O Lar Adventista - Estudo 10

779 visualizações

Publicada em

Série de Estudos sobre o Livro "O Lar Adventista" preparados para apresentação nos Cultos de Quarta-feira nas Igrejas Adventistas do Sétimo Dia. Material Preparado pelo Ministério da Família da União Sul Brasileira da IASD.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
779
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Lar Adventista - Estudo 10

  1. 1. QUARTAS ESPECIAIS – O LAR ADVENTISTA CULTO ADORANDO EM FAMILIA Estudo 10 - Companheirismo FelizPág. 105A Verdadeira União, uma Experiência ContínuaAlcançar a devida compreensão da relação matrimonial é obra da vida inteira. Os que se casamingressam numa escola onde nunca, nesta vida, se diplomarão. Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 95.Por mais cuidadosa e sabiamente que se tenha entrado no casamento, poucos casais se encontramcompletamente unidos ao realizar-se a cerimônia matrimonial. A real união dos dois em casamento é obrados anos subseqüentes. A Ciência do Bom Viver, págs. 359 e 360.Ao enfrentar o recém-casado par a vida com sua carga de perplexidade e cuidado, desaparece oromance com o qual tantas vezes a imaginação reveste o casamento. Marido e mulher ficam conhecendomutuamente o caráter, como não lhes era possível conhecê-lo em sua associação anterior. É este umperíodo assaz crítico de sua vida. A felicidade e utilidade de toda a sua vida futura depende de seguiremagora o devido procedimento. Muitas vezes descobrem no outro fraquezas e defeitos insuspeitados: masos corações que o amor uniu descobrirão também excelências até então desconhecidas. Que todosprocurem descobrir as virtudes e não os defeitos. Muitas vezes é nossa própria atitude, a atmosfera quenos rodeia, o que determina aquilo que o outro nos revelará. A Ciência do Bom Viver, págs. 359 e 360.Seja o Amor Provado e ExperimentadoA afeição poderá ser clara como cristal e formosa em sua pureza e, contudo, ser superficial, por não tersido provada nem refinada. Fazei de Cristo em tudo o primeiro, o último e o melhor. Contemplai-Oconstantemente, e, à medida que se for submetendo àPág. 106prova, vosso amor a Ele se tornará dia a dia mais profundo e mais forte. E ao crescer vosso amor a Ele,também vosso amor mútuo há de crescer, aprofundar-se e fortalecer-se. Testemunhos Seletos, vol. 3,pág. 96.Embora possam surgir dificuldades, perplexidades e desânimo, nem o marido nem a esposa abrigue opensamento de que sua união é um erro ou uma decepção. Resolva cada qual ser para o outro tudo queé possível. Continuai as primeiras atenções. De todos os modos, anime um ao outro nas lutas da vida.Procure cada um promover a felicidade do outro. Haja amor mútuo, mútua paciência. Então, o
  2. 2. QUARTAS ESPECIAIS – O LAR ADVENTISTA CULTO ADORANDO EM FAMILIAcasamento, em vez de ser o fim do amor, será como que o seu princípio. O calor da verdadeira amizade,o amor que liga coração a coração, é um antegozo das alegrias do Céu. A Ciência do Bom Viver, pág.360.Todos devem cultivar a paciência pela prática da paciência. Sendo bondosos e perdoadores, o verdadeiroamor pode ser mantido quente no coração, e se desenvolverão qualidades que o Céu aprovará. Reviewand Herald, 2 de fevereiro de 1886.O Inimigo Procurará Provocar SeparaçãoSatanás está sempre pronto para tirar vantagem quando surge qualquer ponto controvertido, e pondo emmovimento os objetáveis traços hereditários de caráter no marido e na mulher, procurará levar àseparação os que uniram seus interesses em solene concerto diante de Deus. No voto matrimonialprometeram ser um, comprometendo-se a esposa a amar e obedecer ao marido, este prometendo amarsua esposa e tratá-la com carinho. Se a lei de Deus é obedecida, o demônio da contenda seráconservado fora do lar, e não ocorrerá separação de interesses, nem será permitida alienação dasafeições. Carta 18a, 1891.Conselho a um Casal VoluntariosoNem o marido nem a mulher deve buscar dominar. O Senhor estabeleceu o princípioPág. 