Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total

7.805 visualizações

Publicada em

T.P.M : Manutenção Produtiva Total

http://engenhariadeproducaoindustrial.blogspot.com.br/2009/05/tpm-manutencao-produtiva-total.html

Publicada em: Engenharia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.805
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.324
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
220
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação Programa T.P.M : Manutenção Produtiva Total

  1. 1. T.P.M. Manutenção Produtiva Total Engenharia de Produção IndustrialEngenharia de Produção Industrial http://engenhariadeproducaoindustrial.blogspot.com/http://engenhariadeproducaoindustrial.blogspot.com/ Eng. Eder Benevides de Freitas
  2. 2. Manutenção Produtiva Total  Introdução − Durante muito tempo as indústrias funcionaram com o sistema de manutenção corretiva, com isso ocorriam desperdícios, retrabalhos, perda de tempo e de esforços humanos, além de prejuízos financeiros. − A partir de uma análise deste problema Passou-se a dar ênfase na manutenção preventiva. Com enfoque neste tipo de manutenção, foi desenvolvido o conceito de manutenção produtiva total, conhecido pela sigla de TPM (Total Productive Maintenence), que inclui programas de manutenção preventiva e preditiva.
  3. 3. Manutenção Produtiva Total  Geração da Manutenção
  4. 4. Manutenção Produtiva Total  Geração da Manutenção
  5. 5. Manutenção Produtiva Total  Histórico − A manutenção preventiva teve sua origem nos Estados Unidos e foi introduzida no Japão em 1950. Até então as empresas japonesas trabalhavam apenas com o conceito de manutenção corretiva, após a falha da máquina ou equipamento. Isso representava um custo e um obstáculo para melhoria da qualidade. − Na busca de uma maior eficiência da manutenção, por meio de um sistema compreensivo, baseado no respeito individual e na total participação dos colaboradores, surgiu o TPM em 1970, no Japão.
  6. 6. Manutenção Produtiva Total  Conceito
  7. 7. Manutenção Produtiva Total  Conceito
  8. 8. Manutenção Produtiva Total
  9. 9. Manutenção Produtiva Total  Conceito T.P.M T: Significa: TOTAL - Eficiência global do sistema de produção; - Ciclo total da vida útil do sistema de produção; - Todos os departamentos e participação de todos P: Significa: PRODUCTIVE - Busca do sistema de produção ao máximo de eficiência e eliminando as perdas do processo M: Significa: MAINTENENCE - Manutenção no sentido amplo tendo como objetivo o ciclo total da vida útil do sistema de produção.
  10. 10. Manutenção Produtiva Total  Conceito − TPM, pode ser entendido como uma série de medidas que se deve tomar para obter a maximização do rendimento operacional dos equipamentos, com um enfoque sistêmico globalizado, onde se considera o ciclo de vida do próprio equipamento. − Uma manutenção que visa a utilização dos sistemas em sua plenitude e dentro de uma vida útil desejada, função esta relacionada com a amortização desses custos em relação a um tempo de vida previsto. − Para sua efetivação se faz necessário a participação e integração de todos os departamentos e setores desde o chão de fábrica até a alta administração.
  11. 11. Manutenção Produtiva Total  Principais objetivos do TPM − Identifica e elimina as perdas e maximiza a utilização dos ativos, garantindo produtos de alta qualidade e custos competitivos; − Disciplina os colaboradores para prevenção e a melhoria contínua, aumentando a confiabilidade do equipamento e a capacidade dos processos, sem investimentos adicionais; − Atua na cadeia de suprimentos reduzindo o tempo de resposta buscando a satisfação dos clientes.
  12. 12. Manutenção Produtiva Total Seis grandes perdas: 1- Por quebra devido a falhas do equipamento; 2- Durante setup e ajustes de linha; 3- Por pequenas paradas e operação em vazio; 4- Por redução da velocidade de operação; 5- Por defeitos de qualidade e retrabalhos; 6- Perdas de rendimento.
