UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ARQUITETURA E URBANISMO  MATERIAIS E TÉCNICAS CONSTRUTIVAS   PROFESSOR EDUA...
RELATÓRIO DE PALESTRA SOBRE VIDRO1. Introdução2. Objetivos3. Desenvolvimento4. Conclusão1. Introdução:     No dia 13 de Ou...
2. Objetivos•   Identificar as principais características do material;•   Entender a importância da compatibilidade de uso...
3. Desenvolvimento:Características do vidro:         Desde a década de 50 podemos constatar grandes edificações acortinada...
O vidro e o projeto:             Ao projetarmos uma edificação é preciso garantir o conforto interno dosambientes e se aqu...
com que o consumo energético seja muito elevado o que gera um custo excessível paramanutenção da edificação.             C...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Palestra sobre Vidro

1.234 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Palestra sobre Vidro

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ARQUITETURA E URBANISMO MATERIAIS E TÉCNICAS CONSTRUTIVAS PROFESSOR EDUARDO CABALEIRORELATÓRIO DE PALESTRA VIDRO LUDMILA SOUZA OUTUBRO DE 2010
  2. 2. RELATÓRIO DE PALESTRA SOBRE VIDRO1. Introdução2. Objetivos3. Desenvolvimento4. Conclusão1. Introdução: No dia 13 de Outubro, ministrada pela Professora Roberta, os alunos da Disciplinade Materiais e Técnicas Construtivas tiveram uma palestra sobre vidro. Com a explanação da professora conseguimos entender a relação existente entreesse material e conforto térmico e ambiental e tivemos noções de como essa superfíciealtera, ou não, o estado de iluminação dos ambientes.
  3. 3. 2. Objetivos• Identificar as principais características do material;• Entender a importância da compatibilidade de uso do material em determinados locais, principalmente em fachadas;• Analisar como o emprego do material altera as características de iluminação, ventilação e o conforto térmico dos espaços.
  4. 4. 3. Desenvolvimento:Características do vidro: Desde a década de 50 podemos constatar grandes edificações acortinadas devidro. Atualmente, esse tipo de partido está sendo cada vez mais comum principalmentenas grandes metrópoles, sendo falso ícone de desenvolvimento tecnológico erepresentação de corporações com grande poderio econômico. Como se não bastasseesse tipo de padrão em prédios comerciais, também conseguimos ver essa estrutura emprédios residenciais de alto luxo em bairros da região nobre das grandes cidades. Quanto ao aspecto estético dessa escolha o conceito torna-se subjetivo. Aomesmo tempo em que a arquitetura apresenta-se limpa, com poucos ou nenhum vazadoe estrutura uniforme sobre toda superfície, ela fecha-se sobre forma de um caixote jáque o vidro é pouco trabalhável e sua forma não pode assumir características orgânicas. No entanto, o vidro é rápido e fácil de ser instalado e seu custo relativamentebarato. A espessura já vem determinada e não há sujeira na sua fixação. É um materialque não arranha facilmente e não corrói podendo ser utilizado em área externa sobconstante efeito de umidade. Sua composição é um material cerâmico transparente geralmente obtido com oresfriamento de uma massa líquida à base de sílica. Geralmente é frágil podendo serquebrado com facilidade, mas há vidros especiais como o temperado que apresentammaior resistência a choques mecânicos. Ao mesmo tempo que é usado para vedação ele apresenta difícil fachamentohermético mesmo não sendo permeável a fluidos. Por ser transparente deixa passar luz ecalor mas impede a passagem de ar. Já os vidros reflexivos não deixam passar nem luznem calor, nem ar.
  5. 5. O vidro e o projeto: Ao projetarmos uma edificação é preciso garantir o conforto interno dosambientes e se aquela construção não causará impactos ambientais graves no meioambiente. Isso quer dizer que é necessária a devida atenção com a ventilação,iluminação , dentre outros, para assegurar que a relação funcional do espaço não sejaprejudicada. Seria insuportável, por exemplo, trabalhar em uma sala mal ventilada ou muitoquente. Esses aspectos físicos ambientais alteram diretamente as atividades do localbem como a salubridade dele. O mesmo acontece com a iluminção. Um lugar cujailuminação é inadequada pode interferir no desempenho das pessoas , causar mal estarou gerar grandes gastos energéticos com a adoção de iluminação artificial. Desta forma, o vidro é um material que pode tanto melhor a situação do ambientecomo também pode piorá-la, vai depender do tipo de vidro escolhido, da quantidade aser utilizada e da forma como ele é empregado. Para entendermos melhor essa relação ambígua é necessário entrarmos emquestões físicas. A primeira delas é conceituar calor: calor é a energia térmica emtrânsito que flui em corpos de diferentes temperaturas indo do de maior temperatudapara o menor. A transferência de calor acontece por radiação, condução ou convecção. Aconvecção acontece pelo movimento do ar causado pelas diferenças de temperaturas (oar quente subindo e o frio descendo). Condução é o processo de transferência de energiade um material ao outro. A radiação, ou emissividade, ocorre quando o calor (energia)pode se mover pelo espaço através de ondas eletromagnéticas para um material e entãoser transmitido, refletido ou absorvido. Quando uma radiação incide sobre um vidro, uma parte é refletida, outra éabsorvida através da espessura do vidro e uma terceira é transmitida. A relação entrecada uma destas 3 partes e o fluxo incidente definem o fator de reflexão, o fator deabsorção e o fator de transmissão do vidro e o estado final de conforto térmico doespaço. Pelo material em si e por ter baixa espessura o vidro troca calor mais rápido oque torna dos edíficios com fachadas de vidro uma verdadeira estufa. O calor entra noambiente mas não sai sendo necessária a instalação de sistemas complexos de arcondicionado para garantir uma temperatura agradável. Essa medida, no entanto, faz
  6. 6. com que o consumo energético seja muito elevado o que gera um custo excessível paramanutenção da edificação. Como temos visto, nesses mesmos prédios com fachadas de vidro foraminstalados vidros reflexívos que, em geral, apresentam alta refletividade com altaredução do ganho de calor resultante da reflexão e absorção.No entanto, ele oferecemenor transmissão de luz visível gerando gastos energéticos com iluminação artificial.Como se não bastasse, suas esquadrias são fixas não permitindo a abertura das janelas jáque elas abertas diminuiram a eficiência dos ar condicionados. Uma medida que dificulta a entrada de calor no ambiente é a instalação decortinas externas ao edifício. O uso de duas folhas de vidro com persiana entre elas ousomente com uma bolsa de ar, também garante melhor conforto térmico mas essasolução tem um acusto maior. Brise-soleil e recuo de janelas também é uma estratégiaconveniente pois deixa que a luz penetre mas corta a incidência direta do sol noambiente. 4. Conclusão: Com a palestra entendemos que não existe um material bom ou ruim, todos elesapresentam características que pode solucionar algum tipo de incômodo ou ainda, geraroutros. O importante é notar a compatibilidade de uso dos materiais conforme o efeitoque se quer causar. Desta forma, torna-se relevante a participação do arquiteto como agentemodificador do espaço cujas ações implicará em danos ou melhorias para o meioambiente e , consequentemente, para as relações sociais.REFERÊNCIAS:pt.saint-gobain-glass.com/.../3.1.4_o_vidro_e_a_radia__o_solar.pdfwww.sa.pt.sunguardglass.com/.../GlossaryTerms/

×