RCAAP: Reunião coordenação: 2-Jul-2015: Parte I

796 visualizações

Publicada em

Reunião de coordenação do RCAAP
Local: Universidade de Aveiro
Data/Hora: Dia 02 de Julho de 2015, 09:45-16:45

Público-alvo
• Dirigentes com o pelouro do RCAAP nas Instituições Membro
• Gestores de Repositórios Institucionais
• Gestores de Repositórios de Dados Científicos
• Gestores de Revistas Científicas

Âmbito/Objetivos
Esta reunião de trabalho do RCAAP tem por objetivo fazer o balanço das atividades do primeiro semestre de 2015 bem como de apresentar aspetos relevantes sobre o plano para o segundo semestre. Esta reunião terá como destaque o plano de implementação da política de acesso aberto da FCT, as sinergias PTCRIS vs RCAAP e ainda reunir os grupos de trabalho.
Agenda

Parte I – 09:45 - 12:45 (180 minutos)
1. Boas Vindas
2. Informações gerais sobre os mais recentes desenvolvimentos do Acesso Aberto;
3. Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e Tecnologia;
4. Informação do projeto PASTEUR4OA: eventos regionais para financiadores de ciência a realizar em Madrid, Espanha e para instituições que realizam investigação científica a realizar em Turim, Itália.
5. Semana OA

Parte II – 14:15 – 16:45 (150 minutos)
• Migração para a versão 5.x
• RCAAP & PTCRIS: DSpaceCRIS
• Estudo DOI
• Síntese de relatório e plano de trabalhos para 2015
• Grupos de trabalho e ambiente colaborativo - (60 mins)
• Reporte em Assembleia (30 mins)
• AOB

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
796
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

RCAAP: Reunião coordenação: 2-Jul-2015: Parte I

  1. 1. RCAAP 2015 Eloy Rodrigues, Fernando Ribeiro, João Mendes Moreira, José Carvalho, Raquel Truta, Pedro Príncipe 2 de Julho
  2. 2. Agenda Parte I ● Boas Vindas ● Informações gerais OA ● Informação do projeto PASTEUR4OA ● Implementação da Política OA ● Semana OA Parte II ● Migração 5.x ● Dspace-CRIS ● Estudo DOI ● Relatório / Plano ● Grupos de trabalho e ambiente colaborativo ● Plenário ● AoB 03/07/2015 2RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  3. 3. Informações OA 03/07/2015 3RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  4. 4. Agenda ● Políticas Open Access ● Negociações e Imposições ● Documentos (Estudos e opiniões) ● Eventos e outras informações 03/07/2015 4RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  5. 5. Políticas OA – Alguns exemplos recentes ● Estratégias nacionais: Suécia e Finlândia ● Eslováquia ● Canadá 03/07/2015 5RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  6. 6. Estratégias nacionais – Suécia 03/07/2015 6RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  7. 7. Estratégias nacionais –Finlândia 03/07/2015 7RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  8. 8. Eslováquia ● Government of Slovak Republic approved the Open Government Partnership (OGP) Action Plan 2015. It includes OA, open data and open education policies in addition to traditional OGP open government and open justice initiatives. ● Texts should be deposited in a designated OA online repository immediately upon acceptance for publication and made publicly accessible immediately, but no later than 6 months in Science and Technology and 12 months in the Humanities and Social Science.” (2.2. OA to the results of scientific research, Slovak’s OGP Action Plan 2015) 03/07/2015 8RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  9. 9. Canadá ● The three largest funding organisations in Canada have laid out a set of shared guidelines to ensure open access publication of the research they fund. ● The ‘Tri-Agency Open Access Policy on Publications’ requires that all publicly funded research be made freely available online within 12 months of its publication. 03/07/2015 9RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  10. 10. Negociações e “imposições” ● Negociações na Holanda ● Nova política da Elsevier ● Posição do COAR e SPARC sobre a política da Elsevier 03/07/2015 10RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  11. 11. Negociações na Holanda 03/07/2015 11RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  12. 12. Nova política da Elsevier 03/07/2015 12RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  13. 13. Posição COAR/SPARC sobre apolítica da Elsevier 03/07/2015 13RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  14. 14. Documentos (Estudos, declarações e opiniões) ● Documento Max Planck Digital Library ● EUA Open Access Checklist ● Declaração de Haia ● Artigo na PLoS ● Artigo de Richard Poynder 03/07/2015 14RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  15. 15. Documento Max Planck Digital Library ● The study which has now been presented by the Max Planck Digital Library is investigating the question whether the previously used subscription budgets would be sufficient to fund the Open Access publication charges and thus bring about a complete transition of academic publishing(…) concludes that such a transition would be possible at no extra costs. ● http://hdl.handle.net/11858/00-001M-0000-0026-C274-7 03/07/2015 15RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  16. 16. EUA Open Access Checklist What is the Open Access checklist? ● The Open Access checklist is intended as a general guide to key matters that should be considered when institutions plan to develop a policy on Open Access to research publications. Who is the checklist addressed to? ● This checklist is primarily addressed to higher education and research institutions that are developing, or planning to develop, a policy on Open Access to research publications. The checklist can be used by a variety of different actors at the institution, including the leadership, administration staff, librarians and researchers. 03/07/2015 16RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  17. 17. EUA Open Access Checklist 03/07/2015 17RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  18. 18. EUA Open Access Checklist 03/07/2015 18RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  19. 19. The Hague Declaration 03/07/2015 19RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal ● THE HAGUE DECLARATION ON KNOWLEDGE DISCOVERY IN THE DIGITAL AGE ● “THE RIGHT TO READ IS THE RIGHT TO MINE”
  20. 20. Artigo na PLoS 03/07/2015 20RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal ● It shows that in both natural and medical sciences (NMS) and social sciences and humanities (SSH), Reed-Elsevier, Wiley- Blackwell, Springer, and Taylor & Francis increased their share of the published output, especially since the advent of the digital era (mid-1990s). Combined, the top five most prolific publishers account for more than 50% of all papers published in 2013.
