SlideShare uma empresa Scribd logo

Ctic7 20 21_teste1

Manuel Fernando Ribeiro
Manuel Fernando Ribeiro
Manuel Fernando RibeiroGestor Familiar em Life Without Barriers

7º ano ciências naturais

Ctic7 20 21_teste1

1 de 4
Baixar para ler offline
1
Grupo I
A paisagem geol�gica do Parque Nacional da Peneda-Ger�s
1. L�, com aten��o, o texto seguinte:
O Parque Nacional da Peneda-Ger�s, situado no Norte de Portugal continental, apresenta um relevo
fortemente acidentado e pronunciados declives, bem como in�meros afloramentos de granitos,
geralmente com muitas fraturas conhecidas por di�clases. Esta paisagem geol�gica apresenta
caracter�sticas muito pr�prias, sendo diferente de outras paisagens geol�gicas existentes noutros pontos
do territ�rio nacional. A figura 1 representa tr�s paisagens geol�gicas presentes em Portugal. Cada uma
das rochas ilustradas na figura 2 corresponde a uma paisagem representada na figura 1.
Figura 1
Figura 2
1.1. Indica a letra (A, B ou C) correspondente � paisagem geol�gica do Parque Nacional da Peneda-Ger�s.
1.2. Refere o que entendes por paisagem geol�gica.
1.3. O principal elemento que est� na base de uma dada paisagem geol�gica s�o...
(A) ... os seres vivos que a habitam.
(B) ... a qualidade dos seus solos.
(C) ... o tipo de relevo da regi�o.
(D) ... o tipo de rocha dominante na paisagem.
1.4. Indica o n�mero romano (I, II ou III) correspondente ao granito.
1.5. Justifica a tua resposta � al�nea anterior.
TESTE 1
CI�NCIAS NATURAIS
7.O
ANO
TESTE DE AVALIA��O
Escola
Nome
N.o
Data
Classifica��o
___________________________________
___________________________________
_____ Turma _____
____ - ____ - ____
___________________________________
CBA
III
III
2
2. Uma das atra��es tur�sticas do Parque Nacional da Peneda-Ger�s s�o as suas aldeias rurais, com as suas
casas t�picas em pedra, os seus cruzeiros, espigueiros e muralhas feitos com os mesmos materiais
rochosos, conforme ilustra a figura 3.
Figura 3
2.1. Os materiais rochosos utilizados nas constru��es humanas vis�veis na paisagem dever�o ser...
(A) ... xistos.
(B) ... m�rmores.
(C) ... granitos.
(D) ... basaltos.
2.2. A utiliza��o de tais materiais rochosos nas constru��es locais deve-se ao facto de...
(A) ... serem leves e f�ceis de trabalhar.
(B) ... existirem em abund�ncia na paisagem envolvente.
(C) ... apresentarem grande beleza est�tica.
(D) ... n�o sofrerem degrada��o ao longo do tempo.
2.3. Refere como se designam os elementos constituintes de uma rocha.
Grupo II
Os minerais do granito do Ger�s
1. L�, com aten��o, o texto seguinte:
No Parque Nacional da Peneda-Ger�s ocorrem v�rios granitos, sendo dominante o granito do Ger�s.
Este granito apresenta cristais bem desenvolvidos de quartzo, feldspato e biotite. O quartzo e o
feldspato s�o minerais presentes em todos os granitos.
1.1. Um mineral � uma subst�ncia s�lida, natural...
(A) ... e inorg�nica, com arranjo cristalino e composi��o qu�mica definida.
(B) ... ou artificial, org�nica e com arranjo cristalino e composi��o qu�mica definida.
(C) ... e inorg�nica, com arranjo n�o cristalino e composi��o qu�mica vari�vel.
(D) ... ou artificial, org�nica e com arranjo cristalino e composi��o qu�mica vari�vel.
1.2. Associa a cada um dos n�meros da coluna I (minerais) uma s� letra da coluna II (descri��es dos
minerais).
Coluna I Coluna II
1. Feldspato
2. Quartzo
3. Biotite
a. Apresenta-se em lamelas de cor negra ou castanho-escura e possui uma baixa
dureza.
b. Sem clivagem, pode ser incolor ou apresentar as mais diversas cores. Tem
uma dureza elevada.
c. Com clivagem, tra�o branco e cores geralmente claras.
