SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 52
Baixar para ler offline
Juscelino Kubitschek
VIDA PESSOAL   1902 1914  1927  1931  1932  1934  1943  1956 1961 1967  1968 1974 1976   Nasceu em Diamantina, Minas Gerais, em 12 de setembro. Ingressa no seminário dos padres Lazaristas. Forma-se em Medicina pela Universidade de Minas Gerais. Casa-se com Sarah Lemos. Nasceu sua filha  Márcia Kubitschek, e anos depois, adotaram a 2 ª  filha Maristela Kubitschek   Tornou  -se médico do 1º Batalhão da Força Pública. Início da Carreira Política Assume a Presidência da República.  JK passa a faixa presidencial  ao seu sucessor, Jânio Quadros. Eleito membro da Academia Mineira de Letras. Faleceu em um acidente de carro. Fim da Carreira Política. Retorna ao Brasil, após exílio de dois anos na Europa.
Juscelino, Bacharel em Medicina, 1927  Sarah e Juscelino Kubitschek   Visita de G.Vargas a Minas Gerias, 1954   Candidatura de JK à Presidência,1955  Construção de Brasília. 1956  JK e os campeões mundiais de basquete,1959
Juscelino Kubitschek de Oliveira foi eleito presidente do Brasil nas eleições de 1955, tendo João Goulart (Jango) como vice-presidente.
Assumiu o governo no dia 31 de janeiro de 1956, ficando no poder até 31 de janeiro de 1961, quando passou o cargo para Jânio Quadros.
Em outubro de 1955 a chapa formada por Juscelino Kubitscheque e João Goulart vence as eleições presidenciais com 36% dos votos.
Os perdedores contestam o resultado, dizendo que os vencedores não tinham maioria absoluta, tinham metade dos votos mais um e que alem disso, tinham sido eleitos com os votos do partido comunista que nessa época esta ainda na ilegalidade.
A verdade porem é outra, os grupos que haviam trabalhado para afastar Vargas do poder, estavam novamente perdendo a chance de assumir o controle do governo e começam a fazer tudo que é possível para impedir a posse do presidente eleito.
Mais o general Henrique Teixeira Lott chefiou um movimento para neutralizar uma suposta conspiração tramada no próprio governo, o chamado  CONTRA GOLPE  do general Lott, afastam os inimigos de Juscelino do poder.
Em uma situação de censura a imprensa, estado de sítio (uma situação temporária em que certos direitos fundamentais são limitados ou suspensos) e de grande tensão política Juscelino toma posse no dia  31 de janeiro de 1956 .
Juscelino começou seu governo com o apoio maciço do congresso, que na época não era nesse prédio aqui, conhecido por todos! O apoio vinha da aliança entre o PTB E O PSD, que tinha sido feita no inicio da eleição e permaneceu durante todo governo.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
No ministério da guerra ele convidou o  mesmo militar  que fez de tudo para garantir sua posse o general LOTT .  PSD - O apoiavam na política econômica, mantinham os controles sobre todas as bases rurais.  Com o PTB no Ministério do Trabalho , sindicatos ficavam contentes e acabavam apoiando o governo deles.
Os militares tinham o geral Lott no ministério da guerra. Alem de que JK gastou muito dinheiro para melhoramento do Estado das Forças Armadas, e assim, ele se armou por todos os lados, nas cidades, nos campos nos quartéis. Esse apoio ajudou JK no seu Plano de Metas.
Juscelino Kubitschek tinha o objetivo de implantar no país o Projeto dos Automóveis no qual pretendia atrair montadoras de automóveis para o país, para que isso se realizasse e construiu vários kilômetros de rodovias ligando todo o Brasil e desenvolvendo o país.
No Brasil, a entrada de empresas multinacionais começou a ganhar importância durante o governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961). Neste governo instalaram fábricas no Brasil as seguintes empresas: Ford, Volkswagen, Willys, GM, entre outras.
Quando ele começou a governar, o Brasil não produzia automóvel e no fim do seu governo a nova indústria automobilística já produzia: 81.753 automóveis  51.325 caminhões.
A política adotada por Juscelino fez a economia brasileira dar um salto foi chamada de  nacional-desenvolvimentista
