Coordenação de Mocidades Espíritas Objetivos e Atribuições
Organograma triênio 2.001/2.003
Coordenação  de Ação Espírita <ul><ul><ul><li>Artigo 63º  - São atividades específicas da Coordenação da Ação Espírita: </...
Atribuições <ul><li>Segundo o artigo 63, alínea I, item b2 do Estatuto Social da OSCAL, é função básica da CME o estabelec...
Atribuições <ul><li>É atribuição da CME a realização da COMEMOFRA (Confraternização das Mocidades Espíritas do Movimento d...
Objetivos <ul><li>Integrar o jovem fraternista ao Movimento da Fraternidade através da divulgação de sua filosofia e progr...
Um pouco de história <ul><li>A C.M.E surgiu da iniciativa de alguns jovem perceberam a necessidade de se estruturar o trab...
A importância da COMEMOFRA <ul><li>A COMEMOFRA tem uma importância fundamental para a C.M.E pois foi e ainda é a principal...
Colegiado <ul><li>A Coordenação de Mocidades espíritas trabalha na forma de colegiado. </li></ul><ul><li>Este colegiado po...
Colegiado <ul><li>O trabalho em colegiado pressupõe flexibilidade e responsabilidades compartilhadas. </li></ul><ul><li>Fl...
Colegiado <ul><li>Responsabilidade compartilhada significa que a execução de uma determinada tarefa deve ser suportada e a...
Equipe <ul><li>Neto </li></ul><ul><li>neto@prover.com.br (0xx31 3481 3758) </li></ul><ul><li>Larissa </li></ul><ul><li>lar...
Equipe <ul><li>I RF </li></ul><ul><li>II RF  </li></ul><ul><li>III RF </li></ul><ul><li>IV RF  </li></ul><ul><li>V RF </li...
Plano de Metas <ul><li>Determina as atividades de triênio da C.M.E. </li></ul><ul><li>Estas atividades são detalhadas resp...
Exemplo
Plano de Metas e R.R.M. <ul><li>Como os representantes regionais de mocidades é a extensão da C.M.E nas regiões fraternas ...
Próximos passos <ul><li>Estruturação para trabalharmos de forma mais adequada um número maior de necessidades. </li></ul><...
Por onde começar ? <ul><li>Por um projeto piloto... </li></ul><ul><li>Qual é o evento que mais conhecemos e mais temos  </...
Mudanças na Comemofra  <ul><li>A Comemofra agora será dividida em quatro coordenações e um núcleo de apoio: </li></ul><ul>...
O que esperamos com isso ? <ul><li>Alem de atender com maior qualidade cada um destes públicos pretendemos capacitar pesso...
C.M.E. & vocês <ul><li>Vamos conversar sobre quais são suas impressões sobre a C.M.E. </li></ul>
Conclusão <ul><li>Se estamos aqui é porque de um forma ou de outra estamos comprometidos com o Movimento da Fraternidade. ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cme objetivos e atribuições

1.518 visualizações

Publicada em

Breve relato

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.518
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cme objetivos e atribuições

