Revista nova vida:mas que uma ajuda, uma prática do bem!

82 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
82
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista nova vida:mas que uma ajuda, uma prática do bem!

  1. 1. 1
  2. 2. 2 3 Você pode ajudar o Lar Torres de Melo! Você pode ajudar o LAR TORRES DE MELO com a sua do- ação de tampinhas plásticas e cupons fiscais, ou pode fa- zer uma doação em dinheiro. Banco do Brasil AG 1369 -2 CC 105.915-7 Editorial ONG é a sigla de Organizações Não-Governa- mentais, que são um grupo que não possuem fins lucrativos, e fazem diversos tipos de ações solidárias, para grupos específicos, como cri- anças, idosos, animais, meio ambiente, e etc., e fazem parte do terceiro setor. As ONGs surgiram com o objetivo de fazer uma parte que, em tese, é de responsabilidade do Estado, ou então complementá-lo quando ele não consegue atingir esse nível, buscando fazer o possível, muitas vezes, para pessoas excluídas da sociedade, e pessoas que não tem voz. As ONGs sobrevivem, na maioria das vezes, de financiamentos e doações do próprio Esta- do, e também de algumas entidades privadas, além de ter basicamente a de voluntários, que são as pessoas que “trabalham” na entidade. Uma ONG não tem valor jurídico, ou seja, fa- zendo parte do terceiro setor, ela faz parte de associações e fundações, não constitui uma empresa, ou pessoa jurídica. Francisca Karine 2 Período Jornalismo Sumário LAR TORRES DE MELO 4 VOLUNTÁRIOS E DEPOIMENTOS 5 HISTÓRIA DA COMUNIDADE PAZ E BEM 6 CONHECENDO A COMUNIDADE PAZ E BEM 7 Entrevistas Gerais: Neirislane Lima,Francisca Karine Editorial: Francisca Karine Fotos: Neirislane Lima, Rober Dioh Diagramação: Neirislane Lima
  3. 3. 4 5 Lar Torres de Melo O Lar Torres de Melo, foi fundado em 10 de agosto de 1905, como Asilo de Mendicidade do Ceará, tinha por obje- tivo acolher moradores de rua, quando em 1979 por força da lei, teve de mudar seus estatutos, especificando o tipo de usuário e modalidade de atendimento, neste caso, já que tinha 280 idosos residentes, recebeu a denominação atu- al de Lar Torres de Melo, por votação unânime da Assembleia Geral, em homenagem a José Ramos Torres de Melo. Hoje o Lar Torres de Melo atende a 220 idosos residentes e mais 100 do Projeto de Convivência, que passam duas tardes na instituição, com vistas a integração entre idosos externos e internos, onde são realizadas atividades: laborati- vas, recreativas, expressivas, religiosa, ludoterápica, socializante, cognitiva e a noite retornam para as suas residências. Sendo o Lar Torres de Melo a única instituição filantrópica, de atendimento de Alta Complexi- dade nos diversos graus de dependência, registra uma demanda incapaz de ser atendida, em vir- tude da escassez de recursos e limitações da capacidade física para ampliação do atendimento. Lar Torres de Melo / Foto: Neirislane Lima Entrevista: com Dr. Júlia Barros, assistente social no Lar Torres de Melo a 24 anos. Qual a maior dificuldade hoje que o Lar Torres de Melo encontra? A maior dificuldade é a financeira. Mas existem outras como: necessidade de alimentos, fraldas geriátricas, medi- cação, e outros equipamentos para que a instituição possa funcionar plenamente em cada setor existente. As famílias veem sempre visitar? As famílias quase não aparecem, apesar de a maioria ter al- gum da família, mas a frequência de familiar é rara. Como o Lar ajuda esses idosos a seguir em frente e a vencer desafios e tristezas? Através de assistência existente na instituição: médica, psico- lógica, social, ocupacional e além de tudo o suporte nutricio- nal, atividades cotidianas, tenta tornar o ambiente mais posi- tivo possível com: palestras, festas comemorativas, passeios, atividades lúdicas, religiosa e física. Dr.Júlia Barros, Maria Simone e Neirislane Lima A vida desses idosos melhorou depois que eles entraram no lar? Boa parte sim, principalmente daqueles que se permite. Residentes/ Foto: Neirislane Lima D e p o i m e n t o s “Ser voluntario é dispor de um tempo para ajudar o outro. É se doar, ser mais humano. Me tornei uma pessoa melhor, posso ver a vida de uma outra forma, ser menos egoísta. Tenho prazer de está aqui, que vou vir até nas férias. Estou aprendendo, é uma troca de experiência de