USP, 26 de agosto de 2011

624 visualizações

Publicada em

A apresentação que dei no dia 26 de agosto de 2011 na Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares, Universidade de São Paulo, Brasil.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
624
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

USP, 26 de agosto de 2011

  1. 1. “ Miguel” Yasuyuki Hirota [email_address] http://mig76es.wordpress.com/ http://www.olccjp.net/ USP, 26 de agosto de 2011
  2. 2. <ul><li>Qual foi o objetivo do desenho do nosso sistema atual? – Condenemos os seus falhos </li></ul><ul><li>Rumo à democracia econômica </li></ul><ul><li>Moedas sociais </li></ul><ul><li>Finanças alternativas </li></ul><ul><li>Conclusão e referências </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Qual foi o objetivo do desenho do nosso sistema atual? – Condenemos os seus falhos </li></ul><ul><li>Rumo à democracia econômica </li></ul><ul><li>Moedas sociais </li></ul><ul><li>Finanças alternativas </li></ul><ul><li>Conclusão e referências </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Africa: antigamente próspera, convertiu-se no continente mais pobre do mundo > O que aconteceu ali? </li></ul><ul><li>Ghana: terra de povos originários dignos e afluentes > colonização britânica > os africanos não precisavam de nada que ofrececiam os ingleses > pouco lucro para Londres </li></ul><ul><li>Estratégia dos ingleses: Introdução de um novo imposto apenas pagável em dinheiro nacional de Ghana </li></ul><ul><li>Resultados: destrução da economia tradicional autossuficiente, incorporação da Ghana à economia globalizada capitalista do Século XIX > enriquecimento da metrópoli ao detrimento dos africanos </li></ul><ul><li>Fonte: Kennedy e Lietaer (2010) </li></ul>
  5. 6. <ul><li>“ O comércio internacional e os mercados globais são muito bons em gerar riqueza, mas não podem cuidar de outras necessidades sociais , tais como a manutenção da paz, proteção ambiental, condições laborais ou direitos humanos – o que é chamado em geral ‘bens públicos ’”(George Soros, “On Globalization”, 2003) </li></ul>
  6. 7. <ul><li>A: crescimento de seres vivos </li></ul><ul><li>C: crescimento de câncer e a reivindicação atual do setor financeiro (Wall Street. FMI, Banco Mundial...) </li></ul><ul><li>O nosso sistema econômico está destinado a esgotar todos os recursos naturais deste planeta </li></ul><ul><li>Fonte: Kennedy (veja a seguinte imagem) </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Disminui-se o ingresso da maioria no atual sistema monetário e enriquecem-se os poucos ricos </li></ul><ul><li>Fonte: “Dinero sin Inflación ni Tasa de Intereses”(Margrit Kennedy, http://www.margritkennedy.de/index.php?id=86&ord=49   ) </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Qual foi o objetivo do desenho do nosso sistema atual? – Condenemos os seus falhos </li></ul><ul><li>Rumo à democracia econômica </li></ul><ul><li>Moedas sociais </li></ul><ul><li>Finanças alternativas </li></ul><ul><li>Conclusão e referências </li></ul>
  9. 10. <ul><li>Prefeito, governador do Estado, Presidente da República elegidos por voto: Dilma, Geraldo Alckmin e Gilberto Kassab autorizados a governar atravês das eleições </li></ul><ul><li>Corporações e banca: propriedade privada e coletiva dos acionistas. Os donos de empresas não querem intervenções dos atores sociais, da prefeitura, do Estado etc. </li></ul>
