Alface hidroponica

3.731 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.731
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
106
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alface hidroponica

  1. 1. Produção hidropônica de alface (Lactuca sativa), do tipo Mimosa, emdiferentes concentrações de solução nutritiva.Natália Simarro Fagundes1, José Magno Queiroz Luz1, Vinícius Borges dos Santos*1,Ana Carolina Borges Sodré1, Pedro Augusto de Araújo Dias1.1UFU-Instituto de Ciências Agrárias, Cx. Postal 593, CEP. 38.400-783 Uberlândia – MG.*Bolsista de IC – PIBIC FAPEMIG , e-mail: viniciusbs22@gmail.comRESUMOEste trabalho idealizou elucidar o desenvolvimento da espécie alface (Lactuca sativa), do tipoMimosa, em função de diferentes concentrações da solução nutritiva proposta por Furlani etal. (1999), em sistema de cultivo hidropônico NFT, verificando uma possível influência daposição das plantas nos canais de cultivo sobre o seu desenvolvimento. Aos 58 dias após asemeadura, iniciou-se a colheita sendo avaliadas as seguintes características: altura daplanta; número de folhas; massa da matéria fresca raiz; massa da matéria seca da raiz;massa da matéria fresca da parte aérea e massa da matéria seca da parte aérea. Logo emseguida o material de cada parcela foi colocado em estufa para secagem, posteriormentecoletou-se os pesos de matéria seca da parte aérea e raiz. Os resultados quando analisadosnos levaram a conclusão de que o cultivo de alface (Lactuca sativa), do tipo Mimosa emsistema hidropônico – NFT, pode ser feito com o uso da solução nutritiva de Furlani et al.(1999), na concentração mais diluída (50%), e que o posicionamento das plantas nos perfis,interferem na produção desse tipo de alface.PALAVRAS-CHAVE: Lactuca sativa, solução nutritiva e hidroponia.ABSTRACT - Hidroponic Production of lettuce (Lactuca sativa), Mimosa type, indifferent concentrations of nutritive solution.This experiment tried to show the development of the specie lettuce ( Lactuca sativa ) ,Mimosa type, under different concentrations of nutritive solution proposed by Furlani et al(1999) in NFT hidroponic system cultivation, verifing a possible influence of plant’s positionsin the cultivation canals on their development. At 58 days after seeding, the crop was startedbeing valued carachteristics as: plant’s height, number of leafes, roots fresh matter’s weight,roots dry matter’s weight and leafes fresh and dry matters’ weight. Analising the results, wasconcluded that the cultivation of lettuce, Mimosa type, in NFT hidroponic system, can be doneusing the most diluted concentration (50%) of the nutritive solution proposed by Furlani etal.(1999) and that the positions of plants in the canals do interfere in these plant’s production.KEYWORDS: Lactuca sativa, nutritive solution and hidroponic.
  2. 2. INTRODUÇÃOO cultivo de plantas sem o uso de terra é, na verdade, um mundo próprio em miniatura,criado pelo homem e mantido através de um controle cientificamente equilibrado. Diversastécnicas de cultivo sem solo têm sido desenvolvidas e utilizadas, e no Brasil a principal é ado fluxo laminar de nutrientes (nutrient film technique - NFT) (Faquim; Furlani, 1999).Um aspecto fundamental para o cultivo hidropônico é a escolha da solução nutritiva, quedeve ser formulada de acordo com o requerimento nutricional da espécie que se desejaproduzir, ou seja, em proporções adequadas de todos os nutrientes essenciais para ocrescimento das plantas e a qualidade do produto final. O veículo transportador destesfertilizantes é a solução nutritiva e o pleno conhecimento de seu preparo e manutenção ésinônimo de sucesso (Moraes, 1997). No entanto são poucas as informações sobre qual sejaa melhor solução nutritiva para cada cultura. Além disso, fatores como idade das plantas,época do ano e condições climáticas locais, influenciam a eficiência da solução nutritiva(Faquim, 1996).MATERIAL E MÉTODOSO trabalho foi desenvolvido em estufa tipo túnel alto, entre os meses de maio e julho de2005, no Campus Umuarama da Universidade Federal de Uberlândia – MG, o sistemahidropônico adotado foi o NFT (técnica do fluxo laminar de nutrientes) e a solução nutritivautilizada foi a proposta por Furlani et al. (1999).O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado sendo quatro concentrações dasolução nutritiva (I – 50%, II – 75%, III – 100%, IV – 125%) e três posições da planta no perfilhidropônico (I – posição superior, II - posição mediana e III – posição inferior), sendo quecada posição constou de 5 plantas. Cada tratamento teve três repetições, totalizando 36parcelas.Para a germinação e desenvolvimento das mudas foram utilizadas placas de espumafenólica com dimensões de 2,5x2,5x3,0 centímetros por célula, sendo semeadas trêssementes por célula e cobertas com vermiculita fina. As plântulas emersas foram transferidaspara bancada de desenvolvimento (perfis pequenos), permanecendo por um período de 20dias, quando foram transferidas para as bancadas de cultivo e submetidas à irrigação com asquatro concentrações da solução nutritiva.O manejo da solução nutritiva foi realizado diariamente por meio da reposição da águaconsumida e do acompanhamento da condutividade elétrica (C.E.) e pH. A correção do pHfoi realizada com uma solução de NaOH 1N ou HCl, mantendo-o entre 5,5 a 6,5. O ajuste da
