Obra no bairro Luxemburgo

1.619 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.619
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Obra no bairro Luxemburgo

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ARQUITETURA E URBANISMO MATERIAIS E TÉCNICAS CONSTRUTIVAS PROFESSOR EDUARDO CABALEIRORELATÓRIO DE VISITA À OBRA CONSTRUTORA DINIZ CAMARGOS LUDMILA SOUZA OUTUBRO DE 2010
  2. 2. RELATÓRIO DA VISITA À OBRA DA CONSTRUTORA DINIZ CAMARGOS1. Introdução2. Objetivos3. Desenvolvimento4. Conclusão1. Introdução: No dia 06 de Setembro de 2010 foi realizada pelos alunos da Disciplina deTécnicas e Materiais, uma visita técnica à obra da construtora Diniz Camargos. Ela selocaliza no bairro Luxemburgo, e sob orientação do Professor Eduardo Cabaleirotivemos orientação a respeito das técnicas utilizadas no processo construtivo. O Edifício Vila Real, trata-se de um empreendimento residencial, locado em umterreno muito acidentado necessitando um projeto específico estrutural de contenção deterra como o retangulão. Além disso, a obra tem uma particularidade muitofundamental, uma usina de concretagem dentro da própria obra diminuindo os custos delogística e aumentando a possibilidade de fiscalização da qualidade do concreto.
  3. 3. 2. Objetivos• Reconhecer diversos procedimentos adotados nas diversas etapas de construção bem como as técnicas para se obter o melhor desempenho dos materiais;• Entender a importância do processo de fiscalização de uma obra bem como ressaltar a importância da organização e criteriosidade da execução do projeto tendo em vista economia de materiais, zelo pela segurança e preocupação com a reputação dos agentes executores da obra;• Analisar a relevância do detalhamento do projeto para a execução de uma intervenção de qualidade.
  4. 4. 3. Desenvolvimento: A construtora Diniz Camargos, no empreendimento localizado no bairroLuxemburgo, criou sua própria usina de fabricação de concreto graças ao dispositivomontado com uma enorme betoneira. Essa aparelhagem funciona como uma unidadeindustrial onde é produzido o concreto para a própria obra nas especificações deresistência ou do tipo mais adequado às necessidades do projeto. Esse concreto é entãodistribuído a todos os pontos da obra com auxílio de uma grua, comumente chamado deguindaste, que é um equipamento utilizado para a elevação e a movimentação de cargase materiais pesados. Nessa etapa de fabricação do concreto, é extremamente importante a presença doengenheiro ou um técnico, de inteira confiança e com larga experiência em execução doconcreto. Os erros cometidos nessa etapa geralmente acarretam grandes prejuízosfuturos. A necessidade de correção das patologias ocorridas nas estruturas provocadaspor falta de cuidados na fase de concretagem implicará em perda da reputação e dedinheiro para o profissional e construtora responsável. No entanto, antes do processo de concretagem e, no caso de obras onde o concretoé encomendado nas concreteiras e chegam através de caminhões betoneira, antes dadescarga é necessário fazer uma avaliação da quantidade de água do concreto,verificando se a consistência está de acordo com o que foi especificado no projeto. Afalta de água torna o concreto menos trabalhável, podendo criar ninhos de concretagem(bicheiras) e água em excesso reduz a resistência do concreto. A consistência é avaliadapelo ensaio slump test, que tem como objetivos de determinar da trabalhabilidade econtrolar a quantidade de água adicionada no concreto fresco, de acordo com os passosa seguir: a) Coletar diretamente da calha da betoneira uma amostra de aproximadamente 30 litros de concreto depois de descarregado pelo menos 0,5 m 3 (não retire a amostra de concreto já lançado na fôrma); b) Colocar a amostra em um carrinho e misturar para assegurar a homogeneidade;
