Boletim Informativo da                            Novembro /Dezembro de 2010                                              ...
8 –    L i t e r a t u r a    ( I n f a n t i l    e    I n f a n t o -  j u v e n i l ,     L i t e r a t u r a        E ...
Lewis Carol- “As Aventuras de Alice no País das Maravilhas e Ali-                   ce do outro Lado do Espelho”, Relógio ...
Rosário Alçada Araújo- “A Rosinha, o Mar e os Sonhos”,Edições Gailivro, 2005Quando uma chave de cobre vai parar a seus pés...
Mês Internacional das Bibliotecas Escolares                     Centenário da República – Exposição Lixa Centenária       ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Boletim Informativo 1

750 visualizações

Publicada em

Boletim informativo 1 da Biblioteca do Agrupamento Dr. Leonardo Coimbra - Lixa

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
750
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boletim Informativo 1

  1. 1. Boletim Informativo da Novembro /Dezembro de 2010 Biblioteca 1 A G R U P A M E N T O D R . L E O N A R D O C O I M B R A — L I X A B i b l i o t e c a d o A g r u p a m e n t o“Sempre imaginei que o paraíso seráuma espécie de biblioteca.” Jorge Luís Borges Exposição Lixa Centenária, de Outubro a Dezembro de 2010 A Senhora Leitura‖, rainha da festa, que nunca se deixou perder de N E S T A E D I Ç Ã O : vista,do alto do seu largo e confortável trono (leia-se estantes), pis-Visita do Escri- 2 cando o olho aos meninos, para que a levassem para casa, para as Tor Sá Gué aulas, para onde quisessem celebrá-la....‖ Referências 2 Bibliográficas Professoras Bibliotecárias Anabela e Brígida Sites 2 interessantesPróximas activi- 3 dadesBlogue do PNL:pnllxa.blogspot.com
  2. 2. 8 – L i t e r a t u r a ( I n f a n t i l e I n f a n t o - j u v e n i l , L i t e r a t u r a E s t r a n g e i r a , G r a m á t i c a , P o e s i a ) Álvaro Magalhães- “Três Histórias de Amor”,Edições Asa, 2003. Livro recomendado no programa de português do 6º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada na sala de aula - Grau de Dificuldade I. Este livro reúne três histórias ("O segredo da menina morta", "Romance de Lucas e Pandora" e "História do velho e da sua linda nogueira") em que o amor e a morte trocam energias. Na primeira história, um rapaz e uma rapariga vêem o seu amor perturbado pela alma de uma menina morta. Na segunda, Lucas e Pandora, um casal de gatos, descobrem o verdadeiro nome da morte e o seu segredo mais bem guardado. Finalmen- te, na terceira, o velho Miséria engana a morte para poder viver eternamente com a sua linda nogueira e acaba por descobrir que, afinal, se enganou a si próprio. Alessia Garilli,- “Para onde foram os ovos da Paulina”, Livros Horizonte, 2003. "Que destino têm os nossos ovos?", interrogam-se as galinhas. Farta de não o saber, Paulina decide investigar. Que surpresas a esperarão?António Mota- “Segredos”, Edições Gailivro, 2006.Dez histórias, dez segredos, dez textos breves de António Mota,que convidam a viajar ao lado do sonho e das coisas marcantesda vida que nos acontecem em secretos dias que nunca maisesquecemos. Dez histórias, dez segredos que conhecemos aolongo deste livro com as inconfundíveis ilustrações de MartaTorrão, Prémio Nacional de Ilustração 2004.
  3. 3. Lewis Carol- “As Aventuras de Alice no País das Maravilhas e Ali- ce do outro Lado do Espelho”, Relógio D’Água, 2000. Dois em um, isto é, dois clássicos da literatura infantil, "As Aventuras de Alice no País das Maravilhas" e "Alice do Outro Lado do Espelho", num só volume. Como aliciante, o presente livro conta com as ilustra- ções de John Tenniel que acompanharam as primeiras edições de ambas as histórias. Lewis Carroll, pseudónimo de Charles Lutwidge Dodgson, diácono, matemático, lente da Universidade de Oxford e fotógrafo amador, contava estas histórias, que depois passaria à escrita, para entreter as meninas Liddell, filhas do deão da Igreja de Cristo em Oxford, especialmente Alice, a sua favorita. De lá para cá, as aventuras das personagens de Carroll continuaram a fascinar milhões de crianças. Afinal, quem é que consegue resistir ao universo fantástico da pequena Alice e ao seu cortejo de animais e objectos falantes?Manuela Pessoa- “O Menino de Cor” Livros Horizonte, 2007.Recriação, sob a forma de um álbum ilustrado de pequenas dimen-sões, de um conto tradicional africano, este livro alerta, com humor ede forma desmistificadora, para a questão do racismo e da intolerânciaperante a diferença. Estabelecendo várias comparações entre umacriança branca e uma criança negra, a narrativa permite concluir acer-ca da inutilidade de alguns preconceitos verbalizados sob a forma deexpressões como ―menino de cor‖, valorizando ideias como a igualda-de e a tolerância face ao outro. As ilustrações, com recurso a váriastécnicas, exploram a questão da variação cromática ao mesmo tempoque sublinham a dimensão afectiva e até humorística do texto, propon-do diferentes situações facilmente identificáveis e reconhecíveis. Armindo Reis— “Amigo, Amigão”, Edições Gailivro,, 2003 Várias definições do que é um amigo e da importância da amizade na nossa vida. "Um amigo é aquele que está sempre pronto a puxar- nos para cima".
