 hipóteses fundamentais se relacionam, mutuamente: "o princípio do determinismo
psíquico baseia-se em que os fenómenos mentais têm total conexão com todos os outros
fenómenos mentais que os precedeam? existindo uma total continuidade na vida mental. Assim, tanto
na mente como na natureza física que nos cerca nada acontece por acaso, cada evento psíquico é
determinado por aqueles que o precederam. Dessa maneira não existe fenómeno psíquico acidental
ou sem significação. Cada sintoma neurótico é provocado por outros processosmentais,
apesar do fato de que o próprio paciente frequentemente considere o sintoma como estranho a
seu ser como um todo e completamente desligado do resto de sua vida mental, contudo, as
conexões existem e são demonstráveis, apesar de o paciente não se dar conta de sua presença.
Neste ponto, percebemos que estamos falando não só do princípio do determinismo
psíquico como também, da Segunda hipótese, que diz que os processos mentais inconscientes são
de grande frequência. Existe um grande significado nos processos mentais inconscientes, isto é, dos
quais o indivíduo não se dá conta.
Para Freud, até mesmo os sonhos são uma consequência de outros eventos psíquicos e
cada sonho mantém uma relação coerente e significativa com o restante da vida psíquica da pessoa
que sonha.
A relação entre as 2 hipóteses é tão íntima que dificilmente se pode examinar uma, sem
suscitar a outra. O fato de tantas coisas que acontecem em nossa mente serem desconhecidas
para nós (inconscientes) é responsável pela aparente descontinuidade em nossa vida mental.
Quando um pensamento, um sentimento, um esquecimento acidental, um sonho ou um sintoma
parecem não se relacionar com algo que aconteceu antes na mente, isso significa que sua
conexão causal se apresenta em algum processo mental inconsciente em vez de num
processo consciente. Se se conseguir descobrir a causa ou causas inconscientes, então todas
as descontinuidades aparentes desaparecem e a cadeia causal ou sequência, torna-se clara. Ex:
Uma pessoa surpreende-se cantando uma música e pensa como ou porque,ela estaria
cantarolando extamente aquela música que ela não ouve há algum tempo, outra pessoa que está
por perto, diz que a música acabou de ser tocada no rádio, só que ela estava tão abstraída em
seus pensamentos, que não se deu conta disso, a música ficou no seu incosciente, para essa
pessoa sua experiência subjetiva foi de uma descontinuidade em seus pensamentos, sendo
necessário o testemunho de outra pessoa para remover a aparência de descontinuidade e tornar
clara a cadeia causal. Este é um exemplo muito simples da descoberta de um processo mental
inconsciente.
Não existe um método direto que nos permita observar os processos mentail
Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa
Rua Joaquim Távora 757 - Vila mariana
Proibida reprodução sem autorização
3
inconscientes, todos os métodos para estudar tais fenómenos são indiretos.O método mais eficaz
e de maior confiança de que dispomos para estudar os processos mentais inconscientes é aquele
desenvolvido durante anos por Freud, ou seja, a PSICANÁLISE.
Na época em que Freud desenvolveu a sua psicanálise, a medicina ainda era um
tanto rudimentar, problemas psíquicos eram frequentemente tratados por neurologistas. Freud,
formado médico neuro anatomista e neurologista, estudou e utilizou os métodos de
tratamento para histeria preconizados pelo grande neurologista da época Erb, que eram
considerados os mais científicos e que estavam à disposição, que eram os tratamentos elétricos,
mas Freud concluiu que esse tipo de tratamento para histeria era inútil.
Freud foi para Paris em 1885, onde estudou na clínica do Dr. Charcot, com este
aprendeu a técnica da hipnose para cura da histeria. Como outros neurologistas de seu tempo ele
procurou curar seus pacientes pela sugestão hipnótica com diferentes graus de êxito, foi mais ou
menos nessa mesma época que seu amigo Breuer, que era médico clínico de grande reputação, lhe
contou uma experiência que fizera com uma paciente histérica anos antes, ele relatou que os
sintomas histéricos da mulher desapareceram quando ela foi capaz, em estado hipnótico, de
recordar a experiência e emoção associada que conduzira ao sintoma em questão, seus sintomas
puderam ser afastados ao conversar sobre eles sob hipnose. Entusiasmado, Freud, Aplicou esse
método no tratamento de seus próprios pacientes histéricos com bons resultados, ele foi se
aperfeiçoando cada vez mais e estudou também os métodos hipnóticos do francês Bernheim, que por
