Aularepdemocratica2

925 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
925
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
115
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aularepdemocratica2

  1. 1. O Período Crítico (1954-55) O vice-presidente Café Filho pede licença médica, sendo substituído pelo presidente da câmara dos deputados, Carlos Luz, ligado aos golpistas e à UDN.
  2. 2. O Golpe Preventivo ● O Gen. Lott, ministro da guerra de Café Filho, defensor da legalidade, determina o “golpe preventivo”, ocupando com tropas os edifícios governamentais, jornais, e pontos estratégicos na capital.
  3. 3. O Golpe Preventivo ● Carlos Luz, Carlos Lacerda e outros golpistas se refugiam no Cruzador Tamandaré. O Congresso considera Carlos Luz impedido e indica Nereu Ramos para chefiar o governo até 1956.
  4. 4. Governo Juscelino Kubitschek (1956-1960)
  5. 5. O Presidente “Bossa-Nova” ● Juscelino Kubitschek é dotado de grande carisma, tendo grande capacidade de lidar com as massas.
  6. 6. “50 anos em 5” ● O grande apelo de seu governo é o otimismo desenvolvimentista, sintetizado num grande projeto econômico, o “Plano de metas”.
  7. 7. O Plano de Metas ● O Plano de Metas abrangia Energia, Transporte, Alimentos, Indústria de base, Educação. A Meta-síntese era a construção da nova capital, Brasília, conquistando o planalto central.
  8. 8. O Nacional- Desenvolvimentismo Combinava o Estado, a empresa privada nacional e o capital estrangeiro, a fim de promover o desenvolvimento através da industrialização.
  9. 9. Fases da Industrialização Brasileira ● Bens de consumo não duráveis (Primeira República), com capital nacional privado; ● Bens de produção ou indústria de base (Era Vargas), com capital estatal; ● Bens de consumo duráveis (governo JK), com capital estrangeiro
  10. 10. Favoreceram o novo setor ● Existência de grupos industriais no país que haviam acumulado lucros suficientes para diversificar sua produção; ● Aumento do mercado interno com o êxodo rural, aumento do proletariado e da classe média brasileiros; ● Facilidade de obtenção de créditos no exterior depois que os EUA haviam praticamente completado a ajuda à reconstrução européia.
  11. 11. Internacionalização da Economia Brasileira O país se abriu ao capital estrangeiro e aos investimentos diretos. É o modelo de chamado “capitalismo dependente- associado”, no qual as multinacionais instalam suas fábricas no Brasil.
  12. 12. O Tripé: o Estado Brasileiro ● Construção de novas Hidrelétricas, destacando-se Furnas, Três Marias. ● Ampliação da Petrobrás; ● USIMINAS ● COSIPA ● Rodovias Belém- Brasília, Belo Horizonte-Brasília ● Brasília
  13. 13. O Capital Estrangeiro ● Investimentos concentrados principalmente na produção de eletrodomésticos, aparelhos eletrônicos, indústria automobilística (Instalação da Volkswagen, Simca, Willys)
  14. 14. Instrução 113 da SUMOC Criada durante o governo Café Filho, permitia aos capitais estrangeiros a importação de equipamentos sem cobertura cambial, isto é, sem depositar a moeda estrangeira para pagamento dessas importações.
  15. 15. Resultados O país tem crescimento de 7% ao ano de 1957 a 1961. A Industrialização tem grande sucesso, havendo um incremento de 80%, destacando-se as indústrias de aço, mecânicas, elétricas, comunicações, equipamentos e transportes.
  16. 16. Resultados Há um aumento da inflação devido às constantes emissões necessárias à política de investimentos estatais e de créditos. Há a queda do valor do cruzeiro com a remessa de juros, royalties e dividendos de empresas estrangeiras.
  17. 17. Inflação Há um aumento do custo de vida, com o governo adotando uma política de generosos aumentos salariais que mascaravam a corrosão provocada pela inflação. Para controlar os trabalhadores o governo contou com a ajuda do vice-presidente João Goulart e a estrutura sindical.
  18. 18. “Me dá um dinheiro aí”
  19. 19. O Rompimento com o FMI Com o aumento da inflação, o FMI condiciona a obtenção de novos empréstimos à adoção pelo governo de uma política de austeridade. Juscelino não aceita essa política e opta pelo desenvolvimento com inflação, obtendo empréstimos com novos credores.
