Apresentação 2T06

280 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
280
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação 2T06

  1. 1. Resultados do 2º trimestre de 2006 11 de agosto de 2006
  2. 2. Destaques Mercado Destaques Reajuste Tarifário e Performance Performance Operacional Operacional Contrato Bilateral Performance Financeira Performance Financeira Perfil da Dívida Fluxo de Caixa Conclusão
  3. 3. Destaques do Trimestre • EBITDA Ajustado de R$ 582,4 milhões e lucro líquido de R$ 25,1 milhões 1Tri06 •Adequação ao novo regulamento do Nível 2 da Bovespa • Aumento do tag along de 70% para 80% • Conselho de administração com no mínimo 20% de membros independentes • Redução da dívida líquida consolidada em 12% nos últimos 12 meses e conclusão da liquidação antecipada da dívida 2Tri06 renegociada • EBITDA Ajustado de R$ 1.253,6 milhões no 1S06 e R$ 671,2 milhões no 2T06 - aumentos de 15,7% e 15,3% em relação aos períodos equivalentes de 2005 • Lucro líquido de R$ R$ 227 milhões no 1S06 (R$ 107 milhões superior ao 1S05) e R$ 201,9 milhões no 2T06 (R$ 176,8 milhões superior ao 1T06) • Reajuste Tarifário – 11,45% (4/07/2006) Eventos • Elevação do Rating pela S&P em 7/07/2006 (escala Subseqüentes nacional - de “BBB”a “BBB+”) • Aprovada em AGE (11/07/2006) a criação da nova classe B de ações preferenciais da Eletropaulo, que oferecerá 100% de tag along 4
  4. 4. Comparação do Consumo em GWh Tarifa média R$/MWh Obs: Os gráficos não consideram consumo próprio 2Tri05 2Tri06 Variação % RESIDENCIAL 307,3 306,1 - 0,4% INDUSTRIAL 219,6 242,5 + 10,5% COMERCIAL 272,1 281,0 + 3,2% 4,7% DEMAIS 210,4 230,5 + 9,5% TOTAL 267,3 279,1 + 3,9% 9.578 -0,6% 9.150 8,7% 7.968 7.924 3.209 2.952 -12,5% 2.434 2.433 39,9% 1.902 1.663 1.654 -8,9% 1.182 680 619 Residencial Industrial Comercial P. Públicos e Cons. Livres Mercado Cativo Mercado Total Outros 2T05 2T06 5
  5. 5. Retenção de Clientes Potencialmente Livres Receita Líquida com TUSD X Consumo Clientes Cativos X Livres Clientes Livres % Mercado total – 2T06 99 106 95 84 78 1.654 1.500 Clientes 54 1.407 Potencialmente 48 1.312 38 1.182 Livres 30 964 Consumo Cativo 2,0% 19 81,0% 806 750 641 479 Clientes Livres 17,0% 1T04 2T04 3T04 4T04 1T05 2T05 3T05 4T05 1T06 2T06 Clientes Livres (GWh) TUSD (R$ milhões) Evolução do Mercado Cativo* (GWh) Crescimento de 5,3% (12 meses) 7.621 7.453 7.465 7.076 6.998 7.261 7.315 6.718 6.983 7.016 * Excluindo os clientes livres atuais de todos os 1T04 2T04 3T04 4T04 1T05 2T05 3T05 4T05 1T06 2T06 períodos anteriores 6
  6. 6. Evolução da Tarifa 18,6% 17,6% 13,8% 14,3% 11,1% 11,6% 11,5% 7,6% 12,1% 16,9% 2,1% 11,8% 7,5% 7,3% 9,9% 1,6% 6,3% 3,7% 4,5% 3,6% 4,8% 2,5% 1,7% 1,6% -4,3% 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 Parcela B Parcela A PIS/COFINS IGPM Reajuste Tarifário 2006 por Classe de Consumo Índice Baixa Tensão -1,91% Alta Tensão 8,26% A2 (88 a 138 kV) 4,57% A3a (34,5 kV) 6,20% A4 (2,3 a 25 kV) 9,08% 7