sua vez, demonstrou que a amnésia de um paciente durante as suas experiências hipnóticas pudia ser
removida sem voltar a hipnotizar o paciente, forçando-o a recordar aquilo que afirmava que não
podia. Se a insistência fosse bastante persistente e poderosa o paciente acabava por relembrar o
que havia esquecido sem ser rehipnotizado. Freud, deduziu com base nisso, que poderia ser capaz
também de remover a amnésia histérica sem hipnose e começou a fazê-lo. À partir desse início,
desenvolveu a técnica psicanalítica, cuja a essência consiste em que o paciente fale para o psicanlista
qualquer pensamento, sem exceção, que lhe venha à mente sem necesidade de uma orientação
consciente ou uma censura.
O Grande valor de o paciente renunciar ao controle consciente de seus pensamentos é que
tudo o que ele diz, é determinado por motivos e pensamentos inconscientes. Desse modo Freud
ouvindo as associações livres (do consciente) do paciente, ele era capaz de formar uma imagem do
que inconscientemente estava ocorrendo na mente do paciente; e durante anos usando esse método
ele concluiu que não só os sintomas histéricos poderiam ser cuidados, mas também muitos outros
aspectos normais ou patológicos do comportamento e do pensamento, que eram o resultado
do que inconscientemente estava acontecendo na mente do indivíduo que os apresentava.
No estudo dos fenómenos mentais inconscientes, Freud descobriu que eles
poderiam ser divididos em dois grupos:
a)Pré-conscientes: Que poderiam se tornar conscientes facilmente, apenas com
um esforço de atenção ou memória.
b)Inconscientes: Barrados da consciência por uma força considerável e que só se
tornariam conscientes através de um esforço muito grande. Freud demonstrou que o inconsciente
exerce a mais significativa influência no funcionamento mental, e demonstrou ainda, que os
processos inconscientes podem ser bastante comparáveis as conscientes em precisão e
complexidade. Para exemplificar, podemos citar a sugestão pós-hipnótica, um paciente durante seu
transe hipnótico é induzido a uqe depois de sair desse transe, dê corda em seu relógio, é induzido
tambám a não se lembrar do que aconteceu durante esse transe hipnótico. Quando o terapeuta o
Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa
Rua Joaquim Távora 757 - Vila mariana
Proibida reprodução sem autorização
4
acorda, ele ímadiatamente começa a dar corda no relógio sem saber porquê, esta experiência
demonstra claramente que um processo mental verdadeiramente inconsciente pode ter um efeito
dinâmico ou motor sobre o pensamento e o comportamento.
Baseado em sua técnica psicanalítica, Freud, desenvolveu um estudo minucioso
sobre os sonhos, e este estudo se tornou também uma de suas maiores realizações. Seu livro "A
Interpretação dos sonhos", situa-se entre os maiores e mais revolucionários livros científicos de
todos os tempos. Freud demonstrou que por trás de todo sonho existem pensamentos e desejos
inconscientes ativos. Demonstrou também que no estado de vigilha uqe precede o sono, ocorre um
fenómeno que chamamos de lapso: Lapso de memória, de linguagem, de escrita e similaresque
foram chamados de atos erróneos ou atos falhos, ou seja, é fácil esquecer algo desagradável ou
esquecer um encontro com uma pessoa desagradável.
Outro aspecto evidente de que os processos mentais inconscientes do indivíduo são
de extrema importância é que o comportamento de uma pessoa pode parecer óbvio para o observador,
porém, o próprio indivíduo desconhece. Se o paciente é portador de uma cegueira histérica sabemos
que inconscientemente existe algo que ele não deseja ver, ou que sua consciência o proíbe de olhar,
nós sabemos, mas ele não!
Concluindo, sabemos hoje, através das teorias de Freud, que consciência e
funcionamento mental não são sinônimos, sabemos também que a consciência não necessita
nessesariamente participar das atividades mentais que são decisivas na determinação do
comportamento do indivíduo, tais atividades podem ser completamente inconscientes. Para tratar as
patologias, Freud desenvolveu, à partir do estudo da hipnose, a qual elimina a ação do consciente, a
técnica psicanalítica, que promove a expressão do inconsciente do paciente, que se abstrai da
realidade sem que se recorra à hipnose. Essa técnica revolucionou o mundo dos estudos e tratamentos
da mente humana.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnico
Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnicoQuarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnico
Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnicoCeiClarencio
 