  3. 3. solução nutritiva foi efetuada toda vez que a C.E. diminuiu 25% em relação a C.E. inicial, elafoi corrigida com o uso da solução de ajuste, proposta por Furlani et al. (1999).A colheita foi realizada aos 58 dias após a semeadura, em função do tamanho comercial dacultura, avaliando as seguintes características: altura da planta; número de folhas; massa damatéria fresca da raiz e da parte aérea. Para obtenção da massa da matéria seca da raiz eda parte aérea, foram retiradas duas amostras de cada subparcela, uma de 50g da raiz eoutra de 100g da parte aérea, que logo após a colheita, foram acondicionadas em sacos depapel, os quais foram levados a uma estufa com circulação de ar forçado, a uma temperaturamédia de 65º C, até atingir peso constante. Todos os resultados obtidos foram submetidos aanálise de variância, análise de regressão para as concentrações da solução nutritiva e testede Tukey para as posições das plantas nos perfis, com auxílio do programa SANEST (Zonta& Machado, 1984).RESULTADOS E DISCUÇÃOA alface tipo Mimosa (Lactuca sativa) é uma planta herbácea, delicada, com caule diminuto,ao qual se prendem as folhas que são delicadas, soltas com as bordas recortadas e comaspecto “arrepiado”, apresentam coloração verde-clara e crescem em roseta, em volta docaule (FILGUEIRA, 2003; ISLA, 2003). A semeadura pode ser feita de fevereiro a setembro,seu ciclo é de 60 dias no verão e 80 dias no inverno. O tamanho comercial varia de 20 a 30cm de diâmetro (ISLA, 2003). Resultados semelhantes foram obtidos neste trabalho, onde aaltura média das plantas foi de 27,36 cm, entretanto o ciclo da cultura foi de 58 dias, entre osmeses de maio e julho. Estes dados serviram como base para se constatar através desteexperimento, que a hidroponia pode proporcionar uma precocidade quanto ao ciclo destacultura. Haber (2003) trabalhando em sistema hidropônico com hortelã-pimenta observouuma redução de 20 dias no ciclo da cultura quando comparado as condições de campoNão houve diferença significativa para a cultura da alface, do tipo Mimosa, em todas ascaracterísticas avaliadas em relação às diferentes concentrações da solução nutritivaproposta por Furlani et al. (1999). No entanto verificou-se que para o fator posição da plantano perfil, houve diferença significativa para as características de altura, massa da matériafresca da parte aérea e massa da matéria seca da raiz (Tabela 1).Andrade (2004), trabalhando com coentro hidropônico, também observou diferençassignificativas entre as posições do perfil de cultivo, nas seguintes características: massa damatéria fresca da parte aérea, massa da matéria seca da parte aérea e de raiz, e número defolhas.
  4. 4. CONCLUSÂOO cultivo de alface (Lactuca sativa), do tipo Mimosa em sistema hidropônico – NFT, pode serfeito com o uso da solução nutritiva de Furlani et al. (1999), na concentração mais diluída(50%), e que o posicionamento das plantas nos perfis, interferem na produção desse tipo dealface, apresentando melhores resultados nas posições finais do perfil.LITERATURA CITADAANDRADE, L. V. Cultivo Hidropônico de coentro em diferentes concentrações de soluçãonutritiva, em sistema NFT. Monografia. Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia,2004.FAQUIM, V.; FURTINI NETO, A. E.; VILELA, L. A. Produção de alface em hidroponia.Lavras: UFLA, 1996. 50 p.FAQUIM, V.; FURLANI, P. R. Cultivo de hortaliças de folhas em hidroponia em ambienteprotegido. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 20, n. 200/201, p. 99-104, set./dez.1999.FILGUEIRA, F. A. R. Novo Manual de Olericultura: Agrotecnologia moderna na produção ecomercialização de hortaliças.2º Ed. Viçosa: UFV, 2003. 412p.FURLANI, P. R. et al. Cultivo Hidropônico de plantas. Campinas: Instituto Agronômico, 1999.52 p. (Boletim técnico, 180).HABER, L. L. Cultivo hidropônico de Hortelã-Pimenta, melissa e Manjerona em diferentesconcentrações da solução nutritiva. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal deUberlândia, Uberlândia, 2003.ISLA SEMENTES. Catálogo 2002/2003. Porto Alegre: ISLA Sementes, 2003. 86p.MORAES, C.A.G. Hidroponia: como cultivar tomates em sistema NFT. DISQ, 1997. 141p.ZONTA, E.P.; MACHADO, A.A. SANEST: sistema de análise estatística paramicrocomputadores. Campinas: Instituto Agronômico de Campinas, 1984. 1 disquete.TABELA 1 - Teste de Tukey a 5% para Altura (A), Massa da Matéria Fresca da Parte Aérea (MMFPA) e Massa da Matéria Seca da Raiz (MMSR), da Alface do tipo Mimosa, UFU, Uberlândia, MG, 2005. Posições na Bancada A (cm) MMFPA (g) MMSR (g) Final 28.05 a 207.29 a 1.08 b Média 27.40 ab 203.47 ab 1.25 ab Inicial 26.62 b 184.37 b 1.38 aMédias com letras distintas na coluna diferem entre si pelo teste de Tukey a 5%.AGRADECIMENTOSA FAPEMIG pela bolsa de Iniciação Científica

×