O comércio eletrônico

4.435 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

O comércio eletrônico

  1. 1. NOMES: CARMEN SANTOS MARCO FIGUEIRA TURMA:3IN1 Prof.ª: MARCELA MATERIA: INFORMATICA NA SOCIEDADE *COMÉRCIO ELETRONICO* COLEGIO PROTASIO ALVES
  2. 2. Comércio eletrônico (e-commerce) é a realização de transações de compras e transferências de fundos eletronicamente, especialmente através da Internet. Antes da Internet, já havia “comércio eletrônico”, entre empresas, com o uso de EDI (Electronic Data Interchange). Definição:
  3. 3. Tecnologia EDI: •troca eletrônica de documentos comerciais entre os computadores de 2 empresas; •os dados são informados em formato padrão; •o envio e o processamento de documentos é feito de forma automática; •no Brasil, este serviço já existe a algum tempo, como a RENPAC.
  4. 4. O e-commerce é parte integrante do e-business. Vai fazer a conexão eletrônica entre a empresa e o cliente, seguindo a estratégia estabelecida pelo e-business. e-business x e-commerce
  5. 5.  Marketing  Vendas  Pagamento  Atendimento  Logística de distribuição  Suporte O e-business abrange:
  6. 6. Business to Business (B2B): comércio praticado por fornecedores e clientes empresariais, ou seja de empresa para empresa; Business to consumer (B2C),: Negociação Eletrônica entre empresas e consumidores. Esta modalidade representa a virtualização da compra e venda. A diferença é que as pessoas escolhem e pagam os produtos pela internet. TIPOS:
  7. 7. Consumers to bussines(C2B): Negociação Eletrônica entre consumidores e empresas. E o reverso doB2C, também chamado de leilão reverso. Acontece quando consumidores vendem para empresas. Consumer to Consumer(C2C): Comércio eletrônico entre usuários particulares da Internet. A comercialização de bens ou serviços não envolve produtores e sim consumidor final com consumidor final, sem intermediários;
  8. 8. Government to consumers (G2C): Comercio entre governos ,estadual, federal ou municipal e consumidores, por exemplo, o pagamento de impostos, multas e tarifas públicas; Government to Business(G2B): negócios entre governo e empresas, por exemplo: as compras pelo Estado através da internet por meio de licitações, tomada de preços, etc.
  9. 9. Customer Relationship Management (CRM): é um termo usado para o gerenciamento do relacionamento com o client. CRM é uma estratégia de negócio voltada ao entendimento e antecipação das necessidades e potenciais de uma empresa. SUPPLY CHAIN MANAGEMENt (SCM): No comercio eletrônico, o SCM tem como característica a habilidade de obter suprimentos em qualquer lugar do mundo, ter uma estratégica global, centralizada, gerenciar informações entre empresas e setores e reconfigurar a cadeia de suprimentos desde a linha de produção até o cliente.
  10. 10. EFFICIENT CONSUMER RESPONSE (ECR): O ECR (Resposta Eficiente ao Consumidor) tem por objetivo a troca de informações entre a indústria e varejo, geralmente mais implementado no setor alimentício KNOWLEDGE MANAGEMENT (KM): Gestão do Conhecimento refere-se à criação, identificação, integração, recuperação, compartilhamento e utilização do conhecimento dentro da empresa. BUSINESS INTELIGENCE (BI): O BI tem como principal objetivo à integração dos aplicativos e tecnologias para extrair e analisar os dados corporativos de maneira simples, no formato correto e no tempo certo, para que a empresa possa tomar decisões melhores e mais rápidas, auxiliando os executivos em seus negócios.
  11. 11. Peer to Peer (P2P) : Consiste em pessoas compartilhando, normalmente de arquivos digitais , sem a necessidade do intermediador. Para isso ambas partes devem ter instalado um software que permita a busca e a posterior transferência dos arquivos. Este ramo de e-commerce possui baixíssimo retorno financeiro e muitas vezes é associado a pirataria e crimes virtuais. M-Commerce: Esta definição é relativamente nova e consiste em estabelecer uma transação comercial com o uso de um dispositivo móvel (celular, smartphone, tablet,…). Devido ao aumento de venda e utilização desses dispositivos, a consolidação deste tipo de comércio é uma aposta para um futuro próximo.
  12. 12. S-Commerce: Esta é a versão do comércio eletrônico que se preocupa com as redes sociais como forma de atrair e fidelizar o cliente, ou o e-commerce que faz uso da principal qualidade de uma rede social: o relacionamento entre pessoas, seja para opinião de um produto, divulgação de promoções, etc. T-Commerce: Esta modalidade de comércio eletrônico faz uso da TV Digital como meio de se vender produtos para os telespectadores. O telespectador pode a qualquer momento do programa na TV comprar o produto que está sendo exibido, seja por débito direto no cartão de crédito ou estabelecimento de um contato direto com o vendedor.
  13. 13.  maior comodidade para o cliente,  segurança e rapidez no pagamento das mercadorias,  diminuição dos impostos,  aumento dos lucros da empresa,  pesquisa de preço do produto,  redução da mão-de-obra,  comercialização em âmbito global. Vantagens do comercio eletrônico
  14. 14.  aumento do número de desemprego,  diminuição da qualidade dos produtos entregues aos clientes,  a principal desvantagem do Comércio Eletrônico ainda é a Segurança. Desvantagens do comercio eletrônico
  15. 15. A indústria de comércio eletrônico do Brasil vem se desenvolvendo rapidamente, como resultado do aumento no número de pessoas comprando produtos e serviços pela Internet. Segundo o estudo da A. T. Kearney Índice de e- Commerce de Varejo 2012, o Brasil é o segundo país emergente com maior potencial de crescimento para o comércio eletrônico no mundo. Crescimento do comercio eletrônico no Brasil:
  16. 16. Os e-comerciantes acreditam que o SET é mais seguro e que o comércio eletrônico fica mais eficiente com ele. Alguns têm trabalhado com sistemas com os quais o usuário imprime boletas na sua própria impressora e faz o pagamento no banco. No brasil:
  17. 17. Autorização automática do cartão de crédito. Torna desnecessário que o cliente informe o número do seu cartão para cada loja on-line em que compra; Tende a se tornar o padrão para transações financeiras on-line (é aberto e suportado por grandes empresas); Ainda não é usado em todos os sites de comércio eletrônico. SET:
  18. 18. Decreto n.º 7962/2013. As normas buscam principalmente permitir ao consumidor maior clareza na aquisição do produto ou serviço e segurança para resolver qualquer questão ligada ao negócio virtual. Lei da E-Commerce
  19. 19. http://www.b2winc.com/institucional http://www.ufpa.br/ http://homepages.dcc.ufmg.br http://ecommercenews.com.br/noticias/legislacao-noticias http://www.vlojas.com.br www.administradores.com.br http:www.universodalogistica.blogspot.com.br referencias

×