A pesquisa mediúnica na obra de lamartine palhano!
A pesquisa mediúnica na obra de lamartine palhano!A pesquisa mediúnica na obra de lamartine palhano!
A pesquisa mediúnica na obra de lamartine palhano!Leonardo Pereira
 
Apostila historia do movimento psicanalitico
Apostila historia do movimento psicanaliticoApostila historia do movimento psicanalitico
Apostila historia do movimento psicanaliticoluizadell
 
Psicanalise Ontem Psicanalise Hoje
Psicanalise Ontem Psicanalise Hoje Psicanalise Ontem Psicanalise Hoje
Psicanalise Ontem Psicanalise Hoje ciacinco
 
Piscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifaPiscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifa27101992
 
Fundamentos de psicopatologia
Fundamentos de psicopatologiaFundamentos de psicopatologia
Fundamentos de psicopatologiaUNICEP
 
Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Caio Grimberg
 
Power point do Curso de Terapia de Vidas Passadas - Dias 10 e 11.6.2017
Power point do Curso de Terapia de Vidas Passadas - Dias 10 e 11.6.2017Power point do Curso de Terapia de Vidas Passadas - Dias 10 e 11.6.2017
Power point do Curso de Terapia de Vidas Passadas - Dias 10 e 11.6.2017tacio111
 
Palestra "O Mapa da Alma de Carl G. Jung"
Palestra "O Mapa da Alma de Carl G. Jung"Palestra "O Mapa da Alma de Carl G. Jung"
Palestra "O Mapa da Alma de Carl G. Jung"Tacio Aguiar
 
117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-ii117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-iiSilvana Eloisa
 

Mais procurados (17)

Hipnose
HipnoseHipnose
Hipnose
 
Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnico
Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnicoQuarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnico
Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnico
 
A pesquisa mediúnica na obra de lamartine palhano!
A pesquisa mediúnica na obra de lamartine palhano!A pesquisa mediúnica na obra de lamartine palhano!
A pesquisa mediúnica na obra de lamartine palhano!
 
O que é transe?
O que é transe?O que é transe?
O que é transe?
 
Transe mediúnico
Transe mediúnicoTranse mediúnico
Transe mediúnico
 
Apostila historia do movimento psicanalitico
Apostila historia do movimento psicanaliticoApostila historia do movimento psicanalitico
Apostila historia do movimento psicanalitico
 
O Inconciente
O InconcienteO Inconciente
O Inconciente
 
Psicanalise Ontem Psicanalise Hoje
Psicanalise Ontem Psicanalise Hoje Psicanalise Ontem Psicanalise Hoje
Psicanalise Ontem Psicanalise Hoje
 
Piscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifaPiscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifa
 
Freud e o inconsciente
Freud e o inconscienteFreud e o inconsciente
Freud e o inconsciente
 
Fundamentos de psicopatologia
Fundamentos de psicopatologiaFundamentos de psicopatologia
Fundamentos de psicopatologia
 
Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010
 
Power point do Curso de Terapia de Vidas Passadas - Dias 10 e 11.6.2017
Power point do Curso de Terapia de Vidas Passadas - Dias 10 e 11.6.2017Power point do Curso de Terapia de Vidas Passadas - Dias 10 e 11.6.2017
Power point do Curso de Terapia de Vidas Passadas - Dias 10 e 11.6.2017
 
Freud 1
Freud 1Freud 1
Freud 1
 
Palestra "O Mapa da Alma de Carl G. Jung"
Palestra "O Mapa da Alma de Carl G. Jung"Palestra "O Mapa da Alma de Carl G. Jung"
Palestra "O Mapa da Alma de Carl G. Jung"
 
117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-ii117435947 psicopatologia-ii
117435947 psicopatologia-ii
 