  21. 21. Artigo de Richard Poynder 03/07/2015 21RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal ● This is surely the long game publishers are playing: appropriate gold OA in a way that preserves their profits, while simultaneously seek to appropriate green OA in order to control it, and then gradually phase it out, thus ensuring a transition to a pay-to-publish environment that best suits their needs, and at a cost based on their asking price.
  22. 22. Eventos e outras informações ● Conferência ERA ● Grupo de Trabalho EUA 03/07/2015 22RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  23. 23. Eventos e outras informações 03/07/2015 23RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  24. 24. EUA Science 2.0/Open Science Expert Group ● Tentative priority areas for the Science 2.0/Open Science Expert Group (as agreed by the RPWG): ● Use of terminology: Science 2.0 vs. Open Science ● Open Access to research publications ● Open Access to research data ● Text and data mining ● Big data ● Data protection regulations ● In general, areas related to the EU Digital Agenda 03/07/2015 24RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  25. 25. NOVIDADE: FCT primeiro financiador de âmbito nacional presente no OpenAIRE
  26. 26. JMM – SCOAP3 03/07/2015 26RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  27. 27. Reunião do Grupo de Trabalho Nacional sobre Acesso Aberto Science Knows no country, because knowledge belongs to humanity, and is the torch that illuminates the world Louis Pasteur, 1822-1895 Aveiro, 2 de julho de 2015
  28. 28. Enquadramento do projeto  Tema: Science in Society  Tópico: SiS.2013.1.3.3-1: Upstream support to the definition, development and implementation of Open Access strategies and policies and to their coordination in the European Research Area;  Início: 1 Fevereiro 2014  Duração: 30 Meses (fim: 31 Julho 2016)  Parceiros: 15 parceiros de 10 países  Coordenador: EKT/NHRF- National Documentation Centre/ National Hellenic Research Foundation
  29. 29. Parceiros 1. National Documentation Centre (EKT)-GR 2. Enabing Open Scholarship (EOS)-NL 3. Universidade do Minho (Uminho)-PT 4. University of Oslo (CRISTin) –NO 5. EIFLNet-NL 6. EuroCris (NL) 7. Hungarian Academy of Sciences-HU 8. Politecnino di Torino (POLITO)-IT 9. LIBER-NL 10. Sparc Europe- NL 11. Jisc-UK 12. Hacettepe University-TR 13. Open Knowledge Foundation (OKF)-UK 14. Fonds National de la Recherche Scientique (FNRS)-BE 15. Research Council of Lithuania-LT
  30. 30. Conceito do projeto Capitalizar os recentes progressos no âmbito do desenvolvimento de políticas, redes existentes e trabalho de projetos (p.ex. MedOANet) Com o propósito:  Incentivar o desenvolvimento de políticas alinhadas com as recomendações da CE e do Horizonte 2020  Criar uma rede de organizações especializadas em toda a Europa (Knowledge Net)
  31. 31. Análise de Políticas de Acesso Aberto Objetivo: atualizar os registos das políticas existentes, desenvolver uma tipologia, medir a sua eficácia, avaliar o impacto do projeto no desenvolvimentos de políticas na Europa  Tarefa 3.1 Identificar as políticas existentes  Tarefa 3.2 Análise das políticas: eficácia e crescimento  Atualização dos registos das políticas de Acesso Aberto e reformulação do website ROARMAP
  32. 32. ROARMAP  Registry of Open Access Repository Mandates and Policies  http://roarmap.eprints.org  Sought out existing policies that were not registered in ROARMAP to ensure comprehensiveness  Developed a new, detailed classification scheme  Classified all policies according to this scheme  Re-launched with 660+ policies fully classified
  33. 33. ROARMAP 1/3 33
  34. 34. ROARMAP 2/3 34
  35. 35. ROARMAP 3/3 35
  36. 36. Policies: worldwide numbers
  37. 37. Open Access policies worldwide
  38. 38. Open Access policymakers worldwide Research funders (72) Research institutions (461) Research funder and institutions (53) Multiple research organisations (8) Sub-units of institutions (69)
  39. 39. Open Access mandates worldwide
  40. 40. Open Access mandates worldwide
  41. 41. Green and Gold policy requirements (funder policies) Deposit in repository required (58%) Deposit in repository requested (21%) Deposit in repository not specified (21%) OA publishing required (0.3%) Recommended alternative to Green OA (15%) Permitted alternative to Green OA (15%) Not specified/oth er (70%)
  42. 42. Green and Gold policy requirements (institutional policies) Deposit in repository required (60%) Deposit in repository requested (23%) Deposit in repository not specified (19%) OA publishing required (0.3%) Recommended alternative to Green OA (14%) Permitted alternative to Green OA (15%) Not specified / other (71%)
  43. 43. Policy effectiveness  ROARMAP rebuild  122 mandatory policies (institutions)  Repository content measured  Regression analysis carried out using policy criteria
  44. 44. Policy conditions recorded in ROARMAP: original set of 13 Condition Must deposit Cannot waive deposit Deposit immediately Must make item OA Cannot waive making item OA Link deposit with research assessment / evaluation Must make item OA immediately Permitted embargo period specified (STEM) Permitted embargo period specified (HaSS) Must retain rights to make item OA Cannot waive retention of rights Age of mandatory policy Requirement for open licensing
