ÍNDICE                                                                                      PÁGINA1. Os transgênicos são a...
APRESENTAÇÃO             Com o objetivo de divulgar informações se-             guras e de qualidade sobre os transgênicos...
C IÊNCIA1   Os transgênicos são apenas uma das    infinitas aplicações da biotecnologia    A biotecnologia – que é a base ...
H ISTÓRIA2                        Ao contrário do que se pensa,                         a biotecnologia não é uma ciência ...
S EGURANÇA3                              A segurança dos transgênicos                               é avaliada rigorosamen...
QUESTÃO      AMBIENTAL4   O meio ambiente é um dos maiores    beneficiados pela biotecnologia    Para o biólogo Marcelo Me...
• O cientista da Unicamp conta que          • De acordo com dados da                            algumas variedades genetic...
APLICAÇÕES5                            A biotecnologia está                             presente em diversas áreas        ...
P ERSPECTIVA6                              As contribuições da biotecnologia para o futuro                               A...
R OTULAGEM7   Brasil tem legislação para a    rotulagem de OGMs e derivados    Já existe, no Brasil, a lei que determina a...
AVAL    CIENTÍFICO8                         As organizações internacionais                          apóiam os transgênicos...
P ATENTES9                          Royalties – questão de legislação                           Assim como ocorre em outro...
• A proteção de uma tecnologia pelo         Como retribuição pela autorizaçãosistema de patentes é concedida a           d...
AGRICULTURA10                       Os transgênicos pelo mundo                                                            ...
Visite os sites do CIBSe você quer saber mais sobre biotecnologia etransgênicos, confira os sites do CIB emwww.cib.org.br ...
Cartilha transgenicos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cartilha transgenicos

2.749 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.749
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
163
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cartilha transgenicos

  1. 1. ÍNDICE PÁGINA1. Os transgênicos são apenas uma 4 das infinitas aplicações da biotecnologia2. Ao contrário do que se pensa, 5 a biotecnologia não é uma ciência nova3. A segurança dos transgênicos é avaliada rigorosamente 64. O meio ambiente é um dos maiores 7 beneficiados pela biotecnologia5. A biotecnologia está presente em diversas áreas 96. As contribuições da biotecnologia para o futuro 107. O Brasil tem legislação para a rotulagem de OGMs e derivados 118. As organizações internacionais apóiam os transgênicos 129. Royalties – questão de legislação 1310. Os transgênicos pelo mundo 15EXPEDIENTEEditor Executivo: Antonio Celso VillariRedação: Débora MarquesGerência Técnica: Vinicius CarvalhoConsultoria:Flávio Finardi - farmacêutico bioquímico, Ph.D. em Ciência dos Alimentos e professor da USPMarcelo Menossi - biólogo, Ph.D em Genética Molecular e professor da UnicampJosé Maria da Silveira - agrônomo, doutor em Economia e professor da UnicampPatrícia Fukuma - advogada especialista em Relações de ConsumoGabriel Di Blasi - advogado especializado em PatentesProjeto Gráfico: Sérgio BritoApoio Operacional: Jacqueline Ambrósio www.cib.org.br
  2. 2. APRESENTAÇÃO Com o objetivo de divulgar informações se- guras e de qualidade sobre os transgênicos, oCIB – Conselho de Informações sobre Biotecnologia(www.cib.org.br e www.biotecpragalera.org.br) – prepa-rou este material, que reúne os principais aspectos cien-tíficos, jurídicos, econômicos e sociais relativos à enge-nharia genética e aos organismos geneticamente modi-ficados (OGMs). Todas as questões são abordadas porcientistas e profissionais que pesquisam a biotecnologiae com ela trabalham. Boa leitura! O que é o CIB?O CIB, sigla de Conselho de Informações sobre Biotecnologia, é umaorganização não-governamental que existe há três anos no Brasil paradifundir informações técnicas e cientificamente comprovadas sobre abiotecnologia, suas aplicações e seus benefícios, contribuindo paraaumentar o conhecimento da sociedade a respeito desse tema. A