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
A politica economica de JK, recebeu apoio dos politicos dos  empresários dos militares, jornalistas e dos intelectuais. Os nacionalistas desconfiavam dessa politica, eles não gostavam muito da ideia dos incentivos aos empresários estrangeiros, eles achavam que a industrialização deveria ser feita por empresários nacionais para garantir a autonomia do país.  Mais os militares eram a favor.
Plano De metas Plano De metas 1956
Em 1956,  Juscelino estabeleceu um  Plano de Metas  que tinha com objetivo "crescer cinqüenta anos em cinco ".
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Os industriais brasileiros continuavam investindo nos setores tradicionais (tecido, móveis, alimentos, roupas e construção civil), e as multinacionais entravam no Brasil pela primeira vez, para a produção de bens de consumo
Pontos positivos Pontos negativos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Energia  (metas de 1 a 5)  Energia elétrica, nuclear, carvão, produção e refino de petróleo  Transportes  (metas de 2 a 12)  Reativar estradas de ferro, estradas de rodagem, portos, barragens, marinha mercante e aviação  Alimentação (metas de 13 a 18)  Trigo, armazenagem e silos, frigoríficos, matadouros, tecnologia no campo e fertilizantes  Indústrias de base  (metas 19 a 29)  Alumínio, metais não ferrosos, álcalis, papel e celulose, borracha, exportação de ferro, industria de automóveis e construção naval, maquinas pesadas e material elétrico.  Educação  (meta 30)  Melhorar a educação e implantar cursor técnicos no país.   Brasília  (meta 31)  Construção de uma nova capital no Planalto Central, a meta-síntese
Outros investimentos estatais durante o Plano de Metas:  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O plano de metas previa também a construção da nova capital Brasília Brasília foi o símbolo que Juscelino escolheu para o seu governo, o urbanista Lúcio costa e o arquiteto Oscar Niemeyer foram convidados para conduzir os trabalhos de criação e realização de  do projeto de construir uma nova capital no interior do pais.
A construção de Brasília provocou um grande entusiasmo na população. Afinal, uma nova e moderna cidade estava surgindo no meio do cerrado do centro-oeste brasileiro E uma enorme quantidade de trabalhadores deslocaram-se para a nova capital.
1960 - Brasília  Vista do Eixo Rodoviário Ao fundo Esplanada dos Ministérios. fonte Revista Manchete n. 417, RJ, 16 abr 1960
Os projetos antes da hora: O arquiteto Jeferson Tavares, da USP de São Carlos, resgatou os desenhos anteriores ao tempo do concurso de Brasília promovido por JK   1927, autor desconhecido  Documento encontrado no Cartório de Registro de Imóveis de Planaltina
1930, Theodoro Figueira de Almeida  O historiador usa pela primeira vez o nome Brasília na concepção da cidade  1936, Carmem Portinho  Desenho de inspiração modernista de autoria da terceira mulher a se formar em engenharia no Brasil, em 1925
Brasília em construção
Em razão de seu arrojado projeto arquitetônico, a construção da cidade de Brasília tornou-se o mais importante ícone do processo de modernização e industrialização do Brasil daquele período histórico. A nova cidade e capital federal foi o símbolo máximo do progresso nacional e foi considerada Patrimônio Cultural da Humanidade.
Brasília Hoje em dia
Juscelino gastou tanto que a inflação disparou.  Quando ele assumiu o governo a  Inflação era de12,5% ao ano,quando saiu era mais de 30%.
GRAFICO DA INFLAÇÃO Fontes: Estatísticas históricas do Brasil. Séries Econômicas, Demográficas e Sociais. 1550 a 1988. 2. ed. Rio de Janeiro : IBGE, 1990, p. 118 e 177. “25 anos de economia brasileira – estatísticas básicas”. Avulso da revista Conjuntura Econômica, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, v. 26, nov. 72, e diversos números mais recente
A inflação subiu porque o governo gastava mais do que arrecadava com os impostos, e não foi somente na construção de Brasília, que o governo de Juscelino gastou muito dinheiro.