ver o mundo de outra forma, através do olhar do idoso. Meus pais já são idosos, sempre tive um olhar carinhoso com relação ao ido- so, mas depois que vim para cá , eu comecei a perceber que o idoso tem muito a ensinar, sabedoria porque já teve mais vivencia que a gente, eu gosto de ouvir as histórias que eles tem para contar, do que levou eles a morar aqui, sempre tem um porque. Eu vejo que a velhice é um processo, se tiver a sorte chegar a viver a chegar ser uma idosa no futu- ro...eu vejo de uma forma totalmente diferente.” Maria Simone Estudante de serviço social no quinto período. Voluntária e estagiária. Residentes / Foto: Neirislane Lima Área de Convivência / Foto: Neirislane Lima “Voluntária há 21 anos e morando a 2 anos, muito gratifi- cante, hoje em dia e muito bom gratificante ajudar quem precisa, antigamente eu ia ajudar na enfermaria e dava de comer, agora já tem outros voluntários, então eu fico no bazar.” Helena Barbosa de Araújo A missão do Lar Torres de Melo é: assistir integralmente a pessoa ido- sa buscando assegurar e preser- var seus direitos através de ações concretas voltadas a conquista da igualdade,liberdade e condições de vida digna. Lar Torres de Melo Rua Júlio Pinto,1832 - Jacarecanga Fortaleza - CE, 60035 - 010
  4. 4. 6 7 CONSTITUIÇÃO DA COMUNIDADE PAZ E BEM MÃOS À OBRA ! Foi esta a resposta do Senhor quando ora- va, no auge de minhas incertezas, pela fundação de uma Comunidade. Vinha me- ditando já a muito tempo e relembrando toda a trajetória percorrida até aquele dia 01 de novembro de 1996. No coração já estava impresso a marca indelével e intransponível da missão preparada para mim e todos os demais enviados por Ele. A palavra de Ag 2, 3c-10 era a intervenção concreta do Pai para um filho medroso e inseguro, ela (a Palavra) não veio apenas como confirmação mas como consolação: “Coragem, Josué . Mãos à Obra! Eu estou convosco” (v. 4). Ao ler esta frase fiquei emocionado e vi direitinho o meu Deus fa- lando isto apontando em minha direção, olhando nos meus olhos. Agora já não tenho dúvida, dizia, Deus quer esta nova Comunidade. Quanto a toda experiência maravilhosa vivida no passado e tudo o que deixaria pra trás Ele diz: “O esplen- dor desta casa, sobrepujará o da primei- ra” (v. 9). É o Senhor afirmando que esta nova obra ultrapassará em graça, missão, conversões e até mesmo em amor. O nome da Comunidade Paz e Bem, como foi colocado ou até mesmo escolhido, só há uma explicação: Francisco de Assis. Só pode ter sido ele, e como o Senhor Jesus o ama muito, aceitou sua imposição, ou melhor, “sugestão” e assim se fez. Gerardo Magela Foto: Rober Dioh Depoimentos A comunidade Paz e Bem é um canal de graças para nós, não só para jovens, mas para todos que dela participam. Lá temos a oportunidade de fazer coisas que todo jovem faz, mais tendo uma consciência de que só em Cristo encontra- mos a verdadeira felicidade. E temos diferentes formas de se divertir, podendo fazer algo que gostamos como: dançar, atuar, cantar, tocar e ao mesmo tempo através desses dons que Deus nos dá para evangelizamos de uma forma dife- rente fazendo as pessoas se sentirem amadas por Deus. Só tenho que agradecer por fazer parte dessa obra que nos livra de tantos maus como drogas, álcool e violências, nos ensi- nam a namorar mais saber vivenciar a castidade e a espera em Deus e nos faz ser jovens do mundo, jovens que experi- mentam apenas as coisas boas e puras do mundo sem preci- sar ser mundano. Deus nos fez livre cabe a nós escolhermos qual caminho seguir, eu já escolhi o meu e você? Ser Paz e Bem é bom demais! Lívia Campina O que a paz e bem significa pra min? Significa o lugar onde eu me encontro com Deus onde eu o conheci. Entrei na co- munidade com 11 anos então não tive tempo de conhecer as coisas ruins do mundo. E sim de ter feito amigos de verdade pessoas que sei q vão estar comigo sempre que eu precisar. A paz e bem ME AJUDOU a crescer e me tornar a pessoa q sou hoje. A paz e bem acrescentou uma maturidade ainda na minha juventude hoje posso ver as coisas com outros olhos e saber fazer melhor minhas escolhas Leandro Alves Quadrilha Missão de Paz Ministério de Artes Paixão de Cristo / Teatro Jovens da Comunidade Paz e Bem Membros da Comunidade Paz e Bem
  5. 5. 8

×