Aula 6 - Dinâmica Climática

319 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Alimentos
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
319
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 6 - Dinâmica Climática

  1. 1. Aula 6 Dinâmica Climática
  2. 2. Atmosfera - Camada de gases que envolve a Terra - Equilíbrio térmico - Combustão (FOGO!) - Transmite o som (Vácuo NOT) - Difusão de Luz (Céu azul) - Absorção de luz solar
  3. 3. Camadas - Troposfera - contato direto com a superfície - 12 km de altitude / 40 a 60 ºC - Retém 75% da massa gasosa e todo vapor de água na atmosfera - Onde ocorre os fenômenos climáticos
  4. 4. - Estratosfera - camada intermediária - 12 km a 50 km / -5 a -70 ºC - Camada de ozônio, filtra os raios UV - Destruição da camada por CFC’s - Protocolo de Montreal, 1987
  5. 5. - Mesosfera - 50 km a 80 km / -10 a -100 ºC
  6. 6. - Ionosfera ou termosfera - subcamada superior - De 80 km a 700, 800, 1000 km de altitude / 1000 ºC - Reflete para a superfície ondas eletromagnéticas de radio e tv - Satélites  GPS - Maior altitude, mais rarefeito o ar
  7. 7. Circulação geral da atmosfera - Distribui calor pela superfície da terra - A superfície terrestre recebe radiação solar de forma desigual - Essa desigualdade é responsável pelo deslocamento da atmosfera em 3 células: - Tropical/Hadley/0-30 - Trópico>Equador - Latitudes médias/Ferrel/30-60 - Trópico>Polos - Polar/60-90
  8. 8. Distribuição Desigual
  9. 9. Sem rotação, sem desigualdade Alta pressão por ser mais frio (moléculas menos agitadas, mais denso) Baixa pressão por ser mais quente (moléculas agitadas, menos denso) O ar se movimenta da alta para baixa pressão buscando o equilíbrio No equador o ar esquenta e ascende, na atmosfera se resfria e desce
  10. 10. Convecção Processo de transmissão de calor a partir de movimentos ascendente e descendente de fluidos
  11. 11. A REALIDADE (MAS AINDA HIPOTÉTICA)
  12. 12. - No equador as temperaturas mais elevadas torna o ar quente, menos denso, que sobe para a atmosfera - Em certa altitude esse ar se resfria e desce, mais ou menos na latitude 30 - A partir disso se forma uma zona de baixa pressão no equador (menos peso, ar ascendente), e uma de alta pressão na latitude 30 (mais peso, ar descendente) - Como os ventos sempre se movimentam da área de alta pressão para baixa pressão, esse ar volta para o equador onde esquenta e recomeça o ciclo da célula
  13. 13. - Nos polos, a temperatura baixa forma uma área de alta pressão e com isso o ar vai em direção ao equador, porém, em torno da latitude 60 ele está mais quente e ascende - Em certa altitude resfria e volta para o polo reiniciando o ciclo da célula
  14. 14. - Na célula intermediária, estando definido as zonas de alta e baixa pressão, ela descende na latitude 30 e se movimenta para a área de baixa pressão que se forma na latitude 60, ascendendo - Em certa altitude resfria e volta para a latitude 30 reiniciando o ciclo da célula
  15. 15. I - Tropical/Hadley/0-30 - Trópico>Equador II - Latitudes médias/Ferrel/30-60 - Trópico>Polos III - Polar/60-90
  16. 16. Células de: Hadley, Ferrel, Polar
  17. 17. - Ventos alísios - V.A. do sudeste (Sul), V.A. do nordeste (Norte) - Contra-alísios - Região de calmaria (Doldrum)  ZCIT - Zona de convergência intertropical (encontro dos ventos) - Ventos do oeste - Ventos polares do leste - Jatos - Rios de vento no encontro das células
  18. 18. VENTOS POLARES VENTOS DO OESTE ALÍSIOS ALÍSIOS VENTOS DO OESTE VENTOS POLARES
  19. 19. Mas por que os ventos estão inclinados e não retos? EFEITO CORIOLIS!