  45. 45. Policy conditions: eliminated those with small sample size Condition Must deposit Cannot waive deposit Deposit immediately Must make item OA Cannot waive making item OA Link deposit with research assessment / evaluation Must make item OA immediately Permitted embargo period specified (STEM) Sample too small Permitted embargo period specified (HaSS) Sample too small Must retain rights to make item OA Cannot waive retention of rights Age of mandatory policy Requirement for open licensing
  46. 46. Policy conditions: working set of 11 Condition Must deposit Cannot waive deposit Deposit immediately Must make item OA Cannot waive making item OA Link deposit with research assessment / evaluation Must make item OA immediately Must retain rights to make item OA Cannot waive retention of rights Age of mandatory policy Requirement for open licensing
  47. 47. Policy conditions: eliminated those with small numbers Condition Must deposit Cannot waive deposit Deposit immediately X Must make item OA Cannot waive making item OA Link deposit with research assessment / evaluation Must make item OA immediately X Must retain rights to make item OA X Cannot waive retention of rights Age of mandatory policy X Requirement for open licensing X
  48. 48. Policy conditions: regression analysis Condition Correlation with deposit rate Must deposit ✔ Cannot waive deposit ✔ Deposit immediately Must make item OA ✔ Cannot waive making item OA ✔ Link deposit with research assessment / evaluation ✔ Must make item OA immediately Must retain rights to make item OA Cannot waive retention of rights ✔ Age of mandatory policy Requirement for open licensing
  49. 49. Regression analysis: the final list of policy criteria  Must deposit  Cannot waive deposit  Research evaluation  Must make deposit Open Access  Where rights are retained, this cannot be waived
  50. 50. Correlation with deposit action Policy criterion Positive correlation Significant correlation Must deposit ✔ ✔ Cannot waive deposit ✔ ✔ Link deposit to research evaluation ✔ ✔ Must make deposit Open Access ✔ Where policy stipulates authors should retain relevant rights, this cannot be waived ✔
  51. 51. Significant correlations with deposit rate  Must deposit  Cannot waive deposit  Research evaluation  Must make deposit Open Access  Where rights are retained, this cannot be waived
  52. 52. Policies with these criteria  18 policies  5 funders  13 institutions
  53. 53. Funders  European Commission: Horizon 2020 policy  Austria: FWF (Fonds zur Foederung der Wissenschaftlichen Forschung)  UK: HEFCE (Higher Education Funding Councils)  US: NIH (National Institutes of Health)  South Africa: National Research Foundation of South Africa
  54. 54. Deposit rates in individual mandated institutions (2011-2013) Institution Country Number of articles in WoK Total FT (OA + RA) % Open Access % Restricted Access % Metadata- Only % Not deposited % All institutions 70,642 43.0 35.80 7.22 5.19 51.79 University of Liege Belgium 4,240 87.0 37.03 49.95 0.12 12.90 Instituto Politecnico de Braganca Portugal 267 85.8 56.93 28.84 0.00 14.23 National Institute of Oceanography India 462 79.7 79.65 0.00 0.22 20.13 Universidade do Minho Portugal 3,021 62.3 39.09 23.24 0.00 37.67 University of Pretoria South Africa 3,335 60.4 60.42 0.00 0.00 39.58 University of Nairobi Kenya 655 60.0 60.00 0.00 6.41 33.59 Queen Margaret University, Edinburgh United Kingdom 150 57.3 14.67 42.67 8.00 34.67 University of Luxembourg Luxembourg 761 55.8 18.92 36.93 0.53 43.63 Queensland University of Technology Australia 3,558 49.1% 44.38% 4.69% 34.99% 15.94% Belgorod State University Russia 189 45.0% 44.97% 0.00% 0.00% 55.03% University of Stirling United Kingdom 1,301 41.7% 15.68% 26.06% 0.00% 58.26% Universidade de São Paulo - USP Brazil 21,080 41.1% 41.12% 0.00% 3.36% 55.52% Universitat Politècnica de Catalunya Spain 3,394 39.8% 13.94% 25.90% 0.62% 59.55% University of Surrey United Kingdom 2,613 35.6% 29.39% 6.20% 0.08% 64.33% Massachussetts Institute of Technology (MIT) United States 14,019 32.3% 32.29% 0.00% 0.00% 67.71% University of Salford United Kingdom 822 31.1% 7.54% 23.60% 5.23% 63.63% University of Loughborough United Kingdom 2,615 30.7% 30.71% 0.00% 0.00% 69.29% Brunel University United Kingdom 2,244 30.1% 30.12% 0.00% 0.09% 69.79% Universidad Politécnica de Madrid Spain 3,051 29.6% 26.16% 3.41% 0.00% 70.44% University of Bath United Kingdom 2,847 28.5% 27.96% 0.49% 55.43% 16.12%
  55. 55. Highest deposit rates (research- intensive institutions*) Institution Number of articles published 2011- 2013 % articles deposited in the repository University of Liege (Belgium) 4240 87 % Universidade do Minho (Portugal) 3021 62 % University of Pretoria (South Africa) 3335 60 % Queensland University of Technology (Australia) 3558 49 %* Published more than 3000 articles in the 3-year test period