3
2. As figuras 4 e 5 ilustram, respetivamente, um mineral presente no granito do Ger�s (mineral X) e a escala
de Mohs associada � dureza da unha e de alguns objetos de uso corrente, como a moeda, o canivete e a
lima.
Figura 4 Figura 5
2.1. Tendo em conta o resultado do teste com o canivete (n�o risca o mineral), pode dizer-se que o
mineral ilustrado na figura 4 apresenta uma dureza...
(A) ... igual a 5.
(B) ... igual a 6.
(C) ... inferior a 5,5.
(D) ... superior a 5,5.
2.2. Uma vez que o canivete n�o risca o mineral X, indica os termos da escala de Mohs que excluirias
automaticamente nos testes de dureza aplicando a mesma escala.
2.3. Justifica a tua resposta � al�nea anterior.
2.4. Identifica o mineral X, sabendo que este risca e � riscado pelo termo n�mero 7 da escala de Mohs.
Grupo III
A modela��o da paisagem gran�tica da Peneda-Ger�s
1. L�, com aten��o, o texto seguinte:
Ao longo de milh�es de anos, as rochas que cobriam a regi�o do Parque Nacional da Peneda-Ger�s
sofreram eros�o, levando ao afloramento de rochas gran�ticas que formam, nos tempos atuais, as
diferentes serras vis�veis na paisagem. Estes afloramentos rochosos v�o-se alterando e sofrem a a��o de
agentes erosivos, dando origem � paisagem gran�tica, com os seus caos de blocos, extensas di�clases e
algumas formas esculpidas pela eros�o.
1.1. O caos de blocos caracter�stico da paisagem gran�tica da Peneda-Ger�s forma-se devido � circula��o
de ____ ao longo das di�clases e da meteoriza��o dos minerais, principalmente dos ____.
(A) �gua (...) feldspatos e do quartzo
(B) �gua (...) feldspatos e da biotite
(C) gases (...) feldspatos e do quartzo
(D) gases (...) feldspatos e da biotite
1.2. A �gua que se encontra nas di�clases ou fissuras da rocha gran�tica pode congelar devido �s baixas
temperaturas, contribuindo para...
(A) ... a diminui��o do volume do gelo.
(B) ... o aumento do volume da rocha.
(C) ... a meteoriza��o qu�mica do granito.
(D) ... a meteoriza��o f�sica do granito.
X
4
2. O Parque Nacional da Peneda-Ger�s sofre a influ�ncia dos rios Minho, Lima, C�vado e Homem. O gr�fico
da figura 6 mostra o perfil longitudinal do rio Lima, isto �, da varia��o da altitude em que o rio corre,
desde a sua entrada no territ�rio portugu�s, na montanha, at� ao mar, na foz do rio. Nos pontos A, B, C
e D (figura 6) foram recolhidas amostras de sedimentos, representadas pelos n�meros na figura 7.
Figura 6
Figura 7
2.1. Indica a sequ�ncia de etapas que permitem a forma��o de sedimentos a partir da rocha gran�tica.
2.2. Associa cada uma das amostras de sedimentos, representadas por n�meros na figura 7, aos
respetivos locais de recolha no leito do rio Lima, assinalados por letras na figura 6.
2.3. Refere a influ�ncia do transporte dos sedimentos ao longo do rio no seu grau de arredondamento.
2.4. A diag�nese dos sedimentos existentes no leito do rio Lima, no ponto A da recolha de amostras
(figura 6), poder� originar...
(A) ... um calc�rio.
(B) ... um carv�o.
(C) ... um argilito.
(D) ... um conglomerado.
2.5. A diag�nese dos sedimentos de origem gran�tica transportados pelo rio Lima origina rochas
sedimentares...
(A) ... detr�ticas n�o consolidadas.
(B) ... detr�ticas consolidadas.
(C) ... quimiog�nicas.
(D) ... biog�nicas.
Altitude(metros)
Dist�ncia (quil�metros)Foz do rio
Montanha
A B
C
D
1 2 3 4

Recomendados

ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas
ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochasciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas
ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochasCatarina Pereira
 
