Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes

7.029 visualizações

Publicada em

Aborda todos os tipos de maquinas aplicadoras de fertilizantes, e suas classificações

Publicada em: Ciências
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.029
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
312
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Fig.: Marcador de Linha Hidráulico.
  • Fig. 60: Dosador de corretivos de arrasto.
  • Fig. 66: Dosador Lateral.
  • Fig. 69: Distribuidor de Fertilizantes Líquidos.
  • Fig. 74: Aplicador a Lanço.
  • Fig. 76: Distribuidor de Fertilizante Químico.
  • .
  • Fig. 80: Mecanismo Dosador de Disco Estrela.
  • Fig. 84: Roseta Helicoidal.
  • Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes

    1. 1. Discentes: Anderson dos Santos André Luiz Pereira Barbosa Daniel César de Oliveira Cerqueira Taciana Ferreira dos Santos Docente: Márcio Aurélio UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS
    2. 2. Tipos de fertilizantes e corretivos: • Fertilizantes Orgânicos: Sólidos, pastosos e líquidos; • Corretivos: Sólidos • Fertilizantes Químicos: Sólidos (granulados), líquidos e gasosos; INTRODUÇÃO
    3. 3. • Terrestres: Fertilizantes soltos no solo por máquinas tracionadas por trator; • Aéreas: Fertilizantes soltos ao acaso no solo por aviões ou helicópteros. Fig. 5: Distribuição a Lanço terrestre. Fig. 6: Distribuição a Lanço aéreo. INTRODUÇÃO
    4. 4. • As adubações acionadas pelo trator são as mais utilizadas no Brasil, e quanto a forma de acoplamento pelo trator podem ser classificas: - De arrasto - Semimontada - Montada Formas de Acionamento: Tratorizada
    5. 5. • De arrasto: acoplada à barra de tração do trator agrícola. • Montada: acoplada aos três pontos do sistema de levante hidráulico. • Semimontada: acoplada aos dois pontos inferiores do sistema de levante hidráulico.
    6. 6. • Opções de regulagem para acoplamento a barra de tração Fig. 12: Regulagem para acoplamento Nivelamento Longitudinal
    7. 7. • Acoplamento a barra de tração com cabeçalho regulável. Fig. 13: Regulagem para acoplamento Nivelamento Longitudinal
    8. 8. • Transversal– através da calibragem correta dos pneus Nivelamento Longitudinal e Transversal
    9. 9. Fig. 15: Marcador de Linha Mecânico. Fig. 16: Marcador de Linha Hidráulico. Marcadores de Linha • Permite que o mesmo espaçamento seja mantido durante toda a adubação.
    10. 10. ADUBADORAS • Distribuidores de Fertilizantes Orgânicos Sólidos; • Distribuidores de Fertilizantes Orgânicos Líquidos; • Distribuidores de Fertilizantes Químicos; • Distribuidores de Fertilizantes Fluídos.
    11. 11. O implemento agrícola possui dispositivos mecânicos para o descarregamento e a distribuição ou esparramação do adubo orgânico. tampa com acionamento hidráulico. Fig. 8: DAOS 1 ERD aro 16’’, capacidade 4t para 6m³, disco duplo. Distribuidores de Fertilizantes Orgânicos Sólidos (DAOS)
    12. 12. • Distribuidor de corretivos de arrasto: Equipado com mecanismo dosador volumétrico e mecanismo distribuidor tipo rotor duplo. 1. Mecanismo dosador volumétrico do tipo esteira transportadora, 2. Chapa raspadora, 3. Cardan para acionamento da esteira, 4. Mecanismo Distribuidor tipo rotor Duplo. Fig. 9: Dosador de corretivos de arrasto. Distribuidores de Fertilizantes Orgânicos Sólidos (DAOS)
    13. 13. 1. Chassi 2. Caçamba 3. Macaco 4. Cardan com proteção 5. Engate ao trator 6. Pneus 7. Ganchos para içamento 8. Redutor 9. Esteira 10.Comporta 11.Eixo vibratório 12.Distribuidor Fig. 10: Componentes. Distribuidores de Fertilizantes Orgânicos Sólidos (DAOS)
    14. 14. Fig. 13: Disco simples traseiro de 730mm e esteira de 700 Fig.11: Caixa de transmissão traseira Fig. 12: Disco duplo com 630mm e esteira de 700mm Distribuidores de Fertilizantes Orgânicos Sólidos (DAOS)
    15. 15. • Distribuidor Lateral: O distribuidor lateral é uma carreta com eixo rotativo central no seu interior, e é acionado pela TDP do trator. O distribuidor é de descarga lateral. Uso de tratores com mais de 50 cv na TDP, uma vez que o implemento possui capacidade de 5,3m³. Fig. 14: Dosador Lateral. Distribuidores de Fertilizantes Orgânicos Sólidos