Psicoses
PsicosesPsicoses
Psicoses
 

Semelhante a Como Freud desenvolveu a Psicanálise em

Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdfAna Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdfJordanPrazeresFreita
 
Ciência cognitiva hipnose
Ciência cognitiva   hipnoseCiência cognitiva   hipnose
Ciência cognitiva hipnoseWagner Kinera
 
Freud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método PsicanalíticoFreud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método PsicanalíticoJohn Wainwright
 
Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Caio Grimberg
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a PsicanálisePaulo Gomes
 
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e JungPalestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jungtacio111
 
5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálisefaculdadeteologica
 
Documento 2 (gislene duarte)
Documento 2 (gislene duarte)Documento 2 (gislene duarte)
Documento 2 (gislene duarte)Psicologia_2015
 
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-227101992
 
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2guest83661f
 
Introdução à psicanálise
Introdução à psicanáliseIntrodução à psicanálise
Introdução à psicanáliseAline Stechitti
 
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTES
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTESO LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTES
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTESProfessorPrincipiante
 

Semelhante a Como Freud desenvolveu a Psicanálise em (20)

Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdfAna Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
Ana Mercês Bahia Bock & Outros - Psicologias (pdf)(rev).pdf
 
Cap 5 - Psicanalise.pdf
Cap 5 - Psicanalise.pdfCap 5 - Psicanalise.pdf
Cap 5 - Psicanalise.pdf
 
Freud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise IFreud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise I
 
Ciência cognitiva hipnose
Ciência cognitiva   hipnoseCiência cognitiva   hipnose
Ciência cognitiva hipnose
 
Freud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método PsicanalíticoFreud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método Psicanalítico
 
Algumas formas de psicoterapia
Algumas formas de psicoterapiaAlgumas formas de psicoterapia
Algumas formas de psicoterapia
 
Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010Desenvolvimento emocional 09 2010
Desenvolvimento emocional 09 2010
 
Sigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdfSigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdf
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
Psicanalise
PsicanalisePsicanalise
Psicanalise
 
INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE.pdf
INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE.pdfINTRODUÇÃO À PSICANÁLISE.pdf
INTRODUÇÃO À PSICANÁLISE.pdf
 
Psicanálise Freudiana
Psicanálise FreudianaPsicanálise Freudiana
Psicanálise Freudiana
 
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e JungPalestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
Palestra Semelhanças e diferenças entre Freud e Jung
 
5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise5 conceitos gerais da psicanálise
5 conceitos gerais da psicanálise
 
Documento 2 (gislene duarte)
Documento 2 (gislene duarte)Documento 2 (gislene duarte)
Documento 2 (gislene duarte)
 
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2
 
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
Freud E A Psicanlise 1204326364108510 2
 
Introdução à psicanálise
Introdução à psicanáliseIntrodução à psicanálise
Introdução à psicanálise
 
A NATUREZA DO PSÍQUICO.pdf
A NATUREZA DO PSÍQUICO.pdfA NATUREZA DO PSÍQUICO.pdf
A NATUREZA DO PSÍQUICO.pdf
 
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTES
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTESO LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTES
O LUGAR DO INCONSCIENTE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES PRINCIPIANTES
 