  56. 56. Highest deposit rates (research- intensive institutions*) Institution Number of articles published 2011-2013 % articles deposited in the repository Policy has all critical criteria? University of Liege (Belgium) 4240 87 % ✔ Universidade do Minho (Portugal) 3021 62 % ✔ University of Pretoria (South Africa) 3335 60 % Queensland University of Technology (Australia) 3558 49 % * Published more than 3000 articles in the 3-year test period
  57. 57. Trabalho em curso/futuro
  58. 58. Eventos Regionais do Projeto PASTEUR4OA  Objetivo: Reunir representantes (decisores) de financiadores de ciência e de instituições que realizam investigação científica de forma a permitir a troca de ideias, práticas e políticas entre os participantes e discutir formas de melhorar as políticas existentes ou desenvolver novas políticas de Acesso Aberto alinhadas com as recomendações da Comissão Europeia e com os requisitos do Horizonte 2020. 58
  59. 59. Calendário geral dos eventos regionais  28 setembro, 2015 em Madrid, Espanha: Workshop da região SW para financiadores de ciência  29-30 outubro, 2015 em Budapeste, Hungria: Workshops da região E para financiadores de ciência e instituições que realizam investigação científica  3 novembro, 2015 em Atenas, Grécia: Workshop da região SE para instituições que realizam investigação científica  Janeiro / fevereiro 2016 em Bruxelas: Workshops da região NW para financiadores de ciência e instituições que realizam investigação científica  22 fevereiro, 2016 em Turim, Itália: Workshop da região SW para instituições que realizam investigação científica  Março / abril, 2016: Workshops regionais dos países do Norte da Europa  1 abril, 2016 em Istambul: Workshop da região SE para financiadores de ciência 59
  60. 60. Workshop da região SW para financiadores de ciência  28 de setembro de 2015  Em colaboração com a FECYT*, Madrid, Espanha  Público-alvo: financiadores de ciência dos países da região SW da Europa (Portugal, Espanha, Itália e Malta)  18/25 participantes convidados  3 a 4 representantes de financiadores de ciência de Portugal *Fundación Española para la Ciencia y la Tecnología 60
  61. 61. Prioridades nacionais*  Intensificar contacto com instituições que realizam investigação científica  Retomar o contacto com o CRUP, CCISP, CLA,  Para a atualização das políticas existentes, ou definição de novas políticas, alinhadas com as políticas da FCT e do H2020 e com as melhores práticas internacionais *para os próximos 6 meses de projeto
  62. 62. http://www.pasteur4oa.eu @PASTEUR4OA facebook.com/pasteur4oa
  63. 63. Vasco Vaz Departamento da Sociedade da Informação 2015.07.02 GT Nacional AA/Reunião Coord. RCAAP|U. Aveiro Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia – atualização –
  64. 64. TÓPICOS Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia 02 | 15 1. Política aprovada a. Depósito b. Formas de publicação aceites c. Elegibilidade de custos d. Fundamentos estratégicos 2. Implementação a. Alteração da conjuntura externa b. Situação da conjuntura interna c. Potencial impacto da atual conjuntura em PT d. Reposicionamento estratégico da FCT e. Faseamento da implementação f. Modelo de apoio ao utilizador g. Requisitos / FAQ’s
  65. 65. 1. POLÍTICA APROVADA Proposta aprovada Depósito, pelos autores, de qualquer publicação em qualquer repositório do RCAAP • Publicações de artigos em revistas e atas de conferências [embargo máximo de 6 a 12 meses (CSH)] • Teses de doutoramento (embargo máximo de 36 meses) ⇒ Livros, capítulos de livros e monografias (embargo máximo de 18 meses) A aplicação de uma Licença Creative Commons CC-BY, ou equivalente, à publicação é recomendada 03 | 15Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  66. 66. 1. POLÍTICA APROVADA Proposta aprovada Publicação em revistas, atas de conferências ou livros que: a) Disponibilizem diretamente na Internet acesso imediato e sem restrições à versão final do artigo (publicação em Acesso Aberto)  O pagamento de “Custos de Processamento da Publicação” (CPP) pode ser cobrado e reembolso elegível (projetos ou unidades de I&D) ou b) Autorizem o acesso sem restrições ao artigo aceite, na versão final, mediante a sua disponibilização através de um repositório  Aceites períodos de embargo variáveis consoante o tipo de publicação e a área científica. Não é aceite o pagamento de CPP Em qualquer caso é exigido o depósito imediato, após aceitação para publicação, da versão final do autor num repositório do RCAAP 04 | 15Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  67. 67. 1. POLÍTICA APROVADA Proposta aprovada Condições para elegibilidade de pagamento de CPP a) Disponibilização na Internet de acesso imediato ao conteúdo integral da versão final da publicação b) Autorização de depósito imediato da versão final noutros repositórios que não o da própria revista ou editora c) Aplicação de Licença Creative Commons CC-BY, ou equivalente, ao conteúdo integral da publicação para ambos os casos acima referidos, não se admitindo qualquer restrição ao acesso ao – ou à reutilização do – conteúdo da publicação d) Limitação do valor dos CPP, a estabelecer de acordo com a evolução das melhores práticas internacionais em matéria de políticas de publicação em Acesso Aberto 05 | 15Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  68. 