  13. 13. Manutenção Produtiva Total  Ambiente Propício − No Japão, estavam acontecendo as grandes mudanças na gestão industrial com a prática do TPS (Sistema Toyota de Produção). − Neste período era comum:  Avanço na automação industrial;  Busca em termos de melhoria da qualidade;  Aumento da concorrência empresarial;  Emprego do sistema just in time;  Maior consciência de preservação ambiental e conservação de energia;  Dificuldades para contratação de mão de obra para trabalhos considerados sujos, pesados e perigosos;  Aumento da gestão participativa e surgimento do colaborador polivalente.
  14. 14. Manutenção Produtiva Total  Ambiente Propício
  15. 15. Manutenção Produtiva Total  Ambiente Propício − Todas essas ocorrências contribuíram para o aparecimento do TPM. − A empresa usuária da máquina se preocupava em valorizar e manter seu patrimônio, pensando em termos de custo do ciclo de vida da máquina ou equipamento. − Com o envolvimento de todos os níveis da organização e o apoio da alta gerência e as atividades de grupos de operadores originou-se o TPM. − Outras teorias de melhorias contínuas surgiram no período.
  16. 16. Manutenção Produtiva Total
  17. 17. Manutenção Produtiva Total  Empresa Pioneira no TPM − A primeira empresa a introduzir o TPM foi a empresa japonesa Nippondenso que é um dos principais fornecedores de componentes para a montadora Toyota.  Disseminação do TPM − Sob a liderança do Instituto Japonês de Engenharia de Planta (JIPE – Japonese Institute of Plant Engineering), na figura de Seiichi Nakagima. O Instituto foi o precursor do Instituto de Manutenção de Plantas JIPM ( Japonease Institute of Plant Maintenence), o órgão máximo de disseminação do TPM no mundo. http://www.jipm.or.jp/en/
  18. 18. Manutenção Produtiva Total  Disseminação do TPM  Seiichi Nakajima, integrante do “Japan Institute of Plant Maintenance (JIPM)”, definiu os conceitos do TPM e participou da implantação da metodologia bem como seus ótimos resultados nas empresas japonesas nas décadas de 70 e 80. http://www.jipm.or.jp/en/
  19. 19. Manutenção Produtiva Total  Estratégico − Com o passar dos anos o TPM foi se aprimorando, inicialmente estava focado nos equipamentos e posteriormente no sistema produtivo e atualmente é uma estratégia global da empresa. Oportunidade de Ganho com as Perdas Fonte: FILHO, G.B. Indicadores e ´índices de Manutenção. ABRAMAN, 2006.
  20. 20. Manutenção Produtiva Total  Planejamento da Implantação Fonte: http://www.producao.ufrgs.br/arquivos/disciplinas/397_tpm_%E2%80%93_total_productive_maintenance.pdf
  21. 21. Manutenção Produtiva Total  Planejamento da Implantação • Para uma implantação bem sucedida do TPM, todos os funcionários: – devem compreender o porquê da introdução do programa na empresa; – estar cientes da necessidade de implantação do programa e das metas a serem atingidas. • Alta administração deve anunciar a decisão de adoção do TPM em uma reunião interna, com participação de todos os diretores.
  22. 22. Manutenção Produtiva Total  8 Pilares do TPM
  23. 23. Manutenção Produtiva Total  8 pilares do TPM − 01 Manutenção Autônoma − 02 Manutenção Planejada − 03 Melhorias Específicas − 04 Educação e Treinamento − 05 Manutenção da Qualidade − 06 Controle Inicial − 07 TPM Administrativo − 08 TPM Segurança, Higiene e Meio Ambiente
  24. 24. Manutenção Produtiva Total  08 Pilares − Os pilares são a bases sobre as quais um programa consistente possa ser implantado e mantido. − Objetiva ter como meta atuação na eliminação das perdas e buscar constantemente a melhoria contínua.