107que guiará esse assunto. O marido deve amar a mulher como Cristo à igreja. E a mulher deve respeitar eamar o marido. Ambos devem cultivar espírito de bondade, resolvidos a nunca ofender ou prejudicar ooutro. ...Não procureis obrigar o outro a proceder como desejais. Não podereis fazer isso e ao mesmo tempoconservar o amor mútuo. Manifestações de vontade própria destroem a paz e a felicidade do lar. Nãopermitais que vossa vida conjugal seja de contenda. Se o permitirdes, sereis ambos infelizes. Sedebondosos nas palavras e delicados no trato, renunciando a vossos próprios desejos. Vigiai bem asvossas palavras; pois exercem influência poderosa para o bem ou para o mal. Não permitais asperezaalguma da voz. Trazei para vossa vida conjugal a fragrância da semelhança de Cristo. TestemunhosSeletos, vol. 3, págs. 96 e 97.O Amor Expresso em Palavras e Obras
  3. 3. QUARTAS ESPECIAIS – O LAR ADVENTISTA CULTO ADORANDO EM FAMILIAMuitos há que consideram a expressão de amor como uma fraqueza e mantêm uma reserva que repeleaos outros. Este espírito detém a corrente de simpatia. Sendo reprimidos os generosos impulsos sociais,eles mirram, e o coração torna-se desolado e frio. Devemos precaver-nos contra este erro. O amor nãopode existir por muito tempo sem se exprimir. Não permitais que o coração do que se acha ligadoconvosco pereça à míngua de bondade e simpatia. ...Dê cada um amor, em vez de exigi-lo. Cultive aquilo que tem em si de mais nobre, e esteja pronto areconhecer as boas qualidades do outro. É um admirável estímulo e satisfação saber alguém que éestimado. A simpatia e o respeito animam na luta em busca da perfeição, e o próprio amor cresce àmedida que estimula a propósitos mais nobres. A Ciência do Bom Viver, págs. 360 e 361.A razão por que há em nosso mundo tantos homens e mulheres de coração empedernido é que averdadeira afeição temPág. 108sido considerada como fraqueza, sendo conseqüentemente desencorajada e reprimida. A melhor parteda natureza das pessoas desta classe foi pervertida e amesquinhada na infância; e a menos que os raiosda luz divina derretam sua frieza e endurecido egoísmo, sua felicidade estará enterrada para sempre. Sequeremos ter coração terno, como o tinha Jesus quando esteve na Terra, e santificada simpatia, como atêm os anjos pelos pecadores mortais, precisamos cultivar as simpatias da infância, que são asimplicidade em si. Então seremos refinados, elevados e dirigidos por princípios celestiais. Testimonies,vol. 3, pág. 539.Cuidados e fardos em demasia estão sendo levados para nossas famílias, e muito pouco da naturalsimplicidade, paz e felicidade é acariciado. Devia haver menos preocupação pelo que o mundo exteriordirá e mais profunda atenção para com os membros do círculo familiar. Deve haver menos ostentação eafetação de polidez mundana, e mais ternura e amor, alegria e cortesia cristã entre os membros dafamília. Muitos precisam aprender como tornar o lar atrativo, um lugar de prazer. Corações agradecidos ebondoso olhar são mais valiosos que riqueza e luxo; e o contentamento com as coisas simples tornará olar feliz se nele existir o amor. Testimonies, vol. 4, págs. 621 e 622.Pequenas Atenções Têm o seu PesoDeus experimenta e prova-nos pelas ocorrências comuns da vida. São as pequenas coisas que revelamos capítulos do coração. São as pequenas atenções, os numerosos incidentes pequeninos e as simplescortesias da vida, que formam a soma da felicidade da existência; e é a negligência das palavrasbondosas, animadoras e afetuosas, e das pequenas cortesias da vida que ajudam a formar o todo da