A.7 reprodução-humano-e-crescimento-teste-diagnóstico-1 (1)
A.7 reprodução-humano-e-crescimento-teste-diagnóstico-1 (1)A.7 reprodução-humano-e-crescimento-teste-diagnóstico-1 (1)
A.7 reprodução-humano-e-crescimento-teste-diagnóstico-1 (1)Luís Nunes
 
2º teste rochas 7º ano
2º teste rochas 7º ano2º teste rochas 7º ano
2º teste rochas 7º anoSofia Ribeiro
 
2 ficha av cn7 16 17 (1)
2 ficha av cn7 16 17 (1)2 ficha av cn7 16 17 (1)
2 ficha av cn7 16 17 (1)MINEDU
 
FT6 - Rochas e Minerais
FT6 - Rochas e MineraisFT6 - Rochas e Minerais
FT6 - Rochas e MineraisGabriela Bruno
 
3 rochas e minerais 1
3   rochas e minerais 13   rochas e minerais 1
3 rochas e minerais 1Teresa Santos
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

FT3 - rochas e_minerais
FT3 -  rochas e_mineraisFT3 -  rochas e_minerais
FT3 - rochas e_mineraisGabriela Bruno
 
Origem e Difusão do Cristianismo_Ficha de Trabalho
Origem e Difusão do Cristianismo_Ficha de TrabalhoOrigem e Difusão do Cristianismo_Ficha de Trabalho
Origem e Difusão do Cristianismo_Ficha de TrabalhoPatrícia Morais
 
Teste rochas 7º ano
Teste rochas 7º anoTeste rochas 7º ano
Teste rochas 7º anoSofia Ribeiro
 
Ficha de Trabalho_Minerais e Rochas sedimentares.pdf
Ficha de Trabalho_Minerais e Rochas sedimentares.pdfFicha de Trabalho_Minerais e Rochas sedimentares.pdf
Ficha de Trabalho_Minerais e Rochas sedimentares.pdfCAMILAALEXANDRACAMPO
 
Ft power point rochas e minerais
Ft power point rochas e mineraisFt power point rochas e minerais
Ft power point rochas e mineraisTânia Reis
 
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofes
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofesFicha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofes
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofesLinda Pereira
 
Testes de Ciências Naturais
Testes de Ciências NaturaisTestes de Ciências Naturais
Testes de Ciências NaturaisPaulo Almeida
 
Ficha 5 - Minerais e Rochas Magmáticas
Ficha 5 - Minerais e Rochas MagmáticasFicha 5 - Minerais e Rochas Magmáticas
Ficha 5 - Minerais e Rochas MagmáticasCristinaVianaPedro
 
localização absoluta 7º ano geo
localização absoluta 7º ano geolocalização absoluta 7º ano geo
localização absoluta 7º ano geoCarla Carvalho
 
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo teste
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo testeCiências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo teste
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo testeEspaço Crescer Centro de Estudos
 
Ciências Naturais 8º ano Ciclo da Matéria nos Ecossistemas
Ciências Naturais 8º ano Ciclo da Matéria nos EcossistemasCiências Naturais 8º ano Ciclo da Matéria nos Ecossistemas
Ciências Naturais 8º ano Ciclo da Matéria nos EcossistemasEspaço Crescer Centro de Estudos
 
Ficha formativa subsistemas terrestres
Ficha formativa subsistemas terrestresFicha formativa subsistemas terrestres
Ficha formativa subsistemas terrestresN C
 
Ctic5 fichas de_avaliacao (5)
Ctic5 fichas de_avaliacao (5)Ctic5 fichas de_avaliacao (5)
Ctic5 fichas de_avaliacao (5)liliana867102
 
Ciências Natureza Teste 5 Ano 1ºPeriodo
Ciências Natureza Teste 5 Ano 1ºPeriodoCiências Natureza Teste 5 Ano 1ºPeriodo
Ciências Natureza Teste 5 Ano 1ºPeriodoJoana Gaspar
 
Teste de História 8º ano- Porto Editora
Teste de História 8º ano- Porto EditoraTeste de História 8º ano- Porto Editora
Teste de História 8º ano- Porto EditoraZé Mário
 
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...filomena morais
 
Ficha avaliação(exemplo)
Ficha avaliação(exemplo)Ficha avaliação(exemplo)
Ficha avaliação(exemplo)marcommendes
 

Mais procurados (20)

