UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ARQUITETURA E URBANISMO  MATERIAIS E TÉCNICAS CONSTRUTIVAS   PROFESSOR EDUA...
RELATÓRIO DOS FILMES1. Introdução2. Objetivo3. Desenvolvimento      3.1 Pastilhas Jatobá      3.2 Bloco de Concreto Celula...
2.    Objetivos•    Conhecer os diversos tipos de Mosaicos Porcelana empregados nas obras e suas     características espec...
3. Desenvolvimento       3.1 Pastilhas Jatobá     Os Mosaicos Porcelana são encontrados sob diversos tamanhos, texturas e ...
O processo de assentamento:    Cabe ao oficial pastilheiro a função de assentamento do revestimento que utiliza deferramen...
Massa única paulista: o feltro é passado direto no emboço ganhando-se na espessura.     Cerâmica pode ser aplicada sobre a...
As pastilhas são muito pequenas, comparadas a uma peça de cerâmica. Por isso, aaplicação da argamassa deve ser uniforme. U...
3.2 Sical - Bloco de Concreto Celular       O Concreto Celular Autoclavado é um produto leve, formado a partir de umareaçã...
Com utilização de argamassa comum, o assentamento é normal usando colher depedreiro. Com a utilização de argamassa colante...
4. Conclusão      Através do filme da Jatobá conhecemos outro tipo de revestimento bem como asetapas de produção e assenta...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Filme pastilhas jatobá

2.449 visualizações

Publicada em

Publicada em: Diversão e humor, Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Filme pastilhas jatobá