entidadesegue o exemplo de instituições similares nos Estados Unidos, no Japão e noCanadá, entre outros países onde elas já existem há cinco anos, e não temfim lucrativo nem conotação político-partidária e ideológica. Ou seja, onegócio do CIB é ciência e informação. Se é um conselho, tem conselheiros...De fato, o CIB é formado por um grupo de 70 conselheiros, sobretudocientistas e profissionais liberais que estudam diferentes aspectos dabiotecnologia e ajudam o CIB a esclarecer a população a respeito doassunto. Esses profissionais escrevem artigos, dão entrevistas à imprensa eparticipam de chats, sempre procurando informar a opinião pública sobre oque fazem e descobrem. O CIB envolve outras empresas ou instituições?Qualquer organização interessada no tema biotecnologia pode se associarao CIB, desde que o Comitê Executivo da entidade concorde com seuingresso. Hoje, mais de 15 associações, instituições e empresas são parceirasdo Conselho de Informações sobre Biotecnologia e colaboram, direta ouindiretamente, para a ONG cumprir sua missão. Entre elas, Nestlé, Unilever,Abia, Abrasem e outras. 3
  3. 3. C IÊNCIA1 Os transgênicos são apenas uma das infinitas aplicações da biotecnologia A biotecnologia – que é a base dos transgênicos, segun- do o farmacêutico bioquímico Flávio Finardi, professor da Universidade de São Paulo (USP) –, está contribuin- do para a melhoria da qualidade de vida em A ciência ajuda diversos aspectos. Os benefícios dessa o homem no ciência para o consumidor já são notados desenvolvimento nas indústrias farmacêutica e da alimenta- de alimentos mais ção e em outras áreas, como na medicina, seguros, saudáveis na produção industrial e até na pecuária. e nutritivos “Além de aumentar a oferta de alimentos e desenvolver produtos mais nutritivos, no longo prazo, a possibilidade é de reduzir a quantidade de substâncias indesejáveis nos alimentos, como as que naturalmente podem levar a reações alérgicas”, afirma o professor. Saiba também que... • A biotecnologia permite o • Para quem quer se aprofundar um desenvolvimento, por exemplo, de pouco mais no assunto, segue a plantas resistentes a insetos que definição científica: os transgênicos prejudicam as plantações. Além ou organismos geneticamente disso, vários alimentos já foram modificados (OGMs) são aqueles desenvolvidos, tais como: frutas e que recebem um ou mais genes de hortaliças que demoram mais para outro organismo e passam a amadurecer, reduzindo perdas no expressar uma nova característica de campo e no comércio; plantas com especial interesse. Exemplo: uma valor nutricional enriquecido, como planta que tem sua qualidade O cultivo do algodão Bt na China por pequenos o arroz e o feijão com mais nutricional melhorada com gene de agricultores resultou vitaminas; vegetais que absorvem outro organismo. na redução do uso menos óleo quando são fritos; e de agrotóxicos e, plantas que são mais apropriadas conseqüentemente, na diminuição da para a agricultura e/ou mais intoxicação de adaptadas às condições adversas do trabalhadores rurais ambiente, entre tantos outros. 4
  4. 4. H ISTÓRIA2 Ao contrário do que se pensa, a biotecnologia não é uma ciência nova “Se tomarmos exemplos de técnicas primitivas envol- vendo plantas, animais e microrganismos, veremos que se trata de um ramo de conhecimento milenar ou até pré-histórico”, assinala o professor da Universidade de A engenharia genética vem sendo estudada há São Paulo (USP), Flávio Finardi. cerca de 40 anos A biotecnologia Um pouco de história... moderna teve início nos anos 50, • Os conhecimentos que permitiram o desenvolvimento dessa ciência a partir do O código genético de todas as espécies vivas remontam a meados do século XIX, conhecimento da está escrito no DNA, longa molécula na quando o monge austríaco Gregor estrutura do DNA forma de hélice dupla Mendel lançou as bases da genética, explicando a transmissão de características de geração para geração. E, antes de Mendel, intuitivamente os princípios da biotecnologia já eram usados para produzir pães, iogurtes, vinho, cerveja e muitos outros alimentos. Ou seja, as bases dessa ciência e, portanto, a biotecnologia propriamente dita, já existem há muito tempo. Vale lembrar que