Trabalho power point grupo 8 10º b

885 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
885
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
147
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho power point grupo 8 10º b

  1. 1. "Nos PassosDeMagalhães"Capítulo V - Atlântico Sul
  2. 2. • A Escolha de Carvalho;• Letras a Bordo;• Retalhos de História;• Motim no Fim do Mundo;• Na Patagónia;• Um Estreito sem Nome.Capítulo V - Atlântico Sul
  3. 3. A Escolha deCarvalho(Sanlúcar deBarrameda)
  4. 4. • Está em Sanlúcar de Barrameda (Espanha).Gonçalo Cadilhe
  5. 5. Donana National Park
  6. 6. Sanlúcar de Barrameda teve um papel de relevo na expedição deMagalhães, pois foi aqui que, a 20 de Setembro de 1519, se celebrou aúltima missa, em solo europeu, antes da Armada das Molucas levantarâncora.Magalhães
  7. 7. Na madrugada seguinte (21 de Setembro), dão início à maior aventura denavegação de todos os tempos, comandada por Fernão de Magalhães.
  8. 8. Quais as razões que levavam os Homens aos Descobrimentos?• Glória;• Cobiça;• Proselitismo Religioso;• Poder;• Noção do Dever;• Fortuna Fácil;• Desejo de Aventura;• Qualquer alternativa era preferível ao dia-a-diada cidade medieval europeia.
  9. 9. Condições da cidade medieval europeia:• Não existiam cuidados de higiene;• A Peste Negra dominava a Europa;• A alimentação era pobre em vitaminas e nutrientes;• As habitações não tinham condições;• A água era de fraca qualidade.
  10. 10. E por que razão Magalhães partiu na Armada?• Em Portugal é considerado um traidor da pátria;• Em Espanha é um desterrado "no fim da balança";• Não é apenas a sua reputação que depende do resultado destaexpedição, mas sim a própria cidadania.
  11. 11. Perigos que enfrentaram na viagem até à Ilha das Molucas:• Tempestades;• Bancos de areia;• Monstros;• Canibais;• Mares e continentes desconhecidos;• Possibilidade de ser interceptado por uma expedição portuguesa.
  12. 12. A Escolha deCarvalho(Baía deGuanabara)
  13. 13. A 13 de Dezembro de 1519, a Armada das Molucas lança âncora, pelaprimeira vez, no continente americano.A Coroa Espanhola impede qualquer desembarque em territórios dolado português do Tratado de Tordesilhas.Magalhães
  14. 14. Magalhães decide parar uns dias numa baía a que irá chamar de Baía deSanta Lúcia, mais tarde, Baía de Guanabara. Reabasteceram os naviosneste local visto que, um dos pilotos de Magalhães, João Lopes deCarvalho, conhecia bem esta zona pelo facto de aí ter estado numaexpedição em anos anteriores.
  15. 15. Letras a Bordo(Paraty)
  16. 16. • Está em Paraty, no Brasil;• "Estar aqui, neste lugar iluminado à face da Terra e à borda do mar,é sempre uma regalia.";• "Eu só sei escrever. Sou um inútil a bordo."Gonçalo Cadilhe
  17. 17. A Armada das Molucas é constituída por 5 naus, onde seguem cercade 234 homens e todos eles são "homens do mar".Magalhães
  18. 18. Um dos únicos tripulantes de Magalhães que não tem conhecimentosmarítimos é Antonio Pigafetta.• É um jovem italiano, cronista de profissão;• Descobre que, em Sevilha, se prepara uma expedição aos limites domundo e consegue tornar-se membro da tripulação;• "(...) ousa enfrentar os perigos não pela glória ou pelo ouro, mas poruma simples paixão de globetrotter (...) põe a vida em risco pelaalegria de ver, de aprender, de admirar, de se extasiar."
  19. 19. • Levou-nos a conhecer com bastante exactidão a forma como decorreua primeira viagem de circum-navegação do globo;• Na baía de Guanabara, o mundo indígena desperta a atenção dePigafetta, que descreve tudo o que vê;• "Espírito crítico, cepticismo, método científico e observação direta sãoferramentas dispensáveis na bagagem do italiano (...)";• Soube descrever a expedição com pasmo, credulidade, entusiasmo etalento literário.
