Reprodução Humana e Sexualidade

5.330 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre aparelho reprodutor masculino e feminino e seu funcionamento, fecundação, gêmeos univitelinos e bivitelinos, métodos contraceptivos e DST.

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.330
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
154
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reprodução Humana e Sexualidade

  1. 1. REPRODUÇÃO HUMANA
  2. 2. Puberdade – Período em que o corpo do adolescente passa por modificações, e se inicia por volta de 10 a 12 anos de idade. Essas modificações são determinadas pelos hormônios sexuais. Hormônios sexuais: Masculino – Testosterona Feminino – Estrogênio e progesterona
  3. 3. SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO
  4. 4. SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO
  5. 5. SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO Canais deferentes – São dois. Originam os canais ejaculadores. Vesículas seminais – São duas glândulas situadas ao lado de cada canal deferente. Produzem secreção esbranquiçada, viscosa, constituinte do esperma. Canal ejaculador - Canal único que provêm de cada testículo. Canal que desemboca na uretra. Epidídimos – Local onde os espermatozoides recémformados terminam sua maturação e permanecem até a eliminação durante a ejaculação.
  6. 6. SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO Próstata – Produz secreção viscosa e alcalina que também constitui o esperma. Glândulas bulbouretrais – Produzem secreção para limpar e lubrificar a uretra. Testículos – São duas gônadas localizadas na bolsa escrotal, fora da cavidade abdominal. Produzem espermatozoides e o hormônio sexual masculino, a testosterona.
  7. 7. SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO Glande – É a cabeça do pênis, que é recoberta por uma prega de pele – prepúcio. Suas terminações nervosas determinam grande sensibilização ao estímulo sexual. Uretra – Canal comum ao sistema urinário e reprodutor. Lança urina e esperma para o meio externo. Corpo cavernoso e esponjoso Tecido bastante vascularizado, cujas cavidades se enchem de sangue para promover ereção do pênis.
  8. 8. FUNCIONAMENTO DO SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO: Espermatozoides – Produzidos nos testículos, dentro dos canais seminíferos, desde a puberdade até o final da vida. Testículos – Responsáveis pela produção do hormônio masculino testosterona, que determina, na adolescência, o crescimento de pelos no rosto, na região pubiana e em outras partes do corpo; o engrossamento da voz; o aumento da massa muscular. Esperma ou sêmen – Líquido que facilita a locomoção dos espermatozoides para fora do corpo do homem.
  9. 9. SISTEMA REPRODUTOR FEMININO
  10. 10. SISTEMA REPRODUTOR FEMININO
  11. 11. SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Tubas uterinas – São dois tubos que capturam óvulos que saem do ovário e os conduzem ao útero. É na tuba uterina que ocorre a fecundação. Ovários – São duas glândulas sexuais responsáveis pela produção dos hormônios estrogênio e progesterona. Útero – Órgão musculoso oco em forma e tamanho de uma pera invertida. Com grande capacidade de distensão, é onde o embrião se desenvolve.
  12. 12. SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Uretra – Canal por onde a mulher elimina a urina. Não faz parte do sistema reprodutor. Vulva – Genitália formada por dois pares de dobras de pele (pequenos e grandes lábios), abertura vaginal, clitóris e abertura da uretra. Vagina – Canal que liga o útero ao meio externo. Antes da primeira relação sexual, é parcialmente fechada por uma membrana delicada – hímen.
  13. 13. FUNCIONAMENTO DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO: Menstruação – Inicia-se entre 11 e 15 anos de idade. Se caracteriza pela eliminação do endométrio quando não há fecundação do óvulo, saindo então pela vagina sob a forma de sangue. Ciclo Menstrual ou ovulatório – Tem duração de dois a sete dias, normalmente, ocorrendo novamente em 28 a 30 dias.
