Viroses x antivirais

509 visualizações

Publicada em

Aula sobre viroses

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
509
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
86
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Viroses x antivirais

  1. 1. VirologiaVirologia
  2. 2. O que é um vírus?O que é um vírus? São parasitas intracelulares que por definição contém material genético próprio protegido por uma cobertura proteica. Alguns vírus ainda contém um envelope lipídico. Capsídeo DNA ou RNA Envelope Para a sua propagação os vírus dependem de uma célula eucariótica ou procariótica, que fornece a maquinaria total ou parcialmente para a síntese do material genético e esta cobertura viral. Vírus Célula Eucariótica Núcleo
  3. 3. Estrutura dos VírusEstrutura dos Vírus • GENOMAGENOMA de RNA or DNAde RNA or DNA • Uma membrana, oUma membrana, o ENVELOPE.ENVELOPE. • Uma capa proteicaUma capa proteica CAPSIDIOCAPSIDIO..
  4. 4. Estrutura ViralEstrutura Viral  Alguns virus têm envelopeAlguns virus têm envelope  Coberturas membranosas derivadas da membranaCoberturas membranosas derivadas da membrana celular das céluas hospedeirascelular das céluas hospedeiras 80–200 nm (diameter) 50 nm (c) Influenza viruses RNA Glycoprotein Membranous envelope Capsid
  5. 5. Genoma ViralGenoma Viral  Composição genoma viralComposição genoma viral  Fita dupla ou simples de DNAFita dupla ou simples de DNA  Fita dupla ou simples de RNAFita dupla ou simples de RNA
  6. 6. CLASSIFICAÇÃO DE BALTIMORE: Vírus são classificados em sete grupos arbitrários: I: DNA dupla fita (Adenovirus; Herpesvirus; Poxvirus, etc) II: DNA simples fita de senso positivo (Parvovirus) III: RNA dupla fita (Reovirus; Birnavirus) IV: RNA simples fita de senso positivo (Picornavirus; Togavirus, Flavivírus) V: RNA simples fita de senso negativo (Orthomixovirus, Rhabdovirus) VI: RNA simples fita de senso positivo com um ciclo intermediário de replicação DNA (Retrovirus) VII: DNA dupla fita com um intermediário de RNA (Hepadnavirus)
  7. 7. Estratégias de transcrição viralEstratégias de transcrição viral
  8. 8. Transcrição da InformaçãoTranscrição da Informação GenéticaGenética PROCESSOS DE REPARAÇÃO DE DANOS ESSENCIAL PARA A MANUTENÇÃO DA INTEGRIDADE DO DNA FALHAS NOS PROCESSOS DE REPARAÇÃO ESTÃO ASSOCIADOS A DIVERSAS MUTAÇÕES
  9. 9. 10 HERPESVIRIDAE HEPADNAVIRIDAE ENVELOPADOS PAPILLOMAVIRIDAE POLIOMAVIRIDAE CIRCULARES ADENOVIRIDAE LINEARES NÃO-ENVELOPADOS DUPLA FITA PARVOVIRIDAE SIMPLES FITA NÃO-ENVELOPADOS POXVIRIDAE ENVELOPADOS COMPLEXOS VIRUS DNA Modified from Volk et al., Essentials of Medical Microbiology, 4th Ed. 1991 Todas as famílias mostradas são icosahedricas com exceção dos poxviruses
  10. 10. 11 FLAVIVIRIDAE TOGAVIRIDAE RETROVIRIDAE ICOSAHEDRICOS CORONAVIRIDAE HELIPTICOS ENVELOPADOS ICOSAHEDRICOS PICORNAVIRIDAE CALICIVIRIDAE NÃO-ENVELOPADOS SIMPLES FITA SENSO POSITIVO BUNYAVIRIDAE ARENAVIRIDAE ORTHOMYXOVIRIDAE PARAMYXOVIRIDAE RHABDOVIRIDAE FILOVIRIDAE SIMPLES FITA SENSO NEGATIVO REOVIRIDAE DUPLA-FITA VIRUS RNA ENVELOPADOS HELIPTICOS ICOSAHEDRICOS NÃO-ENVELOPADOS Modified from Volk et al., Essentials of Medical Microbiology, 4th Ed. 1991
  11. 11. Esquema dos principais vírusEsquema dos principais vírus
  12. 12. Esquema dos principais vírusEsquema dos principais vírus
  13. 13. Dimensões dos vírusDimensões dos vírus
  14. 14. DOENÇASDOENÇAS VIRAISVIRAIS
