Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar Agrupamento de Escolas de Carrazeda de Ansiães
<ul><li>“ A biblioteca constitui um instrumento </li></ul><ul><li>essencial do desenvolvimento do currículo </li></ul><ul>...
<ul><li>“ Está comprovado que quando os </li></ul><ul><li>bibliotecários e os professores trabalham </li></ul><ul><li>em c...
A Biblioteca Escolar
Quatro domínios: •  A) Apoio ao desenvolvimento curricular •  B) Leitura e literacia •  C) Projectos, parcerias e activida...
<ul><li>Requer: </li></ul><ul><li>Uma aproximação à realidade por etapas, tendo em conta o contexto interno e externo da B...
Auto-avaliação da BE - Objectivos <ul><li>A auto-avaliação da BE permite : </li></ul><ul><li>Contribuir para a afirmação e...
<ul><li>Aferição da qualidade e eficiência da Biblioteca Escolar e não do desempenho individual do coordenador e dos eleme...
ETAPAS DO PROCESSO <ul><li>Cada etapa compreende um ciclo: </li></ul>1-Identificação de um problema ou de um desafio 2- Re...
<ul><li>O processo de auto-avaliação das bibliotecas escolares terá um valor estratégico para a escola, com a qual a bibli...
<ul><li>Elaboração de um relatório final, onde estejam definidos os pontos fortes, as principais fraquezas e as acções par...
Estrutura do Modelo Perfis de desempenho: 4 níveis Nível / Descrição
<ul><li>Espera-se que: </li></ul><ul><li>produza mudanças concretas na prática. </li></ul><ul><li>contribua para a elabora...
<ul><li>Espera-se que : </li></ul><ul><li>haja uma tomada de consciência da importância da BE nos resultados da aprendizag...
Ao fim de quatro anos  e deve   fornecer uma visão clara e global da BE.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda

723 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
723
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modelo De Auto AvaliaçãO Da Be Carrazeda