Ficha resumo rochas
Ficha resumo rochasFicha resumo rochas
Ficha resumo rochas
 
FT3 - rochas e_minerais
FT3 -  rochas e_mineraisFT3 -  rochas e_minerais
FT3 - rochas e_minerais
 
Origem e Difusão do Cristianismo_Ficha de Trabalho
Origem e Difusão do Cristianismo_Ficha de TrabalhoOrigem e Difusão do Cristianismo_Ficha de Trabalho
Origem e Difusão do Cristianismo_Ficha de Trabalho
 
Teste rochas 7º ano
Teste rochas 7º anoTeste rochas 7º ano
Teste rochas 7º ano
 
Ficha de Trabalho_Minerais e Rochas sedimentares.pdf
Ficha de Trabalho_Minerais e Rochas sedimentares.pdfFicha de Trabalho_Minerais e Rochas sedimentares.pdf
Ficha de Trabalho_Minerais e Rochas sedimentares.pdf
 
Ft power point rochas e minerais
Ft power point rochas e mineraisFt power point rochas e minerais
Ft power point rochas e minerais
 
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofes
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofesFicha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofes
Ficha de avaliaçao_-_relevo,_rios,_litoral,_catástrofes
 
Testes de Ciências Naturais
Testes de Ciências NaturaisTestes de Ciências Naturais
Testes de Ciências Naturais
 
Ficha 5 - Minerais e Rochas Magmáticas
Ficha 5 - Minerais e Rochas MagmáticasFicha 5 - Minerais e Rochas Magmáticas
Ficha 5 - Minerais e Rochas Magmáticas
 
Rochas – 5º ano
Rochas – 5º anoRochas – 5º ano
Rochas – 5º ano
 
localização absoluta 7º ano geo
localização absoluta 7º ano geolocalização absoluta 7º ano geo
localização absoluta 7º ano geo
 
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo teste
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo testeCiências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo teste
Ciências Naturais 8º Ficha de preparação para o segundo teste
 
Ciências Naturais 8º ano Ciclo da Matéria nos Ecossistemas
Ciências Naturais 8º ano Ciclo da Matéria nos EcossistemasCiências Naturais 8º ano Ciclo da Matéria nos Ecossistemas
Ciências Naturais 8º ano Ciclo da Matéria nos Ecossistemas
 
Ficha formativa subsistemas terrestres
Ficha formativa subsistemas terrestresFicha formativa subsistemas terrestres
Ficha formativa subsistemas terrestres
 
Ctic5 fichas de_avaliacao (5)
Ctic5 fichas de_avaliacao (5)Ctic5 fichas de_avaliacao (5)
Ctic5 fichas de_avaliacao (5)
 
Ciências Natureza Teste 5 Ano 1ºPeriodo
Ciências Natureza Teste 5 Ano 1ºPeriodoCiências Natureza Teste 5 Ano 1ºPeriodo
Ciências Natureza Teste 5 Ano 1ºPeriodo
 
Teste de História 8º ano- Porto Editora
Teste de História 8º ano- Porto EditoraTeste de História 8º ano- Porto Editora
Teste de História 8º ano- Porto Editora
 
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...
28169033 ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas-130222085510-phpapp0...
 
Teste cn 8ºano
Teste cn 8ºanoTeste cn 8ºano
Teste cn 8ºano
 
Ficha avaliação(exemplo)
Ficha avaliação(exemplo)Ficha avaliação(exemplo)
Ficha avaliação(exemplo)
 

Semelhante a Ctic7 20 21_teste1

Preparação teste intermédio
Preparação teste intermédioPreparação teste intermédio
Preparação teste intermédioalexandrasotnas
 
Ficha de revisões
Ficha de revisõesFicha de revisões
Ficha de revisõesAna Batanete
 
aqterra_ficha_avaliacao_1.docx
aqterra_ficha_avaliacao_1.docxaqterra_ficha_avaliacao_1.docx
aqterra_ficha_avaliacao_1.docxTeresa Cardoso
 
Bio e Geo 2 - ficha de exercícios - rochas sedimentares.pdf
Bio e Geo 2 - ficha de exercícios - rochas sedimentares.pdfBio e Geo 2 - ficha de exercícios - rochas sedimentares.pdf
Bio e Geo 2 - ficha de exercícios - rochas sedimentares.pdfCAMILAALEXANDRACAMPO
 