  15. 15. Alguns vírus, doenças e respectivos vetoresAlguns vírus, doenças e respectivos vetores VírusVírus VetorVetor DoençaDoença PoliovírusPoliovírus Água e comidas contaminadasÁgua e comidas contaminadas Infecções entéricas eInfecções entéricas e poliomielítepoliomielíte HantavirusHantavirus CamundongosCamundongos Febre HemorrágicaFebre Hemorrágica HIVHIV Injeção de vírus em fluídosInjeção de vírus em fluídos corpóreoscorpóreos AIDSAIDS SarampoSarampo AerosolAerosol Viroses ExantemáticasViroses Exantemáticas Febre AmarelaFebre Amarela MosquitoMosquito Febre HemorrágicaFebre Hemorrágica DengueDengue MosquitoMosquito Febre HemorrágicaFebre Hemorrágica Hepatite AHepatite A Água e comidas contaminadasÁgua e comidas contaminadas Hepatite agudaHepatite aguda Hepatite BHepatite B Injeção direta no sangueInjeção direta no sangue Hepatite crônica e agudaHepatite crônica e aguda Hepatite CHepatite C Injeção direta no sangueInjeção direta no sangue Hepatite crônicaHepatite crônica RaivaRaiva Saliva de animal infectadoSaliva de animal infectado Encefalite fatalEncefalite fatal Herpes-simplexHerpes-simplex Saliva e outras secreçõesSaliva e outras secreções Lesões cutâneas com latênciaLesões cutâneas com latência Varicella-zoosterVaricella-zooster AerosolAerosol Lesões cutâneas com latênciaLesões cutâneas com latência
  16. 16. VírusVírus VetorVetor DoençaDoença RubéolaRubéola AerosolAerosol Lesões cutâneasLesões cutâneas PapilomaPapiloma ContatoContato Verrugas benignas, alguns comVerrugas benignas, alguns com carcinomacarcinoma HTLVHTLV SangueSangue LeucemiaLeucemia Epstein-BarrEpstein-Barr SalivaSaliva Mononucleose infecciosaMononucleose infecciosa RotavirusRotavirus contatocontato Gastroenteríte e diarréia infantialGastroenteríte e diarréia infantial EstomatiteEstomatite Lesões mucos oralLesões mucos oral ParainfluenzaParainfluenza contatocontato Viroses RespiratóriasViroses Respiratórias InfluenzaInfluenza AerosolAerosol GripeGripe VaríolaVaríola AerosolAerosol VaríolaVaríola RinovírusRinovírus AerosolAerosol Viroses RespiratóriasViroses Respiratórias AdenovírusAdenovírus Aerosol, salivaAerosol, saliva Viroses RespiratóriasViroses Respiratórias CoronavírusCoronavírus AerosolAerosol Viroses RespiratóriasViroses Respiratórias Alguns vírus, doenças e respectivos vetoresAlguns vírus, doenças e respectivos vetores
  17. 17. Padrões de doenças:Padrões de doenças:  Infecções agudas:Infecções agudas:  Resfriados, infecções respiratórias e influenza, varíolaResfriados, infecções respiratórias e influenza, varíola  Infecções com seqüelas:Infecções com seqüelas:  Poliomielite, Rubéola (em gestantes)Poliomielite, Rubéola (em gestantes)  Infecções persistentes:Infecções persistentes:  Papilomas, Adenovirus, HerpesPapilomas, Adenovirus, Herpes  Doenças secundáriasDoenças secundárias  Leucemia (HTLV)Leucemia (HTLV)  Doenças de longa incubaçãoDoenças de longa incubação  HIVHIV
  18. 18. Mecanismos de Transmissão ViralMecanismos de Transmissão Viral Aerosol Parenteral Insetos Contato direto Ingestão
  19. 19. Como os vírus se replicam e causamComo os vírus se replicam e causam doenças?doenças?  Replicação dos vírus nas célulasReplicação dos vírus nas células 1.1. Interação do vírus com a superfície da célula eInteração do vírus com a superfície da célula e introdução do seu material genômicointrodução do seu material genômico 2.2. Expressão de genes virais usando a maquinariaExpressão de genes virais usando a maquinaria celularcelular 3.3. Modificações nas células para replicar o vírusModificações nas células para replicar o vírus 4.4. Formação de novas partículas viraisFormação de novas partículas virais 5.5. Liberação dos vírusLiberação dos vírus
  20. 20. Ciclo Viral IntracelularCiclo Viral Intracelular NucleusATTACHMENT PENETRATION UNCOATING REPLICATION ASSEMBLY EGRESS
  21. 21. LiberaçLiberação de vão de víírus envelopados porrus envelopados por brotamentobrotamento
  22. 22. Doenças ViraisDoenças Virais Alguns métodos utilizados emAlguns métodos utilizados em diagnósticodiagnóstico
  23. 23. Microscopia eletrônicaMicroscopia eletrônica Adenovirus Rotavirus (courtesy of Linda Stannard, University of Cape Town, S.A.)
  24. 24. Como visualizar vírus:Como visualizar vírus: • Microscopia eletrônica por coloração negativaMicroscopia eletrônica por coloração negativa Adenovírus Papiloma Herpes Influenza Hepatite B
