Jogos didáticos EDEQ

2.101 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.101
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
258
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jogos didáticos EDEQ

  1. 1. JOGANDO COM O EQUILÍBRIOQUÍMICO:QUÍMICO: um jogo didático paraensinar os fatores que deslocam oequilíbrio químico Gabriel da S. Pereira e Mª de Fátima T. Gomes
  2. 2. Aprendendo através do lúdicoOs jogos pedagógicos facilitam a elaboração pelosjogadores de suas próprias indagações; desenvolvemneles a cognição, socialização, afeição, motivação ecriatividade (MIRANDA, 2001)....“a aprendizagem de conceitos, em geral, ocorre maisrapidamente, devido à forte motivação” (CUNHA , 2012).... “a utilização de jogos didáticos faz com que os alunostrabalhem e adquiram conhecimentos sem que estespercebam, pois a primeira sensação é a alegria pelo atode jogar” (CUNHA , 2012).
  3. 3. JOGOS EDUCATIVOSFunção lúdica:proporcionar ao aluno prazer e diversão.Função educativa:favorecer a aquisição de conhecimentos ehabilidades pelo aluno. Função educativa Função lúdica (KISHIMOTO , 1996)
  4. 4. OBJETIVOCriar um jogo para proporcionar a alunos doEnsino Médio, com conhecimentos básicossobre equilíbrio químico, um entretenimentoque os faça, de forma prazerosa, compreendercomo fatores, tais como, o aumento daconcentração de reagentes, o aumento ou adiminuição da temperatura ou da pressão,podem afetar um sistema reacional,favorecendo ou desfavorecendo a formação deum produto comercialmente importante.
  5. 5. METODOLOGIAPrincípio básico adotadoO jogo projetado deverá possuir uma estruturasimilar ou comum à estrutura do objeto deconhecimento.De acordo com COSTA (2010), “nos jogos deentretenimento o objeto de conhecimento estápresente na estrutura essencial do jogo”; “aquilo quese aprende constitui a própria natureza do jogo,...está na sua essência”, e isto os tornam, comfrequência, efetivos pedagogicamente.
  6. 6. Escolha de uma estrutura para o jogoQue estrutura seria a mais adequada para trabalhar osfatores que afetam um dado sistemareacional em situação de equilíbrio químico?A estrutura de um jogo de tabuleiro tipo Ludo pareceu ser a mais adequada.Porque: partindo de um estado inicial, o jogador deveavançar com seus peões por casas situadas a suadireita, visando alcançar um estado final.
  7. 7. Objetivo principal de um jogo tipo LudoPartindo de um estado inicial, o jogador deveavançar com seus peões por casas situadas asua direita, visando alcançar um estado final.Entretanto alguns eventos, característicos danatureza do jogo e determinados por lances dedados, podem desfavorecer o jogador, fazendo-ose deslocar para casas situadas à esquerda, notabuleiro, o que dificulta e retarda sua chegada auma posição que lhe garantiria sucesso naempreitada.
  8. 8. Transposição conceitualAs seguintes associações deveriam estar presentes: o percurso a ser seguido pelos jogadores notabuleiro corresponde ao caminho da reação; os peões, que tanto podem avançar comoretroceder no percurso e que devem sermonitorados pelos jogadores, são os sistemasreacionais em situação de equilíbrio.Os peões têm características individuais e distintasentre si, logo podem ser afetados também de formadistinta no percurso.
  9. 9. A QUÍMICA DO JOGO As reações químicas propostas sãocaracterísticas de processos industriais deobtenção de substâncias comercialmenteimportantes como amônia, ácido sulfúrico,ácido nítrico, metanol, etc. e, sãoapresentadas contextualizadas em dezesseiscartas que podem vir a ser sorteadas pelosjogadores.
