UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIACURSO: PEDAGOGIA, 7º SEMESTRE - MATUTINO.DISCIPLINA: EDUCAÇÃO INCLUSIVADOCENTE: PATRÍCIA MA...
ligado a mais de uma pessoa. Ao contrário da diferença que não pede respeito, boavontade, tolerância, o diferente pede, is...
Num universo de bilhões de indivíduos não tem como todos serem iguais, o bomé sermos todos diferentes, não podemos exigir ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Diferente x diferença

341 visualizações

Publicada em

Texto produzido para a disciplina Educação Inclusiva, ministrada pela docente Patrícia Magris.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
341
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Diferente x diferença

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIACURSO: PEDAGOGIA, 7º SEMESTRE - MATUTINO.DISCIPLINA: EDUCAÇÃO INCLUSIVADOCENTE: PATRÍCIA MAGRISDISCENTE: TAMIRES SOUTO DIFERENÇA x DIFERENTE Como discernir o que diferença e o que é diferente? De acordo com o DicionárioAurélio da Língua Portuguesa, tem-se diferença como “qualidade de diferente; falta desemelhança ou igualdade” e diferente como “que não é igual; que não coincide; quedifere, diverge; divergente, diverso, desigual”. No dicionário filosófico, diferença trata-se da “determinação da alteridade. Aalteridade não implica em si, nenhuma determinação. ‘As coisas só podem diferir se temem comum a coisa em que diferem’”. Segundo Mora, também em um dicionário defilosofia: Aristóteles distinguiu a diferença de espécie e a de gênero. Para diferenciarduas entidades, é preciso determinar em que diferem. A diferença opõe-se á unidade,mas os mesmo tempo não pode ser entendida sem certa unidade. Esse mesmo dicionário relata ainda mais duas concepções, a de Hegel, a qual adiferença está “ligada a identidade (algo de dentro)”, e a de Kant que aborda a“diferença como conceito de reflexão que não se aplica as coisas em si, mas aosfenômenos”. De certa forma diferença tem a ver com o sujeito, com o seu interior, com odesejo de mudar o que é comum, nos dias atuais é difícil encontrar alguém a qual queirafazer a diferença porque estamos acostumados ao que já está pronto, ao que é cômodo.A diferença não é uma relação entre o um e o outro. Ela é simplesmente umametamorfose, considero-a assim por ser algo que se refere ao interior do sujeito, ou seja,está sempre em movimento, em mudança. Diferente é uma especificidade da pessoa, um modo de se vestir, de falar, é oexcesso ou a falta de algo que um tem e outro não, tem muito a ver com relação e está
  2. 2. ligado a mais de uma pessoa. Ao contrário da diferença que não pede respeito, boavontade, tolerância, o diferente pede, isso por que entra a questão das leis. Naconstituição federal, art. 5º, diz que todos são iguais perante a lei, sem distinção dequalquer natureza, com direito a vida, á liberdade, á igualdade (no que se refere a lei), ásegurança, isto é tratar uma pessoa que julgamos ser diferente só porque ela não é iguala nós resulta numa violação a constituição. Um ponto interessante sobre o diferente é que o diferente pode ser mais de umacoisa e não impede que essa pessoa encontre outras pessoas com essa mesma coisa, porexemplo, alguém pode me considerar diferente pelo meu modo de vestir ou por eu teralguma deficiência e num outro local ter alguém com o mesmo estilo ou deficiência queo meu. É com estranheza que se olham uns aos outros, quando não se percebe no outroapenas um espelho daquilo que está simbolicamente delimitado como o que tem que serigual. Trazendo a temática, os conceitos para a área da educação, entendo que adiferença pode ser relacionada com o fazer, com a prática. Como disse anteriormente no2º parágrafo, a diferença se relaciona com mudança, sendo assim na educação podemossair do tradicional para fazer o diferencial, é como o vídeo Fábula animada sobre odocente que não sabe escutar, preparado por Easythings, para transmitir o VIInternacional EducaRed 2011 , um espaço concebido para professores em que toda aAmérica Latina pode aprender, partilhar experiências, e debate, sobre educação e novastecnologias. O vídeo reporta a questão de mudar a prática utilizada em sala de aula eadequar as tecnologias no ensino, ou seja, fazer a diferença. A forma como os diferentes têm sido considerados na escola pode conduzir àdesigualdade e até mesmo à exclusão escolar, isso quando não tenta tornar todos osalunos iguais. No entanto tem alguns alunos considerados diferentes por terem situaçõesde desvantagem, dificuldade, deficiência, desvio, tão presentes quando focalizamos oprocesso de ensino aprendizagem, que precisa serem trabalhados, mas que devemconsiderar as suas particularidades de cada um.
  3. 3. Num universo de bilhões de indivíduos não tem como todos serem iguais, o bomé sermos todos diferentes, não podemos exigir que o outro seja igual só por que o jeitodele não nos agrada.REFERÊNCIASABBAGNAMO, Nicola. Dicionário de filosofia. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000.CONSTITUICAO: República Federativa do Brasil, 1988. Salvador: Brasiliense.Fábula animada sobre el docente al que no escuchaban.http://blogs.educared.org/encuentro/2011/09/02/una-fabula-animada-sobre-lo-que-representa-el-vi-encuentro-internacional-educared/.FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário Aurélio da línguaportuguesa. 4 ed. Curitiba: Ed. Positivo, 2009.

×