Amor diante de relacionamento

282 visualizações

Publicada em

Diante das noticias de relacionamentos conturbados, devido a grande maioria das pessoas confundirem a paixão pelo amor decide publicar esse pequeno texto sobre o mesmo.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
282
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Amor diante de relacionamento

  1. 1. AmorAmor DianteDiante dede RelacionamentoRelacionamento
  2. 2. O amor é fonte inesgotável de benção e medicamento eficaz para curar as feridas do sentimento. Quanto mais se expande no coração, mais concede alegria e felicidade. Depositário de força incomum, arrasta outras vidas que estavam para sucumbir, na direção dos altos cimos da esperança e da paz. É o mais vigoroso elo de sustentação dos relacionamentos humanos especialmente quando sustentado pela generosidade que mantém vivos os ideais de enobrecimento. Não se entorpece quando surgem dificuldades, nem desiste de lutar se enfrenta desafios que devem ser superados. Ocorre, no entanto, que as heranças psicológicas humanas, nem sempre felizes quando se referem ao amor, estabelecem parâmetros para que brilhe ditoso, e porque destituídos de legitimidade produzem desencantos e sofrimentos.
  3. 3. Nos relacionamentos familiares, o comportamento de pais castradores ou possessivos, negligentes ou manipuladores, marca de tal forma o sentimento do amor, que aqueles que o experimentaram nessa condição, armam-se para evitá-lo ou negam-se a dar- lhe, receando tornar-se vítimas novamente. Em outras ocasiões, a confusão dos sentimentos que decorre da incompreensão do seu conteúdo, confundido com desejos sexuais e arbitrárias dominações, leva a uma total distorção dos seus elementos essenciais, gerando reações que não lhe correspondem à realidade. Insegurança e instabilidade emocional apresentam-se com necessitadas de amor, quando, em realidade, precisam mais de terapia do que de envolvimentos afetivos, afim de que não descarreguem noutrem os conflitos que não foram resolvidos, gerando agressividade e cobrança.
  4. 4. É comum viver-se o presente, pensando-se no futuro, desejando-se que nunca sofra modificação, como se a vida fosse feita de mesmices e repetições de sentimentos da mesma qualidade. Noutras vezes a lembranças do que já se fruiu estabelecem falsas necessidades para que novamente repitam-se, tornando o presente um campo de batalha em contínuo combate. Hoje não pode ser como o ontem e certamente não será igual ao amanhã. Cada época é portadora das suas específicas manifestações, expressando fatores próprios que o caracterizam. O amor somente é válido quando vivido no momento, conforme se apresenta, sem saudades do pretérito nem ansiedades pelo porvir.
  5. 5. Decorrente do egoísmo que predomina em a natureza humana, sempre se pensa em utilizar o amor como meio para reter aqueles que devem avançar, cortando-lhes a asas do progresso, fixando-os na retaguarda, aprisionados nas células estreitas da paixão que lhes é dirigida. O amor não encarcera, e felicita-se, sempre quando liberta. O amor não retém e sempre é favorável ao progresso daquele a quem se dedica.
  6. 6. Podem ser dolorosas uma separação ou uma ruptura de um relacionamento por um motivo ou outro. No entanto, mais grave é permanecer exigindo que o outro perca o seu direito à felicidade dentro dos seus padrões, afim de tornar vitorioso aquele que se lhe agarra sem nenhum respeito, fixando em conflitos de posse e de insegurança. Se alguém não pode mais ficar vinculado a outro coração, é necessário que siga adiante, levando as lembranças felizes, enriquecido de gratidão por tudo quanto vivenciou, continuando o relacionamento agora sob outra condição.
  7. 7. Quando alguém segue em frente , não deixa atrás quem o ama, que também deve avançar. Somente amplia o laço da afetividade que ora dilata-se no rumo do infinito. E quando se trata da ruptura da afetividade, por certo foi chegado o momento de assim acontecer, sem produzir dilaceração no sentimento e sem ressentimentos. Toda vez que alguém se apresenta ressentido pelo amor não correspondido, é porque pretendia negociar -eu te amo, afim de que me ames. Atitude incorreta que não encontra respaldo no amor. Quando ele parece ter gerado desencanto e decepção, é porque não foi realmente vivenciado conforme deveria. Quem assim se sente, desprestigiado e infeliz, por não haver recebido o correspondente ao que pensava e pelo que lutava, em verdade não estabeleceu um vínculo de amor profundo, mas transferiu para o outro os seus desejos não realizados, as suas ambições não vividas.
  8. 8. Quando jesus recomendou o amor como condição essencial para a felicidade humana, estabeleceu que era necessario torná-lo amplo e irrestrito, de forma que iniciasse em si mesmo, agigantasse-se até o seu próximo e rumasse na direção de Deus. Esse amor é incondicional, sem limite, libertador. Quanto mais se ama,tanto mais se é feliz. O amor irradia paz e sempre gera satisfação física,emocional e psíquica. O amor, portanto, abarca todas as aspirações da criatura inteligente que um dia se lhe renderá totalmente feliz.

×