Manutenção preditiva apres

1.159 visualizações

Publicada em

manutenção predetiva

Publicada em: Engenharia
  • Seja o primeiro a comentar

Manutenção preditiva apres

  1. 1. TPE MANUTENÇÃO PREDITIVA CONCEITOS BÁSICOS
  2. 2. TIPOS DE MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO PREVENTIVA MANUTENÇÃO CORRETIVA MANUTENÇÃO BASEADA NO TEMPO MANUTENÇÃO BASEADA NA CONDIÇÃO DURAÇÃO DO COMPONENTE REALIZADA EM INTERVALOS REGULARES REALIZADA DE ACORDO COM A NECESSIDADE ESTADO DO COMPONENTE REALIZADA APÓS A FALHA
  3. 3. MANUTENÇÃO PREVENTIVA A manutenção baseada no tempo é mais viável quando:  O equipamento ou componente apresenta comportamento bem pronunciado de falhas por desgaste progressivo  O custo após a falha é muito maior que o reparo ou substituição em intervalos fixos.
  4. 4. MANUTENÇÃO PREDITIVA  Indica as condições reais de funcionamento das máquinas, com base em dados do seu desgaste ou processo de degradação  Prediz o tempo de vida útil dos componentes  Visa fornecer meios para que este tempo de vida seja bem aproveitado  A prática da Manutenção Preditiva envolve três fases:  Análise da tendência.  Detecção da anomalia  Estabelecimento de um diagnóstico
  5. 5. MANUTENÇÃO PREDITIVA Análise da tendência Detecção da anomalia Estabelecimento do diagnóstico Valores de uma grandeza física Conhecimento do equipamento e do processo Conhecimento dos modos de falha e do processo de desgaste Diagnóstico
  6. 6. DETECÇÃO DA ANOMALIA CAUSA ANOMALIA MODO DE FALHA (DEFEITO) SINTOMA
  7. 7. Tempo Performance Intervalo entre as inspeções Detecção da anomalia Falha funcional Reparo Intervalo PF Falha potencial Monitoramento DETECÇÃO DA ANOMALIA
  8. 8. Fatores a considerar Importância do equipamento na função Características (mecânico, eletrônico...) Confiabilidade requerida Perdas associadas » Custo de parada » Objetivos da produção (entrega) » Segurança » Meio ambiente » Qualidade do produto DEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E INSPEÇÃO
  9. 9. Painel QB-11 DEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E INSPEÇÃO OBJETIVO = DISPONIBILIDADE DO EQUIPAMENTODA FUNÇÃO
  10. 10. DEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO E INSPEÇÃO COMPONENTES DA BOMBA MODO DE DESGASTE INTERVALO PF (DIAS) TAXA DE FALHA RELATIVA (%) ROLAMENTO GRADUAL/ PRINCIPALMENTE FATORES DE MANUTENÇÃO: CONSERVAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO 60 50 ROTOR GRADUAL / PRINCIPALMENTE FATORES DE OPERAÇÃO: ABRASIVIDADE DO FLUIDO, CAVITAÇÃO 120 27 EIXO INCOMUM/ PRINCIPALMENTE FATORES EXTERNOS (MONTAGEM, SOBRECARGA) 7 2 ACOPLAMENTO INCOMUM/ PRINCIPALMENTE FATORES EXTERNOS (MONTAGEM, ESFORÇOS) 120 7 LUVA PROGRESSIVO DESDE A INSTALAÇÃO 90 10 GAXETA PROGRESSIVO DESDE A INSTALAÇÃO 60 4 Exemplo: bomba centrífuga horizontal xyz
  11. 11. DEFINIÇÃO DAS TÉCNICAS DE MONITORAMENTO CORRELAÇÃO ENTRE A GRANDEZA FÍSICA E O DEFEITO MODO DE FALHA DA BOMBA INTERVALO PF (DIAS) TAXA DE FALHA RELATIVA (%)VISUAL RUÍDO TEMPERATURA VIBRACÃO BAIXA ALTA MÉDIA ALTA DESGASTE ROLAMENTO 60 50 BAIXA MÉDIA BAIXA MÉDIA DESGASTE ROTOR 120 27 BAIXA BAIXA BAIXA BAIXA FADIGA EIXO 7 2 ALTA MÉDIA BAIXA ALTA DESGASTE ACOPLAMENTO 120 7 BAIXA MÉDIA ALTA ALTA DESALINHAMENTO EXCESSIVO 90 10 ALTA BAIXA ALTA MÉDIA DESGASTE GAXETA 60 4 Exemplo: bomba centrífuga horizontal xyz
  12. 12. DEFINIÇÃO DAS TÉCNICAS DE MONITORAMENTO Grandezas físicas que podem ser monitoradas:  Vibração  Pressão  Temperatura  Desempenho  Aceleração  Desgaste  ...
  13. 13. TÉCNICAS DE MANUTENÇÃO PREDITIVA ANÁLISE DE VIBRAÇÕES FÍSICO-QUÍMICO ESPECTOMETRIA FERROGRAFIA CONTAGEM DE PARTÍCULAS ANÁLISE DE ÓLEO INSPEÇÃO VISUAL MEDIÇÃO DE CORRENTE TERMOGRAFIA MANUTENÇÃO PREDITIVA

×