  25. 25. Manutenção Produtiva Total  08 Pilares − Todos os departamentos são envolvidos nos 08 pilares Envolvimento dos departamentos com os 08 pilares
  26. 26. Manutenção Produtiva Total  Pilar 01 – Manutenção Autônoma − É o processo de capacitação dos operadores com a finalidade de torná-los aptos a promover no seu ambiente de trabalho mudanças que garantam altos níveis de produtividade. − As etapas são:  1 Limpeza inicial1 Limpeza inicial  2 Eliminação das fontes de sujeiras e locais de difícil acesso2 Eliminação das fontes de sujeiras e locais de difícil acesso  3 Elaboração de normas de limpeza, inspeção e lubrificação3 Elaboração de normas de limpeza, inspeção e lubrificação  4 Padronizar as atividades da manutenção autônoma4 Padronizar as atividades da manutenção autônoma  5 Desenvolver habilidades de inspeção geral5 Desenvolver habilidades de inspeção geral  6 Conduzir a manutenção autônoma6 Conduzir a manutenção autônoma  7 Organizar e administrar a área de trabalho7 Organizar e administrar a área de trabalho  8 Empenhar para o gerenciamento autônomo8 Empenhar para o gerenciamento autônomo Jishu hozen palavra japonesa que significa manutenção autônoma
  27. 27. Manutenção Produtiva Total  Pilar 01 – Manutenção Autônoma − As etapas da manutenção autônoma devem ser implantadas em sequência (degraus), para que os conceitos sejam assimilados e conforme a evolução do aprendizado dos colaboradores. Aproximadamente 01 ano para implantação 8 Empenhar para o gerenciamento autônomo 7 Organizar e administrar a área de trabalho Aproximadamente 02 anos para implantação 6 Conduzir a manutenção autônoma 5 Desenvolver habilidades de Inspeção geral 4 Padronizar as atividades da manutenção autônoma Aproximadamente 01 ano para implantação 3 Elaboração de normas de limpeza, inspeção e lubrificação 2 Eliminação das fontes de sujeiras e locais de difícil acesso 1 Limpeza inicial M.AM.A
  28. 28. Manutenção Produtiva Total  Programa 8´S O princípio para implantação autônoma é a implantação e a manutenção do programa 8 ´S, que trabalha com a limpeza, organização e a padronização da área de trabalho. No Japão o 8´S são definidos por: 1- Seiri (utilização): ter apenas o necessário na área de trabalho, realocar ou descartar o que não é necessário; 2- Seiton (Arrumação): Organizar o e manter o local organizado, cada coisa no seu lugar; 3- Seiso (Limpeza): Manter o local de trabalho limpo; 4- Seiketsu (Padronização): Estabelece padrões de trabalho e a manutenção do que foi melhorado; 5- Shitsuke (Disciplina): Manter a autodisciplina e o compromisso com as suas responsabilidades; 6- Shido (Treinamento): Desenvolvimento da capacitação profissional; 7- Seison (Eliminação desperdícios): Identifica e elimina os desperdícios; 8- Shikari Yaro ( Determinação): Atuar na realização das atividades com determinação e união.