Exercícios de geologia
Exercícios de geologiaExercícios de geologia
Exercícios de geologiaNuno Correia
 
Estrutura geologica relevo2
Estrutura geologica relevo2Estrutura geologica relevo2
Estrutura geologica relevo2Laudo Santos
 
Teste 4 versão ii
Teste 4 versão iiTeste 4 versão ii
Teste 4 versão iijoseeira
 
Livro compreender a terra fichas sumativas
Livro compreender a terra fichas sumativasLivro compreender a terra fichas sumativas
Livro compreender a terra fichas sumativasLUIS MIGUEL MATOS
 
Provaexemploareal
ProvaexemploarealProvaexemploareal
Provaexemploarealedugeoess
 

Semelhante a Ctic7 20 21_teste1 (20)

Teste 1 cn7 2018-2019_final
Teste 1 cn7 2018-2019_finalTeste 1 cn7 2018-2019_final
Teste 1 cn7 2018-2019_final
 
Questões teste2 cn5
Questões teste2 cn5Questões teste2 cn5
Questões teste2 cn5
 
Ficha de estudo
Ficha de estudoFicha de estudo
Ficha de estudo
 
Preparação teste intermédio
Preparação teste intermédioPreparação teste intermédio
Preparação teste intermédio
 
FT8 - ROCHAS SEDIMENTARES
FT8 - ROCHAS SEDIMENTARESFT8 - ROCHAS SEDIMENTARES
FT8 - ROCHAS SEDIMENTARES
 
Ficha de revisões
Ficha de revisõesFicha de revisões
Ficha de revisões
 
1 q aula_10_a_v1
1 q aula_10_a_v11 q aula_10_a_v1
1 q aula_10_a_v1
 
ficha 7º ano CN
ficha 7º ano CNficha 7º ano CN
ficha 7º ano CN
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
 
Teste novembro v1
Teste novembro   v1Teste novembro   v1
Teste novembro v1
 
aqterra_ficha_avaliacao_1.docx
aqterra_ficha_avaliacao_1.docxaqterra_ficha_avaliacao_1.docx
aqterra_ficha_avaliacao_1.docx
 
7º ano minerais
7º ano  minerais7º ano  minerais
7º ano minerais
 
7º ano minerais
7º ano  minerais7º ano  minerais
7º ano minerais
 
Bio e Geo 2 - ficha de exercícios - rochas sedimentares.pdf
Bio e Geo 2 - ficha de exercícios - rochas sedimentares.pdfBio e Geo 2 - ficha de exercícios - rochas sedimentares.pdf
Bio e Geo 2 - ficha de exercícios - rochas sedimentares.pdf
 
Exercícios de geologia
Exercícios de geologiaExercícios de geologia
Exercícios de geologia
 
Estrutura geologica relevo2
Estrutura geologica relevo2Estrutura geologica relevo2
Estrutura geologica relevo2
 
Teste 4 versão ii
Teste 4 versão iiTeste 4 versão ii
Teste 4 versão ii
 
Livro compreender a terra fichas sumativas
Livro compreender a terra fichas sumativasLivro compreender a terra fichas sumativas
Livro compreender a terra fichas sumativas
 
Provaexemploareal
ProvaexemploarealProvaexemploareal
Provaexemploareal
 
Teste 4
Teste 4Teste 4
Teste 4
 

Último

LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educação
LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educaçãoLDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educação
LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educaçãoLucineideDosSantos2
 
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docxPLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docxfran50171
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfssuser2af87a
 
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfApresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfAndreiaSilva852193
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...pj989014
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfalexandrerodriguespk
 
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...Colaborar Educacional
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...LuizHenriquedeAlmeid6
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfkeiciany
 
CURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfCURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfdaniele690933
 
CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEIS
CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEISCIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEIS
CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEISColaborar Educacional
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...manoelaarmani
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOxogilo3990
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...manoelaarmani
 
Livro de Português- Santillana.pdf
Livro de Português- Santillana.pdfLivro de Português- Santillana.pdf
Livro de Português- Santillana.pdfDinisOliveira30
 
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsxrafabebum
 
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...Colaborar Educacional
 

Último (20)

LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educação
LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educaçãoLDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educação
LDB atualizada 2024 - o que mais cai em concursos da educação
 
