Ft29 Ines De Castro

3.103 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.103
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
168
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ft29 Ines De Castro

  1. 1. Agrupamento de Escolas D. Manuel de Faria e Sousa Língua Portuguesa - 9º Ano Ficha de Trabalho – Inês de Castro de «Os Lusíadas» 1. Faz a leitura conjunta do original de Luís de Camões e da versão em prosa. Texto 1 Texto 2 118 123 Mas, uma vez regressado a Passada esta tão próspera vitória, Tirar Inês ao mundo determina, Portugal, um caso muito triste Tornado Afonso à Lusitana terra, Por lhe tirar o filho que tem preso, ocorreu e ensombrou o seu (…) Crendo co’o sangue só da morte indina reinado – o caso da mísera e O caso triste e digno de memória, Matar do firme amor o fogo aceso. mesquinha / que depois de ser Que do sepulcro os homens Que furor consentiu que a espada fina, morta foi rainha ou seja o caso desenterra, Que pôde sustentar o grande peso de Inês de Castro, a linda Inês, Aconteceu da mísera e mesquinha Do furor mauro, fosse alevantada que, posta em sossego, Que depois de ser morta foi Rainha Contra hua fraca dama delicada? colhendo o doce fruto da sua (…) juventude, nos saudosos campos do Mondego, ensinava 120 124 aos montes e às ervinhas o Estavas, linda Inês, posta em sossego, Traziam-na os horríficos algozes nome que no peito escrito De teus anos colhendo o doce fruto, Ante o rei, já movido a piedade; tinha(s). Era o tempo das Naquele engano da alma, ledo e cego, Mas o povo, com falsas e ferozes memórias de alegria que o amor Que a Fortuna não deixa durar muito; Razões, à morte crua o persuade. correspondido do seu príncipe Nos saudosos campos do Mondego, Ela, com tristes e piedosas vozes, Pedro tornava ameno e doce, De teus fermosos olhos nunca enxuto, Saídas só da mágoa e saudade não podendo prever-se quão Aos montes ensinando e às ervinhas Do seu príncipe e filhos, que deixava enganoso era. O nome que no peito escrito tinhas. Que mais que a própria morte a magoava, (…) (…) 122 Como ia dizendo, tudo corria De outras belas senhoras e princesas 130 bem até que o velho pai sisudo, Os desejados tálamos enjeita, Queria perdoar-lhe o rei benigno, Afonso IV – que se preocupava Que tudo enfim, tu, puro amor, Movido das palavras que o magoam, com o murmurar do povo e com desprezas, Mas o pertinaz povo e seu destino o facto de seu filho recusar Quando um gesto suave te sujeita. (Que desta sorte o quis) lhe não perdoam. casar-se com outras princesas -, Vendo estas namoradas estranhezas, Arrancam das espadas de aço fino decidiu mandar matar Inês, O velho pai sesudo, que respeita Os que por bom tal feito ali apregoam. julgando assim que, ao tirar-lhe O murmurar do povo e a fantasia Contra ua dama, ó peitos carniceiros, a vida, libertaria o filho de tais Do filho, que casar-se não queria, Feros vos amostrais e cavaleiros? amores. Um dia, os horríficos algozes Versão original: Luís de Camões trouxeram Inês acompanhada de seus filhos, junto do Rei. (…). O Rei benigno queria perdoar-lhe, mas tal não permitiram o povo insensível e o destino de Inês. E foi então que os brutos matadores ergueram as suas espadas contra uma dama fraca e delicada… Versão em prosa: Amélia Pinto Pais
  2. 2. 1.1. Observa, no quadro que se segue, os aspectos comuns ao poema original de Camões e à respectiva versão em prosa, preenchendo a coluna B. A- Aspectos comuns B- Explicitação do seu sentido «O caso triste e digno de ____________________________________________ memória, Aconteceu» ____________________________________________ ____________________________________________ «o caso da mísera e ____________________________________________ mesquinha que depois de ____________________________________________ morta foi rainha» ____________________________________________ «posta em sossego» ____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________ «nos saudosos campos do ____________________________________________ Mondego» ____________________________________________ ____________________________________________ «memórias de alegrias» ____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________ «o velho pai sisudo» ____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________ «os horríficos algozes» ____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________ «dama fraca e delicada!» ____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________
  3. 3. 1. Reconstitui a estrutura desta pequena narrativa, que segue o modelo tradicional, transcrevendo os elementos do texto que correspondem a cada etapa. ESTRUTURA NARRATIVA DO EPISÓDIO DE INÊS DE CASTRO EXPOSIÇÃO _____________________________________________________________ Apresentação. _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ Atribuição de _____________________________________________________________ responsabilidades ao Amor. _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ CONFLITO _____________________________________________________________ Amores felizes e _____________________________________________________________ correspondidos. _____________________________________________________________ Oposição do Rei. _____________________________________________________________ Causas da oposição. ___________________________________________________________ _____________________________________________________________ ___________________________________________________________ _____________________________________________________________ Perigo de os filhos de D. Inês, que era castelhana, um dia virem a pôr em causa a independência do Reino de Portugal. _____________________________________________________________ Decisão. _____________________________________________________________ Objectivos dessa _____________________________________________________________ decisão. _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ Dia fatal: 1º _____________________________________________________________ acontecimento.
  4. 4. Tentativa de alterar a _____________________________________________________________ situação: _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ o Pedido de clemência _____________________________________________________________ por comparação com outros casos. _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ o Apelo à condição de avô. _____________________________________________________________ o Proposta alternativa. _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ Reacção positiva de _____________________________________________________________ D. Afonso IV. _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ Interferência dos Conselheiros, em _____________________________________________________________ nome do povo / _____________________________________________________________ destino e cumprimento da sentença. DESENLACE Comentários do Poeta. _____________________________________________________________ o Considerações. _____________________________________________________________ o Reacções da Natureza _____________________________________________________________ / mulheres de _____________________________________________________________ Coimbra. o Modo da Natureza _____________________________________________________________ perpetuar o _____________________________________________________________ acontecimento.

×