SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário,  nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras;
E OS HABITANTES DA MATA, ESSAS CRIATURAS NATURAIS QUE AINDA CIRCULAM PELO AR E PELO CHÃO, COMEÇAM A PREPARAR SUA VIDA PARA A PRIMAVERA QUE CHEGA.
FINOS CLARINS QUE NÃO OUVIMOS DEVEM SOAR POR DENTRO DA TERRA, NESSE MUNDO  CONFIDENCIAL DAS RAÍZES, - E ARAUTOS SUTIS ACORDARÃO  AS CORES E OS PERFUMES E A  ALEGRIA DE NASCER,  NO ESPÍRITO DAS FLORES.
HÁ BOSQUES DE RODODENDROS QUE ERAM  VERDES E JÁ ESTÃO TODOS COR-DE-ROSA COMO OS PALÁCIOS DE JEIPUR.
VOZES NOVAS DE PASSARINHOS COMEÇAM A ENSAIAR AS ÁRIAS TRADICIONAIS DE SUA NAÇÃO.
PEQUENAS  BORBOLETAS  BRANCAS E AMARELAS APRESSAM-SE PELOS ARES, - E CERTAMENTE CONVERSAM; MAS TÃO BAIXINHO QUE NÃO SE ENTENDE.
Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.
ESTA É UMA PRIMAVERA DIFERENTE, COM AS MATAS INTACTAS, AS ÁRVORES COBERTAS DE FOLHAS, E SÓ OS POETAS, ENTRE OS HUMANOS, SABEM QUE UMA DEUSA CHEGA COROADA DE FLORES, COM VESTIDOS BORDADOS  DE FLORES, COM OS BRAÇOS CARREGADOS DE FLORES E  VÊM DANÇAS NESTE MUNDO CÁLIDO DE INCESSANTE LUZ.
Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação. Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu.
E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que outrora se entendeu e amou.
Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos;
e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.
Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera.  CLAUDIA MADEIRA SITE:  www.corepoesia.com   TEXTO: CECÍLIA MEIRELES IMAGENS:WEBSHOT E HUMAN&NATURE SOM:”PRIMAVERA” DE VIVALDI

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Um arco-iris-mto-especial-para-ti
Um arco-iris-mto-especial-para-tiUm arco-iris-mto-especial-para-ti
Um arco-iris-mto-especial-para-tiDulcelenacosta
 
Flor De Maracujá
Flor De MaracujáFlor De Maracujá
Flor De Maracujájmeirelles
 
Rosalia nrea
Rosalia nreaRosalia nrea
Rosalia nreasilledaef
 
Feliz aniversário
Feliz aniversárioFeliz aniversário
Feliz aniversárioCacau Hata
 
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.³
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.³Sugestões nomes de grupos Evangélicos.³
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.³Joemille Leal
 
Equinócio da primavera
Equinócio da primaveraEquinócio da primavera
Equinócio da primaveraHelio Cruz
 

Mais procurados (9)

Letras galegas 2012
Letras galegas 2012Letras galegas 2012
Letras galegas 2012
 
Um arco-iris-mto-especial-para-ti
Um arco-iris-mto-especial-para-tiUm arco-iris-mto-especial-para-ti
Um arco-iris-mto-especial-para-ti
 
Cândido portinari
Cândido portinariCândido portinari
Cândido portinari
 
Flor De Maracujá
Flor De MaracujáFlor De Maracujá
Flor De Maracujá
 
Dançando no ar
Dançando no arDançando no ar
Dançando no ar
 
Rosalia nrea
Rosalia nreaRosalia nrea
Rosalia nrea
 
Feliz aniversário
Feliz aniversárioFeliz aniversário
Feliz aniversário
 
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.³
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.³Sugestões nomes de grupos Evangélicos.³
Sugestões nomes de grupos Evangélicos.³
 
Equinócio da primavera
Equinócio da primaveraEquinócio da primavera
Equinócio da primavera
 

Destaque

Arreglando el mundo del comercio en hora y media
Arreglando el mundo del comercio en hora y mediaArreglando el mundo del comercio en hora y media
Arreglando el mundo del comercio en hora y mediaAMASTE
 
A Morte De Mozart
A Morte De MozartA Morte De Mozart
A Morte De Mozartklaudia60
 
Gostar E Tao Facil
Gostar E Tao FacilGostar E Tao Facil
Gostar E Tao Facilklaudia60
 
Mar Desconhecido
Mar DesconhecidoMar Desconhecido
Mar Desconhecidoklaudia60
 

Destaque (7)

Arreglando el mundo del comercio en hora y media
Arreglando el mundo del comercio en hora y mediaArreglando el mundo del comercio en hora y media
Arreglando el mundo del comercio en hora y media
 