  14. 14. FUNCIONAMENTO DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO: Ovulação – Ocorre por volta do 14º dia. Com o rompimento do folículo, e o óvulo solta-se, sendo capturado pela tuba uterina. Geralmente apenas um óvulo é liberado a cada ciclo. OBS: Quando não ocorre gravidez, o endométrio morre e se desprende no final do ciclo, por volta do 28º dia.
  15. 15. COMO OCORRE A GRAVIDEZ? Fecundação – É a união e fusão do óvulo com o espermatozoide. Dessa união resulta a célula-ovo ou zigoto, que dá origem a novo organismo. Inicia-se então, o processo de desenvolvimento embrionário. OBS: Os hormônios femininos bloqueiam a produção de hormônios da hipófise, impedindo novos ciclos menstruais. Por isso, durante a gravidez, a mulher não ovula nem menstrua. Até a oitava semana forma-se o embrião, a partir desse período até o final da gravidez, desenvolve-se o feto.
  16. 16. GÊMEOS – COMO SE FORMAM? Podem ocorrer de duas maneiras: Gêmeos Idênticos ou univitelinos – A fecundação ocorre normalmente, e durante o processo de divisão celular, formam-se duas massas de células que resultam em dois embriões. Esses embriões se desenvolvem na mesma placenta e têm as mesmas características genéticas, inclusive o mesmo sexo.
  17. 17. GÊMEOS – COMO SE FORMAM? Gêmeos Bivitelinos ou fraternos - Ocorre quando os ovários lançam na tuba uterina mais de um óvulo, que serão portanto, fecundados por diferentes espermatozoides (um pra cada óvulo), podendo gerar embriões de sexos diferentes. Cada um se desenvolve em placenta distinta, originando quantos bebês forem os óvulos fecundados.
  18. 18. MÉTODOS CONTRACEPTIVOS São métodos utilizados para prevenir doenças sexualmente transmissíveis (DST) e evitar a gravidez indesejada. Exemplos: DIU, Camisinha masculina, Camisinha feminina, Diafragma, Pílula anticoncepcional, Pílula do dia seguinte, Adesivo transdérmico (Evra).
  19. 19. MÉTODOS CONTRACEPTIVOS
  20. 20. DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS Essas doenças são graves, podendo causar muitos problemas, como esterilidade, nascimento de bebê prematuro com saúde comprometida, aborto e até a morte da pessoa infectada. Principais DST: -Sífilis; - Gonorreia; - AIDS - Herpes genital; - Condiloma genital;
  21. 21. DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS SÍFILIS – É causada por bactéria. Essa doença pode levar anos para se desenvolver. Sintomas: No estágio inicial, se caracteriza por pequena ferida, indolor, nos órgãos genitais, por isso ignorada. Na fase secundária, surgem infecções e erupções generalizadas na pele. A mulher pode transmitir ao feto, resultando em lesões ósseas, cegueira, entre outras sequelas. GONORREIA – Causada por bactéria. No homem provoca ardor e dificuldade de urinar. Na mulher, geralmente não aparecem sintomas evidentes, o que retarda o tratamento. Pode causar inflamações e obstruções nas tubas uterinas. A consequência mais grave dessa doença é a esterilidade.
  22. 22. DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS CONDILOMA GENITAL – Causado pelo por vírus (Papiloma Vírus – HPV), provoca lesões nos órgãos genitais e no ânus, as vezes sob forma de verrugas. Algumas variedades desse vírus aumentam as chances do câncer de colo do útero. Por isso as mulheres que têm ou tiveram o vírus devem fazer exames preventivos do câncer com maior frequência. No homem pode provocar câncer no pênis e ânus. HERPES GENITAL – Causado por vírus herpes simples (HSV), desenvolve infecção crônica (surge, melhora e volta), em forma de pequenas bolhas nos órgãos genitais. Durante o período da manifestação da doença, deve ser evitado o contato sexual. Se a mulher estiver grávida, pode provocar o aborto, ou parto prematuro, entre outras complicações para o bebê.
  23. 23. AIDS SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA

×