  20. 20. Efeito Coriolis - Por causa da rotação da terra todo fluido que se movimenta sob sua superfície sofre uma curva na sua trajetória - Para direita no Hemisfério Norte, para esquerda no Hemisfério Sul
  21. 21. Hemisfério sul para a esquerda Horário Hemisfério norte para a direita Anti-horário
  22. 22. CICLONAL ANTI- CICLONAL Os ventos de latitude média também estão seguindo o efeito Coriolis, mas estão saindo de uma zona de alta pressão que inverte o sentido do giro em cada hemisfério
  23. 23. Modelo hipotético e modelo real O ar gira em torno dos centros de alta pressão, formando nuvens em forma de círculo
  24. 24. Chuva Frontal ou Ciclônica Encontro de massas de ar de características distintas Chuva Convectiva Movimento de massas de ar quente que sobem e condensam (formam as nuvens da ZCIT)
  25. 25. - Chuva orográfica - Massa de ar úmido, encontra uma barreira, se condensa e precipita - Ex. Serra da Borborema  seca no interior do Nordeste
  26. 26. Tempo e Clima - Fenômenos climáticos – interação de elementos da atmosfera (temperatura, pressão, umidade, precipitação) Tempo momentâneo diário Clima Repetição de um mesmo tempo por um longo período de tempo
  27. 27. - Temperatura - calor existente na atmosfera - Umidade - quantidade de vapor de água - Umidade relativa - relação entre o vapor existente em dado momento (umidade absoluta) é a quantidade de vapor que a atmosfera comporta - Ponto de saturação (ultrapassa a quantidade comportada)  Chuva/Precipitação
  28. 28. - Além dos elementos básicos, temos fatores climáticos naturais como altitude, latitude, maritimidade, continentalidade e massas de ar - E fatores climáticos humanos como queimadas, poluição
  29. 29. Temperatura - Aquecimento da superfície pela radiação solar - Quando atinge a superfície (+-50%) é denominado insolação - Utilização de médias térmicas
  30. 30. Fatores de variação da temperatura - Latitude – maior latitude, menor média térmica  zonas climáticas (moléculas agitadas) - 92% do território BR na faixa intertropical  climas quentes
  31. 31. - Altitude – Áreas altas, o ar rarefeito tem menor capacidade de reter calor - Maior altitude, menor média térmica - Maritimidade – Umidade do mar ameniza temperatura e diminui amplitude térmica (diferença entre máx. e min. diária) - Continentalidade – Quanto mais no interior, menor umidade, aumenta amplitude térmica
  32. 32. Campos de Jordão Média anual 14 C Altitude 1628 m São Paulo Média anual 19 C Altitude 760 m Máx. 24,9 C Mín. 15,5 C Santos Média anual 22 C Altitude 2 m Máx. 25,4 Mín. 19,1
  33. 33. Pressão atmosférica - Atmosfera exerce pressão, um peso sob a superfície - Nível do mar, pressão máxima  760 mm de mercúrio ou 1013 de hPa ou 1013 de mbar (Barômetro)
  34. 34. Fatores de variação da pressão - Latitude - Próximo ao equador, ar quente, expandido, menos denso < aumenta latitude, ar frio, moléculas mais contraídas e próximas, mais denso - Maior latitude, maior pressão (ar quente sobe, ar frio desce)
  35. 35. - Altitude – Altas altitudes, ar rarefeito, menos moléculas de ar por m³, menos peso - Mais altitude, menor pressão
  36. 36. Correntes marítimas - Ventos ajudam na formação - Grandes “rios” salgados no interior dos oceanos (Procurando Nemo) - Interfere no clima do continente - Corrente quente – superficial, - evaporação, áreas úmidas - Corrente fria – profunda, + evaporação, áreas áridas - Corrente do Golfo – formado pelos ventos alísios de nordeste - Verão ameno no norte da Europa - Corrente de Humboldt – Deserto do Atacama
  37. 37. - Giro Oceânico - Sistema de correntes rotativas - Grande Porção de Lixo do Pacífico
  38. 38. - Ressurgência - corrente fria se aproxima da superfície trazendo nutrientes de áreas profundas  atraem cardumes - Ex. Corrente de Humboldt, Corrente das Malvinas (SC e Patagônia)
  39. 39. Massas de Ar - Porção de ar com condições internas +- homogêneas de temperatura, pressão e umidade - Desloca da zona de alta para baixa pressão - Iguala com as condições exteriores  dissipa
  40. 40. - Massa Equatorial - forma próximo ao equador - Mais elevada, baixa pressão - Oceânica + úmida > Continental
  41. 41. - Massa Tropical - Próximo aos trópicos - Quentes, pressões médias e baixas