  7. 7. Destaques Operacionais Evolução das Perdas (%) Taxa de Arrecadação Total - % sobre receita bruta 13,5 12,9 13,4 12,2 97,5 99,0 97,7 99,0 7,9 7,3 7,8 6,6 +1,4% -9% 5,6 5,6 5,6 5,6 2004 2005 1S05 1S06 2004 2005 1S05 1S06 Perdas Técnicas Perdas Com erciais Combate à Fraudes: Taxa de arrecadação (faturas correntes) 239 mil Inspeções e 33 mil Fraudes detectadas Poderes Públicos: 102,6% Custo de R$ 29 milhões Setor Privado: 98,8% Energia retroativa negociada + energia adicionada – 135 GWh (R$ 64 milhões) Aumento da média mensal de cortes de 75 mil para 111 mil (1S05x1S06) Regularizações de Ligações Clandestinas: 38 mil regularizações – Receita de R$ 26 milhões Investimento – R$17 milhões 8
  8. 8. Investimentos 2T06 R$ milhões 404 Investimentos 2T06 (R$ 91,9 milhões) 49 330 Serviço ao Consumidor e 17% Expansão do Sistema 33 Manutenção 217 6% 39% Recuperação de Perdas 32 355 Tecnologia da Informação 11% 297 Outros 81 92 186 12% 11 16 15% Autofinanciados 76 70 2003 2004 2005 1T06 2T06 Capex Auto Financiados R$ 173 milhões investidos no primeiro semestre de 2006 9
  9. 9. Resultados R$ milhões Receita Bruta Despesas Operacionais EBITDA -5,7% +1,2% 2911,2 2744,2 -12,2% 33,4% 33,4% 2711,4 2744,2 -4,4% 29,4% 1777,7 28,3% 635,7 1561,5 1633,3 1561,5 15,3% 737,1 730,7 737,1 4,2% 671,2 671,2 644,2 582,4 1243,4 72,6 147,9 147,9 1055,9 1036,4 1055,9 158,6 2275,5 2007,1 1980,6 2007,1 168,5 157,6 188,9 157,6 523,3 523,3 423,8 365,8 408,0 348,0 348,0 571,6 2T05 2T06 1T06 2T06 2T05 2T06 1T06 2T06 2T05 2T06 1T06 2T06 Despesas Operacionais Encargos do Setor Receita Líquida Deduções à Receita Operacional EBITDA Ajuste Margem EBITDA ajustado Eletricidade +Transporte • Aumento sobre 1T06: Crescimento de 1,4% no • Redução sobre 1T06: Diminuição de 50% • EBITDA ajustado 2T06: consumo faturado e 2,8% no total em “Outras despesas Operacionais” – Despesas com passivo do Fundo • Redução sobre 2T05: • Reversão de contingência com de Pensão: R$ 60,6 milhões • Conclusão RT 2003 (receita adicional de impacto de R$ 13,8 milhões no – RTE: R$ 82,2 milhões R$ 106,9 milhões no 2T05) resultado – Provisão de recuperação da RTE: • Reversão de receita de R$ 35 milhões no • Redução sobre 2T05: Queda de 25,2% nos R$ 5,0 milhões 2T06 (devolução na tarifa da majoração gastos com compra de energia alíquotas Pis/Cofins sobre Contratos Iniciais) • Alteração do mix de compra de energia, com maior volume adquirido via leilões 10
  10. 10. Resultados R$ milhões Resultado Financeiro Lucro Líquido 2T05 2T06 1T06 2T06 201,9 201,9 47,7% 136,8 705,0% 61,9% (77,9) 3,7% 25,1 (126,1) (121,7) (126,1) 2T05 2T06 1T06 2T06 • As variações negativas devem-se: • Elevação do Lucro Líquido no trimestre: • À redução de receitas financeiras no período: • Redução nas Despesas Operacionais – Redução da taxa Selic de 19,75% no 2T05 para 16,50% no • Redução de despesas com IR/CS (71% com relação ao 1T06 e 15,25% no 2T06, que diminuiu a remuneração dos 1T06 e 84% comparado ao 2T05) ativos regulatórios – Diminuição do saldo de ativos regulatórios sobre os quais incide a remuneração da Selic • À menor apreciação do Real perante o dólar (0,4% no 2T06, contra 11,8% no 2T05 e 7,2% no 1T06) - contribuiu para reversões de despesas de variação monetária de R$ 229 milhões no 2T05 e R$ 85 milhões no 1T06 11