  10. 11. <ul><li>Reivindicação das responsabilidades sociais das empresas (CSR em inglês) : para que suas gestões sejam social e ecologicamente mais justas (precisa-se de uma nova lei sobre CSR?) e/ou para que a sociedade civil possa averiguar as gestões de tais empresas (como contadores socio-ambientais) </li></ul><ul><li>Promoção de atividades econômicas regidas pela sociedade civil: cooperativas, banca ética, ONGs etc. – Economia Solidária </li></ul><ul><li>Criação do nosso próprio meio de intercâmbio (moedas complementares): para que não tenhamos que depender necessariamente do fluxo do R$ nas nossas bolsas </li></ul>
  11. 12. <ul><li>FECHEMOS AS VEIAS ABERTAS!! </li></ul>
  12. 13. <ul><li>1: Mapeamento da economia local: para descobrir como o dinheiro escapa-se da nossa comunidade e como podemos retê-lo </li></ul><ul><li>2: (Re)descobrimento dos recursos locais: para descobrir quais recursos não utilizados existem na comunidade: hortas, apartamentos, usinas, capacidades e conhecimentos não aproveitados dos desempregados… </li></ul><ul><li>3: Discussões na comunidade: Para iniciar projetos de produção autossuficiente </li></ul><ul><li>IMPORTANTE: Decisão participativa entre os atores sem que um consultor externo decida tudo para vocês </li></ul>
  13. 14. <ul><li>R$: desenhado para circular no Brasil inteiro: concentra-se em algumas partes, empobrecendo muitas regiões </li></ul><ul><li>Moedas complementares: meio paralelo de intercâmbio controlado pela sociedade civil com o fim de reter o poder de compra dentro da comunidade </li></ul>
  14. 15. <ul><li>Bancos comerciais: pegam o nosso dinheiro e põem-no nos projetos daninos </li></ul><ul><li>Recuperemos o controle sobre o nosso próprio dinheiro!! </li></ul><ul><li>Banco JAK (Suécia): um banco similar ao Fundo Rotativo sem juros em que todo o mundo sairá ganhando </li></ul><ul><li>Banca Ética (Itália): autogestionada pelos próprios usuários, permitindo o financiamento aos projetos que a gente precisa montar </li></ul><ul><li>Sistema WAT (Japão): emissão e circulação de cheques lastreados pela energía renovável, para os investidores poderem gastar dinheiro sem ter de esperar até o vencimento do prazo </li></ul>
  15. 16. <ul><li>Qual foi o objetivo do desenho do nosso sistema atual? – Condenemos os seus falhos </li></ul><ul><li>Rumo à democracia econômica </li></ul><ul><li>Moedas locais </li></ul><ul><li>FiFinanças alternativas </li></ul><ul><li>Conclusão e referências </li></ul>
  16. 18. <ul><li>Banco comunitário no Conjunto Palmeiras, Fortaleza, CE fundado en 1998 que oferece microcréditos em R$ para negócios e em moeda social para consumidores </li></ul><ul><li>“ Não há bairros pobres mas bairros empobrecidos” </li></ul><ul><li>Palma: moeda social lastreada em R$ que circula somente no Bairro </li></ul><ul><li>Atualmente existem 52 bancos comunitários no Brasil e o Banco Central também apoia </li></ul><ul><li>http://www.bancopalmas.org.br/ </li></ul><ul><li>Conferência do Banco Central (nov de 2009): http://www.bcb.gov.br/pre/evento/resumoEvento.asp?evento=61&data=2009_11_61&id=incfin2009ev# </li></ul>
  17. 19. <ul><li>Um dos aprox. 30 projetos REGIO (moedas regionais) na toda Alemanha/Áustria </li></ul><ul><li>Vales lastreados por € que circulam dentro da região para estimular PMEs e a economia regional </li></ul><ul><li>Iniciado por estudantes femininas con o seu professor em janeiro de 2003, agora com 2.000 sócios individuais e 800 empresas </li></ul><ul><li>C 521.000 (= €521.000) na circulação </li></ul><ul><li>Reembolsável em € mas com o 5% de comissão: o 2% para a administração e o 3% para ONGs </li></ul><ul><li>Caixa também disponível </li></ul><ul><li>http://www.chiemgauer.info/ </li></ul><ul><li>Artigo em inglês: http://www.uea.ac.uk/env/ijccr/pdfs/IJCCRvol13(2009)pp61-75Gelleri.pdf </li></ul>
