Automação Comercial - Loja de materiais de construção

8.683 visualizações

Publicada em

Automação comercial em uma loja de materiais de construção: Benefícios, Pontos importantes, Adoção do sistema para automatização, Planejamento, Etapas de planejamento e implementação

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.683
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
114
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Automação Comercial - Loja de materiais de construção

  1. 1. AUTOMAÇÃO COMERCIAL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO EM UMA LOJA DE Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  2. 2. Lojas Em geral são parecidas  Problemas Similares <ul><ul><li>Milhares de items parecidos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Falta de identificação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Falta de controle dos produtos vendidos;  </li></ul></ul><ul><ul><li>Grande diversidade de medida (metro/quadrado/ cubico, sacos, milheiros, etc) </li></ul></ul>Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  3. 3. BENEFÍCIOS    AUTOMAÇÃO Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  4. 4. BE NEFÍCIOS Next <ul><ul><li>Tabela única de preços com detalhes que auxiliam a disposição dos produtos na loja. </li></ul></ul><ul><ul><li>Facilidade para fazer orçamentos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Controle e reposição do estoque programados; </li></ul></ul><ul><ul><li>Disponibilidade de informações em tempo real (de estoque a relatórios). </li></ul></ul>Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  5. 5. PONTOS IMPORTANTES <ul><li>Considerar antes da automação: </li></ul><ul><ul><li>Comunicação </li></ul></ul><ul><ul><li>Depósito </li></ul></ul><ul><ul><li>Administração </li></ul></ul><ul><ul><li>Caixa </li></ul></ul><ul><ul><li>Área de Vendas </li></ul></ul>Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  6. 6.   COMUNICAÇÃO Compreende toda a transmissão e recepção de dados entre os diversos dispositivos da loja, L igados a uma rede (cabo ou radiofrequência) Matriz (meios eletronicos -   Electronic Data Interchange (EDI) e Internet) Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  7. 7. DEPÓSITO Operações de recebimento, armazenagem e distribuição dos produtos. Entrada e saída: por scanners ou digitados. A entrada dos produtos em granel pode ser feita de acordo com sua unidade de medida padrão. Os Scanners registram a entrada e saída de produtos, ou então deverá ser digitada a nota fiscal ou recebida por meio eletrônico. O registro de entrada/saída dos produtos deve ser feita  no momento  em que são movimentados. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  8. 8. ADMINISTRAÇÃO <ul><li>Na administração é possível recuperar: </li></ul><ul><ul><li>Quais produtos foram os mais vendidos  </li></ul></ul><ul><ul><li>Em qual época do ano que houve as melhores vendas.  </li></ul></ul><ul><li>Outros pontos:  </li></ul><ul><ul><li>Quais vendedores que fizeram mais vendas </li></ul></ul><ul><ul><li>Quais foram realmente efetivados </li></ul></ul><ul><ul><li>Possibilidade de criar estratégias de reposição de estoque, maximização  de lucros e desempenho de funcionários. </li></ul></ul>Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  9. 9. CAIXA O vendedor da loja gera um cupom que é entregue ao cliente, especificando os produtos que o cliente deseja comprar.  O caixa recebe este cupom, registrando no PDV a venda, atualizando instantaneamente os produtos que foram vendidos. Caso o PDV esteja conectado a uma impressora fiscal, a internet, a máquinas de cartão de créditos/débito, o cliente possui diversas opções e pagamento e a nota fiscal eletrônica pode ser gerada automaticamente, atendendo a legislação. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  10. 10. Vendas <ul><li>É importante a existência de microcomputadores ou de outro tipo de terminal de venda, e de impressoras; </li></ul><ul><li>Assim, os vendedores podem: </li></ul><ul><ul><li>Fazer uma consulta ao estoque;  </li></ul></ul><ul><ul><li>Criar uma cotação dos produtos ; </li></ul></ul><ul><ul><li>e finalmente fazer a pré-venda.  </li></ul></ul><ul><li>Quando a venda é concluída, o vendedor registra pelo leitor de código de barras os produtos que foram vendidos. </li></ul><ul><li>Quando os mesmo são a granel, o ideal é possuir uma tabela no próprio computador. </li></ul>Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  11. 11. Deve atender alguns casos específicos: Quando  a loja decide fazer uma promoção de algum tipo de kit.  É necessário saber o preço individual de cada produto para que a loja não saia com prejuízo. Outro ponto: É o controle exato sobre produtos  (como por exemplo areia, pedra e cimento) visto que são produtos difíceis de se contar a saída e entrada. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  12. 12. Adoção do sistema  para automatização Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  13. 13. ADOÇÃO DO SISTEMA É bom escolher um sistema que tenha sido desenvolvido especificamente para o setor de materiais de construção. Durante a adoção, mas antes de entrar em uso efetivo, todos os produtos devem ser codificados.   Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  14. 14. ETAPAS      Para que a implantação seja concretizada de forma correta e sem empecilhos, não pode haver pressa, sendo necessário seguir passo-a-passo, sendo eles: 1ª Etapa: Planejamento 2ª Etapa: Uma fundação segura 3ª Etapa: Prepare a massa 4ª Etapa: Levantando a primeira parede 5ª Etapa: Acerte na escolha 6ª Etapa: Bloco por bloco 7ª Etapa: O software 8ª Etapa: Escolha dos equipamentos 9ª Etapa: Mão na massa 10ª Etapa: Pende no acabamento 11ª Etapa: Treinamento 12ª Etapa: Prepare a coluna 13ª Etapa: Segurança 14ª Etapa: Comece a pintura 15ª Etapa: De casa nova Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  15. 15. 