  11. 11. Dívida Consolidada R$ milhões Curto Prazo X Longo Prazo Credores X Indexadores – 2T06 -11,9% -3,5% 5.256 4.828 4.877 4.774 4.411 4.877 Dívida Bruta – R$ 4. 877 milhões 4.256 4.256 73% 77% 76% 77% IGP-DI 45,05% Taxa Fixa 11,22% 27% 23% 24% 23% 2T05 2T06 1T06 2T06 LP CP Dívida Líquida Libor CDI/Selic 3,33% Cronograma de Amortização - Atual 40,26% Outros/R$ 25 0,13% 159 26 25 90 834 876 265 48 21 546 505 • Fundo de Pensão - R$ 2.196 milhões 365 92 84 234 248 111 111 243 243 216 • Credores Privados - R$ 2.127 milhões Pré- pagtos Pagtos 1S06 3T06 4T06 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014-22 • BNDES - R$ 554 milhões 1S06 R$ BNDES US$* 12 * Taxa de conversão de 30/06/2006 US$ 1,00 = R$ 2,1643
  12. 12. Dívida Consolidada R$ milhões Evolução da taxa de juros Custo Médio e Prazo Médio CDI + 6,84% 112,0% 3,9 -17,4% % 3,81 -1,6% -1,4% % CDI + 2,90% CDI + 100,8% 100,4% 2,50% CDI + 1,82% 2,05 Bonds 8ª Debentures 9ª Debentures CCB 2T05 1T06 2T06 Custo Médio - %CDI Prazo Médio - anos Destaques do Endividamento – últimos 12 meses Rating S&P • Dívida Bruta: redução em 7% (R$ 380 milhões) Escala Nacional BBB+ • Dívida Líquida: redução em 12% (R$ 572 milhões) ‘06 BBB B+ • Moeda estrangeira: redução de 12% para 3% do total ‘05 BB • Hedge: 79% da dívida em moeda estrangeira B+ ‘04 DDD • Captação de R$ 300 milhões de CCB’s - amortização do B- saldo remanescente da dívida renegociada (R$ 235 ‘03 milhões) e liquidação dos swaps relacionados com D Escala Internacional esta dívida 13
  13. 13. Fluxo de Caixa Eletropaulo - Fluxo de Caixa Consolidado (Milhões) 1T06 2T06 1S06 Saldo de caixa inicial 492 356 492 Geração de caixa operacional 687 653 1.340 Investimentos (101) (88) (189) Despesa Financeira Líquida (196) (85) (281) Amortizações Líquidas (245) (45) (290) Fundo de Pensão (134) (108) (242) Imposto de Renda (147) (67) (214) Caixa Livre (136) 261 125 Saldo de caixa final 356 617 617 14
  14. 14. Conclusão • Lucro líquido de R$ 227,0 milhões no 1S06, representando um aumento de R$ 107,0 milhões com relação ao lucro do 1S05 • EBITDA ajustado de R$ 1.253,5 milhões, 17,2% superior ao do 1S05 • Evolução da dívida nos últimos 12 meses: • Redução de 11,9% na dívida líquida consolidada • Redução de 10,3% do custo médio • Alongamento do prazo médio de vencimento de 2 para 4 anos • Redução da dívida em moeda estrangeira de 12,2% para 3,3% • Finalização do pré pagamento da dívida renegociada em Março de 2004 • Destaques Operacionais nos últimos 12 meses: • Redução das perdas em 9,0% • Melhoria da taxa de arrecadação em 1,4% • Padrões diferenciados de Governança Corporativa: • Criação da nova classe B de ações preferenciais com 100% de tag along e taxa de conversão de 1:1 para os atuais acionistas detentores de ações preferenciais 15
  15. 15. 16
  16. 16. Destaques do Trimestre • A partir de jan/06 100% da energia assegurada passou a ser vendida pelo contrato bilateral com a Eletropaulo 1Tri06 • EBITDA = R$ 274 milhões • Lucro Líquido = R$ 153 milhões • Prêmio “Melhores e Maiores 2005” da Revista Exame: Melhor Empresa do Setor de Serviços Públicos 2Tri06 • Prêmio “Platinum List” da Revista Forbes: Melhor Empresa de Capital Aberto de 2005 • EBITDA: R$ 269 milhões no 2T06 e R$ 543 milhões no 1S06 • Lucro Líquido: R$ 153 milhões no 2T06 e R$ 306 milhões no 1S06 • Reajuste de 0,9% no preço do contrato com a Eletropaulo Eventos Subseqüentes • Reversão das penalidades aplicadas pela CCEE em novembro e dezembro/05 (R$ 3,9 milhões) 17