  18. 20. <ul><li>Circulação do Chiemgauer </li></ul>
  19. 21. <ul><li>Como circular-se-á? </li></ul><ul><li>1: O Escritório do Chiemgauer vende C100 pelo preço de €97 a outras ONGs locais </li></ul><ul><li>2: As ONGs locais vendem C100 pelo preço de €100 a seus sócios, ganhando €3 que pode-se gastar para suas próprias atividades </li></ul><ul><li>3: Os consumidores gastam C100 em vez de €100 nos negócios locais, doando indiretamente €3 à ONG que quer apoiar </li></ul><ul><li>4: Os negócios locais gastam C100 a outros negócios locais ou reembolsam €95, e a diferença de €2 gastar-se-á para cobrir o custo administrativo do Chiemgauer </li></ul>
  20. 22. <ul><li>Um banco cooperativo que cria um meio de intercâmbio entre PMEs suíças desde 1934 </li></ul><ul><li>Retém-se o poder de compra no dentro do cirtuito das PMEs sem ir embora nem a grandes corporações nem a empresas estrangeiras </li></ul><ul><li>Há mais transações em WIR em vez de franco suíço quando a economia oficial suíça vai mal e decresce o WIR quando a economia formal vai bem, equilibrando a economia </li></ul><ul><li>http://www.wir.ch/ (em alemão, francês e italiano) </li></ul>
  21. 23. <ul><li>Moeda eletrônica impulsada pelo governo uruguaio com o fim de adir uma nova liquidez monetária </li></ul><ul><li>Oferece três opções para quem receberem notas promissórias convertidas em moeda social 1: Esperar até o vencimento do prazo e receber todo o valor em peso: jeito convencional 2: Convertir as notas em pesos, pagando comissões: para quem precisa já do dinheiro 3: Pagar impostos ou a outras empresas: melhor jeito, já que aumenta transações </li></ul><ul><li>Interesse em implemetar um projeto similar na Espanha e outros países </li></ul><ul><li>http://www.c3uruguay.com.uy/ (em espanhol) </li></ul>
  22. 24. <ul><li>Qual foi o objetivo do desenho do nosso sistema atual? – Condenemos os seus falhos </li></ul><ul><li>Rumo à democracia econômica </li></ul><ul><li>Moedas sociais </li></ul><ul><li>Finanças alternativas </li></ul><ul><li>Conclusão e referência </li></ul>
  23. 25. <ul><li>Um banco sem juros que funciona desde 1930s </li></ul><ul><li>Os depositários não ganham juros mas o direito a empréstimos sem juros: Sistema parecido aos Fundos Rotativos no Brasil ajuda mútua financeira http://www.jak.se/ (sueco, espanhol, inglês etc.) </li></ul><ul><li>Blog de Miguel Ganzo em espanhol: http://nocreceenlosarboles.blogspot.com/ </li></ul><ul><li>Relatórios em espanhol: http://jak.aventus.nu/download/JAK_Int/JAK_Medlemsbank_-_Cooperativa_bancaria_JAK_-_Suecia.pdf , http://www.asuswebstorage.com/navigate/s?u=yxRBsC </li></ul>
  24. 26. <ul><li>Fundada em 1999 em Padua (Pádova) para financiar ONGs e cooperativas que normalmente não recebem empréstimos </li></ul><ul><li>Os depositários escolhem um dos quatro campos no qual o dinheiro será investido: 1. cooperação social, 2. projetos ecológicos, 3. países em vias de desenvolvimento 4. eventos culturais </li></ul><ul><li>Financia € 695,48 milhões a 4.997 projetos </li></ul><ul><li>Gestão democrática </li></ul><ul><li>http://www.bancaetica.com/ (em italiano, inglês, espanhol etc) </li></ul>
  25. 27. <ul><li>Projetos financiados pela Banca Etica </li></ul><ul><li>Comércio justo com uma cooperativa de café em Honduras </li></ul><ul><li>Reconstrução de um bairro histórico em Riace, sul da Itália </li></ul><ul><li>Horta orgânica por um mosteiro beneditino </li></ul><ul><li>Horta orgânica para disminuir a dependência á economia subterrânea </li></ul><ul><li>Apoio aos aditos de droga </li></ul><ul><li>Sistemas de saúde para prostitutas </li></ul><ul><li>Ajuda econômica à Albânia </li></ul>
