Seminár io cea ana carine e eliane

838 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
838
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminár io cea ana carine e eliane

  1. 1. ESTÁGIO
  2. 2. <ul><li>COLÉGIO ESTADUAL DE ALAGOINHAS </li></ul><ul><li>EIXO VII </li></ul><ul><li>TURMAS: M1 E M2 </li></ul><ul><li>PROFESSORA ORIENTADORA: CLAÚDIA REGINA T. DE SOUZA </li></ul><ul><li>PROFESSORA REGENTE: SANDRA RIBEIRO CARVALHO </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Observação </li></ul><ul><li>Datas: 13/09/10; 20/09/10 e 08/10/10 </li></ul><ul><li>(06 aulas) </li></ul><ul><li>Co – Participação </li></ul><ul><li>Data: 27/09/10 ( 2 aulas) </li></ul><ul><li>Regência </li></ul><ul><li>Período: 13/10/10 à 06/12/10 (30 aulas) </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Plano de aula </li></ul><ul><li>“ É a sequência de tudo o que vai ser desenvolvido em um dia letivo. (...) É a sistematização de todas as atividades que se desenvolvem no período de tempo em que o professor e o aluno interagem, numa dinâmica de ensino-aprendizagem.” (PILETTI, 2001, p.73) . </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Recurso visual; </li></ul><ul><li>Livro didático; </li></ul><ul><li>Dorso do corpo humano; </li></ul><ul><li>Histórias; </li></ul><ul><li>Textos; </li></ul><ul><li>Filme. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Técnicas </li></ul><ul><ul><li>Exposição oral dialógica ; </li></ul></ul><ul><ul><li>Discussão ; </li></ul></ul><ul><ul><li>Demonstração didática ilustrativa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Aula prática; </li></ul></ul><ul><ul><li>Confecção de vídeo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Estudo dirigido. </li></ul></ul>
  7. 7. <ul><ul><li>Aula prática; </li></ul></ul><ul><ul><li>Quadro comparativo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Estudo dirigido; </li></ul></ul><ul><ul><li>Seminário; </li></ul></ul><ul><ul><li>Atividade avaliativa individual; </li></ul></ul><ul><ul><li>Participação dos alunos durante a aula, a resolução e correção das atividades. </li></ul></ul>
  8. 8. A alimentação alternativa foi criada para combater a desnutrição, inclui alimentos de alto valor nutritivo, de custo muito baixo. Nessa cozinha, nada se perde tudo é aproveitado. Casca, talos, folhas e sementes que normalmente, o caminho destas sobras é o lixo. Pouca gente sabe que, assim, são desperdiçadas toneladas de vitaminas da melhor qualidade e são armas muito importantes contra a desnutrição. A medicina alternativa, mostra que para ter uma vida saudável é necessário manter o equilíbrio do corpo. Quando uma emoção, se torna constante na vida de uma pessoa, ocasiona um desequilíbrio das vias energéticas do corpo, podendo prejudicar diversos órgãos. Apresentação <ul><li>Como surgiu a alimentação? </li></ul><ul><li>A Origem da medicina alternativa? </li></ul><ul><li>Tipos de alimentos </li></ul><ul><li>Diversidade da medicina alternativa </li></ul><ul><li>Medicina convencional versus Medicina alternativa </li></ul>&quot; Há muito de verdade na idéia de que o homem se torna aquilo que come. Quanto mais grosseiro o alimento, mais grosseiro o corpo.&quot; Gandhi Mensagem Sub– Temas
  9. 9. Resíduos Sólidos: Lixo Cooperativismo como prática solidaria
  10. 10. A química da beleza Alimentação e medicina Alternativa CONPET
  11. 11. <ul><li>Dificuldades: </li></ul><ul><li>Controlar o nervosismo. </li></ul><ul><li>Momentos bons: </li></ul><ul><ul><li>Compreensão dos alunos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Participação dos alunos nas aulas e nas atividades; </li></ul></ul><ul><ul><li>Confecção do seminário. </li></ul></ul>
  12. 12. <ul><li>O que faria de novo... </li></ul><ul><li>Seminários; </li></ul><ul><li>Aula prática. </li></ul><ul><ul><li>O que não faria ... </li></ul></ul>
  13. 13. <ul><li>Dificuldades: </li></ul><ul><li>Nenhuma, pois sempre tive o apoio dos alunos. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Bons momentos, o que faria de novo... </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Professora regente; </li></ul><ul><li>Avaliação dos alunos; </li></ul><ul><li>Auto- avaliação. </li></ul>
  16. 16. REFERÊNCIAS <ul><li>BINI, Luci Raimann. Motivação ou interesse do aluno em sala de aula e a relação com atitudes consideradas indisciplinares. Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. Disponível em: < http://web03.unicentro.br/especializacao/Revista_Pos/P%C3%A1ginas/3%20Edi%C3%A7%C3%A3o/Humanas/PDF/23-Ed3_CH-MotivacaoIn.pdf>. Acesso em: 19 Ago.2010. </li></ul><ul><li>CASTRO, Patricia Aparecida Pereira Penkal et al. A importância do planejamento das Aulas para organizaçao do trabalho do Professor em sua prática docente. Revista Científica de Educação, v. 10, n. 10, jan./jun. 2008 </li></ul><ul><li>LIMA, Kênio Erithon Cavalcante et al. Análise da metodologia de ensino de ciências nas escolas da rede municipal de Recife. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v.14, n.52, p. 397-412, jul./set. 2006 </li></ul><ul><li>- SANTOS, Júlio César Furtado dos. O papel do professor na promoção da aprendizagem significativa. (2002) Disponível em: <http://www.famema.br/capacitacao/papelprofessorpromocaoaprendizagemsignificativa.pdf>.Acesso em: 19 Ago. 2010. </li></ul>

×