  29. 29. Manutenção Produtiva Total  Programa 8´S
  30. 30. Manutenção Produtiva Total  Programa 8´S
  31. 31. Manutenção Produtiva Total  Etapas da Manutenção Autônoma  1 – Limpeza Inicial Objetivos: Eliminar toda a sujeira e escombros e prevenir a deterioração acelerada; - Identificar os problemas ocultos que tornam-se aparente pela limpeza e corrigi-los - Familiarizar com o equipamento e sensibilizar-se com suas necessidades - Aprender a debater problemas em grupo - Aprender as habilidades de liderança - Desenvolver o espírito de equipe
  32. 32. Manutenção Produtiva Total – Destaques:  Aprende-se gradativamente que limpeza e inspeção é bem mais que passar um pano no equipamento a sujeira e escombros e prevenir a deterioração acelerada; LIMPEZA E INSPEÇÃO
  33. 33. Manutenção Produtiva Total Fonte: http://www.numa.org.br/gmo/itens/producao%20enxuta.htm
  34. 34. Manutenção Produtiva Total Fonte: http://www.numa.org.br/gmo/itens/producao%20enxuta.htm
  35. 35. Manutenção Produtiva Total Fonte: http://www.numa.org.br/gmo/itens/producao%20enxuta.htm
  36. 36. Manutenção Produtiva Total  Etapas da Manutenção Autônoma  2 - Eliminação das fontes de sujeiras e locais de difícil acesso  Objetivos: Eliminar as causas das sujeiras • Eliminar esparramento de pó e contaminantes • Aumentar a confiabilidade do equipamento • Analisar e definir em grupo as melhorias para eliminar as causas das sujeiras • Sentir satisfação na implantação das melhorias Destaques:  Ao melhorar a limpeza dos equipamentos o pessoal não só aprende a efetuar melhorias mas também prepare-se para as futuras atividades de grupo, para melhorar as condições operacionais do equipamento. PREVINIR SUJIDADES
  37. 37. Manutenção Produtiva Total Fonte: http://www.numa.org.br/gmo/itens/producao%20enxuta.htm
  38. 38. Manutenção Produtiva Total  Etapas da Manutenção Autônoma  3 - Elaboração de normas de limpeza, inspeção e lubrificação Objetivos:  Reduzir ao máximo o tempo necessário de limpeza, lubrificação e inspeção  Melhorar a manutenibilidade através das melhorias da limpeza e lubrificação  Administração, gerenciamento transparente através de simples controle visual  Sentir satisfação na implantação das melhorias Destaques: Ao melhorar a limpeza dos equipamentos o pessoal não só aprende a efetuar melhorias mastambém prepare- se para as futuras atividades de grupo, para melhorar as condições operacionais do equipamento DIFÍCIL DE LIMPAR SIGNIFICA DIFÍCIL DE INSPECIONAR
  39. 39. Manutenção Produtiva Total
  40. 40. Manutenção Produtiva Total
  41. 41. Manutenção Produtiva Total Lubrificação Identificar e setorizar as áreas a serem lubrificadas utilizando cores
  42. 42. Manutenção Produtiva Total Lubrificação
  43. 43. Manutenção Produtiva Total  Etapas da Manutenção Autônoma  Concluindo as etapas: – 1- Limpeza inicial – 2 - Determinar as causas das sujeiras dos equipamentos – 3 – Melhorar o acesso as áreas difíceis de limpar A DETERIORAÇÃO ACELERADA DOS EQUIPAMENTOS É ELIMINADA
  44. 44. Manutenção Produtiva Total  Etapas da Manutenção Autônoma  4 – Padronizar as atividades da manutenção autônoma  Objetivos:  Controlar os três fatores chaves da prevenção da deterioração : limpeza, lubrificação e aperto de parafusos  Elaborar procedimentos padronizados para os serviços rotineiros de limpeza, lubrificação e de inspeção  Detectar a importância do trabalho de equipe (papel de cada um no grupo)  Estudar as funções básicas e a estrutura do equipamento Destaques: Elaborando e revisando os seus próprios procedimentos , os operadores aprendem que da mesma maneira que o pessoal da manutenção , eles devem definir suas próprias decisões de manutenção. DECISÕES FIRMES E ADESÃO TOTAL
  45. 45. Manutenção Produtiva Total Padrão: Lição de um ponto
  46. 46. Manutenção Produtiva Total Padrão: Limpeza, Lubrificação, Inspeção
  47. 47. Manutenção Produtiva Total Padrão: Limpeza, Lubrificação, Inspeção
  48. 48. Manutenção Produtiva Total Padrão: Reaperto Identificar, fazer marcações para o aperto e torque correto
  49. 49. Manutenção Produtiva Total  Etapas da Manutenção Autônoma  5 – Desenvolver habilidades de inspeção geral  Objetivos:  Procedimentos simples para: Lubrificação e Inspeção  Aprender a identificar as condições de desempenho ótimo dos equipamentos e tornar-se hábil em diagnosticar  Trabalhar conjuntamente com o pessoal da manutenção para desenvolver as habilidades de manutenção e para prevenir a deterioração  Efetuar a inspeção geral do equipamento para detectar se as partes gastas danificadas e assim aumentar a disponibilidade TORNAR OS OPERADORES QUE DOMINAM OS EQUIPAMENTOS CAPAZES DE ESTABELECER CONDIÇÕES