  42. 42. - Massa Polar - Forma próxima aos polos - Fria, alta pressão - Continental +fria +seca
  43. 43. Frente - Quando duas massas se encontram elas não se misturam, gerando um instabilidade meteorológica - Q+Q = Quente - Q+F ou F+F = Fria
  44. 44. Massas de ar no BR - Equatorial continental (mEc) - quente, úmida - Forma sobre a Amazônia - ZCAS - Equatorial Atlântica (mEa) - quente, úmida - Forma no litoral norte do nordeste
  45. 45. - Tropical continental (mTc) - Forma no interior da América do Sul - Quente e seca - Tropical atlântica (mTa) - Forma no oceânico atlântico - Quente e úmida  Chuva orográfica (serra sul e leste)
  46. 46. - Polar atlântica (mPa) - Forma na Patagônia - Temperatura baixa e chuvas frontais (choque de massas)
  47. 47. Classificação do clima legenda ^ alta / v baixa - Equatorial - Temperatura e Chuva (2000 mm/ano) ^, Amplitude v - Tropical - Verão Quente e chuvoso, inverno seco - Semiárido - + Chuva > Deserto (500-250 mm/ano) - Desértico - Amplitude ^, chuva 250 mm/ano, próximo aos trópicos, ação de correntes frias - Temperado - 4 estações definidas, temperatura regular (Europa, América Anglo-saxônica) - Mediterrânico - Verão seco e quente, inverno chuvoso (Mediterrâneo, oeste EUA, centro Chile, sul Austrália)
  48. 48. - Subtropical - Transição temperado/tropical, amplitude^, sem estação seca - Frio de montanha - altas altitudes, temperatura e pressão v - Polar - Polos, reflexão solar ^ (gelo), verão máx. 10C
  49. 49. Classificação de Koppen- Geiger - Limites dos biomas - 3 letras - Primeira Grupo, de A a E, do equador ao pólo - Segundo Grupo, tipo, precipitação - Terceiro grupo, sub-tipo, variação de temperatura
  50. 50. A Clima tropical •Climas megatérmicos •Temperatura média do mês mais frio do ano > 18 °C •Estação invernosa ausente •Forte precipitação anual (superior à evapotranspiração potencial anual) B Clima árido •Climas secos (precipitação anual inferior a 500 mm) •Evapotranspiração potencial anual superior à precipitação anual •Não existem cursos de água permanentes C Clima temperado ou Clima temperado quente •Climas mesotérmicos •Temperatura média do ar dos 3 meses mais frios compreendidas entre -3 °C e 18 °C •Temperatura média do mês mais quente > 10 °C •Estações de Verão e Inverno bem definidas D Clima continental ou Clima temperado frio •Climas microtérmicos •Temperatura média do ar no mês mais frios < -3 °C •Temperatura média do ar no mês mais quente > 10 °C •Estações de Verão e Inverno bem definidas E Clima glacial •Climas polares e de alta montanha •Temperatura média do ar no mês mais quente < 10 °C •Estação do Verão pouco definida ou inexistente.
  51. 51. S •Clima das estepes •Precipitação anual total média compreendida entre 380 e 760 mm B W •Clima desértico •Precipitação anual total média < 250 mm B f •Clima húmido •Ocorrência de precipitação em todos os meses do ano •Inexistência de estação seca definida A-C-D w •Chuvas de Verão A-C-D s •Chuvas de Inverno A-C-D w' •Chuvas de Verão-outono A-C-D s' •Chuvas de Inverno-outono A-C-D m •Clima de monção: •Precipitação total anual média > 1500 mm •Precipitação do mês mais seco < 60 mm A T •Temperatura média do ar no mês mais quente compreendida entre 0 e 10 °C E F •Temperatura média do mês mais quente < 0 °C E M •Precipitação abundante •Inverno pouco rigoroso E
  52. 52. a : Verão quente •Temperatura média do ar no mês mais quente ≥ 22 °C •Temperatura média do ar no mês mais frio > 10°C •Inverno Brando C-D b : Verão temperado •Temperatura média do ar no mês mais quente < 22 °C •Temperaturas médias do ar nos 4 meses mais quentes > 10 °C C-D c : Verão curto e fresco •Temperatura média do ar no mês mais quente < 22 °C •Temperaturas médias do ar > 10 °C durante menos de 4 meses •Temperatura média do ar no mês mais frio > -38 °C C-D d : Inverno muito frio •Temperatura média do ar no mês mais frio < -38 °C D h : seco e quente •Temperatura média anual do ar > 18 °C •Deserto ou semideserto quente (temperatura anual média do ar igual ou superior a 18 °C) B k : seco e frio •Temperatura media anual do ar < 18 °C •Deserto ou semideserto frio (temperatura anual média do ar inferior a 18 °C) B
  53. 53. Classificação clima BR Köppen-Geiger (biomas)