a palavra biotecnologia é formada por três termos de origem grega: bio, que quer dizer vida; logos, conhecimento; e tecnos, que designaProcessos defermentação utilizados a utilização prática da ciência.na produção dequeijos, vinhos, pães • Com o conhecimento da estruturae iogurtes são umadas formas mais do DNA (ácido desoxirribonucléico),antigas da utilização e do correspondente códigoda biotecnologia genético, teve início, a partir dos anos 50, a biotecnologia dita moderna. Foi desenvolvida, então, a biologia molecular, e o uso de genes pela engenharia genética – técnica para identificar, isolar e transferir BETO BARATA / AE genes de um organismo para outro – possibilitou a obtenção de novos e úteis produtos para o homem. Há mais de 30 anos, mesmo antes de sua comercialização, as plantas transgênicas são testadas para garantir sua segurança 5
  5. 5. S EGURANÇA3 A segurança dos transgênicos é avaliada rigorosamente Está mais do que comprovado: o alimento desenvolvido pela biotecnologia moderna (geneticamente modifica- do) só é liberado para o consumo depois de passar por todos os testes de avaliação de segurança. Os transgênicos Em mais de dez anos de uso em todo o passam por testes mundo, período em que, estima-se, cerca mais rigorosos que de 350 milhões de toneladas de alimentos aqueles aplicados a transgênicos foram consumidos, nunca se outros alimentos registrou um único caso de impacto nega- tivo na saúde humana ou animal. “Os transgênicos são testados como nenhum outro alimento, sendo tão ou CACALO KFOURI mais seguros que os convencionais”, diz o biólogo Mar- celo Menossi, professor do Departamento de Genética e Evolução do Instituto de Biologia da Universidade Es- tadual de Campinas (Unicamp). Guarde estas informações: • A segurança dos organismos • Vários testes são realizados para geneticamente modificados (OGMs) garantir a segurança dos alimentos envolve os mais rigorosos testes. geneticamente modificados.Análises químicas e São feitas avaliações toxicológicas e A Organização das Nações Unidasnutricionais são feitaspara identificar as nutricionais, entre outras. Para o para Alimentação e Agricultura (FAO)semelhanças e professor Menossi, é importante desenvolveu o critério de equivalênciadiferenças entre cultivos destacar a avaliação aprofundada substancial, cujo princípio são astransgênicos e seuspares convencionais dos trangênicos no que diz respeito análises químicas e nutricionais para a possíveis alergias, procedimento a identificação de semelhanças e que não é aplicado aos alimentos diferenças entre cultivos convencionais. geneticamente modificados e seus pares convencionais (não OGMs), que têm segurança já conhecida. CACALO KFOURI Os critérios para a análise de segurança dos alimentos geneticamente modificados foram estabelecidos pela ONU/FAO 6
  6. 6. QUESTÃO AMBIENTAL4 O meio ambiente é um dos maiores beneficiados pela biotecnologia Para o biólogo Marcelo Menossi, professor do Departa- mento de Genética e Evolução do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a agricultura não é isenta de impactos ambien- Os transgênicos tais, razão pela qual a biotecnologia trabalha há são uma alternativa anos para reduzi-los. Essa ciência, aplicada à para o desenvolvimento agricultura, é uma ferramenta a mais no con- com preservação texto do manejo integrado de pragas e plantas ambiental daninhas. Assim, contribui para a redução no uso de máquinas e combustíveis – com conseqüente di- minuição na emissão de gases poluentes – e, num futu- ro próximo, para o desenvolvimento de plantas que se- rão usadas para despoluir os solos. Por isso, não se esqueça: • A engenharia genética vem sendo utilizada no melhoramento de plantas que, entre outras coisas, aumentam a produtividade agrícola, diminuindo assim a necessidade de desmatamento em grandes áreas nativas e contribuindo para a Já são plantados preservação do meio ambiente. cerca de 81 milhões de hectares com Atualmente, produtos como soja, transgênicos em milho, canola, batata e algodão todo o mundo geneticamente modificados para que resistam a insetos e tolerem herbicidas já são cultivados em 20 países em escala comercial (aproximadamente 81,7 milhões de hectares) e consumidos por inúmeras nações. Entre elas, Europa, Japão, China e Brasil, além de Índia, Paquistão, Argentina, Canadá, Estados Unidos, México, Uruguai, Colômbia, África do Sul e Filipinas, entre outros países nos cinco continentes. 7