  50. 50. Manutenção Produtiva Total 5 – Desenvolver habilidades de inspeção geral  Modificar o equipamento para facilitar a inspeção e a manutenção  Desenvolver espírito em equipe, aprendendo com as pessoas mais experientes Destaques: Os operadores aprendem a administrar e manter seus equipamentos através de estudo de instrução Melhoram as suas habilidades através da prática e avaliam o seu nível de competência através de testes TORNAR OS OPERADORES QUE DOMINAM OS EQUIPAMENTOS CAPAZES DE ESTABELECER CONDIÇÕES
  51. 51. Manutenção Produtiva Total Fonte: http://www.numa.org.br/gmo/itens/producao%20enxuta.htm
  52. 52. Manutenção Produtiva Total Inspeção Geral Utilizar os sentidos para verificar a máquina ou equipamento: Ver, tocar, ouvir, cheiro anormal Respeitar as normas de segurança
  53. 53. Manutenção Produtiva Total  Etapas da Manutenção Autônoma  6 – Conduzir a manutenção autônoma Objetivos:  Utilizar com eficiência os check list e procedimentos padrões  Aumentar a disponibilidade operacional e elucidar as condições anormais;  Reconhecer a operação correta, as anormalidades e as ações corretivas apropriadas  Tornar-se autônomo elaborando seus próprios check list Destaques:  Os membros do grupo são avaliados sobre os seus conhecimentos e atuação nas inspeções EDUCAR OS MEMBROS DA EQUIPE PARA QUE POSSAM DOMINAR OS EQUIPAMENTOS E CONTROLAR SUAS CONDIÇÕES
  54. 54. Manutenção Produtiva Total  Check List Check List da Manutenção Autônoma
  55. 55. Manutenção Produtiva Total  Etapas da Manutenção Autônoma  7 – Organizar e administrar a área de trabalho Objetivos:  Assegurar a qualidade e a segurança, padronizando os procedimentos de organização e limpeza da área, melhorando a produtividade  Padronizar as quantidades e a estocagem de peças em processo, matéria-prima, produtos, peças de reserva, ferramentas, dispositivos, etc;  Facilitar a administração e controle da manutenção implementando sistemas de controles visuais;  Elevar os padrões e assegurar que os padrões sejam executados e respeitados. Destaques: Esta etapa força a padronização das normas e dos controles; Uso de controles visuais para facilitar o gerenciamento da manutenção. GERENCIAMENTO DA ÁREA DE TRABALHO, PADRONIZAÇÃO E GERENCIAMENTO DOS CONTROLES
  56. 56. Manutenção Produtiva Total
  57. 57. Manutenção Produtiva Total  Etapas da Manutenção Autônoma 8 – Empenhar para o gerenciamento autônomo Objetivos:  Dedicar-se as melhorias que permitem alcançar as metas da empresa  Coletar e analisar os dados que permitem visualizar melhorias na disponibilidade, na manutenibilidade e na operacionalidade  Empenhar para melhoria contínua  Aprender a registrar e analisar dados dos equipamentos  Efetuar reparos simples Destaques: As atividades dos operadores são monitoradas para que sejam consistentes e de acordo com as metas da empresa EFETUAR ATIVIDADES DE MELHORIAS QUE REFORÇAM AS METAS DA EMPRESA
  58. 58. Manutenção Produtiva Total  Gestão Visual do Gerenciamento Autônomo
  59. 59. Manutenção Produtiva Total  Etapas da Manutenção Autônoma – Concluindo as 08 etapas da Manutenção Autônoma a empresa opera com lucratividade – O operador é chamado de autônomo, e sob controle e é administrado através das informações visuais do nível só seu gerenciamento – Neste estágio os objetivos da manutenção autônoma estão alinhadas com os objetivos de redução de custo da empresa – Os grupos são engajados na busca do melhoramento contínuo
  60. 60. Manutenção Produtiva Total Pilar 02 – Manutenção Planejada  A manutenção planejada desenvolve os mantenedores na execução de um sistema de manutenção mais efetivo  Tem como objetivo a eliminação das perdas que possam ocorrer objetivando a melhoria dos indicados e redução dos custos Etapas da Manutenção Planejada • 1- Análise da diferença entre condições básicas e condição atual • 2- Melhorias nos métodos atuais • 3- Desenvolvimento de padrões da manutenção • 4- Medidas para entender a vida útil do equipamento e controlar as inconveniências • 5- Melhoria da eficiência da inspeção e do diagnóstico • 6- Diagnóstico geral do equipamento • 7- Uso adequado do equipamento até o seu limite
  61. 61. Manutenção Produtiva Total  Pilar 02 – Manutenção Planejada − Desenvolver as atividades de identificação dos problemas através das fichas TPM, para os operadores (ficha vermelha) e para os técnicos (ficha azul).