o governo também: Aumentou muito o salário dos funcionários civis e militares. Emprestavam dinheiro aos empresários com juros baixíssimos. Como nessa época não existia correção monetária, os empresários recebiam os empréstimos dos bancos e quando pagavam as dividas, pagavam muito menos do que recebiam, porque com a inflação, a moeda tinha se desvalorizado.
Esta charge mostra que JK aumentou o valor do salário mínino no Brasil. Por um lado isso foi bom, pois aumentou o poder de compra da população, porém isso aumentou a inflação e a desvalorização da moeda brasileira, e conseqüentemente o povo ficou revoltado.
Outro problema foi: Dos produtos agrícolas que eram exportados, os preços caíram nos mercados internacionais, e o Brasil foi recebendo cada vez menos pela mesma quantidade que vendia ao exterior.
Para salvar a situação Juscelino criou um  plano de estabilização   econômica  para que o Brasil continuasse recebendo empréstimo exterior o plano tinha que ser aprovado pelo FMI, mas o empresários brasileiros não estavam de acordo pois iriam ficar sem créditos, os comunistas e nacionalistas também não apoiavam, porque o plano iria levar o Brasil a ficar dependente dos EUA.
Houve melhoras nos indicadores sociais. Um dos enunciados do Plano de Desenvolvimento de JK era “aumentar o padrão de vida do povo, abrindo oportunidades para um futuro melhor”. Na década de seu mandato isso se cumpriu através do aumento na expectativa de vida dos brasileiros, diminuição da taxa de mortalidade infantil e analfabetismo.
No final do governo Juscelino queria fazer seu sucessor, porem preferiu ganhar as simpatias dos militares, comunistas, nacionalistas, empresários, e rompeu as negociações com FMI. JK abandonou o plano de estabilização, ele queria que seu sucessor fosse o general Lott, porém quem ganhou as eleições foi seu adversário Janio quadros.
Carta de despedida dirigida ao povo brasileiro no encerramento do seu governo.
Depois da presidência Mesmo depois de terminar a sua presidência Juscelino Kubitschek continuou na política, sendo senador de Goiás em 1962.  Em 1965 ele novamente tentou se tornar presidente do Brasil, com uma campanha pré-eleitoral chamada de JK-65, mas sendo abortado pela ditadura militar. Acusado de corrupção e de ser apoiado pelos comunistas Juscelino Kubitschek teve seus direitos políticos cassados em 15 de junho de 1964, perdendo o mandato de senador de Goiás.
Depois disso entrou em exílio voluntário pelos USA e a Europa, mas voltou em 3 de outubro de 1965, porém ficou pouco tempo no Brasil. No final do segundo exílio voluntário voltou ao Brasil definitivamente em 1967.  Também 1967 Juscelino Kubitschek participou na Frente Ampla contra o regime militar juntamente com o ex-presidente João Goulart e o ex-governador de Guanabara Carlos Lacerda, que era seu adversário político. 
JK pretendia voltar para a política passados os 10 anos de licença política cassada. Os militares tentaram impedi-lo, usando do artifício das denúncias de corrupção para desmoralizá-lo politicamente, além de ameaçar que levariam o caso adiante caso ele voltasse a política.
Acidente ou Atentado ?
No dia 9 de agosto de 1976, uma notícia correu o país: Juscelino Kubitschek morrera num acidente de estrada. Amigos e jornalistas se precipitaram à Fazenda JK, onde não havia telefone – e o encontraram vivo, sorridente. "Estão querendo me matar, mas ainda não conseguiram", disse ele.  Mas duas semanas depois , no dia 22 de agosto , Juscelino ao completar 74 anos o ex-presidente havia morrido em um acidente de carro , quando viajava para o Rio de Janeiro.
Segundo inquérito policial o carro de Juscelino , conduzido por seu motorista , teria sido atingido , por trás , por um ônibus. Desgovernado , atravessou o canteiro central , e na outra pista foi atingido de frente por uma carreta. Dúvidas surgidas naquela tarde nunca foram esclarecidas. Poderia tratar-se não de acidente, mas de atentado.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Período regencial
Período regencialPeríodo regencial
Período regencial
 
Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulart
 
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
 
Ditadura militar no brasil (1964 1985)
Ditadura militar no brasil (1964 1985)Ditadura militar no brasil (1964 1985)
Ditadura militar no brasil (1964 1985)
 
A ditadura militar
A ditadura militarA ditadura militar
A ditadura militar
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
SEGUNDA GRANDE GUERRA
SEGUNDA GRANDE GUERRASEGUNDA GRANDE GUERRA
SEGUNDA GRANDE GUERRA
 
A república liberal
A república liberalA república liberal
A república liberal
 
A desintegração da URSS
A desintegração da URSSA desintegração da URSS
A desintegração da URSS
 
O governo sarney slide
O governo sarney  slideO governo sarney  slide
O governo sarney slide
 
Revoluções liberais de 1830 e 1848
Revoluções liberais de 1830 e 1848Revoluções liberais de 1830 e 1848
Revoluções liberais de 1830 e 1848
 
A era vargas (1930 1945)-2
A era vargas (1930 1945)-2A era vargas (1930 1945)-2
A era vargas (1930 1945)-2
 
A Crise De 1929
A Crise De 1929A Crise De 1929
A Crise De 1929
 
Brasil república populista 1945 1964
Brasil república populista 1945 1964Brasil república populista 1945 1964
Brasil república populista 1945 1964
 
Ditadura militar no Brasil
Ditadura militar no BrasilDitadura militar no Brasil
Ditadura militar no Brasil
 
Totalitarismos
TotalitarismosTotalitarismos
Totalitarismos
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
 
A América Latina nos séculos XX e XXI
A América Latina nos séculos XX e XXIA América Latina nos séculos XX e XXI
A América Latina nos séculos XX e XXI
 
O populismo no brasil
O populismo no brasilO populismo no brasil
O populismo no brasil
 
Slide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a faseSlide revoluçao industrial - 1a fase
Slide revoluçao industrial - 1a fase
 

Destaque

Destaque (20)

Brasília
BrasíliaBrasília
Brasília
 
Brasilia
BrasiliaBrasilia
Brasilia
 
A década de 50 - Anos 50
A década de 50 - Anos 50A década de 50 - Anos 50
A década de 50 - Anos 50
 
Brasilia
BrasiliaBrasilia
Brasilia
 
A Construção de Brasília
A Construção de BrasíliaA Construção de Brasília
A Construção de Brasília
 
Way Bandeirantes
Way BandeirantesWay Bandeirantes
Way Bandeirantes
 
Os Anos Jk
Os Anos JkOs Anos Jk
Os Anos Jk
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
 
Presidentes JUSCELINO KUBITSCHEK, JOÃO GOULART, JOAO BATISTA FIGUEIREDO
Presidentes JUSCELINO KUBITSCHEK, JOÃO GOULART, JOAO BATISTA FIGUEIREDOPresidentes JUSCELINO KUBITSCHEK, JOÃO GOULART, JOAO BATISTA FIGUEIREDO
Presidentes JUSCELINO KUBITSCHEK, JOÃO GOULART, JOAO BATISTA FIGUEIREDO
 
O período JK
O período JKO período JK
O período JK
 
Da era vargas ao golpe de 64 - 2013 show
Da era vargas ao golpe de 64 - 2013 showDa era vargas ao golpe de 64 - 2013 show
Da era vargas ao golpe de 64 - 2013 show
 
Oscar
OscarOscar
Oscar
 
A era Vargas
A era VargasA era Vargas
A era Vargas
 
Os governos das décadas de 50 e 60
Os governos das décadas de 50 e 60Os governos das décadas de 50 e 60
Os governos das décadas de 50 e 60
 