  7. 7. • O cientista da Unicamp conta que • De acordo com dados da algumas variedades geneticamente Universidade de Reading, na modificadas exigem menor uso de Inglaterra, se o produtor brasileiro defensivos agrícolas. “Na China, plantasse 90% (800 mil hectares) da aplicam-se cinco vezes menos área cultivada no País com algodão inseticidas nas lavouras transgênicas Bt, haveria uma economia de de algodão Bt em relação às 4,3 milhões de diesel e 700 toneladas convencionais, o que é vantajoso de inseticidas por ano. E, se também para o agricultor, que passa 10 milhões de hectares fossem a ter condições de trabalho mais plantados no Brasil com a soja RR, saudáveis”, explica Menossi. economizaríamos 31 milhões de litros de diesel só com a menor aplicação de defensivos agrícolas. O cultivo de transgênicos contribui para MARCOS MENDES / AE reduzir o uso de máquinas e combustíveis e, conseqüentemente, diminuir a emissão de gases poluentesNo Brasil, o plantio demilho direcionado parao controle da lagartado cartucho – principalpraga dessa plantano País – reduzirásignificativamente asaplicações de inseticidasnessa cultura 8
  8. 8. APLICAÇÕES5 A biotecnologia está presente em diversas áreas A biotecnologia já faz parte de nosso cotidiano há bas- tante tempo, principalmente levando-se em conta a agri- cultura e os produtos das indústrias far- A indústria macêutica, alimentícia e química, entre também começa a outras. Na saúde, a primeira aplicação desenvolver comercial dessa ciência ocorreu em 1982, produtos que se com a produção da insulina para o trata- decompõem mais mento de diabetes. Hoje, 75% da insulina rapidamente no mundial é produzida com a utilização de meio ambiente organismos transgênicos. Além disso, di- versas vacinas estão em desenvolvimento para prevenir a dengue, a AIDS e a tuberculose, entre outras doenças. Mas não é só isso... TASSO MARCELO / AE • A terapia gênica é outro campo promissor em que a biotecnologia é utilizada. Consiste em um tratamento para doenças do coração e outras, como câncer e AIDS, caracterizado pela inserção de um gene na célula humana, a fim de Tripanossoma cruzi, conferir-lhe uma nova função ou causador da doença de Chagas, é alvo corrigir os defeitos de um gene de estudos no anormal. Brasil para o Pesquisadores da Fiocruz desenvolvimento utilizam a biotecnologia • Os microrganismos geneticamente de vacina de DNA* para criar vacina contra a modificados vêm sendo usados nos esquistossomose processos de produção das INSTITUTO BUTANTAN indústrias farmacêutica, alimentícia, de papel, têxtil, química e petrolífera, entre outras. Com a modificação genética de bactérias, a indústria também já começa a desenvolver plásticos que se decompõem mais rapidamente no meio ambiente e, por isso, poluem menos o solo, a água e o ar. Instituições brasileiras (USP, Fiocruz, Unifesp e* Imagem publicada na Instituto Butantan) vêm desenvolvendo pesquisaspesquisa "Yellow Fever 17Dvirus Recombinant" com a biotecnologia para produzir vacinas e(USP, FioCruz e Unifesp) tratamentos contra a tuberculose e outras doenças 9
  9. 9. P ERSPECTIVA6 As contribuições da biotecnologia para o futuro A população mundial está crescendo cerca de 73 milhões de pessoas a cada ano e, de acordo com estimativas do censo americano, deve chegar a 7 bilhões de indivíduos em 2013. Com isso, a ONU acredita que a demanda por alimentos crescerá cerca de 55% em 2030! GLADSTONE CAMPOS • A área agricultável per capita no A engenharia mundo, que é o espaço disponível genética pode para a produção de alimentos suficientes para uma pessoa, contribuir para o correspondia, em 1960, a combate à fome 0,44 hectare. Já em 1997, essa e à desnutrição relação passou para 0,26 hectare. Para 2050, a projeção é de 0,15 no mundo hectare por pessoa. Tais estimativas apontam a necessidade de aumentar a produção por área,A biotecnologia também e a biotecnologia certamente pode Questão nutricionalpesquisa plantas que contribuir para isso.funcionam como Veja