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docxPLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
PLANEJAMENTO ANUAL LINGUA ESPANHOLA 2024 3 ANOS PRONTO.docx
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
 
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfApresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
 
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
2024 Tec Subsequente em Adm Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnolog...
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
 
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...
A extensão universitária do curso de Ciências Contábeis, por meio do Programa...
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...
Slides Lição 7, BETEL, Família, os cuidados com a era digital a com os idosos...
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
 
CURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfCURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdf
 
CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEIS
CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEISCIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEIS
CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEIS
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
 
Livro de Português- Santillana.pdf
Livro de Português- Santillana.pdfLivro de Português- Santillana.pdf
Livro de Português- Santillana.pdf
 
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
 
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
 

Ctic7 20 21_teste1

  • 1. 1 Grupo I A paisagem geol�gica do Parque Nacional da Peneda-Ger�s 1. L�, com aten��o, o texto seguinte: O Parque Nacional da Peneda-Ger�s, situado no Norte de Portugal continental, apresenta um relevo fortemente acidentado e pronunciados declives, bem como in�meros afloramentos de granitos, geralmente com muitas fraturas conhecidas por di�clases. Esta paisagem geol�gica apresenta caracter�sticas muito pr�prias, sendo diferente de outras paisagens geol�gicas existentes noutros pontos do territ�rio nacional. A figura 1 representa tr�s paisagens geol�gicas presentes em Portugal. Cada uma das rochas ilustradas na figura 2 corresponde a uma paisagem representada na figura 1. Figura 1 Figura 2 1.1. Indica a letra (A, B ou C) correspondente � paisagem geol�gica do Parque Nacional da Peneda-Ger�s. 1.2. Refere o que entendes por paisagem geol�gica. 1.3. O principal elemento que est� na base de uma dada paisagem geol�gica s�o... (A) ... os seres vivos que a habitam. (B) ... a qualidade dos seus solos. (C) ... o tipo de relevo da regi�o. (D) ... o tipo de rocha dominante na paisagem. 1.4. Indica o n�mero romano (I, II ou III) correspondente ao granito. 1.5. Justifica a tua resposta � al�nea anterior. TESTE 1 CI�NCIAS NATURAIS 7.O ANO TESTE DE AVALIA��O Escola Nome N.o Data Classifica��o ___________________________________ ___________________________________ _____ Turma _____ ____ - ____ - ____ ___________________________________ CBA III III
  • 2. 2 2. Uma das atra��es tur�sticas do Parque Nacional da Peneda-Ger�s s�o as suas aldeias rurais, com as suas casas t�picas em pedra, os seus cruzeiros, espigueiros e muralhas feitos com os mesmos materiais rochosos, conforme ilustra a figura 3. Figura 3 2.1. Os materiais rochosos utilizados nas constru��es humanas vis�veis na paisagem dever�o ser... (A) ... xistos. (B) ... m�rmores. (C) ... granitos. (D) ... basaltos. 2.2. A utiliza��o de tais materiais rochosos nas constru��es locais deve-se ao facto de... (A) ... serem leves e f�ceis de trabalhar. (B) ... existirem em abund�ncia na paisagem envolvente. (C) ... apresentarem grande beleza est�tica. (D) ... n�o sofrerem degrada��o ao longo do tempo. 2.3. Refere como se designam os elementos constituintes de uma rocha. Grupo II Os minerais do granito do Ger�s 1. L�, com aten��o, o texto seguinte: No Parque Nacional da Peneda-Ger�s ocorrem v�rios granitos, sendo dominante o granito do Ger�s. Este granito apresenta cristais bem desenvolvidos de quartzo, feldspato e biotite. O quartzo e o feldspato s�o minerais presentes em todos os granitos. 