  17. 17. Balanço Energético – 1S06 Geração Bruta x Energia Faturada em GWh Caconde 2,9% 197,2 Euclides 4,0% 267,8 Limoeiro 1,1% 77,4 Água Vermelha 57,7% 82,3% Eletropaulo - Bilateral 3.891,2 5.557,0 Barra Bonita 4,4% TOTAL FATURADA 299,5 Bariri 4,5% 6.748,9 6.748,9 301,0 17,7% MRE/CCEE* Ibitinga 5,4% 1.191,9 366,1 Promissão 8,5% 573,0 Nova Avanhandava 11,2% 757,6 Mogi Guaçu 0,3% 18,2 *Após descontados consumo próprio e perdas de transmissão, a diferença é direcionada primeiramente ao Mecanismo de Realocação de Energia – MRE e, então, à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE. 18
  18. 18. Geração e Confiabilidade do Sistema A energia assegurada é de 1.275 MW Médio Usina Período Sem Acidentes – Anos Geração no 1S06 foi 22% acima da energia Ibitinga 18,0 assegurada. A média dos últimos 20 anos é 18% Mogi-Guaçu 11,4 acima da energia assegurada Nova Avanhandava 8,5 Taxa de Falha (TF) e Disponibilidade da Unidade Água Vermelha 7,9 Geradora (DUG) superiores às metas Limoeiro 5,9 Barra Bonita 5,8 estabelecidas pela ANEEL – de 2,9% para TF e Promissão 4,3 92,8% para DUG Caconde 3,2 Média de 6,8 anos de operação sem acidentes Euclides da Cunha 2,9 com afastamento Bariri 0,5 Energia Gerada Taxa de Falha x Disponibilidade 123% 120% 123% 117% 122% 115% 109% 107% 98% 97,2% 96,8% 96,1% 94,2% 81% 90,9% 92,6% 95,7% 3,0% 1.617 1.619 1.581 2,8% 1.502 1.467 1.554 2,5% 1.258 1.392 1.363 2,2% 2,3% 2,2% 1.040 1,6% 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 1S06 2000 2001 2002 2003 2004 2005 1S06* Geração - MW Médio Geração / Energia Assegurada Taxa de Falha - TF Disponibilidade da Unidade Geradora - DUG 19 *Anualizado
  19. 19. Contrato Bilateral • Os contratos iniciais encerraram-se em 31/12/05 • A partir de jan/06, 1.268 MW (100% da energia assegurada) são vendidos para a Eletropaulo: Em julho de 2006 o preço foi reajustado em 0,86%, com base na variação do IGP-M Preço = R$ 133,87 / MWh Contrato válido até dezembro de 2015 Garantia: recebíveis Receita Média – R$/ MWh 133,9 119,6 94,4 73,6 54,0 48,8 45,9 2000 2001 2002 2003 2004 2005 Contrato Bilateral 20
  20. 20. Provisões Operacionais PIS e Cofins • Jun/06: Aneel divulgou Nota Técnica reafirmando seu entendimento sobre a cumulatividade do PIS/Cofins sobre os contratos iniciais e determinou que os valores pagos a maior pelas distribuidoras fossem reembolsados pelas geradoras • Providências tomadas pela AES Tietê: Fez consulta formal à SRF sobre qual o regime de tributação ao qual a empresa se enquadraria Iniciou procedimentos administrativos perante a Aneel solicitando a suspensão da devolução dos valores às distribuidoras até que a Secretaria de Receita Federal responda à consulta; Interpôs mandados de segurança para não fazer os reembolsos para as distribuidoras até que obtenha resposta da consulta feita à SRF Provisionou os valores a serem reembolsados às distribuidoras, referente aos contratos iniciais (R$ 15,3 milhões) RTE • Provisão referente à correção monetária do saldo a receber das distribuidoras como Recomposição Tarifária Extraordinária (R$ 9,7 milhões, no 1S06) 21