  25. 25. Efeitos citopáticosEfeitos citopáticos UninfectedUninfected InfectedInfected Plaque AssayPlaque Assay Syncytia AssaySyncytia Assay
  26. 26. Como podemos detectar um virus?Como podemos detectar um virus? ImunofluorescênciaImunofluorescência -Produção de anticorpos que se ligam a um vírus específicoProdução de anticorpos que se ligam a um vírus específico -Detecção do vírus em tecidos ou em culturaDetecção do vírus em tecidos ou em cultura
  27. 27. Hemaglutinação • Alguns tipos de vírus se ligam a hemácias e causam aglutinação • Anticorpos contra estes vírus inibem a aglutinação de hemácias mediada por estes vírus • Este teste pode medir os níveis de anticorpos contra um determinado vírus
  28. 28. Provas ImunoEnzimáticasProvas ImunoEnzimáticas - Detecção de anticorpos específicos ao vírus no soroDetecção de anticorpos específicos ao vírus no soro de um pacientede um paciente - A presença do anticorpo é a evidência da presençaA presença do anticorpo é a evidência da presença do vírusdo vírus - Teste de ELISATeste de ELISA
  29. 29. Western BlotWestern Blot HIV-1 Western BlotHIV-1 Western Blot  Lane1: controle positivoLane1: controle positivo  Lane 2: controle negtivoLane 2: controle negtivo  amostra A: negativoamostra A: negativo  amostra B: indeterminadoamostra B: indeterminado  amostra C: positivoamostra C: positivo
  30. 30. PCRPCR -Amplificação de quantidadesAmplificação de quantidades mínimas de DNA ou RNA viralmínimas de DNA ou RNA viral -Utilização de primersUtilização de primers específicos para o vírusespecíficos para o vírus -A base de testes muitoA base de testes muito sensíveissensíveis
  31. 31. Quimioterapia anti-viralQuimioterapia anti-viral
  32. 32. Como Tratar as Doenças ViraisComo Tratar as Doenças Virais  Medicamentos AntiviraisMedicamentos Antivirais Bloquear passos específicos do ciclo viralBloquear passos específicos do ciclo viral Os virus podem desenvolver resistência aos medicamentosOs virus podem desenvolver resistência aos medicamentos Ampliar a resposta ImuneAmpliar a resposta Imune  Cuidados SuportivosCuidados Suportivos Tratar os SintomasTratar os Sintomas Previnir a disceminaçãoPrevinir a disceminação  VacinasVacinas Promover resposta imune duradouraPromover resposta imune duradoura
  33. 33. Antivirais Sítios de AtuaçãoAntivirais Sítios de Atuação
  34. 34. Antivirais Sítios de AtuaçãoAntivirais Sítios de Atuação  Inibidores da AdesãoInibidores da Adesão  Inibidores da TranscriçãoInibidores da Transcrição  Inibidores da Síntese de ProteínasInibidores da Síntese de Proteínas  Inibidores da IntegraçãoInibidores da Integração  Inibidores da Montagem ou MaturaçãoInibidores da Montagem ou Maturação
  35. 35. Drogas Aprovadas:Drogas Aprovadas:  AciclovirAciclovir  ValaciclovirValaciclovir  GanciclovirGanciclovir  PenciclovirPenciclovir  FamciclovirFamciclovir  FoscarnetFoscarnet  RibavirinaRibavirina  LamivudineLamivudine  EntecavirEntecavir  AdefovirAdefovir  InterferonInterferon  Amantidina eAmantidina e RimantidinaRimantidina  Oseltamivir/ZanamivirOseltamivir/Zanamivir
  36. 36. Inibidores da Transcriptase ReversaInibidores da Transcriptase Reversa NucleosídeosNucleosídeos
  37. 37. Inibidores da Transcriptase ReversaInibidores da Transcriptase Reversa Não - NucleosídeosNão - Nucleosídeos
  38. 38. Inibidores da ProteaseInibidores da Protease
  39. 39. Espectro de atividade dos mais utilizados compostos antivirais
  40. 40.  Efeitos AdversosEfeitos Adversos  Pequeno espectro de atividadePequeno espectro de atividade  Fase latente da infecção viralFase latente da infecção viral  Tratamento é efetivo somente no começo daTratamento é efetivo somente no começo da infecçãoinfecção  Cepas de vírus resistentes às drogasCepas de vírus resistentes às drogas Limitações no uso de drogas antiviraisLimitações no uso de drogas antivirais

×