68. 1. POLÍTICA APROVADA Fundamentos estratégicos • Melhores práticas internacionais • Preferência pelo AA Verde (cumprimento através de auto- arquivo da publicação em repositório) – alinhamento com maioria dos mandatos existentes de financiadores públicos de ciência – aproveitamento da infraestrutura e know-how nacionais pré-existentes – máxima divulgação da produção científica nacional por custos mínimos por comparação com o AA Dourado – elimina fatores de imprevisibilidade e dificuldades de gestão financeira associados ao pagamento de custos com AA Dourado 06 | 15Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  69. 69. 1. POLÍTICA APROVADA Fundamentos estratégicos • Panorama editorial oferecia condições para a maioria dos investigadores cumprir com Política através do auto-arquivo – sem alterações significativas quanto à escolha do meio de publicação • Estabelecimento de limites aos CPP por AA dourado – motivação – ferramenta de controlo de custos e auxiliar de gestão financeira ao nível da FCT – sinalização política de exercício de controlo de custos • como contributo para o esforço de prevenção de escalada de preços no plano global 07 | 15Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  70. 70. Alteração da conjuntura externa • Adoção e implementação de novas políticas de AA com grande influência no mercado – Reino Unido, com clara preferência pelo AA Dourado – Aumento da disponibilidade de fundos avultados para pagamento de AA Dourado, mesmo por instituições que não sinalizaram qualquer preferência • Alteração de posicionamento das editoras – de fornecedoras de conteúdos a fornecedoras de serviços aos autores (intermediárias na relação destes com os financiadores) Consequências – Aumento dos períodos de embargo ao acesso dos conteúdos via repositórios • menor capacidade de cumprimento de mandatos de auto-arquivo pelos investigadores – Aumento da disponibilidade de opção de artigos AA em revistas de assinatura – Aumento da oferta de revistas de AA por editoras tradicionais – Aumento do preço dos CPP 08 | 15 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  71. 71. Situação da conjuntura interna • Recursos humanos – mudanças • Falta de elementos essenciais de informação – Falta de informações agregadas ao nível global da FCT • número total de publicações declaradas durante um determinado período • número de investigadores diferentes que declararam publicações durante um determinado período • número de publicações efetuadas em cada revista, por editora – Falta de granularidade dos dados disponíveis • valor gasto com o pagamento de publicações durante um determinado período Consequências – fundamentação de um (ou vários) montante-limite aos CPP – X – previsão do impacto financeiro dos custos com publicações em AA Dourado no orçamento da FCT – X – considerar, dimensionar e orçamentar linha própria de financiamento de publicações em AA Dourado, fora do âmbito do financiamento concedido para investigação – X 09 | 15 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  72. 72. Potencial impacto da atual conjuntura em PT • Se fundos para CPP forem retirados apenas do financiamento atribuído para a investigação – risco dos investigadores terem de optar por incorrer em custos demasiado elevados com publicações e consequente insuficiência dos fundos para a investigação ou pelo incumprimento da Política • Se FCT criasse uma linha de financiamento dedicada exclusivamente ao apoio à publicação em AA Dourado – contributo direto para manutenção do status quo no mercado editorial – virtualmente impossível dimensionar fundadamente uma medida destas ou prever o impacto financeiro desta medida no orçamento da FCT – certeza de aumento de custos a cargo da FCT, resultantes do acréscimo dos custos com as publicações em AA aos custos das assinaturas (double dipping – mecanismos de compensação ainda não estão afinados) 10 | 15 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  73. 73. Reposicionamento estratégico da FCT • Reforço do enfoque da Política no depósito da publicação • Manutenção da opção do pagamento dos CPP apenas como despesa elegível no âmbito do financiamento concedido, embora sem limites – Condições • prazos para pagamentos limitados à data de encerramento do projeto – Vantagens • método natural de controlo de custos e de combate à escalada de preços no mercado AA, sem ser necessário estabelecer qualquer limite (para já) • maior facilidade de associação da publicação ao contexto de investigação de que resulta • maior facilidade e clareza na gestão financeira – evita criação de mais um novo sistema, com novos processos associados MAS – aceitação de prazos de embargo superiores aos previstos na Política durante um período definido 11 | 15 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  74. 74. Faseamento da implementação • Períodos de implementação – 2015 a primeiro semestre de 2017 • período experimental provisório: permite efetuar a implementação ao ritmo das atuais capacidades – unidade a unidade • aquisição de dados seguros e suficientes para desenho de soluções definitivas; monitorização • preparação adequada de todos os serviços da FCT e dos repositórios • habituação da comunidade científica nacional às práticas do Acesso Aberto – 2.