  1. 1. Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar Agrupamento de Escolas de Carrazeda de Ansiães
  2. 2. <ul><li>“ A biblioteca constitui um instrumento </li></ul><ul><li>essencial do desenvolvimento do currículo </li></ul><ul><li>escolar e as suas actividades devem estar </li></ul><ul><li>integradas nas restantes actividades da escola e </li></ul><ul><li>fazer parte do seu projecto educativo. Ela não </li></ul><ul><li>deve ser vista como um simples serviço de apoio </li></ul><ul><li>à actividade lectiva ou um espaço autónomo de </li></ul><ul><li>aprendizagem e ocupação de tempos livres”. </li></ul><ul><li>(Veiga, 2001) </li></ul>A Biblioteca Escolar
  3. 3. <ul><li>“ Está comprovado que quando os </li></ul><ul><li>bibliotecários e os professores trabalham </li></ul><ul><li>em conjunto, os alunos atingem níveis mais </li></ul><ul><li>elevados de literacia, de leitura, de </li></ul><ul><li>aprendizagem, de resolução de problemas e </li></ul><ul><li>competências no domínio das tecnologias </li></ul><ul><li>de informação e comunicação.” </li></ul><ul><li>(IFLA/UNESCO, 1999) </li></ul>
  4. 4. A Biblioteca Escolar
  5. 5. Quatro domínios: • A) Apoio ao desenvolvimento curricular • B) Leitura e literacia • C) Projectos, parcerias e actividades livres de abertura à comunidade • D) Gestão da BE Estrutura do Modelo Domínios/Subdomínios
  6. 6. <ul><li>Requer: </li></ul><ul><li>Uma aproximação à realidade por etapas, tendo em conta o contexto interno e externo da BE </li></ul><ul><li>Deve: </li></ul><ul><li>levar a professora coordenadora a seleccionar o domínio a ser objecto de aplicação, neste ano lectivo </li></ul>Implementação do Modelo
  7. 7. Auto-avaliação da BE - Objectivos <ul><li>A auto-avaliação da BE permite : </li></ul><ul><li>Contribuir para a afirmação e reconhecimento do seu papel. </li></ul><ul><li>Determinar o grau de consecução da sua missão e objectivos. </li></ul><ul><li>Aferir a qualidade e eficácia dos serviços e a satisfação dos </li></ul><ul><li>utilizadores. </li></ul><ul><li>Identificar pontos fortes e pontos fracos a melhorar. </li></ul><ul><li>Ajustar continuamente as práticas com vista à melhoria dos </li></ul><ul><li>resultados. </li></ul><ul><li>Conhecer o desempenho para se poder perspectivar o futuro. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Aferição da qualidade e eficiência da Biblioteca Escolar e não do desempenho individual do coordenador e dos elementos da equipa; </li></ul><ul><li>Envolvimento de toda a comunidade escolar; </li></ul><ul><li>Procura da melhoria através da acção colectiva; </li></ul><ul><li>A motivação individual dos seus membros; </li></ul><ul><li>a liderança forte da professora coordenadora, que tem de mobilizar a escola para a necessidade e implementação do processo avaliativo; </li></ul><ul><li>A comunicação constante com o Conselho Directivo, justificando a necessidade e o valor da implementação do processo de avaliação; </li></ul><ul><li>A apresentação e discussão do processo no Conselho Pedagógico; </li></ul><ul><li>Aproximação/ diálogo com os diferentes departamentos e respectivos professores. </li></ul><ul><li>Difusão de informação sobre o contributo de cada um no processo. </li></ul>O processo de auto-avaliação implica:
  9. 9. ETAPAS DO PROCESSO <ul><li>Cada etapa compreende um ciclo: </li></ul>1-Identificação de um problema ou de um desafio 2- Recolha de evidências 3-Interpretação da informação recolhida 4- Realização das mudanças necessárias 5- Recolha de novas evidências acerca do impacto dessas mudanças.
  10. 10. <ul><li>O processo de auto-avaliação das bibliotecas escolares terá um valor estratégico para a escola, com a qual a biblioteca escolar tem intersecções . </li></ul><ul><li>Assim são objectivos da BE identificar as áreas de sucesso e aquelas que, por apresentarem resultados menores, requerem maior investimento, determinando, nalguns casos, uma inflexão das práticas. </li></ul> Impacto do Modelo na BE
  11. 11. <ul><li>Elaboração de um relatório final, onde estejam definidos os pontos fortes, as principais fraquezas e as acções para a melhoria; </li></ul><ul><li> Reflexão em Conselho Pedagógico sobre os resultados da avaliação e o papel da BE, no novo paradigma de escola; </li></ul><ul><li> Definição de um plano de acção da BE de acordo com aqueles resultados e os objectivos da escola, perspectivando a melhoria e até a mudança de práticas . </li></ul>O resultado da avaliação
  12. 12. Estrutura do Modelo Perfis de desempenho: 4 níveis Nível / Descrição
  13. 13. <ul><li>Espera-se que: </li></ul><ul><li>produza mudanças concretas na prática. </li></ul><ul><li>contribua para a elaboração de um novo plano </li></ul><ul><li>de desenvolvimento com vista à melhoria. </li></ul><ul><li>seja integrada nas práticas da BE de forma </li></ul><ul><li>sistemática. </li></ul><ul><li>melhore o desempenho da BE. </li></ul>A avaliação não constitui um fim em si mesmo
  14. 14. <ul><li>Espera-se que : </li></ul><ul><li>haja uma tomada de consciência da importância da BE nos resultados da aprendizagem por parte de alunos e professores. </li></ul><ul><li>estreitar a cooperação entre os docentes e a BE. </li></ul><ul><li>haja um melhor conhecimento e consequentemente </li></ul><ul><li>uma maior rentabilização dos recursos da BE por parte de todos. </li></ul><ul><li>as acções de melhoria se reflictam nos resultados escolares. </li></ul>Impacto esperado no trabalho dos professores e nas aprendizagens dos alunos
  15. 15. Ao fim de quatro anos e deve fornecer uma visão clara e global da BE.

×