    16. 16. Fig. 15: Distribuidor Lateral Distribuidores de Fertilizantes Orgânicos Sólidos
    17. 17. O esterco líquido, conhecido com chorume, é resultado da lavagem de locais onde haja concentração de animais. Produz efeito rápido sobre as plantas. Normalmente, tanto para encher quanto para distribuir o esterco do tanque, utiliza-se um vácuo-compressor (distribuição pneumática). Fig. 16: Distribuidor de Fertilizantes Líquidos. Distribuidores de Fertilizantes Orgânicos Líquidos (DAOL)
    18. 18. • Características Fig. 17: Bomba vácuo compressor de palhetas Fig. 18: Bico leque aspersor, alcance de 15 m Distribuidores de Fertilizantes Orgânicos Líquidos (DAOL)
    19. 19. Fig. 19: Aplicação a lanço Distribuidores de Fertilizantes Químicos
    20. 20. A. O distribuidor de adubos centrífugo acionado pela TDP - distribuição de adubos granulados ou em pó e sementes. B. Apesar do implemento ser leve, necessário fazer lastramento metálico frontal. C. Ligado a três pontos. Fig. 74: Aplicador a Lanço. Distribuidores de Fertilizantes Químicos
    21. 21. Fig. 20: Aplicação no fundo do sulco Adubadora associada a cultivador mecânico para culturas anuais. 1. Reservatório de fertilizante, 2. Enxada do cultivador, 3. Eixo para acionamento do mecanismo dosador Distribuidores de Fertilizantes Químicos
    22. 22. Fig. 21: Distribuidor de Fertilizante Químico. Distribuidores de Fertilizantes Químicos
    23. 23. • Semeadora/Adubadora: Dosam e colocam sementes (grãos) e adubos. • Plantadora/Adubadora: Dosam e colocam partes vegetativas das culturas, tais como tubérculos (batatas), colmos (mandioca) e bulbos (alho), etc. • Transplantadora/Adubadora: Dosam e colocam mudas das culturas. Multe operações
    24. 24. Fig. 28: Semeadora/Adubadora. Fig. 29: Plantadora/Adubadora. Fig. 30: Transplantadora/Adubadora.
    25. 25. Tipos de Mecanismos  Mecanismo dosador: Define a vazão;  Mecanismo distribuidor: Define a forma e a largura da deposição. • Gravitacionais: abertura gravitacional e agitador volumétrico; • Fundo móvel; • Disco-estrela; • Parafuso helicoidal; • Roseta helicoidal. • Queda livre; • Centrifugo; • Pendular; • Pneumático.
    26. 26.  Fundo móvel É o de maior utilização nas semeadoras - adubaras de precisão e consiste e um prato giratório e um raspador de altura regulável,que tira o fertilizante, conduzindo-o para o tubo de descarga. Fig. 22: Prato giratório - centrígufo Mecanismos Dosadores
    27. 27. •Disco-estrela: Contém um rotor horizontal, com saliências radiais (dentes), que giram no fundo do reservatório do fertilizante. Fig. 23: Mecanismo Dosador de Disco Estrela. Mecanismos Dosadores
    28. 28. • Parafuso helicoidal Parafuso sem-fim colocado sob o depósito de adubo, com a quantidade determinada por um conjunto de engrenagens. Fig. 24: Acionamento do sem-fim Fig. 26: Tipos do sem-fimFig. 25: Dosador sem-fim Mecanismos Dosadores
    29. 29.  Roseta helicoidal Localizado no fundo do reservatório de adubo, constando de um eixo com várias palhetas no centro. A quantidade é regulada por meio de uma lingueta, que abre ou fecha o orifício. Fig. 27: Roseta Helicoidal. Mecanismos Dosadores
    30. 30. Distribuidor de corretivos montado, equipado com mecanismo dosador gravitacional e mecanismo distribuidor tipo pêndulo. 1. Reservatório, 2. Mecanismo dosador gravitacional, 3. Agitador mecânico, 4. Alavanca reguladora de vazão, 5. Pêndulo.
    31. 31. Regulagem Aplicadores a lanço, em faixas ou em linhas definida a dose (D) D = (Q/v * L)*10000 Q = Vazão (Kg/s) V = Velocidade (m/s) L = Largura (m) Ex: Aplicadores a lanço (montada, de arrasto) Dose de 180kg/há de Uréia Largura efetiva de 8,0 m Velocidade de 2,5 (m/s) Como regular a máquina? Quanto produto coletar em 30s? D = (Q/v * L)*10000 Q = ( D*V*L)*10000 Q = (180*2,5*8)*10000 Q = 0,36 Kg/há *30S Q = 10,8 kg

    ×