Trabalho historia Juscelino Kubitschek
Trabalho historia Juscelino KubitschekTrabalho historia Juscelino Kubitschek
Trabalho historia Juscelino Kubitschek
 
A Era Vargas – Governo Democrático
A Era Vargas – Governo DemocráticoA Era Vargas – Governo Democrático
A Era Vargas – Governo Democrático
 
Apresentaçao lele
Apresentaçao leleApresentaçao lele
Apresentaçao lele
 
Humanização em ambientes hospitalares
Humanização em ambientes hospitalaresHumanização em ambientes hospitalares
Humanização em ambientes hospitalares
 
Governo castelo branco
Governo castelo brancoGoverno castelo branco
Governo castelo branco
 
Presidente castelo branco
Presidente castelo brancoPresidente castelo branco
Presidente castelo branco
 

Semelhante a JK: O Presidente que construiu Brasília

Jucelino kubitschek
Jucelino kubitschekJucelino kubitschek
Jucelino kubitschekHumb3rt0
 
Trabalho de geografia (1)
Trabalho de geografia (1)Trabalho de geografia (1)
Trabalho de geografia (1)Gilberto Pires
 
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955   1964 - até golpe m ilitarBrasil 1955   1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitarhistoriando
 
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...Joselaine
 
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955   1964 - até golpe m ilitarBrasil 1955   1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitarNelia Salles Nantes
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e RedemocratizaçãoDaniel Alves Bronstrup
 
Governo Juscelino (1955 1960)
Governo Juscelino (1955 1960)Governo Juscelino (1955 1960)
Governo Juscelino (1955 1960)Alê Maldonado
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasilDaniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.Daniel Alves Bronstrup
 

Semelhante a JK: O Presidente que construiu Brasília (20)

De Juscelino a Jango
De Juscelino a JangoDe Juscelino a Jango
De Juscelino a Jango
 
Jucelino kubitschek
Jucelino kubitschekJucelino kubitschek
Jucelino kubitschek
 
JK
JKJK
JK
 
Trabalho de geografia (1)
Trabalho de geografia (1)Trabalho de geografia (1)
Trabalho de geografia (1)
 
Era Jk
Era JkEra Jk
Era Jk
 
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955   1964 - até golpe m ilitarBrasil 1955   1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
 
Aularepdemocratica2
Aularepdemocratica2Aularepdemocratica2
Aularepdemocratica2
 
O brasil pós vargas
O brasil pós vargasO brasil pós vargas
O brasil pós vargas
 
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...
 
Governos populistas no Brasil
Governos populistas no BrasilGovernos populistas no Brasil
Governos populistas no Brasil
 
O Governo JK
O Governo JKO Governo JK
O Governo JK
 
Atividade populismo 01
Atividade populismo 01Atividade populismo 01
Atividade populismo 01
 
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955   1964 - até golpe m ilitarBrasil 1955   1964 - até golpe m ilitar
Brasil 1955 1964 - até golpe m ilitar
 
Resumo Estado Novo
Resumo Estado NovoResumo Estado Novo
Resumo Estado Novo
 
A era vargas
A era vargasA era vargas
A era vargas
 
Governos jk janio e jango
Governos jk janio e jangoGovernos jk janio e jango
Governos jk janio e jango
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Governo Juscelino (1955 1960)
Governo Juscelino (1955 1960)Governo Juscelino (1955 1960)
Governo Juscelino (1955 1960)
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
 

Último

v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturagomescostamma
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonRosiniaGonalves
 