  20. 20. Plano Político O Governo de Juscelino é marcado pela liberdade política, com a livre manifestação da oposição e até dos comunistas, não havendo nenhum preso político.
  21. 21. Os Militares Durante o seu governo, JK enfrenta duas revoltas de oficiais da aeronáutica que apoiavam as idéias de Lacerda: Jacareacanga (Pará, 1956) e Aragarças (Goiás, 1959), porém ambas são sufocadas, sendo concedida anistia aos revoltosos.
  22. 22. Compra do Porta-aviões Minas Gerais
  23. 23. Marechal Lott ● O Exército desempenhou importante papel na estabilidade política através do Marechal Lott (ministro da guerra), garantindo a ordem. ● As forças armadas obtinham aumentos salariais e novos equipamentos.
  24. 24. Política Externa ● JK defende a criação da operação Pan-americana, propondo uma ajuda financeira dos EUA, objetivando erradicar a pobreza na América Latina, uma vez que esta poderia provocar uma revolução socialista.
  25. 25. Aspectos Negativos do Governo JK ● Aumento das desigualdades Regionais.
  26. 26. Maior dependência do capital e tecnologia estrangeiros Com a abertura a capitais estrangeiros, há o início da internacionalização da economia brasileira.
  27. 27. Aumento da inflação e da dívida externa Os gastos para sustentar a industrialização e a construção de Brasília ocasionam um déficit no orçamento federal. JK adota o emissionismo contínuo de papel-moeda o que gera a espiral inflacionária. A dívida externa aumenta quase 50% no período.
  28. 28. Concentração de Renda ● A concentração foi provocada pelo elevado diferencial entre a produtividade e os salários favorecidos pela política econômica do governo.
  29. 29. Não Realização da reforma agrária ● A modernização da agricultura compreendia os setores de fertilizantes e tratores. ● O trabalhador rural inicia um movimento maior em direção às cidades onde se encontravam as novas indústrias.
  30. 30. Os candangos ● Nordestinos fugidos da seca que se dirigiram para a construção de Brasília.
  31. 31. As Ligas Camponesas ● A falta de terras e a exploração rural incentivam o surgimento das ligas camponesas, organizações de trabalhadores rurais que buscavam a melhoria das suas condições de trabalho e a reforma agrária.
  32. 32. Brasília
  33. 33. Brasília ● O projeto, lembrando um avião em rota para a impossível utopia, logo dá à iniciativa um ar plausível Manuel Bandeira
  34. 34. Lúcio Costa e Oscar Niemeyer
  35. 35. Brasília ● Formas puras, geométricas e simples. ● Brasília seria a síntese da modernização, a materialização do novo Brasil.
  36. 36. Cultura ● Conquista da Copa do Mundo de 1958
  37. 37. A Bossa-Nova ● Ritmo com novas harmonias, mistura elementos do jazz norte-americano com outros nacionais como o samba. Marcada pela brasilidade e apego às raízes populares.
  38. 38. A Bossa-Nova
  39. 39. Teatro
  40. 40. Cinema: As chanchadas ● Comédias musicais que levam à tela ídolos do rádio como Carmen Miranda e apresentando novos como Oscarito e Grande Otelo.
  41. 41. O Cinema Novo ● Uma câmera na mão e uma idéia na cabeça Glauber Rocha ● Marcado pelo conteúdo engajado e pela forma inovadora e despojada.
  42. 42. A influência americana ● A cultura americana penetra no Brasil, assimilando-se o rock´n´roll, a calça jeans, jaquetas de couro, pegas de automóveis, brigas de turmas, admiração por artistas americanos.
  43. 43. Sucessão Presidencial
  44. 44. O Governo Jânio Quadros (1961)
  45. 45. Jânio Quadros ● Limpeza na corrupção, atacando a inflação, obras faraônicas, Brasília. ● Moralização do país e modernização responsável.
  46. 46. A Ambiguidade do governo Jânio Quadros
  47. 47. Medidas de Austeridade Política de contenção à inflação: congelamento dos salários, contenção de créditos, suspensão de subsídios ao trigo e à gasolina visando a estabilização econômica e a renegociação da dívida externa.
  48. 48. Medidas conservadoras Jânio proíbe o uso do lança-perfume no carnaval, biquini nas praias, corridas no Jóquei Clube durante a semana, rinhas de galo.