Como Freud desenvolveu a Psicanálise em

  • 1. Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa Rua Joaquim Távora 757 - Vila mariana Proibida reprodução sem autorização 1 Como Freud Desenvolveu a Psicanálise
  • 2. Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa Rua Joaquim Távora 757 - Vila mariana Proibida reprodução sem autorização 2 A Psicanálise é uma disciplina científica desenvolvida por Sigmund Freud. A teoria psicanalítica é composta por um corpo de hipóteses a respeito do funcionamento e desenvolvimento da mente do homem, ela se interessa tanto pelo funcionamento mental normal como pelo patológico, embora a prática da psicanálise consista no tratamento de pessoas que se acham enfermas. Duas hipóteses fundamentais da psicanálise são: 1) Princípio do determinismo psíquico ou da causalidade. 2) Proposição de que a consciência é antes um atributo excepcional do que um atributo comum dos processos psíquicos. Os processos mentais inconscientes são de maior frequência e significado no funcionamento mental normal, bem como no anormal. Estas 2 hipóteses fundamentais se relacionam, mutuamente: "o princípio do determinismo psíquico baseia-se em que os fenómenos mentais têm total conexão com todos os outros fenómenos mentais que os precedeam? existindo uma total continuidade na vida mental. Assim, tanto na mente como na natureza física que nos cerca nada acontece por acaso, cada evento psíquico é determinado por aqueles que o precederam. Dessa maneira não existe fenómeno psíquico acidental ou sem significação. Cada sintoma neurótico é provocado por outros processosmentais, apesar do fato de que o próprio paciente frequentemente considere o sintoma como estranho a seu ser como um todo e completamente desligado do resto de sua vida mental, contudo, as conexões existem e são demonstráveis, apesar de o paciente não se dar conta de sua presença. Neste ponto, percebemos que estamos falando não só do princípio do determinismo psíquico como também, da Segunda hipótese, que diz que os processos mentais inconscientes são de grande frequência. Existe um grande significado nos processos mentais inconscientes, isto é, dos quais o indivíduo não se dá conta. Para Freud, até mesmo os sonhos são uma consequência de outros eventos psíquicos e cada sonho mantém uma relação coerente e significativa com o restante da vida psíquica da pessoa que sonha. A relação entre as 2 hipóteses é tão íntima que dificilmente se pode examinar uma, sem suscitar a outra. O fato de tantas coisas que acontecem em nossa mente serem desconhecidas para nós (inconscientes) é responsável pela aparente descontinuidade em nossa vida mental. Quando um pensamento, um sentimento, um esquecimento acidental, um sonho ou um sintoma parecem não se relacionar com algo que aconteceu antes na mente, isso significa que sua conexão causal se apresenta em algum processo mental inconsciente em vez de num processo consciente. Se se conseguir descobrir a causa ou causas inconscientes, então todas as descontinuidades aparentes desaparecem e a cadeia causal ou sequência, torna-se clara. Ex: Uma pessoa surpreende-se cantando uma música e pensa como ou porque,ela estaria cantarolando extamente aquela música que ela não ouve há algum tempo, outra pessoa que está por perto, diz que a música acabou de ser tocada no rádio, só que ela estava tão abstraída em seus pensamentos, que não se deu conta disso, a música ficou no seu incosciente, para essa pessoa sua experiência subjetiva foi de uma descontinuidade em seus pensamentos, sendo necessário o testemunho de outra pessoa para remover a aparência de descontinuidade e tornar clara a cadeia causal. Este é um exemplo muito simples da descoberta de um processo mental inconsciente. Não existe um método direto que nos permita observar os processos mentail
  • 3. Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa Rua Joaquim Távora 757 - Vila mariana Proibida reprodução sem autorização 3 inconscientes, todos os métodos para estudar tais fenómenos são indiretos.O método mais eficaz e de maior confiança de que dispomos para estudar os processos mentais inconscientes é aquele desenvolvido durante anos por Freud, ou seja, a PSICANÁLISE. Na época em que Freud desenvolveu a sua psicanálise, a medicina ainda era um tanto rudimentar, problemas psíquicos eram frequentemente tratados por neurologistas. Freud, formado médico neuro anatomista e neurologista, estudou e utilizou os métodos de tratamento para histeria preconizados pelo grande neurologista da época Erb, que eram considerados os mais científicos e que estavam à disposição, que eram os tratamentos elétricos, mas Freud concluiu que esse tipo de tratamento para histeria era inútil. Freud foi para Paris em 1885, onde estudou na clínica do Dr. Charcot, com este aprendeu a técnica da hipnose para cura da histeria. Como outros neurologistas de seu tempo ele procurou curar seus pacientes pela sugestão hipnótica com diferentes graus de êxito, foi mais ou