Último (20)

v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
 

JK: O Presidente que construiu Brasília

  • 2. VIDA PESSOAL 1902 1914 1927 1931 1932 1934 1943 1956 1961 1967 1968 1974 1976 Nasceu em Diamantina, Minas Gerais, em 12 de setembro. Ingressa no seminário dos padres Lazaristas. Forma-se em Medicina pela Universidade de Minas Gerais. Casa-se com Sarah Lemos. Nasceu sua filha Márcia Kubitschek, e anos depois, adotaram a 2 ª filha Maristela Kubitschek Tornou -se médico do 1º Batalhão da Força Pública. Início da Carreira Política Assume a Presidência da República. JK passa a faixa presidencial ao seu sucessor, Jânio Quadros. Eleito membro da Academia Mineira de Letras. Faleceu em um acidente de carro. Fim da Carreira Política. Retorna ao Brasil, após exílio de dois anos na Europa.
  • 3. Juscelino, Bacharel em Medicina, 1927 Sarah e Juscelino Kubitschek Visita de G.Vargas a Minas Gerias, 1954 Candidatura de JK à Presidência,1955 Construção de Brasília. 1956 JK e os campeões mundiais de basquete,1959
  • 4. Juscelino Kubitschek de Oliveira foi eleito presidente do Brasil nas eleições de 1955, tendo João Goulart (Jango) como vice-presidente.
  • 5. Assumiu o governo no dia 31 de janeiro de 1956, ficando no poder até 31 de janeiro de 1961, quando passou o cargo para Jânio Quadros.
  • 6. Em outubro de 1955 a chapa formada por Juscelino Kubitscheque e João Goulart vence as eleições presidenciais com 36% dos votos.
  • 7. Os perdedores contestam o resultado, dizendo que os vencedores não tinham maioria absoluta, tinham metade dos votos mais um e que alem disso, tinham sido eleitos com os votos do partido comunista que nessa época esta ainda na ilegalidade.
  • 8. A verdade porem é outra, os grupos que haviam trabalhado para afastar Vargas do poder, estavam novamente perdendo a chance de assumir o controle do governo e começam a fazer tudo que é possível para impedir a posse do presidente eleito.
  • 9. Mais o general Henrique Teixeira Lott chefiou um movimento para neutralizar uma suposta conspiração tramada no próprio governo, o chamado CONTRA GOLPE do general Lott, afastam os inimigos de Juscelino do poder.
  • 10. Em uma situação de censura a imprensa, estado de sítio (uma situação temporária em que certos direitos fundamentais são limitados ou suspensos) e de grande tensão política Juscelino toma posse no dia 31 de janeiro de 1956 .
  • 11. Juscelino começou seu governo com o apoio maciço do congresso, que na época não era nesse prédio aqui, conhecido por todos! O apoio vinha da aliança entre o PTB E O PSD, que tinha sido feita no inicio da eleição e permaneceu durante todo governo.
  • 12.
  • 13. No ministério da guerra ele convidou o mesmo militar que fez de tudo para garantir sua posse o general LOTT . PSD - O apoiavam na política econômica, mantinham os controles sobre todas as bases rurais. Com o PTB no Ministério do Trabalho , sindicatos ficavam contentes e acabavam apoiando o governo deles.
  • 14. Os militares tinham o geral Lott no ministério da guerra. Alem de que JK gastou muito dinheiro para melhoramento do Estado das Forças Armadas, e assim, ele se armou por todos os lados, nas cidades, nos campos nos quartéis. Esse apoio ajudou JK no seu Plano de Metas.
  • 15. Juscelino Kubitschek tinha o objetivo de implantar no país o Projeto dos Automóveis no qual pretendia atrair montadoras de automóveis para o país, para que isso se realizasse e construiu vários kilômetros de rodovias ligando todo o Brasil e desenvolvendo o país.
  • 16. No Brasil, a entrada de empresas multinacionais começou a ganhar importância durante o governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961). Neste governo instalaram fábricas no Brasil as seguintes empresas: Ford, Volkswagen, Willys, GM, entre outras.
  • 17. Quando ele começou a governar, o Brasil não produzia automóvel e no fim do seu governo a nova indústria automobilística já produzia: 81.753 automóveis 51.325 caminhões.