  21. 21. Resultados R$ milhões Receita Líquida Custos e Despesas Operacionais 190 34% 30% 698 142 54 538 40 25 96 16 25 59% 22 30% 349 24 61 37 20 268 26 19 12 11 17 14 36 49 17 24 1S05 1S06 2T05 2T06 1S05 1S06 2T05 2T06 Compra de Energia Royalties Despesas Operacionais Provisões Outros • Aumento no volume de vendas através do contrato • Compra de Energia: Transmissão – aumento de com a Eletropaulo - 100% da energia assegurada, a R$ 6,8 milhões decorrente do maior volume partir de jan/06 vendido pelo contrato bilateral • Reajuste do preço de venda de energia em jul/05: de • Provisões –R$ 25,0 milhões no 1S06 referente à R$ 117,59/MWh para R$ 132,73/MWh correção monetária da RTE (R$ 9,7 milhões) e repasse do PIS / Cofins sobre contratos iniciais (R$ 15,3 milhões) 22
  22. 22. Resultados R$ milhões EBITDA Resultado Financeiro Lucro Líquido 1S05 1S06 2T05 2T06 79,5% 83,4% 77,1% 43,8% 42,3% 43,8% 77,7% 39,1% 306 543 427 27% (24) 210 45% (34) 35% 153 20% 269 223 (47) 30% 113 37% (75) 1S05 1S06 2T05 2T06 1S05 1S06 2T05 2T06 • Aumento do volume de vendas • Aumento da receita financeira: • Aumento das vendas através pelo contrato bilateral maior saldo em caixa do contrato bilateral • Redução da despesa financeira • Melhor resultado financeiro • Queda da margem EBITDA no semestre: queda do IGP-M, de decorrente das provisões 1,8% no 1S05 para 1,4% 1S06 operacionais 23
  23. 23. Endividamento Saldo de caixa em jun/06 = R$ 776,7 milhões em R$ milhões Credor Montante Vencimento Custo Garantia Eletrobras 1.405,8 mai/13 IGP-M + 10% a.a. Recebíveis FunCesp III 20,4 set/27 IGP-DI + 6% a.a. Recebíveis Dívida Líquida – R$ bilhões Abertura das Aplicações Financeiras 3,2x 3,3x Títulos 3,0x 2,0x Títulos Priva dos - 1,4x Estra nge iros A3 1% 1,1x - US$ - Aa 1 - 0,7x 1,3 0,6x 6% 1,4 1,1 1,1 Títulos 1,1 0,9 Estra nge iros Títulos 0,7 0,6 - US$ - Aa 3 - Públicos 5% Fe de ra is - Ba 3 88% 2000 2001 2002 2003 2004 2005 1S05 1S06 Dívida Líquida Dívida Líquida / EBITDA 24
  24. 24. CAPEX Obrigação de Aumento de Capacidade: aguardando a decisão da Aneel e Governo do estado de SP Capex – 1S06: R$ 11,1 milhões: Usina de Bariri - re-capacitação e modernização da Unidade Geradora 2 Investimentos em reflorestamento Revisão do Capex projetado para 2006: R$ 43,7 milhões Capex – R$ milhões Capex – 1S06 43,7 7% 37,5 25% 30,5 27,5 21,9 17,7 12,4 11,1 68% 2000 2001 2002 2003 2004 2005 1S06 2006 Revisado Equipamentos Meio Ambiente Outros 25
  25. 25. Dividendos Pagamento de Dividendos Distribuição de 100% do lucro apurado no 1S06: R$ 305, 5 milhões R$ 3,06 por lote de mil ações ON R$ 3,36 por lote de mil ações PN Pagamento em 29/08/06 Pay-out Ratio Dividend Yield 11,8% 1S06* 1S06 305,5 milhões 100,0% 12,4% 13,6% 2005 14,1% 2005 538,9 milhões 96,9% 12,3% 2004 13,4% 2004 276,9 milhões 95,0% 6,6% 2003 11,4% 2003 185,6 milhões 95,0% ON PN * Anualizado 26
  26. 26. Conclusão Geração 22% acima da energia assegurada Excelência Operacional: TF e DUG acima das metas da ANEEL Energia Assegurada totalmente vendida no longo-prazo EBITDA de R$ 542,5 milhões no semestre – crescimento de 26,9% em relação ao mesmo período de 2005 Lucro líquido de R$ 305,5 milhões no 1S06, 45,2% maior que no 1S05 – com margem líquida de 43,8% no semestre 27

×