menos nessa mesma época que seu amigo Breuer, que era médico clínico de grande reputação, lhe contou uma experiência que fizera com uma paciente histérica anos antes, ele relatou que os sintomas histéricos da mulher desapareceram quando ela foi capaz, em estado hipnótico, de recordar a experiência e emoção associada que conduzira ao sintoma em questão, seus sintomas puderam ser afastados ao conversar sobre eles sob hipnose. Entusiasmado, Freud, Aplicou esse método no tratamento de seus próprios pacientes histéricos com bons resultados, ele foi se aperfeiçoando cada vez mais e estudou também os métodos hipnóticos do francês Bernheim, que por sua vez, demonstrou que a amnésia de um paciente durante as suas experiências hipnóticas pudia ser removida sem voltar a hipnotizar o paciente, forçando-o a recordar aquilo que afirmava que não podia. Se a insistência fosse bastante persistente e poderosa o paciente acabava por relembrar o que havia esquecido sem ser rehipnotizado. Freud, deduziu com base nisso, que poderia ser capaz também de remover a amnésia histérica sem hipnose e começou a fazê-lo. À partir desse início, desenvolveu a técnica psicanalítica, cuja a essência consiste em que o paciente fale para o psicanlista qualquer pensamento, sem exceção, que lhe venha à mente sem necesidade de uma orientação consciente ou uma censura. O Grande valor de o paciente renunciar ao controle consciente de seus pensamentos é que tudo o que ele diz, é determinado por motivos e pensamentos inconscientes. Desse modo Freud ouvindo as associações livres (do consciente) do paciente, ele era capaz de formar uma imagem do que inconscientemente estava ocorrendo na mente do paciente; e durante anos usando esse método ele concluiu que não só os sintomas histéricos poderiam ser cuidados, mas também muitos outros aspectos normais ou patológicos do comportamento e do pensamento, que eram o resultado do que inconscientemente estava acontecendo na mente do indivíduo que os apresentava. No estudo dos fenómenos mentais inconscientes, Freud descobriu que eles poderiam ser divididos em dois grupos: a)Pré-conscientes: Que poderiam se tornar conscientes facilmente, apenas com um esforço de atenção ou memória. b)Inconscientes: Barrados da consciência por uma força considerável e que só se tornariam conscientes através de um esforço muito grande. Freud demonstrou que o inconsciente exerce a mais significativa influência no funcionamento mental, e demonstrou ainda, que os processos inconscientes podem ser bastante comparáveis as conscientes em precisão e complexidade. Para exemplificar, podemos citar a sugestão pós-hipnótica, um paciente durante seu transe hipnótico é induzido a uqe depois de sair desse transe, dê corda em seu relógio, é induzido tambám a não se lembrar do que aconteceu durante esse transe hipnótico. Quando o terapeuta o
  • 4. Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa Rua Joaquim Távora 757 - Vila mariana Proibida reprodução sem autorização 4 acorda, ele ímadiatamente começa a dar corda no relógio sem saber porquê, esta experiência demonstra claramente que um processo mental verdadeiramente inconsciente pode ter um efeito dinâmico ou motor sobre o pensamento e o comportamento. Baseado em sua técnica psicanalítica, Freud, desenvolveu um estudo minucioso sobre os sonhos, e este estudo se tornou também uma de suas maiores realizações. Seu livro "A Interpretação dos sonhos", situa-se entre os maiores e mais revolucionários livros científicos de todos os tempos. Freud demonstrou que por trás de todo sonho existem pensamentos e desejos inconscientes ativos. Demonstrou também que no estado de vigilha uqe precede o sono, ocorre um fenómeno que chamamos de lapso: Lapso de memória, de linguagem, de escrita e similaresque foram chamados de atos erróneos ou atos falhos, ou seja, é fácil esquecer algo desagradável ou esquecer um encontro com uma pessoa desagradável. Outro aspecto evidente de que os processos mentais inconscientes do indivíduo são de extrema importância é que o comportamento de uma pessoa pode parecer óbvio para o observador, porém, o próprio indivíduo desconhece. Se o paciente é portador de uma cegueira histérica sabemos que inconscientemente existe algo que ele não deseja ver, ou que sua consciência o proíbe de olhar, nós sabemos, mas ele não! Concluindo, sabemos hoje, através das teorias de Freud, que consciência e funcionamento mental não são sinônimos, sabemos também que a consciência não necessita nessesariamente participar das atividades mentais que são decisivas na determinação do comportamento do indivíduo, tais atividades podem ser completamente inconscientes. Para tratar as patologias, Freud desenvolveu, à partir do estudo da hipnose, a qual elimina a ação do consciente, a técnica psicanalítica, que promove a expressão do inconsciente do paciente, que se abstrai da realidade sem que se recorra à hipnose. Essa técnica revolucionou o mundo dos estudos e tratamentos da mente humana.