  • 18. A política adotada por Juscelino fez a economia brasileira dar um salto foi chamada de nacional-desenvolvimentista
  • 19.
  • 20. A politica economica de JK, recebeu apoio dos politicos dos empresários dos militares, jornalistas e dos intelectuais. Os nacionalistas desconfiavam dessa politica, eles não gostavam muito da ideia dos incentivos aos empresários estrangeiros, eles achavam que a industrialização deveria ser feita por empresários nacionais para garantir a autonomia do país. Mais os militares eram a favor.
  • 21. Plano De metas Plano De metas 1956
  • 22. Em 1956, Juscelino estabeleceu um  Plano de Metas  que tinha com objetivo "crescer cinqüenta anos em cinco ".
  • 23.
  • 24. Os industriais brasileiros continuavam investindo nos setores tradicionais (tecido, móveis, alimentos, roupas e construção civil), e as multinacionais entravam no Brasil pela primeira vez, para a produção de bens de consumo
  • 25.
  • 26.
  • 27. Energia  (metas de 1 a 5) Energia elétrica, nuclear, carvão, produção e refino de petróleo Transportes  (metas de 2 a 12) Reativar estradas de ferro, estradas de rodagem, portos, barragens, marinha mercante e aviação Alimentação (metas de 13 a 18) Trigo, armazenagem e silos, frigoríficos, matadouros, tecnologia no campo e fertilizantes Indústrias de base (metas 19 a 29) Alumínio, metais não ferrosos, álcalis, papel e celulose, borracha, exportação de ferro, industria de automóveis e construção naval, maquinas pesadas e material elétrico. Educação  (meta 30) Melhorar a educação e implantar cursor técnicos no país.  Brasília  (meta 31) Construção de uma nova capital no Planalto Central, a meta-síntese
  • 28.
  • 29. O plano de metas previa também a construção da nova capital Brasília Brasília foi o símbolo que Juscelino escolheu para o seu governo, o urbanista Lúcio costa e o arquiteto Oscar Niemeyer foram convidados para conduzir os trabalhos de criação e realização de do projeto de construir uma nova capital no interior do pais.
  • 30. A construção de Brasília provocou um grande entusiasmo na população. Afinal, uma nova e moderna cidade estava surgindo no meio do cerrado do centro-oeste brasileiro E uma enorme quantidade de trabalhadores deslocaram-se para a nova capital.
  • 31. 1960 - Brasília Vista do Eixo Rodoviário Ao fundo Esplanada dos Ministérios. fonte Revista Manchete n. 417, RJ, 16 abr 1960
  • 32. Os projetos antes da hora: O arquiteto Jeferson Tavares, da USP de São Carlos, resgatou os desenhos anteriores ao tempo do concurso de Brasília promovido por JK 1927, autor desconhecido  Documento encontrado no Cartório de Registro de Imóveis de Planaltina
  • 33. 1930, Theodoro Figueira de Almeida  O historiador usa pela primeira vez o nome Brasília na concepção da cidade 1936, Carmem Portinho  Desenho de inspiração modernista de autoria da terceira mulher a se formar em engenharia no Brasil, em 1925
  • 35. Em razão de seu arrojado projeto arquitetônico, a construção da cidade de Brasília tornou-se o mais importante ícone do processo de modernização e industrialização do Brasil daquele período histórico. A nova cidade e capital federal foi o símbolo máximo do progresso nacional e foi considerada Patrimônio Cultural da Humanidade.
  • 37. Juscelino gastou tanto que a inflação disparou. Quando ele assumiu o governo a Inflação era de12,5% ao ano,quando saiu era mais de 30%.
  • 38. GRAFICO DA INFLAÇÃO Fontes: Estatísticas históricas do Brasil. Séries Econômicas, Demográficas e Sociais. 1550 a 1988. 2. ed. Rio de Janeiro : IBGE, 1990, p. 118 e 177. “25 anos de economia brasileira – estatísticas básicas”. Avulso da revista Conjuntura Econômica, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, v. 26, nov. 72, e diversos números mais recente
  • 39. A inflação subiu porque o governo gastava mais do que arrecadava com os impostos, e não foi somente na construção de Brasília, que o governo de Juscelino gastou muito dinheiro.
