Bloco K - 11 Processos Essenciais Para o Seu Cliente se Preparar Já

995 visualizações

Publicada em

A partir de janeiro de 2016, todas as empresas industriais ou equiparadas a indústria que estão enquadradas no lucro presumido ou lucro real precisarão entregar o Bloco K, que é a versão digital do livro de registro de controle de produção e estoque.

A grande maioria das indústrias que terão esta obrigatoriedade ainda não está preparada e muitos gestores ou donos dessas empresas reclamam das dificuldades encontrada para o cumprimento desta nova exigência fiscal. Muitos contadores, apesar de conhecerem as informações que fazem parte da exigência, ainda desconhecem os processos necessários para atendê-la.

Assista ao nosso Webseminário e descubra como se preparar ainda este ano!

Publicada em: Economia e finanças

Bloco K - 11 Processos Essenciais Para o Seu Cliente se Preparar Já

  1. 1. Bloco K: 11 processos para seu cliente se preparar já Se você trabalha na indústria, esses processos são para você
  2. 2. Afinal, o que é o Bloco K do SPED? O Bloco K é a versão digital do livro de registro de controle de produção e estoque. A partir de janeiro de 2016, todas as empresas industriais ou equiparadas a indústria que estão enquadradas no lucro presumido ou lucro real precisarão entregar o Bloco K. Fique de olho, o cerco vai fechar! 2
  3. 3. Agenda Para atender o Bloco K uma indústria precisa dos seguintes processos: 3 1 a 4 • Cadastro de produtos; Cadastro de consumo específico; Registro de entradas e saídas; Separação de estoques 5 a 8 • Criação de ordens de produção; Registro de consumo; Registro de produção; Registro de outras produções; 9 a 11 • Controle de estoque; Registro de movimentações internas; Utilização de sistema informatizado com PCP
  4. 4. 1. Cadastro de produtos 4
  5. 5. 1. Cadastro de produtos • É fundamental que você confie no cadastro de produtos para não haver cadastros duplicados , triplicados... • Por exemplo, se houver um mesmo produto com 2 códigos diferentes no sistema, as entradas ou saídas serão feitas por diferentes códigos, tornando impossível ter precisão no controle de estoque • Cada produto precisa ser cadastrado de acordo com 1 dos 12 tipos especificados no SPED 5
  6. 6. 2. Cadastro de consumo específico
  7. 7. 2. Cadastro de consumo específico • O consumo específico representa os ingredientes da “receita do bolo” • Em sistemas de gestão, é conhecido como lista de material, bill of materials (BOM) ou outros nomes • É fundamental que o consumo específico seja preciso tanto nos materiais quanto nas quantidades necessárias • Não esqueça de definir as perdas padrão 7
  8. 8. 3. Registro de entradas e saídas
  9. 9. 3. Registro de entradas e saídas • Entradas e saídas de estoque são movimentações básicas como: entra matéria prima e sai produto acabado, diferente de um comércio, que o mesmo produto que entra é o que sai • Sem realizar esses registros não nem adianta pensar no Bloco K, pois são fundamentais para manter o estoque redondo 9
  10. 10. 4. Separação de estoques por CNPJ
  11. 11. 4. Separação de estoques por CNPJ • Processo crucial para empresas que trabalham com ou para terceiros; ou que têm mais de 1 CNPJ no mesmo endereço físico • Existem registros específicos no Bloco K que tratam a terceirização • O material comprado por um CNPJ não pode ser utilizado na OP de outro CNPJ sem que seja feito um registro fiscal desta movimentação 11
  12. 12. 5. Criação de ordens de produção
  13. 13. 5. Criação de ordens de produção • As ordens de produção (OP’s) são uma declaração do que a sua indústria produz • Em um sistema informatizado, as OPs podem ajudar muito a organização da indústria, podendo até ser geradas automaticamente • Você precisa informar o código da OP, datas inicial e final da OP, o código do produto fabricado e a quantidade produzida 13
  14. 14. 6. Registro da quantidade consumida
  15. 15. 6. Registro da quantidade consumida • Ao longo da produção, os insumos consumidos devem ser registrados com precisão • Dependendo do produto, são recomendadas balanças integradas • A quantidade consumida deve ser informada na hora em que o insumo sai do almoxarifado 15
  16. 16. 7. Registro da quantidade produzida
  17. 17. 7. Registro da quantidade produzida • Ao final da produção você deve informar a quantidade produzida com precisão • Novamente, dependendo do produto, é recomendada a utilização de balanças de precisão integradas • A quantidade produzida deve ser informada no momento em que a OP é concluída 17
  18. 18. 8. Registro de outras produções
  19. 19. 8. Registro de outras produções • Além das OPs dos produtos acabados, você deverá informar outras produções em OPs específicas • Produto semiacabado, chamado pelo SPED de produto em processo, em geral é produzido e armazenado para agilizar o atendimento ao cliente ou para organizar melhor a produção • Coproduto, conceito utilizado em diversos sistemas de gestão e não declarado no SPED como um tipo de produto, pode ser um produto acabado ou um produto em processo gerado em uma OP de outro produto • Subproduto, produto com valor econômico gerado na produção, mas que não faz parte do CNAE principal 19
  20. 20. 9. Controle de estoque confiável
  21. 21. 9. Controle de estoque confiável • A quantidade em estoque informada no sistema de gestão deve ser igual ou muito próxima da quantidade real • Todas as movimentações no sistema devem ser feitas com precisão e em tempo real • Inventários periódicos devem ajustar desvios 21
  22. 22. 10. Registro de movimentações internas
  23. 23. 10. Registro de movimentações internas • São todas as movimentações de materiais que não se enquadram nos processos listados anteriormente, por exemplo: • Reclassificação de um produto em outro código em função do cliente a que se destina • Produto configurado de acordo com a demanda do cliente e que deve ter um código único (móveis sob medida, automóveis etc.) • Produto organizado no conceito de grade • Produto com mais de uma receita precisará ser recodificado 23
  24. 24. 11. Utilização de sistema com PCP
  25. 25. 11. Utilização de sistema com PCP • É fundamental a utilização de um sistema de gestão informatizado com PCP que integre todos os processos e gere o arquivo do Bloco K do SPED Fiscal no layout especificado pela Receita Federal • São tantas informações cruzadas que é praticamente impossível entregar o Bloco K sem um sistema adequado 25
  26. 26. Conte com a nossa ajuda
  27. 27. 27 Nibo é uma ferramenta de gestão financeira para a pequena e média empresa brasileira. O software online é fácil de usar e não tem custo de implementação. Com Nibo, você pode planejar seu fluxo de caixa com segurança, armazenar seus documentos de forma organizada e enviar seus documentos contábeis para seu contador com agilidade. Conheça o Nibo, acesse: nibo.com.br nibo.com.br/blog Acompanhe o Nibo:
  28. 28. 28 A Nomus é uma empresa criada por engenheiros de produção e especializada em gestão industrial criando softwares e serviços para indústria de manufatura. Com os softwares Nomus sua indústria pode controlar toda a sua gestão com segurança e precisão. Os sistemas contam com módulos como o controle da produção, chão de fábrica, expedição de produtos, programação fina, controle de qualidade e análise de painéis de desempenho. Conheça a Nomus, acesse: nomus.com.br nomus.com.br/blog-industrial Acompanhe a Nomus:
  29. 29. Compartilhe o conhecimento
  30. 30. Compartilhe o conhecimento Se você gostou desta apresentação e ela te ajudou de alguma forma, compartilhe clicando nos botões abaixo e ajude outros profissionais a superarem o desafio do Bloco K: 30

×