Fedra
FedraFedra
Fedra
 
A Morte De Mozart
A Morte De MozartA Morte De Mozart
A Morte De Mozart
 
Gostar E Tao Facil
Gostar E Tao FacilGostar E Tao Facil
Gostar E Tao Facil
 
Mar Desconhecido
Mar DesconhecidoMar Desconhecido
Mar Desconhecido
 
A Flor Rara
A Flor RaraA Flor Rara
A Flor Rara
 
Spasticity
SpasticitySpasticity
Spasticity
 

Semelhante a Primavera

Semelhante a Primavera (14)

Primavera Cecília Meirelles Final
Primavera   Cecília Meirelles   FinalPrimavera   Cecília Meirelles   Final
Primavera Cecília Meirelles Final
 
Medidas De Tempo
Medidas De TempoMedidas De Tempo
Medidas De Tempo
 
Medidas De Tempo!
Medidas De Tempo!Medidas De Tempo!
Medidas De Tempo!
 
A LiçãO Das Coisas (Beth Norling)
A LiçãO Das Coisas (Beth Norling)A LiçãO Das Coisas (Beth Norling)
A LiçãO Das Coisas (Beth Norling)
 
Poema da semana
Poema da semanaPoema da semana
Poema da semana
 
Poema da semana
Poema da semanaPoema da semana
Poema da semana
 
Senzala salvador gentile
Senzala   salvador gentileSenzala   salvador gentile
Senzala salvador gentile
 
Outono turma 5
Outono turma 5Outono turma 5
Outono turma 5
 
Liçao das coisas
Liçao das coisasLiçao das coisas
Liçao das coisas
 
Liçao das coisas
Liçao das coisasLiçao das coisas
Liçao das coisas
 
Canção do exílio intertextualidade
Canção do exílio   intertextualidadeCanção do exílio   intertextualidade
Canção do exílio intertextualidade
 
Bn Ad A LiçãO Das Coisas
Bn Ad A LiçãO Das CoisasBn Ad A LiçãO Das Coisas
Bn Ad A LiçãO Das Coisas
 
O gaucho
O gauchoO gaucho
O gaucho
 
José de Alencar - O Gaúcho
José de Alencar - O GaúchoJosé de Alencar - O Gaúcho
José de Alencar - O Gaúcho
 

Mais de klaudia60

Eros E Psique
Eros E PsiqueEros E Psique
Eros E Psiqueklaudia60
 
Um Encontro E Duas Visoes
Um Encontro E Duas VisoesUm Encontro E Duas Visoes
Um Encontro E Duas Visoesklaudia60
 
Um Conto Chines
Um Conto ChinesUm Conto Chines
Um Conto Chinesklaudia60
 
Teresa A Flor De Jesus
Teresa A Flor De JesusTeresa A Flor De Jesus
Teresa A Flor De Jesusklaudia60
 
Ter Ou Nao Ter Namorado
Ter Ou Nao Ter NamoradoTer Ou Nao Ter Namorado
Ter Ou Nao Ter Namoradoklaudia60
 
Soneto Do Amor Total
Soneto Do Amor TotalSoneto Do Amor Total
Soneto Do Amor Totalklaudia60
 
Tempo Perdido
Tempo PerdidoTempo Perdido
Tempo Perdidoklaudia60
 
Taj Mahal O Tumulo Do Amor
Taj Mahal O Tumulo Do AmorTaj Mahal O Tumulo Do Amor
Taj Mahal O Tumulo Do Amorklaudia60
 
So A Natureza E Divina
So A Natureza E DivinaSo A Natureza E Divina
So A Natureza E Divinaklaudia60
 
Sete Anos De Pastor Jaco Servia
Sete Anos De Pastor Jaco ServiaSete Anos De Pastor Jaco Servia
Sete Anos De Pastor Jaco Serviaklaudia60
 
Servindo A Deus
Servindo A DeusServindo A Deus
Servindo A Deusklaudia60
 
Saudade Pablo Neruda
Saudade Pablo NerudaSaudade Pablo Neruda
Saudade Pablo Nerudaklaudia60
 
Santa Helena
Santa HelenaSanta Helena
Santa Helenaklaudia60
 
Salmo De Davi
Salmo De DaviSalmo De Davi
Salmo De Daviklaudia60
 
Robert Clara E A Fantasia Em Do
Robert Clara E A Fantasia Em DoRobert Clara E A Fantasia Em Do
Robert Clara E A Fantasia Em Doklaudia60
 
Quadras Fernando Pessoa
Quadras Fernando PessoaQuadras Fernando Pessoa
Quadras Fernando Pessoaklaudia60
 