  • 40. o governo também: Aumentou muito o salário dos funcionários civis e militares. Emprestavam dinheiro aos empresários com juros baixíssimos. Como nessa época não existia correção monetária, os empresários recebiam os empréstimos dos bancos e quando pagavam as dividas, pagavam muito menos do que recebiam, porque com a inflação, a moeda tinha se desvalorizado.
  • 41. Esta charge mostra que JK aumentou o valor do salário mínino no Brasil. Por um lado isso foi bom, pois aumentou o poder de compra da população, porém isso aumentou a inflação e a desvalorização da moeda brasileira, e conseqüentemente o povo ficou revoltado.
  • 42. Outro problema foi: Dos produtos agrícolas que eram exportados, os preços caíram nos mercados internacionais, e o Brasil foi recebendo cada vez menos pela mesma quantidade que vendia ao exterior.
  • 43. Para salvar a situação Juscelino criou um plano de estabilização econômica para que o Brasil continuasse recebendo empréstimo exterior o plano tinha que ser aprovado pelo FMI, mas o empresários brasileiros não estavam de acordo pois iriam ficar sem créditos, os comunistas e nacionalistas também não apoiavam, porque o plano iria levar o Brasil a ficar dependente dos EUA.
  • 44. Houve melhoras nos indicadores sociais. Um dos enunciados do Plano de Desenvolvimento de JK era “aumentar o padrão de vida do povo, abrindo oportunidades para um futuro melhor”. Na década de seu mandato isso se cumpriu através do aumento na expectativa de vida dos brasileiros, diminuição da taxa de mortalidade infantil e analfabetismo.
  • 45. No final do governo Juscelino queria fazer seu sucessor, porem preferiu ganhar as simpatias dos militares, comunistas, nacionalistas, empresários, e rompeu as negociações com FMI. JK abandonou o plano de estabilização, ele queria que seu sucessor fosse o general Lott, porém quem ganhou as eleições foi seu adversário Janio quadros.
  • 46. Carta de despedida dirigida ao povo brasileiro no encerramento do seu governo.
  • 47. Depois da presidência Mesmo depois de terminar a sua presidência Juscelino Kubitschek continuou na política, sendo senador de Goiás em 1962. Em 1965 ele novamente tentou se tornar presidente do Brasil, com uma campanha pré-eleitoral chamada de JK-65, mas sendo abortado pela ditadura militar. Acusado de corrupção e de ser apoiado pelos comunistas Juscelino Kubitschek teve seus direitos políticos cassados em 15 de junho de 1964, perdendo o mandato de senador de Goiás.
  • 48. Depois disso entrou em exílio voluntário pelos USA e a Europa, mas voltou em 3 de outubro de 1965, porém ficou pouco tempo no Brasil. No final do segundo exílio voluntário voltou ao Brasil definitivamente em 1967.  Também 1967 Juscelino Kubitschek participou na Frente Ampla contra o regime militar juntamente com o ex-presidente João Goulart e o ex-governador de Guanabara Carlos Lacerda, que era seu adversário político. 
  • 49. JK pretendia voltar para a política passados os 10 anos de licença política cassada. Os militares tentaram impedi-lo, usando do artifício das denúncias de corrupção para desmoralizá-lo politicamente, além de ameaçar que levariam o caso adiante caso ele voltasse a política.
  • 51. No dia 9 de agosto de 1976, uma notícia correu o país: Juscelino Kubitschek morrera num acidente de estrada. Amigos e jornalistas se precipitaram à Fazenda JK, onde não havia telefone – e o encontraram vivo, sorridente. "Estão querendo me matar, mas ainda não conseguiram", disse ele. Mas duas semanas depois , no dia 22 de agosto , Juscelino ao completar 74 anos o ex-presidente havia morrido em um acidente de carro , quando viajava para o Rio de Janeiro.
  • 52. Segundo inquérito policial o carro de Juscelino , conduzido por seu motorista , teria sido atingido , por trás , por um ônibus. Desgovernado , atravessou o canteiro central , e na outra pista foi atingido de frente por uma carreta. Dúvidas surgidas naquela tarde nunca foram esclarecidas. Poderia tratar-se não de acidente, mas de atentado.