  4. 4. QUARTAS ESPECIAIS – O LAR ADVENTISTA CULTO ADORANDO EM FAMILIAinfelicidade da existência. Verificar-se-á afinal que a negação do próprio eu pelo bem e felicidade dos quenosPág. 109rodeiam constitui grande parte do registro da vida no Céu. E revelar-se-á também o fato de que, ocuidado do eu, sem consideração para com o bem e a felicidade de outros, não escapa à observação denosso Pai celeste. Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 208.Um Esposo que não Expressava AfeiçãoUm lar que tenha amor, onde o amor é expresso em palavras, olhares e ações, é um lugar onde os anjosgostam de manifestar sua presença e consagrar a cena pelos raios de luz da glória. Ali as humildesobrigações domésticas têm o seu encanto. Nenhum dos deveres da vida, sob tais circunstâncias, serádesagradável para a esposa. Ela os desempenhará com alegria de espírito e será como que um raio desol a todos que a rodeiam, e em seu coração haverá melodias ao Senhor. No momento ela sente que nãoé dona das afeições de teu coração. Tem-lhe dado ocasião de assim pensar. Tens cumprido tuas tarefascomo cabeça da família, mas há uma falta. Há séria falta da preciosa influência do amor que leva adelicadas atenções. O amor deve ser visto no olhar e nas maneiras, e ouvido nos tons da voz.Testimonies, vol. 2, págs. 417 e 418.Uma Esposa Decepcionante e EgoístaO caráter moral dos que se unem em casamento será degradado ou elevado nessa união; e a obra dedeterioração conseqüente de uma natureza baixa, decepcionante, egoísta e incontrolada começa logoapós a cerimônia matrimonial. Se o rapaz faz uma escolha sábia, terá a seu lado alguém que levará até omáximo de suas forças a parte que lhe toca dos fardos da vida, alguém que o enobrecerá e refinará, e fá-lo-á feliz em seu amor. Mas se a esposa é de caráter impulsivo, narcisista, exatora, acusadora, culpandoo esposo porPág. 110motivos e sentimentos que se originam exclusivamente em seu temperamento pervertido; se não possuidiscernimento e senso discriminativo para reconhecer-lhe o amor e apreciá-lo, mas fala de negligência efalta de amor porque ele não lhe satisfaz cada capricho, quase que inevitavelmente ela acarretará oestado de coisas que parece deplorar; faz que todas essas acusações se tornem realidade. Carta 10,1889.
  5. 5. QUARTAS ESPECIAIS – O LAR ADVENTISTA CULTO ADORANDO EM FAMILIACaracterísticas de uma Esposa e Mãe SociávelEm vez de se adaptar às exigências da moda, tenham as mulheres a força moral de se vestirem saudávele singelamente. Em lugar de se entregar a uma verdadeira labuta, procure a esposa e mãe encontrartempo para ler, para se manter bem informada, para ser uma companheira a seu marido, e se conservarem contato com a mente em desenvolvimento de seus filhos. Empregue ela sabiamente as oportunidadesque tem agora de influenciar os seus queridos para aquela vida mais elevada. Tome tempo para tornar oquerido Salvador um companheiro diário, um amigo familiar. Consagre tempo ao estudo de Sua Palavra,para levar as crianças aos campos, e aprender a conhecer a Deus mediante a beleza de Suas obras.Mantenha-se ela animosa e alegre. Em vez de passar todos os momentos num costurar sem fim, faça doserão um aprazível período social, uma reunião de família depois dos deveres do dia. Muito homem seriaassim levado a preferir o convívio de seu lar, em vez de o clube e o bar. Muito menino seria guardadocontra a rua e o bar da esquina. Muita menina seria salva de associações frívolas, que não levam a bomcaminho. A influência do lar seria tanto para os pais como para os filhos, aquilo que era o desígnio deDeus que fosse, uma bênção que se estendesse por toda a vida. A Ciência do Bom Viver, pág. 294.A vida de casado não é toda ela um romance; tem suas dificuldades reais e suas minúcias domésticas. Aesposa não se deve considerar uma boneca para ser mimada, mas uma mulher; alguém que devecarregar fardos reais, nãoPág. 111imaginários, e viver uma vida compenetrada, inteligente, considerando que há outras coisas mais parapensar do que apenas em si. ... A vida real tem suas sombras e suas tristezas. Problemas sobrevêm atoda alma. Satanás está constantemente operando para demolir a fé e destruir a coragem e esperança decada um. Carta 34, 1890.ATIVIDADE DO DIASepare dois momentos no dia de hoje para o casal orar juntos. Antes de dormir a noite,conversem sobreo relacionamento de vocês. O que está bom? O que EU gostaria de mudar?

×