Mais de klaudia60 (20)

Eros E Psique
Eros E PsiqueEros E Psique
Eros E Psique
 
Um Encontro E Duas Visoes
Um Encontro E Duas VisoesUm Encontro E Duas Visoes
Um Encontro E Duas Visoes
 
Um Dia
Um DiaUm Dia
Um Dia
 
Um Conto Chines
Um Conto ChinesUm Conto Chines
Um Conto Chines
 
Teresa A Flor De Jesus
Teresa A Flor De JesusTeresa A Flor De Jesus
Teresa A Flor De Jesus
 
Ter Ou Nao Ter Namorado
Ter Ou Nao Ter NamoradoTer Ou Nao Ter Namorado
Ter Ou Nao Ter Namorado
 
Soneto Do Amor Total
Soneto Do Amor TotalSoneto Do Amor Total
Soneto Do Amor Total
 
Tempo Perdido
Tempo PerdidoTempo Perdido
Tempo Perdido
 
Taj Mahal O Tumulo Do Amor
Taj Mahal O Tumulo Do AmorTaj Mahal O Tumulo Do Amor
Taj Mahal O Tumulo Do Amor
 
So A Natureza E Divina
So A Natureza E DivinaSo A Natureza E Divina
So A Natureza E Divina
 
Sherazade
SherazadeSherazade
Sherazade
 
Sete Anos De Pastor Jaco Servia
Sete Anos De Pastor Jaco ServiaSete Anos De Pastor Jaco Servia
Sete Anos De Pastor Jaco Servia
 
Servindo A Deus
Servindo A DeusServindo A Deus
Servindo A Deus
 
Saudade Pablo Neruda
Saudade Pablo NerudaSaudade Pablo Neruda
Saudade Pablo Neruda
 
Santa Helena
Santa HelenaSanta Helena
Santa Helena
 
Salmo De Davi
Salmo De DaviSalmo De Davi
Salmo De Davi
 
Prometeu
PrometeuPrometeu
Prometeu
 
Robert Clara E A Fantasia Em Do
Robert Clara E A Fantasia Em DoRobert Clara E A Fantasia Em Do
Robert Clara E A Fantasia Em Do
 
Quando Eu
Quando EuQuando Eu
Quando Eu
 
Quadras Fernando Pessoa
Quadras Fernando PessoaQuadras Fernando Pessoa
Quadras Fernando Pessoa
 

Primavera

  • 1. A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras;
  • 2. E OS HABITANTES DA MATA, ESSAS CRIATURAS NATURAIS QUE AINDA CIRCULAM PELO AR E PELO CHÃO, COMEÇAM A PREPARAR SUA VIDA PARA A PRIMAVERA QUE CHEGA.
  • 3. FINOS CLARINS QUE NÃO OUVIMOS DEVEM SOAR POR DENTRO DA TERRA, NESSE MUNDO CONFIDENCIAL DAS RAÍZES, - E ARAUTOS SUTIS ACORDARÃO AS CORES E OS PERFUMES E A ALEGRIA DE NASCER, NO ESPÍRITO DAS FLORES.
  • 4. HÁ BOSQUES DE RODODENDROS QUE ERAM VERDES E JÁ ESTÃO TODOS COR-DE-ROSA COMO OS PALÁCIOS DE JEIPUR.
  • 5. VOZES NOVAS DE PASSARINHOS COMEÇAM A ENSAIAR AS ÁRIAS TRADICIONAIS DE SUA NAÇÃO.
  • 6. PEQUENAS BORBOLETAS BRANCAS E AMARELAS APRESSAM-SE PELOS ARES, - E CERTAMENTE CONVERSAM; MAS TÃO BAIXINHO QUE NÃO SE ENTENDE.
  • 7. Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.
  • 8. ESTA É UMA PRIMAVERA DIFERENTE, COM AS MATAS INTACTAS, AS ÁRVORES COBERTAS DE FOLHAS, E SÓ OS POETAS, ENTRE OS HUMANOS, SABEM QUE UMA DEUSA CHEGA COROADA DE FLORES, COM VESTIDOS BORDADOS DE FLORES, COM OS BRAÇOS CARREGADOS DE FLORES E VÊM DANÇAS NESTE MUNDO CÁLIDO DE INCESSANTE LUZ.
  • 9. Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação. Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu.
  • 10. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que outrora se entendeu e amou.
  • 11. Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos;
  • 12. e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.
  • 13. Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera. CLAUDIA MADEIRA SITE: www.corepoesia.com TEXTO: CECÍLIA MEIRELES IMAGENS:WEBSHOT E HUMAN&NATURE SOM:”PRIMAVERA” DE VIVALDI