  20. 20. Como foi relatada a viagem de Magalhães?• Os historiadores não só se socorreram do livro de Pigafetta, ondeestava detalhada com rigor a viagem de Magalhães, como também seorientaram pelo diário de bordo do piloto grego, Francisco Albo(membro da tripulação).
  21. 21. Retalhos deHistória(Montevideu)
  22. 22. • Está em Montevideu, no Uruguai;• (...) atmosfera tristonha e mal cuidada (...)";• "(...) vista impressionante sobre a cidade histórica, o porto, a baía ea colina.";Gonçalo Cadilhe
  23. 23. • Visitou à noite um bar do porto, frequentado por marinheirosportugueses, que embarcavam no navio-escola Sagres;• Gonçalo Cadilhe considera este navio um "(...)orgulho da marinha dePortugal(...)"
  24. 24. • Conheceu, em Montevideu, Marcelo que o convidou a jantar com asua família em Colónia de Sacramento;• Marcelo tem uma livraria, segundo Cadilhe, "(...) um lindíssimo lugarde luz e bafio."
  25. 25. • O marinheiro português João Dias Solís, que navegou ao serviço deEspanha, ao passar pelo Rio de Prata, acreditava ter descoberto apassagem para o mais tarde Oceano Pacífico;• Solís baptizou esse rio de "Mar Dulce" e, ao desembarcar namargem norte do Estuário, foi morto e comido pelos índios charruas.Magalhães
  26. 26. • Foi a partir da exclamação "Monte Videm", dita por Magalhães, que acapital do Uruguai foi baptizada;• A Armada das Molucas passou 2 semanas no estuário do Rio dePrata, explorando a possibilidade de existir uma passagem para o"outro" mar;
  27. 27. • Magalhães segue com a nau Santiago e segundo este já seencontravam a oeste da linha de Tordesilhas;• No hemisfério espanhol, as ordens são de permanecer a bordo;• A expedição levanta âncora e prossegue para Sul.
  28. 28. Motim no fim dodo Mundo (SanJulián)
  29. 29. • Está em San Julián, na Argentina;• San Julián foi a sua inspiração para escrever este livro;• "(...) o ponto de encontro de mim próprio com a vida de Magalhãesé esta embarcação apodrecida e semi-abandonada que jaz na praiade San Julián."Gonçalo Cadilhe
  30. 30. • A 31 de Março de 1520, a Armada deita âncora numa baía a que,mais tarde, Magalhães irá chamar de San Julián;• O capitão anuncia que celebrarão a missa de Páscoa em terra;• A tripulação sente-se insatisfeita e o tempo piora.Magalhães
  31. 31. O Motim:• Os revoltosos atacam na noite seguinte;• As naus Victoria e Concepción são respectivamente comandadaspelos capitães Mendoza e Quesada;• A nau San Antonio é tomada pelos rebeldes;• Ao amanhecer, a situação parece estar perdida para Magalhães, poisos revoltosos "regressarão" a Espanha;
  32. 32. • O "clima" dentro das três naus era de intenso nervosismo;• Os homens leais a Magalhães recuperam a nau Victoria e eliminamMendoza;• Com o auxílio das naus Trinidad e Santiago, bloqueiam a saída dabaía às duas naus rebeldes.
  33. 33. Julgamento dos Rebeldes:• Os principais autores do motim são julgados e condenados à morte;• Magalhães hesita em "desfazer-se" de Juan de Cartagena e BernardCalmette;• Magalhães decide desterrar em San Júlian, numa pequena ilha, osdois criminosos.
  34. 34. • "Penso que a punição de Magalhães a Cartagena foi tão pérfidacomo perfeita(...)";• Conduz um carro até à margem em frente da ilha em que ocorreu odesterro;• Em San Júlian, vê um cartaz onde se pode ler que naquele local secelebrou a primeira missa da Argentina;• Diz que naquele local ocorreu "(...) o primeiro julgamento, a primeiraexecução, e o primeiro "povoamento" europeu."Gonçalo Cadilhe
  35. 35. Na Patagónia(Patagónia)
  36. 36. • Existiam dois homens obcecados com o encontro de novas culturas:Magalhães e Pigafetta;• A principal missão de Magalhães era a de "medir" o hemisférioespanhol (Tratado de Tordesilhas) e comprovar se nele se incluiamas Ilhas das Especiarias (Ilha das Molucas).Magalhães
  37. 37. Antonio Pigafetta:• Pigafetta acreditava que "(...) o mundo mede-se através do encontrocom a diferença."• Pigafetta debruçava-se sobre quatro "maravilhas" humanas: ostamoios, os tehuelches ou patagões, os chamorros e os habitantesdas ilhas das Filipinas;• Anota tudo o que vê e quando pode exagera, pois um dos seusobjetivos é o de entreter o leitor europeu.
