Artigo: Gestão estratégica e Inovação na Saúde

235 visualizações

Publicada em

O setor de Saúde brasileiro passa por grandes transformações, que devem se intensificar nos próximos cinco anos. São várias as causas que impulsionam essas mudanças, algumas delas comuns a outros segmentos – como os altos custos de material e pessoal –, porém dois fatores em especial prometem afetar diretamente a forma como os hospitais privados são administrados hoje: entrada de capital estrangeiro e modelo atual de gestão hospitalar. Veja como a Symnetics ajuda o setor a gerar valor e obter resultados sustentáveis em três frentes de trabalho.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
235
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo: Gestão estratégica e Inovação na Saúde

  1. 1. Gestão Estratégica e Inovação na Saúde O setor de Saúde brasileiro passa por grandes transformações, que devem se intensificar nos próximos cinco anos. São várias as causas que impulsionam essas mudanças, algumas delas comuns a outros segmentos – como os altos custos de material e pessoal –, porém dois fatores em especial prometem afetar diretamente a forma como os hospitais privados são administrados hoje. O primeiro agente de mudança é a recente liberação pelo governo da entrada de capital estrangeiro na Saúde, o que significa que grupos internacionais podem agora ser donos de hospitais no Brasil. O segmento, ainda fortemente dominado por empresas familiares, precisará se modernizar e tornar-se mais competitivo, a fim de enfrentar a chegada dessas multinacionais, prontas a atuar aqui comprando unidades e formando grandes redes de atendimento. Outro fator determinante está ligado ao modelo atual de gestão hospitalar, considerado insustentável do ponto de vista financeiro. Dentro da cadeia de valor do setor de Saúde, ainda existe uma fragilidade e dificuldade dos hospitais em estabelecer um relacionamento direto e robusto com seus clientes, pacientes e fornecedores. A pressão por preços cada vez menores, a instabilidade no fluxo de pagamentos, alto custo dos equipamentos e a própria concorrência exigem uma nova abordagem. É preciso então aumentar a geração de valor e obter resultados sustentáveis, que se traduzam em crescimento, produtividade e desenvolvimento organizacional. Nós, da Symnetics, trabalhamos essas variáveis a em três frentes: Custo-efetividade: ter pacientes curados deve ser a atividade-fim de um hospital. Muitas vezes, no entanto, desorganização de protocolos, excesso de processos, falta de diálogo ou atrasos de fornecedores acabam por tornar a estada do paciente no centro médico mais longa do que o necessário. Com uma nova visão sobre os protocolos de atendimento e ensaios clínicos, e alinhamento com os stakeholders, entre outras ações, é possível aumentar a possibilidade de cura e reduzir o retorno de pacientes para tratamento. Parceria com os planos de saúde: há menos de 10 anos, existiam mais de 1400 operadoras de saúde no Brasil. Com a regulamentação do setor e novas exigências de qualidade de serviço, o número baixou para 850, sendo que, desses, apenas 150 detêm 80% dos associados no País. O envolvimento direto desses planos na melhoria de processos é essencial para obter resultados efetivos e duradouros para o negócio. A gestão da rede e relacionamento com os planos precisa ser bem planejada, para não haver perdas desnecessárias de recursos e tempo. Inovação em produtos e serviços: é necessário buscar novas fontes de receita sempre e, no caso do setor de Saúde uma alternativa real é investir em nichos (como hospitais de baixa complexidade ou de cuidados específicos) e no uso da tecnologia e inovação. Tudo isso é possível com um bom trabalho de planejamento e construção de modelos de gestão, a partir de métodos adaptados à cultura de cada empresa.