  1. 1. Coordenação de Mocidades Espíritas Objetivos e Atribuições
  2. 2. Organograma triênio 2.001/2.003
  3. 3. Coordenação de Ação Espírita <ul><ul><ul><li>Artigo 63º - São atividades específicas da Coordenação da Ação Espírita: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>(...) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>b) o estabelecimento de diretrizes, normas e procedimentos para: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>b. l) evangelização da infância; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>b.2) atividades das Mocidades Espíritas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>(...) </li></ul></ul></ul>
  4. 4. Atribuições <ul><li>Segundo o artigo 63, alínea I, item b2 do Estatuto Social da OSCAL, é função básica da CME o estabelecimento de diretrizes, normas e procedimentos para as atividades de Mocidade Espírita do Movimento da Fraternidade, segundo os quais deve planejar, organizar, coordenar, supervisionar e orientar estas atividades, visando estarem em consonância com os objetivos e filosofia do Movimento da Fraternidade, contidos no capítulo III, seções I e II, artigo 7 a 18 do Estatuto Social da OSCAL. </li></ul>
  5. 5. Atribuições <ul><li>É atribuição da CME a realização da COMEMOFRA (Confraternização das Mocidades Espíritas do Movimento da Fraternidade), encontro anual realizado no período do carnaval na CIFRATER, regido por Manual e Regimento próprio. </li></ul>
  6. 6. Objetivos <ul><li>Integrar o jovem fraternista ao Movimento da Fraternidade através da divulgação de sua filosofia e programas de trabalho. </li></ul><ul><li>Fortalecer as Mocidades Espíritas, que são o veículo que canaliza e faculta ao jovem o conhecimento, a vivência e o trabalho dentro do MOFRA. </li></ul><ul><li>Criar Mocidades onde não as houver. </li></ul><ul><li>Levar o jovem fraternista à CIFRATER para que, conhecendo-a e se inteirando de suas dificuldades, possa, efetivamente, colaborar para a solução das mesmas. </li></ul>
  7. 7. Um pouco de história <ul><li>A C.M.E surgiu da iniciativa de alguns jovem perceberam a necessidade de se estruturar o trabalho dos jovens dentro do Movimento da Fraternidade </li></ul><ul><li>No princípio o número de pessoas com perfil para atuar neste tarefa era pequeno. Sendo assim foi criada uma estrutura de trabalho condizente com esta realidade daquale momento. </li></ul><ul><li>Com o sucesso obtido na realização de eventos como a COMEMOFRA, as responsabilidades aumentaram juntamente com número de pessoas treinadas e motivadas para assumir novos desafios aumentou, demandando um reavaliação na maneira como se trabalhava. </li></ul>
  8. 8. A importância da COMEMOFRA <ul><li>A COMEMOFRA tem uma importância fundamental para a C.M.E pois foi e ainda é a principal fonte de recursos humanos para nossos trabalhos. </li></ul><ul><li>Muitas pessoas hoje plenamente integradas as atividades do MOFRA se denominam carinhosamente de “filhos da COMEMOFRA”. </li></ul>
  9. 9. Colegiado <ul><li>A Coordenação de Mocidades espíritas trabalha na forma de colegiado. </li></ul><ul><li>Este colegiado possui duas estâncias: </li></ul><ul><li>os membros da C.M.E.; </li></ul><ul><li>os membros da C.M.E mais o conjunto dos Representantes Regionais de Mocidades. </li></ul>
  10. 10. Colegiado <ul><li>O trabalho em colegiado pressupõe flexibilidade e responsabilidades compartilhadas. </li></ul><ul><li>Flexibilidade por ser uma forma de trabalho orientada a projetos, que por definição, têm início, meio e fim. </li></ul>
  11. 11. Colegiado <ul><li>Responsabilidade compartilhada significa que a execução de uma determinada tarefa deve ser suportada e acompanhada por todos os membros do colégio. </li></ul><ul><li>Não existem heróis onde se tem divisão de tarefas com responsabilidade compartilhada. </li></ul>
  12. 12. Equipe <ul><li>Neto </li></ul><ul><li>neto@prover.com.br (0xx31 3481 3758) </li></ul><ul><li>Larissa </li></ul><ul><li>laranadai@escelsa.com.br (0xx11 3231 1172) </li></ul><ul><li>Lilian </li></ul><ul><li>lpellacani@bol.com.br (0xx11 4125 6653) </li></ul><ul><li>Nilcilânio </li></ul><ul><li>nilcilanio@hotmail.com (0xx31 9970 6005) </li></ul><ul><li>Luis Otávio </li></ul><ul><li>lmedici@asatnet.com.br (0xx11 4125 7171) </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>
  13. 13. Equipe <ul><li>I RF </li></ul><ul><li>II RF </li></ul><ul><li>III RF </li></ul><ul><li>IV RF </li></ul><ul><li>V RF </li></ul><ul><li>VI RF </li></ul><ul><li>VII RF </li></ul><ul><li>VIII RF </li></ul><ul><li>IX RF </li></ul><ul><li>X RF </li></ul><ul><li>XI RF </li></ul><ul><li>XII RF </li></ul>
  14. 14. Plano de Metas <ul><li>Determina as atividades de triênio da C.M.E. </li></ul><ul><li>Estas atividades são detalhadas respondendo quatro perguntas: </li></ul><ul><li>O que ? Como ? Quem e Quando ? </li></ul>
  15. 15. Exemplo
  16. 16. Plano de Metas e R.R.M. <ul><li>Como os representantes regionais de mocidades é a extensão da C.M.E nas regiões fraternas é necessário que eles elaborem, em conjunto com o colegiado regional, o Plano de Metas Regional. </li></ul>
  17. 17. Próximos passos <ul><li>Estruturação para trabalharmos de forma mais adequada um número maior de necessidades. </li></ul><ul><li>Dentro desta linha de pensamento começamos um trabalho para estarmos atendendo de maneira mais adequada a Infância, Adolescência e Juventude. </li></ul>
  18. 18. Por onde começar ? <ul><li>Por um projeto piloto... </li></ul><ul><li>Qual é o evento que mais conhecemos e mais temos </li></ul><ul><li>condições de avaliar ? </li></ul>
  19. 19. Mudanças na Comemofra <ul><li>A Comemofra agora será dividida em quatro coordenações e um núcleo de apoio: </li></ul><ul><li>Coordenação de Infância </li></ul><ul><li>Coordenação de Adolescência </li></ul><ul><li>Coordenação de Juventude </li></ul><ul><li>Coordenação Geral </li></ul><ul><li>Núcleo de Apoio </li></ul>
  20. 20. O que esperamos com isso ? <ul><li>Alem de atender com maior qualidade cada um destes públicos pretendemos capacitar pessoas para estarmos consolidando esta estrutura dentro da C.M.E. e posteriormente nas regiões fraternas. </li></ul>
  21. 21. C.M.E. & vocês <ul><li>Vamos conversar sobre quais são suas impressões sobre a C.M.E. </li></ul>
  22. 22. Conclusão <ul><li>Se estamos aqui é porque de um forma ou de outra estamos comprometidos com o Movimento da Fraternidade. </li></ul><ul><li>A C.M.E. deseja transformar este comprometimento em ações em benefício dos ideais deste movimento que tanto prezamos. </li></ul><ul><li>Que tal trabalharmos e nos divertirmos ao mesmo tempo. Isto é possível e viável, pois basta lembrarmos que estamos todos na mesma jornada e que desfrutamos de uma amizade muito especial. </li></ul>

×