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ARQUITETURA E URBANISMO MATERIAIS E TÉCNICAS CONSTRUTIVAS PROFESSOR EDUARDO CABALEIRO RELATÓRIO DE FILMES MOSAICOS PORCELANA JATOBÁ BLOCO DE CONCRETO CELULAR AUTOCLAVADO LUDMILA SOUZA SETEMBRO DE 2010
  2. 2. RELATÓRIO DOS FILMES1. Introdução2. Objetivo3. Desenvolvimento 3.1 Pastilhas Jatobá 3.2 Bloco de Concreto Celular Autoclavado4. Conclusão5. Referências 1. IntroduçãoNo dia 02 de Setembro de 2010 foi exibido durante a aula de Técnicas Construtivas eMateriais, um filme elaborado pela Jatobá, empresa fabricante de Pastilhas de Porcelanacuja sede está localizada em Vinhedo- SP e pela Sical, empresa de Bloco CelularAutoclavado.
  3. 3. 2. Objetivos• Conhecer os diversos tipos de Mosaicos Porcelana empregados nas obras e suas características específicas;• Indicar as diversas formas de uso da Pastilha tendo por base o revestimento principalmente de áreas molhadas;• Conhecer outro tipo de solução tanto estrutural quanto de vedação, no caso dos Blocos Celulares e suas respectivas vantagens;• Exemplificar as etapas de fabricação das peças;• Ilustrar como os materiais devem ser assentados dando ênfase aos cuidados que se deve ter no preparo do sítio em que ele será instalado bem como nos procedimentos utilizados para fixação do mesmo;
  4. 4. 3. Desenvolvimento 3.1 Pastilhas Jatobá Os Mosaicos Porcelana são encontrados sob diversos tamanhos, texturas e cores.São de grande durabilidade e segurança. Não mancham e nem desbotam sendo,portanto, necessária apenas 1 limpeza a cada 15 anos no caso das fachadas. O processo de fabricação industrial se da pela mistura de quartzo, argila, feldspato ecaulim que forma uma massa que será peneirada e prensada. Adição de óxidosmetálicos é utilizada para dar pigmentação ao material. Essa massa é armazenada em caixas refratárias no formato de grelhas, depois épassado o esmalte para dar acabamento e em seguida é levado ao forno. As pastilhas sãoentão coladas em folhas de papel com a face para a parte esmaltada para que não haja anecessidade de se colar pastilha por pastilhas. Rejuntamento de mesma cor é recomendável para corrigir pequenas diferenças deassentamento. Recomenda-se, após a fixação, fazer cortes verticais para retirar do ar. As pastilhas de porcelana não possuem arestas cortantes sendo, portanto passíveisde utilização em boxes de banheiros e piscinas. Outra vantagem é seu tamanho. Comopossui dimensão menor o recorte das folhas de papel é feito e assim pode-se aproveitaro material desde que ele seja lavado e que se formem novas folhas.
  5. 5. O processo de assentamento: Cabe ao oficial pastilheiro a função de assentamento do revestimento que utiliza deferramentas apropriadas para fixar o material e dar acabamento. Antes de tudo, noentanto, o pastilheiro deve se munir de equipamento de proteção e segurança adequados. É recomendável o uso de luvas, capacete e botas. Além disso, não é indicado o usode “cadeiras” para assentamento de fachadas porque a energia de ativação empregada émenor do que se o especialista estivesse em pé. Em outras palavras, é aconselhado o usode andaimes suspensos por cabos duplos para que a mão de obra possa impelir maiorpressão na parede e, conseqüentemente, melhor fixação do material.A pastilha pode ser aplicada sobre diversas bases:Chapisco: combinação de água, cimento e areia. Nessa textura há um aumento dafixação dos materiais devido ao aumento da superfícieEmboço: combinação de água, cimento e areia. Nela coloca-se a talisca que na verdadeé uma massa com um pedacinho de tijolo a fim de demarcar a espessura desejada.Sendo assim, a princípio faz-se 4 taliscas dispostas ortogonalmente eqüidistantes entresi o equivalente ao tamanho da régua para garantir que a espessura seja a mesma portoda a superfície. A parede deve estar revestida com emboço sarrafeado (com réguametálica) ou desempenada. Ele deverá estar isento de graxa, óleo, pinturas e quaisquerpartículas que prejudiquem a aderência do revestimento a ser aplicadoReboco: em alguns casos, utiliza-se o uso de aditivos no reboco. Após o nivelamento écomum que se passe uma esponja ou feltro para deixar a superfície mais lisa já que énessa camada que poderá ser empregada a tinta e estando a superfície menos rugosaeconomiza-se a quantidade de tinta.
  6. 6. Massa única paulista: o feltro é passado direto no emboço ganhando-se na espessura. Cerâmica pode ser aplicada sobre a madeira ou gesso. A desvantagem, no entanto éque o gesso é quebradiço, libera calor e na presença de água ele solubiliza. Já a madeira,em presença de água incha o que pode provocar remoção das pastilhas superiores. Destaforma, é preciso garantir estanqueidade para melhor aproveitamento do material. Cerâmica sobre cerâmica: é possível o assentamento de uma cerâmica sobre a outradesde que toda superfície seja limpa no intuito de remover as impurezas eprincipalmente a gordura. Nesse processo é preciso verificar o aumento da espessura dorevestimento com relação a ralos, válvulas de descargas e registros de água e acessóriosde maneira geral. Para o início do assentamento definimos uma linha de partida. Desta forma, caberessaltar a importância do detalhamento do projeto que indicará de que forma oarremate deverá se iniciar. Quando há forro de gesso, geralmente não se coloca pastilhaaté o teto a fim de economizar material. Essa linha, então, é definida a partir de umponto mais visto deixando os cantos inferiores ou aquele próximo ás bonecas das portaspara necessidade de recorte. No início do procedimento deve molhar o reboco da área a ser aplicada a cerâmica, sea mesma estiver exposta ao sol e, em seguida, marcar na parede a altura de uma placa.Logo depois, é preciso nivelar e prumar guiando-se pelas duas marcas em toda extensãoda parede recoberta com argamassa colante, da esquerda para direita e de cima parabaixo. Depois é preciso posicionar a placa com a argamassa fresca e úmida, observando amarcação existente de prumo e de nível (pressione com as mãos) e bater levemente aplaca usando um tolete de madeira ou um martelo de borracha de forma a dividir apressão exercida. Para o rejuntamento recomenda-se utilizar rejunte flexível, não tendoem sua composição cal.