  49. 49. “O corpo estranho” na política
  50. 50. Política Externa Independente ● Jânio pretendia se reaproximar dos países socialistas a fim de ampliar o mercado para as exportações nacionais.
  51. 51. A Renúncia
  52. 52. O Problema da Sucessão Jango encontrava-se em viagem oficial na China. Os ministros militares não queriam sua subida ao poder, declaram estado de sítio para evitar manifestações, sendo apoiados por setores da UDN.
  53. 53. A “Cadeia da legalidade” ● O governador gaúcho Leonel Brizola, apoiado pelo comandante do III Exército, organiza a resistência legalista formando a chamada “rede da legalidade”.
  54. 54. Solução: Parlamentarismo Com uma emenda à constituição, é substituído o presidencialismo pelo parlamentarismo, sendo que Jango assume mas não detém o poder efetivo, agora reservado ao primeiro- ministro.
  55. 55. O Governo João Goulart (1961- 1964)
  56. 56. O Período Parlamentarista (1961-1963)
  57. 57. Conjuntura Externa: acirramento da guerra fria ● Cuba implantava o regime comunista, o que não era aceito de maneira nenhuma pelos Estados Unidos. ● No Brasil foi mantida a política externa independente, com o ministro San Tiago Dantas.
  58. 58. Acirramento da guerra fria ● Conferência de Punta del Este (1962) → Brasil se abstém de votar pela expulsão de Cuba na OEA.
  59. 59. Brizola e a ITT ● As relações de Jango com os Estados Unidos se agravaram por ocasião da desapropriação dos bens da Companhia telefônica nacional pelo governador do RS, Leonel Brizola.
  60. 60. A Aliança para o Progresso ● Auxílio econômico para a América Latina, promovendo uma melhoria do subdesenvolvimento nas regiões. Os países latinos deveriam combater o comunismo e facilitar a entrada das multinacionais americanas.
  61. 61. Bloqueio naval contra Cuba (1962) ● Os Estados Unidos pedem apoio brasileiro para o bloqueio e a uma possível invasão de Cuba. Jango responde ser a favor da não intervenção e da auto- determinação dos povos.
  62. 62. Jango visita os Estados Unidos em 1962 ● Jango se compromete a rever o caso da ITT e de futuras desapropriações. ● Kennedy acerta uma ajuda ao Nordeste, capitalizando a Sudene.
  63. 63. Conjuntura Interna O regime parlamentarista se mostrava ineficiente para resolver os problemas nacionais. Nas cidades as greves aumentavam. Na zona rural a questão agrária se deteriorava.
  64. 64. O Problema da Reforma Agrária ● A expansão capitalista no campo desintegrava a pequena propriedade. Era necessária a reforma da propriedade agrícola para aumentar o mercado interno.
  65. 65. O Artigo 141 da Constituição § 16 - É garantido o direito de propriedade, salvo o caso de desapropriação por necessidade ou utilidade pública, ou por interesse social, mediante prévia e justa indenização em dinheiro. Em caso de perigo iminente, como guerra ou comoção intestina, as autoridades competentes poderão usar da propriedade particular, se assim o exigir o bem público, ficando, todavia, assegurado o direito a indenização ulterior.
  66. 66. Realizações do período Parlamentarista ● Eletrobrás ● Comissão Nacional de Energia Nuclear
  67. 67. Parlamentarismo Após três primeiro-ministros, o parlamentarismo revelou-se incapaz de administrar o país. Há a realização de um plebiscito para a escolha do regime de governo.
  68. 68. Fase presidencialista (1963- 1964) A primeira medida do governo é apresentar o plano trienal de autoria do economista Celso Furtado. Os objetivos eram diminuir a inflação, promover o crescimento econômico e realizar as reformas de base.
  69. 69. Estatuto do Trabalhador Rural (1963) Finalmente levava os direitos trabalhistas para o campo: carteira de trabalho, jornada de trabalho de 8 horas, salário mínimo, férias remuneradas. Também foi incentivada a formação de sindicatos rurais.
  70. 70. As Reformas de Base ● Reforma Agrária ● Reforma urbana ● Reforma Fiscal ● Reforma Educacional ● Reforma Política ● Reforma Bancária
  71. 71. Reforma Fiscal Lei 4131/62, tratando sobre investimentos estrangeiros no país e sobre remessa de lucros. Outro ponto seria o do uso dos impostos como instrumento de distribuição de renda e a criação do imposto sobre grandes fortunas.