º semestre de 2017 • análise da informação recolhida • momento para comparação com a evolução da conjuntura internacional • sugestão de novas medidas para a nova fase de implementação; possibilidade de revisão e reformulação da Política se necessário – 2018 • Início de implementação da nova fase 12 | 15 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  75. 75. Modelo de apoio ao utilizador – Bottom-up distribuído – RCAAP Local RCAAP Nacional FCT Unidades Negócio FCT Unidades Negócio RCAAP Local FCT Central 1ª Linha 2ª Linha Depósito Reporte científico Geral Política Reporte financeiro Candidaturas, contratos Submissão de despesas Reporte científico Reporte financeiro Depósito Geral Política Assuntos ExpertiseFAQ’s ExpertiseFAQ’s Listas de contactos atualizadas Canais de contacto 13 | 15 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  76. 76. Bottom-Up distribuído – requisitos – • Requisitos – criação e formação de pontos de contacto na FCT para funções de 2.ª linha – organização de listas de contactos atualizadas  produção de guiões de resposta com base em FAQ’s detalhadas, abrangendo todos os aspetos de implementação e cumprimento da Política 14 | 15 2. IMPLEMENTAÇÃO Implementação da Política de Acesso Aberto da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
  77. 77. www.fct.pt EXCELÊNCIA| CONHECIMENTO | IMPACTO
  78. 78. Implementação da Política OA da FCT José Carvalho – jcarvalho@sdum.uminho.pt Raquel Truta – raquel@sdum.uminho.pt
  79. 79. IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA OPEN ACCESS DA FCT 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 79
  80. 80. Overview Repositório • Depósito Portal RCAAP • Agregação FCT • Monitorização 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 80
  81. 81. REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Requisitos 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 81
  82. 82. Identificação do Projeto FCT (obrigatório) ● Introdução do identificador do projeto FCT de acordo com mecanismo existente para o OpenAIRE ● Addon para Dspace com várias fontes de projetos (FP7, H2020, FCT, WT,…) em https://gitlab.fccn.pt/dev-rcaap/addon- openaire 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 82
  83. 83. Funcionamento do Addon para DSpace 03/07/2015 83RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  84. 84. Exemplo no Repositório 03/07/2015 84RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal Incluir 4 caracteres para iniciar listagem de projetos
  85. 85. Registos Embargados ● No caso de trabalhos com embargo, usar a data de fim de embargo. ● No caso de embargos superiores ao definido na política deve ser justificado no momento do depósito. 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 85
  86. 86. Licença Creative Commons ● No caso de publicações com custos de processamento (CPP / APC), é obrigatório o uso da licença Creative Commons CC-BY ou equivalente (ponto 4 C da política). 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 86
  87. 87. Licença Creative Commons ● Adotadas as diretrizes DRIVER: colocar link para a licença numa nova instância do elemento dc:rights (ou adicionar passo para seleção de licença no DSpace) 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 87
  88. 88. Perfil de Validação no Validador 2.0 ● Efetua um filtro aos conteúdos do repositório para identificar os recursos financiados pela FCT através do valor: dc:relation: info:eu-repo/grantAgreement/FCT/ 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 88
  89. 89. Resultado da Validação 03/07/2015 89RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  90. 90. Set FCT (facultativo) ● Novo “contexto” (set do OAI-PMH), com todos os conteúdos financiados pela FCT ● À semelhança do set usado pelo DRIVER ou OpenAIRE, foi também criado um para o contexto da FCT ● Exemplo: URL/oaiextended/fct 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 90
  91. 91. Set rcaap (obrigatório se aplicável) ● Para os repositórios que possuem conteúdos considerados não científicos, deve ser criado o set “rcaap” ou outro equivalente que corresponde a toda a produção científica do repositório. 03/07/2015 91RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  92. 92. IMPACTO PREVISTO NO PORTAL 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 92
  93. 93. Impacto no Portal RCAAP ● Com a monitorização da política OA da FCT ● Com o DL (e futura portaria) sobre Teses e Dissertações ● Em ambos os casos serão geridos recursos embargados e em acesso restrito! 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 93
  94. 94. Impacto no Portal RCAAP ● Logo… o Portal RCAAP deverá agregar também recursos em acesso embargado e recursos em acesso restrito! ● Obriga a reformulação de funcionalidades no Portal ● Obriga a novas condições de agregação (como por exemplo set rcaap para quem possui conteúdos não científicos) 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 94
  95. 95. Conteúdos e Contextos nos Repositórios 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 95