  54. 54. Classificação clima BR (Strahler - Massas de ar) - Equatorial superúmido - temperatura e chuva ^ - AM, AC, - Equatorial úmido - temperatura e chuva ^, estação seca out-dez - AM, AP, RO, RR, TO, PA MT, MA
  55. 55. - Tropical úmido do Nordeste (Atlântico) - quente, úmida, chuvosa, estação seca out-dez, chuva no inverno - Litoral leste - Tropical (continental) - temperatura e chuva ^ no verão, inverno seco - Centro-Oeste, MA, PI, CE, BA, MG, SP, ES, RR, PA, - Tropical de altitude - temperatura amena, chuva ^ verão, inverno geada - Planaltos e serra SP, MG, RJ, ES, PR,
  56. 56. - Semiárido - chuva orográfica litoral, chega seca ao interior - Interior Nordeste, vale do São Francisco, Polígono das Secas
  57. 57. - Subtropical com verões quentes - temperatura v, amplitude ^, chuvas ano todo, geada meses mais frios - Sul de SP, PR, SC, RG - Subtropical com verões brandos - temperatura e chuva v, geada e sipá neve - altas altitudes do sul, serras SC, RG
  58. 58. Tropical chuvoso com inverno seco
  59. 59. ( ) O gráfico I é típico de uma região com invernos moderados e chuvas irregulares durante o ano. ( ) Os gráficos II e III representam regiões do hemisfério Sul. ( ) A curva que representa as variações da temperatura ao longo do ano no gráfico III é típica de uma região temperada do hemisfério Norte. ( ) Os gráficos I e II, de acordo com Köppen, descrevem regiões que podem ser classificadas como Am, caracterizando áreas de umidade elevada o ano todo. ( ) O gráfico II é típico de uma região temperada com amplitude térmica anual elevada. Assinale a alternativa que contém a sequência de respostas corretas: a) V, F, V, V , F b) F, V, F, V, V c) F, F, V, F, F d) V, F, F, F, V e) F, V, V, F, V
  60. 60. Fenômenos Climáticos
  61. 61. Monções - Verão - Continente +quente > Oceano - Ar quente sobe, forma área de baixa pressão, gerando uma corrente de ar úmida do oceano  chuva PACAS! - Inverno - Continente +frio < Oceano - A direção do vento se inverte, levando a umidade do continente para formar chuvas  seca
  62. 62. EL NINÕ E LA NINÃ - Aquecimento (El Ninõ) ou resfriamento (La Ninã) das águas do oceano pacífico - Modifica o regime de chuvas e circulação de ar na atmosfera - No BR - El ninõ, +temperatura, - La ninã, -temperatura, frente fria chega ao NE - Ambos + chuva
  63. 63. Ciclone Tropical - Anomalia meteorológica que gera grandes tempestades - Evaporação  baixa pressão  ventos  Coriolis, rotação
  64. 64. Hemisfério sul para a esquerda Horário Hemisfério norte para a direita Anti-horário
  65. 65. Poluição atmosférica - Lançamento de Gases e partículas sólidas na atmosfera - Gerando desequilíbrio na quantidade ou presença de gases ou partículas estranhas (Dióxido de enxofre, Monóxido de carbono, Chumbo, Solventes) - Poluição estacionária, móvel, esporádica - Impactos negativos na saúde e na dinâmica climática
  66. 66. Efeito Estufa - Fenômeno natural - retém calor irradiado pela superfície  equilíbrio térmico - Crescente emissão de gases estufa (Dióxido de carbono, metano) intensifica o efeito  problema
  67. 67. - Painel intergovernamental de mudanças climáticas (IPCC) - Aumento de 4 graus na temperatura até 2100 - Elevação do nível do mar (derretimento geleiras) - Modificação no clima (zonas) e distribuição de plantas na superfície terrestre
  68. 68. Chuva ácida - Aumento da concentração de elementos que formam ácidos em contato com a água aumentando sua acidez natural (5,5  2,2 a 5) - Dióxido de carbono (ácido carbônico)  natural pH 5,5 - Enxofre (Ácido sulfúrico), Óxido de nitrogênio (ácido nítrico) - Acidificação do solo e da água  erosão e destruição da fauna e flora
  69. 69. Ilhas de calor - Elevação da temperatura média de áreas urbanas pela diferença na irradiação de calor - Área urbana  +irradiação +retenção de calor (poluição, mini-efeito estufa local) - Forma zona de baixa pressão recebendo ventos com mais poluentes
  70. 70. Inversão de calor - O ar quente não desce, o ar frio não sobe - Ar frio fica preso a superfície por mudanças abruptas da temperatura - Nas áreas urbanas a inversão ocorre pela liberação rápida do calor ao anoitecer - Ar frio “preso” junto a superfície retém poluição

×