  72. 72. Reforma Urbana ●Seria fixado um teto para o número de imóveis pertencentes a um mesmo proprietário e os excedentes seriam vendidos a um preço subsidiado aos sem-teto das cidades.
  73. 73. Reforma Educacional ● Fim das cátedras vitalícias; ● Democratização do acesso ao ensino; ● Maior presença estudantil nos órgãos colegiados universitários.
  74. 74. Reforma Política ● Adoção do sufrágio universal.
  75. 75. Reforma Bancária ● Extensão do crédito e financiamento ● Combate à usura
  76. 76. Fracasso do Plano Trienal O operariado se recusava a aceitar restrições aos aumentos salariais; a esquerda não apoiava as medidas adotadas; os beneficiados com a inflação não tinham interesse em colaborar para o êxito das medidas governamentais e os opositores de Jango colaboravam para a sua ruína.
  77. 77. Cultura no governo Jango O período foi marcado pela efervescência cultural. A Bossa-nova alcançava sucesso internacional, a TV começava a se popularizar, o cinema novo se projetava no exterior e o aumento das universidades difundia idéias inovadoras entre as camadas médias. Há de se mencionar a conquista da Copa do Mundo de Futebol em 1962.
  78. 78. O CPC ● Movimento político de artistas e intelectuais que pretendia despertar uma consciência revolucionária na população brasileira. ● A “Arte revolucionária” seria instrumento de conscientização das pessoas.
  79. 79. Agravamento da Crise Política O governo era pressionado tanto pela direita quanto pela esquerda. As reformas de base pretendiam modernizar o capitalismo e reduzir as desigualdades sociais no país. As classes dominantes acusavam o governo de preparação para o comunismo. Os grupos de esquerda exigiam rapidez na execução das reformas de base, inclusive sem a aprovação do Congresso.
  80. 80. As esquerdas ● O racha do PCB com a formação do PcdoB; ● A esquerda do PTB, Brizola e os “grupos de onze”; ● As ligas camponesas; ● Os sindicatos ● A UNE
  81. 81. As Direitas ● A UDN se caracterizava pelo anticomunismo, defesa da iniciativa privada sem intervenção do Estado, antipopulismo, sustentação da grande propriedade e apoio ao capital estrangeiro.
  82. 82. As Direitas ● Influência dos Estados Unidos: ● Medo das propostas progressistas.
  83. 83. O IPES e o IBAD ● O IPES é uma agremiação apartidária com fins educacionais e cívicos. Empresários e políticos conservadores estudavam os problemas do Brasil. O Instituto era financiado por multinacionais. ● O IBAD tinha como objetivo influenciar nos debates econômico, político e social do país através da ação publicitária e política. Com apoio da CIA, financiou a campanha de vários políticos.
  84. 84. A ESG (Escola Superior de Guerra) ● Escola militar de altos estudos, visando a formulação de políticas públicas de desenvolvimento. ● Cria o binômio “Segurança e Desenvolvimento”
  85. 85. MAC (Movimento anti- comunista) O Movimento anti-comunista era responsável pela explosão de bombas, atentados que eram atribuídos aos comunistas.
  86. 86. A Revolta dos Sargentos (1963) Sargentos elegem 2 deputados nas eleições de 1962, mas ambos são podem assumir com base na Constituição de 1946. 600 sargentos da Aeronáutica e Marinha se rebelam no DF. Jango evita tomar posição. O episódio preocupa a oficialidade. Jango tenta o Estado de Sítio.
  87. 87. O Comício da Central do Brasil ● O comício se propõe a iniciar uma série de demonstrações de apoio de massas ao governo e às reformas de base.
  88. 88. A Marcha da Família com Deus pela Liberdade
  89. 89. Levante dos marinheiros Marinheiros festejam o aniversário da sua associação (ilegal) no sindicato dos metalúrgicos do Rio de Janeiro. O Min. da Marinha ordena que os fuzileiros navais reprimam o ato mas estes aderem aos rebeldes. Em acordo negociado, os amotinados recebem anistia após poucas horas de prisão.
  90. 90. O Discurso de Jango no Automóvel Clube ● Jango discursa para a Associação dos Sargentos e Suboficiais da Polícia Militar enaltecendo seu papel como elo entre as forças armadas e o povo.

×