1.1. Um mineral � uma subst�ncia s�lida, natural... (A) ... e inorg�nica, com arranjo cristalino e composi��o qu�mica definida. (B) ... ou artificial, org�nica e com arranjo cristalino e composi��o qu�mica definida. (C) ... e inorg�nica, com arranjo n�o cristalino e composi��o qu�mica vari�vel. (D) ... ou artificial, org�nica e com arranjo cristalino e composi��o qu�mica vari�vel. 1.2. Associa a cada um dos n�meros da coluna I (minerais) uma s� letra da coluna II (descri��es dos minerais). Coluna I Coluna II 1. Feldspato 2. Quartzo 3. Biotite a. Apresenta-se em lamelas de cor negra ou castanho-escura e possui uma baixa dureza. b. Sem clivagem, pode ser incolor ou apresentar as mais diversas cores. Tem uma dureza elevada. c. Com clivagem, tra�o branco e cores geralmente claras.
  • 3. 3 2. As figuras 4 e 5 ilustram, respetivamente, um mineral presente no granito do Ger�s (mineral X) e a escala de Mohs associada � dureza da unha e de alguns objetos de uso corrente, como a moeda, o canivete e a lima. Figura 4 Figura 5 2.1. Tendo em conta o resultado do teste com o canivete (n�o risca o mineral), pode dizer-se que o mineral ilustrado na figura 4 apresenta uma dureza... (A) ... igual a 5. (B) ... igual a 6. (C) ... inferior a 5,5. (D) ... superior a 5,5. 2.2. Uma vez que o canivete n�o risca o mineral X, indica os termos da escala de Mohs que excluirias automaticamente nos testes de dureza aplicando a mesma escala. 2.3. Justifica a tua resposta � al�nea anterior. 2.4. Identifica o mineral X, sabendo que este risca e � riscado pelo termo n�mero 7 da escala de Mohs. Grupo III A modela��o da paisagem gran�tica da Peneda-Ger�s 1. L�, com aten��o, o texto seguinte: Ao longo de milh�es de anos, as rochas que cobriam a regi�o do Parque Nacional da Peneda-Ger�s sofreram eros�o, levando ao afloramento de rochas gran�ticas que formam, nos tempos atuais, as diferentes serras vis�veis na paisagem. Estes afloramentos rochosos v�o-se alterando e sofrem a a��o de agentes erosivos, dando origem � paisagem gran�tica, com os seus caos de blocos, extensas di�clases e algumas formas esculpidas pela eros�o. 1.1. O caos de blocos caracter�stico da paisagem gran�tica da Peneda-Ger�s forma-se devido � circula��o de ____ ao longo das di�clases e da meteoriza��o dos minerais, principalmente dos ____. (A) �gua (...) feldspatos e do quartzo (B) �gua (...) feldspatos e da biotite (C) gases (...) feldspatos e do quartzo (D) gases (...) feldspatos e da biotite 1.2. A �gua que se encontra nas di�clases ou fissuras da rocha gran�tica pode congelar devido �s baixas temperaturas, contribuindo para... (A) ... a diminui��o do volume do gelo. (B) ... o aumento do volume da rocha. (C) ... a meteoriza��o qu�mica do granito. (D) ... a meteoriza��o f�sica do granito. X
  • 4. 4 2. O Parque Nacional da Peneda-Ger�s sofre a influ�ncia dos rios Minho, Lima, C�vado e Homem. O gr�fico da figura 6 mostra o perfil longitudinal do rio Lima, isto �, da varia��o da altitude em que o rio corre, desde a sua entrada no territ�rio portugu�s, na montanha, at� ao mar, na foz do rio. Nos pontos A, B, C e D (figura 6) foram recolhidas amostras de sedimentos, representadas pelos n�meros na figura 7. Figura 6 Figura 7 2.1. Indica a sequ�ncia de etapas que permitem a forma��o de sedimentos a partir da rocha gran�tica. 2.2. Associa cada uma das amostras de sedimentos, representadas por n�meros na figura 7, aos respetivos locais de recolha no leito do rio Lima, assinalados por letras na figura 6. 2.3. Refere a influ�ncia do transporte dos sedimentos ao longo do rio no seu grau de arredondamento. 2.4. A diag�nese dos sedimentos existentes no leito do rio Lima, no ponto A da recolha de amostras (figura 6), poder� originar... (A) ... um calc�rio. (B) ... um carv�o. (C) ... um argilito. (D) ... um conglomerado. 2.5. A diag�nese dos sedimentos de origem gran�tica transportados pelo rio Lima origina rochas sedimentares... (A) ... detr�ticas n�o consolidadas. (B) ... detr�ticas consolidadas. (C) ... quimiog�nicas. (D) ... biog�nicas. Altitude(metros) Dist�ncia (quil�metros)Foz do rio Montanha A B C D 1 2 3 4