1ª Etapa: Planejamento   É preciso saber quais metas que são pretendidas e qual o valor disponível para ser investido na automação. No Planejamento é preciso descrever as metas de trabalho e os objetivos pretendidos com a implantação da automação. Um profissional deve ser responsável pela supervisão pela implantação, sendo que deve ser um funcionário ou alguma outra pessoa que entenda como a loja funciona. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  16. 16. 2ª Etapa: Uma fundação segura Deverá ser feito uma descrição completa de como que a loja funciona. ( a parte de vendas, o estoque, etc ), servindo para identificar os pontos mais críticos do negócio e que precisam de atenção redobrada.   Após tudo ser definido, é preciso escolher por ordem de importância as áreas a serem atendidas primeiro. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  17. 17. 3ª Etapa: Prepare a massa Para que o processo de implantação da automação comercial tenha sucesso, os profissionais da empresa precisam estar envolvidos, eles deverão receber orientação e treinamento sobre a automação e como podem colaborar no processo. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  18. 18. 4ª Etapa: Levantando a primeira parede O dever do contratante é ficar responsável por como que a loja funciona e orientar o a pessoa contratada quanto a isso, e não orientar como que a automação deverá ser feita, pois para isso existe o profissional da automação. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  19. 19. 5ª Etapa: Acerte na escolha A escolha de qual sistema a ser adotado.  Antes de fazer a escolha, visite outros estabelecimentos que utilizam alguma das soluções apresentadas, tire referencias no mercado e acompanhe a demonstração de funcionamento do sistema desejado. Leve em conta os serviços prestados, a manutenção e o suporte, não apenas o preço. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  20. 20. 6ª Etapa: Bloco por bloco Após a escolha do sistema, é necessário fazer um cronograma das atividades a serem seguidas, onde será definido quais as primeiras áreas a serem adotadas. Crie um cronograma em que as áreas possam ser automatizadas gradativamente, não criando a dependência de uma área com a outra. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  21. 21. 7ª Etapa: O software   O software escolhido deve ser desenvolvido especificamente para a área de atuação a loja. Ele deve suportar o orçamento de produtos baseados em sacos, em milheiros, etc.,  Caso a loja seja apenas uma entre outras da mesma rede, é interessante suportar o controle de diversas lojas simultaneamente. Deve possuir o recurso de consulta de clientes em instituições de cobranças. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  22. 22. 8ª Etapa: Escolha dos equipamentos <ul><li>Após a escolha do software, é necessário a escolha do hardware que se adeque ao software. Alguns hardwares disponíveis são: </li></ul><ul><ul><li>Microterminais,  </li></ul></ul><ul><ul><li>impressoras fiscais e não-fiscais,  </li></ul></ul><ul><ul><li>PinPad's, emissor de cupom fiscal,  </li></ul></ul><ul><ul><li>leitor de código de barras,  </li></ul></ul><ul><ul><li>PDV's ou caixas registradoras,  </li></ul></ul><ul><ul><li>impressora de cheques, etc. </li></ul></ul>Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  23. 23.   9ª Etapa: Mão na massa Seguindo o planejamento e o cronograma previamente elaborados, agora é a hora de iniciar a implantação do sistema. Faça apenas o que estiver dentro do prazo e orçamento estipulado, dê prioridade às áreas mais críticas da loja.  Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  24. 24. 10ª Etapa: Pende no acabamento Com a automação sendo implantada, talvez seja necessário alguma mudança física na loja, como disposição dos balcões de vendas, instalação elétrica para os equipamentos, etc. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  25. 25. 11ª Etapa: Treinamento De nada adianta um sistema que consiga gerencias a loja completamente se seus funcionários não souberem opera-lo.  Reserve um pouco do prazo e do orçamento  para treina-los. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  26. 26. 12ª Etapa: Prepare a coluna <ul><li>Nesta parte é feita a preparação da loja para a utilização do sistema, como:  </li></ul><ul><ul><li>codificação dos produtos,  </li></ul></ul><ul><ul><li>instalação dos microtermianis e demais hardwares,  </li></ul></ul><ul><ul><li>levantamento do inventário,  </li></ul></ul><ul><ul><li>a montagem inicial do banco de dados,  </li></ul></ul><ul><ul><li>cadastros gerais ( de funcionários, fornecedores, clientes, custos, etc. ). </li></ul></ul>Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  27. 27. 13ª Etapa: Segurança   Como prevensão, utilize alguma medida de segurança para seu sistema, como backup's do banco de dados e microterminais redundantes e no-breaks para quedas de energia. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  28. 28. 14ª Etapa: Comece a pintura   Primeiramente a implantação da automação devera atender o estoque, controlando os códigos dos produtos e suas quantidades. Após, deverá ser implantado a parte administrativa ( contas a pagar e receber, compras de fornecedores, relatório de vendas, etc ). E finalmente, deverá ser implantado a automação no caixa, onde será instalado as máquians registradoras e seus periféricos. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009
  29. 29. 15ª Etapa: De casa nova Mesmo com o sistema de automação  implantado, não dispense o profissional responsável.  Componentes dão problemas e alterações no sistema acontecerão, portanto esta pessoa ainda o ajudará bastante.  É importante manter um relacionamento de parceria com o seu fornecedor. E lembre-se, processos de acompanhamento, assistência técnica, manutenção e atualização do sistema precisam estar previstos no contrato. Igor Botani Gonçalves - UNITAU - 2009

×