  7. 7. As pastilhas são muito pequenas, comparadas a uma peça de cerâmica. Por isso, aaplicação da argamassa deve ser uniforme. Uma falha de dois ou três centímetros nãosignifica nada para um azulejo comum, mas é suficiente para soltar peças inteiras nocaso das pastilhas. Com auxílio de um rodo ou desempenadeira de borracha, deve se aplicar o rejunteem toda a superfície revestida. Após aproximadamente 15 minutos do término dorejuntamento, retire o excesso de rejunte, com esponja úmida e dê acabamento comesponja seca. É importante deixar juntas entre as placas prevenindo os possíveis esforços decompressão caso haja dilatação do material. Usualmente tem sido utilizado espassadoresde PVC Após o processo de assentamento, se limpa a superfície com ácido muriático. Nessaetapa é conveniente enxaguar abundantemente com água, caso contrário, o ácido quenão foi removido por completo poderá corroer o rejunte comprometendo aestanqueidade da superfície.Assentamento de pisos: No assentamento de pisos faz-se o contrapiso de textura de “farofa”. Essa texturamenos pastosa evita que no processo de bater as pastilhas, a água suba para superfície eprovoque vazios entre o revestimento e o piso. Aplica-se a argamassa, na espessura de 3a 5 mm utilizando desempenadeira de aço dentada para que se forme sulcos a fim detoda a área tenha argamassa após o batimento do piso. A atenção na colocação do revestimento deve ser observada principalmente noalinhamento de planos descontínuos. Peitoris, vergas, platibandas devem ter pequenainclinação para favorecer a dinâmica de escoamento da água. Caso contrário poderiahaver refluxo ou chamado turbilhão que poderia infiltrar por baixo das pastilhaslevantando o revestimento.
  8. 8. 3.2 Sical - Bloco de Concreto Celular O Concreto Celular Autoclavado é um produto leve, formado a partir de umareação química entre cal, cimento, areia e pó de alumínio, que, após cura em vapor aalta pressão e temperatura, da origem a um silicato de cálcio. É um produto queapresenta uma resistência à ruptura por compressão que permite, também, a execução dealvenaria autoportante até 4 pavimentos, sem necessidades de demais partes estruturaiscomo pilares e vigas, por exemplo.. Além da boa performance funcional como elementode alvenaria e laje, o Concreto Celular Autoclavado exibe propriedades que ocaracterizam como um material incombustível e isolante termo-acústico. Ele compõe uma matriz estável maciça, porém de baixa densidade, o que éextremamente viável para a construção civil já que há uma preocupação constante como peso próprio da estrutura e conseqüentemente com os esforços que isso implicará. Outra vantagem é a economia nos consumos de aço, ferro e fôrma e, por se tratar deblocos de maiores dimensões, também é possível economizar na quantidade deargamassa. Por ter textura lisa dispensa o uso de chapisco ou reboco. O Concreto Celular Autoclavado pode ser cortado facilmente, com serrote, o queproporciona maior racionalização da obra, reduzindo as perdas e, conseqüentemente,torna a obra mais limpa. As aberturas para tubulações e elétricas são fáceis de seremexecutadas com a utilização de um rasgador manual Sical ou de um rasgador elétrico. Para se adquirir maior estabilidade nas paredes recomenda-se o uso de cinta soupilaretes e ainda, armaduras a cada fiada de blocos em caso de encontro de paredes. Asparedes ortogonais deverão ser unidas, preferencialmente, por juntas em amarração.Para janelas e portas há vergas e contra-vergas.
  9. 9. Com utilização de argamassa comum, o assentamento é normal usando colher depedreiro. Com a utilização de argamassa colante, a aplicação é feita com colher.Para o assentamento deve-se molhar os blocos, porém evitar encharcar. É importante que as juntas horizontais e verticais sejam preenchidas,principalmente as externas que sofrem variações climáticas. Bloco Sical pode ser utilizado como elemento de alvenaria de vedação, inclusivecom revestimentos, alvenaria estrutural não armada, bem como para preenchimento delajes nervuradas, mistas e pré-fabricadas.
  10. 10. 4. Conclusão Através do filme da Jatobá conhecemos outro tipo de revestimento bem como asetapas de produção e assentamento do material. Já com o filme da Sical, descobrimosoutra alternativa de elemento estrutural e vedativo e suas vantagens para obras,principalmente até 4 pavimentos. Descobrindo esses novos materiais ampliamos nosso leque de opções construtivase reforçamos a idéia de que um bom projeto deve ter um bom detalhamento e que épapel do arquiteto atentar para a escolha de materiais adequados e compatíveis adeterminadas situações em busca de melhores soluções estéticas e funcionais. 5. Referênciashttp://www.ceratlas.com.br/ceramicaatlas/Portugues/detManual.php?codproduto_cat=1&codproduto_modo=1http://www.superbloco.com.br/main/bloco_sical.php

×