  38. 38. Patagões:• O primeiro contacto com os patagões ocorre após dois meses semqualquer vestígio de presença humana;• Magalhães, impressionado com os mocassins de pele de guanacoque o selvagem usava e que deixavam enormes pegadas na areia,decidiu dar-lhe o nome de "patagão". Desta forma, nasce o nome daPatagónia, local onde estes "patagões" habitavam;
  39. 39. Características dos Patagões:• A altura média destes indivíduos é de cerca de 1,80 metros;• Vêem na cruz um símbolo do mal;• Quando se sentem doentes, cortam-se e deixam o sangue correr peloseu corpo;• Andavam quase nus.
  40. 40. Captura de Patagões:• Ao fim de algumas semanas no local, Magalhães decide capturarquatro patagões para os levar para Espanha;• Os indígenas capturados irão falecer a bordo, devido ao calor e aoescorbuto;• Pigafetta descreve o momento em que um dos patagões decide serbatizado,com piedosa comoção, em que "Paulo" morre "(...)beijando eabraçando a cruz(...)".
  41. 41. Chegada e "extinção" dos Patagões:• Estes indivíduos chegaram ao continente através do estreito deBehring há dez mil anos;• Foram exterminados quando os territórios da América do Sul foramloteados e destinados à ganadaria;• No final do século XIX, as propriedades latifundiárias chegaram aoferecer cem libras por cada orelha de homem e/ou por cada seio demulher abatidos;
  42. 42. Um Estreito semNome (Chile)
  43. 43. • Está no Estreito de Magalhães, na Patagónia;• "Não acredito em lugares mágicos, mas eles existem e este é umdeles." (Entrada oriental do Estreito de Magalhães);• "Vivo um dos momentos mais significativos da minha vida: chegarao Estreito de Magalhães (...)"Gonçalo Cadilhe
  44. 44. Descrição do Estreito de Magalhães - Ponta de Dungeness:• "(...) frio tremendo, que corrói as têmporas e queima os lábios.";• "(...) luminosidade tão crua e tão fria como a temperatura (...)“;• Lugar irreal, desumano, vazio de referências.
  45. 45. • No dia 21 de Outubro de 1520, a Armada das Molucas chega à"boca" do Estreito;• Magalhães manda o português João de Carvalho subir a uma colinaque um historiador identifica como sendo o "cerro Dinero".Magalhães
  46. 46. • Assim como João de Carvalo, Cadilhe subiu à colina "cerro Dinero";• Encontra uma placa que recorda a descoberta do Chile, que se deunaquele local: "(...) um marinheiro de Magalhães a perscrutar osudoeste."Gonçalo Cadilhe
  47. 47. • Conta ao seu capitão, Magalhães, que "Não é possível intuirqualquer abertura na costa recurvada. Parece apenas uma baíafechada.";echada.";• Magalhães não se convence desse facto e envia duas naus, a SanAntonio e a Concepción, para explorar esse enigmático sudoeste;• Os marinheiros regressam convencidos de que encontraram apassagem tão procurada e anunciam essa convicção mal avistam ocapitão.Magalhães
  48. 48. • Magalhães baptiza a passagem como "Canal de Todos os Santos",mas os mapas europeus adoptarão, posteriormente, o nome de"Estreito de Magalhães";• A margem sul do continente americano recebe o nome definitivonesse mesmo dia: "Terra do Fogo“; como se diz "quem lhe tocar,queima-se".
  49. 49. Por que razão se deu o nome de "Terra do Fogo"?• De noite, os marinheiros avistam fogueiras;• A geografia medieval acreditava existir um "lado" debaixo do globo eos marinheiros, ao encontrarem a Terra do Fogo, imaginam que esselocal seja o "início" desse mesmo "lado".
  50. 50. • Chega ao primeiro contacto com o Estreito a bordo de um "navio daauto-estrada", à boleia de um camião que anda há vários dias adescer a Patagónia e que por fim se imobiliza na Terra do Fogopara o deixar desembarcar;• Continua até à cidade de Punta Arena.Gonçalo Cadilhe

×