  96. 96. Identificação do tipo de acesso ● Identificação do tipo de acesso do documento de cada registo no Portal RCAAP 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 96
  97. 97. ID Requisito SARI Não SARI DSpace Não DSpace 1 Identificação do projeto FCT Implementação do Authority Control com Lista de projetos FCT Configuração da Funcionalidade Authority Control com Lista de projetos FCT Implica a inclusão manual ou desenvolvimento de funcionalidade semelhante ao DSpace 2 Configuração de Embargo Configuração da Funcionalidade Embargo Configuração da Funcionalidade Embargo Lista manual ou desenvolvimento de funcionalidade idêntica 3 Atribuição da Licença CC CC-BY Alteração de formulários de depósito para permitir associar licença Ou Ativação das licenças CC Alteração de formulários de depósito para permitir associar licença Ou Ativação das licenças CC Permitir a inclusão / seleção de licença no processo de depósito. 4 Validação do Repositório Necessita de OAI-PMH ativo Necessita de OAI-PMH ativo Necessita de OAI-PMH ativo 5 Set FCT Configuração do OAI-PMH Configuração do OAI-PMH Desenvolvimento do filtro com base no OAI-PMH. 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 97
  98. 98. + Info no Website RCAAP 03/07/2015 98RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  99. 99. PORTAL RCAAP 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 99
  100. 100. Apresentar informação do projeto ● Na página de cada registo no Portal RCAAP é apresentado o projeto associado (e ligação à página de projeto). 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 100
  101. 101. Apresentar informação do projeto ● Numa página própria do Portal RCAAP, apresenta informação agregada do projeto ● Publicações ● Informação de financiamento ● Link para página web do projeto (na FCT) ● Programa de Financiamento ● Estatísticas 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 101
  102. 102. 03/07/2015 102RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  103. 103. Toolbox para Projetos ● Permite usar a informação do Portal RCAAP para: ● Widget (lista de publicações para website) ● Lista de publicações para relatórios da FCT (HTML; CSV;…) Coloca a informção em contexto! 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 103
  104. 104. Relatórios para FCT ● Com o Portal RCAAP, os relatórios dos projetos baseiam-se num URL que é copiado da página de projeto no Portal RCAAP! 03/07/2015 104RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  105. 105. Exemplo Sniped HTML ● Usa a API do Portal RCAAP 03/07/2015 105RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  106. 106. Pesquisa por Projeto ● Pesquisar e recuperar todos os registos associados a um projeto. Novo campo de pesquisa avançada e tipo de acesso. 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 106
  107. 107. Filtro por projeto ● Filtrar da lista de resultados registos de um ou vários projetos em particular, programa ou financiador 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 107
  108. 108. Set OAI-PMH para Recursos Financiados ● Disponibiliza ao nível do Portal RCAAP um set com todos os registos associados a projetos da FCT ● http://www.rcaap.pt/oai?verb=ListSets 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 108
  109. 109. API do Portal RCAAP ● Tem uma abordagem para utilização genérica mas tem particularidades para ir ao encontro das necessidades do contexto da monitorização da política e das teses e dissertações. 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 109
  110. 110. Exemplo de Pedido para API ● API REST com JSON, JSONP e XML (CERIF- XML) 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 110
  111. 111. API Portal RCAAP http://dev1.rcaap.pt/api 03/07/2015 111RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  112. 112. Monitorização 03/07/2015 112RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal ● Monitorização para todos os financiadores ● Exportação para Excel
  113. 113. GRANT MANAGEMENT 03/07/2015 RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal 113
  114. 114. Contexto ● Fev/2015 - Proposta inicial ● Saída recursos humanos seniores na equipa SIGCiência ● Hoje – Proposta revista com o objetivo de identificar alternativas ao que anteriormente se propunha (soluções de contorno) 03/07/2015 114RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal
  115. 115. Edital Contrato Publicação Aprovação despesa Pre-grant Pos-grant Monitorização / Reporting financeiro e científico Gestão financiamento - Grau de impacto
  116. 116. RequisitosRequisito Descrição Impacto negativo RF-01 Lista de instrumentos de financiamento Não RF-02 Reporte financeiro Elevado RF-03 Relatório científico Médio RF-04 Monitorização financeira Elevado RF-05 Monitorização técnica Não
  117. 117. RF-02- Lista de instrumentos de financiamento SARI (up) OJS (up) BD CERIF
  118. 118. RF-01 – Lista de instrumentos de financiamento 10-Set-14 11
  119. 119. RF-02 Report financeiro Template de submissão de despesa no PCT 1. Criada nova rúbrica para CPP. 2. Handle no campo descrição X Solução de contorno A despesa é reportada numa rúbrica genérica.