  62. 62. Manutenção Produtiva Total  Pilar 03 – Melhorias Específicas − Realizar atividades de kaizen (melhorias contínuas), tendo como objetivo de atuar na eliminação das perdas existentes no processo produtivo − Etapas das Melhorias Específicas • 1- Redução das grandes paradas que geram ineficiências • 2- Melhoria da eficiência global dos equipamentos (OEE) • 3- Melhoria da produtividade do trabalho • 4- Promoção da produção sem interferência humana (MTBF >60) • 5- Redução de custo • 6- Aumento da disponibilidade no período noturno
  63. 63. Manutenção Produtiva Total  Pilar 04 – Educação Treinamento − Etapas da implantação − 1- Determinação do perfil ideal dos operadores e mantenedores − 2- Avaliação da situação atual − 3- Elaboração do plano de treinamento para operadores e mantenedores − 4- Implantação do plano de treinamento − 5- Determinação de um ambiente de auto desenvolvimento − 6- Avaliação das atividades e estudos de métodos para atividades futuras − O objetivo deste pilar é o de promover um sistema de capacitação para todos os funcionários tornando apto para desenvolverem suas atividades com responsabilidade e segurança e promovendo um ambiente de trabalho saudável
  64. 64. Manutenção Produtiva Total Treinamento e Desenvolvimento de Habilidades
  65. 65. Manutenção Produtiva Total  Pilar 05 – Manutenção da Qualidade − A redução dos defeitos ocorrem com o resultado da implantação do programa TPM, durante a sua implantação os resultados são significativos. − O desenvolvimento do pilar da manutenção da qualidade se torna necessária para dar continuidade ao programa de redução dos defeitos. Etapas da implantação − 1- Levantamento da situação da qualidade − 2- Restauração da deterioração − 3- Eliminação das causas − 4- Estabelecimento das condições livres de defeitos − 5- Melhorias da condições livres de defeitos
  66. 66. Manutenção Produtiva Total  Pilar 05 – Manutenção da Qualidade − Aplicação de metodologias de resoluções de problemas MASP
  67. 67. Manutenção Produtiva Total  Pilar 06 – Controle Inicial − O controle inicial é o intervalo de tempo entre a fase de especificação até a fase de comissionamento ou partida, quando ao seu final o equipamento é entregue ao departamento de produção para a operação plena Etapas da implantação − 1- Análise da situação atual − 2- Estabelecimento do sistema de gerenciamento da fase inicial − 3- Aprimoramento e treinamento sobre o novo sistema estabelecido − 4- Aplicação efetiva do novo sistema de gerenciamento da fase inicial
  68. 68. Manutenção Produtiva Total Especificação ProjetoEspecificação Fabricação e Instalação - Necessidades da empresa - Características da produção Partida Operação Substituição Abordagem Terotecnológica do Ciclo de Vida dos Equipamentos - Desempenho -Manutenibilidade - Confiabilidade - Manutenibilidade - Sistema de apoio - Controle de qualidade - Detecção de deficiências de projeto - Manutebilidade - Detecção de deficiências de projeto - Detecção de deficiências de projeto - Otimização manutenção - Otimização operação Período de Conhecimento Projeto MP Realimentação contínua CONTROLE INICIAL  Pilar 06 – Controle Inicial