apenas alguns exemplos debiofábricas para a alimentos que estão sendo pesquisadosprodução de enzimas, pelos cientistas, inclusive no Brasil, evacinas, anticorpos eproteínas terapêuticas que, em breve, devem estar disponíveis aos consumidores: • tomate com mais licopeno, antioxidante que ajuda a prevenir o câncer e doenças do coração; • arroz com maior teor de betacaroteno, que estimula a produção de vitamina A; O arroz dourado • grãos com mais vitamina E, que tem maior teor de fortalece o sistema imunológico; betacaroteno • alface enriquecida com um composto que ajuda a diminuir o mau colesterol (LDL) e estimula o aumento do bom colesterol (HDL); Vários estudos estão • arroz, trigo e feijão com mais ferro, sendo realizados no Brasil sobre a incidência importante no combate à anemia; de micotoxinas em • frutas com maior teor de vitamina C; amendoim e seus • alimentos com menor nível de derivados micotoxinas, substâncias tóxicas produzidas por bolores que podem provocar doenças como o câncer, diminuir a resistência do corpo e dar Uma das variedades origem a hemorragias. de tomate desenvolvidas pela biotecnologia tem maior quantidade de licopeno 10
  10. 10. R OTULAGEM7 Brasil tem legislação para a rotulagem de OGMs e derivados Já existe, no Brasil, a lei que determina a rotulagem de produtos que contenham mais de 1% de matéria-prima geneticamente modificada. Assim como ocorre com quaisquer outros produtos, a rotulagem garante ao con- sumidor o direito à informação e à escolha na hora da compra. A lei determina a Saiba mais: rotulagem de produtos que • A legislação brasileira, por meio do decreto 4680/2003, determina contenham mais de que todo produto com mais de 1% 1% de matéria-prima de matéria-prima geneticamente geneticamente modificada traga a informação no rótulo, além do símbolo que modificada. caracteriza os transgênicos. A É o consumidor informação é um direito do com a liberdade e o consumidor e um instrumento direito de optar necessário para que ele tenha a liberdade de exercer a escolha na hora da compra. E, tenha certeza: se está rotulado, é porque foi aprovado. “A avaliação de segurança de um produto é feita antes de seu lançamento no mercado e, dessa forma, somente os produtos considerados seguros são postos à venda”, explica a advogada Patrícia Fukuma, especialista em Relações de Consumo. “Assim, a informação contida no rótulo tem apenas o objetivo de informar o consumidor, resguardando seu direito de escolha”, completa. A avaliação de segurança dos produtos transgênicos e seus derivados é feita antes de seu lançamento no mercado 11
  11. 11. AVAL CIENTÍFICO8 As organizações internacionais apóiam os transgênicos Diversas instituições internacionais de renome apóiam a biotecnologia e os produtos derivados do uso dessa técnica. Entre elas, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ONU), a Or- Entidades como a ganização Mundial da Saúde (OMS), a Academia FAO e a OMS, entre de Ciências do Vaticano, a Agência de Biotecnologia outras, já se da Austrália e a Agência de Controle de Alimentos posicionaram do Canadá. Além disso, cientistas de importantes oficialmente a favor“Desde o início dadécada de 90 há academias nacionais e internacionais já divulga- dos transgênicosprodutos no mercadointernacional sendo ram relatórios técnicos apoiando a adoção de plan-comercializados. Aolongo desses anos, não tas transgênicas na agricultura como forma de ajudar ofoi detectado nenhumefeito colateral na homem na redução da fome no planeta e de melhorar asaúde de quem qualidade dos alimentos consumidos pela população.consome essesalimentos, nem mesmono meio ambiente.”Elíbio Rech, engenheiroagrônomo, Ph.D. emGenética Celular eMolecular epesquisador daEmbrapa Informação qualificada... • Para o engenheiro agrônomo José • As Academias de Ciências do Reino Maria Ferreira Jardim da Silveira, Unido, dos Estados Unidos, da doutor em Economia e professor do China, da Índia, do México e do Instituto de Economia da Brasil elaboraram um amplo Universidade Estadual de Campinas documento sobre os transgênicos “Proibir os transgênicos é impedir o progresso (Unicamp), a evolução da ciência e (www.abc.org.br), no qual fazem científico, econômico e da