  120. 120. RF-03 Relatório científico intercalar FCT-SIG - Relatório de Progresso
  121. 121. RF-03 Relatório científico intercalar FCT-SIG - Relatório de Progresso X SOLUÇÂO DE CONTORNO • O utilizador é instruído a gerar o ficheiro no RCAAP e copiar o mesmo para a caixa de texto livre. • Os serviços terão de verificar se os handles constam de facto do repositório.
  122. 122. RF-03 Relatório científico final SOLUÇÂO DE CONTORNO • O utilizador é instruído a gerar o ficheiro no RCAAP e copiar o mesmo para a caixa de texto livre. • Os serviços terão de verificar se os handles constam de facto do repositório.
  123. 123. RF03 – Relatório científico API (CERIF-XML)
  124. 124. RF-04 Monitorização Financeira Lista de despesas: -Por rúbrica -Por projeto -Por instituição FCT-SIG Saldo Orçamental por rubrica X Contorno - Amostragem
  125. 125. RF-05 Monitorização Técnica ● http://www.rcaap.pt/fct/ ● Dashboard ● Registos financiados por mês, projeto, repositório, instituição ● % de registos financiados vs registos depositados por cada instituição e em termos gerais
  126. 126. RCAAP 2015 GT-DIVULGAÇÃO Ana Alves Pereira ▪ FCT/UNL 2 de Julho
  127. 127. 03/07/2015 128RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal Grupo de Trabalho de Divulgação - RCAAP  Imagem gráfica  Newsletter eletrónica (Portaria das Teses , Preservação digital, Politica de Acesso aberto da FCT, Dados científicos, Horizonte 2020, Notícias, etc)  Portal da Semana do Acesso Aberto  Kit de apoio Open Access Week  Nota para a imprensa  Carta para dirigentes das Universidades e Politécnicos  Roll-up no Congresso da BAD  Questionário PLANO DE TRABALHO
  128. 128. 03/07/2015 129RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal Grupo de Trabalho de Divulgação - RCAAP Banner facebook Web header site, blog e opac
  129. 129. 03/07/2015 130RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal Grupo de Trabalho de Divulgação - RCAAP Marcador de Livro Autocolantes para impressão
  130. 130. 03/07/2015 131RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal Grupo de Trabalho de Divulgação - RCAAP O que aprendemos em 2 anos de experiência  Impacto dos materiais criados não foi equivalente ao esforço  Divulgar atempadamente  Importante insistir na comunicação  Reforçar a divulgação  Criar um Kit de apoio OAW
  131. 131. 03/07/2015 132RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal Grupo de Trabalho de Divulgação - RCAAP  Sugestões de atividades / ações organizadas por nível de esforço  Instruções práticas de como usar os vários materiais produzidos  Indicação de onde ir descarregar os materiais disponibilizados KIT DE APOIO OAW
  132. 132. 03/07/2015 133RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal Grupo de Trabalho de Divulgação - RCAAP Nível de dificuldade/esforço baixo  Colocar web header no website da instituição, biblioteca, blog e OPAC  Colocar banner no Facebook  Utilizar assinatura digital de email  Reportar todas as atividades realizadas nas páginas e redes sociais da instituição  Enviar email diário ou colocação de um post nas redes sociais com conteúdos relacionados com o Acesso Aberto.  Enviar as atividades planeadas para o administrador do portal da Semana do Acesso Aberto de Portugal KIT DE APOIO OAW - ATIVIDADES PROPOSTAS Nível de dificuldade/esforço médio  Imprimir materiais de divulgação  Realizar de ações de formação  Realizar sessões de divulgação do repositório e Acesso Aberto na instituição  Realizar de seminários/workshops na instituição sobre tópicos, como por exemplo:  Elaborar poster/infográfico sobre o repositório institucional
  133. 133. 03/07/2015 134RCAAP - Repositório Cientifico de Acesso Aberto de Portugal Grupo de Trabalho de Divulgação - RCAAP  SUGESTÕES  AJUDAS SÃO BEM-VINDAS INSTITUIÇÕES ENVOLVIDAS IPCB, IPB, IPL, FCT/UNL, FCT|FCCN, U. Coimbra, U. Évora, U. Minho

×