  4. 4. Rosário Alçada Araújo- “A Rosinha, o Mar e os Sonhos”,Edições Gailivro, 2005Quando uma chave de cobre vai parar a seus pés, a Rosinhaescuta uma voz misteriosa que lhe fala de um Grande Tesouroexistente no alto mar. A Rosinha aventura-se então a remar atéesse lugar longínquo.Aí, num castelo cheio de cores (o Castelo do Grande Tesouro), aSereia Íris revela-lhe um segredo sobre os sonhos do Universo eexplica-lhe a razão do movimento do mar, ao mesmo tempo quelhe faz um pedido muito importante: ajudar o mundo a cuidar dossonhos. Como poderá a Rosinha realizar uma tarefa que pareceser tão complicada?3 — C i ê n c i a s s o c i a i s e h u m a n a s Jaime Sarramona—”Como entender e Aplicar a Democracia na Escola” Plátano– Edições Técnicas, 1993. A democracia constrói-se permanentemente e o sistema educativo tem a obrigação de assumir o papel activo no fomento dos conheci- mentos, hábitos e atitudes que lutem contra as tendências de consu- mismo exacerbado, do individualismo egoísta, da chamada morte das ideologias. Educar em e para a democracia significa ser agente activo da sua realização, empenhar-se pessoalmente nela para con- seguir êxitos individuais e de grupo ponto e virgula significa criar nos estabelecimentos e meios educativos as condições que tornam pos- sível a vivência e a prática dos valores que caracterizam a democra- cia.. Próximas Actividades Celebração de Efemérides Incentivar a interdisciplinaridade; Promover eventos culturais. (Novembro/Dezembro). Lixa Centenária Contribuir para a dinamização do Plano de Actividades do Agru- pamento; Incentivar a interdisciplinaridade. (Outubro a Dezembro). “Viajar com os Livros...Baú das Leituras” Promover a leitura e literacia; Facul- tar serviço de biblioteca a todas as escolas do Agrupamento. (Outubro a Janeiro) Hora do Conto (Conto de Natal no Centro Escolar de Macieira) Fomentar o gosto pela leitura; elevar o nível de literacia. (Dezembro) Hora do Conto (Dinamização da hora do Conto de uma turma do 7º ano para uma turma do 5º ano) Fomentar o gosto pela leitura; elevar o nível de literacia.
  5. 5. Mês Internacional das Bibliotecas Escolares Centenário da República – Exposição Lixa Centenária Mais uma vez, a Biblioteca Escolar da E.B. 2,3 Dr. Leonardo Coimbra celebrou, com inú- meras actividades, o mês Internacional das Bibliotecas Escolares, uma efeméride, em todo o mundo consagrada ao mês de Outu- bro. Desde actividades realizadas com alunos, que envolveram a leitura e a elaboração de criativos marcadores para livros, as indispen- sáveis visitas guiadas para os alunos do 5.º ano e do 1.º ciclo do Centro Escolar, houveainda lugar para um delicioso Café com Livros, dedicado a todos os professores e funcio-nários do Agrupamento, no dia 25, denominado o dia nacional das Bibliotecas Escolares.Aqui, foram celebrados a leitura e os livros, com a divulgação do fundo documental, e desta-cou-se o saudável convívio entre os elementos da comunidade escolar.As actividades do mês dedicado às Bibliotecas Escolares encerraram, no dia 29, com umahomenagem à leitura, no Encontro com o Escritor transmontano António Sá Gué. A tar-de foi dedicada aos alunos, que, entusiasticamente, fizeram uma leitura dramatizada de umexcerto do conto ―O Colégio‖, alusiva à importância da leitura (alunos do 8.ºD), seguida dainterpretação do conto ―O Velho‖ por parte dos alunos do 7.ºF, acompanhados pela profes-sora Alice Medeiros, que se mostraram sensibilizados com o problema de solidão e abando-no dos idosos, tudo numa informal conversa com o escritor, que relembrou o seu tempo dealuno e agraciou a biblioteca pelo ambiente agradável e bem apetrechado, já que no seutempo ―das fixas não havia‖, tendo que recorrer às itinerantes da Gulbenkian. Os textos tra-balhados pelos alunos pertencem ao livro CONTOS DOS MONTES ERMOS, um verdadeiroelogio à terra quente transmontana, cujos temas são intemporais.―O mundo visto daqui, destas encostas penhascosas, é diferente, completamentediferente. Este mundo é o das origens, das raízes, daqui fica-se com a visão clara deque a conturbação nos despersonaliza, nos destempera.” – António Sá Gué.A noite foi dedicada à restante comunidade educativa, com a presença de pais, encarrega-dos de educação, alunos, professores e funcionários, recebidos pela Directora do Agrupa-mento, Dr.ª Cândida Mourão, momento em que o escritor apresentou um pouco de si e dassuas obras e ofereceu um exemplar de cada para enriquecer o acervo da Biblioteca Escolar,seguindo-se uma sessão de autógrafos e um informal café.Todos tiveram oportunidade de apreciar a exposição Lixa Centenária, alusiva às Comemo-rações do Centenário da República, que evoca os ecos da I República a nível local, atra-vés de postais antigos e de excertos de semanários da época.A exposição estará patente ao público até Dezembro de 2010.

×