  69. 69. Manutenção Produtiva Total  Pilar 07 – TPM Administrativo − Responsável em conduzir o programa e formar os times para atuar nas resoluções dos problemas, utilizando metodologias de resolução de problemas MASP − As principais perdas que geram paradas no processo são analisadas e seus possíveis ganhos com suas eliminação são contabilizadas
  70. 70. Manutenção Produtiva Total  Pilar 07 – TPM Administrativo − Responsável
  71. 71. Manutenção Produtiva Total  Pilar 07 – TPM Administrativo − Hierarquia do TPM Fonte: http://pt.slideshare.net/ubqmg/apresentao-acumuladores-moura-tpm-ubq-2010
  72. 72. Manutenção Produtiva Total  Pilar 07 – TPM Administrativo − Reuniões do TPM Fonte: http://pt.slideshare.net/ubqmg/apresentao-acumuladores-moura-tpm-ubq-2010 Acompanhamento da Implantação das Ferramentas de Gestão
  73. 73. Manutenção Produtiva Total  Pilar 08 – TPM Segurança Saúde e Meio Ambiente − É o pilar responsável em manter o indicador de acidente zero, doença ocupacionais zero e danos ambientais zero − Suas fases de implantação: • Identificação de perigos e aspectos • Eliminação de perigos e aspectos • Treinamento em segurança saudê e meio ambiente • Inspeções de segurança • Padronização • Gestão autônoma
  74. 74. Manutenção Produtiva Total  Pilar 08 – TPM Segurança Saúde e Meio Ambiente Segurança Saúde Meio Ambiente Zero acidente Zero afastamento Zero poluição Zero desperdício
  75. 75. Manutenção Produtiva Total  Próximas Etapas Fonte: http://tpm.jipms.jp/index.html
  76. 76. Manutenção Produtiva Total Obrigado! http://engenhariadeproducaoindustrial.blogspot.com.br/ Eng. Eder Benevides de Freitas Mail: eder.benevidesfreitas@gmail.com
  77. 77. Manutenção Produtiva Total  Referências • BORRIS, S.Total Productive Maintenance. MacGraw-Hill, NY, 2005. • PALMER, R.D. Maintenence Planning and Scheduling Handbook. MacGraw-Hill, NY, 2013. • http://engenhariadeproducaoindustrial.blogspot.com.br/2009/05/tpm-manutencao • http://www.jipm.or.jp/en/ • http://www.numa.org.br/gmo/itens/producao%20enxuta.htm • http://www.pdca.com.br/site/nossos-produtos.html • http://blog.br.kaizen.com/2013/01/16/5s-em-servicos/ • http://www.guiadografico.com.br/artigos/principios-da-manutencao-autonoma • http://tpm.jipms.jp/index.html • http://engenhariadeproducaoindustrial.blogspot.com.br/2012/02/smed- single-minute-exchange-of-die.html • http://engenhariadeproducaoindustrial.blogspot.com.br/2012/04/oee-overall-equip • http://conexaoto.com.br/2013/01/31/eletrobras-eletronorte-regional-tocantins-con • http://www.producao.ufrgs.br/arquivos/disciplinas/397_tpm_
  78. 78. Manutenção Produtiva Total Eder Benevides de Freitas (Mail: eder.benevidesfreitas@gmail.com) • Engenheiro de Produção Mecânico • Especialista Engenharia de Segurança do Trabalho • Especialista Sistemas Mecatrônicos • Especialista Engenharia de Produção • Kaizen Lean Manufacturing Leader • Experiência profissional: - Coca-Cola - Ambev - Sony Electronics - Samsung Electronics - Visteon Automotive

×