tecnologia pode assustar, de recomendação do uso da social do País. Estamos início, principalmente pela forma biotecnologia para suprir carências correndo o risco de ficar para trás, e isso vertiginosa com que, nos últimos 50 alimentícias das populações e acarretará um custo anos, foi capaz de romper limites sugerem importantes conceitos para muito alto para o impostos à atividade humana em testes de segurança alimentar. Brasil, com o qual não várias áreas. A maior defesa contra o deveríamos arcar.” Crodowaldo Pavan, medo, porém, é a informação. “No biólogo com doutorado caso da biotecnologia, a informação e pós-doutorado na qualificada e o debate mediado pelo Universidade de Columbia e ex- conhecimento são as armas presidente da fundamentais contra o Sociedade Brasileira obscurantismo e a intolerância”, para o Progresso da Ciência (SBPC) afirma o professor. 12
  12. 12. P ATENTES9 Royalties – questão de legislação Assim como ocorre em outros setores, também na agri- cultura as companhias privadas e instituições públicas podem inovar e gerar novas tecnologias, neste caso com base no melhoramento genético convencional e na bio- tecnologia. E, tenha certeza, já estão fazendo isso em ou- tros países e também aqui. Diversas empresas multi- nacionais e nacionais, como Embrapa, Copersucar, Alellyx e Coodetec, já trabalham com O royalty é umaQualquer nova essas tecnologias no Brasil, além detecnologia pode ser práticaprotegida pelo sistema universidades públicas e privadas, comumentede patentes, inclusive abiotecnologia como Unicamp, Universidade Federal utilizada e serve de Santa Maria (UFSM-RS) e Univer- de fonte de sidade Federal de Viçosa (UFV-MG). recursos para retroalimentar a pesquisa Tenha em mente: • O pagamento de royalties é uma • “No Brasil, a proteção legal de compensação financeira pelo uso novas tecnologias aplicadas à autorizado de determinada biotecnologia se dá por meio da Lei tecnologia. O direito de propriedade de Propriedade Industrial, nº 9.279/ industrial é assegurado pela 96, que regula, entre outras formas Constituição Federal (artigo 5°, de proteção, as patentes e garante ao Existem hoje no mercado brasileiro inciso 29) e por uma legislação seu titular o direito de exclusividade diversas empresas específica (Lei de Propriedade para explorar sua tecnologia durante desenvolvendo Industrial, nº 9.279/96) a toda e um período de 20 anos, a contar do pesquisas para a geração de tecnologias qualquer empresa que invista em depósito do respectivo pedido de relacionadas com os tecnologia e a proteja. Isso vale para patente”, explica o advogado Gabriel transgênicos os produtos dela derivados, a Di Blasi, especializado em Patentes. exemplo dos transgênicos ou Esse direito exclui terceiros não quaisquer outros produtos autorizados de usar, fabricar, patenteados, e consiste em uma importar, expor, vender e estocar o prática comum no mercado. objeto da patente. 13
  13. 13. • A proteção de uma tecnologia pelo Como retribuição pela autorizaçãosistema de patentes é concedida a de uso, por meio dealguém como forma de retribuir o licenciamento ou cessão do direito,esforço intelectual e os custos essas pessoas ou empresas devemenvolvidos no processo de seu pagar royalties aos detentores dadesenvolvimento. De um lado, o tecnologia. Sem tal retribuição, asdireito de propriedade industrial companhias dificilmente seconcede a quem criou a tecnologia a sentiriam estimuladas a colocar, noexclusividade de sua exploração mercado, novos produtos de altacomercial e, em contrapartida, este tecnologia, uma vez que isso exigedivulga o conhecimento gerado para investimentos em pesquisa eque terceiros possam utilizá-lo e desenvolvimento que envolvem altodesenvolver novas tecnologias. Após custo e tempo elevado.o término do prazo de vigência dapatente, a utilização da tecnologia, • Existem, hoje, no mercadoobjeto da patente, se torna de brasileiro, diversas empresasdomínio público, ou seja, qualquer desenvolvendo pesquisas para aempresa ou instituição de pesquisa geração de tecnologias relacionadaspode fazer uso de tal conhecimento. com os transgênicos. Novas técnicas na área da transgenia, de diferentes• Dizer que uma empresa detém o empresas, em breve