<ul><li>Sinfonia da Natureza </li></ul><ul><li>Oriza Martins </li></ul><ul><li>Água  </li></ul><ul><li>um bem essencial, s...
Tens a força, a beleza, o poder da Natureza, encantando os olhos meus... Cachoeira de delícias, esparramando as carícias, ...
Dão-se as folhas do outono a um doce abandono, espalhadas pelo chão... Profusão de nostalgia, num até-breve à alegria e às...
Nem o frio do inverno diminui o doce, o terno, carinho da Natureza, que compensa tal rigor nos mostrando com amor este esp...
Deus nos deu tanta riqueza terra, magia e beleza, pra cuidar do que ela tem... Porque da mãe-Natureza, somos todos, com ce...
As perdas não lamentemos, pois as trilhas que vivemos renovam-se a cada era: ...se no outono a folha cai, uma outra, é cer...
E assim, sigo curtindo estes ciclos do destino, sem pressa, até devagar... Mais importa o caminhar  que o porto logo alcan...
Consiste em querer trilhar  na tempestade ou bonança,  as veredas da esperança,  ainda que ande sozinho,  e em saber aprec...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sinfonia da natureza

304 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
304
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sinfonia da natureza

  1. 1. <ul><li>Sinfonia da Natureza </li></ul><ul><li>Oriza Martins </li></ul><ul><li>Água </li></ul><ul><li>um bem essencial, sagrado manancial, </li></ul><ul><li>miragens de luz e cor... </li></ul><ul><li>Torna a Terra colorida, água é fonte da vida, e vida é fonte de amor... </li></ul>
  2. 2. Tens a força, a beleza, o poder da Natureza, encantando os olhos meus... Cachoeira de delícias, esparramando as carícias, que brotam das mãos de Deus... Natureza abençoada, noite, dia ou na alvorada seja qual for a estação, nos acolhes em teu seio, somos parte de teu meio, corpo, alma e coração...
  3. 3. Dão-se as folhas do outono a um doce abandono, espalhadas pelo chão... Profusão de nostalgia, num até-breve à alegria e às cores do verão...
  4. 4. Nem o frio do inverno diminui o doce, o terno, carinho da Natureza, que compensa tal rigor nos mostrando com amor este esplendor de beleza!
  5. 5. Deus nos deu tanta riqueza terra, magia e beleza, pra cuidar do que ela tem... Porque da mãe-Natureza, somos todos, com certeza, diletos filhos também.
  6. 6. As perdas não lamentemos, pois as trilhas que vivemos renovam-se a cada era: ...se no outono a folha cai, uma outra, é certo, vai, renascer na primavera...
  7. 7. E assim, sigo curtindo estes ciclos do destino, sem pressa, até devagar... Mais importa o caminhar que o porto logo alcançar. Porque a sabedoria do sonhador peregrino não consiste em chegar depressa a seu destino.
  8. 8. Consiste em querer trilhar na tempestade ou bonança, as veredas da esperança, ainda que ande sozinho, e em saber apreciar as belezas do caminho... Oriza Martins/2007 Música: Albert W. Ketélbey_No jardim de um mosteiro Formatação: [email_address] www.pranos.com.br

×