Créditos:
Concepción Ortega Cruz Marta Lamas Soledad Murillo
Amelia Valcárcel Guery Zabala
Pierre Bourdieu
POR QUÊ A COMUNIDADE BOLIVIANA
NÃO QUEBRA O CICLO DO TRABALHO
ANÁLOGO A ESCRAVIDÃO?
Biopsicossocial
Biológico
Anatomia ,Corpo,
Músculos
Psíque
Mente,
Inconsciente.
Social
Cultura, Amigos
Considerações
• Hom...
A cultura modifica o pensamento
• A sociedade tem mecanismos de sociabilização
da cultura:
– Os meios de comunicação. (Uma...
Exemplo de mudança cultural
• No século 17 não tínhamos o conceito de
infância. (criança).
• “A infância tem as suas manei...
Amostra do impacto do capitalismo
• No século 18 as crianças utilizavam cores
diferentes, ou simplesmente com a cor
branco...
Gênero.
• Quando falamos de gênero quase sempre foi
ligado as mulheres.
• O gênero é um filtro por onde vemos o
mundo, tam...
O que são as Masculinidades
•O que é ser homem?
Masculinidades
• Não existe gênero homem.
• Não existe nem mais nem menos masculino.
• As masculinidades propõem pensar co...
Tipos de masculinidades
•São os que retêm o
poder
Dominantes
•Aqueles que sofrem a
opressão
Oprimidos
•Todas aquelas dos
d...
Violência de Gênero
na comunidade imigrante Boliviana
• Violência de homem para homem.
• Sempre têm que estar comprovando ...
A estrutura de poder
Homem
dominante
Mulher
Esposa
ou
Postituta
Sistema
Patriarcal
Homem
Tem que de
comprovar
que é homem
Post machismo
• O objetivo do post machismo, é manter a
estrutura de poder do patriarcado.
• Converte o homem em vitima.
•...
Patriarcado e trabalho análogo a
escravidão.
• O patriarcado conforma uma forma de
justificação de um sistema de opressão ...
O que é o machismo?
• É acreditar que por ter algo você é melhor.
• A estratégia do machismo é sacrificar peças
(homens).
...
Sistema patriarcal fragmenta o
machismo (post machismo)
• Macho sínico.
• Macho politicamente correto.
• Macho dissimulado...
Maltrato
•NO existe um
motivo para o
maltrato.
Produção do macho neoliberal
• Falta de processos cognitivos.
• Fundamenta seu conhecimento no “senso comum”.
(baseado em ...
Algumas crenças
• O capitalismo surgiu de forma espontânea,
por isso é algo isolado e imutável.
• Não tem outra opção nest...
Porquê imigramos?
• Ninguém sabe.
• As condições de trabalho no Brasil e na
Argentina, é conhecido pela maioria das
pessoa...
Trabalho análogo a
escravidão
Diminui os processos
cognitivos.
Subordina os
homens e o dobro
para as mulheres
Não há auto
...
• Porque combatemos para
permanecer na servidão, como
se isso fosse nossa tabua de
salvação? (Spinoza)
É mais fácil mudar uma sociedade que
mudar uma pessoa
Obrigado!
Masculinidades
Masculinidades
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Masculinidades

81 visualizações

Publicada em

Palestra ministrada por Miguelangel Saavedra Aguilar, preparada para o Fórum Social Mundial das Migrações

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
81
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Masculinidades