  26. 28. <ul><li>Concebido por Eiichi Morino, promotor japonês de moeda local (ML) </li></ul><ul><li>Os investidores à energia renovável recebe a quantidade equivalente em ML que podem gastar nos negócios locais: aqueles com ML poderão trocar ML em dinheiro oficial quando vencer o prazo </li></ul><ul><li>Nunca implementado no Japão: devido a que o governo japonês estava contra energias renováveis </li></ul><ul><li>MAS NO BRASIL PODERIA FUNCIONAR: Não somente para energias renováveis mas também para outros projetos sociais </li></ul>
  27. 29. <ul><li>Anverso do cheque </li></ul>
  28. 30. <ul><li>Reverso do cheque </li></ul>
  29. 31. <ul><li>Qual foi o objetivo do desenho do nosso sistema atual? – Condenemos os seus falhos </li></ul><ul><li>Rumo à democracia econômica </li></ul><ul><li>Moedas sociais </li></ul><ul><li>Finanças alternativas </li></ul><ul><li>Conclusão e referência </li></ul>
  30. 32. <ul><li>O sistema monetário atual desenhado para explorar-nos: FECHEMOS AS VEIAS ABERTAS!! </li></ul><ul><li>Moedas sociais: ferramenta para fechar as veias abertas e criar o cricuito fechado de intercâmbio a nível local regional ou nacional </li></ul><ul><li>Finanças alternativas: para financiar os nossos próprios projetos </li></ul>
  31. 33. <ul><li>“ El Futuro del Dinero” (Bernard Lietaer, Longseller, Buenos Aires, 2005) </li></ul><ul><li>“ Dinero sin Inflacion ni Tasas de Interés” (Margrit Kennedy, Editorial del Nuevo Extremo, Buenos Aires) http://issuu.com/margritkennedy/docs/bue_spa_dinero </li></ul><ul><li>“ Monedas regionales” (Bernard Lietaer y Margrit Kennedy, La Hidra de Lerna Ediciones, Madrid) </li></ul><ul><li>“ Vivir sin empleo” (Julio Gisbert Quero,Los Libros del Lince, Barcelona) </li></ul><ul><li>“ Las Monedas Sociales” (Francisco Joaquín Cortés García, Cajamar, Almería (Espanha)) http://www.cajadeltiempo.org/boletin/04_FINANZAS_ETICAS.pdf </li></ul>
  32. 34. <ul><li>“ Money: Understanding and Creating Alternatives to Legal Tender” (Thomas Greco, Chelsea Green Publishing Company, 2001) </li></ul><ul><li>“ The Ecology of Money” (Richard Douthwaite, Green Books, 2000) </li></ul><ul><li>“ No More Throw-Away People: The Co-Production Imperative” (Edgar Cahn) </li></ul><ul><li>” Healthy Money, Healthy Planet” (Deirdre Kent, Craig Potton, NZ, 2006) </li></ul>
  33. 35. <ul><li>http://www.socialtrade.org/ (Página de STRO, uma ONG holandesa com muita presença na América Latina) </li></ul><ul><li>http://www.margritkennedy.de/ </li></ul><ul><li>http://www.reinventingmoney.com/ (Página oficial do Prof. Thomas Greco) </li></ul><ul><li>http://www.complementarycurrency.org/ (mais info sobre iniciativas no mundo) </li></ul><ul><li>http://www.le.org.nz/ (uma ONG da Nova Zelândia) </li></ul><ul><li>http://www.monetary-regionalisation.com/ (página web para a conferência em Weimar, Alemanha em sep de 2006) </li></ul><ul><li>http://www.global-community.org/ (onde pode-se descarregar a Guia de Moedas Comunitárias gratis) </li></ul><ul><li>http://www.regiogeld.de/ (uma associação alemã de iniciativas de moedas regionais) </li></ul><ul><li>http://www.redlases.org.ar/ (Rede Latinoamericana de Economia Solidária) </li></ul>
  34. 36. <ul><li>“ La Double Face de la Monnaie” (em espanhol etc.): http://www.lamare.org/ </li></ul><ul><li>“ El dinero es Deuda” (Money as Debt): http://video.google.com/videoplay?docid=297944284192645565# </li></ul>
  35. 37. <ul><li>Muito obrigado pela sua atenção. </li></ul><ul><li>http://www.olccjp.net/ </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>skype: migjp2003 </li></ul>

×