  2. 2. Na prática A Symnetics tem atuado ao lado de grandes hospitais no Brasil inteiro para ajudá-los a formular a melhor estratégia nesse novo cenário, a partir de propostas e modelos de negócio desenvolvidas com base em análises de mercado e tendências. No Hospital Sírio Libanês, por exemplo, temos atuado no planejamento e gestão, com vários projetos finalizados e em andamento: “O trabalho da Symnetics superou as expectativas, tanto que agora estamos trabalhando novas frentes. O primeiro projeto, mais geral, permitiu construir um mapa de planejamento estratégico para todo o Sírio Libanês, entre 2011 e 2013. Esse plano já foi atualizado e agora finalizamos outros dois: um envolve o Instituto de Ensino e Pesquisa e o último é voltado à ampliação do Centro de Diagnóstico, por meio da abertura de unidades-satélite”, conta o Dr. Paulo Chapchap, CEO de Estratégia do Hospital Sírio Libanês. E conclui: “além da alta capacitação técnica, a Symnetics tem como diferencial a sensibilidade para as particularidades do cliente”. No Hcor, o modelo implantado foi o de governança, que envolveu um contato sempre muito direto entre os nossos profissionais e o hospital: “A compreensão das nossas necessidades se mostrou rápida e o entrosamento, instantâneo. Em pouco tempo, a Symnetics conseguiu elaborar e apresentar propostas condizentes com as demandas do Hospital", afirma Antônio Carlos Kfouri, superintendente Corporativo do Hospital do Coração. Implementar o planejamento estratégico e buscar a inovação foram os objetivos do trabalho realizado no Hospital Moinhos de Vento: “Há sete anos, contamos com o apoio da Symnetics para a construção e implementação de sua estratégia. Essa parceria foi fundamental para a significativa mudança e evolução de resultados que o Hospital vem obtendo desde então. Os principais diferenciais que a consultoria nos mostrou são o conhecimento do ambiente estratégico da área da saúde, o domínio de uma metodologia de construção, desdobramento e avaliação da estratégia, além da qualificação de seus profissionais. Poder contar com eles nessa trajetória permitiu maior segurança e qualidade nas decisões tomadas e no planejamento das ações a serem implementadas”, lembra Fernando Torelly, da Superintendência Executiva do Hospital Moinhos de Vento. Já no Edmundo Vasconcelos, a liderança do Hospital já possuía alguma experiência com planejamento estratégico, assim como um excelente conhecimento técnico, como conta Dario A. Ferreira Neto, diretor Administrativo: “O projeto com a Symnetics foi importante por aliar nosso know-how a uma metodologia eficiente, que crie capacidade analítica para que as coisas aconteçam efetivamente. O valor é criado quando o conhecimento é utilizado na construção e na complementariedade de competências. Acreditamos que, com disciplina e perseverança, vamos atingir as nossas metas e objetivos. Obrigado a todos vocês, que trouxeram inspiração às nossas equipes”.
  3. 3. Maria Lúcia Pontes Capelo Vides, superintendente do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, também reforça o resultado final de todo esse trabalho: “Nosso objetivo era mudar a realidade. E como fazer isso? A Symnetics nos ajudou a começar essa mudança de uma forma inovadora e envolvente. Cada área compreendeu sua importância na estratégia e como contribuir para a melhoria de processos. O resultado é vermos crescer o comprometimento e o orgulho de pertencer. A consultoria nos mostrou um caminho bem pavimentado para seguirmos aprendendo e amadurecendo. Sua abordagem, sempre com uma linguagem simples e direta, fez com que todos se enxergassem dentro do processo”. O engajamento na cultura de Planejamento Estratégico deve ocorrer em vários níveis hierárquicos, como lembra o Dr. Arthur Vitor Rosenti Segurado, da Serviços Médicos de Anestesia (SMA): “A Symnetics nos ajudou a construir coletivamente uma Visão coerente para nossa empresa, alinhada com as expectativas e os valores dos que dela fazem parte. Termos a síntese do que queremos ser nos facilita a tomada de decisões”. Nosso trabalho é tornar a Organização orientada para a Estratégia, promovendo a otimização e coordenação dos recursos para a sua implementação. Rogério Caiuby Sócio-diretor Symnetics

×