  10. 10. CARTAS DO JOGO CARTA 1 CARTA 2 CARTA 10Um dos mais importantes Em uma das etapas de produçãoprocessos industriais é a fixação do ácido sulfúrico ocorre a Metanol, CH3OH, é produzidode nitrogênio através de sua transformação do dióxido de industrialmente pela reaçãotransformação em amônia. O enxofre, SO2, em trióxido de entre monóxido de carbono eprocesso pode ser representado enxofre, SO3, que pode ser hidrogênio. O processo envolvepela equação química: representada pela equação a seguinte reação exotérmica: química: N2(g) + 3 H2(g) ⇋ 2 NH3(g) 2 SO2(g) + O2(g) ⇋ 2 SO3(g) CO(g) + 2 H2(g) ⇋ CH3OH(g) H° = - 92 kJ H° = - 197 kJ Que fatores poderão deslocar o Que fatores poderão deslocar o equilíbrio no sentido de uma equilíbrio no sentido de umaQue fatores poderão deslocar o maior produção de metanol?equilíbrio no sentido de uma maior produção de trióxido demaior produção de amônia? enxofre? Três das dezesseis cartas do jogo que podem se sorteadas pelos jogadores
  11. 11. RESULTADOS E DISCUSSÃOO jogo foi aplicado inicial/ a dezesseis alunos do 3ºano do EM, em uma escola pública, no Rio de Janeiro.Os alunos já dispunham de conhecimento préviosobre o tema. Haviam estudado o Princípio de LeChâtelier e resolvido alguns poucos exercícios.Avaliaram o jogo como interessante e divertido.Afirmaram que o jogo ficou mais emocionante ecompetitivo quanto tiveram que acompanhar mais deuma reação, ao mesmo tempo, e que isso exigiu quepensassem mais.
  12. 12. RESULTADOS E DISCUSSÃO O jogo foi avaliado por docentes da escola e daUERJ e por licenciandos em Estágio Supervisionado.Eles consideram que a estrutura escolhida para ojogo se adequou perfeitamente ao objeto deconhecimento e que as cartas possibilitaram suacontextualização.Destacaram como ponto positivo o fato das cartasapresentarem exemplos reais de processosindustriais o que possibilita compreender aimportância do estudo do equilíbrio químico emtermos práticos.
  13. 13. Aplicação do jogo
  14. 14. CONCLUSÕESO jogo atendeu as expectativas de um jogodidático: é divertido e é capaz de ensinar atravésdessa diversão.As funções lúdica e educativa estão contempladasno jogo.O objeto de conhecimento é parte integrante dojogo, faz parte de sua essência.Requer pouco conhecimento ao se iniciar a jogada,mas a cada lance de dado é necessário fazerprevisões e tomar decisões.
  15. 15. Agradecimentos:Agradecemos à Capes a ajuda financeira do Programa deConsolidação das Licenciaturas (PRODOCÊNCIA).REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASCOSTA, L.D. O que os jogos de entretenimento têm que oseducativos não têm: 7 princípios para projetar jogos educativoseficientes.Teresópolis: Ed. Novas Idéias; Rio de Janeiro: Ed:PUC-Rio, 2010.CUNHA, M.B. Jogos no Ensino de Química: Considerações Teóricaspara sua Utilização em Sala de Aula. Revista Química Nova naEscola, n. 2, maio 2012.
  16. 16. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASMIRANDA, S. (2001). No Fascínio do jogo, a alegria de aprender.Ciência Hoje, vol.28, jan./fev. 2001.SOARES, M.H.F.B. e CAVALHEIRO, E.T.G. O ludo como um jogopara discutir conceitos de termoquímica. Revista Química Nova naEscola, n. 23, maio 2006.SOARES, M.H.F.B.; OKUMURA, F. e CAVALHEIRO, E.T.G.Proposta de um jogo didático para o ensino do conceito de equilíbrioquímico. Revista Química Nova na Escola, n. 18, novembro 2003.ZANON, D.A.V.; GUERREIRO, M.A.S. e OLIVEIRA, R.C. Jogodidático Ludo Químico para o ensino de nomenclatura doscompostos orgânicos: projeto, produção, aplicação e avaliação.Ciências & Cognição, vol 13, 2008.

×