estarãodireito de propriedade industrial disponíveis no Brasil parasobre determinada tecnologia comercialização, estimulando cadasignifica afirmar que essa empresa vez mais a concorrência e apode usá-la ou permitir que, inovação no setor. Podemos afirmarmediante autorização, outras que a equação básica para apessoas ou organizações o façam. inovação tecnológica é o investimento de capital de risco mais a pesquisa acadêmica. Dizer que uma empresa detém o direito de propriedade industrial sobre determinada tecnologia significa afirmar que essa empresa pode usá-la ou permitir que, mediante autorização, outras pessoas ou organizações o façam 14
  14. 14. AGRICULTURA10 Os transgênicos pelo mundo O Brasil já é o Aproximadamente 81 milhões de hectares quarto país que foram plantados em 2004 com transgênicos mais cultiva em 17 países, de acordo com dados do Ser- plantas viço Internacional para a Aquisição de Apli- geneticamente cações em Agrobiotecnologia. Os Estados modificadas Unidos respondem por cerca de 59% da plantação mundial, seguidos de Argentina (20%), Cana- dá (6%), Brasil (6%), China (5%), Paraguai (2%), Índia (1%) e África do Sul (1%). O Brasil cultivou 5 milhões deA Argentina, queadotou a soja hectares de soja transgênica em seu segundo ano detransgênica na safra1996/1997, passou de plantio, um aumento de 66% em relação a 2003.3 milhões de toneladasexportadas para maisde 10 milhões em2003/2004 Mas não é só isso... • As exportações de soja cresceram produtividade do algodão Bt em consideravelmente nos últimos relação ao convencional, elevando anos. O Brasil passou de 15 milhões as margens de lucro de US$ 86 para de toneladas de grãos na safra 2000/ US$ 93 por hectare. Outro dado 2001 para mais de 20 milhões na revela que essa variedade de safra 2003/2004. Já a Argentina, que algodão permite diminuir as O gráfico compara as aplicações de inseticidas na exportações de soja nos adotou a soja transgênica na safra últimos cinco anos entre o 1996/1997, apresentou o maior lavoura, reduzindo os custos da Brasil e a Argentina, país crescimento relativo nas produção e economizando 14 horas onde o índice de uso de soja exportações, passando de 3 milhões de trabalho por hectare. transgênica é de mais de 90%. A taxa de crescimento de toneladas naquele período para é praticamente igual, com a mais de 10 milhões em 2003/2004. diferença de que o Brasil Ambos os países têm como exporta mais grãos e a Argentina, mais farelo principais compradores a China e a União Européia. • Milhões de pequenos produtores em todo o mundo já descobriram algumas das vantagens econômicas e sociais dos OGMs, como redução nos custos de produção, aumento da flexibilidade do manejo da cultura e incremento nos rendimentos. Na África do Sul, por exemplo, um estudo de três anos realizado com 2 mil pequenos agricultores locais apontou o aumento da 15
  15. 15. Visite os sites do CIBSe você quer saber mais sobre biotecnologia etransgênicos, confira os sites do CIB emwww.cib.org.br e www.biotecpragalera.org.br.Neles, você encontra informações de qualidade,notícias nacionais e internacionais sobre as pesquisasem desenvolvimento e entrevistas especiais comcientistas que trabalham com biotecnologia.O Biotec pra Galera, desenvolvido especialmentepara jovens e adolescentes, traz ainda uma seçãocom o dr. Jairo Bouer, que entrevista, na linguagemda garotada, os maiores especialistas no assunto.OUTROS ENDEREÇOS ÚTEIS:Anbio – Associação Nacional de Biossegurançawww.anbio.org.brCTNBio – Comissão Técnica Nacional de Biossegurançawww.ctnbio.gov.br/O DNA vai à escolawww.odnavaiaescola.orgPRÓ-TERRA - Associação Brasileira de Tecnologia,Meio Ambiente e Agronegócioswww.proterra.org.brAbrabi - Associação Brasileira das Empresas de Biotecnologiawww.abrabi.org.brISAAA – Serviço Internacional para aAquisição de Aplicações em Agrobiotecnologiawww.isaaa.orgCBI – Council for Biotechnology Informationwww.whybiotec.comEmbrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuáriawww.cenargen.embrapa.brSociedade Brasileira de Genética - SBGwww.sbg.org.brSociedade Brasileira de Biotecnologiawww.sbbiotec.org.brPorque Biotecnologia (Argentina)www.porquebiotecnologia.com.arBioBrasilwww.biobrasil.org.br

×