  1. 1. Créditos: Concepción Ortega Cruz Marta Lamas Soledad Murillo Amelia Valcárcel Guery Zabala Pierre Bourdieu
  2. 2. POR QUÊ A COMUNIDADE BOLIVIANA NÃO QUEBRA O CICLO DO TRABALHO ANÁLOGO A ESCRAVIDÃO?
  3. 3. Biopsicossocial Biológico Anatomia ,Corpo, Músculos Psíque Mente, Inconsciente. Social Cultura, Amigos Considerações • Homes e mulheres somo iguais enquanto seres humanos e diferentes enquanto sexos.
  4. 4. A cultura modifica o pensamento • A sociedade tem mecanismos de sociabilização da cultura: – Os meios de comunicação. (Uma mulher morre em mão de.. coisificação das mulheres) – A educação (livros Homem público e mulher privado) – A semiótica (violência simbólica) • A simbolização da diferença sexual cria crenças sobre o que corresponde ao fato de ser “homem” e ser “mulher”, não só na mente senão também no inconsciente.
  5. 5. Exemplo de mudança cultural • No século 17 não tínhamos o conceito de infância. (criança). • “A infância tem as suas maneiras próprias de ver, pensar e sentir. Nada mais insensato que pretender substitui-las pelas nossas”. (Jean Jacques Rousseau o Emilio)
  6. 6. Amostra do impacto do capitalismo • No século 18 as crianças utilizavam cores diferentes, ou simplesmente com a cor branco. • Pink = meninos (a cor estava mais perto do vermelho da paixão) • Azul =meninas (Esperança) • Após a segunda guerra mundial as lojas perceberam que se diferenciavam-se as cores poderiam subir as vendas
  7. 7. Gênero. • Quando falamos de gênero quase sempre foi ligado as mulheres. • O gênero é um filtro por onde vemos o mundo, também é uma forma de interacionar- se, assim mesmo é uma identidade.(Marta Lamas). • O sexo homem mulher é igual no mundo todo. • O gênero (o imaginário do que é ser homem ou mulher) é diferente para cada cultura.
  8. 8. O que são as Masculinidades •O que é ser homem?
  9. 9. Masculinidades • Não existe gênero homem. • Não existe nem mais nem menos masculino. • As masculinidades propõem pensar como é construída nossa masculinidade • R. W. Connell, traz o conceito “masculinidade hegemônica”, que diz respeito àquele grupo masculino cujas representações e práticas constituem a referência socialmente legitimada para a vivência do masculino.
  10. 10. Tipos de masculinidades •São os que retêm o poder Dominantes •Aqueles que sofrem a opressão Oprimidos •Todas aquelas dos dias de hoje Novas masculinidades
  11. 11. Violência de Gênero na comunidade imigrante Boliviana • Violência de homem para homem. • Sempre têm que estar comprovando que somos homens. • Falta de segurança no trabalho. • Vivem se comparando (Se comparam com o chefe). • Os homens não vão ao medico. • Antes de ser pais, ele é macho. • Não se enxergam como violentos. • Valorizamos o serviço militar (exercito) • Estamos para protegera família. • O homem não reclama.
  12. 12. A estrutura de poder Homem dominante Mulher Esposa ou Postituta Sistema Patriarcal Homem Tem que de comprovar que é homem
  13. 13. Post machismo • O objetivo do post machismo, é manter a estrutura de poder do patriarcado. • Converte o homem em vitima. • Tergiversa o feminismo.
  14. 14. Patriarcado e trabalho análogo a escravidão. • O patriarcado conforma uma forma de justificação de um sistema de opressão que transcende ao capitalismo . • O patriarcado se resiste a: Homem necessário x homem imprescindível.
  15. 15. O que é o machismo? • É acreditar que por ter algo você é melhor. • A estratégia do machismo é sacrificar peças (homens). • A desigualdade é machismo.
  16. 16. Sistema patriarcal fragmenta o machismo (post machismo) • Macho sínico. • Macho politicamente correto. • Macho dissimulado. • Estes três tipos de machos fazem que o sistema mude a noção de coesão ou solidariedade pela de rival ou concorrente. • O machismo fomenta o maltrato.
  17. 17. Maltrato •NO existe um motivo para o maltrato.
  18. 18. Produção do macho neoliberal • Falta de processos cognitivos. • Fundamenta seu conhecimento no “senso comum”. (baseado em realidades inexistentes). • Tem dificuldades na continuação de motivação-ação. (resposta imediata). • Alto nível de narcisismo. (eu não tenho que colaborar como coletivo, eles tem que colaborar comigo). • É um sujeito sobre valorado (minha opinião é minha opinião). • Atitude resignada. • Vive com medo. (acredita que tem algo a perder) • Não se enxerga como violento. • Juiz.
  19. 19. Algumas crenças • O capitalismo surgiu de forma espontânea, por isso é algo isolado e imutável. • Não tem outra opção neste modelo de vida. • A permanência das tradições como fim. • No acreditamos no estado.
  20. 20. Porquê imigramos? • Ninguém sabe. • As condições de trabalho no Brasil e na Argentina, é conhecido pela maioria das pessoas que migram. • Homens cabeça da família, dividas, referencia de pessoas que migram, problemas emocionais, curiosidade, etc.
  21. 21. Trabalho análogo a escravidão Diminui os processos cognitivos. Subordina os homens e o dobro para as mulheres Não há auto aprendizagem. Não há mobilidade social
  22. 22. • Porque combatemos para permanecer na servidão, como se isso fosse nossa tabua de salvação? (Spinoza)
  23. 23. É mais fácil mudar uma sociedade que mudar uma pessoa Obrigado!

×