  5. 5. c) Colocar o cone sobre a placa metálica (previamente molhados e tratados) nivelada, apoiando firmemente os pés sobre as abas inferiores do cone; d) Preencher o cone em 3 camadas iguais e aplicar um apiloamento de 25 golpes em cada camada em toda a seção do cone, adensando cuidadosamente com a haste sem que esta penetre na camada inferior; e) Retirar o excesso de material da última camada com a régua, alisando a superfície; f) Içar o cone verticalmente, com cuidado; g) Colocar a haste sobre o cone invertido ao lado da massa abatida, medindo a distância entre o ponto médio do material e a parte inferior da haste, expressando o resultado em centímetros. Slump test Haste metálica Régua Abatimento (cm) Cone de AbramsAmostra Base de chapa metálica
  6. 6. Embora a amostra ideal seja aquela retirada do terceiro terço do concreto ainda nabetoneira, é conveniente fazer um ensaio logo na segunda descarga na calha para tomaras medidas de aceite ou rejeição da carga. O valor do abatimento desejado deve estarexpresso na nota fiscal ou de acordo com o projeto e deve ser verificado antes de seulançamento. Caso o ensaio aponte estar o concreto com trabalhabilidade acima do limiteestabelecido a carga deve ser rejeitada. No caso do abatimento ficar abaixo do limitepode-se adicionar água ao concreto e em seguida, verificar novamente o abatimento. Seeste ficar aumentado em até 2,5 cm e dentro do limite máximo o concreto pode seraceito. Outra particularidade da obra visitada é a característica íngreme do terreno sendonecessárias algumas medidas de contensão de terreno e a adoção de estruturas auxiliarespara garantir a segurança dos taludes. Para isso, o engenheiro de estruturas dimensionouretangulões que eram preenchidos com concreto produzido no próprio local da obra. O“retangulão” é um método inovador que ainda está se difundindo no meio da construçãocivil, e tem como objetivo conter taludes e encostas que estão ou sofreram problemas dedeslizamentos ou escorregamentos de terra. Pode ser utilizado para reforçar elementos estruturais ou até mesmo servir desub-base para muros de divisa ou estruturas apoiadas diretamente no solo. É um métodoque possui mais de uma função (reforço e contenção), e pode ser utilizado de váriasformas, o que o diferencia dos outros métodos de contenções existentes. Por nãoprecisar de equipamentos grandes e de mão-de-obra especializada, o custo da execuçãodos “retangulões” é baixo em comparação com s outras contenções. Ao mesmo tempodo custo viabilizar a sua utilização este método sofre uma forte crítica por expor ooperário envolvido na escavação do seu fuste a um risco iminente de desabamento. Para a execução do projeto é necessário realizar ensaios de análise do solo,posteriormente fazer o cálculo estrutural dos “retangulões” e depois desenvolver doprojeto arquitetônico e estrutural. Para execução da obra primeiramente faz a limpezado terreno, loca-se os “retangulões”, escava-se a terra, remove o entulho, monta-se asfôrmas e escoramentos, corta, dobra e monta a armação e posteriormente faz aconcretagem (com ou sem utilização de bomba).
  7. 7. Seguindo as instruções do consultor de solos, todos os “retangulões” devem serconcretados em, no máximo, 2 dias após aberto, pois o poço pode desbarrancar fazendocom que toda a escavação seja perdida. O mangote da bomba de concreto bombeia,então, o concreto no "retangulão" escavado e armado. A execução dos “retangulões” segue passos e seqüências previamenteespecificadas em projeto. Não é permitido que seja executado um “retangulão” naseqüência do outro, sempre é preciso dar um intervalo de um ou dois “retangulões”, porexemplo, se for executado o “retangulão” R1, só poderá executar em paralelo o R3,fazendo o intervalo entre as 2 peças, para que seja executado outro “retangulão” emparalelo.4. ConclusãoCom a visita técnica vimos em detalhes as etapas e os processos de execução do projetoe também as técnicas utilizadas para conceber uma estrutura. Desta forma, conseguimosentender a importância do papel do arquiteto ao designar a função de determinadosespaços na fase elaboração do projeto, já que essa escolha irá atuar diretamente naexecução da obra e no desempenho dos materiais empregados no processo construtivo.REFERÊNCIAS:http://www.uepg.br/denge/aulas/Concretagem/Concretagem.dochttp://cursos.anhembi.br/TCC-2007/Trabalhos/tcc-35.pdf

×